RIZ AHMED e CAREY MULLIGAN VENCEM o INDEPENDENT SPIRIT de ‘NOMADLAND’

FILME DE CHLOÉ ZHAO VENCE ÚLTIMO PRÊMIO ANTES DO OSCAR. RIZ AHMED GANHA SEU PRÊMIO MAIS RELEVANTE NA TEMPORADA.

A 36ª edição do Independent Spirit Awards aconteceu nesta quinta-feira (22), mas desta vez não contou com transmissão fora do território americano. Tradicionalmente, a premiação ocorria um dia antes do Oscar, mas a organização do evento optou por adiantar uns dias para ter um tempo maior de repercussão na mídia. Vale ressaltar que o resultado deste prêmio não interfere diretamente no Oscar, já que a votação da Academia já se encerrou.

De uma forma geral, os vencedores foram bastante previsíveis, com NOMADLAND levando a melhor em 4 categorias: Filme, Direção, Fotografia e Montagem. Logo atrás, O SOM DO SILÊNCIO coletou 3 prêmios: Ator (Riz Ahmed), Ator Coadjuvante (Paul Raci) e Filme de Estreante, seguido por BELA VINGANÇA que ficou com 2 prêmios: Atriz (Carey Mulligan) e Roteiro. Das produções com mais indicações, NUNCA RARAMENTE ÀS VEZES SEMPRE e A VOZ SUPREMA DO BLUES foram os grandes perdedores da noite, já que ambos saíram da cerimônia sem nenhum prêmio.

Embora a votação do Oscar já esteja fechada, o reconhecimento de RIZ AHMED demorou mas chegou! Com amplo predomínio de Chadwick Boseman na categoria, a performance do ator em O Som do Silêncio acabou ficando de lado em premiações televisionadas, mas agora fecha com chave de ouro no Independent Spirit. Sua vitória no Oscar continua bem improvável, mas não tão impossível como antes, porque a ascensão de Anthony Hopkins no BAFTA mexeu com o favoritismo de Boseman.

Ainda sobre atuações, esperávamos ver um nome menos conhecido levando o prêmio de Melhor Atriz como Sidney Flanigan, mas CAREY MULLIGAN acabou conquistando a estatueta por Bela Vingança. Nessa temporada bem maluca, a categoria tem sido a maior incógnita, pois cada indicada levou um prêmio mais importante. Mulligan coleta o segundo após vitória no Critics’ Choice Awards, mas isso pode não ser o suficiente na disputa pelo Oscar.

Nas categorias de Coadjuvante, PAUL RACI acabou ganhando como Melhor Ator Coadjuvante com certa facilidade, já que não disputava com nenhum indicado ao Oscar, que deve ir para o franco-favorito Daniel Kaluuya. Já na categoria feminina, YUH-JUNG YOUN vence novamente após levar o SAG e o BAFTA, consolidando seu favoritismo na reta final do Oscar.

Talvez as maiores surpresas da noite foram nas categorias de FILME INTERNACIONAL e DOCUMENTÁRIO, vencidos por Quo Vadis, Aida? e Crip Camp, respectivamente, já que havia a expectativa de que Bacurau e As Mortes de Dick Johnson (ou Time) levassem esses prêmios. Aparentemente, no Oscar, o favoritismo de Druk – Mais uma Rodada e Professor Polvo deve prevalecer, mas como dissemos no Episódio 5 do podcast, não subestimem o representante da Bósnia e Herzegovina para Filme Internacional, porque deve ter havido muitos votantes que torceram o nariz para o filme do Vinterberg com um “Eu não vou votar em filme sobre apologia às bebidas alcóolicas” ou algo do tipo.

Pela primeira vez em 36 anos, o Independent Spirit Awards resolveu premiar séries de TV independentes, com orçamentos bem limitados. Provavelmente foi uma estratégia de atrair mais atenção do público mais jovem que acompanha e maratona séries em plataformas de streaming. As séries I MAY DESTROY YOU e UNORTHODOX foram as grandes vencedoras da edição. Não conferimos essas séries, mas até onde sabemos, foram uma chuva de elogios apenas.

CONFIRA TODOS OS VENCEDORES (em negrito) DO INDEPENDENT SPIRIT AWARDS:

MELHOR FILME
First Cow
A Voz Suprema do Blues (Ma Rainey’s Black Bottom)
Minari
Nunca Raramente Às Vezes Sempre (Never Rarely Sometimes Always)
Nomadland

MELHOR DIREÇÃO
Lee Isaac Chung (Minari)
Emerald Fennell (Bela Vingança)
Eliza Hittman (Nunca Raramente Às Vezes Sempre)
Kelly Reichardt (First Cow)
Chloé Zhao (Nomadland)

MELHOR FILME DE ESTRÉIA
I Carry You With Me
The 40-Year-Old Version
O Som do Silêncio (Sound of Metal)
Miss Juneteenth
Nine Days

MELHOR ATRIZ
Nicole Beharie (Miss Juneteenth)
Viola Davis (A Voz Suprema do Blues)
Sidney Flanigan (Nunca Raramente Às Vezes Sempre)
Julia Garner (A Assistente)
Frances McDormand (Nomadland)
Carey Mulligan (Bela Vingança)

MELHOR ATOR
Riz Ahmed (O Som do Silêncio)
Chadwick Boseman (A Voz Suprema do Blues)
Rob Morgan (Bull)
Steven Yeun (Minari)
Adarsh Gourav (O Tigre Branco)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Alexis Chikaeze (Miss Juneteenth)
Yeri Han (Minari)
Valerie Mahaffey (French Exit)
Talia Ryder (Nunca Raramente Às Vezes Sempre)
Yuh-jung Youn (Minari)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Colmand Domingo (A Voz Suprema do Blues)
Orion Lee (First Cow)
Paul Raci (O Som do Silêncio)
Glynn Turman (A Voz Suprema do Blues)
Benedict Wong (Nine Days)

MELHOR ROTEIRO
Má Educação (Bad Education)
Minari
Você Nem Imagina (The Half of It)
Nunca Raramente Às Vezes Sempre (Never Rarely Sometimes Always)
Bela Vingança (Promising Young Woman)

MELHOR PRIMEIRO ROTEIRO
Kitty Green (A Assistente)
Noah Hutton (Lapsis)
Channing Godfrey Peoples (Miss Juneteenth)
Andy Siara (Palm Springs)
James Sweeney (Straight Up)

MELHOR FOTOGRAFIA
Jay Keitel (She Dies Tomorrow)
Shabier Kirchner (Bull)
Michael Latham (A Assistente)
Hélène Louvart (Nunca Raramente Às Vezes Sempre)
Joshua James Richards (Nomadland)

MELHOR MONTAGEM
I Carry You With Me
O Homem Invisível
Residue
Nunca Raramente Às Vezes Sempre
Nomadland

PRÊMIO JOHN CASSAVETES (filmes com orçamentos abaixo de 500 mil dólares)
The Killing of Two Lovers
La Leyenda Negra
Lingua Franca
Residue
Saint Frances

PRÊMIO ROBERT ALTMAN
Uma Noite em Miami

MELHOR DOCUMENTÁRIO
Collective
Crip Camp: Revolução Pela Inclusão (Crip Camp)
As Mortes de Dick Johnson (Dick Johnson Is Dead)
Time
Agente Duplo (The Mole Agent)

MELHOR FILME INTERNACIONAL
Bacurau
The Disciple
Night of the Kings
Preparations to be Together for an Unknown Period of Time
Quo Vadis, Aida?

Piaget Producers Award
Kara Durrett
Lucas Joaquin
Gerry Kim

Someone to Watch Award
David Midell – Diretor de The Killing of Kenneth Chamberlain
Ekwa Msangi – Diretor de Farewell Amor
Annie Silverstein – Diretora de Bull

Truer Than Fiction Award
Cecilia Aldarondo – Diretor de Landfall
Elegance Bratton – Diretora de Pier Kids
Elizabeth Lo – Diretora de Stray

MELHOR SÉRIES NÃO-ROTEIRIZADAS OU DOCUMENTÁRIOS
Atlanta’s Missing and Murdered: The Lost Children
City So Real
Immigration Nation
Love Fraud
We’re Here

MELHORES SÉRIES ROTEIRIZADAS
I May Destroy You
Little America
Small Axe
A Teacher
Unorthodox

MELHOR ATRIZ
Elle Fanning (The Great)
Shira Haas (Unorthodox)
Abby McEnany (Work in Progress)
Maitreyi Ramakrishnan (Never Have I Ever)
Jordan Kristine Seamón (We Are Who We Are)

MELHOR ATOR
Conphidance (Little America)
Adam Ali (Little America)
Nicco Annan (P-Valley)
Amit Rahav (Unorthodox)
Harold Torre (Zero, Zero, Zero)

MELHOR ELENCO NUMA SÉRIE ROTEIRIZADA
I May Destroy You

‘OS 7 DE CHICAGO’ CONQUISTA o SAG de ELENCO. VIOLA DAVIS SURPREENDE

SINDICATO DE ATORES APONTA E POSSIBILITA MAIOR DIVERSIDADE ENTRE VENCEDORES DO OSCAR

Após descobrir que o SAG Awards não seria transmitido no Brasil, houve uma corrida contra o tempo para tentar dar algum jeito de acompanhar a cerimônia de forma “alternativa”. Claro que não é algo aconselhável ou recomendável, mas estávamos curiosos para ver como seria esse SAG pré-gravado por causa da pandemia. A intenção de pré-gravar os discursos de agradecimento era reduzir a duração do evento para uma hora, com a intenção de fugir da monotonia das conexões via Zoom ao vivo. Para isso funcionar, a organização do evento teria pedido bico calado aos indicados e vencedores nas redes sociais para tentar manter o elemento surpresa dos resultados.

Claro que houve um suposto vazamento que indicava as vitórias de Viola Davis e Maria Bakalova, mas esse boato se mostrou apenas 50% correto. Viola Davis foi a grande surpresa da noite ao vencer como Melhor Atriz por A Voz Suprema do Blues. Assim como nós, muitos sequer consideravam essa possibilidade já que ela já havia conquistado 2 SAG por Histórias Cruzadas e Um Limite Entre Nós, além de outros dois pela série How to Get Away With Murder. Num ano bastante imprevisível na categoria, em que Andra Day levou o Globo de Ouro, Carey Mulligan levou o Critics’ Choice e agora Viola leva o SAG (sendo que nem Viola, nem Carey, nem Andra foram indicadas ao BAFTA), talvez exista uma tendência para tornar Viola Davis a segunda atriz negra a vencer o Oscar de Melhor Atriz na história, quebrando finalmente a marca de 2002 de Halle Berry. E mesmo que isso não se concretize e Carey Mulligan leve o Oscar, não poderemos reclamar da previsibilidade que tem dominado as últimas temporadas de premiações.

Já a derrota de Maria Bakalova não chega a ser tão surpreendente, pois a categoria de Atriz Coadjuvante está bastante imprevisível. A vitória da coreana Yuh-Jung Youn reforça a campanha de Minari no Oscar, e a atriz veterana tem as melhores chances de conquistar a estatueta. Por se tratar de uma performance em língua estrangeira, não descartamos totalmente Glenn Close ou Olivia Colman.

Nas categorias masculinas, deu o óbvio: Chadwick Boseman por A Voz Suprema do Blues, e Daniel Kaluuya por Judas e o Messias Negro. Caso esses mesmos vencedores se repitam no Oscar, será a primeira vez em 93 anos que não haveria atores brancos entre os vencedores, ou pelo menos que eles deixarão de ser a maioria. Gostaríamos muito que Anthony Hopkins tivesse levado o SAG pela magistral performance em Meu Pai, mas a comoção relacionada a Chadwick ainda pesa contra sua campanha.

Embora tenha Sacha Baron Cohen entre os indicados de Ator Coadjuvante, Os 7 de Chicago tinha única chance real como Melhor Elenco, mas não necessariamente por reunir o melhor elenco em si, mas de contar com grandes nomes numa história com tantos personagens. O filme de tribunal de Aaron Sorkin começou a temporada como o grande favorito, mas hoje tem o SAG de Elenco como único embasamento até o Oscar. Claro que existe a chance de ganhar Roteiro Original, mas após a vitória de Bela Vingança nesta categoria no WGA (sindicato de roteiristas), o panorama decaiu novamente. Se nos últimos 10 anos, o vencedor do SAG de Elenco ajudou na escolha de Melhor Filme no Oscar, é quase certeza de que isso não se repetirá em 2021.

CONFIRA TODOS OS VENCEDORES DO 27º SAG AWARDS:

CINEMA

MELHOR ELENCO
* Destacamento Blood (Da 5 Bloods)
* A Voz Suprema do Blues (Ma Rainey’s Black Bottom)
* Minari
* Uma Noite em Miami… (One Night in Miami)
* Os 7 de Chicago (The Trial of the Chicago 7)

MELHOR ATOR
* Riz Ahmed (O Som do Silêncio)
* Chadwick Boseman (A Voz Suprema do Blues)
* Anthony Hopkins (Meu Pai)
* Gary Oldman (Mank)
* Steven Yeun (Minari)

MELHOR ATRIZ 
* Amy Adams (Era uma Vez um Sonho)
* Viola Davis (A Voz Suprema do Blues)
* Vanessa Kirby (Pieces of a Woman)
* Frances McDormand (Nomadland)
* Carey Mulligan (Bela Vingança)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
* Chadwick Boseman (Destacamento Blood)
* Sacha Baron Cohen (Os 7 de Chicago)
* Daniel Kaluuya (Judas e o Messias Negro)
* Jared Leto (The Little Things)
* Leslie Odom Jr. (Uma Noite em Miami…)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
* Maria Bakalova (Borat: Fita de Cinema Seguinte)
* Glenn Close (Era uma Vez um Sonho)
* Olivia Colman (Meu Pai)
* Yuh-Jung Youn (Minari)
* Helena Zengel (Relatos do Mundo)

MELHOR ELENCO DE DUBLÊS
– Destacamento Blood
– Mulan
– Relatos do Mundo
– Os 7 de Chicago
* Mulher Maravilha 1984

TV/STREAMING

MELHOR ELENCO – SÉRIE DRAMÁTICA
* Better Call Saul
* Bridgerton
* The Crown
* Lovecraft Country
* Ozark

MELHOR ATOR – SÉRIE DRAMÁTICA
* Jason Bateman (Ozark)
* Sterling K. Brown (This is Us)
* Josh O’Connor (The Crown)
* Bob Odenkirk (Better Call Saul)
* Rege-Jean Page (Bridgerton)

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DRAMÁTICA
* Gillian Anderson (The Crown)
* Olivia Colman (The Crown)
* Emma Corrin (The Crown)
* Julia Garner (Ozark)
* Laura Linney (Ozark)

MELHOR ATOR – MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
* Bill Camp (The Queen’s Gambit)
* Daveed Diggs (Hamilton)
* Hugh Grant (The Undoing)
* Ethan Hawke (The Good Lord Bird)
* Mark Ruffalo (I Know This Much Is True)

MELHOR ATRIZ – MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
* Cate Blanchett (Mrs. America)
* Michaela Coel (I May Destroy You)
* Nicole Kidman (The Undoing)
* Anya Taylor-Joy (The Queen’s Gambit)
* Kerry Washington (Little Fires Everywhere)

MELHOR ELENCO – SÉRIE DE COMÉDIA
* Dead to Me
* The Flight Attendant
* The Great
* Schitt’s Creek
* Ted Lasso

MELHOR ATOR – SÉRIE DE COMÉDIA
* Nicholas Hoult (The Great)
* Dan Levy (Schitt’s Creek)
* Eugene Levy (Schitt’s Creek)
* Jason Sudeikis (Ted Lasso)
* Ramy Youssef (Ramy)

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DE COMÉDIA
* Christina Applegate (Dead to Me) 
* Linda Cardellini (Dead to Me) 
* Kaley Cuoco (The Flight Attendant) 
* Annie Murphy (Schitt’s Creek) 
* Catherine O’Hara (Schitt’s Creek) 

MELHOR ELENCO DE DUBLÊS EM SÉRIE DRAMÁTICA OU DE COMÉDIA
– The Boys
– Cobra Kai
– Lovecraft Country
* The Mandalorian
– Westworld

‘MANK’ LIDERA INDICAÇÕES ao OSCAR 2021. THOMAS VINTERBERG e LAKEITH STANFIELD são as GRANDES SURPRESAS

PELA PRIMEIRA VEZ, DUAS DIRETORAS SÃO INDICADAS EM MESMA EDIÇÃO

O anúncio dos indicados ao Oscar estava previamente agendado para às 10h19, horário de Brasília, mas com a entrada do horário de verão nos EUA, o evento ao vivo foi antecipado para às 9h19. Muitos canais online que queriam cobrir o anúncio em lives também sofreram com essa mudança de última hora. Conforme combinado, o casal Priyanka Chopra e Nick Jonas dividiram essa responsabilidade em duas partes. Ela ficou bastante feliz pela indicação a Melhor Roteiro Original para o filme O Tigre Branco, no qual estrela ao lado de Adarsh Gourav. Poderiam ter caprichado um pouco mais na arte e inserido fotos dos filmes e atores indicados, mas preferiram apenas o texto. Confira o anúncio em vídeo do YouTube abaixo:

NÚMEROS DO OSCAR

Como previsto, Mank foi o filme que mais acumulou indicações nesta 93ª edição do Oscar, com 10. Com 6 indicações cada, seis filmes empataram: MEU PAI, JUDAS E O MESSIAS NEGRO, MINARI, NOMADLAND, O SOM DO SILÊNCIO e OS 7 DE CHICAGO. Todos os filmes acima foram indicados a Melhor Filme ao lado de BELA VINGANÇA que recebeu 5 indicações.

Num ano marcado pela pandemia, a NETFLIX foi a recordista pelo segundo ano consecutivo com 35 indicações. Em 2020, a companhia de streaming havia acumulado 24 indicações.

Esta foi a última vez que a categoria de MELHOR FILME terá número de indicados flexível dependendo do número de votos. Foi combinado que a partir da próxima edição, teremos sempre DEZ filmes indicados a Melhor Filme, como foi em 2010 e 2011. O objetivo é aumentar a visibilidade de mais filmes que tragam maior diversidade ao Oscar (e por que não audiência?). Este ano, tivemos oito indicados, e tivemos ausência de três indicados ao PGA: Borat: Fita de Cinema Seguinte, A Voz Suprema do Blues e Uma Noite em Miami.

HISTÓRICOS

Depois de 93 anos, finalmente temos duas diretoras indicadas na categoria de DIREÇÃO: Emerald Fennell por Bela Vingança e CHLOÉ ZHAO por Nomadland. Elas se tornaram apenas a SEXTA e SÉTIMA mulheres indicadas nesta categoria. Enquanto Zhao se tornou a primeira diretora não-branca indicada e foi a primeira mulher a receber 4 indicações (Filme, Direção, Roteiro Adaptado e Montagem), Fennell foi a terceira mulher a acumular 3 indicações (Filme, Direção e Roteiro Original). Havia a possibilidade de Regina King também integrar essa acirrada competição por Uma Noite em Miami, mas sua possível vaga foi “roubada” pelo dinamarquês THOMAS VINTERBERG por Druk – Mais uma Rodada.

Pela primeira vez, tivemos NOVE ATORES NÃO-BRANCOS indicados nas 4 categorias: Chadwick Boseman, Riz Ahmed (primeiro descendente de Paquistanês indicado), Steven Yeun e Yuh-Jung Youn (primeiros atores sul-coreanos), Andra Day, Viola Davis, Daniel Kaluuya, LaKeith Stanfield e Leslie Odom Jr.

CHADWICK BOSEMAN se tornou apenas o sétimo ator a receber indicação póstuma. O jovem ator, que faleceu em Agosto de 2020 aos 43 anos, junta-se a nomes consagrados como James Dean (Vidas Amargas e Assim Caminha a Humanidade) e os vencedores do Oscar Peter Finch (Rede de Intrigas) e Heath Ledger (Batman – O Cavaleiro das Trevas). Ele é o primeiro ator negro a ser indicado postumamente.

SURPRESAS E AUSÊNCIAS

Talvez a maior surpresa desta edição tenha sido a indicação de LaKeith Stanfield. Se ele fosse indicado para Melhor Ator já seria uma surpresa, mas como foi indicado a Ator Coadjuvante, foi um CHOQUE! Mais uma vez vemos aquela manipulação entre as categorias de atuação, mas de forma mais descarada aqui, afinal, se Stanfield e Kaluuya são Coadjuvantes, quem é o protagonista em Judas e o Messias Negro??

A segunda maior surpresa foi a de Thomas Vinterberg na Melhor Direção. Embora ele tivesse sido recentemente indicado ao BAFTA, poucos previram outra indicação a não ser na categoria de Filme Internacional pela Dinamarca. Havia uma chance mínima também para uma indicação de Melhor Ator para Mads Mikkelsen, mas a disputa estava acirradíssima. Num ano conturbado, com Minari levando vários prêmios de Filme em Língua Estrangeira, mas não podendo concorrer ao Oscar da categoria por ser uma produção americana, e Bacurau excluído por ter competido em 2020, Druk – Mais uma Rodada foi se firmando como favorito.

Ainda sobre a categoria de Filme Internacional, embora imprevisível este ano, podemos considerar surpresas as indicações do filme de Hong Kong, Better Days, e da Tunísia, The Man Who Sold His Skin. Havia uma expectativa de indicações para o filme La Llorona, da Guatemala, Nós Duas, da França, e até A Sun, de Taiwan. Romênia e Tunísia comemoram suas primeiras indicações ao Oscar.

Voltando às categorias de atuação, e GLENN CLOSE? Ela se tornou a terceira pessoa a ter a mesma performance indicada para o Oscar e para o Framboesa de Ouro! Se ganhar o Oscar, torna-se a primeira a conquistar esse feito. E se perder, será sua oitava derrota sem nenhuma vitória. Pra sorte dela, não existe uma franco-favorita na categoria (Yuh-Jung Youn é a mais cotada), então pode ser que ela ganhe, mas será aquela vitória com bastante ressalva por causa do Framboesa. E se perder, será a atriz recordista de indicações sem vitória, igualando o recorde histórico do já falecido Peter O’Toole.

Depois de muita pressão por não terem indicado SONG KANG HO ano passado por Parasita, STEVEN YEUN se torna o primeiro ator sul-coreano indicado ao Oscar por Minari. Quando se fala sobre #OscarsSoWhite, é mais comum discutirmos a ausência de atores negros, então ficamos contentes com a inclusão de dois atores asiáticos numa só edição, já que YUH-JUNG YOUN também foi reconhecida na categoria de Atriz Coadjuvante. Ela tem tudo para representar Minari no palco, pois a disputa entre as atrizes está bastante confusa ainda. Aliás, o SAG que será no próximo dia 04 de Abril, deve esclarecer melhor as reais chances dos atores até o final da temporada.

Com uma boa safra de performances, muitos atores acabaram sendo esnobados, mas felizmente nenhuma dessas ausências pode ser considerada um absurdo ou um ultraje. Melhor Ator: Delroy Lindo (Destacamento Blood) e Tahar Rahim (The Mauritanian); Melhor Atriz: Amy Adams (Era uma Vez um Sonho), Sophia Loren (Rosa e Momo) e Zendaya (Malcolm & Marie); Melhor Ator Coadjuvante: Chadwick Boseman (Destacamento Blood), Alan Kim (Minari), Bill Murray (On the Rocks) e Jared Leto (Os Pequenos Vestígios); Melhor Atriz Coadjuvante: Jodie Foster (The Mauritanian), Helena Zengel (Relatos do Mundo) e Dominique Fishback (Judas e o Messias Negro). Desses acima, gostaríamos de ter visto indicações para Tahar Rahim que está fantástico em The Mauritanian, e para Alan Kim, que conquista o coração de todos em Minari. Já das atuações que foram esnobadas por todos, mas adoraríamos ver aqui é a de Elisabeth Moss em O Homem Invisível, que também merecia indicação pelos efeitos visuais.

Dentre outras boas surpresas, destacamos a dupla indicação do filme romeno COLLECTIVE para DOCUMENTÁRIO e FILME INTERNACIONAL, repetindo o raro feito de Honeyland na última edição, que saiu sem nenhuma estatueta. A categoria de Documentário está bem representada também por AGENTE DUPLO, CRIP CAMP, TIME e PROFESSOR POLVO. Na categoria de Longa de Animação, gostamos da entrada do simpático trabalho de stop motion SHAUN, O CARNEIRO: O FILME – A FAZENDA CONTRA-ATACA, mas esperávamos que ele tomasse o lugar do fraco A CAMINHO DA LUA, para que a sequência Croods 2: Uma Nova Era fosse indicada.

Comemoramos duas ausências que indicam uma queda nas chances de Melhor Filme. A primeira para JACK FINCHER pelo roteiro de MANK. O filme de David Fincher pode ser perfeito em muitos aspectos técnicos, principalmente Fotografia e Som, mas seu roteiro, escrito décadas atrás, não chega a empolgar para um filme de bastidores de Hollywood e de Cidadão Kane. E a segunda seria a de AARON SORKIN na categoria de DIREÇÃO por OS 7 DE CHICAGO. Sorkin ainda precisa comer muito arroz e feijão para se tornar um bom diretor, então ficamos felizes por sua substituição na categoria. Ambas as ausências enfraquecem as campanhas dos filmes para ganhar o Oscar de Melhor Filme, afinal, indicações para direção e roteiro costumam ser essenciais para levar o prêmio principal da noite.

CONFIRA TODOS OS INDICADOS AO 93º ACADEMY AWARDS:

FILME
Meu Pai (The Father)
Judas e o Messias Negro (Judas and the Black Messiah)
Mank (Mank)
Minari (Minari)
Nomadland (Nomadland)
Bela Vingança (Promising Young Woman)
O Som do Silêncio (Sound of Metal)
Os 7 de Chicago (The Trial of the Chicago 7)

DIREÇÃO
* Thomas Vinterberg (Druk – Mais uma Rodada)
* David Fincher (Mank)
* Lee Isaac Chung (Minari)
* Emerald Fennell (Bela Vingança)
Chloé Zhao (Nomadland)

ATOR
*
Riz Ahmed (O Som do Silêncio)
* Chadwick Boseman (A Voz Suprema do Blues)
* Anthony Hopkins (Meu Pai)
* Gary Oldman (Mank)
* Steven Yeun (Minari)

ATRIZ
* Viola Davis (A Voz Suprema do Blues)
* Andra Day (Estados Unidos vs. Billie Holiday)
* Vanessa Kirby (Pieces of a Woman)
* Frances McDormand (Nomadland)
* Carey Mulligan (Bela Vingança)

ATOR COADJUVANTE
* Sacha Baron Cohen
(Os 7 de Chicago)
* Daniel Kaluuya (Judas e o Messias Negro)
* Leslie Odom Jr. (Uma Noite em Miami)
* Paul Raci (O Som do Silêncio)
* LaKeith Stanfield (Judas e o Messias Negro)

ATRIZ COADJUVANTE
* Maria Bakalova
(Borat: Fita de Cinema Seguinte)
* Glenn Close (Era uma Vez um Sonho)
* Olivia Colman (Meu Pai)
* Amanda Seyfried (Mank)
* Yuh-Jung Youn (Minari)

ROTEIRO ORIGINAL
* Judas e o Messias Negro – Will Berson, Shaka King, Keith Lucas, Kenneth Lucas 
Minari – Lee Isaac Chung 
* Bela Vingança – Emerald Fennell
O Som do Silêncio – Abraham Marder, Darius Marder, Derek Cianfrance 
Os 7 de Chicago – Aaron Sorkin

ROTEIRO ADAPTADO
*
Borat: Fita de Cinema Seguinte – Peter Baynham, Sacha Baron Cohen, Jena Friedman, Anthony Hines, Lee Kern, Dan Mazer, Nina Pedrad, Erica Rivinoja, Dan Swimer 
Meu Pai – Christopher Hampton, Florian Zeller
Nomadland – Chloé Zhao
Uma Noite em Miami – Kemp Powers 
O Tigre Branco – Ramin Bahrani

FOTOGRAFIA
Judas e o Messias Negro – Sean Bobbitt
Mank – Erik Messerschmidt
Relatos do Mundo – Dariusz Wolski
Nomadland – Joshua James Richardson
Os 7 de Chicago – Phedon Papamichael

MONTAGEM
Meu Pai – Yorgos Lamprinos
* Nomadland – Chloé Zhao 
* Bela Vingança – Frédéric Thoraval 
* O Som do Silêncio – Mikkel E.G. Nielsen
* Os 7 de Chicago – Alan Baumgarten

DESENHO DE PRODUÇÃO
Meu Pai – Peter Francis, Cathy Featherstone
A Voz Suprema do Blues – Mark Ricker, Karen O’Hara, Diana Stoughton 
Mank – Donald Graham Burt, Jan Pascale
Relatos do Mundo – David Crank, Elizabeth Keenan
* Tenet – Nathan Crowley, Kathy Lucas

FIGURINO
*
Emma. – Alexandra Byrne
A Voz Suprema do Blues – Ann Roth
Mank – Trish Summerville
Mulan – Bina Daigeler
Pinóquio – Massimo Cantini Parrini

MAQUIAGEM E PENTEADO
* Emma. – Marese Langan
* Era uma Vez um Sonho – Eryn Krueger Mekash, Patricia Dehaney, Matthew Mungle 
A Voz Suprema do Blues – Matiki Anoff, Mia Neal, Larry M. Cherry
* Mank – Kimberley Spiteri, Gigi Williams 
* Pinóquio – Dalia Colli, Anna Kieber, Sebastian Lochmann, Stephen Murphy 

TRILHA MUSICAL ORIGINAL
Destacamento Blood – Terence Blanchard
* Mank – Trent Reznor, Atticus Ross
Minari – Emile Mosseri
Relatos do Mundo – James Newton Howard
Soul – Trent Reznor, Atticus Ross, Jon Batiste

CANÇÃO ORIGINAL
* “Fight for You” – JUDAS E O MESSIAS NEGRO
Música por H.E.R. and Dernst Emile II; Letra por H.E.R. e Tiara Thomas
* “Hear my Voice” – OS 7DE CHICAGO
Música por Daniel Pemberton; Letra por Daniel Pemberton e Celeste Waite
* “Husavik” – FESTIVAL EUROVISION DA CANÇÃO: A SAGA DE SIGRIT E LARS
Música e letra por Savan Kotecha, Fat Max Gsus e Rickard Göransson
* “Io Sì (SeEn)” – ROSA E MOMO
Música por Diane Warren; Letra por Diane Warren e Laura Pausini
* “Speak Now” – UMA NOITE EM MIAMI…
Música e letra por Leslie Odom, Jr. e Sam Ashworth

SOM
Greyhound: Na Mira do Inimigo – Odin Benitez, Jason King, Christian P. Minkler, Michael Minkler, Jeff Sawyer
Mank – Ren Klyce, Jeremy Molod, David Parker, Nathan Nance, Drew Kunin 
Relatos do Mundo – John Pritchett, Mike Prestwood Smith, William Miller, Oliver Tarney, Michael Fentum
Soul – Coya Elliott, Ren Klyce, David Parker, Vince Caro
* O Som do Silêncio – Phillip Bladh, Nicolas Becker, Jaime Baksht, Michelle Couttolenc, Carlos Cortés, Carolina Santana

EFEITOS VISUAIS
* PROBLEMAS MONSTRUOSOS
*
O Céu da Meia-Noite – Matt Kasmir, Chris Lawrence, Dave Watkins, Max Solomon 
Mulan – Sean Faden, Anders Langlands, Seth Maury, Steve Ingram
O Grande Ivan – Nick Davis, Greg Fisher, Ben Jones, Santiago Colomo Martinez 
Tenet – Andrew Jackson, Andrew Lockley, Scott R. Fisher, Mike Chambers 

LONGA DE ANIMAÇÃO
* Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica
* A Caminho da Lua
* SHAUN, O CARNEIRO: O FILME – A FAZENDA CONTRA-ATACA
* Soul
* Wolfwalkers

DOCUMENTÁRIO
* Collective
* Crip Camp: REVOLUÇÃO PELA INCLUSÃ
O
* Agente Duplo
* Professor Polvo
* Time

FILME INTERNACIONAL
Druk – Mais uma Rodada – Dinamarca
Better Days – Hong Kong
Collective – Romênia
The Man Who Sold his Skin – Tunísia
Quo Vadis, Aida? – Bósnia e Herzegovina

CURTA-METRAGEM
* Feeling Through
* The Letter Room
* The Present
* Two Distant Strangers
* White Eye

CURTA DE ANIMAÇÃO
* Burrow
* Genius Loci
* Se Algo Acontecer… Te Amo
* Opera
* Yes-People

DOCUMENTÁRIO-CURTA
* Colette
* A Concerto is a Conversation
* Do Not Split
* Hunger Ward
* UMA CANÇÃO PARA Latasha

____________________________________________________________________________________
A 93ª cerimônia do Oscar está marcada para o dia 25 de Abril.

‘NOMADLAND’ CONQUISTA 4 PRÊMIOS do CRITICS’ CHOICE, incluindo MELHOR FILME

FAVORITISMO DE ROAD MOVIE DE CHLOÉ ZHAO TEM CRESCIDO NAS ÚLTIMAS SEMANAS

Pela primeira vez, o Critics’ Choice Awards foi exibido simultaneamente pelo YouTube no canal da TNT Brasil. Os números de audiência por lá não foram dos melhores, tendo uma média de 2 mil pessoas assistindo. O lado ruim de assistir pela internet é não poder contar com a tecla SAP, e aguentar aquela montanha de comentários toscos dos espectadores. Contudo, o que mais nos incomodou foi a falta de opinião dos dois hosts da TNT. Parecia que, por contrato, eles estavam proibidos de falar mal de algum filme, série ou ator. Tudo estava “maravilhoso”. Cadê a personalidade, gente?

Em cerimônias anteriores, já era comum a ausência de indicados na premiação por ter uma relevância menor em relação ao Globo de Ouro, BAFTA, SAG e Oscar. Com o evento sendo virtual este ano, honestamente esperávamos uma presença maior dos indicados, já que poderiam prestigiar ou agradecer do conforto dos lares (inclusive Jason Sudeikis novamente estava com uma blusa moletom), mas muitos sequer se deram o trabalho de ligar o celular ou o notebook, comprovando que o Critics’ Choice ainda está longe de ter uma credibilidade na temporada de premiações.

Falando nisso, mais uma vez houve o descaso com algumas categorias técnicas, cujos indicados e vencedores tiveram que se contentar com uma tela de PowerPoint nos pré-intervalos para anunciar o vencedor. A gente entende que o tempo é curto numa já longa transmissão, mas poderiam ceder pelo menos 30 segundos para cada vencedor, nem que fossem discursos pré-gravados… Afinal, de que adianata a Bolha Assassina aumentar categorias e indicados todos os anos e não ter tempo para apresentá-los devidamente? Acreditamos que essa falta de consideração afasta muitos dos indicados a cada ano.

TEVE SURPRESAS?

É difícil surpreender numa premiação que busca apenas acertar os futuros vencedores do Oscar. O Globo de Ouro, que costumava ser o maior parâmetro do Oscar, houve espaço para três surpresas: Andra Day, Rosamund Pike e Jodie Foster. E o Critics’? Talvez a única tenha sido a premiação de Roteiro Original para Emerald Fennell por Bela Vingança. Não que o filme seja um candidato azarão, mas havia um forte favoritismo para Aaron Sorkin e seu Os 7 de Chicago. Embora não acompanhemos tão bem as séries televisivas, pelo visto as surpresas também não aconteceram, pois houve predomínio esperado de The Crown, The Queen’s Gambit, Schitt’s Creek e Ted Lasso.

A cerimônia durou cerca de 3 horas, ou melhor, 1 hora de cerimônia e 2 horas de intervalos. Acabamos de assistir ao Critics’ Choice odiando Santander, Fiat, Samsung Galaxy e Riachuelo de tanto ver suas propagandas. A respeito dos discursos de agradecimento, pelo menos pareceram mais rápidos e sucintos, mas por outro lado, perderam um pouco da naturalidade e espontaneidade, talvez com exceção do discurso do pequeno Alan Kim, que chorou ao levar o prêmio de Ator Juvenil por Minari. Destaque também para a diretora Chloé Zhao e a produtora Mollye Asher, que dedicaram os prêmios de Nomadland para o técnico de som do filme, M. Wolf Snyder, que cometeu suicídio aos 35 anos, no início de Março.

Embora tenha levado o prêmio de Design de Produção, Mank pode ser considerado um dos maiores perdedores da noite, já que foi indicado a 12 categorias. Desta vez, o diretor David Fincher nem apareceu virtualmente para tomar suas doses de tequila. Essa única vitória pode se repetir no final de Abril no Oscar, já que o filme não tem sido favorito a nenhuma outra categoria, incluindo Atriz Coadjuvante para Amanda Seyfried, que pra piorar, nem foi indicada ao SAG.

CONFIRA TODOS OS VENCEDORES DO 26º CRITICS’ CHOICE AWARDS:

MELHOR FILME
Nomadland (Searchlight Pictures)

MELHOR DIREÇÃO
Chloé Zhao (Nomadland)

MELHOR ATOR
Chadwick Boseman (A Voz Suprema do Blues) (Netflix)

MELHOR ATRIZ
Carey Mulligan (Bela Vingança) (Focus Features)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Daniel Kaluuya (Judas e o Messias Negro) (Warner Bros)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Maria Bakalova (Borat: Fita de Cinema Seguinte) (Amazon Studios)

MELHOR ATOR OU ATRIZ JUVENIL
Alan Kim (Minari) (A24)

MELHOR ELENCO
Os 7 de Chicago (Netflix)

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Bela Vingança (Focus Features) – Emerald Fennell

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Nomadland (Searchlight Pictures) – Chloé Zhao

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO
Mank (Netflix) – Donald Graham Burt, Jan Pascale

MELHOR FOTOGRAFIA
Nomadland (Searchlight Pictures) – Joshua James Richards

MELHOR FIGURINO
A Voz Suprema do Blues (Netflix) – Ann Roth

MELHOR MONTAGEM (Empate)
O Som do Silêncio (Amazon Studios) – Mikkel E.G. Nielsen
Os 7 de Chicago (Netflix) – Alan Baumgarten

MELHOR MAQUIAGEM E PENTEADO
A Voz Suprema do Blues (Netflix)

MELHORES EFEITOS VISUAIS
Tenet (Warner Bros)

MELHOR TRILHA ORIGINAL
Soul (Pixar) – Jon Batiste, Trent Reznor, Atticus Ross

MELHOR CANÇÃO
Uma Noite em Miami… (Amazon Studios) – “Speak Now”

MELHOR FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA
Minari (A24)

MELHOR COMÉDIA
Palm Springs (Hulu/NEON)

TV/STREAMING

MELHOR SÉRIE DRAMÁTICA
The Crown

MELHOR ATOR – SÉRIE DRAMÁTICA
Josh O’Connor (The Crown)

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DRAMÁTICA
Emma Corrin (The Crown)

MELHOR ATOR COADJUVANTE – SÉRIE DRAMÁTICA
Michael K. Williams (Lovecraft Country)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE – SÉRIE DRAMÁTICA
Gillian Anderson (The Crown)

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA
Ted Lasso (Apple TV Plus)

MELHOR ATOR – SÉRIE DE COMÉDIA
Jason Sudeikis (Ted Lasso)

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DE COMÉDIA
Catherine O’Hara (Schitt’s Creek)

MELHOR ATOR COADJUVANTE – SÉRIE DE COMÉDIA
Daniel Levy (Schitt’s Creek)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE – SÉRIE DE COMÉDIA
Hannah Waddingham (Ted Lasso)

MELHOR MINISSÉRIE
O Gambito da Rainha (Netflix)

MELHOR FLME FEITO PARA TV
Hamilton (Disney Plus)

MELHOR ATOR – MINISSÉRIE OU FILME FEITO PARA TV
John Boyega (Small Axe)

MELHOR ATRIZ – MINISSÉRIE OU FILME FEITO PARA TV
Anya Taylor-Joy (O Gâmbito da Rainha)

MELHOR ATOR COADJUVANTE – MINISSÉRIE OU FILME FEITO PARA TV
Donald Sutherland (The Undoing)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE – MINISSÉRIE OU FILME FEITO PARA TV
Uzo Aduba (Mrs. America)

MELHOR SÉRIE – FORMATO CURTO
Better Call Saul: Ethics Training With Kim Wexler (AMC)

MELHOR ESPECIAL DE COMÉDIA (Empate)
Jerry Seinfeld: 23 Hours to Kill (Netflix)
Michelle Buteau: Welcome to Buteaupia (Netflix)

MELHOR TALK SHOW
Late Night with Seth Meyers (NBC)

#SEEHER AWARD: Zendaya

‘MANK’ LIDERA CRITICS’ CHOICE AWARDS DOMINADO por NETFLIX

NETFLIX CONQUISTA MARCA DE QUATRO FILMES INDICADOS A MELHOR FILME

Ok, não é lá uma grande novidade, mas quem não conseguia enxergar a Netflix predominando as premiações desta temporada bem atípica da pandemia? Além das produções de outros estúdios terem sofrido com adiamentos, a plataforma de streaming foi beneficiada com o fechamento de salas de cinema e, claro, com seus próprios investimentos certeiros.

Não é nada surpreendente também que o novo filme de David Fincher, Mank, tenha sido o recordista de indicações, já que se trata de um filme de época, tecnicamente impecável e com pedigree. Foram 12 indicações ao Critics’ Choice, e no Oscar são esperadas umas 10 indicações, mesmo com queda na campanha publicitária nas últimas semanas. A nosso ver, Mank tem tudo para ser um novo A Invenção de Hugo Cabret, que desponta como um dos favoritos, mas acaba limitado aos Oscars mais técnicos, ainda mais que Gary Oldman e Amanda Seyfried não estão ganhando prêmios importantes, e ela sequer foi reconhecida no SAG.

Ainda sobre Netflix, foram ao todo 46 indicações nas categorias de Cinema. Além das 12 de Mank, temos 8 para A Voz Suprema do Blues, 6 de Destacamento Blood e 6 de Os 7 de Chicago. A grande surpresa fica por conta do 2º lugar da A24, que acumulou 14 indicações, sendo 10 para Minari. O drama familiar coreano teve a mesma proeza de ser indicado para Melhor Filme, Melhor Filme em Língua Estrangeira e Melhor Elenco como o fenômeno Parasita ano passado, mas ao contrário do filme de Bong Joon-Ho, teve duas indicações individuais para seus atores Steven Yeun e Yuh-Jung Youn como Ator e Atriz Coadjuvante, respectivamente.

Chadwick Boseman repete sua dobradinha do SAG e novamente conquista duas indicações por A Voz Suprema do Blues e Destacamento Blood. Caso isso se repita no Oscar, será o primeiro ator a ter dupla indicação póstuma. Além de Boseman, Andra Day foi reconhecida em duas categorias: Melhor Atriz e Canção Original por The United States vs. Billie Holiday, enquanto a dupla de compositores Trent Raznor e Atticus Ross na mesma categoria de Trilha Original por Soul e Mank. Vale ainda citar a querida Olivia Colman, indicada para Atriz Coadjuvante por Meu Pai e Atriz de Série Dramática por The Crown.

Para quem acompanha o blog há alguns anos, nós apelidamos carinhosamente o Critics’ Choice Awards de “Bolha Assassina”, porque a cada ano que passa ela cria novas categorias e abre mais vagas para indicados, expandindo-se como aquela gosma rosa alienígena. Embora isso signifique uma falta de critério e seletividade, claro que é ótimo para os filmes e artistas constarem nessas listas para ganharem o devido reconhecimento. Uma das coisas que nos incomoda no Critics’ é a constante e crescente vontade de se tornar um mero precursor genérico do Oscar. Prefere tentar adivinhar quem vai levar a estatueta da Academia do que selecionar seus próprios favoritos. Isso sem contar aquela sacanagem de apresentar prêmios no tapete vermelho e nos intervalos que nos faz questionar “Então pra que tanta categoria se não tem tempo para apresentar devidamente?”. Mas enfim, esse coração de mãe do Critics’ ajudou em algumas categorias bem disputadas como Melhor Ator, que teve OITO indicados, e Direção e Atriz que tiveram SETE indicados cada.

CONFIRA TODOS OS INDICADOS DE CINEMA AO 26º CRITICS’ CHOICE AWARDS:

MELHOR FILME

  • Destacamento Blood (Da 5 Bloods) (Netflix)
  • A Voz Suprema do Blues (Ma Rainey’s Black Bottom) (Netflix)
  • Mank (Mank) (Netflix)
  • Minari (A24)
  • Relatos do Mundo (News of the World) (Universal Pictures)
  • Nomadland (Searchlight Pictures)
  • Uma Noite em Miami… (One Night in Miami) (Amazon Studios)
  • Bela Vingança (Promising Young Woman) (Focus Features)
  • O Som do Silêncio (Sound of Metal) (Amazon Studios)
  • Os 7 de Chicago (The Trial of the Chicago 7) (Netflix)

MELHOR DIREÇÃO

  • Lee Isaac Chung (Minari) (A24)
  • Emerald Fennell (Bela Vingança) (Focus Features)
  • David Fincher (Mank) (Netflix)
  • Spike Lee (Destacamento Blood) (Netflix)
  • Regina King (Uma Noite em Miami…) (Amazon Studios)
  • Aaron Sorkin (Os 7 de Chicago) (Netflix)
  • Chloé Zhao (Nomadland) (Searchlight Pictures)

MELHOR ATOR

  • Ben Affleck (O Caminho de Volta) (Warner Bros)
  • Riz Ahmed (O Som do Silêncio) (Amazon Studios)
  • Chadwick Boseman (A Voz Suprema do Blues) (Netflix)
  • Tom Hanks (Relatos do Mundo) (Universal Pictures)
  • Anthony Hopkins (Meu Pai) (Sony Pictures Classics)
  • Delroy Lindo (Destacamento Blood) (Netflix)
  • Gary Oldman (Mank) (Netflix)
  • Steven Yeun (Minari) (A24)

MELHOR ATRIZ

  • Viola Davis (A Voz Suprema do Blues) (Netflix)
  • Andra Day (The United States vs. Billie Holiday) (Hulu)
  • Sidney Flanigan (Nunca Raramente Às Vezes Sempre) (Focus Features)
  • Vanessa Kirby (Pieces of a Woman) (Netflix)
  • Frances McDormand (Nomadland) (Searchlight Pictures)
  • Carey Mulligan (Bela Vingança) (Focus Features)
  • Zendaya (Malcolm & Marie) (Netflix)

MELHOR ATOR COADJUVANTE

  • Chadwick Boseman (Destacamento Blood) (Netflix)
  • Sacha Baron Cohen (Os 7 de Chicago) (Netflix)
  • Daniel Kaluuya (Judas e o Messias Negro) (Warner Bros)
  • Bill Murray (On the Rocks) (A24/Apple TV Plus)
  • Leslie Odom Jr. (Uma Noite em Miami…) (Amazon Studios)
  • Paul Raci (O Som do Silêncio) (Amazon Studios)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

  • Maria Bakalova (Borat: Fita de Cinema Seguinte) (Amazon Studios)
  • Ellen Burstyn (Pieces of a Woman) (Netflix)
  • Glenn Close (Era uma Vez um Sonho) (Netflix)
  • Olivia Colman (Meu Pai) (Sony Pictures Classics)
  • Amanda Seyfried (Mank) (Netflix)
  • Yuh-Jung Youn (Minari) (A24)

MELHOR ATOR OU ATRIZ JUVENIL

  • Ryder Allen (Palmer) (Apple TV Plus)
  • Ibrahima Gueye (Rosa e Momo) (Netflix)
  • Alan Kim (Minari) (A24)
  • Talia Ryder (Nunca Raramente Às Vezes Sempre) (Focus Features)
  • Caoilinn Springall (O Céu da Meia-Noite) (Netflix)
  • Helena Zengel (Relatos do Mundo) (Universal Pictures)

MELHOR ELENCO

  • Destacamento Blood (Netflix)
  • Judas e o Messias Negro (Warner Bros)
  • A Voz Suprema do Blues (Netflix)
  • Minari (A24)
  • Uma Noite em Miami… (Amazon Studios)
  • Os 7 de Chicago (Netflix)

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

  • Mank (Netflix) – Jack Fincher
  • Minari (A24) – Lee Isaac Chung
  • Nunca Raramente Às Vezes Sempre (Focus Features) – Eliza Hittman
  • Bela Vingança (Focus Features) – Emerald Fennell
  • O Som do Silêncio (Amazon Studios) – Darius Marder, Abraham Marder
  • Os 7 de Chicago (Netflix) – Aaron Sorkin

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

  • Meu Pai (Sony Pictures Classics) – Christopher Hampton, Florian Zeller
  • First Cow (A24) – Jonathan Raymond, Kelly Reichardt
  • A Voz Suprema do Blues (Netflix) – Ruben Santiago-Hudson
  • Relatos do Mundo (Universal Pictures) – Luke Davies, Paul Greengrass
  • Nomadland (Searchlight Pictures) – Chloé Zhao
  • Uma Noite em Miami… (Amazon Studios) – Kemp Powers

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO

  • Emma (Focus Features) – Kave Quinn, Stella Fox
  • A Voz Suprema do Blues (Netflix) – Mark Ricker, Karen O’Hara, Diana Stoughton
  • Mank (Netflix) – Donald Graham Burt, Jan Pascale
  • Relatos do Mundo (Universal Pictures) – David Crank, Elizabeth Keenan
  • A História Pessoal de David Copperfield (Searchlight Pictures) – Cristina Casali, Charlotte Dirickx
  • Tenet (Warner Bros) – Nathan Crowley, Kathy Lucas

MELHOR FOTOGRAFIA

  • Destacamento Blood (Netflix) – Newton Thomas Sigel
  • First Cow (A24) – Christopher Blauvelt
  • Mank (Netflix) – Erik Messerschmidt
  • Minari (A24) – Lachlan Milne
  • Relatos do Mundo (Universal Pictures) – Dariusz Wolski
  • Nomadland (Searchlight Pictures) – Joshua James Richards
  • Tenet (Warner Bros) – Hoyte Van Hoytema

MELHOR FIGURINO

  • Emma (Focus Features) – Alexandra Byrne
  • A Voz Suprema do Blues (Netflix) – Ann Roth
  • Mank (Netflix) – Trish Summerville
  • Mulan (Walt Disney Pictures) – Bina Daigeler
  • A História Pessoal de David Copperfield (Searchlight Pictures) – Suzie Harman, Robert Worley
  • Bela Vingança (Focus Features) – Nancy Steiner

MELHOR MONTAGEM

  • Meu Pai (Sony Pictures Classics) – Yorgos Lamprinos
  • Mank (Netflix) – Kirk Baxter
  • Nomadland (Searchlight Pictures) – Chloé Zhao
  • O Som do Silêncio (Amazon Studios) – Mikkel E.G. Nielsen
  • Tenet (Warner Bros) – Jennifer Lame
  • Os 7 de Chicago (Netflix) – Alan Baumgarten

MELHOR MAQUIAGEM E PENTEADO

  • Emma (Focus Features)
  • Era uma Vez um Sonho (Netflix)
  • A Voz Suprema do Blues (Netflix)
  • Mank (Netflix)
  • Bela Vingança (Focus Features)
  • The United States vs. Billie Holiday (Hulu)

MELHORES EFEITOS VISUAIS

  • Greyhound: Na Mira do Inimigo (Apple TV Plus)
  • O Homem Invisível (The Invisible Man) (Universal Pictures)
  • Mank (Netflix)
  • O Céu da Meia-Noite (The Midnight Sky) (Netflix)
  • Mulan (Walt Disney Pictures)
  • Tenet (Warner Bros)
  • Mulher-Maravilha 1984 (Wonder Woman 1984) (Warner Bros)

MELHOR TRILHA

  • O Céu da Meia-Noite (Netflix) – Alexandre Desplat
  • Mank (Netflix) – Trent Reznor, Atticus Ross
  • Minari (A24) – Emile Mosseri
  • Relatos do Mundo (Universal Pictures) – James Newton Howard
  • Soul (Pixar) – Jon Batiste, Trent Reznor, Atticus Ross
  • Tenet (Warner Bros) – Ludwig Göransson

MELHOR CANÇÃO

  • Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit e Lars (Netflix) – “Husavik (My Home Town)”
  • Rosa e Momo (Netflix) – “Io Si (Seen)”
  • Judas e o Messias Negro (Warner Bros) – “Fight for You”
  • Uma Noite em Miami… (Amazon Studios) – “Speak Now”
  • The Outpost (Chicken Soup for the Soul Entertainment) – “Everybody Cries”
  • The United States vs. Billie Holiday (Hulu) – “Tigress & Tweed”

MELHOR FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRO

  • Druk – Mais uma Rodada (Samuel Goldwyn Films)
  • Collective (Magnolia Pictures)
  • La Llorona (Shudder)
  • Rosa e Momo (Netflix)
  • Minari (A24)
  • Two Of Us (Magnolia Pictures)

MELHOR COMÉDIA

  • Borat: Fita de Cinema Seguinte (Borat: Subsequent Moviefilm) (Amazon Studios)
  • The Forty-Year-Old Version (Netflix)
  • O Rei de Staten Island (The King of Staten Island) (Universal Pictures)
  • On the Rocks (A24/Apple TV+)
  • Palm Springs (Hulu/NEON)
  • A Festa de Formatura (The Prom) (Netflix)

_________________________________________________________________________________________
A 26ª cerimônia híbrida do Critics’ Choice Awards acontecerá no próximo dia 07 de Março.

CHADWICK BOSEMAN FAZ HISTÓRIA no SAG AWARDS com 4 INDICAÇÕES

Da esquerda para a direita: Destacamento Blood, A Voz Suprema do Blues e Minari, os recordistas de indicações ao SAG Awards

FALECIDO EM AGOSTO DE 2020, ATOR ACUMULA 4 INDICAÇÕES PELOS DOIS ÚLTIMOS FILMES DA CARREIRA

Na manhã desta quinta-feira, dia 04, o Screen Actors Guild (sindicato de atores) anunciou seus indicados para a sua 27ª edição com a ajuda dos atores Daveed Digs (que foi indicado por Hamilton) e Lily Collins, que concorria por Mank e pela série Emily in Paris, através de uma live no perfil do SAG Awards: @sagawards

Os cinco filmes reconhecidos na categoria de Melhor Elenco ganham um novo e importante fôlego até Março, quando as indicações ao Oscar serão anunciadas. Vale ressaltar que dentre as últimas 10 edições, o SAG de Melhor Elenco ajudou a definir o vencedor do Oscar de Melhor Filme em 5 oportunidades: O Discurso do Rei, Argo, Birdman, Spotlight e Parasita, todos venceram o SAG e o Oscar.

Apesar de três filmes terem empatado em número maior de indicações (Minari, A Voz Suprema do Blues e Destacamento Blood), foram Minari e A Voz Suprema do Blues que se destacaram mais, pois uma das indicações de Destacamento Blood foi para a categoria de Dublês. Minari ganha uma sobrevida ainda maior, após ter sido praticamente esnobado pelo Globo de Ouro, no qual foi reconhecido apenas na categoria de Filme em Língua Estrangeira.

Ainda sobre destaques, é impossível não ressaltar a histórica quádrupla indicação para Chadwick Boseman, que concorre como Ator Coadjuvante e Elenco por Destacamento Blood, e Ator e Elenco por A Voz Suprema do Blues. Normalmente, diríamos que é aquelas situações recorrentes em que os votos se anulam entre si, mas por toda a comoção envolvendo sua morte precoce em Agosto passado, acreditamos que ele vencerá em uma das categorias, especialmente na de Melhor Ator. Já dá pra praticamente ouvir a platéia aplaudindo de pé, toda comovida e aguardando o discurso emotivo da viúva de Boseman.

Como em toda edição, algumas surpresas preencheram as manchetes. Das ausências mais sentidas, Delroy Lindo por Destacamento Blood (aqui mais sentida do que no Globo de Ouro, que esnobou o filme de Spike Lee por completo), Andra Day por The United States vs. Billie Holiday, Amanda Seyfried por Mank e Ellen Burstyn por Pieces of a Woman na categoria de Atriz Coadjuvante, Paul Raci por O Som do Silêncio e Bill Murray por On the Rocks como coadjuvantes, Tahar Rahim e Jodie Foster por The Mauritanian, e o elenco de Nomadland ter ficado de fora da categoria por muitos acreditarem ser praticamente um filme solo de Frances McDormand.

É curioso lembrarmos que no 1º semestre de 2020, com os cinemas fechando, muitos acreditavam não haveria filmes o suficiente para preencher uma temporada de premiações (alguns deduzindo indicação para Jim Carrey por Sonic: O Filme !), e agora estão faltando vagas para tantas boas performances. Também destacamos a ausência de Tenet na categoria de Dublês… muito estranha essa ausência!

Já sobre as surpresas de indicações, logo vem a dupla indicação para Era uma Vez um Sonho para Amy Adams e Glenn Close. Considerado um Oscar bait deslavado, muitos consideravam o filme de Ron Howard como carta fora do baralho, mas pelo visto a Netflix está se empenhando para conseguir reconhecimento para as maiores recordistas de indicações ao Oscar sem vitória.

Pelas categorias televisivas, The Crown e Schitt’s Creek conquistaram o maior números de indicações: 5 cada. Nas categorias de Cinema, a Netflix acumulou 13 indicações e obviamente foi a recordista novamente.

CONFIRA TODOS OS INDICADOS DO 27º SAG AWARDS:

CINEMA

MELHOR ELENCO
* Destacamento Blood (Da 5 Bloods)
* A Voz Suprema do Blues (Ma Rainey’s Black Bottom)
* Minari
* Uma Noite em Miami… (One Night in Miami)
* Os 7 de Chicago (The Trial of the Chicago 7)

MELHOR ATOR
* Riz Ahmed (O Som do Silêncio)
* Chadwick Boseman (A Voz Suprema do Blues)
* Anthony Hopkins (Meu Pai)
* Gary Oldman (Mank)
* Steven Yeun (Minari)

MELHOR ATRIZ 
* Amy Adams (Era uma Vez um Sonho)
* Viola Davis (A Voz Suprema do Blues)
* Vanessa Kirby (Pieces of a Woman)
* Frances McDormand (Nomadland)
* Carey Mulligan (Bela Vingança)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
* Chadwick Boseman (Destacamento Blood)
* Sacha Baron Cohen (Os 7 de Chicago)
* Daniel Kaluuya (Judas e o Messias Negro)
* Jared Leto (The Little Things)
* Leslie Odom Jr. (Uma Noite em Miami…)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
* Maria Bakalova (Borat: Fita de Cinema Seguinte)
* Glenn Close (Era uma Vez um Sonho)
* Olivia Colman (Meu Pai)
* Yuh-Jung Youn (Minari)
* Helena Zengel (Relatos do Mundo)

MELHOR ELENCO DE DUBLÊS
* Destacamento Blood
* Mulan
* Relatos do Mundo
* Os 7 de Chicago
* Mulher Maravilha 1984

TV/STREAMING

MELHOR ELENCO – SÉRIE DRAMÁTICA
* Better Call Saul
* Bridgerton
* The Crown
* Lovecraft Country
* Ozark

MELHOR ATOR – SÉRIE DRAMÁTICA
* Jason Bateman (Ozark)
* Sterling K. Brown (This is Us)
* Josh O’Connor (The Crown)
* Bob Odenkirk (Better Call Saul)
* Rege-Jean Page (Bridgerton)

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DRAMÁTICA
* Gillian Anderson (The Crown)
* Olivia Colman (The Crown)
* Emma Corrin (The Crown)
* Julia Garner (Ozark)
* Laura Linney (Ozark)

MELHOR ATOR – MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
* Bill Camp (The Queen’s Gambit)
* Daveed Diggs (Hamilton)
* Hugh Grant (The Undoing)
* Ethan Hawke (The Good Lord Bird)
* Mark Ruffalo (I Know This Much Is True)

MELHOR ATRIZ – MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
* Cate Blanchett (Mrs. America)
* Michaela Coel (I May Destroy You)
* Nicole Kidman (The Undoing)
* Anya Taylor-Joy (The Queen’s Gambit)
* Kerry Washington (Little Fires Everywhere)

MELHOR ELENCO – SÉRIE DE COMÉDIA
* Dead to Me
* The Flight Attendant
* The Great
* Schitt’s Creek
* Ted Lasso

MELHOR ATOR – SÉRIE DE COMÉDIA
* Nicholas Hoult (The Great)
* Dan Levy (Schitt’s Creek)
* Eugene Levy (Schitt’s Creek)
* Jason Sudeikis (Ted Lasso)
* Ramy Youssef (Ramy)

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DE COMÉDIA
* Christina Applegate (Dead to Me) 
* Linda Cardellini (Dead to Me) 
* Kaley Cuoco (The Flight Attendant) 
* Annie Murphy (Schitt’s Creek) 
* Catherine O’Hara (Schitt’s Creek) 

MELHOR ELENCO DE DUBLÊS EM SÉRIE DRAMÁTICA OU DE COMÉDIA
* The Boys
* Cobra Kai
* Lovecraft Country
* The Mandalorian
* Westworld

________________________________________________________________________
A cerimônia do SAG Awards acontece um pouco mais tarde este ano, no dia 04 de Abril e deve ser transmitida pelo canal pago TNT.

‘MANK’ LIDERA as INDICAÇÕES ao GLOBO DE OURO, que RECONHECE TRÊS DIRETORAS

Da esquerda pra direita: Emerald Fennell (Bela Vingança), Chloé Zhao (Nomadland) e Regina King (One Night in Miami)

PELA PRIMEIRA VEZ NA HISTÓRIA, TRÊS DIRETORAS SÃO INDICADAS

Na manhã desta quarta, dia 03, os indicados ao Globo de Ouro foram anunciados numa live transmitida ao vivo pelo canal norte-americano Today pelas atrizes Sarah Jessica Parker e Taraji P. Henson. Obviamente, em tempos de pandemia, não há nada de errado fazer a transmissão direto do conforto de seus lares, mas elas tinham que ler cartazes de cartolina dos tempos de escola? Cadê o pessoal que faz uma computação gráfica com fotos dos filmes, séries e atores? Talvez seja exagero dizer isso, mas esse despreparo nos soa como um desleixo da HFPA que acaba desvalorizando a premiação. Pra quem não acompanhou ao vivo, segue link abaixo do YouTube:

OS NÚMEROS DO GLOBO DE OURO

Começando pelos números, o recordista desta 78ª edição foi Mank, parceria entre David Fincher e Netflix, com 6 indicações. É verdade que o filme tem caído na temporada, já que foi pouco lembrado até aqui, mas pela sua excelência técnica, deve repetir a liderança nas indicações ao Oscar. Contudo, essa liderança no Globo de Ouro não significa necessariamente maiores chances de vitória. Em 2º lugar, Os 7 de Chicago vem com 5 indicações, e empatados com 4, vêm Nomadland, Bela Vingança e Meu Pai. Esses cinco filmes formam a categoria de Melhor Filme – Drama. Atualmente, dá pra dizer que Nomadland é o favorito pelos vários prêmios de Direção para Chloé Zhao, mas não dá pra descartar Bela Vingança, que alguns acreditavam que só conseguiria indicação para Melhor Atriz para Carey Mulligan, mas saiu indicado nas principais categorias de Filme, Direção e Roteiro.

Ainda sobre números, a grande vencedora foi a Netflix, que acumulou o total de 22 indicações entre as categorias de Cinema e de TV. Um número bem acima do 2º colocado Amazon Studios com apenas 7 indicações e dos 3ºs Focus Features, Sony Pictures Classics e Disney com 6 cada um. Apesar do número expressivo da Netflix, a companhia ainda tem mais chances nas categorias televisivas com as séries The Crown, The Queen’s Gambit ou Emily in Paris do que nos filmes, onde a melhor chance de vitória talvez seja Melhor Roteiro por Os 7 de Chicago.

TRÊS DIRETORAS INDICADAS

O maior destaque destas indicações foram as inclusões de três diretoras na categoria de Melhor Direção. É a primeira vez em 78 anos de Globo de Ouro que há mais de uma mulher na categoria. Até hoje, apenas 5 diretoras haviam sido reconhecidas pela HFPA: Barbra Streisand (a única vencedora por Yentl, e indicada por O Príncipe das Marés), Jane Campion (O Piano), Sofia Coppola (Encontros e Desencontros), Kathryn Bigelow (por Guerra ao Terror e A Hora Mais Escura) e Ava DuVernay (Selma). Para aqueles que acreditam que a HFPA cedeu a uma pressão externa, vamos com calma.

Nos últimos meses, o Gotham Awards indicou todos os 5 filmes dirigidos por mulheres, e mais recentemente, o Independent Spirit Awards reservou quatro das 5 vagas de Direção para as diretoras, portanto, trata-se mais de um reflexo dos ótimos trabalhos do que uma mera compensação por erros passados. E felizmente, são as três mulheres indicadas que têm as maiores chances de vitória: Chloé Zhao (Nomadland), Emerald Fennell (Bela Vingança) e Regina King (One Night in Miami). Particularmente, ainda trocaríamos Aaron Sorkin (Os 7 de Chicago) por Kelly Reichardt por First Cow, que infelizmente não foi lembrado nem para Roteiro.

ESNOBADOS E SURPRESAS

A safra de filmes de 2020 ainda consegue suprir bem uma temporada de premiações (o que nos preocupa é 2021 e 2022), portanto há espaço para injustiças e surpresas. Dentre as ausências mais comentadas estão a da sul-coreana Yuh-jung Youn de Minari e de Paul Raci de O Som do Silêncio. São duas performances que vêm ganhando vários prêmios de Coadjuvante até o momento, então é de se estranhar que eles tenham ficado de fora desta disputa. Um pouco menos comentadas, porém com grandes chances estavam Zendaya por Malcolm and Marie, Jessie Buckley por Estou Pensando em Acabar com Tudo, Kate Winslet por Ammonite, e Meryl Streep, que foi duplamente esnobada por A Festa de Formatura e Let Them All Talk na categoria de Atriz – Comédia ou Musical. Por outro lado, a indicação de Andra Day por The United States vs. Billie Holiday foi vista como uma boa surpresa que pode impulsionar a campanha de sua performance no Oscar.

Por estar bastante acirrada, a disputa de Melhor Ator, acabou tendo mais nomes excluídos como Delroy Lindo por Destacamento Blood, Ben Affleck por O Caminho de Volta, e Steven Yeun por Minari. Aliás, o filme Minari foi o protagonista da maior controvérsia este ano. A produção norte-americana foi qualificada como Filme em Língua Estrangeira, ficando de fora da disputa de Melhor Filme – Drama. Por isso mesmo, havia a expectativa de que a HFPA pudessem compensar o filme pelas indicações dos atores, mas com a ausência de todos, damos a entender que a controvérsia não pesou para os 89 jornalistas da organização. A grande surpresa da categoria foi Tahar Rahim, que vive um prisioneiro torturado em The Mauritanian (ainda sem previsão de estreia no Brasil). O filme político de Kevin MacDonald, que apresenta semelhanças com A Hora Mais Escura (2012), também emplacou uma indicação de Coadjuvante para Jodie Foster.

Vale destacarmos as duplas indicações para os compositores Trent Raznor e Atticus Ross por Soul e Mank (que pode se repetir no Oscar, já que ambas as trilhas foram consideradas elegíveis), para a atriz argentina Anya Taylor-Joy, que foi indicada pela comédia Emma e pela série da Netflix, The Queen’s Gambit, e claro, pela tripla indicação do ator, comediante e produtor britânico Sacha Baron Cohen por Os 7 de Chicago, e por atuar e produzir Borat: Fita de Cinema Seguinte. E também a indicação para Hamilton, para Filme – Comédia ou Musical e Ator – Comédia ou Musical para Lin-Manuel Miranda, mostrando a força ($$$) da Disney ao conseguir incluir um filme que é uma peça de teatro filmada: com luz, direção de arte, texto e atores do próprio espetáculo.

Na categoria de Filme em Língua Estrangeira, o dinamarquês Another Round era o favorito, mas a inclusão de Minari o torna o novo favorito. Já na categoria de Longa de Animação, com tudo muito previsível, Soul deve levar fácil mais um prêmio para a Pixar.

INDICADOS AO 78º GLOBO DE OURO:

CINEMA

MELHOR FILME – DRAMA
Meu Pai (The Father) – Sony Pictures Classics
Mank (Mank) – Netflix
Nomadland – Searchlight Pictures
Bela Vingança (Promising Young Woman) – Focus Features
Os 7 de Chicago (The Trial of the Chicago 7) – Netflix

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Viola Davis (A Voz Suprema do Blues)
Andra Day (The United States vs. Billie Holiday)
Vanessa Kirby (Pieces of a Woman)
Frances McDormand (Nomadland)
Carey Mulligan (Bela Vingança)

MELHOR ATOR – DRAMA
Riz Ahmed (O Som do Silêncio)
Chadwick Boseman (A Voz Suprema do Blues)
Anthony Hopkins (Meu Pai)
Gary Oldman (Mank)
Tahar Rahim (The Mauritanian)

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL
Borat: Fita de Cinema Seguinte (Borat Subsequent Moviefilm) – Amazon Studios
Hamilton – Disney
Music – IMAX
Palm Springs – NEON/Hulu
A Festa de Formatura (The Prom) – Netflix

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
Maria Bakalova (Borat: Fita de Cinema Seguinte)
Kate Hudson (Music)
Michelle Pfeiffer (French Exit)
Rosamund Pike (I Care a Lot)
Anya Taylor-Joy (Emma)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
Sacha Baron Cohen (Borat: Fita de Cinema Seguinte)
James Corden (A Festa de Formatura)
Lin-Manuel Miranda (Hamilton)
Dev Patel (The Personal History of David Copperfield)
Andy Samberg (Palm Springs)

MELHOR LONGA DE ANIMAÇÃO
Os Croods 2: Uma Nova Era (The Croods: A New Age)
Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica (Onward)
A Caminho da Lua (Over the Moon)
Soul (Soul)
Wolfwalkers

MELHOR FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA
Another Round – Dinamarca
La Llorona – Guatemala/França
Rosa e Momo (The Life Ahead) – Itália
Minari – EUA
Two of Us – França/EUA

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Glenn Close (Era uma Vez um Sonho)
Olivia Colman (Meu Pai)
Jodie Foster (The Mauritanian)
Amanda Seyfried (Mank)
Helena Zengel (Relatos do Mundo)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Sacha Baron Cohen (Os 7 de Chicago)
Daniel Kaluuya (Judas e o Messias Negro)
Jared Leto (The Little Things)
Bill Murray (On the Rocks)
Lesley Odom Jr. (One Night in Miami…)

MELHOR DIREÇÃO
Emerald Fennell (Bela Vingança)
David Fincher (Mank)
Regina King (One Night in Miami…)
Aaron Sorkin (Os 7 de Chicago)
Chloé Zhao (Nomadland)

MELHOR ROTEIRO
Emerald Fennell (Bela Vingança)
Jack Fincher (Mank)
Aaron Sorkin (Os 7 de Chicago)
Florian Zeller e Christopher Hampton (Meu Pai)
Chloé Zhao (Nomadland)

MELHOR TRILHA MUSICAL
Alexandre Desplat (O Céu da Meia-Noite)
Ludwig Goransson (Tenet)
James Newton Howard (Relatos do Mundo)
Trent Raznor e Atticus Ross (Mank)
Trent Raznor, Atticus Ross e Jon Batiste (Soul)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Fight for You” – H.E.R., Dernst Emile II e Tiara Thomas (Judas e o Messias Negro)
“Hear my Voice” – Daniel Pemberton, Celeste Waite (Os 7 de Chicago)
“Io Sì (Seen)” – Diane Warren, Laura Pausini, Niccolò Agliardi (Rosa e Momo)
“Speak Now” – Leslie Odom Jr., Sam Ashworth (One Night in Miami…)
“Tigress & Tweed” – Andra Day, Rapahel Saadiq (The United States vs. Billie Holiday)


TELEVISÃO/STREAMING

MELHOR SÉRIE – DRAMA
The Crown
Lovecraft Country
The Mandalorian
Ozark
Ratched

MELHOR ATRIZ DE SÉRIE – DRAMA
Olivia Colman (The Crown)
Jodie Comer (Killing Eve)
Emma Corrin (The Crown)
Laua Linney (Ozark)
Sarah Paulson (Ratched)

MELHOR ATOR DE SÉRIE – DRAMA
Jason Bateman (Ozark)
Josh O’Connor (The Crown)
Bob Odenkirk (Better Call Saul)
Al Pacino (Hunters)
Matthew Rhys (Perry Mason)

MELHOR SÉRIE – COMÉDIA OU MUSICAL
Emily in Paris
The Flight Attendant
The Great
Schitt’s Creek
Ted Lasso

MELHOR ATRIZ DE SÉRIE – COMÉDIA OU MUSICAL
Lily Collins (Emily in Paris)
Kaley Cuoco (The Flight Attendant)
Elle Fanning (The Great)
Jane Levy (Zoey’s Extraordinary Playlist)
Catherine O’Hara (Schitt’s Creek)

MELHOR ATOR DE SÉRIE – COMÉDIA OU MUSICAL
Don Cheadle (Black Monday)
Nicholas Hoult (The Great)
Eugene Levy (Schitt’s Creek)
Jason Sudeikis (Ted Lasso)
Ramy Youssef (Ramy)

MELHOR MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Normal People
O Gambito da Rainha (The Queen’s Gambit)
Small Axe
The Undoing
Unorthodox

MELHOR ATRIZ DE MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Cate Blanchett (Mrs. America)
Daisy Edgar-Jones (Normal People)
Shira Haas (Unorthodox)
Nicole Kidman (The Undoing)
Anya Taylor-Joy (O Gambito da Rainha)

MELHOR ATOR DE MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Bryan Cranston (Your Honor)
Jeff Daniels (The Comey Rule)
Hugh Grant (The Undoing)
Ethan Hawke (The Good Lord Bird)
Mark Ruffalo (I Know This Much is True)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE DE SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Gillian Anderson (The Crown)
Helena Bonham Carter (The Crown)
Julia Garner (Ozark)
Annie Murphy (Schitt’s Creek)
Cynthia Nixon (Ratched)

MELHOR ATOR COADJUVANTE DE SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
John Boyega (Small Axe)
Brendan Gleeson (The Comey Rule)
Daniel Levy (Schitt’s Creek)
Jim Parsons (Hollywood)
Donald Sutherland (The Undoing)

__________________________________________________
A 78ª cerimônia do Globo de Ouro está marcada para o dia 28 de Fevereiro.

‘DESTACAMENTO BLOOD’ VENCE o NATIONAL BOARD OF REVIEW

NETFLIX VENCE COM FILME DE SPIKE LEE LANÇADO EM JUNHO DE 2020, AUMENTANDO CHANCES DE OSCAR

Formado por cineastas, profissionais, acadêmicos, estudantes e entusiastas de cinema, o seleto grupo do National Board of Review elegeu o novo filme de Spike Lee, Destacamento Blood, como o Melhor Filme do ano. Em meados de 2020, a produção figurava como um dos favoritos para a temporada de premiações, mas nos últimos meses, vinha sendo reconhecido apenas pelas atuações de Delroy Lindo e Chadwick Boseman. Esta vitória volta a colocar o filme no mapa, pois os vencedores do NBR costumam receber pelo menos a indicação ao Oscar de Melhor Filme.

Já o nova-iorquino Spike Lee se torna o segundo negro a vencer o prêmio de Direção, também por Destacamento Blood, após a consagração de Barry Jenkins por Moonlight em 2016. Embora não tenha vencido prêmios competitivos dos críticos da NYFCC, o grupo lhe concedeu a honraria de Prêmio Especial pelo curta intitulado New York New York, filmado durante a pandemia.

Nas categorias de atuação, o NBR reconheceu a dupla de O Som do Silêncio, Riz Ahmed e Paul Raci, como Melhor Ator e Ator Coadjuvante, respectivamente. Já na ala feminina, Carey Mulligan vence seu segundo prêmio de Melhor Atriz do NBR por Bela Vingança (ela já havia vencido em 2009 por Educação), e a sul-coreana Yuh-jung Youn foi eleita a Melhor Atriz Coadjuvante por Minari, consolidando ainda mais seu favoritismo na categoria rumo ao Oscar.

O National Board of Review tem o costume de fazer seu top 10 (que este ano foi top 11) e top 5 para filmes, filmes independentes, filmes em língua estrangeira e documentário para beneficiar mais produções com seu prestígio de 112 anos. Dessa forma, os filmes Judas e o Messias Negro, O Céu da Meia-Noite, First Cow, Nomadland, Nunca Raramente Às Vezes Sempre (que também venceu o prêmio de Revelação) e Relatos do Mundo (que também ganhou o prêmio de Roteiro Adaptado) contaram com mais uma ajuda para si promoverem. As ausências mais sentidas ficaram por conta de A Voz Suprema do Blues, Mank, Os 7 de Chicago, Meu Pai, On the Rocks e Tenet.

CONFIRA TODOS OS VENCEDORES DO NBR:

MELHOR FILME
Destacamento Blood (Da 5 Bloods)

MELHOR DIRETOR
Spike Lee (Destacamento Blood)

MELHOR ATOR
Riz Ahmed (O Som do Silêncio)

MELHOR ATRIZ
Carey Mulligan (Bela Vingança)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Paul Raci (O Som do Silêncio)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Youn Yuh-Jung (Minari)

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Paul Greengrass, Luke Davies (Relatos do Mundo)

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Lee Isaac Chung (Minari)

MELHOR PERFORMANCE REVELAÇÃO
Sidney Flanigan (Nunca Raramente Às Vezes Sempre)

MELHOR ESTREIA NA DIREÇÃO
Channing Godfrey Peoples (Miss Juneteenth)

MELHOR LONGA DE ANIMAÇÃO
Soul

MELHOR FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA
La Llorona (Guatemala)

MELHOR DOCUMENTÁRIO
Time

PRÊMIO NBR ICON: Chadwick Boseman
PRÊMIO NBR DE LIBERDADE DE EXPRESSÃO: One Night in Miami
PRÊMIO NBR SPOTLIGHT: Radha Blank por escreverm dirigir, produzir e estrelar em The Forty-Year-Old Version
MELHOR ELENCO: Destacamento Blood
MELHOR FOTOGRAFIA:
Joshua James Richards (Nomadland)

TOP FILMES (em ordem alfabética)

  • First Cow (A24)
  • The Forty-Year-Old Version (Netflix)
  • Judas e o Messias Negro (Judas and the Black Messiah) (Warner Bros.)
  • O Céu da Meia-Noite (The Midnight Sky) (Netflix)
  • Minari (A24)
  • Relatos do Mundo (News of the World) (Universal Pictures)
  • Nomadland (Searchlight Pictures)
  • Bela Vingança (Promising Young Woman) (Focus Features)
  • Soul (Pixar)
  • O Som do Silêncio (Sound of Metal) (Amazon Studios)

TOP 5 FILMES EM LÍNGUA ESTRANGEIRA (em ordem alfabética)

  • Apples (Grécia)
  • Collective (Romênia)
  • Dear Comrades (Rússia)
  • O Agente Duplo (The Mole Agent) (Chile)
  • Night of the Kings (Costa do Marfim)

TOP 5 DOCUMENTÁRIOS (em ordem alfabética)

  • All In: The Fight for Democracy (Amazon Studios)
  • Boys State (A24/Apple TV Plus)
  • As Mortes de Dick Johnson (Dick Johnson is Dead) (Netflix)
  • Miss Americana (Netflix)
  • The Truffle Hunters (Sony Pictures Classics)

TOP 10 FILMES INDEPENDENTES (em ordem alfabética)

  • The Climb (Sony Pictures Classics)
  • Driveways (FilmRise)
  • Farewell Amor (IFC Films)
  • Miss Juneteenth (Vertical Entertainment)
  • The Nest (IFC Films)
  • Nunca Raramente Às Vezes Sempre (Never Rarely Sometimes Always) (Focus Features)
  • The Outpost (Chicken Soup for the Soul Entertainment)
  • Relic (IFC Films)
  • Saint Frances (Oscilloscope Labotories)
  • Wolfwalkers (Apple TV Plus/GKIDS)

‘NUNCA RARAMENTE ÀS VEZES SEMPRE’ LIDERA as INDICAÇÕES ao INDEPENDENT SPIRIT AWARDS

Os 5 filmes indicados a Melhor Filme: Nunca Raramente Às Vezes Sempre, A Voz Suprema do Blues, First Cow, Nomadland e Minari.

PRÊMIO DO CINEMA INDEPENDENTE AMERICANO APOSTA NA DIVERSIDADE

O anúncio foi feito ao vivo pelo canal do YouTube Film Independent e contou com a presença das atrizes Olivia Wilde e Laverne Cox, e do diretor Barry Jenkins, que divulgaram os indicados de todas as categorias. Confira o vídeo pelo link abaixo:

Nesta 36ª edição, o recordista de indicações foi o drama Nunca Raramente Às Vezes Sempre, que reforça os obstáculos que precisam ser superados para uma adolescente conseguir um aborto. O filme de Eliza Hittman acumulou sete indicações, incluindo Filme, Direção, Atriz, Atriz Coadjuvante e Roteiro. Logo em seguida, com seis indicações, surge a história de uma família sul-coreana imigrante de Minari, um filme que vem conquistando a crítica e o público desde sua exibição no Festival de Sundance de 2020, de onde saiu premiado com o Grande Prêmio do Júri.

Para competir com essas duas produções, outros três fortes concorrentes da temporada de premiações: A Voz Suprema do Blues e Nomadland, ambas empatadas com cinco indicações cada, e First Cow que obteve três. Coincidência ou não, assim como na categoria de Melhor Filme da premiação independente Gotham Awards, nenhum dos cinco filmes foram dirigidos por homens brancos. Já para Melhor Direção, esta é a primeira vez em que a categoria foi preenchida totalmente por diretoras mulheres e não-brancos: Lee Isaac Chung, Emerald Fennel, Eliza Hittman, Kelly Reichardt e Chloé Zhao.

Nos últimos anos, o Independent Spirit Awards vem buscando se distanciar do posto de mero precursor do Oscar no melhor esquema “Vamos deixar essa falta de personalidade para o Critics’ Choice Awards”. Houve uma época em que ambos os prêmios estavam bastante parelhos premiando O Artista, 12 Anos de Escravidão, Birdman, Spotlight e Moonlight, mas desde 2018 estão valorizando mais produções menores com menos poder de campanha publicitária, o que certamente enriquece a temporada de premiações.

Para aqueles que estão se perguntando onde estão Mank, Os 7 de Chicago ou Destacamento Blood, lembramos que apenas produções de orçamentos abaixo de 22,5 milhões de dólares são qualificadas para o Independent Spirit. Já no caso de One Night in Miami (disponível no Amazon Prime Video), como venceu o prêmio especial Robert Altman que reconhece o elenco como um todo, nenhum dos atores recebeu indicação individual nas categorias de atuação. Outra ausência sentida de orçamento qualificado foi Meu Pai, mas produções estrangeiras (no caso, britânica) só podem competir na categoria de Filme Internacional, portanto Anthony Hopkins e Olivia Colman não tiveram chances aqui como Ator e Atriz Coadjuvante.

Falando em atuações, gostaríamos de destacar a expansão da categoria de Melhor Atriz para seis indicadas! Felizmente, reconheceram produções menores como Miss Juneteenth pela performance de Nicole Beharie, assim como três fortes interpretações com chances claras de Oscar: Frances McDormand, Viola Davis e Carey Mulligan. Apesar do aumento de vagas, nomes em alta ficaram de fora da disputa como Vanessa Kirby por Pieces of a Woman, Michelle Pfeiffer por French Exit e Zendaya por Malcolm & Marie. Esperamos que essa riqueza na safra reflita na categoria do Oscar.

A partir deste ano, com o aumento de produções independentes de séries, o Independent Spirit decidiu abrir espaço para esse formato televisivo pela primeira vez em 36 anos de existência. Esse reconhecimento certamente ajudará a promover produções que não contam com a propaganda de grandes canais e empresas, mas cujo conteúdo merece atenção do público.

Da esquerda para a direita: Nicole Beharie (Miss Juneteenth), Viola Davis (A Voz Suprema do Blues), Julia Garner (A Assistente), Sidney Flanigan (Nunca Raramente Às Vezes Sempre), Frances McDormand (Nomadland) e Carey Mulligan (Bela Vingança)

CONFIRA TODOS OS INDICADOS DO INDEPENDENT SPIRIT AWARDS:

MELHOR FILME
First Cow
A Voz Suprema do Blues (Ma Rainey’s Black Bottom)
Minari
Nunca Raramente Às Vezes Sempre (Never Rarely Sometimes Always)
Nomadland

MELHOR DIREÇÃO
Lee Isaac Chung (Minari)
Emerald Fennell (Bela Vingança)
Eliza Hittman (Nunca Raramente Às Vezes Sempre)
Kelly Reichardt (First Cow)
Chloé Zhao (Nomadland)

MELHOR FILME DE ESTRÉIA
I Carry You With Me
The 40-Year-Old Version
O Som do Silêncio (Sound of Metal)
Miss Juneteenth
Nine Days

MELHOR ATRIZ
Nicole Beharie (Miss Juneteenth)
Viola Davis (A Voz Suprema do Blues)
Sidney Flanigan (Nunca Raramente Às Vezes Sempre)
Julia Garner (A Assistente)
Frances McDormand (Nomadland)
Carey Mulligan (Bela Vingança)

MELHOR ATOR
Riz Ahmed (O Som do Silêncio)
Chadwick Boseman (A Voz Suprema do Blues)
Rob Morgan (Bull)
Steven Yeun (Minari)
Adarsh Gourav (O Tigre Branco)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Alexis Chikaeze (Miss Juneteenth)
Yeri Han (Minari)
Valerie Mahaffey (French Exit)
Talia Ryder (Nunca Raramente Às Vezes Sempre)
Yuh-jung Youn (Minari)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Colmand Domingo (A Voz Suprema do Blues)
Orion Lee (First Cow)
Paul Raci (O Som do Silêncio)
Glynn Turman (A Voz Suprema do Blues)
Benedict Wong (Nine Days)

MELHOR ROTEIRO
Má Educação (Bad Education)
Minari
Você Nem Imagina (The Half of It)
Nunca Raramente Às Vezes Sempre (Never Rarely Sometimes Always)
Bela Vingança (Promising Young Woman)

MELHOR PRIMEIRO ROTEIRO
Kitty Green (A Assistente)
Noah Hutton (Lapsis)
Channing Godfrey Peoples (Miss Juneteenth)
Andy Siara (Palm Springs)
James Sweeney (Straight Up)

MELHOR FOTOGRAFIA
Jay Keitel (She Dies Tomorrow)
Shabier Kirchner (Bull)
Michael Latham (A Assistente)
Hélène Louvart (Nunca Raramente Às Vezes Sempre)
Joshua James Richards (Nomadland)

MELHOR MONTAGEM
I Carry You With Me
O Homem Invisível
Residue
Nunca Raramente Às Vezes Sempre
Nomadland

PRÊMIO JOHN CASSAVETES (filmes com orçamentos abaixo de 500 mil dólares)
The Killing of Two Lovers
La Leyenda Negra
Lingua Franca
Residue
Saint Frances

PRÊMIO ROBERT ALTMAN
One Night in Miami

MELHOR DOCUMENTÁRIO
Collective
Crip Camp
As Mortes de Dick Johnson (Dick Johnson Is Dead)
Time
O Agente Duplo (The Mole Agent)

MELHOR FILME INTERNACIONAL
Bacurau
The Disciple
Night of the Kings
Preparations to be Together for an Unknown Period of Time
Quo Vadis, Aida?

Piaget Producers Award
Kara Durrett
Lucas Joaquin
Gerry Kim

Someone to Watch Award
David Midell – Diretor de The Killing of Kenneth Chamberlain
Ekwa Msangi – Diretor de Farewell Amor
Annie Silverstein – Diretora de Bull

Truer Than Fiction Award
Cecilia Aldarondo – Diretor de Landfall
Elegance Bratton – Diretora de Pier Kids
Elizabeth Lo – Diretora de Stray

MELHOR SÉRIES NÃO-ROTEIRIZADAS OU DOCUMENTÁRIOS
Atlanta’s Missing and Murdered: The Lost Children
City So Real
Immigration Nation
Love Fraud
We’re Here

MELHORES SÉRIES ROTEIRIZADAS
I May Destroy You
Little America
Small Axe
A Teacher
Unorthodox

MELHOR ATRIZ
Elle Fanning (The Great)
Shira Haas (Unorthodox)
Abby McEnany (Work in Progress)
Maitreyi Ramakrishnan (Never Have I Ever)
Jordan Kristine Seamón (We Are Who We Are)

MELHOR ATOR
Conphidance (Little America)
Adam Ali (Little America)
Nicco Annan (P-Valley)
Amit Rahav (Unorthodox)
Harold Torre (Zero, Zero, Zero)

MELHOR ELENCO NUMA SÉRIE ROTEIRIZADA
I May Destroy You

A cerimônia do 36º Independent Spirit Awards está agendado para o dia 22 de Abril.

LAFCA ELEGE ‘SMALL AXE’ COMO MELHOR FILME

FILME DE STEVE MCQUEEN FOI CONCEBIDO COMO UMA MINISSÉRIE DA AMAZON PRIME VIDEO

Neste último domingo, dia 20, a Associação de Críticos de Los Angeles (LAFCA) divulgou seus filmes e performances favoritos de 2020. Seguindo outros grupos de críticos como os de Boston e Nova York, não houve prorrogação no calendário devido à pandemia, porém ela pode ter contribuído para a escolha do Melhor Filme.

Criado em 1975, o LAFCA se mostrou sempre relevante no início da temporada de premiações. Suas escolhas sempre colaboram para formar boas campanhas para as premiações televisionadas como Globo de Ouro, SAG e o Oscar. A última vez que um vencedor de Melhor Filme pelo LAFCA não foi indicado ao Oscar foi em 2008, quando WALL-E ficou limitado à categoria de Melhor Longa de Animação. Essa exceção pode voltar a acontecer este ano com a premiação de Small Axe.

O projeto foi concebido pelo diretor Steve McQueen, conhecido pelos filmes 12 Anos de Escravidão e As Viúvas, e pela Amazon Studios como uma minissérie composta por 5 episódios de durações distintas: ‘Mangrove’ (128 min), ‘Lovers Rock’ (71 min), ‘Red, White and Blue’ (81 min), ‘Alex Wheatle’ (67 min) e ‘Education’ (64 min). Dedicado a George Floyd e todas as vítimas de ataques racistas, Small Axe conta histórias da comunidade de West India em Londres entre os anos 60 e 80. Apesar de ter participado da seleção oficial do último Festival (virtual) de Cannes, Small Axe atualmente tem campanha da Amazon Studios como uma minissérie para as próximas edições do Globo de Ouro, SAG e Emmy Awards.

Ainda há tempo hábil para o estúdio inscrever Small Axe no Oscar pelo serviço de streaming da Academia para apreciação dos membros votantes, mas pelo regulamento, seriam cinco filmes inscritos, o que dificultaria bastante para McQueen, pois competiria consigo mesmo. É importante também ressaltar que, apesar da importante e histórica vitória de Melhor Filme no LAFCA, se optar pela categoria de filme, Small Axe perderá grandes chances de se tornar um recordista de indicações no Emmy, com possibilidades altas de reconhecimento para todos os departamentos envolvidos, enquanto no Oscar, se aceitos como filmes, ainda precisará contar com a compreensão dos votantes.

Alguns especialistas já chegaram a escrever textos defendendo uma relevância maior para o conteúdo em relação ao formato, ainda mais num ano bem atípico da pandemia, quando as salas de cinema foram fechadas. Claro que isso deve ser levado em consideração, mas a avaliação de uma obra começa justamente com a escolha de seu formato. Por exemplo, há filmes que ficariam melhores se fossem uma série, e há séries que seriam mais sucintas se fossem apenas um filme. Se o próprio Steve McQueen, criador do projeto, defende Small Axe como uma minissérie, deveria concorrer como uma, considerando assim, o LAFCA apenas como um belo reconhecimento fora da curva.

Voltando aos premiados do LAFCA, Chloé Zhao novamente vence o prêmio de Direção por Nomadland logo após vitória no NYFCC. Caso também vença o National Board of Review, que acontece no próximo dia 26 de Janeiro, ela se tornará a primeira mulher a vencer os 3 prêmios da crítica americana ao lado de Quentin Tarantino (Pulp Fiction), Curtis Hanson (Los Angeles: Cidade Proibida), Ang Lee (O Segredo de Brokeback Mountain), David Fincher (A Rede Social) e Barry Jenkins (Moonlight). Apesar disso não garantir uma estatueta do Oscar, afinal apenas Ang Lee ganhou desse pequeno grupo, certamente aumentará suas chances de vitória se sua indicação for confirmada.

Pelas categorias de atuação, Chadwick Boseman segue firme com seu favoritismo para Melhor Ator por A Voz Suprema do Blues. A grande surpresa atende pelo nome de Glynn Turman, que ganhou como Melhor Ator Coadjuvante ao interpretar o pianista Toledo no mesmo filme. O ator participou de inúmeros filmes como Bumblebee e Super 8, e séries como How to Get Away with Murder, mas também ficou conhecido por ter sido ex-marido da cantora Aretha Franklin nos anos 70 e 80.

Já na ala feminina, a promissora campanha de Carey Mulligan parece decolar com o prêmio de Melhor Atriz por Bela Vingança, título em português do ousado original Promising Young Woman, que também levou o prêmio de Roteiro. Como Coadjuvante, a sul-coreana Yuh-jung Youn tem um ótimo início de campanha por Minari, embora o LAFCA tenha uma preferência por atores de língua estrangeira. Hye-ja Kim (Mother) e Jeong-hie Yun (Poesia) e Song- Kang-Ho (Parasita) foram outros atores coreanos prestigiados nos últimos anos.

Destacamos também o prêmio de Longa de Animação para Wolfwalkers, que já havia vencido o mesmo prêmio no NYFCC. Felizmente, como a categoria de Animação do Oscar adora filmes de outras nacionalidades, a animação irlandesa deve figurar entre os indicados. Resta saber se terá fôlego o suficiente para derrotar a dominante Pixar/Disney, que concorre com Soul.

CONFIRA VENCEDORES DO LOS ANGELES FILM CRITICS ASSOCIATION:

MELHOR FILME: Small Axe (Prime Video)
2º Lugar: Nomadland (Searchlight Pictures)

MELHOR DIREÇÃO: Chloé Zhao, Nomadland (Searchlight Pictures)
2º Lugar: Steve McQueen, Small Axe (Prime Video)

MELHOR ATOR: Chadwick Boseman, A Voz Suprema do Blues (Netflix)
2º Lugar: Riz Ahmed, O Som do Silêncio (Amazon Studios)

MELHOR ATRIZ: Carey Mulligan, Bela Vingança (Focus Features)
2º Lugar: Viola Davis, A Voz Suprema do Blues (Netflix)

MELHOR ATOR COADJUVANTE: Glynn Turman, A Voz Suprema do Blues (Netflix)
2º Lugar: Paul Raci, O Som do Silêncio (Amazon Studios)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: Yuh-jung Youn, Minari (A24)
2º Lugar: Amanda Seyfried, Mank (Netflix)

MELHOR LONGA DE ANIMAÇÃO: Wolfwalkers (Apple TV Plus/GKIDS)
2º Lugar: Soul (Pixar)

MELHOR DOCUMENTÁRIO/ NÃO-FICÇÃO: Time (Amazon Studios)
2º Lugar: Collective (Magnolia Pictures and Participant)

MELHOR FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA: Uma Mulher Alta (Kino Lorber)
2º Lugar: Martin Eden (Kino Lorber)

MELHOR ROTEIRO: Promising Young Woman (Focus Features) – Emerald Fennell
2º Lugar: Nunca Raramente Às Vezes Sempre (Focus Features) – Eliza Hittman

MELHOR FOTOGRAFIA: Small Axe (Prime Video) – Shabier Kirchner
2º Lugar: Nomadland (Searchlight Pictures) – Joshua James Richards

MELHOR MONTAGEM: The Father (Sony Pictures Classics) – Yorgos Lamprinos
2º Lugar: Time (Amazon Studios) – Gabriel Rhodes

MELHOR TRILHA: Soul (Pixar) – Trent Reznor, Atticus Ross
2º Lugar: Lovers Rock (Prime Video) – Mica Levi

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO: Mank (Netflix) – Donald Graham Burt
2º Lugar: Uma Mulher Alta (Kino Lorber) – Sergey Ivanov

PRÊMIO DA NOVA GERAÇÃO: The Forty-Year-Old Version, de Radha Blank (Netflix)

Prêmio Douglas Edwards para Filme Experimental: John Gianvito’s “Her Socialist Smile”

Conjunto da Obra: Hou Hsiao-Hsien e Harry Belafonte

Prêmio do Legado: Norman Lloyd

%d blogueiros gostam disto: