arrival-mit-amy-adams

Esta é uma imagem para Com 12 indicações, o musical ‘La La Land’ lidera o Critics’ Choice Awards 2016.

Cena de primeiro contato em A Chegada, com Amy Adams. 10 indicações para filme de Denis Villeneuve. Photo by moviepilot.de

Anúncios

Deixe um comentário

2 Comentários

  1. Azul Hernandez

     /  dezembro 28, 2017

    Sinceramente os filmes de ficção não são o meu gênero preferido, mas devo reconhecer que Arrival. Adorei está história, por que além das cenas cheias de ação extrema e efeitos especiais, realmente teve um roteiro decente, elemento que nem todos os filmes deste gênero tem. Eu também gostei, você vai vê-lo novamente?

    Responder
    • Olá, Azul! Obrigado por seu contato e Feliz Ano Novo!
      Assisti a “A Chegada” duas vezes e, como você disse, o roteiro de Eric Heisserer se destaca entre as ficções científicas mais recentes, porque permite ao espectador refletir sobre o poder da comunicação como ferramenta para evitar uma guerra, para melhor entendimento entre os povos e essencial para colaboração mútua. Além da questão filosófica, a montagem não-linear de Joe Walker consegue transparecer a comunicação dos alienígenas ao mesmo tempo em que é bem-sucedido em camuflar o drama pessoal da protagonista vivida por Amy Adams. Infelizmente, não foi devidamente reconhecido no Oscar (venceu apenas na categoria de Efeitos Sonoros), mas merecia os prêmios de Roteiro Adaptado e Montagem. E curiosamente, uma das melhores performances de Adams e ela sequer foi indicada.

      Agora, em se tratando de roteiros de ficção científica, este gênero bastante antigo em Hollywood, tinha o costume de servir como plataforma para diretores criticarem questões sociais ou governamentais. Tomo como exemplo “Vampiros de Almas” (Invasion of the Body Snatchers/ 1956), no qual temos uma história de invasão de alienígenas que se camuflam como seres humanos, que se interpretado de acordo com sua época, era uma nítida crítica ao McCarthismo, que buscava identificar artistas com ideais comunistas e expulsá-los dos EUA. Já em “O Enigma do Outro Mundo” (The Thing/ 1982), temos outro alienígena transmorfo que adentra uma base governamental na Antártida. A dificuldade de identificar qual era o ser humano e qual era o alienígena era uma alusão à dificuldade de saber quem era portador do vírus da AIDS.

      Enfim, quando o gênero é bem explorado, temos cinema de qualidade. Este ano, o melhor exemplar disso foi “Corra!” (Get Out/2017), que consegue abordar a questão do preconceito racial de forma bastante incisiva, mas sem abrir mão das nuances, quando um jovem negro visita a cidade dos pais da namorada branca e se sente bastante incomodado.

      Caso você não tenha visto nenhum desses filmes, espero que você consiga assisti-los e quem sabe mudar de opinião em relação ao gênero!
      Abraços e bons filmes!

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s