‘Trapaça’ sai na frente com o SAG de Melhor Elenco rumo ao Oscar 2014

Bradley Cooper encabeça elenco de Trapaça e agradece David O. Russell (photo by jenniferlawrencedaily.tumblr.com)

Bradley Cooper encabeça elenco de Trapaça e agradece David O. Russell (photo by jenniferlawrencedaily.tumblr.com)

TRAPAÇA VENCE MELHOR ELENCO E 12 ANOS DE ESCRAVIDÃO TEM SUA PRIMEIRA GRANDE DERROTA

OK. Se essa corrida de cavalos estava empatada entre 12 Anos de Escravidão e Trapaça, agora o segundo está um pouco na frente com a vitória do SAG Award de Melhor Elenco. Trata-se de uma vitória importante, principalmente para seu diretor David O. Russell, que vem perdendo em todos os prêmios para Alfonso Cuarón (Gravidade). O ator Bradley Cooper dedicou a estatueta ao ele num discurso bastante emotivo ao resgatar a vontade de ser ator sob sua direção. Claro que a vitória nessa categoria não significa garantia de Melhor Filme no Oscar, mas ajuda na campanha do filme até o dia 02 de Março, dia da cerimônia da Academia.

Analisando friamente, esse prêmio foi concedido de forma politicamente correta. Como nenhum dos atores (Christian Bale, Amy Adams e Jennifer Lawrence) ganhou o SAG individualmente, o prêmio de Melhor Elenco caiu como uma luva para recompensar as boas atuações. Enquanto isso, 12 Anos de Escravidão teve de se contentar com o prêmio de coadjuvante.

Essa rivalidade entre os filmes tem se mostrado acirrada na categoria de Atriz Coadjuvante entre Jennifer Lawrence e Lupita Nyong’o. Enquanto Lawrence ganhou o Globo de Ouro, Nyong’o virou o jogo com as vitórias no Critics’ Choice Awards e agora este SAG. Muito emocionada e humilde, ela agradeceu toda a equipe e familiares, fechando com um: “Pai, o senhor conhece Brad Pitt? Vou estar num filme com ele! – Não conheço pessoalmente, mas já fico feliz que você conseguiu um emprego”. E felizmente Lawrence escolhe um vestido bem mais apresentável do que aquele do Globo de Ouro…

Jennifer Lawrence e Lupita Nyong'o reforçam o fair play da categoria coadjuvante (photo by jenniferlawrencedailly.tumblr.com)

Jennifer Lawrence e Lupita Nyong’o reforçam o fair play da categoria coadjuvante. (photo by jenniferlawrencedaily.tumblr.com)

Tem sido muito divertido acompanhar Jennifer Lawrence na temporada de premiação. As caras e bocas dela são tão espontâneas que fica impossível não rir

Tem sido muito divertido acompanhar Jennifer Lawrence na temporada de premiação. As caras e bocas dela são tão espontâneas que fica impossível não rir (gif by mattsgifs.tumblr.com)

Entre os homens, Jared Leto confirmou seu favoritismo como coadjuvante por Clube de Compras Dallas. Havia uma certa pressão na categoria devido à presença de James Gandolfini, indicado postumamente por À Procura do Amor, mas a coragem de Leto em encarnar um transexual num drama sobre Aids falou mais alto. É muito fácil cair no caricato quando se interpreta um personagem de sexo trocado como nas inúmeras comédias, então sua performance eleva a qualidade desses papéis.

Jared Leto e sua 1ª vitória por sua 1ª indicação no SAG (photo by nyongoss.tumblr.com)

Jared Leto e sua 1ª vitória por sua 1ª indicação no SAG (photo by nyongoss.tumblr.com)

Do mesmo nível de coragem, Matthew McConaughey estava nitidamente feliz com seu prêmio. A um passo do Oscar? A seu favor, além do Globo, SAG e Critics’ Choice, ele tem o ano de 2012, quando atuou em Magic Mike, Bernie – Quase um Anjo e Amor Bandido e sequer foi lembrado pela Academia. Sim, os votantes não se esquecem que esqueceram. McConaughey é um ator em extrema ascensão em Hollywood. Ele deixou as comédias românticas ralas e os altos salários de lado e procurou testar seus limites como ator. Foi buscar papéis melhores, e mesmo que menores, tratou-os como protagonistas. E foi assim que ele chegou ao papel de Clube de Compras Dallas e tem recebido tanto reconhecimento, batendo até o veterano Bruce Dern. Espero que ele não se acomode com os prêmios e continue sua busca por desafios, inclusive no próximo filme de Christopher Nolan, Interstellar, que estréia este ano.

Matthew McConaughey foi até Netuno para explicar a ótima sensação de conseguir um papel bom (photo by Kevork Djansezian/Getty Images)

Matthew McConaughey foi até Netuno para explicar a ótima sensação de conseguir um papel bom (photo by Kevork Djansezian/Getty Images)

Também coletando todos os prêmios, a australiana Cate Blanchett demonstrou bom humor: “Para aqueles que votaram em mim, obrigada! E para aqueles que não, melhor sorte no ano que vem!” Cate agradeceu a inspiração de seu diretor Woody Allen pela criação de personagens femininas excepcionais, não esquecendo de mencionar os atores com quem trabalhou: “Sally (Hawkins) estou sozinha aqui sem você. Metade desse prêmio é seu! A parte do pênis…” Apesar da categoria estar bem acirrada, Blanchett deve conquistar seu segundo Oscar, mas o primeiro como atriz principal. Seria a primeira a ganhar o Oscar de Melhor Atriz sob a direção de Woody Allen depois de Diane Keaton em Noivo Neurótico, Noiva Nervosa (1977)!

Cate Blanchett depois de alguns drinques fez discurso bem humorado (Kevork Djansezian/Getty Images)

Cate Blanchett depois de alguns drinques fez discurso bem humorado (Kevork Djansezian/Getty Images)

Muito interessante a escolha de Rita Moreno como homenageada. Uma entre quatro personalidades que conquistou o Oscar, Grammy, Emmy e Tony Award. Nascida em Porto Rico, ela se mudou aos 5 anos para Nova York, onde anos mais tarde conseguiu pequenos papéis em produções independentes até as pontas em grandes produções como os musicais Cantando na Chuva e O Rei e Eu, até o papel de sua vida: a latina Anita no grande Amor Sublime Amor. Quebrou tabus como a primeira latina a ganhar o Oscar de atuação. Repleta de vitalidade aos 82 anos, ela comprova que a alegria faz parte de sua vida ao cantar em seu discurso de agradecimento: “So let the music play as long as there’s a song to sing and I will be younger than spring…” – uma artista completa que falta hoje em dia.

Sobre o clipe In Memorian, é triste lembrar que Peter O’Toole, Joan Fontaine, Richard Griffiths, Eleanor Parker, Eileen Brennan, James Gandolfini e Juanita Moore nos abandonaram.

Confira a lista completa dos vencedores:

PRÊMIOS DO CINEMA

MELHOR ELENCO (BEST FILM ENSEMBLE)
Trapaça (American Hustle)
Amy Adams, Christian Bale, Louis C.K., Bradley Cooper, Paul Herman, Jack Huston, Jennifer Lawrence, Alessandro Nivola, Michael Peña, Jeremy Renner, Elisabeth Röhm, Shea Whigham

MELHOR ATOR (BEST ACTOR)
Matthew McConaughey (Clube de Compras Dallas)

MELHOR ATRIZ (BEST ACTRESS)
Cate Blanchett (Blue Jasmine)

MELHOR ATOR COADJUVANTE (BEST SUPPORTING ACTOR)
Jared Leto (Clube de Compras Dallas)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE (BEST SUPPORTING ACTRESS)
Lupita Nyong’o (12 Anos de Escravidão)

MELHOR EQUIPE DE DUBLÊS (BEST STUNT ENSEMBLE)
O Grande Herói (Lone Survivor)

PRÊMIOS DA TV

MELHOR ELENCO DE TV- DRAMA
Breaking Bad
Michael Bowen, Betsy Brandt, Bryan Cranston, Lavell Crawford, Tait Fletcher, Laura Fraser, Anna Gunn, Matthew T. Metzler, RJ Mitte, Dean Norris, Bob Odenkirk, Aaron Paul, Jesse Plemons, Steven Michael Quezada, Kevin Rankin, Patrick Sane

MELHOR ATOR DE TV – DRAMA
Bryan Cranston (Breaking Bad)

MELHOR ATRIZ DE TV – DRAMA
Maggie Smith (Downton Abbey)

MELHOR ELENCO DE TV – COMÉDIA
Modern Family
Julie Bowen, Ty Burrell, Aubrey Anderson Emmons, Jesse Tyler Ferguson, Nolan Gould, Sarah Hyland, Ed O’Neill, Rico Rodriguez, Eric Stonestreet, Sofia Vergara, Ariel Winter

MELHOR ATOR DE TV – COMÉDIA
Ty Burrell (Modern Family)

MELHOR ATRIZ DE TV – COMÉDIA
Julia Louis-Dreyfus (Veep)

MELHOR ATOR  – FILME PARA TV OU MINISSÉRIE
Michael Douglas (Minha Vida com Liberace)

MELHOR ATRIZ – FILME PARA TV OU MINISSÉRIE
Helen Mirren (Phil Spector)

MELHOR EQUIPE DE DUBLÊS DE TV
Game of Thrones

Num discurso que beira o "já sabia", Julia Louis-Dreyfus descontrai ao errar o discurso duas vezes, agradecendo o Globo de Ouro e o Oscar (photo by wool-grill.tumblr.com)

Num discurso que beira o “já sabia”, Julia Louis-Dreyfus descontrai ao errar o discurso duas vezes, agradecendo o Globo de Ouro e o Oscar (photo by wool-grill.tumblr.com)

Anúncios
Deixe um comentário

4 Comentários

  1. Hugo

     /  janeiro 19, 2014

    Essas premiações e suas contradições. Se “12 Anos de Escravidão” tinha 3 de seus membros indicados nas categorias individuais de atuação não poderia ter perdido o prêmio de melhor elenco para “Trapaça”, em que só Jennifer Lawrence concorria individualmente. Eles erram nas indicações e depois ficam tentando consertar na hora de premiar!

    Ano passado foi a mesma coisa com “Argo”, que só tinha 1 indicação individual contra 3 de “Lincoln” e “O Lado Bom da Vida” e 2 de “Os Miseráveis”. Para mim o prêmio de melhor elenco deveria ser entregue à produção que possui o maior número possível de performances individuais marcantes. Se é para escolher o melhor filme, assim como fazem as outras premiações, é melhor mudar de vez o nome da categoria!

    A premiação do SAG deixou bem claro que o Oscar vai ser bem previsível. Vai haver algum suspense no BAFTA, já que “Dallas Buyers Club” não está concorrendo. Então ator principal e coadjuvante vão ser diferentes das demais premiações. Talvez eles até premiem Jennifer Lawrence, já que no ano passado ela perdeu na categoria principal para Riva.

    Aliás, dessa vez Jennifer Lawrence estava bonita! Adoro ela! Mas como a gente já conversou, Lawrence provavelmente ganhou o Oscar pelo trabalho errado. Se ela não tivesse ganhado no ano passado, com certeza ela faturaria esse ano, mesmo tendo perdido o SAG.

    Os discursos de Lupita Nyong’o tem sido muito bonitinhos. Ela sempre fala alguma coisa engraçada. Ainda não conferi o filme, mas acho precipitado dar um Oscar no primeiro trabalho dela. Mas parece que a Academia gosta de se precipitar!

    Responder
    • Oi, Hugo! Então, sua linha de pensamento a respeito do prêmio de Melhor Elenco tem sua lógica, sim, mas acredito que eles buscam avaliar a sintonia do elenco, como se vencesse aquele em que o diretor conseguiu mais unidade à direção de atores em si. Eu estava recordando quais filmes ganharam nessa categoria nos últimos 5 anos: “Argo”, “Histórias Cruzadas”, “O Discurso do Rei”, “Bastardos Inglórios” e “Quem Quer Ser um Milionário?”, e eu enxergo mais essa questão da unidade no conjunto do que quantidade de atuações individuais acima da média. Realmente fica essa sensação de que eles estão querendo consertar as exclusões individuais com o prêmio de Elenco.

      Quanto ao BAFTA, você levantou uma questão bem importante: a ausência de “Clube de Compras Dallas”, o que, na minha opinião, abre espaço para possíveis vitórias de Bruce Dern e Michael Fassbender. E se isso acontecer, Lupita Nyong’o pode perder para Jennifer Lawrence mesmo, pois “12 Anos de Escravidão” já teria ao menos um prêmio de atuação.

      Falando na Lupita, vou ver o filme esta semana e te dou uma opinião concreta sobre a atuação dela. Mas em relação ao seu comentário, eu te entendo sobre premiar estreantes, porque algumas vezes, por reconhecerem cedo demais um ator ou atriz, acaba limitando e rotulando seu talento, ou o profissional em si é daqueles atores de um papel só e acabam nunca mais sendo indicados. É uma aposta que eles acabam fazendo, e que quando não dá certo, torna-se a infame “maldição do Oscar”.

      E pra fechar, estive pensando a respeito das possíveis surpresas do Oscar deste ano e pensei na categoria de atriz. Tudo bem que Cate Blanchett é favoritíssima ao Oscar pelo talento inegável e carinho dos colegas de profissão e, além disso, só ganhou um Oscar de coadjuvante. MAS nesse mesmo patamar está Dame Judi Dench, e o fato de que seu papel teve origem numa história real (e a próprioa Philomena pode vir ao Oscar como fez no Globo de Ouro) e seu filme ter sido indicado a Melhor Filme, pode favorecer a vitória de Dench, que também só tem um Oscar de coadjuvante. O que acha? É possível uma virada de última hora? Abs.

      Responder
      • Hugo

         /  janeiro 21, 2014

        Então, ainda sobre o SAG: No prêmio de melhor elenco algumas vezes é observada a sintonia do grupo, mas, em outros casos, eles dão à esse prêmio a equivalência de melhor filme, como ocorreu no ano passado. É isso que eu acho errado, a categoria é outra, não melhor filme. Mas legal que “Trapaça” tenha ganhado!

        Acaba que no fim das contas o BAFTA vai ser a premiação mais surpreendente dessa temporada. Acredito que em melhor ator leve Bruce Dern ou Chiwetel Ejiofor, tendo em vista que este faturou a maior parte dos prêmios da crítica. Em ator coadjuvante, acho que pode dar Michael Fassbender ou até mesmo o MAtt Damon. Damon ainda não ganhou nenhum prêmio por “Behind the Candelabra” e está tão bem quanto Michael Douglas, seria uma forma legal de reconhecê-lo.

        Acho que Jennifer Lawrence tem chances realmente. J. Law já tem quase tudo, só não tem BAFTA! Ou então eles podem fazer com “12 Anos de Escravidão” o mesmo que fizeram com “O Discurso do Rei”: uma trinca de prêmios de atuação (atriz coadjuvante e atores principal e coadjuvante). Isso seria uma incrível puxação de saco para “o filme britânico do ano”.

        Acho que apenas um Oscar de coadjuvante é muito pouco para o talento de Judi Dench, o que fica comprovado pelas demais 4 indicações na categoria principal e mais uma em coadjuvante, sem contar a desse ano. Você já conferiu “Philomena”? Ouvi alguém dizer que é o melhor trabalho da carreira de Dench, o mesmo que está sendo dito sobre Cate Blanchett. Acho que Judi talvez até tivesse uma chance se o “buzz” em torno do nome de Blanchett não fosse tão grande. Nesse ponto o BAFTA não deve decidir muito coisa, tendo em vista que Cate ganhou menos vezes que Dench, e o prêmio com certeza vai parar nas mãos da primeira. Acho que em atriz a vencedora absoluta já tá decidida. Infelizmente parece que não vai ser dessa vez que o Oscar vai reconhecer devidamente o talento de Dame Judi. Será que vai haver outra oportunidade?

        Diante do mar de previsibilidade que se tornou o Oscar, só nos resta especular à respeito do prêmio da Academia Britânica! Agora vamos ter que esperar um tempão até o BAFTA! O calendário de premiações esses ano ficou muito esquisito, tudo por causa das Olimpíadas de Inverno, acho: 3 prêmios importantes numa semana e agora vamos ter que esperar 4 semanas até o BAFTA. O jeito é acompanhar os prêmios dos demais sindicatos por enquanto. Bom conversar com vc! Abraço!

  2. Oi, Hugo! Ainda não vi “Philomena”, mas já está rolando pré-estréia, então talvez eu veja nesta próxima semana. Também ouvi falar muito bem do filme desde setembro, quando ele concorreu ao Leão de Ouro em Veneza. Fiquei meio descrente do talento de Stephen Frears depois de “A Rainha”, mas com um bom roteiro, as coisas podem mudar bastante.

    Bom, Judi Dench está com seus 79 aninhos, então se ela tem interesse de ganhar o Oscar de Atriz, tem que dar uma de Woody Allen e fazer um filme bom por ano! O tempo está se esgotando e até os produtores dos filmes do James Bond já a mataram pra não ter problema! hehe

    Mas brincadeiras à parte, admiro muito a atuação de Dench. Infelizmente, sua técnica não costuma chamar muita atenção. Ela trabalha com minúcias, gestos e olhares, enquanto a Academia costuma ver mais transformações, dietas e engordas. Espero que ela conquiste esse Oscar, mas que ele não seja por piedade ou póstumo (!). Judi Dench merece palmas de pé.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: