OSCAR 2021: As PREVISÕES da VARIETY

SEGUNDO PREVISÕES, DIVERSIDADE NÃO FALTARÁ ENTRE OS INDICADOS

Em recentes postagens do site americano Variety, o especialista Clayton Davis lançou suas primeiras previsões para a próxima edição do Oscar, que vale lembrar, acontecerá em 25 de Abril, e os filmes lançados até 28 de Fevereiro estarão elegíveis. Portanto, até lá, os estúdios podem remanejar as datas de estréias como aconteceu com o novo filme de Steven Spielberg, a refilmagem de West Side Story, que ficou para 2021 (talvez para abafar a denúncia de abuso sexual do ator Ansel Elgort). Existe ainda risco de algumas produções serem adiadas para 2021 como Mulher-Maravilha 1984.

Na categoria de Filme Internacional, as deduções são ainda maiores, já que a maioria dos países ainda não selecionou seus representantes para o Oscar. Casa de Antiguidades, de João Paulo Miranda Maria, larga na frente porque estava na seleção oficial do Festival de Cannes deste ano, mesmo não havendo o evento fisicamente.

Seguem todas as categorias previstas de autoria de Clayton Davis do número 1 ao número 10 para que você tenha uma noção do que pode vir nesta temporada de premiações. Caso tenha curiosidade de ver os nomes restantes, acesse o site da Variety:
https://variety.com/feature/2021-oscars-predictions-academy-awards-nominations-1234764774/

MELHOR FILME
1. Nomadland
2. Os 7 de Chicago (The Trial of the Chicago 7)
3. One Night in Miami
4. Mank
5. The Father
6. News of the World
7. Ma Rainey’s Black Bottom
8. Destacamento Blood (Da 5 Bloods)
9. Judas e o Messias Negro (Judas and the Black Messiah)
10. Minari

MELHOR DIREÇÃO
1. Chloé Zhao (Nomadland)
2. David Fincher (Mank)
3. Aaron Sorkin (Os 7 de Chicago)
4. Regina King (One Night in Miami)
5. Florian Zeller (The Father)

6. Paul Greengrass (News of the World)
7. Shaka King (Judas e o Messias Negro)
8. George C. Wolfe (Ma Rainey’s Black Bottom)
9. Spike Lee (Destacamento Blood)
10. Lee Isaac Chung (Minari)

MELHOR ATOR
1. Anthony Hopkins (The Father)
2. Delroy Lindo (Destacamento Blood)
3. Gary Oldman (Mank)
4. Tom Hanks (News of the World)
5. Daniel Kaluuya (Judas e o Messias Negro)

6. Steven Yeun (Minari)
7. Riz Ahmed (Sound of Metal)
8. Dev Patel (The Personal History of David Copperfield)
9. Jesse Plemons (Estou Pensando em Acabar com Tudo)
10. Ben Affleck (The Way Back)

MELHOR ATRIZ
1. Michelle Pfeiffer (French Exit)
2. Vanessa Kirby (Pieces of a Woman)
3. Frances McDormand (Nomadland)
4. Viola Davis (Ma Rainey’s Black Bottom)
5. Jennifer Hudson (Respect)

6. Kate Winslet (Ammonite)
7. Andra Day (The United States vs. Billie Holiday)
8. Carey Mulligan (Promising Young Woman)
9. Sophia Loren (The Life Ahead)
10. Amy Adams (Hillbilly Elegy)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
1. David Strathairn (Nomadland)
2. Chadwick Boseman (Ma Rainey’s Black Bottom)
3. Bill Murray (On the Rocks)
4. Leslie Odom Jr. (One Night in Miami)
5. Lakeith Stanfield (Judas e o Messias Negro)

6. Sacha Baron Cohen (Os 7 de Chicago)
7. Frank Langella (Os 7 de Chicago)
8. Mark Rylance (Os 7 de Chicago)
9. Kingsley Ben-Adir (One Night in Miami)
10. Shia LaBeaouf (Pieces of a Woman)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
1. Olivia Colman (The Father)
2. Amanda Seyfried (Mank)
3. Saiorse Ronan (Ammonite)
4. Audra McDonald (Respect)
5. Ellen Burstyn (Pieces of a Woman)

6. Glenn Close (Hillbilly Elegy)
7. Helena Zengel (News of the World)
8. Swankie (Nomadland)
9. Kristin Scott Thomas (Rebecca)
10. Meryl Streep (The Prom)

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
1. Jack Fincher (Mank)
2. Aaron Sorkin (Os 7 de Chicago)
3. Lee Isaac Chung (Minari)
4. Will Berson, Shaka King, Keith Lucas, Kenny Lucas (Judas e o Messias Negro)
5. Emerald Fennell (Promising Young Woman)

6. Pete Docter, Mike Jones, Kemp Powers (Soul)
7. Eliza Hitman (Never Rarely Sometimes Always)
8. Danny Bilson, Paul De Meo, Kelvin Willmott, Spike Lee (Destacamento Blood)
9. Julia Hart, Jordan Horowitz (I’m Your Woman)
10. Tracey Scott Wilson, Callie Khouri (Respect)

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
1. Chloé Zhao (Nomadland)
2. Kemp Powers (One Night in Miami)
3. Christopher Hampton (The Father)
4. Ruben Santiago-Hudson (Ma Rainey’s Black Bottom)
5. Luke Davies, Paul Greengrass (News of the World)

6. Charlie Kaufman (Estou Pensando em Acabar com Tudo)
7. Kelly Reichardt, Jonathan Raymond (First Cow)
8. Ramin Bahrani (The White Tiger)
9. Patrick deWitt (French Exit)
10. Suza-Lori Parks (The United States vs. Billie Holiday)

MELHOR FOTOGRAFIA
1. Joshua James Richards (Nomadland)
2. Erik Messerchmidt (Mank)
3. Darius Wolski (News of the World)
4. Phedon Papamichael (Os 7 de Chicago)
5. Tami Reiker (One Night in Miami)

6. Linus Sandgren (Sem Tempo Para Morrer)
7. Hoyte van Hoytema (Tenet)
8. Newton Thomas Sigel (Destacamento Blood)
9. Sean Bobbitt (Judas e o Messias Negro)
10. Mandy Walker (Mulan)

MELHOR MONTAGEM
1. Alan Baumgarten (Os 7 de Chicago)
2. Kirk Baxter (Mank)
3. William Goldenberg (News of the World)
4. Chloé Zhao (Nomadland)
5. Tariq Anwar (One Night in Miami)

6. Yorgos Lamprinos (Tha Father)
7. Andrew Mondshein (Ma Rainey’s Black Bottom)
8. Kristan Sprague (Judas e o Messias Negro)
9. Adam Gough (Destacamento Blood)
10. Tom Cross, Elliot Graham (Sem Tempo Para Morrer)

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO
1. Donald Graham Burt, Jan Pascale (Mank)
2. David Crank, Elizabeth Keenan (News of the World)
3. Cristina Casali, Charlotte Dirickx (The Personal History of David Copperfield)
4. Grant Major, Anne Kuljian (Mulan)
5. Mark Ricker, Karen O’Hara, Diana Stoughton (Ma Rainey’s Black Bottom)

6. Shane Valentino, Andrew Baseman (Os 7 de Chicago)
7. Sarah Finlay, Sophie Hervieu (Ammonite)
8. Page Buckner, Janessa Hitsman (One Night in Miami)
9. Sam Lisenco, Rebecca Brown (Judas e o Messias Negro)
10. Molly Hughes, Merissa Lombardo (Hillbilly Elegy)

MELHOR FIGURINO
1. Suzie Harman, Robert Worley (The Personal History of David Copperfield)
2. Trish Summerville (Mank)
3. Ruth E. Carter (Um Príncipe em Nova York 2)
4. Ann Roth (Ma Rainey’s Black Bottom)
5. Francine Jamison-Tanchuck (One Night in Miami)

6. Alexandra Byrne (Emma)
7. Mark Bridges (News of the World)
8. Michael O’Connor (Ammonite)
9. Bina Daigeler (Mulan)
10. Paco Delgado (Morte no Nilo)

MELHOR MAQUIAGEM E CABELO
1. Respect
2. Mank
3. Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa
4. Um Príncipe em Nova York
5. Os 7 de Chicago

6. Morte no Nilo
7. Ammonite
8. Mulan
9. News of the World
10. Judas e o Messias Negro

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL
1. Trent Reznor, Atticus Ross (Soul)
2. Trent Reznor, Atticus Ross (Mank)
3. Daniel Pemberton (Os 7 de Chicago)
4. Terence Blanchard (Destacamento Blood)
5. James Newton Howard (News of the World)

6. Kris Bowers (The United States vs. Billie Holiday)
7. Terence Blanchard (One Night in Miami)
8. Volker Bertelmann, Dustin O’Halloran (Ammonite)
9. Steven Price (A Caminho da Lua)
10. Kris Bowers (Respect)

MELHORES EFEITOS VISUAIS
1. Tenet
2. Greyhound: Na Mira do Inimigo
3. Free Guy: Assumindo o Controle
4. Mulan
5. Mulher-Maravilha 1984

6. Morte no Nilo
7. Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa
8. Dolittle
9. O Chamado da Floresta
10. Soul

MELHOR SOM
1. Os 7 de Chicago
2. Tenet
3. News of the World
4. Sound of Metal
5. O Homem Invisível

6. Sem Tempo Para Morrer
7. Destacamento Blood
8. Mulher-Maravilha 1984
9. The United States vs. Billie Holiday
10. Respect

MELHOR LONGA DE ANIMAÇÃO
1. Soul
2. A Caminho da Lua (Over the Moon)
3. Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica (Onward)
4. Wolfwalkers
5. Os Croods 2: Uma Nova Era (The Croods: A New Age)

6. Super Conectados (Connected)
7. Lupin III: O Primeiro (Lupin III: The First)
8. Trolls 2 (Trolls: World Tour)
9. A Liga de Monstros (Rumble)
10. Os Irmãos Willoughby (The Willoughbys)

MELHOR FILME INTERNACIONAL
1. Another Round – Dinamarca
2. The Disciple – Índia
3. The Life Ahead – Itália
4. Casa de Antiguidades – Brasil
5. Night of the Kings – Costa do Marfim

HBO DOMINA EMMY com VITÓRIAS de ‘WATCHMEN’ e ‘SUCCESSION’

Schitt’s Creek, Watchmen e Succession vencem o Emmy (pic by Indiewire)

‘WATCHMEN’, ‘SUCCESSION’ E ‘SCHITT’S CREEK’ SÃO OS GRANDES VENCEDORES DA NOITE

Há um ano, quando as séries da HBO Game of Thrones e Veep encerraram, muitos acreditavam no fim de uma hegemonia do estúdio televisivo, porém o Emmy deste ano comprova que eles ainda tinham outras cartas na manga. Foram ao todo 30 Emmys conquistados perante os 21 do 2º colocado Netflix, que havia acumulado maior número de indicações desta edição: 160. Em meio a essa árdua disputa, 2020 foi a estréia da Disney Plus no prêmio, com o total de 8 indicações, e 7 vitórias nas categorias técnicas com The Mandalorian, um spin off de Star Wars.

Ainda falando de HBO, a maior surpresa da noite foi a vitória da jovem Zendaya por Euphoria, que lida com a temática de drogas. Ela bateu as veteranas e favoritas da noite Jennifer Aniston, Laura Linney, Olivia Colman, Jodie Comer e Sandra Oh, e se tornou a mais jovem vencedora da categoria na história do Emmy.

Pelas categorias de Comédia, Schitt’s Creek se tornou a segunda série de comédia na história do Emmy a conquistar os 4 prêmios de atuação depois de Angels in America em 2003. Os atores Eugene Levy, Catherine O’Hara, Dan Levy e Annie Murphy levaram pela primeira vez as estatuetas de atuação, e a série levou ainda os prêmios de Roteiro, Direção e obviamente, Melhor Série de Comédia.

Devido à pandemia, a cerimônia de premiação foi um pouco diferente. Diretamente do Staples Center em Los Angeles, instalaram uma central de onde o host Jimmy Kimmel comandava mais de 100 lives espalhadas ao redor dos EUA e do mundo. Os indicados se transmitiam ao vivo diretamente de suas casas ou de ambientes abertos para receber funcionários com trajes especiais para lhes entregarem as estatuetas para que pudessem fazer seus discursos de agradecimento. Dependendo da situação em Abril de 2021, pode se tornar uma opção viável para o Oscar.

Jimmy Kimmel comanda várias lives simultâneas direto do Staples Center em Los Angeles (pic by IMDb)

Confira todos os vencedores da 72ª edição do Emmy Awards:

DRAMA

SÉRIE DE DRAMA
Succession

ATOR – DRAMA
Jeremy Strong (Succession)

ATRIZ – DRAMA
Zendaya (Euphoria)

ATOR COADJUVANTE – DRAMA
Billy Crudup (The Morning Show)

ATRIZ COADJUVANTE – DRAMA
Julia Garner (Ozark)

ATOR CONVIDADO – DRAMA
Ron Cephas Jones (This Is Us)

ATRIZ CONVIDADA – DRAMA
Cherry Jones (Succession)

DIREÇÃO – DRAMA
Succession (“Hunting”)

ROTEIRO – DRAMA
Succession (“This Is Not For Tears”)

Melhor Ator – Drama: Jeremy Strong (Succession)
Melhor Atriz – Drama: Zendaya (Euphoria)

COMÉDIA

SÉRIE DE COMÉDIA
Schitt’s Creek

ATOR – COMÉDIA
Eugene Levy (Schitt’s Creek)

ATRIZ – COMÉDIA
Catherine O’Hara (Schitt’s Creek)

ATOR COADJUVANTE – COMÉDIA
Daniel Levy (Schitt’s Creek)

ATRIZ COADJUVANTE – COMÉDIA
Annie Murphy (Schitt’s Creek)

ATOR CONVIDADO – COMÉDIA
Eddie Murphy (Saturday Night Live)

ATRIZ CONVIDADA – COMÉDIA
Maya Rudolph (Saturday Night Live)

DIREÇÃO – COMÉDIA
Schitt’s Creek (“Happy Ending”)

ROTEIRO – COMÉDIA
Schitt’s Creek (“Happy Ending”)

Melhor Ator – Comédia: Eugene Levy (Schitt’s Creek)
Melhor Atriz – Comédia: Catherine O’Hara (Schitt’s Creek)

MINISSÉRIE OU FILME PARA TV

MINISSÉRIE
Watchmen

FILME PARA TV
Má Educação (Bad Education)

ATOR
Mark Ruffalo (I Know This Much Is True)

ATRIZ
Regina King (Watchmen)

ATOR COADJUVANTE
Yahya Abdul-Mateen II (Watchmen)

ATRIZ COADJUVANTE
Uzo Aduba (Mrs. America)

DIREÇÃO
Maria Schrader (Unorthodox)

ROTEIRO
Watchmen (“This Extraordinary Being”)

Melhor Ator – Minisséries ou Filme Feito para TV: Mark Ruffalo (I Know This Much is True)
Melhor Atriz – Minissérie ou Filme Feito para TV: Regina King (Watchmen)

REALITY SHOW

HOST
RuPaul, RuPaul’s Drag Race

PROGRAMA ESTRUTURADO
Queer Eye

PROGRAMA NÃO-ESTRUTURADO
Cheer

PROGRAMA DE COMPETIÇÃO
RuPaul’s Drag Race

DIREÇÃO
Cheer

VARIEDADES

TALK SHOW DE VARIEDADES
Last Week Tonight with John Oliver

SKETCH DE VARIEDADES
Saturday Night Live

ESPECIAL (AO VIVO) DE VARIEDADES
Live In Front of a Studio Audience: “All in the Family” and “Good Times”

ESPECIAL (PRÉ-GRAVADO) DE VARIEDADES
Dave Chappelle: Sticks & Stones

DIREÇÃO – VARIEDADES
Saturday Night Live

DIREÇÃO – ESPECIAL DE VARIEDADES
Dave Chappelle: Sticks & Stones

ROTEIRO PARA SÉRIE DE VARIEDADES
Last Week Tonight with John Oliver

ROTEIRO PARA ESPECIAL DE VARIEDADES
Dave Chappelle: Sticks & Stones

SÉRIE DE DOCUMENTÁRIO OU NÃO-FICÇÃO
The Last Dance

MÉRITO EXCEPCIONAL PARA DOCUMENTÁRIO
The Cave

‘NOMADLAND’ VENCE o LEÃO de OURO em VENEZA

Frances McDormand em NOMADLAND. Photo Courtesy of Searchlight Pictures. © 2020 20th Century Studios All Rights Reserved

ROAD MOVIE DEVE RENDER INDICAÇÕES AO OSCAR 2021 DE DIREÇÃO E ATRIZ

A 77ª edição do Festival de Veneza certamente entrará para a história já por acontecer mesmo diante de uma pandemia. E agora com a premiação de uma diretora asiática, a chinesa Chloé Zhao, algo que não acontecia desde 2001 quando a indiana Mira Nair ganhou o Leão de Ouro por Um Casamento à Indiana.

Apesar de haver um número recorde de oito diretoras indicadas, havia forte expectativa de que a presidente do júri Cate Blanchett reconhecesse uma delas. Infelizmente, Zhao não estava presente na cerimônia, mas agradeceu numa chamada virtual: “Obrigada por nos deixarem participar do festival nesse modo estranho. A gente se vê pela frente!”

A diretora chinesa, que se destacou há três anos com o filme independente Domando o Destino, tornou-se também a primeira diretora mulher a ganhar o prêmio depois de Sofia Coppola, que venceu em 2010 por Um Lugar Qualquer. Como todos sabem, uma vitória no festival italiano tem aumentado consideravelmente as chances no Oscar seguinte.

Só para citar exemplos mais recentes de vencedores do Leão de Ouro, A Forma da Água levou os Oscars de Filme e Diretor para Guillermo del Toro, enquanto Roma levou Diretor para Alfonso Cuarón, e Coringa foi o recordista de indicações, levando Melhor Ator para Joaquin Phoenix e Trilha Original. Com isso, existe uma forte expectativa para que Chloé Zhao se torne a primeira diretora não-branca a ser indicada na categoria. A Searchlight (ex-Fox) vai lançar Nomadland no dia 04 de Dezembro nos EUA. Já no Brasil, a previsão por enquanto é só para o dia 04 de Fevereiro.

Já para o Grande Prêmio do Júri, que seria uma espécie de segundo colocado, o júri concedeu o prêmio para o mexicano Michel Franco e seu novo filme Nuevo Orden, que é uma distopia social em forma de thriller. Para quem conhece os trabalhos anteriores do diretor, sabe que ele costuma abordar temas mais polêmicos, e este filme não deve fugir do padrão.

Naian González em cena de Nuevo Orden, de Michel Franco

Para Melhor Direção, o japonês Kiyoshi Kurosawa foi lembrado pelo drama de espionagem Wife of a Spy, que foi bastante elogiado na crítica internacional, inclusive muitos alegando que se tratava do melhor filme dele dos últimos anos.

Enquanto na seleção de Melhor Ator, o júri não encontrou dificuldades e premiou o italiano Pierfrancesco Favino pelo thriller sobre terrorismo baseado em fatos reais de Padrenostro, para escolher a Melhor Atriz, Cate Blanchett afirmou que ficou maravilhada por contar com “tantas performances extraordinárias”, já que havia muitos filmes protagonizados por mulheres. O prêmio ficou com a britânica Vanessa Kirby por Pieces of a Woman, que foi adquirido pela Netflix e deve estrear na plataforma digital.

À esquerda, Pierfrancesco Favino em cena de Padrenostro.

Até pouco tempo atrás, a atriz era mais conhecida por seu trabalhos nos filmes de ação Missão: Impossível – Efeito Fallout (2018) e Velozes & Furiosos: Hobbs e Shaw (2019) e pela série da Netflix The Crown, mas já nesta edição de Veneza, estrelava dois dramas na corrida pelo Leão de Ouro: The World to Come e este Pieces of a Woman, no qual ela ela interpreta uma mãe em luto por ter perdido seu bebê. Ela aceitou o prêmio e dedicou a “todas as mães que perderam seus filhos e não tiveram suas histórias contadas”, e agradeceu Shia LaBeouf com quem contracenou no filme.

Vanessa Kirby contracena com Shia LaBeouf em Pieces of a Woman

O prêmio de Roteiro ficou com o indiano Chaitanya Tamhane pelo filme The Disciple, que explora uma jornada pela música Indiana clássica. E o Prêmio do Júri ficou com o russo Andrei Konchalovsky pelo drama soviético Dear Comrades.

Pela mostra paralela Horizontes, presidida pela cineasta Claire Denis, o grande vencedor foi o filme iraniano The Wasteland, de Ahmed Bahrami, que lida com a tensão de trabalhadores numa fábrica de tijolos no ambiente rural.

Confira todos os vencedores desta 77ª edição do Festival de Veneza:

LEÃO DE OURO
“Nomadland,” Chloé Zhao

GRANDE PRÊMIO DO JÚRI
“New Order,” Michel Franco

LEÃO DE PRATA DE MELHOR DIRETOR
Kiyoshi Kurosawa, “Wife of a Spy”

MELHOR ATRIZ
Vanessa Kirby, “Pieces of a Woman”

MELHOR ATOR
Pierfrancesco Favino, “Padrenostro”

MELHOR ROTEIRO
“The Disciple,” Chaitanya Tamhane

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI
“Dear Comrades,” Andrei Konchalovsky

PRÊMIO MARCELLO MASTROIANNI DE ATOR JOVEM
Rouhollah Zamani, “Sun Children”

MOSTRA HORIZONTES

MELHOR FILME
“The Wasteland,” Ahmad Bahrami

MELHOR DIRETOR
“Genus Pan,” Lav Diaz

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI
“Listen,” Ana Rocha de Sousa

MELHOR ATOR
Yahya Mahayni, “The Man Who Sold His Skin”

MELHOR ATRIZ
Khansa Batma, “Zanka Contact”

MELHOR ROTEIRO
“I Predatori,” Pietro Castellitto

MELHOR CURTA-METRAGEM
“Entre tú y milagros,” Mariana Safron


LEÃO DO FUTURO

PRÊMIO LUIGI DELAURENTIIS POR FILME DE ESTREANTE
“Listen,” Ana Rocha de Sousa

COMPETIÇÃO DE REALIDADE VIRTUAL

MELHOR VR
“The Hangman at Home: An Immersive Single User Experience,”Michelle and Uri Kranot

MELHOR EXPERIÊNCIA VR
“Finding Pandora X,” Kiira Benzing

MELHOR HISTÓRIA VR
“Killing a Superstar,” Fan Fan

ACADEMIA MUDA as REGRAS DE ELEGIBILIDADE para MELHOR FILME

Novos padrões de inclusão da Academia

Ainda em resposta à polêmica do #OscarsSoWhite, que apontava a ausência total de atores negros, latinos ou asiáticos nas 20 vagas das 4 categorias de atuação em 2015, a Academia anunciou nesta terça-feira, dia 08, uma mudança um pouco mais radical na tentativa de proporcionar mais discussão sobre a diversidade no cinema.

Pelas cerimônias de 2022 e 2023, as produções que estiverem dispostas a competir como Melhor Filme terão que enviar um formulário confidencial de padrões de inclusão da Academia, mas somente a partir de 2024, os filmes terão que preencher DOIS de QUATRO dos novos requisitos:

PADRÃO A: REPRESENTAÇÃO, TEMAS E NARRATIVAS
Para atingir este padrão, o filme precisa se adequar a um dos seguintes critérios:

A1. Atores principais ou coadjuvantes
Pelo menos um dos atores principais ou coadjuvantes significativos pertencer a um grupo de etnia ou raça sub-representados:
• Asiático
• Hispânico / latino
• Negro / Afro-americano
• Indígena / Nativo Americano / Nativo do Alasca
• Oriente Médio / Norte da África
• Havaiano nativo ou outro ilhéu do Pacífico
• Outra raça ou etnia sub-representada

A2. Elenco geral
Pelo menos 30% de todos os atores em papéis secundários e menores pertencerem a pelo menos dois dos seguintes grupos:
• Mulheres
• Grupo racial ou étnico
• LGBTQ +
• Pessoas com deficiências cognitivas ou físicas, ou surdas ou com deficiência auditiva

A3. Enredo principal / assunto
O(s) enredo(s) principal(is), tema ou narrativa do filme serem centrados em um(s) grupo(s) sub-representado(s).
• Mulheres
• Grupo racial ou étnico
• LGBTQ +
• Pessoas com deficiências cognitivas ou físicas, ou surdas ou com deficiência auditiva

PADRÃO B: LIDERANÇA CRIATIVA E EQUIPE DE PROJETO
Para atingir o Padrão B, o filme deve atender a UM dos critérios abaixo:

B1. Liderança criativa e chefes de departamento
Pelo menos duas das seguintes posições de liderança criativa e chefes de departamento – diretor de casting, diretor de fotografia, compositor, figurinista, diretor, montador, cabeleireiro, maquiador, produtor, desenhista de produção, decorador de set, som, supervisor de efeitos visuais, escritor – serem dos seguintes grupos sub-representados:
• Mulheres
• Grupo racial ou étnico
• LGBTQ +
• Pessoas com deficiências cognitivas ou físicas, ou surdas ou com deficiência auditiva

Pelo menos uma dessas posições deve pertencer ao seguinte grupo racial ou étnico sub-representado:
• Asiático 
• Hispânico / latino
• Negro / Afro-americano
• Indígena / Nativo Americano / Nativo do Alasca
• Oriente Médio / Norte da África
• Havaiano nativo ou outro ilhéu do Pacífico
• Outra raça ou etnia sub-representada

B2. Outras funções importantes
Pelo menos seis outros membros/ equipes e cargos técnicos (excluindo Assistentes de Produção) serem de um grupo racial ou étnico sub-representado. Essas posições incluem, mas não estão limitadas a Primeiro Assistente de Direção, Gaffer, Supervisor de Roteiro etc.

B3. Composição geral da equipe
Pelo menos 30% da equipe do filme ser dos seguintes grupos sub-representados:
• Mulheres
• Grupo racial ou étnico
• LGBTQ +
• Pessoas com deficiências cognitivas ou físicas, ou surdas ou com deficiência auditiva

PADRÃO C: ACESSO E OPORTUNIDADES DA INDÚSTRIA
Para atingir o Padrão C, o filme deve atender AMBOS os critérios abaixo:

C1. Aprendizagem remunerada e oportunidades de estágio
A distribuidora ou financiadora do filme pagou aprendizagens ou estágios para grupos dos seguintes grupos sub-representados e atenderem aos critérios abaixo:
• Mulheres
• Grupo racial ou étnico
• LGBTQ +
• Pessoas com deficiências cognitivas ou físicas, ou surdas ou com deficiência auditiva

Os principais estúdios/distribuidores são obrigados a ter aprendizagens/estágios remunerados e contínuos, incluindo grupos sub-representados (também deve incluir grupos raciais ou étnicos) na maioria dos seguintes departamentos: produção/desenvolvimento, produção física, pós-produção, música, efeitos visuais , aquisições, negócios, distribuição, marketing e publicidade.

Os mini-grandes estúdios/distribuidores independentes devem ter um mínimo de dois aprendizes/estagiários dos grupos sub-representados acima (pelo menos um de um grupo racial ou étnico sub-representado) em pelo menos um dos seguintes departamentos: produção/desenvolvimento, produção física , pós-produção, música, efeitos visuais, aquisições, negócios, distribuição, marketing e publicidade.

C2. Oportunidades de treinamento e desenvolvimento de habilidades (equipe)
A companhia de produção, distribuição e/ou financiamento do filme deve oferecer oportunidades de treinamento e/ou trabalho para o desenvolvimento de habilidades abaixo da linha para pessoas dos seguintes grupos sub-representados:
• Mulheres
• Grupo racial ou étnico
• LGBTQ +
• Pessoas com deficiências cognitivas ou físicas, ou surdas ou com deficiência auditiva

PADRÃO D: DESENVOLVIMENTO DE PÚBLICO
Para atingir este padrão, o filme deve atender aos critérios abaixo:

D1. Representação em marketing, publicidade e distribuição
O estúdio e/ou empresa de cinema terem vários executivos seniores internos dentre os seguintes grupos sub-representados (deve incluir indivíduos de grupos raciais ou étnicos sub-representados) em suas equipes de marketing, publicidade e/ou distribuição.
• Mulheres
• Grupo racial ou étnico
• Asiática
• Hispânico / latino
• Negro / afro-americano
• Indígena / Nativa americana / Nativa do Alasca
• Oriente Médio / Norte da África
• Havaiano nativo ou outro ilhéu do Pacífico
• Outra raça ou etnia sub-representada
• LGBTQ +
• Pessoas com deficiências cognitivas ou físicas, ou surdas ou com deficiência auditiva

Todas as categorias, exceto Melhor Filme, serão mantidas de acordo com seus requisitos de elegibilidade atuais. Os filmes nas categorias de longa-metragem de animação, documentário, filme internacional) inscritos para Melhor Filme serão tratados separadamente.

O Academy Aperture 2025 é a próxima fase da iniciativa de equidade e inclusão da Academy, promovendo os esforços contínuos da organização para promover a inclusão na indústria do entretenimento e aumentar a representação de seus membros e da comunidade cinematográfica em geral.

O Presidente da Academia David Rubin ao lado da CEO Dawn Hudson. Photo by Jordan Strauss/Invision/AP/Shutterstock (10552613bo)

Segundo a Academia, esses novos padrões foram criados para encorajar uma representação mais justa na tela e fora dela para melhor refletir a diversidade do público que frequenta as salas de cinema. As regras foram inspiradas nos padrões de diversidade da British Film Institute (BFI) usados para conceder verbas para as produções e também para algumas categorias do prêmio BAFTA. O sindicato de produtores (PGA) também foi consultado antes do anúncio das novas regras. “Acreditamos que a inclusão desses novos padrões será um catalisador para uma mudança duradoura e essencial em nossa indústria”, defendeu a CEO da Academia Dawn Hudson.

Essas exigências só serão obrigatórias a partir de 2024 (filmes de 2023) para que haja tempo para as produções se prepararem para preencher os requisitos necessários.

DA DISCUSSÃO

Por se tratar de uma mudança que diverge pensamentos, lemos vários comentários de reação de cinéfilos a respeitos dos novos padrões. 

Felizmente, boa parte acredita que essas mudanças serão muito benéficas para a indústria e refletirão nos filmes. Já aqueles que discordaram, em sua maioria, defendem que o Oscar deveria exigir apenas qualidade, independente de qual etnia ou grupo social trabalhou no filme.

De fato, a Academia jamais deveria ser responsabilizada por não haver atores negros indicados, por exemplo, pois a instituição apenas avalia os filmes lançados, nunca participando das produções dos mesmos. Contudo, por ter um papel importante na indústria cinematográfica, está fazendo o possível para estimular maior participação de grupos étnicos, de orientação sexual ou mesmo de mulheres. Com esta nova exigência, a Academia espera dar aquele empurrãozinho para que os profissionais envolvidos numa produção repensem na hora de contratar um artista ou profissional para sua equipe, sem, claro, abrir mão de qualidade.

Claro que tais mudanças não impedem necessariamente um novo Oscar de Melhor Filme para um ‘Crash’ ou ‘Green Book’ como muitos esperam, pois dependem da votação dos membros, mas dificultam novas edições sem atores não-brancos indicados, e de quebra, ajudam o Cinema a se tornar uma arte mais universal.

%d blogueiros gostam disto: