‘Saving Christmas’ é eleito o pior do ano no Framboesa de Ouro 2015

Saving Christmas: o grande vencedor do Framboesa de Ouro 2015 (photo by cdn.screenrant.com)

Saving Christmas: o grande vencedor do Framboesa de Ouro 2015 (photo by cdn.screenrant.com)

FRAMBOESA FINALMENTE CONTEMPLA TAMBÉM MICHAEL BAY E SEUS EXCESSOS

Quem diria que o Framboesa de Ouro já está completando 35 anos? Certamente, três décadas e meia da mais pura nata do cinema de qualidade! Um dos fundadores do evento, John Wilson, contou em entrevista: “Há 35 anos fazemos essa festa como contraponto ao Oscar”. E vem dando certo, pois antes a cerimônia ocupava uma salinha e hoje chega a alugar um teatro de médio porte e este ano passou a cobrar até ingressos que, segundo Wilson, venderam quase todos a 25 dólares cada.

Como de praxe, o prêmio possui as categorias de Pior Filme, Ator, Atriz, Ator Coadjuvante, Atriz Coadjuvante, Diretor e Roteiro, mas este ano, lançou um prêmio especial intitulado The Razzie Redeemer Award (algo como Framboesa Redentora) para aqueles atores que persistem depois um mega fracasso e alcançam o sucesso comercial e de crítica. O primeiro contemplado foi Ben Affleck, que foi de Contato de Risco (2003) com Jennifer Lopes para os sucessos Argo (2013) e Garota Exemplar (2014).

Ontem: Ben Affleck com Jennifer Lopez em Contato de Risco, de 2003 (photo by cdn.thedailybeast.com)

Ontem: Ben Affleck com Jennifer Lopez em Contato de Risco, de 2003 (photo by cdn.thedailybeast.com)

Ben Affleck ostenta seu segundo Oscar, mas desta vez como produtor por Argo (photo by bostinno.com)

E hoje: Ben Affleck com seu segundo Oscar por Argo. O mundo realmente dá voltas. (photo by bostinno.com)

Infelizmente, Affleck não foi receber o prêmio como a maioria não costuma fazer por vergonha. Daria pra contar nos dedos os artistas que foram ao palco agradecer pela honraria: Sandra Bullock (por Maluca Paixão), Halle Berry (por Mulher-Gato) e o diretor holandês Paul Verhoeven (por Showgirls), que foi marcante por ter sido o primeiro artista a receber o prêmio em mãos em 1996.

Este ano, o grande vencedor (ou seria perdedor?) foi Saving Christmas, um filme evangélico classificado como de família e comédia. A produção foi contemplada como Pior Filme, Pior Ator, Pior Roteiro e Pior Combo.

Logo atrás, vem Transformers: A Era da Extinção com 2 Framboesas. Finalmente minhas preces foram atendidas e Michael Bay foi reconhecido por suas virtudes como diretor. Ok, não dá pra esperar muita coisa de Michael Bay, mas pelo menos antes ele se esforçava um pouco mais pra entregar um blockbuster mais razoável como A Rocha (1996) ou A Ilha (2005), cujos primeiros 20 minutos são bons, mas depois desanda de uma maneira que até hoje não consigo entender. Ele é uma espécie de Ed Wood com dinheiro. Acha que está fazendo obras-primas, mas não está. Mas a diferença é que Ed Wood não tinha um centavo no bolso e qualquer coisa na tela se tornava algo bonito. Por favor, amigos de Michael Bay, dêem um toque pra ele.

Depois de várias tentativas frustradas, Michael Bay finalmente conquista seu Framboesa de Ouro por Transformers: A Era da Extinção (photo by i.ytimg.com)

Depois de várias tentativas frustradas, Michael Bay finalmente conquista seu Framboesa de Ouro por Transformers: A Era da Extinção (photo by i.ytimg.com)

O Framboesa de Ouro não existe pra ficar dando lição de moral nos concorrentes, mas de uma certa forma, dar um leve puxão de orelha e dar um empurrãozinho para que esses artistas repensem melhor antes de levar adiante um projeto que visa apenas um lucro fácil. Tudo bem que às vezes, o ator ou atriz precisa pagar as contas ou fez um favor, como Charlize Theron deve ter feito ao amigo Seth MacFarlane naquela draga de comédia besteirol Um Milhão de Maneiras de Pegar na Pistola, que também deveria levar Pior Título em Português, porque o título original não é tão ruim assim: A Million Ways to Die in the West, mas certos tropeços poderiam ser facilmente evitados.

Seth Macfarlane e Charlize Theron em entrevista do filme Um Milhão de Maneiras de Pegar na Pistola (photo by i.ytimg.com)

Seth Macfarlane e Charlize Theron em entrevista do filme Um Milhão de Maneiras de Pegar na Pistola (photo by i.ytimg.com)

Poxa, Charlize Theron ganhou o Oscar por Monster: Desejo Assassino, e hoje está na lista do Framboesa. Depois daquele baita esforço de transformação para viver a assassina Aileen Wuornos, fazer uma comédia imbecil foi uma decisão tomada à base de crack. Tem artistas que andam tão sem rumo que a gente nem liga mais, como Nicolas Cage, que tem feito uns três filmes ruins por ano, mas é triste noticiar a queda de alguns nomes.

Enfim, sem mais delongas, os grandes ganhadores do Framboesa 2015:

PIOR FILME
• Saving Christmas
– O Apocalipse
– Hércules
– As Tartarugas Ninja
– Transformers: A Era da Extinção

PIOR ATOR
Kirk Cameron (Saving Christmas)
– Nicolas Cage (O Apocalipse)
– Kellan Lutz (Hércules)
– Seth MacFarlane (Um Milhão de Maneiras de Pegar na Pistola)
– Adam Sandler (Juntos e Misturados)

PIOR ATRIZ
• Cameron Diaz (Mulheres ao Ataque) e (Sex Tape: Perdido na Nuvem)
– Drew Barrymore (Juntos e Misturados)
– Melissa McCarthy (Tammy)
– Charlize Theron (Um Milhão de Maneiras de Pegar na Pistola)
– Gaia Weiss (Hércules)

PIOR ATOR COADJUVANTE
• Kelsey Grammer (Os Mercenários 3), (A Lenda de Oz), (Elas Querem Pensar Como Eles!) e (Transformers: A Era da Extinção)
– Mel Gibson (Os Mercenários 3)
– Shaquille O’Neal (Juntos e Misturados)
– Arnold Schwarzenegger (Os Mercenários 3)
– Kiefer Sutherland (Pompeia)

PIOR ATRIZ COADJUVANTE
Megan Fox (As Tartarugas Ninja)
– Cameron Diaz (Annie)
– Nicola Peltz (Transformers: A Era da Extinção)
– Susan Sarandon (Tammy)
– Bridgette Cameron (Saving Christmas)

PIOR DIRETOR
Michael Bay (Transformers: A Era da Extinção)
– Darren Doane (Saving Christmas)
– Renny Harlin (Hércules)
– Jonathan Liebesman (As Tartarugas Ninja)
– Seth MacFarlane (Um Milhão de Maneiras de Pegar na Pistola)

PIOR REMAKE OU SEQUÊNCIA
Annie
– Atlas Shrugged: Part III
– Hércules
– As Tartarugas Ninja
– Transformers: A Era da Extinção

PIOR COMBO
Kirk Cameron e seu ego (Saving Christmas)
– Kellan Lutz e seus músculos (Hércules)
– Seth MacFarlane e Charlize Theron (Um Milhão de Maneiras de Pegar na Pistola)
– Cameron Diaz, Jason Segel (Sex Tape: Perdido na Nuvem)
– Qualquer dois robôs, atores (ou atores robóticos) (Transformers: A Era da Extinção)

PIOR ROTEIRO
Darren Doane, Cheston Hervey (Saving Christmas)
– Paul Lalonde, John Patus (O Apocalipse)
– Kate Angelo, Jason Segel, Nicholas Stoller (Sex Tape: Perdido na Nuvem)
– Ehren Kruger (Transformers: A Era da Extinção)
– Evan Daugherty, André Nemec, Josh Appelbaum (As Tartarugas Ninja)

FRAMBOESA REDENTORA
• Ben Affleck: de vencedor do Framboesa por Contato de Risco para vencedor do Oscar por Argo, e Garota Exemplar
– Jennifer Aniston: de 4 vezes indicada ao Framboesa para indicada ao SAG por Cake: Uma Razão Para Viver
– Mike Myers: de vencedor do Framboesa por O Guru do Amor para diretor de documentário Supermensch: The Legend of Shep Gordon
– Keanu Reeves: de seis vezes indicado ao Framboesa para o aclamado pela crítica De Volta ao Jogo
– Kristen Stewart: de vencedora do Framboesa por Crepúsculo para o filme de arte Camp X-Ray

Anúncios

30º Independent Spirit Awards também reconhece ‘Birdman’, mas premia Linklater como diretor

Michael Keaton levou o Independent Spirit Award um dia antes do Oscar por Birdman (photo by entertainment.inquirer.net)

Michael Keaton levou o Independent Spirit Award um dia antes do Oscar por Birdman (photo by entertainment.inquirer.net)

EM SEU 30º ANO, PRÊMIO DOS INDEPENDENTES ESTÁ CADA VEZ MAIS EQUIPARADO AO OSCAR

Um dia antes do Oscar, ocorreu o 30º Independent Spirit Awards. Lembro que até a década de 90, a regra era a seguinte: o filme ou artista que ganhar o Independent não ganhará o Oscar. Mas os tempos mudaram com crises econômicas (obrigado, George W. Bush), e agora parece não haver quase nenhuma distinção entre Oscar e o prêmio independente.

Para quem não conhece, o regulamento do Independent Spirit exige basicamente que os filmes candidatos não ultrapassem a barreira dos 20 milhões de dólares de custo de produção (incluindo a pós-produção) e que seja produzido nos EUA. Só para citar alguns exemplos: Foxcatcher e Vício Inerente foram desqualificados pelo primeiro quesito, enquanto A Teoria de Tudo foi pelo segundo, por ser britânico.

Mas, como dito, com a crise econômica, muitas das produções de estúdio estão com seus orçamentos bastante enxugados, fazendo com que esses filmes também concorram ao Independent um dia antes do Oscar. Assim, Birdman, Boyhood e Whiplash, por exemplo, estavam presentes e concorrendo em ambas as premiações.

Ethan Hawke aceita o prêmio de Diretor na ausência de Richard Linklater por Boyhood (photo by novo.wada.vn)

Ethan Hawke aceita o prêmio de Diretor na ausência de Richard Linklater por Boyhood (photo by novo.wada.vn)

Claro que por um lado, é vantajoso para esses filmes ganhar mais projeção num evento mais aconchegante (o Independent foi realizado em tendas da praia de Santa Monica!), mas e como ficam os filmes realmente menores? Ok, tem algumas produções que estão concorrendo ao Independent que não foram convidadas para o Oscar como O Amor é Estranho, Kumiko the Treasure Hunter e Amantes Eternos, mas nenhum deles ganhou um Independent Spirit Award sequer!

Com a crise apertando e mudando o cenário, sugiro uma mudança bem simples: alterar o teto de orçamento qualificatório para 10 milhões de dólares. Essa medida eliminaria muitos desses novos papa-Oscars e resgataria produções mais modestas para a premiação a fim de alavancar suas bilheterias, pois como muitos se esquecem, um prêmio tem também essa função de ajudar na divulgação de um trabalho e levantar uma graninha extra.

Bom, agora cortando o discurso político, vamos aos resultados. Birdman faturou os prêmios de Filme, Ator (Michael Keaton) e Fotografia. Já Boyhood ficou com o prêmio de Diretor para Richard Linklater (que tem mais cara de indie) e Atriz Coadjuvante (Patricia Arquette).

Tudo bem que ficaria feio para o Independent ser do contra se elegesse outros atores que não fossem os favoritos (Michael Keaton, Julianne Moore, J.K. Simmons e Patricia Arquette), mas poderiam dar uma variada, pois tinham boas opções alternativas. Por que não premiar Tilda Swinton por Amantes Eternos ou Jake Gyllenhaal por O Abutre como Ator? Sairia da mesmice da temporada e demonstraria mais personalidade; pra não soar redundante e dizer “seria mais independente”. Alguns podem achar que essa opinião é uma mera tentativa de ser diferente, mas se olharmos para a safra de 2014, houve mais atores tão merecedores quanto aqueles que ganharam todos os prêmios.

Julianne Moore recebe prêmio por Para Sempre Alice (photo by chinadaily.com.cn)

Julianne Moore recebe prêmio por Para Sempre Alice (photo by chinadaily.com.cn)

O mesmo digo na categoria de Filme em Língua Estrangeira. Pô, o mesmo filme quadrado polonês ganhou o Independent?! Só pra citar aqueles que assisti, tinha o ótimo filme russo Leviatã, que destrincha a Rússia atual com um roteiro inteligente; tinha o sueco Força Maior, que tem uma veia de humor negro tão bizonha que já merecia qualquer prêmio por sua atmosfera; e o britânico Sob a Pele, com seu tom experimental em vários campos como a fotografia, a trilha musical e a montagem. Deixe para o Oscar premiar Ida por seu tipo conservador.

VENCEDORES DO INDEPENDENT SPIRIT AWARDS 2015:

MELHOR FILME
• Birdman (Birdman (or The Unexpected Virtue of Ignorance)
Produtores: Alejandro González Iñárritu, John Lesher, Arnon Milchan, James W. Skotchdopole

DIRETOR
Richard Linklater (Boyhood: Da Infância à Juventude)

ATRIZ
Julianne Moore (Still Alice)

ATOR
Michael Keaton (Birdman)

ATRIZ COADJUVANTE
Patricia Arquette (Boyhood: Da Infância à Juventude)

Patricia Arquette discursa por Boyhood (photo by hollywoodreporter.com)

Patricia Arquette discursa por Boyhood (photo by hollywoodreporter.com)

ATOR COADJUVANTE
J.K. Simmons (Whiplash: Em Busca da Perfeição)

J.K. Simmons aceita seu prêmio por Whiplash: Em Busca da Perfeição. Ao fundo, Jared Leto. Photo by variety.com

J.K. Simmons aceita seu prêmio por Whiplash: Em Busca da Perfeição. Ao fundo, Jared Leto. Photo by variety.com

MELHOR FOTOGRAFIA
Emmanuel Lubezki (Birdman)

MELHOR MONTAGEM
Tom Cross (Whiplash: Em Busca da Perfeição)

MELHOR ROTEIRO
Dan Gilroy (O Abutre)

MELHOR FILME DE ESTRÉIA
• O Abutre (Nightcrawler)
Diretor: Dan Gilroy
Produtores: Jennifer Fox, Tony Gilroy, Jake Gyllenhaal, David Lancaster, Michel Litvak

PRIMEIRO ROTEIRO
Justin Simien (Dear White People)

PRÊMIO JOHN CASSAVETES – Para produções feitas abaixo de 500 mil dólares.
• Land Ho!
Diretores-roteiristas: Aaron Katz, Martha Stephens
Produtores: Christina Jennings, Mynette Louie, Sara Murphy

MELHOR DOCUMENTÁRIO
• CitizenFour
Diretora-produtora: Laura Poitras
Produtores: Mathilde Bonnefoy, Dirk Wilutzky

FILME INTERNACIONAL
• Ida – POLÔNIA
Diretor: Pawel Pawlikowski

O diretor Pawel Pawlikowski discursa por Ida (photo by pictures.zimbio.com)

O diretor Pawel Pawlikowski discursa por Ida (photo by pictures.zimbio.com)

PRÊMIO ROBERT ALTMAN – Concedido a um diretor, diretor de elenco e elenco
• Vício Inerente (Inherent Vice)
Diretor: Paul Thomas Anderson
Diretor de Casting: Cassandra Kulukundis
Elenco: Josh Brolin, Martin Donovan, Jena Malone, Joanna Newsom, Joaquin Phoenix, Eric Roberts, Maya Rudolph, Martin Short Serena Scott Thomas, Benicio Del Toro, Katherine Waterston, Michael Kenneth Williams, Owen Wilson, Reese Witherspoon

SPECIAL DISTINCTION AWARD
• Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo (Foxcatcher)
Diretor/Produtor: Bennett Miller
Produtores: Anthony Bregman, Megan Ellison, Jon Kilik
Roteiristas: E. Max Frye, Dan Futterman
Atores: Steve Carell, Mark Ruffalo, Channing Tatum

PRODUCERS AWARD
Chad Burris
Elisabeth Holm
Chris Ohlson

SOMEONE TO WATCH AWARD
• A Girl Walks Home Alone at Night
Diretora: Ana Lily Amirpour
• H.
Diretores: Rania Attieh & Daniel Garcia
• The Retrieval
Diretor: Chris Eska

TRUER THAN FICTION AWARD
• Approaching the Elephant
Diretor: Amanda Rose Wilder
• Evolution of a Criminal
Diretor: Darius Clark Monroe
• The Kill Team
Diretor: Dan Krauss
• The Last Season
Diretora: Sara Dosa