Com 11 indicações, ‘LA LA LAND’ também lidera o BAFTA 2017

Cena do filme britânico Eu, Daniel Blake, com Hayley Squire ao centro. Ela foi indicada como Atriz Coadjuvante (pic by moviepilot.de)

Cena do filme britânico Eu, Daniel Blake, com Hayley Squires ao centro. Ela foi indicada como Atriz Coadjuvante (pic by moviepilot.de)

APÓS VITÓRIA RECORDISTA NO GLOBO DE OURO, MUSICAL PODE ALCANÇAR NOVOS FEITOS EM PRÊMIO DA ACADEMIA BRITÂNICA

Nos últimos anos, o prêmio da Academia Britânica, BAFTA, deixou ser aquele mérito fechado no Reino Unido pra se tornar um ótimo parâmetro para o Oscar. Claro que existem as disparidades (nos últimos dois anos, elegeram O Regresso e Boyhood), mas certamente o Oscar está de olho nos indicados da terra da Rainha, tanto que quem estiver fora do BAFTA, tem suas chances consideravelmente reduzidas.

Sim, infelizmente, sob essa lógica, a grande Isabelle Huppert teve suas chances de vitória no Oscar de Atriz bem reduzidas com sua ausência aqui. Tudo graças ao atraso no lançamento de Elle no Reino Unido, agendado para março, o que o desqualificou para esta temporada. Claro que ela tem totais chances de indicação ao Oscar (que seria sua primeira), mas ganhar será mais difícil… Na sua ausência forçada, preencheram sua vaga com Emily Blunt por A Garota no Trem, fato que já tinha acontecido no SAG Awards.

Sophie Turner e Dominic Cooper anunciam as indicações em nove categorias (canal BAFTA no YouTube)

Bom, quanto aos números dessas indicações, temos La La Land liderando com 11 indicações, seguido por A Chegada e Animais Noturnos com nove indicações cada. Esse reconhecimento impulsiona bastante as campanhas desses dois filmes rumo ao Oscar, podendo acarretar nas inclusões de Denis Villeneuve e Tom Ford na categoria de Diretor. Ambos andavam meio esquecidos das premiações, mas mereciam mais reconhecimento por trabalhos tão diferentes da maioria.

O diretor Denis Villeneuve passa instruções para Amy Adams em set de A Chegada (pic by moviepilot.de)

O diretor Denis Villeneuve passa instruções para Amy Adams em set de A Chegada (pic by moviepilot.de)

Se por um lado, alguns ganham, outros perdem com o BAFTA. O drama independente Moonlight: Sob a Luz do Luar contou com apenas quatro indicações: Filme, Roteiro Original, Atriz Coadjuvante (Naomie Harris) e Ator Coadjuvante (Mahershala Ali). Seu diretor Barry Jenkins, que era outrora uma unanimidade na categoria, foi lembrado aqui apenas pelo roteiro. Havia uma forte expectativa de que ele seria o primeiro diretor negro a vencer o Oscar, mas com essa ausência e sua recém derrota no Globo de Ouro para Damien Chazelle, passo a ter minhas dúvidas.

Pra piorar sua situação, Moonlight, considerado um dos favoritos da temporada, perdeu em número de indicações até mesmo para Animais Fantásticos e Onde Habitam, Até o Último Homem, Lion: Uma Jornada Para Casa e Eu, Daniel Blake, todos receberam cinco indicações.

Aliás, o filme britânico Eu, Daniel Blake foi a maior surpresa desta edição. Vencedor da Palma de Ouro no último Festival de Cannes, o novo filme de Ken Loach foi bem valorizado ao ser reconhecido nas categorias de Filme, Filme Britânico, Diretor, Roteiro Original e Atriz Coadjuvante (Hayley Squires). Acho difícil a Academia indicar Loach como Diretor num ano tão concorrido, mas poderiam incluir o filme na categoria de Roteiro Original.

O diretor Ken Loach, 80 anos, vencedor de duas Palmas de Ouro, recebeu sua segunda indicação de Diretor no BAFTA (pic by moviepilot.de)

O diretor Ken Loach, 80 anos, vencedor de duas Palmas de Ouro, recebeu sua segunda indicação de Diretor no BAFTA (pic by moviepilot.de)

Deadpool, que vinha numa ascendente nas últimas semanas, acabou de fora do BAFTA. Nada. Nem uma indicaçãozinha de Melhor Maquiagem. Outros que ficaram de mãos abanando foram Sully: O Herói do Rio Hudson e Silêncio, o que praticamente enterra do filme de Scorsese para o Oscar. Claro que é complicado julgar sem ter visto o filme, mas é uma pena porque se trata de um projeto pessoal de longa data do diretor americano. Será que ele errou tão feio assim?

Quando falavam da corrida de Melhor Ator, dois nomes eram considerados certeza: Casey Affleck e Denzel Washington. Bom, agora Denzel perdeu a cadeira. A Academia Britânica preferiu indicar Jake Gyllenhaal por Animais Noturnos. Curiosamente, (isso nem eu me dei conta!) Denzel Washington nunca foi indicado para o BAFTA, mesmo com seis indicações e duas vitórias no Oscar. Particularmente, também não considero Washington um dos melhores atores, mas não posso falar antes de checar sua performance em Cercas, filme que ele também foi diretor. Já Gyllenhaal, apesar de ser um ator em ascensão, não acho um de seus melhores trabalhos, mas entendo sua inclusão. Ele faz dois personagens na adaptação de Tom Ford e isso deve ter lhe dado crédito para a indicação.

Jake Gyllenhaal em cena de Animais Noturnos, segundo filme sob a direção de Tom Ford (photo by cine.gr)

Jake Gyllenhaal em cena de Animais Noturnos: conquista sua terceira indicação ao BAFTA (photo by cine.gr)

***

EE RISING STAR AWARD

E nesta edição, o prêmio de revelação selecionou os atores: Anya Taylor-Joy (A Bruxa), Laia Costa (Victoria), Lucas Hedges (Manchester à Beira-Mar), Ruth Negga (Loving) e Tom Holland (Capitão América: Guerra Civil e Homem-Aranha: De Volta ao Lar). O voto é popular nas terras britânicas, e qualquer um que ganhar, acredito que será bem merecido. Mas se eu pudesse votar, elegeria Lucas Hedges. Apesar de não ter visto Manchester à Beira-Mar ainda, li boas críticas sobre a atuação dele, e lembrando que a última vez que o diretor Kenneth Lonergan revelou um ator, este foi Mark Ruffalo pelo ótimo Conte Comigo (2000).logo_master-bafta

INDICADOS AO BAFTA

MELHOR FILME
* A Chegada (Arrival) – Produtores: Dan Levine, Shawn Levy, David Linde, Aaron Ryder
* Eu, Daniel Blake (I, Daniel Blake) – Produtora: Rebecca O’Brien
* La La Land: Cantando Estações (La La Land) – Produtores: Fred Berger, Jordan Horowitz, Marc Platt
* Manchester à Beira-Mar (Manchester by the Sea) – Produtores: Lauren Beck, Matt Damon, Chris Moore, Kimberly Steward, Kevin J. Walsh
* Moonlight: Sob a Luz do Luar (Moonlight) – Produtores: Dede Gardner, Jeremy Kleiner, Adele Romanski

DIRETOR
* Denis Villeneuve (A Chegada)
* Ken Loach (Eu, Daniel Blake)
* Damien Chazelle (La La Land: Cantando Estações)
* Kenneth Lonergan (Manchester à Beira-Mar)
* Tom Ford (Animais Noturnos)

ROTEIRO ORIGINAL
* Taylor Sheridan (A Qualquer Custo)
* Paul Laverty (Eu, Daniel Blake)
* Damien Chazelle (La La Land)
* Kenneth Lonergan (Manchester à Beira-Mar)
* Barry Jenkins (Moonlight)

ROTEIRO ADAPTADO
* Eric Heisserer (A Chegada)
* Robert Schenkkan, Andrew Knight (Até o Último Homem)
* Theodore Melfi, Allison Schroeder (Estrelas Além do Tempo)
* Luke Davies (Lion: Uma Jornada Para Casa)
* Tom Ford (Animais Noturnos)

ATOR
Andrew Garfield (Até o Último Homem)
Casey Affleck  (Manchester à Beira-Mar)
Jake Gyllenhaal (Animais Noturnos)
Ryan Gosling (La La Land: Cantando Estações)
Viggo Mortensen (Capitão Fantástico)

ATRIZ
Amy Adams (A Chegada)
Emily Blunt (A Garota no Trem)
Emma Stone (La La Land: Cantando Estações)
Meryl Streep (Florence: Quem é Essa Mulher?)
Natalie Portman (Jackie)

ATOR COADJUVANTE
Aaron Taylor-Johnson (Animais Noturnos)
Dev Patel (Lion: Uma Jornada Para Casa)
Hugh Grant (Florence: Quem é Essa Mulher?)
Jeff Bridges (A Qualquer Custo)
Mahershala Ali (Moonlight: Sob a Luz do Luar)

ATRIZ COADJUVANTE
Hayley Squires (Eu, Daniel Blake)
Michelle Williams (Manchester à Beira-Mar)
Naomie Harris (Moonlight: Sob a Luz do Luar)
Nicole Kidman (Lion: Uma Jornada Para Casa)
Viola Davis (Cercas)

FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA
* Dheepan: O Refúgio – Jacques Audiard, Pascal Caucheteux
* Julieta – Pedro Almodóvar
* Cinco Graças – Deniz Gamze Ergüven, Charles Gillibert
* O Filho de Saul – László Nemes, Gábor Sipos
* Toni Erdmann – Maren Ade, Janine Jackowski

DOCUMENTÁRIO
* A 13ª Emenda – Ava Duvernay
* The Beatles: Eight Days A Week – The Touring Years – Ron Howard
* The Eagle Huntress – Otto Bell, Stacey Reiss
* Notes on Blindness – Peter Middleton, James Spinney
* Weiner – Josh Kriegman, Elyse Steinberg

LONGA DE ANIMAÇÃO
* Procurando Dory – Dir: Andrew Stanton
* Kubo e as Cordas Mágicas – Dir: Travis Knight
* Moana: Um Mar de Aventuras – Dir: Ron Clements, John Musker
* Zootopia – Dir: Byron Howard, Rich Moore

TRILHA MUSICAL ORIGINAL
* Jóhann Jóhannsson (A Chegada)
* Mica Levi  (Jackie)
* Justin Hurwitz (La La Land: Cantando Estações)
* Dustin O’halloran, Hauschka (Lion: Uma Jornada Para Casa)
* Abel Korzeniowski (Animais Noturnos)

FOTOGRAFIA
* Bradford Young (A Chegada)
* Giles Nuttgens (A Qualquer Custo)
* Linus Sandgren (La La Land: Cantando Estações)
* Greig Fraser (Lion: Uma Jornada Para Casa)
* Seamus Mcgarvey (Animais Noturnos)

MONTAGEM
* Joe Walker (A Chegada)
* John Gilbert (Até o Último Homem)
* Tom Cross (La La Land: Cantando Estações)
* Jennifer Lame (Manchester à Beira-Mar)
* Joan Sobel (Animais Noturnos)

DIREÇÃO DE ARTE
* John Bush, Charles Wood (Doutor Estranho)
* Stuart Craig, Anna Pinnock (Animais Fantásticos e Onde Habitam)
* Jess Gonchor, Nancy Haigh (Ave, César!)
* Sandy Reynolds-Wasco, David Wasco (La La Land: Cantando Estações)
* Shane Valentino, Meg Everist (Animais Noturnos)

FIGURINO
* Joanna Johnston (Aliados)
* Colleen Atwood (Animais Fantásticos e Onde Habitam)
* Consolata Boyle (Florence: Quem é Essa Mulher?)
* Madeline Fontaine (Jackie)
* Mary Zophres (La La Land: Cantando Estações)

MAQUIAGEM E CABELO
* Jeremy Woodhead (Doutor Estranho)
* J. Roy Helland, Daniel Phillips (Florence: Quem é Essa Mulher?)
* Shane Thomas (Até o Último Homem)
* Donald Mowat, Yolanda Toussieng (Animais Noturnos)
* Rogue One: Uma História Star Wars

SOM
* Claude La Haye, Bernard Gariépy Strobl, Sylvain Bellemare (A Chegada)
* Mike Prestwood Smith, Dror Mohar, Wylie Stateman, David Wyman (Horizonte Profundo: Desastre no Golfo)
* Niv Adiri, Glenn Freemantle, Simon Hayes, Andy Nelson, Ian Tapp (Animais Fantásticos e Onde Habitam)
* Peter Grace, Robert Mackenzie, Kevin O’Connell, Andy Wright (Até o Último Homem)
* Mildred Iatrou Morgan, Ai-Ling Lee, Steve A. Morrow, Andy Nelson (La La Land: Cantando Estações)

EFEITOS VISUAIS
* Louis Morin (A Chegada)
* Richard Bluff, Stephane Ceretti, Paul Corbould, Jonathan Fawkner (Doutor Estranho)
* Tim Burke, Pablo Grillo, Christian Manz, David Watkins (Animais Fantásticos e Onde Habitam)
* Robert Legato, Dan Lemmon, Andrew R. Jones, Adam Valdez (Mogli: O Menino Lobo)
* Neil Corbould, Hal Hickel, Mohen Leo, John Knoll, Nigel Sumner (Rogue One: Uma História Star Wars)

FILME BRITÂNICO
* American Honey – Produtores: Andrea Arnold, Lars Knudsen, Pouya Shahbazian, Jay Van Hoy
* Negação (Denial) – Produtores: Mick Jackson, Gary Foster, Russ Krasnoff, David Hare
* Animais Fantásticos e Onde Habitam (Fantastic Beast and Where to Find Them) – Produtores: David Yates, J.K. Rowling, David Heyman, Steve Kloves, Lionel Wigram (Animais Fantásticos e Onde Habitam)
* Eu, Daniel Blake (I, Daniel Blake) – Produtores: Ken Loach, Rebecca O’Brien, Paul Laverty
* Notes on Blindness – Produtores: Peter Middleton, James Spinney, Mike Brett, Jo-Jo Ellison, Steve Jamison
* Sob a Sombra (Under the Shadow) – Produtores: Babak Anvari, Emily Leo, Oliver Roskill, Lucan Toh

ESTRÉIA DE ROTEIRISTA, DIRETOR OU PRODUTOR BRITÂNICO
* The Girl With All the Gifts – Mike Carey (Roteirista), Camille Gatin (Produtor)
* The Hard Stop – George Amponsah (Roteirista/Diretor/Produtor), Dionne Walker (Roteirista/Produtor)
* Notes on Blindness – Peter Middleton (Roteirista/Diretor/Produtor), James Spinney (Roteirista/Diretor), Jo-Jo Ellison (Produtor)
* The Pass – John Donnelly (Roteirista), Ben A. Williams (Diretor)
* Sob a Sombra (Under the Shadow) – Babak Anvari (Roteirista/Diretor), Emily Leo, Oliver Roskill, Lucan Toh (Produtores)

CURTA DE ANIMAÇÃO BRITÂNICO
* The Alan Dimension – Jac Clinch, Jonathan Harbottle, Millie Marsh
* A Love Story – Khaled Gad, Anushka Kishani Naanayakkara, Elena Ruscombe-King
* Tough – Jennifer Zheng

CURTA-METRAGEM BRITÂNICO
* Consumed – Richard John Seymour
* Home – Shpat Deda, Afolabi Kuti, Daniel Mulloy, Scott O’Donnell
* Mouth of Hell – Bart Gavigan, Samir Mehanovic, Ailie Smith, Michael Wilson
* The Party – Farah Abushwesha, Emmet Fleming, Andrea Harkin, Conor Macneill
* Standby – Charlotte Regan, Jack Hannon

EE RISING STAR AWARD (Voto do público)
Anya Taylor-Joy
Laia Costa
Lucas Hedges
Ruth Negga
Tom Holland

Indicados ao EE Rising Star Award. pic by metro.co.uk

Indicados ao EE Rising Star Award. pic by metro.co.uk

***

A cerimônia do BAFTA ocorre no dia 12 de fevereiro.

Anúncios

Vencedores do LAFCA 2012

LAFCA: Los Angeles Film Critics Association

LAFCA: Los Angeles Film Critics Association

Juntamente com  National Board of Review e o New York Film Critics Circle (NYFCC), o Los Angeles Film Critics Association fecha a poderosa trinca de reconhecimento da crítica norte-americana. Contudo, diferentemente dos outros, os estudiosos da costa oeste costumam ser bem mais democráticos ao incluir com maior ênfase os filmes estrangeiros na eleição, e não como visitantes em uma única categoria.

Por esse motivo que prefiro o reconhecimento deles, pois acredito que o cinema está globalizado demais para se limitar em categorias com regras rígidas como a Academia ou o Globo de Ouro costuma fazer. É claro que por se tratarem de prêmios dados em solo americano, têndem a favorecer o “cinema local”. Mas aí já seria uma outra discussão xiita…

Depois de duas vitórias, o longa sobre a caçada a Bin Laden, Zero Dark Thirty, ficou apenas com um 2º lugar na direção para Kathryn Bigelow e Melhor Montagem para Dylan Tichenor e William Goldenberg. Aliás, este último também ficou com o 2º lugar pelo filme Argo, de Ben Affleck. Desta vez, o grande vencedor é um filme co-produzido entre Áustria, França e Alemanha (eu avisei que Los Angeles adora estrangeiros): Amour, de Michael Haneke.

Amour, Michael Haneke. Surpresa no LAFCA?

Amour, Michael Haneke: Melhor Filme e Melhor Atriz para Emmanuelle Riva (foto por OutNow.CH)

O filme geriátrico de Haneke vem conquistando todos os críticos por onde passa, desde o Festival de Cannes, de onde saiu com a Palma de Ouro. Recentemente, também levou quatro prêmios principais no European Film Awards. O casal de atores franceses também têm grandes chances nessa corrida para o Oscar, especialmente a veterana Emmanuelle Riva, que venceu o prêmio de Melhor Atriz no LAFCA. Sua vitória confirma o favoritismo de estrangeiras nessa categoria: Em 2011 e 2010, as sul-coreanas Jeong-hie Yun e Hye-ja Kim venceram por Poesia e Mother – A Busca Pela Verdade, respectivamente, em 2009 foi a vez da belga Yolande Moreau por Séraphine, em 2007 foi a supremacia da francesa Marion Cotillard (Piaf – Um Hino ao Amor), além das duas inglesas Sally Hawkins (Simplesmente Feliz) e Helen Mirren (A Rainha).

E depois de andar sumido entre as premiações depois do Festival de Veneza, o filme sobre as origens da Cientologia, The Master, volta em destaque, ganhando Melhor Diretor (Paul Thomas Anderson), Melhor Ator (Joaquin Phoenix), Melhor Atriz Coadjuvante (Amy Adams), Melhor Direção de Arte (Jack Fisk e David Crank), além de dois prêmios de 2º lugar: Fotografia (Mihai Malaimare Jr) e Trilha Musical (Jonny Greenwood). Com esse reconhecimento, The Master volta a ganhar alguns pontos e pode conquistar algumas indicações ao Oscar, ainda mais por se tratar de uma história que se passa algumas décadas atrás, rendendo um trabalho mais minucioso de direção de arte e figurino.

Joaquin Phoenix em The Master. Filme ainda levou Diretor para Paul Thomas Anderson, Atriz Coadjuvante para Amy Adams entre outros.

Joaquin Phoenix em The Master. Filme ainda levou Diretor para Paul Thomas Anderson, Atriz Coadjuvante para Amy Adams entre outros, dando novo fôlego ao longa (foto por OutNow.CH)

Apesar de ter levado apenas o prêmio de Melhor Atriz para Jennifer Lawrence e um 2º lugar de Roteiro, O Lado Bom da Vida é daqueles filmes que chega de mansinho, como quem não quer nada, e vai conquistando o público e seu espaço na cerimônia do Oscar. Claro que não é o tipo de produção que leva vários prêmios por ser um filme tipicamente contemporâneo, mas tem grandes chances nas categorias principais de Filme, Direção, Roteiro, Ator e Atriz que, aliás, Bradley Cooper levou Melhor Ator no National Board of Review e agora, Jennifer Lawrence finalmente leva seu reconhecimento.

Outro filme que cresce ainda mais com a divulgação dos premiados do LAFCA é o independente Indomável Sonhadora. Levou Melhor Ator Coadjuvante (Dwight Henry), Melhor Trilha Musical (Dan Romer e Benh Zeitlin) e o New Generation para o diretor Zeitlin. Um fato curioso é que os atores (Dwight Henry e a pequena Quvenzhané Wallis) não poderão concorrer no SAG Awards porque ambos não eram sindicalizados antes da participação do filme e isso deve enfraquecer um pouco a votação na Academia (sim, o pessoal às vezes é muito chato).

Particularmente, fiquei feliz com quatro reconhecimentos:

1. Melhor Fotografia para Roger Deakins por 007 – Operação Skyfall. Além do trabalho excepcional, a fotografia de Deakins foi reconhecida por um filme da série de James Bond! Isso comprova que bons trabalhos são bem vistos independente do tipo de filme. Felizmente, depois do reboot com Daniel Craig, a série ganhou ares sérios e de qualidade com Sam Mendes e Marc Forster na direção. Mas acima de tudo, que isso sirva de lição para os produtores Barbara Broccoli e Michael G. Wilson que não adianta só ter a fama do agente secreto, mas é necessário contratar bons profissionais em todos os departamentos, incluindo o de fotografia. Viu só? Valeu a pena.

Talvez a cena mais linda visualmente em 007 - Operação Skyfall. Belo trabalho de Roger Deakins.

Talvez a cena mais linda visualmente em 007 – Operação Skyfall. Belo trabalho de Roger Deakins (foto por OutNow.CH)

2 e 3. Melhor Filme Estrangeiro para Holy Motors, de Leos Carax e 2º Lugar de Ator para Denis Lavant. Depois de ser ignorado no Festival de Cannes, este belo trabalho non-sense que contém todos os gêneros merecia este reconhecimento. Infelizmente, não deve figurar no Oscar por não ser representante nem da França, nem da Alemanha, países que co-produziram o filme. O protagonista vivido por Lavant também merece uma indicação por papéis múltiplos: vai de milionário, passando por uma mendiga de rua, o maluco que vive nos esgotos Merde até um senhor idoso à beira da morte. Como aprecio experimentos e inovações no Cinema, Holy Motors pra mim foi um sopro de criatividade em meio à mesmice de hoje.

Holy Motors, de Leos Carax. Reconhecimento merecido para um sopro de criatividade.

Holy Motors, de Leos Carax. Reconhecimento merecido para um sopro de criatividade (foto pot OutNow.CH)

4. Apesar de 2º lugar, adorei a premiação da Direção de Arte de Moonrise Kingdom. Como Tim Burton, o diretor Wes Anderson têm um estilo pessoal muito forte refletido no design do filme. Os cenários da trama contribuem demais para o romance infantil de Sam e Suzy.

O design de Moonrise Kingdom é um personagem à parte no filme (foto por OutNow.CH)

O design de Moonrise Kingdom é um personagem à parte no filme (foto por OutNow.CH)

A ausência mais notada foi a da mega-produção Lincoln, de Steven Spielberg. Os atores Daniel Day-Lewis e Sally Field venceram no NYFCC, mas não levou nenhum prêmio de Melhor Filme ou Diretor até o momento. Tem grandes chances nas categorias consideradas técnicas como Fotografia, Montagem, Direção de Arte e Figurino.

Segue a lista completa dos vencedores do LAFCA:

 

MELHOR FILME: Amour, de Michael Haneke

2º Lugar: The Master, de Paul Thomas Anderson

 

MELHOR DIRETOR: Paul Thomas Anderson (The Master)

2º Lugar: Kathryn Bigelow (Zero Dark Thirty)

 

MELHOR ATOR: Joaquin Phoenix (The Master)

2º Lugar: Denis Lavant (Holy Motors)

 

MELHOR ATRIZ: Jennifer Lawrence (O Lado Bom da Vida) e Emmanuelle Riva (Amour)

 

MELHOR ATOR COADJUVANTE: Dwight Henry (Indomável Sonhadora)

2º Lugar: Christoph Waltz (Django Livre)

 

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: Amy Adams (The Master)

2º Lugar: Anne Hathaway (Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge/ Les Misérables)

 

MELHOR ROTEIRO: Chris Terrio (Argo)

2º Lugar: David O. Russel (O Lado Bom da Vida)

 

MELHOR FOTOGRAFIA: Roger Deakins (007 – Operação Skyfall)

2º Lugar: Mihai Malaimare Jr (The Master)

 

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE: Jack Fisk e David Crank (The Master)

2º Lugar: Adam Stockhausen (Moonrise Kingdom)

 

MELHOR MONTAGEM: Dylan Tichenor e William Goldenberg (Zero Dark Thirty)

2º Lugar: William Goldenberg (Argo)

 

MELHOR TRILHA MUSICAL: Dan Romer e Benh Zeitlin (Indomável Sonhadora)

2º Lugar: Jonny Greenwood (The Master)

 

MELHOR FILME ESTRANGEIRO: Holy Motors, de Leos Carax

2º Lugar: Footnote, de Joseph Cedar

 

MELHOR DOCUMENTÁRIO: The Gatekeepers, de Dror Moreh

2º Lugar: Searching for Sugar Man, de Malik Bendjelloul

 

MELHOR ANIMAÇÃO: Frankenweenie, de Tim Burton

2º Lugar: It’s Such a Beautiful Day, de Don Hertzfeldt

 

NEW GENERATION: Benh Zeitlin por Indomável Sonhadora

 

CONJUNTO DA OBRA: Frederick Wiseman

PRÊMIO PARA FILMES OU VÍDEOS EXPERIMENTAIS DOUGLAS EDWARDS: Leviathan, de Lucien Castaing-Taylor e Verena Paravel

Vencedores do National Board of Review 2012

National Board of Review

Seguindo a escalada de prêmios de críticos americanos, depois do círculo de críticos de Nova York divulgarem sua lista, chegou a vez do National Board of Review que reconhece os melhores do ano desde 1930 e tem como destaque o seu tradicional Top 10.

Depois de conquistar os nova-iorquinos, o filme de guerra de Kathryn Bigelow, Zero Dark Thirty, levou mais este importante prêmio: Melhor Filme, Melhor Direção e Melhor Atriz para Jessica Chastain. Claro que, em se tratando de um filme tão bem comentado e agora, premiado, não deve ficar limitado à caça em si do líder terrorista do Al-Qaeda, Osama Bin Laden, considerado o inimigo público nº1 dos Estados Unidos após os ataques de 11 de Setembro de 2001. Juntamente com o roteirista Mark Boal, a diretora busca refletir sobre o mundo de hoje através da guerra, e deve ainda responder a questão: Capturar ou matar Bin Laden resolve a questão?

Ficou bastante claro que a morte de um ditador não aniquila toda uma ideologia de governo que ele plantara. Foi assim com a captura do líder iraquiano Saddam Hussein, e a morte do norte-coreano Kim Jong-Il. Sinceramente, não sei se rotulo o pensamento americano ao deduzir que eles acreditam que a eliminação de um rei resolveria os problemas. Na verdade, isso é um jeito republicano, ou melhor, um jeito bem western que acabar tudo com uma bala. Como Zero Dark Thirty deve estrear aqui só no dia 18 de janeiro, não temos como adivinhar, mas é possível que o filme levante questões mais profundas como essas. Além disso, existe a possibilidade da produção colocar um pouco mais de luz nos misteriosos eventos da morte do terrorista, cujo corpo foi jogado ao mar, levantando dúvidas sobre a identidade do cadáver.

Se no NYFCC Awards, O Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook) saiu de mãos abanando, aqui ele sai vitorioso com os prêmios de Melhor Ator para Bradley Cooper (desbancando o favoritismo de Joaquin Phoenix e Daniel Day-Lewis) e Melhor Roteiro Adaptado para David O. Russell. Curiosamente, esperava-se que Jennifer Lawrence levasse o prêmio de Melhor Atriz, que acabou nas mãos da ruiva Jessica Chastain por Zero Dark Thirty, confirmando o talento de Kathryn Bigelow como diretora de atores.

Jessica Chastain em Zero Dark Thirty (photo by beyondhollywood.com)

Jessica Chastain em Zero Dark Thirty (photo by beyondhollywood.com)

Falando em atores, Leonardo DiCaprio conta seu primeiro ponto oficial na corrida de Melhor Ator Coadjuvante ao vencer por Django Livre, novo filme de Quentin Tarantino. Além de ótimo criador de personagens e diálogos, Tarantino passa a amadurecer ainda mais seus métodos de direção de atores. Ao ver o trailer, achei a performance de DiCaprio divertida com aquele sotaque e caracterização, que em algum ponto se assemelha ao Coronel Hans Landa de Bastardos Inglórios.

Vale ressaltar a surpresa da vitória de Ann Dowd como Melhor Atriz Coadjuvante pelo filme independente Compliance (que ainda não tem título em português e nem previsão de estréia no Brasil). Antes mesmo da temporada de prêmios começar, o filme já vinha criando um burburinho próprio depois de passar pelo Festival de Locarno (Suíça). Baseado em fato reais, o longa narra a história de uma gerente de um restaurante de fast-food que recebe uma ligação anônima com informações de que uma de suas funcionárias seria uma ladra.

Ann Dowd como a gerente do fast-food em Compliance (foto por Outnow.ch)

Ann Dowd como a gerente do fast-food em Compliance (foto por OutNow.CH)

Outra surpresa foi a vitória de Detona Ralph como Melhor Animação, batendo o franco-favorito Frankenweenie, de Tim Burton. Já o filme político de Ben Affleck, Argo, ficou com uma espécie de prêmio de consolação: o Special Achievement in Filmmaking. Havia também uma expectativa de que o musical de Tom Hooper, Les Misérables, levasse algo além de Melhor Elenco.

Nas categorias de estréias, o independente Indomável Sonhadora levou dois prêmios: Atriz Revelação para a pequena Quvenzhané Wallis, e Diretor Estreante para Benh Zeitlin. Existe a forte possibilidade dessa dupla conseguir indicações ao Oscar, além de Melhor Fotografia pelo apuro visual. Já o outro independente bem recebido, Moonrise Kingdom, de Wes Anderson, acabou ficando apenas entre os dez melhores filmes independentes.

Cena de Indomável Sonhadora (foto por Outnow.ch)

Cena de Indomável Sonhadora (foto por OutNow.CH)

Apesar de não ser o representante brasileiro por se tratar de uma co-produção entre França, Reino Unido, Estados Unidos e Brasil, o road-movie Na Estrada, dirigido pelo diretor brasileiro Walter Salles, foi incluso na lista das 10 melhores produções independentes. O longa também foi indicado à Palma de Ouro no último Festival de Cannes.

Segue lista completa dos premiados pelo National Board of Review:

MELHOR FILME:  ZERO DARK THIRTY, de Kathryn Bigelow
MELHOR DIREÇÃO: Kathryn Bigelow, ZERO DARK THIRTY
MELHOR ATOR: Bradley Cooper, O LADO BOM DA VIDA
MELHOR ATRIZ: Jessica Chastain, ZERO DARK THIRTY
MELHOR ATOR COADJUVANTE: Leonardo DiCaprio, DJANGO LIVRE
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: Ann Dowd, COMPLIANCE
MELHOR ROTEIRO ORIGINAL: Rian Johnson, LOOPER: ASSASSINOS DO FUTURO
MELHOR ROTEIRO ADAPTADO: David O. Russell, O LADO BOM DA VIDA
MELHOR ANIMAÇÃO: DETONA RALPH, de Rich Moore
Special Achievement in Filmmaking: Ben Affleck, ARGO
ATOR REVELAÇÃO: Tom Holland, O IMPOSSÍVEL
ATRIZ REVELAÇÃO: Quvenzhané Wallis,  INDOMÁVEL SONHADORA
DIRETOR ESTREANTE: Benh Zeitlin, INDOMÁVEL SONHADORA
MELHOR FILME ESTRANGEIRO:  AMOUR, de Michael Haneke
MELHOR DOCUMENTÁRIO: SEARCHING FOR SUGAR MAN, de Malik Bendjelloul
William K. Everson Film History Award: 50 ANOS DOS FILMES DE JAMES BOND
MELHOR ELENCO: LES MISÉRABLES, de Tom Hooper
Spotlight Award: John Goodman (ARGO, FLIGHT, PARANORMAN, CURVAS DA VIDA)
NBR Freedom of Expression Award: CENTRAL PARK FIVE, Ken Burns, Sarah Burns e David McMahon
NBR Freedom of Expression Award: PROMISED LAND, de Gus Van Sant

TOP FILMES (em ordem alfabética)

ARGO, de Ben Affleck
INDOMÁVEL SONHADORA, de Benh Zeitlin
DJANGO LIVRE, de Quentin Tarantino
LES MISÉRABLES, de Tom Hooper
LINCOLN, de Steven Spielberg
LOOPER: ASSASSINOS DO FUTURO, de Rian Johnson
AS VANTAGENS DE SER INVISÍVEL, de Stephen Chbosky
PROMISED LAND, de Gus Van Sant
O LADO BOM DA VIDA, de David O. Russell

TOP 5 FILMES ESTRANGEIROS

BARBARA, de Christian Petzold (Alemanha)
INTOCÁVEIS, de Olivier Nakache e Eric Toledano (França)
O GAROTO DE BICICLETA, de Jean-Pierre e Luc Dardenne (Bélgica)
NO, de Pablo Larraín (Chile)
WAR WITCH, de Kim Nguyen (Canadá)

Barbara, de Christian Petzold, da Alemanha.

Barbara, de Christian Petzold, da Alemanha (foto por OutNow.CH)

TOP 5 DOCUMENTÁRIOS

AI WEIWEI: NEVER SORRY, de Alison Klayman
DETROPIA, de Heidi Ewing e Rachel Grady
THE GATEKEEPERS, de Dror Moreh
THE INVISIBLE WAR, de Kirby Dick
ONLY THE YOUNG, de Elizabeth Mims e Jason Tippet

TOP 10 FILMES INDEPENDENTES

A NEGOCIAÇÃO, de Nicholas Jarecki
BERNIE, de Richard Linklater
COMPLIANCE, de Craig Zobel
MARCADOS PARA MORRER, de David Ayer
HELLO I MUST BE GOING, de Todd Louiso
LITTLE BIRDS, de Elgin James
MOONRISE KINGDOM, de Wes Anderson
NA ESTRADA, de Walter Salles
QUARTET, de Dustin Hoffman
SLEEPWALK WITH ME, de Mike Birbiglia

Sam Riley, Kristen Stewart e Garrett Hedlund em Na Estrada, de Walter Salles

Sam Riley, Kristen Stewart e Garrett Hedlund em Na Estrada, de Walter Salles

Apesar do National Board of Review não poder ser considerado um bom parâmetro para o Oscar, no ano passado, suas escolhas coincidiram nas categorias de Ator Coadjuvante (Christopher Plummer), Roteiro (Os Descendentes), Filme Estrangeiro (A Separação) e Animação (Rango).

As indicações ao Oscar serão anunciadas no dia 10 de janeiro de 2013, 3 dias antes da cerimônia do Globo de Ouro.