‘Boyhood’ fatura 3 prêmios e é o grande vencedor do Globo de Ouro 2015

Da esquerda para a direita: Patricia Arquette, Lorelei Linklater, Richard Linklater, Ellar Coltrane e Ethan Hawke com os três Globos de Ouro em mãos (photo by trbimg.com)

Da esquerda para a direita: Patricia Arquette, Lorelei Linklater, Richard Linklater, Ellar Coltrane e Ethan Hawke com os três Globos de Ouro em mãos (photo by trbimg.com)

‘BIRDMAN’ E ‘A TEORIA DE TUDO’ CONQUISTAM 2 PRÊMIOS CADA E FORTALECEM SUAS CAMPANHAS RUMO AO OSCAR

Em termos de resultado, a 72ª edição do Globo de Ouro pode ser dividida em duas partes: a previsível de cinema e a imprevisível de TV. Os atores mais cotados de cinema levaram seus prêmios: Eddie Redmayne, Julianne Moore, Michael Keaton, Amy Adams, J.K. Simmons e Patricia Arquette, além de Richard Linklater como diretor. Só achei que os prêmios de roteiro e filme-comédia seriam invertidos: O Grande Hotel Budapeste levaria roteiro e Birdman levaria filme, mas de qualquer modo, foi um merecidíssimo prêmio para Wes Anderson. Provavelmente, a maior surpresa na parte de cinema tenha sido a vitória da sequência Como Treinar o Seu Dragão 2, já que Uma Aventura Lego vinha conquistando quase todos os prêmios da temporada de Melhor Animação, e em menor escala, a vitória do compositor Johann Johannsson pela trilha de A Teoria de Tudo, uma vez que Antonio Sanchez tinha as melhores chances por Birdman, mesmo tendo sido desqualificado da categoria no Oscar.

Pela TV, já pelo fato dos membros da Hollywood Foreign Press Association terem dado uma repaginada nos indicados, acabou proporcionando maiores oportunidades de surpresa. Séries que todo ano estavam indicadas foram deixadas de lado como The Big Bang TheoryModern Family, permitindo a inclusão de novas como a vencedora Transparent, e Jane the Virgin e Sillicon Valley. Aliás, a série Transparent, da Amazon, fez história ao se tornar a primeira série online a ganhar o Globo de Ouro de Melhor Série. As séries da Netflix como House of Cards e Orange is the New Black falharam nesse quesito, mas pelo menos Kevin Spacey conquistou seu almejado prêmio de ator pela primeira. As maiores surpresas foram as vitórias de The Affair como Melhor Série – Drama, sua atriz Ruth Wilson, e a atriz coadjuvante Joanne Froggatt por Downton Abbey. A minissérie Fargo também surpreendeu ao bater favoritos como True Detective e o filme para tv The Normal Heart, mas a verdade é que Fargo sempre recebeu ótimos elogios, mas ninguém premiava. Coube ao Globo de Ouro recompensá-los numa noite em que os criadores do filme original estavam presentes: Joel Coen, Ethan Coen, Frances McDormand e William H. Macy.

FESTA BEM AMENA COM LAMPEJOS DE OUSADIA

Não sei o que houve com as hostesses Tina Fey e Amy Poehler. Quer dizer, elas fizeram suas piadas na apresentação como aquelas envolvendo a saga da Sony com a Coréia do Norte e o filme A Entrevista, e até polêmicas das acusações de estupro de Bill Cosby, mas ao longo da festa, não vimos novas inserções delas. Teriam sido proibidas? Aí, a organização colocou umas piadas tão sem graça para os apresentadores dos prêmios lerem ao vivo que o show foi decaindo muito rapidamente. Quando vi Ricky Gervais subindo ao palco pra apresentar, pensei: “Pronto, finalmente alguém pra levantar o ânimo!”, mas não sei se mandaram Ricky maneirar no tom, mas ele realmente pegou leve… Uma pena! Ele zombou do “momento John Travolta”, quando o ator introduziu a cantora Idina Menzel com “Adele Nazeem” no Oscar do ano passado: “Eu assisto (à gafe) toda hora no Youtube!”. Então, sobrou para o ator Jeremy Renner soltar a pérola masculina da noite. Quando apresentava o prêmio ao lado da mega decotada Jennifer Lopez, ao abrir o envelope ela falou: “Eu abro porque tenho as unhas” – “E os globos de ouro também”, completou o auspicioso Renner.

Tina Fey e Amy Poehler com Margaret Cho caracterizada como uma serva norte-coreana (photo by foxnews.com)

Tina Fey e Amy Poehler com Margaret Cho caracterizada como uma serva norte-coreana (photo by foxnews.com)

Seguem algumas pérolas da dupla Fey e Poehler:

Tina Fey: Tonight we celebrate all the television shows that we know and love, as well as all the movies that North Korea was OK with. (Hoje, celebramos todos os shows da tv que conhecemos e amamos, assim como todos os filmes que a Coréia do Norte permitiu).

Amy Poehler: Patricia Arquette in “Boyhood” proves that “there are still great roles for women over 40- as long as you get hired when you’re under 40” (Patricia Arquette em Boyhood prova que ainda há grandes papéis para mulheres acima dos 40 – contanto que você seja contratada antes dos 40) – referindo-se ao fato de que as filmagens de Boyhood começaram há 12 anos.

Amy Poehler: In “Into the Woods,” Cinderella runs from her prince, Rapunzel is thrown from a tower for her prince and Sleeping Beauty just thought she was getting coffee with Bill Cosby” (Em “Caminhos da Floresta”, Cinderela de seu príncipe, Rapunzel é jogada de sua torre para seu príncipe e A Bela Adormecida pensou que ia tomar um café com Bill Cosby). Elas até chegam a fazer algumas imitações de Cosby pra amenizar o ambiente, mas o dano já estava feito.

Mas a melhor da noite foi: George Clooney married Amal Amaluddin this year. “Amal is a human rights lawyer who worked on the Enron case, was an adviser to Kofi Anan regarding Syria and was selected for a three person UN commission regarding war violations in the Gaza Strip. So tonight her husband is getting a lifetime achievement award,”. (George Clooney se casou com Amal Amaluddin este ano. “Amal é uma advogada de direitos humanos que trabalhou no caso Enron, foi conselheira de Kofi Anan sobre a Síria e foi eleita para uma comissão de três pessoas das Nações Unidas para os casos de violações de guerra na Faixa de Gaza. Então, esta noite seu marido vai ganhar um prêmio pela carreira!”

George Clooney com sua esposa Amal Amal (photo by John Shearer/ Invision/AP)

George Clooney com sua esposa Amal Amaluddin (photo by John Shearer/ Invision/AP)

Houve até um bom momento de descontração na brincadeira do “Would you rather” (Você prefere):
– Colin Farrell ou Colin Firth? Edward Norton ou Mark Ruffalo? Chris Pine ou Chris Pine! – Tina interrompe. Richard Linklater ou Alejandro Iñárritu? Amy escolhe Iñárritu: “Um take, duas horas direto sem parar”, enquanto Tina prefere Linklater: “Cinco minutos uma vez por ano”

Houve uma ou outra manifestação mais polêmica como o discurso de Common na vitória de Melhor Canção por Selma, filme sobre a conquista dos direitos civis nos anos 60. Em seu discurso, ele cita momentos importantes na História como a senhora negra que se recusou a mudar de lugar no ônibus até casos recentes como os dois negros mortos por policiais brancos na tentativa de engrandecer uma película somente por questões raciais e não por méritos artísticos. Assim como também houve uma outra citação do atentado terrorista na França contra o semanário Charlie Hebdo. Ao apresentar o prêmio de atriz coadjuvante, o ator Jared Leto aproveitou o momento e fez uma citação em homenagem, e George Clooney ostentava um bóton no smoking com os mesmos dizeres com os dizeres “Je suis Charlie”. O presidente da HFPA, Theo Kingma, fez questão de defender a liberdade de expressão, seja na Coréia do Norte ou em Paris, e foi aplaudido de pé por todos.

EFEITOS DO GLOBO DE OURO

Assim como muitos especialistas já levantaram, o resultado do Globo de Ouro já não serve mais como melhor parâmetro para o que vai acontecer no Oscar. Dos últimos 10 anos, apenas 4  vencedores de Melhor Filme no Globo de Ouro repetiram o feito no prêmio da Academia. Atores que ganharam o Globo de Ouro podem nem ser indicado ao Oscar como Paul Giamatti por Minha Versão do Amor em 2011, e Colin Farrell (Na Mira do Chefe) e Sally Hawkins (Simplesmente Feliz) em 2009. E até em categorias mais técnicas não há garantias de presença no Oscar: o compositor Alex Ebert venceu o Globo de Ouro em 2014 por Até o Fim e sequer foi indicado pela Academia. Claro que os vencedores terão suas respectivas campanhas nitidamente fortalecidas para os prêmios seguintes como o Critics’ Choice Awards, SAGs e o BAFTA, mas até o dia 15 de janeiro, dia do anúncio das indicações ao Oscar, ninguém está realmente garantido, abrindo espaço para surpresas, sejam positivas ou negativas.

Falando em negativas, o jornal americano The New York Post teria publicado uma reportagem em que lista casos que envolvem corrupção na compra de prêmios e indicações. Dentre os casos citados estão as três indicações do fracasso total O Turista, estrelado por Angelina Jolie e Johnny Depp (ambos indicados nas categorias de comédia ou musical) – tanto que o host da noite Ricky Gervais citou que a HFPA teria os indicado apenas para tê-los no tapete vermelho; e a indicação para Melhor Filme – Comédia ou Musical e vitória de Melhor Canção para Burlesque, um musical bastante criticado e sequer visto pelo público. Confira matéria de Lou Lumenick: http://nypost.com/2015/01/09/are-the-golden-globes-becoming-as-credible-as-the-oscars/

Amy Adams, Michael Keaton e Julianne Moore podem ter garantido suas indicações ao Oscar. Podem. (photo by absnews.com)

Amy Adams, Michael Keaton e Julianne Moore podem ter garantido suas indicações ao Oscar. Podem. (photo by absnews.com)

Rumo ao Oscar, o vencedor de Melhor Filme – Drama, Boyhood: Da Infância à Juventude, caminha firme e forte, já que levou também os prêmios de Diretor e Atriz Coadjuvante, além de ter sido indicado a Roteiro, afinal, são categorias-base para todo vencedor de Melhor Filme no Oscar, sem contar toda a história fascinante dos bastidores de 12 anos de filmagens. Quanto aos atores, Julianne Moore parece uma aposta cada vez mais certa para o Oscar. Aclamada por público e crítica como uma das melhores atrizes desta geração, e depois de ser indicada quatro vezes ao Oscar sem vitória, este deve ser o ano dela. Acredito que o único obstáculo em seu caminho pode ser ela mesma. Se a Academia indicá-la como coadjuvante também por Mapa Para as Estrelas, os votos podem se dividir e ela pode ser novamente perdedora em dose dupla como foi em 2003, quando estava indicada por Longe do Paraíso como atriz, e por As Horas como coadjuvante.

J.K. Simmons e Patricia Arquette estão cada vez mais fortes como coadjuvantes, contudo não dá pra descartar ainda Mark Ruffalo e Edward Norton, caso o filme de Simmons, Whiplash: Em Busca da Perfeição, não se saia bem nas indicações. Já Arquette, por mais que possa ter Meryl Streep competindo, deve ser a porta-voz ou representante de todo o elenco de Boyhood. Gostei da vitória de Amy Adams por Grandes Olhos, o que pode lhe garantir uma nova indicação ao Oscar consecutiva, mas as chances reais de vitória seriam praticamente nulas. Por mais talentosa que Adams seja, acredito que lhe falta um personagem que sirva como um real desafio que exija mudanças físicas para então ganhar seu Oscar. Vejam os casos de Charlize Theron e Matthew McConaughey: nunca tinham sido indicados e ganharam na primeira chance por terem passado por processos de transformação física. Não sei se Amy tem contrato vitalício com marcas de cosméticos que a impeçam de ficar feia ou algo do tipo, mas ela deveria pensar nessa hipótese. A categoria de Ator é a mais aberta até o momento. Por mais que Michael Keaton e Eddie Redmayne tenham ganhado o Globo de Ouro, não há nem garantias de que eles estarão na lista do Oscar, tamanha a concorrência. Temos Jake Gyllenhaal, Benedict Cumberbatch, Ralph Fiennes, David Oyelowo, Steve Carell, Joaquin Phoenix e Bill Murray pelo menos na cola.

Patricia Arquette e J.K. Simmons ganham como coadjuvantes (photo by intoday.in)

Patricia Arquette e J.K. Simmons ganham como coadjuvantes (photo by intoday.in)

Entre todos os filmes que receberam mais indicações, O Jogo da Imitação foi o maior perdedor. Presente em 5 categorias e como a maior aposta da Weinstein Company, o filme falhou em conquistar qualquer Globo de Ouro, nem um de consolação. Será que eles conseguem virar o jogo até o dia 22 de fevereiro?

A ELEITA

Não vou comentar os vestidos das moças. Prefiro falar das donas dos vestidos. E a melhor pela quinquagésima vez é Jessica Chastain. Essa mulher é um raio de sol. Só não esqueci que ela foi indicada para atriz coadjuvante por O Ano Mais Violento, porque foi uma pena que ela não subiu ao palco pra se apresentar.

Jessica Chastain no tapete vermelho (photo by usmagazine.com)

Jessica Chastain no tapete vermelho (photo by usmagazine.com)

Seguem os vencedores do Globo de Ouro:

CINEMA

MELHOR FILME – DRAMA
Boyhood: Da Infância à Juventude (Boyhood)

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL
O Grande Hotel Budapeste (The Grand Budapest Hotel)

MELHOR ATOR – DRAMA
Eddie Redmayne (A Teoria de Tudo)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Julianne Moore (Para Sempre Alice)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
Amy Adams (Grandes Olhos)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
Michael Keaton (Birdman)

MELHOR DIRETOR
Richard Linklater (Boyhood: Da Infância à Juventude)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Patricia Arquette (Boyhood: Da Infância à Juventude)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
J.K. Simmons (Whiplash: Em Busca da Perfeição)

MELHOR ROTEIRO
Alejandro González Iñárritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris, Armando Bo (Birdman)

MELHOR ANIMAÇÃO
Como Treinar Seu Dragão 2 (How to Train Your Dragon 2)

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
Leviatã (Leviafan), de Andrey Zvyagintsev – RÚSSIA

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Glory” por John Legend, Common (Selma)

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL
Johann Johannsson (A Teoria de Tudo)

TELEVISÃO

Equipe por trás da série vencedora The Affair (photo by ibtimes.com)

Equipe por trás da série vencedora The Affair (photo by ibtimes.com)

MELHOR SÉRIE DRAMÁTICA
The Affair

MELHOR ATOR EM SÉRIE DRAMÁTICA
Kevin Spacey (House of Cards)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DRAMÁTICA
Ruth Wilson (The Affair)

MELHOR MINISSÉRIE OU TELEFILME
Fargo

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA
Transparent

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Joanne Froggatt (Downton Abbey)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Matt Bomer (The Normal Heart)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA
Gina Rodriguez (Jane the Virgin)

A bela Gina Rodriguez ganhou por Jane the Virgin (photo by nationalpost.com)

A bela Gina Rodriguez ganhou por Jane the Virgin. Definitivamente, a segunda colocada da lista das eleitas. (photo by nationalpost.com)

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA
Jeffrey Tambor (Transparent)

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Maggie Gyllenhaal (The Honorable Woman)

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Billy Bob Thornton (Fargo)

As indicações ao Oscar 2015 serão anunciadas ao vivo neste dia 15 de janeiro e a cerimônia ocorre no dia 22 de fevereiro.

Anúncios

114 Trilhas Musicais e 79 Canções competem por 10 indicações no Oscar 2015

Alexandre Desplat tem 5 trilhas elegíveis este ano. O homem mais compõe do que dorme (photo by nytimes.com)

Alexandre Desplat tem 5 trilhas elegíveis este ano. O homem mais compõe do que dorme (photo by Annamaria DiSanto in nytimes.com)

CATEGORIAS MUSICAIS APRESENTAM SEUS VÁRIOS CONCORRENTES PARA O OSCAR 2015

A Academia anunciou 114 trilhas musicais elegíveis para disputar as cobiçadas 5 indicações da categoria Melhor Trilha Musical Original. Trata-se de uma das mais disputadas categorias da premiação, pois além do alto número de competidores, existem regras bem rígidas que desqualificam trabalhos interessantes como aconteceu com a trilha de Howard Shore de O Aviador por apresentar trechos pré-existentes de outras composições ou a intensa trilha de Jonny Greenwood de Sangue Negro por não se encaixar na musicalidade do departamento musical acadêmico.

Este ano, dois trabalhos interessantes foram tachados de inelegíveis: as trilhas de Antonio Sanches (Birdman) e Justin Hurwitz (Whiplash: Em Busca da Perfeição). Curiosamente, ambas são compostas por bateria e, segundo as regras da Academia, não apresentariam os requisitos necessários. Só para citar um exemplo que pode ter colaborado para a desqualificação dos trabalhos, o regulamento pede para que “a trilha seja composta especificamente para o filme pelo compositor como resultado de sua interação com o diretor, não tendo sido ouvido anteriormente em lugar nenhum”, além da regra que não permite a diluição de outras músicas no trabalho final do caso O Aviador citado no primeiro parágrafo.

O compositor Antonio Sanchez ficou de fora da corrida pelo Oscar por sua trilha de Birdman (photo by remezcla.com)

O compositor Antonio Sanchez ficou de fora da corrida pelo Oscar por sua trilha de Birdman (photo by remezcla.com)

Em termos de rigidez, a categoria de Trilha Musical talvez seja a mais chata. Não é à toa que muitas composições em destaque acabam morrendo na praia, desvalorizando a competição em si. Concordo que a Academia deve manter o padrão de sua grandiosa história, mas muitos trabalhos interessantes acabam ficando no limbo por simplesmente não se encaixarem nos moldes pré-determinados. Houve uma época em que havia uma categoria de Trilhas Musicais Adaptadas que poderia acolher estas trilhas do ostracismo, mas foi extinta há muito tempo.

Já entre as trilhas que foram classificadas, o grande herói é o compositor francês Alexandre Desplat com nada menos que CINCO trabalhos elegíveis, tendo dois fortes concorrentes: O Jogo da Imitação (já indicado para o Globo de Ouro) e O Grande Hotel Budapeste. Desplat já foi indicado 6 vezes ao Oscar, mas nunca levou. Talvez seja finalmente seu ano de consagração.

Além de sua trilha, outras quatro foram indicadas ao Globo de Ouro:
– Hans Zimmer (Interstelar)
– Antonio Sanchez (Birdman)
– Trent Reznor e Atticus Ross (Garota Exemplar)
– Jóhann Jóhannsson (A Teoria de Tudo)
– Alexandre Desplat (O Jogo da Imitação)

O jovem compositor Mica Levi, que concorre por Sob a Pele, interessante filme de Jonathan Glazer (photo by m-magazine.co.uk)

O jovem compositor Mica Levi, que concorre por Sob a Pele, interessante filme de Jonathan Glazer (photo by m-magazine.co.uk)

Outro trabalho que vem chamando atenção dos críticos é a trilha de Mica Levi por Sob a Pele. Embora seja sua primeira trilha para cinema, a Academia pode muito bem encaixá-la no lugar do desqualificado Birdman

Segue a lista das 114 trilha musicais que atravessaram a praia:

American Revolutionary: The Evolution of Grace Lee Boggs, por Vivek Maddala
Anita, por Lili Haydn
Annabelle (Annabelle), por Joseph Bishara
Um Novo Amor (At Middleton), por Arturo Sandoval
Atlas Shrugged: Who Is John Galt?, por Elia Cmiral
Ursos (Bears), por George Fenton
Belle, por Rachel Portman
Grandes Olhos (Big Eyes), por Danny Elfman
Operação Big Hero 6 (Big Hero 6), por Henry Jackman
Festa no Céu (The Book of Life), por Gustavo Santaolalla e Tim Davies
Os Boxtrolls (The Boxtrolls), por Dario Marianelli
13º Distrito (Brick Mansions), por Trevor Morris
Cake, por Christophe Beck
Calvário (Calvary), por Patrick Cassidy
Capitão América: O Soldado Invernal (Captain America: The Winter Soldier), por Henry Jackman
The Case against 8, por Blake Neely
Cheatin’, por Nicole Renaud
Planeta dos Macacos: O Confronto (Dawn of the Planet of the Apes), por Michael Giacchino
O Desaparecimento de Eleanor Rigby (The Disappearance of Eleanor Rigby: Them), por Son Lux
Divergente (Divergent), por Tom Holkenborg
Winter, o Golfinho 2 (Dolphin Tale 2), por Rachel Portman
Drácula: A História Nunca Contada (Dracula Untold), por Ramin Djawadi
A Grande Escolha (Draft Day), por John Debney
The Drop, por Marco Beltrami e Buck Sanders
Terra Para Echo (Earth to Echo), por Joseph Trapanese
No Limite do Amanhã (Edge of Tomorrow), por Christophe Beck
Amor Sem Fim (Endless Love), por Christophe Beck e Jake Monaco
O Protetor (The Equalizer), por Harry Gregson-Williams
Êxodo: Deuses e Reis (Exodus: Gods and Kings), por Alberto Iglesias
A Culpa é das Estrelas (The Fault in Our Stars), por Mike Mogis
A Fotografia Oculta de Vivian Maier (Finding Vivian Maier), por J. Ralph
Corações de Ferro (Fury), por Steven Price
Garnet’s Gold, por J. Ralph
Girl on a Bicycle, por Craig Richey
O Doador de Memórias (The Giver), por Marco Beltrami
Godzilla (Godzilla), por Alexandre Desplat
Garota Exemplar (Gone Girl), por Trent Reznor e Atticus Ross
A Boa Mentira (The Good Lie), por Martin Léon
O Grande Hotel Budapeste (The Grand Budapest Hotel), por Alexandre Desplat
The Great Flood, por Bill Frisell
Hércules (Hercules), por Fernando Velázquez
The Hero of Color City, por Zoë Poledouris-Roché e Angel Roché Jr.
O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos (The Hobbit: The Battle of the Five Armies), por Howard Shore
The Homesman, por Marco Beltrami
Quero Matar Meu Chefe 2 (Horrible Bosses 2), por Christopher Lennertz
Como Treinar o Seu Dragão 2 (How to Train Your Dragon 2), por John Powell
A 100 Passos de um Sonho (The Hundred-Foot Journey), por A.R. Rahman
Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1 (The Hunger Games: Mockingjay — Part 1), por James Newton Howard
I Origins, por Will Bates e Phil Mossman
O Jogo da Imitação (The Imitation Game), por Alexandre Desplat
Vício Inerente (Inherent Vice), por Jonny Greenwood
Interestelar (Interstellar), por Hans Zimmer
A Entrevista (The Interview), por Henry Jackman
No Olho do Tornado (Into the Storm), por Brian Tyler
Jal, por Sonu Nigam e Bickram Ghosh
O Juiz (The Judge), por Thomas Newman
O Mensageiro (Kill the Messenger), por Nathan Johnson
Kochadaiiyaan, por A.R. Rahman
A Lenda de Oz (Legends of Oz: Dorothy’s Return), por Toby Chu
Uma Aventura Lego (The Lego Movie), por Mark Mothersbaugh
Libertador (The Liberator), por Gustavo Dudamel
Life Itself – A Vida de Roger Ebert (Life Itself), por Joshua Abrams
Viver é Fácil com os Olhos Fechados (Vivir es Fácil con los Ojos Cerrados), por Pat Metheny
Lucy (Lucy), por Eric Serra
Malévola (Maleficent), por James Newton Howard
Maze Runner: Correr ou Morrer (The Maze Runner), por John Paesano
Merchants of Doubt, por Mark Adler
Arremesso de Ouro (Million Dollar Arm), por A.R. Rahman
Um Milhão de Maneiras de Pegar na Pistola (A Million Ways to Die in the West), por Joel McNeely
As Aventuras de Peabody & Sherman (Mr. Peabody & Sherman), por Danny Elfman
Sr. Turner (Mr. Turner), por Gary Yershon
Caçadores de Obras-Primas (The Monuments Men), por Alexandre Desplat
A Most Violent Year, por Alex Ebert
My Old Lady, por Mark Orton
Uma Noite no Museu 3: O Segredo da Tumba (Night at the Museum: Secret of the Tomb), por Alan Silvestri
O Abutre (Nightcrawler), por James Newton Howard
No God, No Master, por Nuno Malo
Noé (Noah), por Clint Mansell
Sem Escalas (Non-Stop), por John Ottman
The One I Love, por Danny Bensi e Saunder Jurriaans
Ouija – O Jogo dos Espíritos (Ouija), por Anton Sanko
As Aventuras de Paddington (Paddington), por Nick Urata
Os Pinguins de Madagascar (Penguins of Madagascar), por Lorne Balfe
Pompeia (Pompeii), por Clinton Shorter
Uma Noite de Crime: Anarquia (The Purge: Anarchy), por Nathan Whitehead
Uma Longa Viagem (The Railway Man), por David Hirschfelder
Red Army, por Christophe Beck and Leo Birenberg
Ride Along, por Christopher Lennertz
Rocks in My Pockets, por Kristian Sensini
Rosewater, por Howard Shore
Um Santo Vizinho (St. Vincent), por Theodore Shapiro
O Sal da Terra (The Salt of the Earth), por Laurent Petitgand
Selma, por Jason Moran
The Signal, por Nima Fakhrara
Expresso da Amanhã (Snowpiercer), por Marco Beltrami
Song of the Sea, por Bruno Coulais
Para Sempre Alice (Still Alice), por Ilan Eshkeri
O Conto da Princesa Kaguya (Kaguyahime no Monogatari), por Joe Hisaishi
As Tartarugas Ninja (Teenage Mutant Ninja Turtles), por Brian Tyler
Namoro ou Liberdade (That Awkward Moment), por David Torn
A Teoria de Tudo (The Theory of Everything), por Jóhann Jóhannsson
Sete Dias Sem Fim (This Is Where I Leave You), por Michael Giacchino
300: A Ascensão do Império (300: Rise of an Empire), por Tom Holkenborg
Tracks, por Garth Stevenson
Transformers: A Era da Extinção (Transformers: Age of Extinction), por Steve Jablonsky
Anjos da Lei 2 (22 Jump Street), por Mark Mothersbaugh
Invencível (Unbroken), por Alexandre Desplat
Sob a Pele (Under the Skin), por Mica Levi
Virunga, por Patrick Jonsson
Visitors, por Philip Glass
Caçada Mortal (A Walk among the Tombstones), por Carlos Rafael Rivera
Walking With the Enemy, por Timothy Williams
Relatos Selvagens (Relatos Salvajes), por Gustavo Santaolalla
X-Men: Dias de um Futuro Esquecido (X-Men: Days of Future Past), por John Ottman

A Academia também anunciou as 79 canções que vão disputar vaga nas 5 indicações na categoria Canção Original. Esperamos que eles tenham feito os devidos ajustes para que o deslize desse ano não volte a acontecer. Uma das canções indicadas, “Alone Yet Not Alone”, acabou desqualificada depois que descobriram que o compositor Bruce Broughton comprou votos se aproveitando de seu cargo anterior de chefe de departamento musical da Academia. Irredutível, a Academia não substituiu a canção desclassificada pela mais votada não-indicada, prejudicando o trabalho de outros compositores (veja matéria completa: https://cinemaoscareafins.wordpress.com/2014/01/30/oscar-corta-indicacao-de-alone-yet-not-alone-como-melhor-cancao-original/)

Dentre os 79 selecionáveis, existem muitas canções pertencentes aos gêneros de animação. Uma Aventura Lego, Como Treinar o Seu Dragão 2, Os Boxtrolls, Festa no Céu, Operação Big Hero 6, The Hero of Color City, As Aventuras de Peabody & Sherman, Aviões 2: Heróis do Fogo ao ResgateRio 2 correspondem ao total de 14 pré-indicados, sendo que só Rio 2 já apresenta 4 canções elegíveis.

A animação Rio 2, do brasileiro Carlos Saldanha, concorre com 4 canções originais. Pelo primeiro filme, foi indicado por "Real in Rio", mas perdeu para o filme dos Muppets (photo by outnow.ch)

A animação Rio 2, do brasileiro Carlos Saldanha, concorre com 4 canções originais. Pelo primeiro filme, foi indicado por “Real in Rio”, mas perdeu para o filme dos Muppets (photo by outnow.ch)

Apesar de nos últimos anos, muitos vencedores desta categoria serem desconhecidos do grande público como a dupla Kristen-Anderson Lopez e Robert Lopez de Frozen: Uma Aventura Congelante (“Let it Go”) e o casal Glen Hansard e Markéta Irglová de Apenas Uma Vez (“Falling Slowly”), a Academia adora indicar artistas renomados para a festa. Assim, nomes do meio musical como Coldplay (pela canção “Miracles” de Invencível) e a jovem Lorde (pela canção “Yellow Flicker Beat” de Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1) são aguardados no tapete vermelho.

A cantora Lorde em premiere do filme Jogos Vorazes: A Esperança - Parte 1 em Londres (photo by creativejeniusreport.com)

A cantora Lorde em premiere do filme Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1 em Londres (photo by creativejeniusreport.com)

Embora nos últimos 5 anos apenas 2 vencedores da categoria tenham coincidido, vale lembrar que os 5 indicados do Globo de Ouro desta edição são:
– “Opportunity” de Annie
– “Mecy Is” de Noé
– “Glory” de Selma
– “Big Eyes” de Grandes Olhos
– “Yellow Flicker Beat” de Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1

Segue a lista das 79 canções:

“It’s on Again” de O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro (The Amazing Spider-Man 2)
“Opportunity” de Annie
“Lost Stars” from Mesmo Se Nada Der Certo (Begin Again)
“Grateful” de Além das Luzes (Beyond the Lights)
“Big Eyes” de Grandes Olhos (Big Eyes)
“Immortals” de Operação Big Hero 6 (Big Hero 6)
“The Apology Song” de Festa no Céu (The Book of Life)
“I Love You Too Much” de Festa no Céu (The Book of Life)
“The Boxtrolls Song” de Os The Boxtrolls (The Boxtrolls)
“Quattro Sabatino” de Os Boxtrolls (The Boxtrolls)
“Ryan’s Song” de Boyhood: Da Infância à Juventude (Boyhood)
“Split the Difference” de Boyhood: Da Infância à Juventude (Boyhood)
“No Fate Awaits Me” de O Desaparecimento de Eleanor Rigby (The Disappearance of Eleanor Rigby: Them)
“Brave Souls” de Winter, o Golfinho 2 (Dolphin Tale 2)
“You Got Me” de Winter, o Golfinho (Dolphin Tale 2)
“All Our Endless Love”de Amor Sem Fim
“Let Me In” de A Culpa é das Estrelas (The Fault in Our Stars)
“Not About Angels” de A Culpa é das Estrelas (The Fault in Our Stars)
“Until the End” de Garnet’s Gold
“It Just Takes a Moment” de Girl on a Bicycle
“Last Stop Paris” de Girl on a Bicycle
“Ordinary Human” de O Doador de Memórias (The Giver)
“I’m Not Gonna Miss You” de Glen Campbell…I’ll Be Me
“Find a Way” de A Boa Mentira (The Good Lie)
“Color the World” de The Hero of Color City
“The Last Goodbye” de O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos (The Hobbit: The Battle of the Five Armies)
“Chariots” de The Hornet’s Nest
“Follow Me” de The Hornet’s Nest
“Something to Shoot For” de Hot Guys with Guns
“For the Dancing and the Dreaming” de Como Treinar o Seu Dragão 2 (How to Train Your Dragon 2)
“Afreen” de A 100 Passos de um Sonho (The Hundred-Foot Journey)
“Yellow Flicker Beat” de Jogos Vorazes: A Esperança — Parte 1 (The Hunger Games: Mockingjay – Part 1)
“Heart Like Yours” de Se Eu Ficar (If I Stay)
“I Never Wanted to Go” de Se Eu Ficar (If I Stay)
“Mind” de Se Eu Ficar (If I Stay)
“Everything Is Awesome” de Uma Aventura Lego (The Lego Movie)
“Call Me When You Find Yourself” de Life Inside Out
“Coming Back to You” de Life of an Actress The Musical
“The Life of an Actress” de Life of an Actress The Musical
“Sister Rust” de Lucy (Lucy)
“You Fooled Me” de Merchants of Doubt
“Million Dollar Dream” de Arremesso de Ouro (Million Dollar Arm)
“Spreading the Word/Makhna” de Arremesso de Ouro (Million Dollar Arm)
“We Could Be Kings” de Arremesso de Ouro (Million Dollar Arm)
“A Million Ways to Die” de Um Milhão de Maneiras de Pegar na Pistola (A Million Ways to Die in the West)
“Way Back When” de As Aventuras de Peabody & Sherman (Mr. Peabody & Sherman)
“America for Me” de A Most Violent Year
“I’ll Get You What You Want (Cockatoo in Malibu)” de Muppets 2: Procurados e Amados (Muppets Most Wanted)
“Something So Right” de Muppets 2: Procurados e Amados (Muppets Most Wanted)
“We’re Doing a Sequel” de Muppets 2: Procurados e Amados (Muppets Most Wanted)
“Mercy Is” de Noé (Noah)
“Seeds” de Occupy the Farm
“Grant My Freedom” de The One I Wrote for You
“The One I Wrote For You” de The One I Wrote for You
“Hal” de Amantes Eternos (Only Lovers Left Alive)
“Shine” de As Aventuras de Paddington (Paddington)
“Still I Fly” de Aviões 2: Heróis do Fogo ao Resgate (Planes: Fire & Rescue)
“Batucada Familia” de Rio 2 (Rio 2)
“Beautiful Creatures” de Rio 2 (Rio 2)
“Poisonous Love” de Rio 2 (Rio 2)
“What Is Love” de Rio 2 (Rio 2)
“Over Your Shoulder” de Rudderless
“Sing Along” de Rudderless
“Stay With You” de Rudderless
“Everyone Hides” de Um Santo Vizinho (St. Vincent)
“Why Why Why” de Um Santo Vizinho (St. Vincent)
“Glory” de Selma
“The Morning” de A Small Section of the World
“Special” de Special
“Gimme Some” de #Stuck
“The Only Thing” de Third Person
“Battle Cry” de Transformers: A Era da Extinção (Transformers: Age of Extinction)
“Miracles” de Invencível (Unbroken)
“Summer Nights” de Under the Electric Sky
“We Will Not Go” de Virunga
“Heavenly Father” de Wish I Was Here
“So Now What” de Wish I Was Here
“Long Braid” de WWW: Work Weather Wife
“Moon” de WWW: Work Weather Wife

As indicações ao Oscar 2015 acontece no dia 15 de janeiro. E a cerimônia será transmitida ao vivo no dia 22 de fevereiro.

“Trapaça” é o grande vencedor do Globo de Ouro 2014. “12 Anos de Escravidão” fica com prêmio de consolação

American Hustle

71ª EDIÇÃO DO GLOBO DE OURO BUSCA EQUILÍBRIO, MAS NÃO RESISTE À TRAPAÇA

MODA OU DESEJO MASCULINO?

Antes de começar a falar da premiação em si, gostaria de destacar alguns vestidos no tapete vermelho. Não sou entendedor de moda, mas se eu fosse fazer uma festa, com certeza convidaria estas moças…

Amy Adams continua deslumbrante aos 39 aninhos

Hórs-concours: Amy Adams em Valentino continua deslumbrante aos 39 aninhos

Amber Heard em Versace

Aqui o conteúdo do vestido fala mais alto: Amber Heard em Versace

Jessica Chastain: musa do tapete vermelho

Jessica Chastain num belo Givenchy: musa do tapete vermelho

Cate Blanchett em Armani Prive

Indicada por Blue Jasmine, Cate Blanchett em Armani Prive

E apesar dos deslizes, também convidaria:

Emma Watson tem um futuro brilhante, mas acho que precisa melhorar essa moda

Emma Watson tem um futuro brilhante, mas até lá, acho que precisa mudar de estilo

Adoro Jennifer Lawrence, mas esse Dior tá meio estranho. Na internet, alguns compararam ao...

Adoro Jennifer Lawrence, mas esse Dior tá meio estranho. Na internet, alguns compararam ao…

... modelito da Pequena Sereia

… modelito da Pequena Sereia.

TINA FEY E AMY POEHLER MANTÊM PIADAS AFIADAS

Agora, quanto à cerimônia, foi bom ter a dupla Tina Fey e Amy Poehler de volta. Mas acho que elas pegaram mais leve desta vez. Não houve pérolas do tipo “Em se tratando de tortura, confio na mulher que foi casada com James Cameron”, MAS ADOREI a piada do Mister Golden Globe: Randy, o filho bastardo de Tina Fey, interpretado por Poehler. Com visual à la Justin Bieber, bocudo e sem nenhuma vergonha, ele passa entre os convidados pra procurar o pai. Aponta para Idris Elba e pergunta: “É ele?” E em seguida para o produtor Harvey Weinstein: “É ele?”.

Mister Golden Globe "Randy" (Amy Poehler) ao lado de Sosie Bacon, filha de Kevin Bacon e Kyra Segdwick, a Miss Golden Globe (photo by Paul Drinkwater/NBC)

Mister Golden Globe “Randy” (Amy Poehler) ao lado de Sosie Bacon, filha de Kevin Bacon e Kyra Segdwick, a Miss Golden Globe (photo by Paul Drinkwater/NBC)

Claro que não são nenhum mestre do humor ácido corrosivo de Ricky Gervais, mas também não são flores que se cheirem. No início da festa, Fey explica que Gravidade era “a história de como George Clooney prefere flutuar no espaço e morrer do que passar um minuto a mais com uma mulher com a sua idade”. Quem viu o filme, entende a piada. George não estava na cerimônia. Se fosse Ricky, ele soltaria essa bomba na presença dele (por isso que não voltou mais como host).

Ao comentarem o nível das celebridades no local, elas listavam quem eram os tops. Então, quando mencionaram Matt Damon no contexto, sobrou pra ele: “Matt, em qualquer outra noite, em qualquer outro lugar, você seria grande coisa, mas – não interprete isso de forma errada – esta noite, você é basicamente o lixeiro (garbage person)”. Quando Damon subiu ao palco para apresentar um clipe de Capitão Phillips, ele começou com: “Sou eu Matt Damon, o lixeiro”. Haha

O humor que servia como elogio também tinha seu conteúdo impróprio. Ao introduzirem Leonardo DiCaprio, Tina Fey e Amy Poehler proferiram: “E agora, como uma vagina de uma super modelo, vamos todos dar calorosas (warm) boas-vindas a Leonardo DiCaprio.”

Tina Fey e Amy Poehler apresentam o Globo de Ouro pela segunda vez (photo by Paul Drinkwater/NBC)

Tina Fey e Amy Poehler apresentam o Globo de Ouro pela segunda vez (photo by Paul Drinkwater/NBC)

E em tom irônico, criticam a atriz Julia Louis-Dreyfus, duplamente indicada por À Procura do Amor e pela série de TV Veep, por ter se sentado na ala das celebridades de cinema. “Interessantemente, Julia resolveu se sentar na seção do pessoal de cinema”. Quando Louis-Dreyfus havia perdido na sua categoria de filme, eis que Tina Fey volta a citá-la: “Ora, ora, ora… Veja quem voltou à ala das celebridades de TV”.

12 ANOS DE ESCRAVIDÃO QUASE PASSA A NOITE DESAPERCEBIDO

Equipe e elenco de 12 Anos de Escravidão. Ao centro, o diretor Steve McQueen segura o Globo de Ouro.

Equipe e elenco de 12 Anos de Escravidão. Ao centro, o diretor Steve McQueen segura o Globo de Ouro.

Foi estranho. 12 Anos de Escravidão estava perdendo em todas as categorias ao longo da noite. “Não vai rolar nenhum prêmio de consolação?”, pensei. Rolou. Justo o de Melhor Filme! Desde que acompanho o Globo de Ouro, nunca havia visto uma produção ganhar tal prêmio e nada mais. Mas justiça seja feita, afinal recebeu sete indicações. Infelizmente, o filme só estreará aqui no dia 28 de fevereiro, então estou pensando como a Layane e partir no meu barco Pérola Negra… hehe

O grande vencedor da noite foi Trapaça, de David O. Russell, com 3 Globos de Ouro: Melhor Filme – Comédia ou Musical, Atriz (Amy Adams) e Atriz Coadjuvante (Jennifer Lawrence). Ao contrário de anos anteriores em que sempre havia uma produção boba ou rala competindo, os candidatos a Comédia ou Musical eram de qualidade, então Trapaça já pode se sentir garantido no Oscar, cujas indicações saem no próximo dia 16. Aliás, a grande vencedora da noite foi a jovem produtora Megan Ellison, que venceu 4 Globos de Ouro (3 por Trapaça e 1 por Ela).

Equipe e elenco de Trapaça recebe o Globo de Ouro de Melhor Filme - Comédia ou Musical. A produtora Megan Ellison segura a estatueta (photo by Paul Drinkwater/NBC)

Equipe e elenco de Trapaça recebe o Globo de Ouro de Melhor Filme – Comédia ou Musical. A produtora Megan Ellison segura a estatueta (photo by Paul Drinkwater/NBC)

Falando em Ela, foi uma bela vitória para o diretor e roteirista Spike Jonze por Melhor Roteiro. É realmente uma pena que ele não foi indicado para o DGA (Directors Guild), mas ele tem grandes chances de ser indicado ao Oscar de roteiro e até ganhar. Ela foi um dos filmes mais comentados e premiados nessa temporada e espero que se repita no anúncio dos indicados ao Oscar.

Na categoria de direção, o mexicano Alfonso Cuarón recebe a honraria e recorda uma situação engraçada com Sandra Bullock. “Obrigado por não desistir quando te disse ‘Sandra, vou te dar herpes’. Quando na verdade eu quis dizer ‘Sandra, vou te dar um earpiece’ (ponto eletrônico pra ouvido). É uma história verdadeira”.

Preterido ano passado por sua performance em Magic Mike, Matthew McConaughey deu a volta por seu trabalho em Clube de Compras Dallas, no qual perdeu mais de 17 quilos para interpretar o aidético Ron Woodroof. Até poucos anos atrás, sempre considerei McConaughey uma eterna promessa desde 1996 quando estrelou Tempo de Matar, pois parou nas comédias românticas ralas como Armações do Amor, Um Amor de Tesouro e Como Perder um Homem em Dez Dias. Felizmente, ele evoluiu bastante desde 2011, ao atuar em Killer Joe – Matador de Aluguel, de William Friedkin. Vale lembrar que ele está no novo filme de Christopher Nolan, a ficção científica Interstellar, que deve estrear em novembro.

Matthew McConaughey vence por Clube de Compras Dallas

Matthew McConaughey vence como Melhor Ator – Drama por Clube de Compras Dallas

Aparentmente existe na internet uma espécie de corrente alegando que Hollywood é racista porque preferiu premiar um ator branco (McConaughey) a um negro (Chiwetel Ejiofor ou Idris Elba). Para aqueles que acreditam nessa teoria, a única coisa que digo é: às vezes a internet tem suas desvantagens. Tem gente que nem merecia teclar num computador.

Atuando ao lado de McConaughey, o jovem Jared Leto também foi pra dieta para viver o transexual Rayon. Sua transformação foi bastante elogiada pela crítica e, apesar de não ter sido indicado ao BAFTA (por motivos de regulamento), sua presença no Oscar é vista como garantida. Como mencionado em seu discurso de agradecimento, sua premiação é uma ótima recepção de boas-vindas após um afastamento de 6 anos do cinema (embora a diferença entre o lançamento deste filme do último foi de 4 anos).

O Globo de Ouro para Leonardo DiCaprio pode ser interpretado como uma espécie de prêmio de consolo para a derrota de O Lobo de Wall Street como Melhor Filme – Comédia ou Musical. Eu disse “pode”. Ou pode ser por puro mérito, afinal DiCaprio é um ator em ascensão desde 2002, quando iniciou uma forte parceria com o diretor Martin Scorsese. Obviamente sua vitória alavancará sua campanha rumo à sua 4ª indicação ao Oscar, mas não acredito em seu 1º Oscar pelo alto nível de competição na categoria Melhor Ator que poderá enfrentar.

Leonardo DiCaprio vence seu segundo Globo de Ouro (photo by Paul Drinkwater/NBC)

Leonardo DiCaprio vence seu segundo Globo de Ouro (photo by Paul Drinkwater/NBC)

Quanto às atrizes, Cate Blanchett mereceu vencer por sua performance em Blue Jasmine. Foi a maior homenagem que Woody Allen, diretor do filme, poderia ter recebido na noite. Apesar do encantador discurso de Diane Keaton, a ausência de Woody para receber o Cecil B. DeMille Award pelo conjunto da obra reduziu a grandeza do momento. Certamente, Woody daria o melhor discurso de todos. Várias atrizes com quem trabalhou estavam lá na esperança de que ele pudesse pegar o avião e vir pra Los Angeles: Dianne Wiest, Mariel Hemingway, Naomi Watts e as indicadas Julia Roberts e Meryl Streep. Como fã de Allen, confesso que fiquei decepcionado, pois o Cecil B. DeMille não é um mero prêmio, mas uma homenagem previamente aprovada pelo homenageado.

Mas enfim… Woody Allen é Woody Allen. Diane Keaton proferiu algumas frases dele, sendo uma delas a seguinte: “Uma das melhores coisas sobre escrever ou qualquer Arte é que se a coisa é real, ela vive. Todo o sucesso em cima ou a rejeição, nada disso realmente importa porque no fim, a coisa vai sobreviver ou não sobre seus próprios méritos. Imortalidade via Arte não é grande coisa. François Truffaut morreu. Seus filmes vivem, mas isso não ajuda muito François Truffaut. Como disse muitas vezes, em vez de viver nos corações e mentes de meu colega, prefiro viver no meu apartamento.”

Diane Keaton recebe o Cecil B. DeMille award por Woody Allen

Diane Keaton recebe o Cecil B. DeMille award por Woody Allen

E Amy Adams e Jennifer Lawrence venceram por Trapaça como Atriz – Comédia ou Musical e Coadjuvante, respectivamente. Confesso que, apesar de desejar a vitória de Lawrence, não esperava que ela ganharia o segundo Globo de Ouro de forma consecutiva (ano passado, ganhou por O Lado Bom da Vida, sob a direção do mesmo David O. Russell). E se ela vencer o SAG no próximo fim de semana, o segundo Oscar estará praticamente em suas mãos. Já Amy Adams, recebeu seu maior prêmio até agora, consolidando a forte possibilidade de ser finalmente indicada como Melhor Atriz após 4 indicações como coadjuvante. Sua vitória seria muito improvável levando em consideração suas competidoras, mas um passo de cada vez, certo?

Jennifer Lawrence com seu segundo Globo de Ouro

Jennifer Lawrence com seu segundo Globo de Ouro

Amy Adams ganha seu primeiro Globo de Ouro por Trapaça

Amy Adams ganha seu primeiro Globo de Ouro por Trapaça

SURPRESAS DA NOITE

A vitória da trilha musical de All is Lost, de Alex Ebert, não deixa de ser uma surpresa. Em sua primeira indicação, já leva o Globo de Ouro, batendo fortes concorrentes como John Williams e Hans Zimmer. Com visual meio hippie e abrindo o discurso com uma confissão de ter participado de uma festa num barco com o rapper Puff Daddy numa espécie de tour à base de erva, Ebert pode ter dado um passo importante ao Oscar.

A canção “Let it go” de Frozen: Uma Aventura Congelante era considerada favorita, mas “Ordinary Love” de Mandela: Long Walk to Freedom roubou o troféu, não apenas pelo prestígio da banda U2, mas a recente morte do líder sul-africano Nelson Mandela pesaram na decisão.

Contudo, acho que a maior surpresa foi a vitória do italiano A Grande Beleza, batendo o franco-favorito Azul é a Cor Mais Quente, que tem vencido quase todos os prêmios de Melhor Filme Estrangeiro desde que ganhou a Palma de Ouro. Com o candidato francês fora da corrida ao Oscar, o filme italiano de Paolo Sorrentino cresce nessa reta final e pode surpreender ainda mais se o dinamarquês A Caça assustar os votantes da Academia com seu tema de pedofilia.

Gostei bastante da vitória inesperada de Amy Poehler, a hostess da noite. Sempre a considerei uma boa comediante sem mesmo acompanhar sua série Parks and Recreation, mas já havia admirado seu timing cômico no filme Uma Mãe Para o Meu Bebê. Achava que ela não teria chances por ser uma das anfitriãs da noite e porque acreditava que Julia Louis-Dreyfus venceria por Veep. Quando seu nome é anunciado com as demais indicadas, ela aparece sentada no colo de Bono, recebendo uma massagem nos ombros. Ao ouvir seu nome como vencedora, ela não resiste e beija apaixonadamente o vocalista do U2. “Eu nunca ganho nada!”, desculpa-se Poehler pelo embaraço no discurso.

Confira todos os vencedores dessa 71ª edição do Globo de Ouro:

MELHOR FILME – DRAMA
12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL
Trapaça (American Hustle)

MELHOR DIRETOR
Alfonso Cuarón (Gravidade)

MELHOR ATOR – DRAMA
Matthew McConaughey (Clube de Compras Dallas)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Cate Blanchett (Blue Jasmine)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
Leonardo DiCaprio (O Lobo de Wall Street)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
Amy Adams (Trapaça)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Jared Leto (Clube de Compras Dallas)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Jennifer Lawrence (Trapaça)

MELHOR ROTEIRO
Spike Jonze (Ela)

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL
Alex Ebert (All is Lost)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Ordinary Love”, de U2 (Mandela: Long Walk to Freedom)

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
A Grande Beleza, de Paolo Sorrentino (Itália)

MELHOR ANIMAÇÃO
Frozen: Uma Aventura Congelante, de Chris Buck e Jennifer Lee

MELHOR SÉRIE DE TV – DRAMA
Breaking Bad

MELHOR ATOR – SÉRIE DE TV – DRAMA
Bryan Cranston (Breaking Bad)

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DE TV – DRAMA
Robin Wright (House of Cards)

MELHOR SÉRIE DE TV – COMÉDIA OU MUSICAL
Brooklyn Nine-Nine

MELHOR ATOR – SÉRIE DE TV – COMÉDIA OU MUSICAL
Andy Samberg (Brooklyn Nine-Nine)

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DE TV – COMÉDIA OU MUSICAL
Amy Poehler (Parks and Recreation)

MELHOR MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Minha Vida com Liberace (Behind the Candelabra)

MELHOR ATOR – MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Michael Douglas (Minha Vida com Liberace)

MELHOR ATRIZ – MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Elisabeth Moss (Top of the Lake)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Jon Voight (Ray Donovan)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Jacqueline Bisset (Dancing on the Edge)

Num dos melhores momentos da noite, a grande atriz Emma Thompson subiu descalça ao palco já um pouco mais animada pelo álcool para apresentar um prêmio carregando seus sapatos de salto alto na mão direita e seu martini na esquerda. “Só quero que saibam que este vermelho (dos sapatos) é meu sangue”. Depois do anúncio dos indicados para Melhor Roteiro, ela perguntou: “Onde está o envelope?”. Quando a Miss Golden Globe o trouxe, Thompson, que estava com as mãos ocupadas, jogou para longe os sapatos para pegar o envelope, optando claramente pela bebida à finèse dos saltos. Uma grande figura!

Emma Thompson mantendo a classe

Emma Thompson mantendo a classe

114 Trilhas Musicais na disputa pelo Oscar 2014

Trilha musical tenebrosa de Joseph Bishara para Invocação do Mal está na disputa (photo by www.outnow.ch)

Trilha musical tenebrosa de Joseph Bishara para Invocação do Mal está na disputa (photo by http://www.outnow.ch)

Se tem ator e atriz reclamando da alta competitividade deste ano, os compositores deveriam tomar um uísque e relaxar. Competir com 113 trabalhos é pior que passar em medicina na FUVEST.

Embora nem todas as trilhas mereçam uma indicação ao Oscar, a trilha musical é uma arma valiosíssima nas mãos do diretor, pois pode valorizar muito a mensagem que o filme passa, gerar catarse naqueles filmes mais chorosos, e em alguns casos, dar uma bela disfarçada na “ruindade” do filme.

Hans Zimmer (photo by www.zimbio.com)

Hans Zimmer (photo by http://www.zimbio.com)

Na lista, é natural alguns nomes se repetirem como é o caso do alemão Hans Zimmer. Vencedor do Oscar pela trilha de O Rei Leão em 1995, ele concorre por três trabalhos bastante distintos entre si. Apesar de ser responsável pelas músicas do blockbuster O Homem de Aço e do filme de fórmula 1 Rush: No Limite da Emoção, Zimmer deve receber a indicação pelo drama 12 Years a Slave. Com o total de nove indicações e uma vitória, ele tem turbinado suas chances nos últimos anos depois que fez parceria com o diretor Christopher Nolan em Batman: O Cavaleiro das Trevas A Origem, e está trabalhando também em Interstellar, que deve estrear em novembro de 2014.

Há nomes que sempre figuram entre os indicados, mas nunca levam o prêmio. São os casos de Thomas Newman (11 indicações sem vitória), que disputa por Terapia de Risco e Walt nos Bastidores de Mary Poppins; e Danny Elfman (4 indicações sem vitória), que conta com seus trabalhos na animação Reino Escondido e no blockbuster Oz: Mágico e Poderoso. Provavelmente por motivos técnicos, ele não está competindo também por Trapaça

É muito difícil fazer previsão de indicados nessa categoria, mas alguns nomes como o de Zimmer são praticamente garantidos. Outro nome de peso que quase nunca falta é o do mestre John Williams. Super-mega recordista de indicações com “apenas” 48, tendo vencido em 5 oportunidades: Um Violinista no Telhado, Tubarão, Star Wars, E.T. o Extraterrestre e A Lista de Schindler. Ele volta este ano com a trilha da adaptação do best-seller A Menina que Roubava Livros, pelo qual já recebeu uma indicação ao Globo de Ouro.

O maestro e compositor John Williams (photo by www.jwfan.com)

O maestro e compositor John Williams (photo by http://www.jwfan.com)

Os demais concorrentes ao Globo de Ouro são Alex Ebert (All is Lost), Alex Heffes (Mandela: Long Walk to Freedom), Steven Price (Gravidade) e Zimmer que, por isso, já saem na frente das demais 109 composições.

Reconhecido pela crítica de Los Angeles, William Butler e Owen Pallett (Ela),  podem surpreender na reta final dependendo da distribuição das indicações. Já T-Bone Burnett (Inside Llewyn Davis) não teve a mesma sorte, pois suas composições devem conter música pré-existente, o que desqualifica para as exigências da Academia.

O compositor Joseph Bishara (photo by www.zimbio.com)

O compositor Joseph Bishara (photo by http://www.zimbio.com)

Particularmente, adoraria ver Joseph Bishara no tapete vermelho do Oscar. Ele foi responsável pelas ótimas trilhas de Invocação do Mal e Sobrenatural: Capítulo 2. Sem sua música, a excelente atmosfera não teria o mesmo impacto. Pena que a Academia não costuma premiar filmes de terror. Até onde me recordo, apenas A Profecia ganhou o Oscar em 1977, que contou também com a credibilidade de Jerry Goldsmith, falecido em 2004.

Segue a lista das 114 composições em ordem alfabética dos títulos originais em inglês:

A Seleção (Admission), de Stephen Trask
Ain’t Them Bodies Saints, de Daniel Hart
All Is Lost, de Alex Ebert
Alone Yet Not Alone, de William Ross
American Seagull, de Evgeny Shchukin
The Armstrong Lie, de David Kahne
Arthur Newman, de Nick Urata
At Any Price, de Dickon Hinchliffe
Austenland, de Ilan Eshkeri
Antes da Meia-Noite (Before Midnight), de Graham Reynolds
The Best Man Holiday, de Stanley Clarke
A Menina que Roubava Livros (The Book Thief), de John Williams
The Butterfly’s Dream (Kelebegin Ruyasi), de Rahman Altin
Chamada de Emergência (The Call), de John Debney
Capitão Phillips (Captain Phillips), de Henry Jackman
Closed Circuit, de Joby Talbot
Sem Proteção (The Company You Keep), de Cliff Martinez
Invocação do Mal (The Conjuring), de Joseph Bishara
Copperhead, de Laurent Eyquem
O Conselheiro do Crime (The Counselor), de Daniel Pemberton
Os Croods (The Croods), de Alan Silvestri
Meu Malvado Favorito 2 (Despicable Me 2), de Heitor Pereira
Elysium, Ryan Amon
Ender’s Game – O Jogo do Exterminador (Ender’s Game), de Steve Jablonsky
À Procura do Amor (Enough Said), de Marcelo Zarvos
Reino Escondido (Epic), de Danny Elfman
Ernest & Celestine, de Vincent Courtois
A Fuga do Planeta Terra (Escape from Planet Earth), de Aaron Zigman
Escape from Tomorrow, de Abel Korzeniowski
A Morte do Demônio (Evil Dead), de Roque Baños
47 Ronins (47 Ronin), de Ilan Eshkeri
42: A História de uma Lenda (42), de Mark Isham
Bons de Bico (Free Birds), de Dominic Lewis
Free China: The Courage to Believe, de Tony Chen
Fruitvale Station: A Última Parada (Fruitvale Station), de Ludwig Goransson
G.I. Joe: Retaliação (G.I. Joe: Retaliation), de Henry Jackman
Caça aos Gângsteres (Gangster Squad), de Steve Jablonsky
Gravidade (Gravity), de Steven Price
O Grande Gatsby (The Great Gatsby), de Craig Armstrong
Se Beber, Não Case! Parte III (The Hangover Part III), de Christophe Beck
João e Maria: Caçadores de Bruxas (Hansel & Gretel Witch Hunters), de Atli Örvarsson
Os Sabores do Palácio (Haute Cuisine), de Gabriel Yared
Ela (Her), de William Butler and Owen Pallett
O Hobbit: A Desolação de Smaug (The Hobbit: The Desolation of Smaug), de Howard Shore
Hours, de Benjamin Wallfisch
How Sweet It Is, de Matt Dahan
Jogos Vorazes: Em Chamas (The Hunger Games: Catching Fire), de James Newton Howard
Uma Ladra Sem Limites (Identity Thief), de Christopher Lennertz
O Incrível Mágico Burt Wonderstone (The Incredible Burt Wonderstone), de Lyle Workman
Sobrenatural: Capítulo 2 (Insidious: Chapter 2), de Joseph Bishara
Instructions Not Included (No se Aceptan Devoluciones), de Carlo Siliotto
Os Estagiários (The Internship), de Christophe Beck
The Invisible Woman, de Ilan Eshkeri
Homem de Ferro 3 (Iron Man 3), de Brian Tyler
Jack, o Caçador de Gigantes (Jack the Giant Slayer), de John Ottman
Jobs, de John Debney
Kamasutra 3D, de Sreejith Edavana e Saachin Raj Chelory
Refém da Paixão (Labor Day), de Rolfe Kent
O Mordomo da Casa Branca (Lee Daniels’ The Butler), de Rodrigo Leão
Live at the Foxes Den, de Jack Holmes
Amor é Tudo o Que Você Precisa (Love Is All You Need), de Johan Söderqvist
Mama, de Fernando Velázquez
Homem de Aço (Man of Steel), de Hans Zimmer
Mandela: Long Walk to Freedom, de Alex Heffes
The Missing Picture (L’image manquante), de Marc Marder
Universidade Monstros (Monsters University), de Randy Newman
Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos (The Mortal Instruments: City of Bones), de Atli Örvarsson
Amor Bandido (Mud), de David Wingo
Murph: The Protector, de Chris Irwin e Jeff Widenhofer
Truque de Mestre (Now You See Me), de Brian Tyler
Oblivion, de Anthony Gonzalez e Joseph Trapanese
Oldboy – Dias de Vingança (Oldboy), de Roque Baños
Invasão à Casa Branca (Olympus Has Fallen), de Trevor Morris
Oz: Mágico e Poderoso (Oz The Great and Powerful), de Danny Elfman
Círculo de Fogo (Pacific Rim), de Ramin Djawadi
Sem Dor, Sem Ganho (Pain & Gain), de Steve Jablonsky
Percy Jackson e o Mar de Monstros (Percy Jackson: Sea of Monsters), de Andrew Lockington
Philomena, de Alexandre Desplat
O Lugar Onde Tudo Termina (The Place beyond the Pines), de Mike Patton
Aviões (Planes), de Mark Mancina
Os Suspeitos (Prisoners), de Jóhann Jóhannsson
R.I.P.D. – Agentes do Além (R.I.P.D.), de Christophe Beck
Flores Raras (Reaching for the Moon), de Marcelo Zarvos
Romeu e Julieta (Romeo & Juliet), de Abel Korzeniowski
Aposta Máxima (Runner Runner), de Christophe Beck
Rush: No Limite da Emoção (Rush), de Hans Zimmer
Um Porto Seguro (Safe Haven), de Deborah Lurie
Salinger, de Lorne Balfe
Walt nos Bastidores de Mary Poppins (Saving Mr. Banks), de Thomas Newman
A Vida Secreta de Walter Mitty (The Secret Life of Walter Mitty), de Theodore Shapiro
Short Term 12, de Joel P. West
Terapia de Risco (Side Effects), de Thomas Newman
Os Smurfs 2 (The Smurfs 2), deHeitor Pereira
The Spectacular Now, de Rob Simonsen
Além da Escuridão: Star Trek (Star Trek Into Darkness), de Michael Giacchino
Segredos de Sangue (Stoker), de Clint Mansell
Thor: O Mundo Sombrio (Thor: The Dark World), de Brian Tyler
Tim’s Vermeer, de Conrad Pope
Em Transe (Trance), de Rick Smith
Turbo, de Henry Jackman
12 Years a Slave, de Hans Zimmer
Dose Dupla (2 Guns), de Clinton Shorter
The Ultimate Life, de Mark McKenzie
Canção Para Marion (Unfinished Song), de Laura Rossi
O Sonho de Wadjda (Wadjda), de Max Richter
Caminhando com Dinossauros (Walking with Dinosaurs), de Paul Leonard-Morgan
Meu Namorado é um Zumbi (Warm Bodies), de Marco Beltrami e Buck Sanders
We Steal Secrets: The Story of WikiLeaks, de Will Bates
Família do Bagulho (We’re the Millers), de Theodore Shapiro e Ludwig Goransson
Pelos Olhos de Maisie (What Maisie Knew), de Nick Urata
Why We Ride, de Steven Gutheinz
O Vento Está Soprando (The Wind Rises), de Joe Hisaishi
Winnie Mandela, de Laurent Eyquem
Wolverine – Imortal (The Wolverine), de Marco Beltrami

‘Trapaça’ e ’12 Years a Slave’ lideram as indicações ao Globo de Ouro 2014

Christian Bale, Amy Adams e Bradley Cooper superaram as ausência no SAG e chegaram ao Globo de Ouro 2014 por Trapça (photo by www.outnow.ch)

Christian Bale, Amy Adams e Bradley Cooper superaram as ausência no SAG e chegaram ao Globo de Ouro 2014 por Trapaça (photo by http://www.outnow.ch)

GLOBO DE OURO CONFIRMA FAVORITISMO DE 12 YEARS A SLAVE E ALAVANCA AS CHANCES DE TRAPAÇA

Normalmente, assim que as indicações ao Globo de Ouro saem, começa aquela enxurrada de matérias apontando os incontáveis erros e trabalhos ignorados. Não desta vez. Com a importante ajuda da safra bem servida de filmes de qualidade, as categorias foram devidamente preenchidas por profissionais que vinham agradando a crítica americana. Assim, nomes premiados por NYFCC, National Board of Review e LAFCA estão todos presentes na lista do Globo de Ouro 2014. Claro que uma ou outra exceção se faz notar, mas nada que tire o crédito dos membros votantes da Hollywood Foreign Press Association (HPFA).

De longe, as maiores surpresas são as presenças de Philomena e Rush: No Limite da Emoção na categoria Melhor Filme – Drama. Apesar de se tratarem de bons filmes, não havia uma forte campanha que indicasse resultado tão favorável. Bastante elogiado no último Festival de Veneza, Philomena, dirigido por Stephen Frears, tinha boas chnces de faturar o Leão de Ouro e o prêmio de atriz para Judi Dench, mas saiu apenas com Melhor Roteiro. Já Rush: No Limite da Emoção recebeu boas avaliações de modo geral, mas nada exagerado a ponto de conquistar uma indicação de Melhor Filme. Apesar do reconhecimento do Globo de Ouro, ainda acredito que o filme sobre a rivalidade na fórmula 1 de Ron Howard só deverá conquistar indicações para Ator Coadjuvante, Maquiagem e Efeitos Sonoros no Oscar.

3 indicações para Philomena, de Stephen Frears... (photo by www.outnow.ch)

Steve Coogan e Dame Judi Dench: 3 indicações para Philomena, de Stephen Frears… (photo by http://www.outnow.ch)

2 indicações para Rush: No Limite da Emoção. Pouco ou muito para um candidato surpresa? (photo by www.elfilm.com)

… e 2 indicações para Rush: No Limite da Emoção. Pouco ou muito para um candidato surpresa? (photo by http://www.elfilm.com)

Ambos os filmes tomaram os lugares de Nebraska e Trapaça, que, embora sejam mais dramas do que comédias, migraram para a categoria vizinha de Melhor Filme – Comédia/Musical, criando o grupo da morte do Globo de Ouro 2014, que ainda tem: O Lobo de Wall Street, de Martin Scorsese, Inside Llewyn Davis, dos irmãos Coen, e Ela, de Spike Jonze. Apesar do Globo de Ouro não servir mais como parâmetro para o Oscar, o filme que vencer nesta categoria certamente terá maiores chances na Academia.

Cientes de que havia uma grande quantidade de produções concorrentes que merecia reconhecimento, os votantes se esforçaram para agradar a todos. Deslocaram filmes de categorias e até evitaram duplas indicações como poderia ter acontecido com Tom Hanks, que tinha chances como Coadjuvante (Walt nos Bastidores de Hollywood) e Ator (Capitão Phillips), pelo qual acabou sendo indicado. Contudo, mesmo com todo esse trabalho, seria impossível não deixar uns filmes no escuro.

Os indicados Barkhad Abdi e Tom Hanks representam a metade das 4 indicações de Capitão Phillips (photo by www.elfilm.com)

Os indicados Barkhad Abdi e Tom Hanks representam a metade das 4 indicações de Capitão Phillips (photo by http://www.elfilm.com)

Provavelmente, os casos mais claros são as totais ausências de Fruitvale Station: A Última Parada e O Mordomo da Casa Branca. Se ainda houvesse aquele prêmio do Most Promising Newcomer (Novato mais Promissor), o Globo de Ouro certamente o daria ao jovem Michael B. Jordan por Fruitvale Station. Como a concorrência estava muito acirrada na categoria Ator – Drama, ele acabou cortado juntamente com Forest Whitaker, que apesar do esforço e talento, não melhora muito O Mordomo da Casa Branca. Fiquei feliz que o pessoal do Globo de Ouro não foi na onda do “indiquem Oprah Winfrey pra dar audiência no tapete vermelho”.

Outra ausência mais sentida foi a da animação japonesa de Hayao Miyazaki, O Vento Está Soprando. Numa manobra que claramente favorece os grandes estúdios (leiam-se Disney: Frozen – Uma Aventura Congelante, Dreamworks: Os Croods e Universal: Meu Malvado Favorito 2), deslocaram o grande favorito da categoria para outra possível: Melhor Filme em Língua Estrangeira. Embora ainda tenha chances claras, a disputa é nitidamente mais complicada ao lado do francês Azul é a Cor Mais Quente, o dinamarquês A Caça e o italiano La Grande Bellezza.

Particularmente, gostei da primeira indicação da jovem atriz americana Greta Gerwig por Frances Ha. Até uns anos atrás, ela só atuava em papéis secundários em filmes banais como Sexo Sem Compromisso e na refilmagem de Arthur, o Milionário Irresistível, até o dia em que o diretor Noah Baumbach ofereceu uma oportunidade como protagonista e ela não desperdiçou. Espero que esta indicação (infelizmente o páreo está duríssimo com Meryl Streep, Julie Delpy e Amy Adams) possa lhe render melhores projetos com diretores mais consagrados.

Greta Gerwig conquista uma indicação para Frances Ha (photo by www.elfilm.com)

Greta Gerwig conquista uma indicação para Frances Ha (photo by http://www.elfilm.com)

Embora não seja favorito este ano, também adorei a indicação do diretor Alexander Payne e seu Nebraska. Vencedor de 2 Globos de Ouro de Melhor Filme (Comédia por Sideways – Entre Umas e Outras, e Drama por Os Descendentes), Payne é muito querido pelos membros da HFPA, e comprova mais uma vez que sabe escolher e dirigir bons atores: Bruce Dern e June Squibb receberam indicações como Ator – Comédia/Musical e Atriz Coadjuvante.

Bruce Dern e June Squibb confirmam talento de Alexander Payne ao receberem indicações por Nebraska (photo by www.elfilm.com)

Bruce Dern e June Squibb confirmam talento de Alexander Payne ao receberem indicações por Nebraska (photo by http://www.elfilm.com)

Apesar de ter conseguido apenas 2 indicações no SAG, as sete indicações de Trapaça no Globo de Ouro devem impulsionar o filme de David O. Russell para o Oscar 2014. Nos últimos anos, os filmes do diretor têm obtido bom êxito com a Academia. O Vencedor venceu os Oscars de Ator Coadjuvante (Christian Bale) e Atriz Coadjuvante (Melissa Leo), enquanto O Lado Bom da Vida conquistou o Oscar de Atriz (Jennifer Lawrence). Embora o favoritismo ainda esteja do lado de 12 Years a Slave, dependendo da estratégia de propaganda, Trapaça pode fazer a ultrapassagem na reta final.

Seguem as indicações ao Globo de Ouro:

MELHOR FILME – DRAMA
12 Years a Slave
– Capitão Phillips (Captain Phillips)
– Gravidade (Gravity)
Philomena
– Rush: No Limite da Emoção (Rush)

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL
Trapaça (American Hustle)
– Ela (Her)

– Inside Llewyn Davis – Balada de um Homem Comum (Inside Llewyn Davis)
 Nebraska
– O Lobo de Wall Street (The Wolf of Wall Street)

MELHOR DIRETOR
– Alfonso Cuarón (Gravidade)
– Paul Greengrass (Capitão Phillips)
– Steve McQueen (12 Years a Slave)
– Alexander Payne (Nebraska)
– David O. Russell (Trapaça)

MELHOR ATOR – DRAMA
– Chiwetel Ejiofor (12 Years a Slave)
– Idris Elba (Mandela: Long Walk to Freedom)
– Matthew McConaughey (Dallas Buyers Club)
– Tom Hanks (Capitão Phillips)
– Robert Redford (All is Lost)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
– Cate Blanchett (Blue Jasmine)
– Sandra Bullock (Gravidade)
– Judi Dench (Philomena)
– Emma Thompson (Walt nos Bastidores de Mary Poppins)
– Kate Winslet (Refém da Paixão)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
– Christian Bale (Trapaça)
– Bruce Dern (Nebraska)
– Leonardo DiCaprio (O Lobo de Wall Street)
– Oscar Isaac (Inside Llewyn Davis – Balada de um Homem Comum)
– Joaquin Phoenix (Ela)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
– Amy Adams (Trapaça)
– Julie Delpy (Antes da Meia-Noite)
– Julia Louis-Dreyfus (À Procura do Amor)
– Greta Gerwig (Frances Ha)
– Meryl Streep (Álbum de Família)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
– Barkhad Abdi (Capitão Phillips)
– Daniel Brühl (Rush: No Limite da Emoção)
– Bradley Cooper (Trapaça)
– Michael Fassbender (12 Years a Slave)
– Jared Leto (Dallas Buyers Club)

Pra quem pensava que Jennifer Lawrence iria desacelerar depois do Oscar por O Lado Bom da Vida, eis a bela novamente (photo by www.outnow.ch)

Pra quem pensava que Jennifer Lawrence iria desacelerar depois do Oscar por O Lado Bom da Vida, eis a bela novamente (photo by http://www.outnow.ch)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
– Sally Hawkins (Blue Jasmine)
– Jennifer Lawrence (Trapaça)
– Lupita N’Yongo (12 Years a Slave)
– Julia Roberts (Álbum de Família)
– June Squibb (Nebraska)

MELHOR ROTEIRO
– John Ridley (12 Years a Slave)
– Steve Coogan, Jeff Pope (Philomena)
– Spike Jonze (Ela)
– Bob Nelson (Nebraska)
– Eric Singer, David O. Russell (Trapaça)

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL
– Hans Zimmer (12 Years a Slave)
– Alex Ebert (All is Lost)
– John Williams (A Menina que Roubava Livros)
– Steven Price (Gravidade)
– Alex Heffes (Mandela: Long Walk to Freedom)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Atlas”, de Guy Berryman, Jonny Buckland, Will Champion e Chris Martin (Jogos Vorazes: Em Chamas)
“Please Mr. Kennedy”, de Ed Rush, George Cromarty, T-Bone Burnnett, Justin Timberlake, Joel Coen, Ethan Coen (Inside Llewyn Davis – Balada de um Homem Comum)
“Let it Go”, de Robert Lopez e Kristen Anderson-Lopez (Frozen: Uma Aventura Congelante)
“Ordinary Love”, de U2 (Mandela: Long Walk to Freedom)
“Sweeter than Fiction”, de Jack Antonoff e Taylor Swift (One Chance)

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
Azul é a Cor Mais Quente, de Abdellatif Kechiche (França)
A Caça, de Thomas Vinterberg (Dinamarca)
The Great Beauty, de Paolo Sorrentino (Itália)
The Past, de Asghar Farhadi (França/Itália)
O Vento Está Soprando, de Hayao Miyazaki (Japão)

MELHOR ANIMAÇÃO
Os Croods, de Kirk De Micco e Chris Sanders
Frozen: Uma Aventura Congelante, de Chris Buck e Jennifer Lee
Meu Malvado Favorito 2, de Pierre Coffin, Chris Renaud

Já na ala televisiva, destaco o crescimento das séries produzidas pela Netflix (não, não estou sendo pago para fazer propaganda). Além de House of Cards e Arrested Development, que já haviam sido reconhecidos pelo Emmy, Taylor Schilling foi indicada como Melhor Atriz de Série – Drama pela nova série da Netflix, Orange is the New Black, denotando uma curiosa tendência de criação de séries sem ficar refém de grades de programação televisiva.

Taylor Schilling em Orange is the New Black confirma crescimento das produções da Netflix (photo by www.elfilm.com)

Taylor Schilling em Orange is the New Black confirma crescimento das produções da Netflix (photo by http://www.elfilm.com)

Também vale destacar que alguns atores foram agraciados por indicações pelo trabalho em cinema e TV: Julia Louis-Dreyfus (À Procura do Amor e a série de comédia Veep), além de Chiwetel Ejiofor (filme 12 Years a Slave e série Dancing on the Edge) e Idris Elba (Mandela: Long Walk to Freedom e minissérie Luther), que repetem a disputa da categoria Melhor Ator – Drama.

MELHOR SÉRIE – DRAMA
Breaking Bad
Downton Abbey
The Good Wife
House Of Cards
Masters Of Sex

MELHOR ATRIZ DE SÉRIE – DRAMA
Julianna Margulies (The Good Wife)
Tatiana Maslany (Orphan Black)
Taylor Schilling (Orange Is The New Black)
Kerry Washington (Scandal)
Robin Wright (House Of Cards)

MELHOR ATOR DE SÉRIE – DRAMA
Bryan Cranston (Breaking Bad)
Liev Schreiber (Ray Donovan)
Michael Sheen (Masters of Sex)
Kevin Spacey (House of Cards)
James Spader (The Blacklist)

MELHOR SÉRIE – COMÉDIA OU MUSICAL
The Big Bang Theory
Brooklyn Nine-Nine
Girls
Modern Family
Parks & Recreation

MELHOR ATRIZ DE SÉRIE – COMÉDIA OU MUSICAL
Zooey Deschanel (New Girl)
Lena Dunham (Girls)
Edie Falco (Nurse Jackie)
Julia Louis-Dreyfus (Veep)
Amy Poehler (Parks & Recreation)

MELHOR ATOR DE SÉRIE – COMÉDIA OU MUSICAL
Jason Bateman (Arrested Development)
Don Cheadle (House of Lies)
Michael J. Fox (The Michael J. Fox Show)
Jim Parsons (The Big Bang Theory)
Andy Samberg (Brooklyn Nine-Nine)

MELHOR MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
American Horror Story: Coven
Behind The Candelabra
Dancing on the Edge
Top of the Lake
White Queen

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Helena Bonham Carter (Burton and Taylor)
Rebecca Ferguson (White Queen)
Jessica Lange (American Horror Story: Coven)
Helen Mirren (Phil Spector)
Elisabeth Moss (Top of the Lake)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Josh Charles (The Good Wife)
Rob Lowe (Behind the Candelabra)
Aaron Paul (Breaking Bad)
Corey Stoll (House of Cards)
Jon Voight (Ray Donovan)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Jacqueline Bisset (Dancing on the Edge)
Janet McTeer (The White Queen)
Hayden Panettiere (Nashville)
Monica Potter (Parenthood)
Sofía Vergara (Modern Family)

MELHOR ATOR EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Matt Damon (Behind the Candelabra)
Michael Douglas (Behind the Candelabra)
Chiwetel Ejiofor (Dancing on the Edge)
Idris Elba (Luther)
Al Pacino (Phil Spector)

A cerimônia do Globo de Ouro 2014 será transmitida ao vivo no dia 12 de janeiro. As atrizes Tina Fey e Amey Poehler serão as hostesses da noite mais uma vez. E o diretor/roteirista/ator Woody Allen será homenageado pelo Cecil B. DeMille Award, mas dizem as más línguas que ele não virá mesmo assim, e que sua colaboradora Diane Keaton aceiará o prêmio em seu nome.

Woody Allen e Diane Keaton (www.filmmakeriq.com)

Woody Allen e Diane Keaton (www.filmmakeriq.com)