‘EMOJI: O FILME’ se TORNA a PRIMEIRA ANIMAÇÃO a VENCER o FRAMBOESA DE OURO

Emoji O Filme Framboesa.jpeg

Cena de Emoji: O Filme, primeira animação a a ganhar o prêmio Framboesa de Ouro de Pior Filme

TOM CRUISE, MEL GIBSON E KIM BASINGER, INDICADOS E VENCEDORES DO OSCAR, TAMBÉM FORAM LEMBRADOS COMO PIORES DO ANO

Tradicionalmente, o Framboesa de Ouro (ou Razzie Awards) premia os piores do ano um dia antes da cerimônia do Oscar. Curiosamente, houve casos em que o vencedor do Framboesa levou um prêmio e no dia seguinte, ganhou o Oscar, obviamente não pelo mesmo trabalho, como foi o caso de Sandra Bullock.

E o mais curioso é que ela compareceu ao evento e recebeu o prêmio com muito bom humor, levando um carrinho repleto de cópias do roteiro do filme Maluca Paixão. “Trouxe várias cópias para que vocês leiam e vejam que eu não poderia fazer muita coisa”, discursou Bullock naquele ano de 2010.

Este ano, os filmes indicados devem agradecer aos céus pela presença ilustre da animação Emoji: O Filme, que conquistou todos os quatro prêmios a que estava concorrendo: Filme, Combo, Roteiro e Diretor, livrando a cara de alguns nomes mais famosos como os diretores Darren Aronofsky, que concorria por Mãe!, e Michael Bay, que concorria por Transformers: O Último Cavaleiro.

Nas categorias de atuação, temos dois vencedores do Oscar: Kim Basinger conquistou como Pior Atriz Coadjuvante por Cinquenta Tons Mais Escuros, e Mel Gibson levou Pior Ator Coadjuvante pela comédia Pai em Dose Dupla 2. Contudo, o prêmio que mais me agradou foi de Pior Ator para Tom Cruise em A Múmia. Lembro que enquanto assistia a essa obra-prima no cinema, pensava: “Esse Tom Cruise acha que qualquer porcaria que ele fizer vai ser um sucesso!”. Ah! E que eu queria meu dinheiro do ingresso e minhas duas horas de vida de volta.

Tom Cruise the Mummy.jpg

Química zero: Tom Cruise e Annabelle Wallis em cena de A Múmia (pic by cine.gr)

E o que dizer de Cinquenta Tons Mais Escuros? O primeiro filme foi o grande vencedor do Framboesa de 2016, com cinco prêmios. Aí, esta sequência leva mais dois prêmios. E ainda teremos o terceiro (!) neste ano, que pode e deve resultar em mais alguns prêmios no Framboesa pra fechar bem a trilogia trágica de E.L. James. Eu queria tentar entender o sucesso desses filmes, porque o sexo é pobremente retratado, os atores são péssimos, e talvez o pior: não existe uma química boa entre o casal central. Tanto Dakota Johnson quanto Jamie Dornan são totalmente sem sal.

cINQUENTA tONS mAIS eSCUROS

Casal sem sal do ano: Dakota Johnson e Jamie Dornan em Cinquenta Tons Mais Escuros (pic by cine.gr)

Também queria que aquela Katherine Heigl ganhasse o prêmio de atriz por Paixão Obsessiva, no qual ela faz uma versão tosca de Glenn Close em Atração Fatal. Nessas horas, queria perguntar: “Quem te falou que você sabe atuar?”. O vencedor da categoria foi Tyler Perry, o cara que se veste de mulher pra fazer comédias bobas. Honestamente, pelo menos Perry sabe que está fazendo algo ruim e tem um público bem específico que gosta de seus filmes nos EUA. Já o problema de Heigl é que ela acha que está fazendo uma interpretação pra ganhar o Oscar. Um Framboesa de Ouro na carreira dela poderia fazê-la repensar na carreira ou pelo menos, fazer um curso de atuação de maior prestígio.

Infelizmente, 95% dos vencedores do Framboesa não comparecem ao evento como fizeram Paul Verhoeven, Halle Berry e Sandra Bullock. Não… eles preferem simplesmente esquecer, como se os filmes fossem sumir com num passe de mágica. Acho importante esses vencedores comparecerem ao evento, receber o prêmio e saber tirar sarro de si mesmo, sabe? “Ok, fiz um péssimo filme, mas obrigado por lembrarem do meu trabalho! Vou me esforçar pra não voltar mais aqui!”

Particularmente, acho o Framboesa muito mais importante do que muito prêmio de cinema, pois ele faz uma análise dos erros e permite que os artistas reflitam melhor sobre seus trabalhos e procurem não repetir os mesmos enganos. Como todos sabem, o cinema de hoje é produzido por muitas pessoas que se dizem artistas, mas visam apenas os lucros, por isso, geram tantas sequências e refilmagens desnecessárias. Quer lucrar com cinema? Não há nada de errado nisso, mas pelo menos, procure bons motivos além do dinheiro para filmar.

VENCEDORES DO 38º FRAMBOESA DE OURO

PIOR FILME
Emoji: O Filme (The Emoji Movie)

PIOR ATRIZ
Tyler Perry (BOO! 2: A Medea Halloween)

PIOR ATOR
Tom Cruise (A Múmia)

PIOR ATOR COADJUVANTE
Mel Gibson (Pai em Dose Dupla 2)

PIOR ATRIZ COADJUVANTE
Kim Basinger (Cinquenta Tons Mais Escuros)

PIOR COMBO
Qualquer encontro de dois emojis (Emoji: O Filme)

PIOR REFILMAGEM, CÓPIA OU SEQUÊNCIA
Cinquenta Tons Mais Escuros

PIOR DIRETOR
Anthony (Tony) Leonidis (Emoji: O Filme)

PIOR ROTEIRO
Emoji: O Filme

ROTTEN TOMATO AWARDS
Baywatch

Anúncios

‘TRANSFORMERS’ LIDERA as INDICAÇÕES ao FRAMBOESA DE OURO. SOBRA até para ‘MÃE!’, de DARREN ARONOFSKY

razzie transformers_mummy_and_pirates_of_the_caribbean_still_-_split_-_photofest_-_h_2018.jpg

Da esquerda para a direita: Transformers: O Último Cavaleiro, A Múmia e Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar formam a nata do Framboesa de Ouro (montage by The Hollywood Reporter)

QUINTO FILME DE TRANSFORMERS SE JUNTA A OUTRAS PÉROLAS DO CINEMA AMERICANO

Aah… o que seria dos bons filmes se não fossem os ruins? Se tem uma coisa que admiro da indústria de cinema americana é que ela sabe rir de si mesma, seja fazendo sátiras de sucessos comerciais como os filmes da franquia Todo Mundo em Pânico, seja através do Framboesa de Ouro, que coroa os piores do ano de forma bastante irônica e necessária.

Nesta 38ª edição, o Framboesa temos o chorume do lixo americano como as refilmagens de A Múmia, a quinta parte de Transformers (que lidera com nove indicações!), a continuação Cinquenta Tons Mais Escuros, a refilmagem da série de TV Baywatch (que já era ruim) e a animação bem desnecessária Emoji: O Filme. Todas as inclusões indiscutíveis.

O único porém aqui, na minha humilde opinião, foi a inclusão do diretor Darren Aronofsky por Mãe!. Eu sei que tem muita gente que odeia o filme mega metafórico com significados bíblicos, e eu entendo as razões, mas temos que dar o braço a torcer porque pelo menos o diretor tentou e conseguiu fazer algo diferente. Quantas vezes você não cansou daqueles mesmos filmes com as mesmas fórmulas de sempre? É graças a inovadores como Aronofsky, que dão a cara para bater, que o cinema hoje ainda é uma Arte respeitada. Se não houvesse artistas buscando mudanças, o Cinema hoje não passaria de entretenimento sem conteúdo.

Mother!_.jpg

Jennifer Lawrence e Javier Bardem disputam o Framboesa de Ouro por Mãe! (pic by imdb.com)

Mas aí outro pode reclamar: “Mas Jennifer Lawrence e Javier Bardem estavam péssimos e mereciam indicações ao Framboesa”. Ok, suas performances não eram mesmo dignas de nota, mas temos que levar em conta que são personagens e situações bastante incomuns, quase como um teatro non-sense, e que mesmo se fossem Meryl Streep e Daniel Day-Lewis no lugar deles, não seriam interpretações bem aceitas pelo público.

Em relação a Jennifer Lawrence, vejo a indicação dela do mesmo modo que os organizadores devem ter pensado: “Vamos inclui-la para que ela se toque que está havendo um excesso de exposição”. Todo ano tem filme com J-Law, às vezes até mais, e isso desgasta a imagem do ator ou atriz, que nem sempre vai acertar nas suas escolhas de projetos e até mesmo nas atuações.

Falando ainda em excessos, dentre os indicados, já deu de filmes de Piratas do Caribe e de robôs gigantes de Transformers, né? Eles podem até continuar fazendo dinheiro nas bilheterias, mas a cada novo filme, as idéias ficam mais estapafúrdias. Daqui a pouco vão ter piratas transsexuais e robôs gigantes contra Godzilla.

Bom, se tem uma lista de filmes que não faço a mínima questão de assistir é a lista do Framboesa de Ouro! Como sempre digo para um amigo meu: “Se não me sobra nem tempo pra ver filmes bons, pra que vou gastá-lo com filmes que sei que são ruins?”. Claro que sei também que, como um bom cinéfilo, devo assistir de tudo sem preconceitos, portanto dos que assisti, posso concordar em absoluto com as indicações para A Múmia (já citei os motivos do filme ter naufragado no meu post de Retrospectiva 2017), mas honestamente, achei que a adaptação de Stephen King, A Torre Negra, também deveria bombar aqui. Assim como deveriam ter incluído na categoria de Pior Sequência O Chamado 3 e Alien: Covenant. Só não incluíram Ridley Scott na parada porque ele pode ter os genes suicidas do irmão…

Ah! E só mais uma coisa: Katherine Heigl é a pior atriz atualmente em Hollywood. Essa tentativa ridícula de ser Glenn Close em Atração Fatal é de doer.

katherine heigl razzie

Katherine Heigl em momento da atriz do método em Paixão Obsessiva (pic by imdb.com)

INDICADOS AO FRAMBOESA DE OURO:

PIOR FILME
Baywatch (Baywatch)
Emoji: O Filme (The Emoji Movie)
Cinquenta Tons Mais Escuros (Fifty Shades Darker)
A Múmia (The Mummy)
Transformers: O Último Cavaleiro (Transformers: The Last Knight)

PIOR ATRIZ
Katherine Heigl (Paixão Obsessiva)
Dakota Johnson (Cinquenta Tons Mais Escuros)
Jennifer Lawrence (Mãe!)
Tyler Perry (BOO! 2: A Medea Halloween)
Emma Watson (O Círculo)

PIOR ATOR
Tom Cruise (A Múmia)
Johnny Depp (Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar)
Jamie Dornan (Cinquenta Tons Mais Escuros)
Zac Efron (Baywatch)
Mark Wahlberg (Pai em Dose Dupla 2) & (Transformers: O Último Cavaleiro)

PIOR ATOR COADJUVANTE
Javier Bardem (Mãe!) & (Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar)
Russell Crowe (A Múmia)
Josh Duhamel (Transformers: O Último Cavaleiro)
Mel Gibson (Pai em Dose Dupla 2)
Anthony Hopkins (Collide) & (Transformers: O Último Cavaleiro)

PIOR ATRIZ COADJUVANTE
Kim Basinger (Cinquenta Tons Mais Escuros)
Sofia Boutella (A Múmia)
Laura Haddock (Transformers: O Último Cavaleiro)
Goldie Hawn (Viagem das Loucas)
Susan Sarandon (Perfeita é a Mãe 2)

PIOR COMBO
* Qualquer combinação de dois personagens, brinquedos sexuais ou posições sexuais  (Cinquenta Tons Mais Escuros)
* Qualquer combinação entre dois humanos, dois robôs ou duas explosões (Transformers: O Último Cavaleiro)
* Qualquer encontro de dois emojis (Emoji: O Filme)
* Johnny Depp e seu estilo bêbado de atuar  (Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar)
* Tyler Perry e qualquer vestido velho ou peruca ruim (BOO! 2: A Madea Halloween)

PIOR REFILMAGEM, CÓPIA OU SEQUÊNCIA
Baywatch
BOO 2: A Medea Halloween
Cinquenta Tons Mais Escuros
A Múmia
Transformers: O Último Cavaleiro

PIOR DIRETOR
Darren Aronofsky (Mãe!)
Michael Bay (Transformers: O Último Cavaleiro)
James Foley (Cinquenta Tons Mais Escuros)
Alex Kurtzman (A Múmia)
Anthony (Tony) Leonidis (Emoji: O Filme)

PIOR ROTEIRO
Baywatch
Emoji: O Filme
Cinquenta Tons Mais Escuros
A Múmia
Transformers: O Último Cavaleiro

***

Como costumeiro, os vencedores serão anunciados um dia antes da cerimônia do Oscar, mais precisamente no dia 03 de março.

26 Animações inscritas concorrem ao OSCAR de MELHOR LONGA DE ANIMAÇÃO

COCO

Cena de “Coco”, ou na versão brasileira politicamente correta: “Viva: A Vida é uma Festa” (pic by outnow.ch)

PRA VARIAR, UMA PRODUÇÃO PIXAR-DISNEY É A FRANCO-FAVORITA

A Academia anunciou as 26 produções que se inscreveram para concorrer na categoria de Melhor Longa de Animação.

Algumas delas ainda precisam completar as requisições para se qualificar, como o lançamento em salas de cinema de Los Angeles no prazo determinado, mas de acordo com o histórico das últimas edições, acredito que quase todas devem competir. Só para relembrar a regra: se houver pelo menos 16 classificados, serão 5 indicados. Menos de 16, serão apenas 2 ou 3.

Pra quem acompanha a categoria desde sua criação em 2002, sabe que pelo menos uma das vagas será da Disney/Pixar. E o candidato deste ano é Viva: A Vida é uma Festa, de Lee Unkrich. Na verdade, o filme se chama Coco, mas em tempos cada vez mais politicamente corretos, qualquer menção a escatologia infantil pode virar um escândalo.

Falando em politicamente correto, mesmo sem ver o filme, já podemos praticamente cravar sua vitória no Oscar. Sua temática da cultura rica mexicana já renderia prêmios, mas nessa era Trump, quando se cogitou erguer um muro entre EUA e México, o filme deve ganhar ares pró-imigratórios.

Ainda sobre a Pixar, acredito que não dá nem pra considerar Carros 3 como forte concorrente, pois a franquia não fez muito sucesso no Oscar. O primeiro foi indicado a Longa de Animação e Canção, já o segundo não participou do Oscar.

Entre outros títulos mais badalados estão Meu Malvado Favorito 3, O Poderoso Chefinho e os dois filmes de Lego, LEGO Batman: O Filme e LEGO Ninjango: O Filme, mas nenhum deles aparenta ter forças para não morrer na praia, considerando que nem o primeiro filme do Lego foi indicado a Melhor Animação. Talvez sobre uma vaga para O Touro Ferdinando, baseado num livro infantil popular e já adaptado pela Disney num curta premiado com o Oscar em 1939. Esta nova adaptação feita pela Fox foi dirigida pelo carioca Carlos Saldanha, que ficou conhecido por Era do Gelo 2 e Rio.

ferdinand

Cena de O Touro Ferdinando, de Carlos Saldanha (pic by moviepilot.de)

Nesse cenário, felizmente, as produções estrangeiras ganham muita força. E não há nada mais memorável do que o Com Amor, Van Gogh, uma co-produção entre Polônia e Reino Unido. Para quem nunca ouviu falar, trata-se de uma animação extremamente caprichosa feita com a técnica impressionista do próprio Vincent Van Gogh: tinta à óleo sobre tela.

loving-vincent.jpg

Cena de Com Amor, Van Gogh, dirigido pela dupla Dorota Kobiela e Hugh Welchman (pic by moviepilot.de)

Vale a pena conferir a técnica em movimento no trailer. Realmente é um deleite para os olhos de qualquer cinéfilo:

Além desse forte concorrente, temos alguns candidatos nipônicos que sempre conseguem descolar uma indicação, muito graças ao poder do Studio Ghibli, comandado por Hayao Miyazaki. São cinco animações japonesas na disputa: In This Corner of the World, Mary and the Witch’s Flower, Napping Princess, A Silent Voice Sword Art Online: The Movie – Ordinal Scale. Vale lembrar que o diretor de Mary and the Witch’s Flower, Hiromasa Yonebayashi, já foi indicado em 2016 por As Memórias de Marnie.

É possível destacar também The Breadwinner, uma co-produção da Irlanda, Canadá e Luxemburgo, e produzido por Angelina Jolie. Na trama, uma menina afegã se disfarça de menino para conseguir sustento para sua família após o pai ser preso.

the breadwinner

Cena de The Breadwinner, de Nora Twomey (pic by cine.gr)

Seguem os 26 inscritos (minhas apostas estão assinaladas em laranja):

  • The Big Bad Fox & Other Tales (Le Grand Méchant Renard et autres contes…) – França/Bélgica
    Dir: Patrick Imbert, Benjamin Renner
  • Birdboy: The Forgotten Children (Psiconautas, los niños olvidados) – Espanha
    Dir: Pedro Rivero, Alberto Vázquez
  • O Poderoso Chefinho (The Boss Baby) – EUA
    Dir: Tom McGrath
  • The Breadwinner – Irlanda/Canadá/Luxemburgo
    Dir: Nora Twomey
  • As Aventuras do Capitão Cueca: O Filme (Captain Underpants The First Epic Movie) – EUA
    Dir: David Soren
  • Carros 3 (Cars 3) – EUA
    Dir: Brian Fee
  • Cinderella the Cat (Gatta Cenerentola) – Itália
    Dir: Ivan Cappiello, Marino Guarnieri, Alessandro Rak, Dario Sansone
  • Viva: A Vida é uma Festa (Coco) – EUA
    Dir: Lee Unkrich
  • Meu Malvado Favorito 3 (Despicable Me 3) – EUA
    Dir: Kyle Balda, Pierre Coffin
  • Emoji: O Filme (The Emoji Movie) – EUA
    Dir: Tony Leondis
  • Ethel & Ernest – Reino Unido
    Dir: Roger Mainwood
  • O Touro Ferdinando (Ferdinand) – EUA
    Dir: Carlos Saldanha
  • The Girl without Hands (La jeune fille san mains) – França
    Dir: Sébastien Laudenbach
  • In This Corner of the World (Kono sekai no katasumi ni) – Japão
    Dir: Sunao Katabuchi
  • LEGO Batman: O Filme (The Lego Batman Movie) – EUA/Dinamarca
    Dir: Chris McKay
  • LEGO Ninjango: O Filme (The Lego Ninjago Movie) – EUA
    Dir: Charlie Bean, Paul Fisher, Bob Logan
  • Com Amor, Van Gogh (Loving Vincent) – Reino Unido/Polônia
    Dir: Dorota Kobiela, Hugh Welchman
  • Mary and the Witch’s Flower (Meari to majo no hana) – Japão
    Dir: Hiromasa Yonebayashi
  • Moomins and the Winter Wonderland (Muumien joulu) – Finlândia/Polônia
    Dir: Ira Carpelan, Jakub Wronski
  • My Entire High School Sinking into the Sea – EUA
    Dir: Dash Saw
  • Napping Princess (Hirune-hime : Shiranai watashi no monogatari) – Japão
    Dir: Kenji Kamiyama
  • A Silent Voice (Koe no katachi) – Japão
    Dir: Naoko Yamada
  • Os Smurfs e a Vila Perdida (Smurfs: The Lost Village) – EUA/Hong Kong
    Dir: Kelly Asbury
  • A Estrela de Belém (The Star) – EUA
    Dir: Timothy Reckart
  • Sword Art Online: The Movie – Ordinal Scale (Gekijo-ban Sword Art Online: Ordinal Scale) – Japão
    Dir: Tomohiko Itô
  • Window Horses The Poetic Persian Epiphany of Rosie Ming – Canadá
    Dir: Ann Marie Fleming

***

As indicações ao Oscar 2018 serão anunciadas no dia 23 de janeiro.