‘A BELA E A FERA’ leva Melhor Filme e ‘STRANGER THINGS’ Melhor Show de TV no MTV Movie & TV Awards 2017

Emma Watson, Josh Gad e o diretor Bill Condon aceitam o prêmio de Melhor Filme do Ano (pic by yahoo!)

MTV MOVIE AWARDS PASSA POR ALTERAÇÕES EM BUSCA DE SOBREVIVÊNCIA

Sim, você não leu errado. A MTV passou a premiar programas de TV e streaming como Netflix a partir deste ano. Mas inovou ao misturar tudo, ao invés de criar inúmeras categorias como faz a “Bolha Assassina” do Critics’ Choice Awards com seus 487 prêmios. Dessa forma, indicados de cinema concorriam com indicados de TV nas mesmas categorias. Como todos sabem, a premiação da MTV vinha sofrendo uma decadência sem fim desde meados dos anos 2000, então interpreto essa mudança como estratégia de sobrevivência. Portanto, nada melhor do que contar também com celebridades de TV e séries para atrair mais a atenção do público.

A série mais premiada foi Stranger Things, que foi um sucesso de crítica e público da Netflix. Levou Melhor Série e Melhor Atuação em Série para a garota prodígio Millie Bobby Brown.

stranger-things-staffel-1-mit-millie-bobby-brown-caleb-mclaughlin-gaten-matarazzo-und-finn-wolfhard

Os atores mirins Millie Bobby Brown, Gaten Matarazzo, Finn Wolfhard e Caleb McLaughlin em cena de Stranger Things (pic by moviepilot.de)

Outra mudança bastante positiva e exclusiva foi nas categorias de atuação. Agora existe apenas UMA, que abrange atores, atrizes e futuramente, transgêneros. Talvez essa inspiração tenha vindo do Oscar do ano passado, quando o host Chris Rock havia feito o seguinte comentário: “Prêmio de atuação é o único que não precisa ser dividido entre homens e mulheres”. Realmente, qual a diferença entre sexos em atuações? A primeira vencedora deste prêmio foi Emma Watson por A Bela e a Fera, que enalteceu a importância do reconhecimento neutro da MTV.

Emma Watson recebe o primeiro prêmio de atuação sem gênero do MTV Movie and TV Awards pelas mãos de Asia Kate Dillon, uma atriz sem gênero (pic by Digital Spy)

Sempre fui fã do prêmio da MTV desde minha adolescência por causa dessa essência despojada. Como todos os outros prêmios são levados muito à sério, esse cativa pelo humor e por que não reconhecer qualidades em filmes bem comerciais? Se tem alguma coisa que não pode ser falado do prêmio é que ele não é flexível. A cada ano, eles criam novas categorias, assim como retiram de acordo com a safra anual de conteúdo.

Por mim, deveriam trazer de volta os prêmios de Most Desirable Female e Male, porque sensualidade na tela deveria ser reconhecido sempre! Mas acredito que ele tenha sido extinto pelos tempos politicamente corretos demais… E falando em politicamente correto, achei que os prêmios de Melhor História Americana e Melhor Luta Contra o Sistema foi um pouco “forçação de barra”, e o prêmio de Documentário ficou meio deslocado pra ser MTV…

A respeito dos vencedores: em relação aos indicados de TV e streaming, sou Glória Pires (“não posso opinar”), mas em relação a cinema, honestamente, achei que Logan e Quase 18 seriam mais bem votados. O primeiro dialoga bem com os meninos (mais crescidos) e os nerds de quadrinhos como moi. E o segundo é uma espécie de bela homenagem ao universo de John Hughes e seus personagens adolescentes perdidos em seus questionamentos da própria existência.

the-edge-of-seventeen-mit-hailee-steinfeld

Hailee Steinfeld como a protagonista problemática em Quase 18 (pic by moviepilot.de)

Mas enfim, o grande vencedor da noite foi a refilmagem de A Bela e a Fera. Boa parte da crítica e pessoal entendido costuma dizer “versão live-action” de A Bela e a Fera. Eu digo “refilmagem” mesmo, porque trata-se do mesmo material, mas filmado com atores de carne e osso. A meu entender, esgotou-se a criatividade da Disney e agora eles só querem fazer refilmagens de animações (preparem-se que estão por vir os “live-actions de O Rei LeãoMulan e A Pequena Sereia) e continuações, seja do universo Marvel, seja do universo Star Wars ou seja do universo Piratas do Caribe.

emma-watson beauty and the beast

A cena da dança entre Bela e Fera, um momento que foi brilhantemente capturado na animação de 1991, agora versão “live-action”. Pic by moviepilot.de

Eu absolutamente entendo os motivos: 1º Querem mergulhar em dinheiro. 2º Não querem se arriscar com material novo. 3º Querem refilmar para contar a mesma história para o público jovem que não conhece o original. MAS PORRA! Se for pra revisitar o universo pré-existente, por que não fazem como o Malévola? Eles trouxeram a história de A Bela Adormecida, que já tinha a animação de 1959, mas recontaram sob a perspectiva da vilã da história. Aliás, essa onda de live-action começou com o sucesso desse filme estrelado pela Angelina Jolie.

Sei lá, não sei se sou crítico demais com essa preguiça de material novo, mas já que estamos nessa era de ruminar, por que não trazer novas perspectivas para a história conhecida? Nesse A Bela e a Fera, contrataram até um ator idêntico ao personagem animado Gaston! Por isso que o MTV Movie Awards está cedendo espaço para a TV: é onde está a criatividade.

VENCEDORES DO MTV MOVIE & TV AWARDS 2017:

FILME DO ANO:
* A Bela e a Fera (Beauty and the Beast)
Corra (Get Out)
Logan (Logan)
Rogue One: Uma História Star Wars (Rogue One: A Star Wars Story)
Quase 18 (The Edge of Seventeen)

MELHOR ATUAÇÃO EM FILME:
* Emma Watson (A Bela e a Fera)
Daniel Kaluuya (Corra)
Hailee Steinfeld (Quase 18)
Hugh Jackman (Logan)
James McAvoy (Frgamentado)
Taraji P. Henson (Estrelas Além do Tempo)

SÉRIE DO ANO:
* Stranger Things
Atlanta
Game of Thrones
Insecure
Pretty Little Liars
This Is Us

MELHOR ATUAÇÃO EM SÉRIE:
Millie Bobby Brown (Stranger Things)
Donald Glover (Atlanta)
Emilia Clarke (Game of Thrones)
Gina Rodriguez (Jane the Virgin)
Jeffrey Dean Morgan (The Walking Dead)
Mandy Moore (This Is Us)

MELHOR BEIJO:
Ashton Sanders e Jharrel Jerome (Moonlight: Sob a Luz do Luar)
Emma Stone and Ryan Gosling (La La Land: Cantando Estações)
Emma Watson and Dan Stevens (A Bela e a Fera)
Taraji P. Henson and Terrence Howard (Empire)
Zac Efron and Anna Kendrick (Mike & Dave Need Wedding Dates)

MELHOR VILÃO:
Jeffrey Dean Morgan (The Walking Dead)

Allison Williams (Corra)
Demogorgon (Stranger Things)
Jared Leto (Esquadrão Suicida)
Wes Bentley (American Horror Story)

MELHOR HOST:
Trevor Noah (The Daily Show)
Ellen DeGeneres (The Ellen DeGeneres Show)
John Oliver (Last Week Tonight with John Oliver)
RuPaul (RuPaul’s Drag Race)
Samantha Bee (Full Frontal with Samantha Bee)

MELHOR DOCUMENTÁRIO:  
A 13ª Emenda (13th)
Eu Não Sou Seu Negro (I Am Not Your Negro)
O.J.: Made in America
This is Everything: Gigi Gorgeous
TIME: The Kalief Browder Story

MELHOR REALITY SHOW:
RuPaul’s Drag Race
America’s Got Talent
MasterChef Junior
The Bachelor
The Voice

MELHOR COMEDIANTE:
Lil Rel Howery (Corra)
Adam Devine (Workaholics)
Ilana Glazer e Abbi Jacobson (Broad City)
Seth MacFarlane (Uma Família da Pesada)
Seth Rogen (Festa da Salsicha)
Will Arnett (LEGO Batman: O Filme)

MELHOR HERÓI:
Taraji P. Henson (Estrelas Além do Tempo)
Felicity Jones (Rogue One: Uma História Star Wars)
Grant Gustin (The Flash)
Mike Colter (Luke Cage)
Millie Bobby Brown (Stranger Things)
Stephen Amell (Arrow)

MELHOR CHORORÔ:
This Is Us – Jack (Milo Ventimiglia) e Randall (Lonnie Chavis) no caratê
Game of Thrones – A morte de Hodor (Kristian Nairn)
Grey’s Anatomy – Meredith conta aos filhos sobre a morte de Derek (Ellen Pompeo)
Como Eu Era Antes de Você – Will (Sam Claflin) conta a Louisa (Emilia Clarke) que ele não pode ficar com ela
Moonlight: Sob a Luz do Luar – Paula (Naomie Harris) conta a Chiron (Trevante Rhodes) que o ama

PRÓXIMA GERAÇÃO:
Daniel Kaluuya
Chrissy Metz
Issa Rae
Riz Ahmed
Yara Shahidi

MELHOR DUPLA:     
Hugh Jackman e Dafne Keen (Logan)
Adam Levine and Blake Shelton (The Voice)
Daniel Kaluuya and Lil Rel Howery (Corra)
Brian Tyree Henry and Lakeith Stanfield (Atlanta)
Josh Gad and Luke Evans (A Bela e a Fera)
Martha Stewart and Snoop Dogg (Martha & Snoop’s Potluck Dinner Party)

hugh-jackman1.jpg

Hugh Jackman e Dafne Keen reinterpretando seus personagens de Logan no palco (pic by People.com)

MELHOR HISTÓRIA AMERICANA:
Blackish
Fresh Off the Boat
Jane the Virgin
Moonlight
Transparent

MELHOR LUTA CONTRA O SISTEMA:
Estrelas Além do Tempo
Corra
Loving
Luke Cage
Mr. Robot

TRENDING:
“Run The World (Girls)” Channing Tatum and Beyonce – “Lip Sync Battle”
“Sean Spicer Press Conference” feat. Melissa McCarthy – “Saturday Night Live”
“Lady Gaga Carpool Karaoke” – “The Late Late Show with James Corden”
“Cash Me Outside How Bout Dat” – “Dr. Phil”
“Wheel of Musical Impressions with Demi Lovato” – “The Tonight Show Starring Jimmy Fallon”
Winona Ryder’s Winning SAG Awards Reaction – 23rd Annual SAG Awards

MELHOR MOMENTO MUSICAL:
“You’re the One That I Want” – Ensemble (Grease: Live)
“Beauty and the Beast” – Ariana Grande and John Legend (A Bela e a Fera)
“Can’t Stop the Feeling” – Justin Timberlake (Trolls)
“How Far I’ll Go” – Auli’i Cravalho (Moana: Um Mar de Aventuras)
“City of Stars” – Ryan Gosling and Emma Stone (La La Land: Cantando Estações)
“You Can’t Stop” The Beat – Ensemble – (Hairspray Live!)
“Be That As It May” – Herizen Guardiola (The Get Down)

Após faturar o Critics’ Choice, ‘La La Land’ lidera as indicações ao Globo de Ouro 2017

Ryan Gosling e Emma Stone em cena do musical La La Land, de Damien Chazelle, vencedor de oito Critics' Choice Awards (pic by moviepilot.de)

Ryan Gosling e Emma Stone em cena do musical La La Land, de Damien Chazelle, que agora lidera as indicações ao Globo de Ouro (pic by moviepilot.de)

DEPOIS DE UMA VITÓRIA INDUBITÁVEL NO CRITICS’ CHOICE, O MUSICAL DE DAMIEN CHAZELLE GARANTE LUGAR NO GLOBO DE OURO

Depois de uma estréia arrasadora no Festival de Veneza e no Festival de Toronto, seria muito improvável que o musical ode à cidade de Los Angeles não estivesse no posto de favorito na temporada de premiações. Além de ter faturado o prêmio de Melhor Filme dos críticos de Nova York (NYFCC) e o Critics’ Choice Awards, La La Land conquista agora sete indicações ao Globo de Ouro, e deve levar o de Melhor Filme – Comédia ou Musical.

Logo em seguida, o drama sobre amadurecimento Moonlight ficou com seis indicações, enquanto Manchester à Beira-Mar conquistou cinco. O anúncio das indicações foi feito ao vivo na manhã dessa última segunda-feira, dia 12, pelos atores Don Cheadle, Laura Dern e Anna Kendrick. O presidente da Hollywood Foreign Press Association (HFPA), Lorenzo Soria, aproveitou para apresentar as misses Golden Globe: o trio de irmãs Sophia, Sistine e Scarlet Stallone, obviamente, filhas do ator Sylvester Stallone.

O presidente danadinho Lorenzo Soria entre as misses Golden Globe: Sophia, Sistine e Scarlet Stallone. Pic by thesun.co.uk

O presidente danadinho Lorenzo Soria entre as misses Golden Globe: Sophia, Sistine e Scarlet Stallone. Pic by thesun.co.uk

DAVI VS. GOLIAS

Pra começar, temos algo pouco comum. Os grandes estúdios, que dominavam as categorias principais até alguns anos atrás, estão perdendo espaço para produtoras menores. Era comum vermos Disney, Warner Bros, Fox, Sony, Paramount e Universal por trás dos grandes concorrentes no Globo de Ouro. Já este ano, temos Lionsgate, CBS Films, The Weinstein Co., Amazon/Roadside Attractions e A24. A Lionsgate lidera com 10 indicações, seguida pela A24 com nove. O grande estúdio mais bem colocado vem em 3º com as oito indicações da Paramount. Por isso que eu digo, não adianta ter a bufunfa se não tiver criatividade e talento.

VAGAS PARA COMÉDIAS E MUSICAIS… PARA COMÉDIAS E MUSICAIS

Depois de algumas polêmicas envolvendo a inclusão de dramas em categorias de comédia, e vice-versa, como Perdido em Marte ganhando como comédia, simplesmente para incluir o filme na lista, o Globo de Ouro parece que aprendeu sua lição. Este ano, a categoria Melhor Filme – Comédia ou Musical realmente tem comédias e musicais. La La Land e Sing Street preenchem os pré-requisitos do gênero musical, enquanto Deadpool e Florence: Quem é Essa Mulher? fazem o público rir. Já o quinto indicado, embora não se dê gargalhadas em 20th Century Women, o novo filme de Mike Mills é um humor leve e tem sua graça.

Brianna Hildebrand ao lado de Ryan Reynolds como Deadpool. Duas indicações ao Globo de Ouro (pic by moviepilot.de)

Brianna Hildebrand ao lado de Ryan Reynolds como Deadpool. Duas indicações ao Globo de Ouro (pic by moviepilot.de)

Felizmente, também apresentaram coerência nas categorias de atuação. Na ala masculina, seguindo as escolhas dos filmes, Ryan Gosling (La La Land), Hugh Grant (Florence: Quem é Essa Mulher?) e Ryan Reynolds (Deadpool) eram esperados. Já as entradas de Jonah Hill pela comédia Cães de Guerra, e de Colin Farrell pela comédia de humor negro O Lagosta foram surpresas, mas surpresas coerentes.

Pelo lado feminino, Emma Stone (La La Land), Meryl Streep (Florence: Quem é Essa Mulher?) e Annette Bening (20th Century Women) eram figuras já carimbadas. As outras duas vagas foram para duas estreantes no Globo de Ouro: Hailee Steinfeld (sim, aquela menina falante da refilmagem de Bravura Indômita) e Lily Collins (embora seja mais conhecida por ser filha do cantor Phil Collins, já estrelou boas produções como Espelho, Espelho Meu). Elas foram indicadas por dois filmes bem falados: The Edge of Seventeen (uma espécie de John Hughes do século XXI) e Rules Don’t Apply (uma comédia que tem o milionário e polêmico Howard Hughes vivido por Warren Beatty), respectivamente. Muitos esperavam uma indicação para as veteranas Sally Field (Doris, Redescobrindo o Amor) e Susan Sarandon (A Intrometida), mas o Globo de Ouro resolveu apostar em sangue novo.

Lily Collins em cena de Rules Don't Apply, pelo qual recebeu sua primeira indicação ao Globo de Ouro. Pic by moviepilot.de

Lily Collins em cena de Rules Don’t Apply, pelo qual recebeu sua primeira indicação ao Globo de Ouro. Pic by moviepilot.de

BOAS SURPRESAS

Bom, vamos às boas surpresas. Particularmente, fiquei bastante feliz pela lembrança de Animais Noturnos. Dos filmes que vi na 40ª Mostra de Cinema de SP, o segundo filme de Tom Ford foi o que mais me deixou pensativo por dias. Talvez, ele não funcione tão bem como um todo, mas existem cenas ali tão bem dirigidas e filmadas que a produção merecia reconhecimento.

Sempre estiloso: o diretor Tom Ford (à direita) passa instruções para os atores Jake Gyllenhaal e Michael Shannon em set de Animais Noturnos. Pic by moviepilot.de

Sempre estiloso: o diretor Tom Ford (à direita) passa instruções para os atores Jake Gyllenhaal e Michael Shannon em set de Animais Noturnos. Pic by moviepilot.de

Na maioria dos prêmios anteriores, Animais Noturnos aparecia como candidato apenas pelo Roteiro Adaptado ou pelo Ator Coadjuvante para Michael Shannon, mas agora no Globo de Ouro, Shannon deu lugar para Aaron Taylor-Johnson, que conseguiu se transformar nesse papel de um delinquente. E, claro, Tom Ford conseguiu dupla indicação, como roteirista e como diretor também. Acho que ficou faltando uma indicação para a ótima Trilha Musical de Abel Korzeniowski.

Também foi uma manhã gloriosa para Mel Gibson. Seu filme sobre a Segunda Guerra Mundial, Até o Último Homem, conseguiu indicações para Melhor Filme – Drama, para seu protagonista Andrew Garfield, e para Direção. Ele conseguiu bater fortes concorrentes como Denis Villeneuve (A Chegada) e Denzel Washington (Fences). Embora seja uma figura polêmica após ter sido preso dirigindo bêbado e de suas declarações anti-semitas, Mel Gibson é um artista idolatrado pela HFPA, tanto que eles sempre dão um jeitinho de colocá-lo no palco para apresentar um prêmio.

Cena de Até o Último Homem com Andrew Garfield. Mel Gibson retorna como indicado após vários anos. Pic by moviepilot.de

Cena de Até o Último Homem com Andrew Garfield. Mel Gibson retorna como indicado após vários anos. Pic by moviepilot.de

Na categoria de Ator Coadjuvante, além de Taylor-Johnson, a indicação de Simon Helberg também causou alvoroço, já que ele não havia sido reconhecido anteriormente em prêmio algum. Mais conhecido pelo personagem Howard da série The Big Bang Theory, o ator contracenou com Meryl Streep em Florence: Quem é Essa Mulher? como um treinador vocal.

Ao lado de Meryl Streep, Simon Helberg atua como vocal coach de Florence Foster Jenkins. Pic by moviepilot.de

Ao lado de Meryl Streep, Simon Helberg atua como vocal coach de Florence Foster Jenkins. Pic by moviepilot.de

Já a indicação de Viggo Mortensen como Melhor Ator – Drama por Capitão Fantástico foi bastante comemorada. No filme, ele interpreta um pai de seis filhos que vive na natureza selvagem. Em entrevista, o ator esperava que filme seria abraçado pela temporada de premiação, mas sua indicação de Ator num ano bem concorrido já é digno de nota.

… E OUTRAS NEM TANTO

Embora Sully: O Herói do Rio Hudson não estivesse tão em alta, muitos davam como certa a indicação de Tom Hanks como Melhor Ator – Drama, já que ele é uma figura bem querida. Mas o filme de Clint Eastwood foi totalmente ignorado pela HFPA, que pode ter sido influenciada pela posição política favorável a Donald Trump por Eastwood. De qualquer forma, ultimamente tenho visto bem mais carisma do que interpretação nos filmes de Tom Hanks.

Porém, em pior situação está Silêncio. Depois de ficar fora de quase todos os prêmios de críticos (recebeu apenas um 2º lugar de Ator Coadjuvante no LAFCA), e do Critics’ Choice Awards, o novo trabalho de Martin Scorsese ficou esquecido novamente, devido ao atraso nas projeções para a imprensa e a crítica. Com isso, o estúdio Paramount Pictures passa a ficar preocupado até com a bilheteria diante de uma possível ausência no Oscar.

Outra ausência sentida foi da animação Procurando Dory, sequência do sucesso de 2003 Procurando Nemo. Embora o filme tenha sido um sucesso arrasador com mais 400 milhões de bilheteria nos EUA, falhou em conseguir uma indicação da categoria, que preferiu reconhecer até a desconhecida produção suíça My Life as a Zucchini. Talvez seja hora da Pixar descartar alguns projetos de sequências e criar coisas novas e frescas.

Cena da animação franco-suíça My Life as a Zucchini, que chutou Procurando Dory da categoria (pic by moviepilot.de)

Cena da animação franco-suíça My Life as a Zucchini, que chutou Procurando Dory da categoria (pic by moviepilot.de)

Pelas categorias de atuação, a ausência de Lucas Hedges foi uma das mais comentadas. No Critics’ Choice, ele levou o prêmio de Jovem Ator, e foi indicado como Coadjuvante pelo drama Manchester à Beira-Mar. Apesar de haver boas chances de aparecer na lista do Oscar, suas chances foram reduzidas pelo Globo de Ouro, que fortalece as campanhas de Mahershala Ali e Jeff Bridges.

PRÊMIOS PARA PRODUÇÕES DE TV

Pelas categorias televisivas, o Globo de Ouro resolveu dar aquela limpada nos candidatos de sempre. Exceto por Game of Thrones, as séries The Crown, Stranger Things, This Is Us e Westworld foram indicados pela primeira vez. Por outro lado, pela categoria de séries de comédia, a novidade ficou por conta apenas de Atlanta, que trata de rap no cenário da cidade de Atlanta, já que os demais indicados já foram previamente reconhecidos.

Entretanto, o destaque do lado da TV novamente ficou para The People v. O.J. Simpson: American Crime Story, que somou cinco indicações ao Globo de Ouro, sendo quatro para seus atores Courtney B. Vance, Sarah Paulson, Sterling K. Brown e John Travolta.

Cena de American Crime Story: The People v. O.J. Simpson, com Cuba Gooding Jr. ao centro como O.J. (pic by moviepilot.de)

Cena de American Crime Story: The People v. O.J. Simpson, com Cuba Gooding Jr. ao centro como O.J. (pic by moviepilot.de)

***

Indicados ao 74º Globo de Ouro:

CINEMA

Best Motion Picture – Drama:
Até o Último Homem (Hacksaw Ridge)
A Qualquer Custo (Hell or High Water)
Lion
Manchester à Beira-Mar (Manchester by the Sea)
Moonlight

Best Motion Picture – Musical or Comedy:
20th Century Women
Deadpool (Deadpool)
La La Land: Cantando Estações (La La Land)
Florence: Quem é Essa Mulher? (Florence Foster Jenkins)
Sing Street

Best Performance by an Actor in a Motion Picture – Drama:
Casey Affleck (Manchester à Beira Mar)
Joel Edgerton (Loving)
Andrew Garfield (Até o Último Homem)
Viggo Mortensen (Capitão Fantástico)
Denzel Washington (Fences)

Best Performance by an Actress in a Motion Picture – Drama:
Amy Adams (A Chegada)
Jessica Chastain (Miss Sloane)
Isabelle Huppert (Elle)
Ruth Negga (Loving)
Natalie Portman (Jackie)

Best Performance by an Actor in a Motion Picture – Musical or Comedy:
Colin Farrell (O Lagosta)
Ryan Gosling (La La Land)
Hugh Grant (Florence: Quem é Essa Mulher?)
Jonah Hill (Cães de Guerra)
Ryan Reynolds (Deadpool)

Best Performance by an Actress in a Motion Picture – Musical or Comedy:
Annette Bening (20th Century Women)
Lily Collins (Rules Don’t Apply)
Hailee Steinfeld (The Edge of Seventeen)
Emma Stone (La La Land)
Meryl Streep (Florence: Quem é Essa Mulher?)

Best Performance by an Actor in a Supporting Role in a Motion Picture:
Mahershala Ali (Moonlight)
Jeff Bridges (A Qualquer Custo)
Simon Helberg (Florence: Quem é Essa Mulher?)
Dev Patel (Lion)
Aaron Taylor-Johnson (Animais Noturnos)

Best Performance by an Actress in a Supporting Role in a Motion Picture:
Viola Davis (Fences)
Naomie Harris (Moonlight)
Nicole Kidman (Lion)
Octavia Spencer (Estrelas Além do Tempo)
Michelle Williams (Manchester à Beira-Mar)

Best Director – Motion Picture:
Damien Chazelle (La La Land)
Tom Ford (Animais Noturnos)
Mel Gibson (Até o Último Homem)
Barry Jenkins (Moonlight)
Kenneth Lonergan (Manchester à Beira-Mar)

Best Screenplay:
La La Land
Animais Noturnos
Moonlight
Manchester à Beira-Mar
A Qualquer Custo

Best Motion Picture – Foreign Language:
Divines – França
Elle – França
Neruda – Chile
O Apartamento – Irã/França
Toni Erdmann – Alemanha

Best Motion Picture – Animated:
Kubo e as Cordas Mágicas
Moana: Um Mar de Aventuras
My Life as a Zucchini
Sing: Quem Canta Seus Males Espanta
Zootopia

Best Original Song – Motion Picture:
“Can’t Stop the Feeling” (Trolls)
“City of Stars” (“La La Land)
“Faith” (Sing: Quem Canta Seus Males Espanta)
“Gold” (Ouro e Cobiça)
“How Far I’ll Go” (Moana: Um Mar de Aventuras)

Best Original Score – Motion Picture:
Nicholas Britell (Moonlight)
Justin Hurwitz (La La Land)
Johann Johannsson (A Chegada)
Dustin O’Halloran, Hauschka (Lion)
Hans Zimmer, Pharrell Williams, Benjamin Wallfisch (Estrelas Além do Tempo)

TELEVISÃO

Best Television Series – Drama:
The Crown
Game of Thrones
Stranger Things
This is Us
Westworld

Best Television Series – Musical or Comedy:
Atlanta
Black-ish
Mozart in the Jungle
Transparent
Veep

Best Performance by an Actor in a Television Series – Drama:
Rami Malek (Mr. Robot)
Bob Odenkirk (Better Call Saul)
Matthew Rhys (The Americans)
Liev Schreiber (Ray Donovan)
Billy Bob Thornton (Goliath)

Best Performance by an Actress in a Television Series – Drama:
Caitriona Balfe (Outlander)
Claire Foy (The Crown)
Keri Russell (The Americans)
Winona Ryder (Stranger Things)
Evan Rachel Wood (Westworld)

Best Performance by an Actor in a Television Series – Musical or Comedy:
Anthony Anderson (Black-ish)
Gael García Bernal (Mozart in the Jungle)
Donald Glover (Atlanta)
Nick Nolte (Graves)
Jeffrey Tambor (Transparent)

Best Performance by an Actress in a Television Series – Musical or Comedy:
Rachel Bloom Crazy (Ex-Girlfriend)
Julia Louis-Dreyfus (Veep)
Sarah Jessica Parker (Divorce)
Issa Rae (Insecure)
Gina Rodriguez (Jane the Virgin)
Tracee Ellis Ross (Black-ish)

Best Television Limited Series or Motion Picture Made for Television:
American Crime
The Dresser
The Night Manager
The Night Of
The People v. O.J. Simpson: American Crime Story

Best Performance by an Actor in a Limited Series or Motion Picture Made for Television:
Riz Ahmed (The Night Of)
Bryan Cranston (All The Way)
Tom Hiddleston (The Night Manager)
John Turturro (The Night Of)
Courtney B. Vance (The People v. O.J. Simpson: American Crime Story)

Best Performance by an Actress in a Limited Series or Motion Picture Made for Television:
Felicity Huffman (American Crime)
Riley Keough (The Girlfriend Experience)
Sarah Paulson (The People v. O.J. Simpson: American Crime Story)
Charlotte Rampling (London Spy)
Thandie Newton (Westworld)

Best Performance by an Actress in a Supporting Role in a Series, Limited Series or Motion Picture Made for Television:
Olivia Colman (The Night Manager)
Lena Headey (Game Of Thrones)
Chrissy Metz (This Is Us)
Mandy Moore (This Is Us)
Kerry Washington (Confirmation)

Best Performance by an Actor in a Supporting Role in a Series, Limited Series or Motion Picture Made for Television:
Sterling K. Brown (The People v. O.J. Simpson: American Crime Story)
Hugh Laurie (The Night Manager)
John Lithgow (The Crown)
Christian Slater (Mr. Robot)
John Travolta (The People v. O.J. Simpson: American Crime Story)

***

A 74ª cerimônia do Globo de Ouro está marcada para o dia 08 de janeiro, e terá Jimmy Fallon como host pela primeira vez.

 

‘La La Land’ domina a premiação do Critics’ Choice Awards com 8 prêmios

No centro, os atores Emma Stone e Ryan Gosling posam ao lado do diretor Damien Chazelle. O musical La La Land levou oito prêmios.

No centro, os atores Emma Stone e Ryan Gosling posam ao lado do diretor Damien Chazelle. O musical La La Land levou oito prêmios.

MUSICAL SE SOBRESSAI NA TEMPORADA E ASSUME FAVORITISMO

Pelo visto, o plano do Critics’ Choice Awards de antecipar sua cerimônia de premiação em quase um mês deu certo pois, ao contrário da última edição, as celebridades compareceram ao evento, e acima de tudo, a “Bolha Assassina” (Critics’ Choice) conseguiu ser a primeira grande premiação do calendário cinematográfico. O problema foi que no dia seguinte, já saíram as indicações do Globo de Ouro, e dois dias depois saem as indicações ao SAG Awards, e aí pergunto aos blogueiros: Pra que dormir?

Bom, como já devem ter percebido, não gosto muito do Critics’ Choice Awards. O problema principal é sua falta de personalidade (copia todas as categorias de outros prêmios), além disso, está mais preocupado na porcentagem de acerto em relação ao Oscar do que com credibilidade, e puxa um saco danado das celebridades como o Globo de Ouro faz, mas sem ter a mesma história de décadas de afinidade com as estrelas.

Pra vocês terem uma idéia do absurdo do Critics’ Choice, existem 50 (cinquenta!) categorias de Cinema e TV. Este ano, roubaram até a categoria de Ator Convidado do Emmy for Christ sake! Daqui a pouco, eles vão incluir as categorias do MTV Movie Awards também, como Melhor Beijo, Melhor Vilão, Melhor Performance Sem Camisa… Ainda bem que as estatuetas são feitas de acrílico ou cristal, porque se fosse de ouro, iria faltar na reserva mundial! Tem tanto prêmio pra dar, que muitos dos resultados foram divulgados nos intervalos de forma bastante simples, no estilo diagrama de bolão da empresa, como se estivessem cumprindo um mero dever. Minha sugestão? Reduzam as categorias! Está nítido que eles preferem bajular os atores do que reconhecer técnicos, dos quais muitos nem foram convidados.

Sobre o anúncio dos vencedores no intervalo, quando o ator Casey Affleck subiu ao palco, quebrou as pernas dos produtores do evento: “É engraçado pular o prêmio do roteiro assim porque nenhum de nós estaríamos aqui se não fosse o roteiro. Provavelmente, eles teriam discursos interessantes para falar.” Depois dessa, colocaria o prêmio de roteiro em primeiro lugar na próxima edição!

Com um visual Joaquin Phoenix-vou-me-aposentar, Casey Affleck posa com seu Critics' Choice (pic by REUTERS/Danny Moloshok)

Com um visual Joaquin Phoenix-vou-me-aposentar, Casey Affleck posa com seu Critics’ Choice por Manchester à Beira-Mar (pic by REUTERS/Danny Moloshok)

Não ajuda também o fato de convocarem T.J. Miller pra ser host. Aonde viram graça nesse rapaz? Talvez na série Sillicon Valley ele seja um pouco mais engraçado, mas como host (e pela segunda vez consecutiva!) foi apenas sorrisos amarelos. As piadas dele pareciam forçadas demais, como se ele precisasse apelar pro tom de voz ou figurino. Enfim, se o prêmio não tem personalidade, o que dirá do host…

Host pela segunda vez, T.J. Miller se esforça pra animar a platéia (pic by getty images)

Host pela segunda vez, T.J. Miller se esforça pra animar a platéia (pic by getty images)

Gostaria também de citar aqueles prêmios especiais concedidos na cerimônia. Viola Davis recebeu um prêmio novo chamado #SeeHer com perfil feminista. Apesar do discurso bonito em que a atriz enalteceu a busca pela própria identidade, considero um prêmio desnecessário e bem politicamente correto. Hoje em dia, os discursos de agradecimento já são assim; não precisamos de mais prêmios que demandem mais discussões quadradas. O que dizer então do prêmio Entertainment Weekly’s Entertainer of the Year para Ryan Reynolds? Tudo bem que é um prêmio patrocinado pela revista homônima, mas precisa? Daqui a pouco vão entregar o prêmio da revista People para o Homem Mais Sexy do Ano! E vale lembrar que tanto Viola Davis, quanto Reynolds, ganharam os prêmios pelos quais concorriam: Melhor Atriz Coadjuvante e Melhor Ator em Comédia, respectivamente.

Viola Davis posa com seu Critics' Choice de Coadjuvante por Fences (pic by Global Grind)

Viola Davis posa com seu Critics’ Choice de Coadjuvante por Fences (pic by Global Grind)

Quanto aos resultados, o grande vencedor da noite foi La La Land, que levou oito prêmios: Filme, Diretor, Roteiro Original, Fotografia, Montagem, Direção de Arte, Trilha Musical e Canção. Já esperava essa chuva de prêmios técnicos, mas confesso que fiquei meio surpreso com a vitória de Damien Chazelle como Diretor, e de Fotografia. Achei que ambos os prêmios iriam para o drama Moonlight, que vinha dividindo as atenções com a crítica. Mas o filme de Barry Jenkins saiu com os prêmios importantes de Ator Coadjuvante para Mahershala Ali, e de Elenco, que podem se repetir no SAG Awards.

Já o drama independente Manchester à Beira-Mar conquistou o prêmio de Roteiro Original, Ator para Casey Affleck e de Jovem Ator para Lucas Hedges. Embora estejam em alta com a crítica, são dois atores meio desconhecidos do grande público, fato que pode prejudicá-los na corrida ao Oscar.

E outro grande vencedor da noite foi Jackie, de Pablo Larraín. Além de ganhar como Melhor Maquiagem e Figurino, teve sua protagonista reconhecida como Melhor Atriz: Natalie Portman. Achava que o prêmio estaria entre Emma Stone e Isabelle Huppert, mas pelo visto, a atriz está no páreo para ganhar seu segundo Oscar.

Grávida do segundo filho, Natalie Portman usa uma espécie de poncho estampado ao receber o Critics' Choice Awards (pic by gotceleb.com)

Grávida do segundo filho, Natalie Portman usa uma espécie de poncho estampado ao receber o Critics’ Choice Awards (pic by gotceleb.com)

Do lado das comédias, eu gosto de Deadpool, mas ganhar como Melhor Comédia do Ano? Será? Tudo bem que a competição também não ajudava muito, mas… Engraçado que antes de revelar o vencedor, o apresentador lembrou que os últimos quatro vencedores da categoria foram indicados a Melhor Filme no Oscar. Não vejo Deadpool indicado a Filme pela Academia… talvez Maquiagem.

Com esse adiantamento da cerimônia para dezembro, não houve tempo hábil para projeção de possíveis candidatos ao Oscar como a ficção científica de Morten Tyldum, Passageiros, o novo filme da franquia Rogue One: Uma História Star Wars, e o ambicioso projeto de Martin Scorsese, Silêncio. Todos ficaram de fora da premiação… e aí a pergunta que fica é: haverá tempo para se recuperarem até o Oscar?

Nas categorias de televisão e mídia, embora Game of Thrones tenha vencido como Melhor Série Dramática, foi a minissérie contundente The People v. O.J. Simpson que acabou levando a maioria dos prêmios. O polêmico caso envolvendo o ex-ator e ex-jogador de futebol americano O.J. Simpson também protagoniza o documentário O.J.: Made in America, de Ezra Edelman, que está entre os favoritos ao Oscar da categoria.

VENCEDORES DO 22º CRITICS’ CHOICE AWARDS:

CINEMA

MELHOR FILME
La La Land: Cantando Estações

MELHOR ATOR
Casey Affleck (Manchester à Beira-Mar)

MELHOR ATRIZ
Natalie Portman (Jackie)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Mahershala Ali (Moonlight)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Viola Davis (Fences)

MELHOR ATOR OU ATRIZ JOVEM
Lucas Hedges (Manchester à Beira-Mar)

MELHOR ELENCO
Moonlight

MELHOR DIRETOR
Damien Chazelle (La La Land)

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL – Empate
Damien Chazelle (La La Land)
Kenneth Lonergan (Manchester à Beira-Mar)

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Eric Heisserer (A Chegada)

MELHOR FOTOGRAFIA
Linus Sandgren (La La Land)

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE
David Wasco, Sandy Reynolds-Wasco (La La Land)

MELHOR MONTAGEM
Tom Cross (La La Land)

MELHOR FIGURINO
Madeline Fontaine (Jackie)

MELHOR CABELO E MAQUIAGEM
Jackie

MELHORES EFEITOS VISUAIS
Mogli: O Menino Lobo

MELHOR LONGA DE ANIMAÇÃO
Zootopia

MELHOR FILME DE AÇÃO
Até o Último Homem

MELHOR ATOR EM FILME DE AÇÃO
Andrew Garfield (Até o Último Homem)

MELHOR ATRIZ EM FILME DE AÇÃO
Margot Robbie (Esquadrão Suicida)

MELHOR COMÉDIA
Deadpool

MELHOR ATOR EM COMÉDIA
Ryan Reynolds (Deadpool)

MELHOR ATRIZ EM COMÉDIA
Meryl Streep (Florence: Quem é Essa Mulher?)

MELHOR FICÇÃO CIENTÍFICA OU TERROR
A Chegada

MELHOR FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA
Elle, de Paul Verhoeven

MELHOR CANÇÃO
“City of Stars” (La La Land)

MELHOR TRILHA MUSICAL
Justin Hurwitz (La La Land)

TV

MELHOR SÉRIE – DRAMA
Game of Thrones

MELHOR ATOR – SÉRIE DRAMA
Bob Odenkirk (Better Call Saul)

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DRAMA
Evan Rachel Wood (Westworld)

MELHOR ATOR COADJUVANTE – SÉRIE DRAMA
John Lithgow (The Crown)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE – SÉRIE DRAMA
Thandie Newton (Westworld)

MELHOR PERFORMANCE CONVIDADA EM SÉRIE DRAMA
Jeffrey Dean Morgan (The Walking Dead)

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA
Silicon Valley

MELHOR ATRIZ – SÉRIE COMÉDIA
Kate McKinnon (Saturday Night Live)

MELHOR ATOR – SÉRIE COMÉDIA
Donald Glover (Atlanta)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE – SÉRIE COMÉDIA
Jane Krakowski (Unbreakable Kimmy Schmidt)

MELHOR ATOR COADJUVANTE – SÉRIE COMÉDIA
Louie Anderson (Baskets)

MELHOR PERFORMANCE CONVIDADA EM SÉRIE COMÉDIA
Alec Baldwin (Saturday Night Live)

MELHOR SÉRIE ANIMADA
BoJack Horseman

MELHOR SÉRIE COMPETITIVA DE REALITY
The Voice

MELHOR SÉRIE DE REALITY ESTRUTURADA
Shark Tank 

MELHOR SÉRIE DE REALITY NÃO-ESTRUTURADA
Anthony Bourdain: Parts Unknown

MELHOR TALK SHOW
The Late Late Show with James Corden

MELHOR HOST DE REALITY
Anthony Bourdain – Anthony Bourdain: Parts Unknown

MELHOR FILME PARA TV OU MINISSÉRIE
The People v. O.J. Simpson

MELHOR ATOR EM FILME PARA TV OU MINISSÉRIE
Courtney B. Vance (The People v. O.J. Simpson)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM FILME PARA TV OU MINISSÉRIE
Sterling K. Brown (The People v. O.J. Simpson)

MELHOR ATRIZ EM FILME PARA TV OU MINISSÉRIE
Sarah Paulson (The People v. O.J. Simpson)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM FILME PARA TV OU MINISSÉRIE
Regina King (American Crime)