‘MOONLIGHT’ e ‘A CHEGADA’conquistam o WGA Awards

barry-jenkins-wga

O diretor e roteirista Barry Jenkins recebe o WGA de Roteiro Original por Moonlight (pic by Mirror)

BARRY JENKINS BATE FAVORITOS DA CATEGORIA VIZINHA

Estamos chegando na reta final para o Oscar! Sim, após várias noites viradas no blog desde novembro, vou conseguir um break! Depois de acompanharmos os vencedores dos prêmios dos sindicatos de Diretores e Atores, chegou a vez dos Roteiristas. Moonlight e A Chegada, que concorrem a oito Oscars cada, foram os vencedores de Roteiro Original e Adaptado, respectivamente.

Para quem não conhece, de todos os sindicatos, o mais chatinho é dos roteiristas, porque impõe uma série de regras para seu roteiro ser elegível, começando com a sua carteirinha de membro. Se não tiver esse documento, você é automaticamente desqualificado. Quentin Tarantino, que é um dos mais relevantes excluídos desse clube (talvez porque o povo de lá seja quadrado demais ou talvez porque queira economizar seu dinheirinho não pagando taxas de membros), consegue ganhar Oscars mesmo assim, então isso acaba enfraquecendo o próprio sindicato.

Entre outras disparidades do WGA (Writers Guild of America), está as classificações do material: se é original ou adaptação. Por exemplo, em 2015, o roteiro de Whiplash: Em Busca da Perfeição foi classificado como original pelo WGA, enquanto no Oscar concorria como adaptado, uma vez que entendiam que se tratava de uma adaptação do próprio curta-metragem homônimo de Damien Chazelle.

Este ano, o roteiro de Moonlight passou pela mesma indecisão. No WGA, concorria como original, enquanto no Oscar concorre como adaptado. A polêmica aqui reside no fato do roteiro ter como base uma peça não-produzida de Tarell Alvin McCraney intitulada “In Moonlight Black Boys Look Blue”. Mesmo assim, a Academia considera como um material prévio existente, que serviu de inspiração para o roteiro de Barry Jenkins.

O QUE OS RESULTADOS DIZEM

O fato de Barry Jenkins ter conquistado o WGA significa muito para o filme, já que bateu os favoritos ao Oscar La La Land e Manchester à Beira-Mar. E o que muda na corrida para o Oscar? Bom, a concorrência muda. Com Moonlight migrando para a categoria de Roteiro Adaptado, o caminho ficou mais fácil. Deixará de concorrer o Oscar com pesos-pesados como La La Land, Manchester à Beira-Mar e A Qualquer Custo, que ganharam diversos prêmios na temporada, para pegar filmes menos expressivos como Estrelas Além do Tempo e Lion. Em resumo: se Moonlight já bateu os favoritos da categoria mais forte que é Original, o que dirá da categoria de Roteiro Adaptado? Com isso, acredito que Moonlight deva sair da 89ª cerimônia do Oscar com duas estatuetas: Roteiro Adaptado e Ator Coadjuvante (Mahershala Ali).

Já a vitória de Eric Heisserer por A Chegada como Roteiro Adaptado pode significar um dos últimos respiros da ótima ficção científica na temporada. Apesar de ter sido indicado em oito categorias no Oscar, o fato de sua atriz principal (Amy Adams) ter ficado de fora, já havia enfraquecido a campanha do filme, portanto, se sobrar estatuetas para A Chegada, acredito que será nas categorias de Som e Efeitos Sonoros. Torcerei até o final para que conquiste o Oscar de Montagem para Joe Walker, que consegue se utilizar muito bem de flash-forwards para contar a história de Heisserer.

eric-heisserer-arrival-wga

Eric Heisserer aceita o prêmio de Roteiro Adaptado por A Chegada (pic by YouTube)

Felizmente, mesmo com a rigidez das regras do sindicato, as estatísticas do WGA não são ruins em relação ao Oscar. São 16 acertos em 22 anos na categoria de Roteiro Adaptado, e 14 na categoria de Roteiro Original. No ano passado, os vencedores do WGA, Spotlight e A Grande Aposta, saíram com as estatuetas de Roteiro Original e Adaptado, respectivamente, no Oscar.

SOBRE A CERIMÔNIA

Os vencedores foram anunciados em cerimônias simultâneas realizadas em Nova York e em Beverly Hills, já que são sindicatos da costa leste e da costa oeste. O ator e comediante Patton Oswalt foi o host do evento de Beverly Hills e obviamente, não poupou o presidente eleito Donald Trump com tiradas do tipo: “I feel bad for Trump…his life before this was golf and hookers and jets.” (Sinto-me mal por Trump… a vida dele antes disso era golfe, prostitutas e jatinhos).

Além do anúncio dos vencedores, houve prêmios especiais para Aaron Sorkin, que foi homenageado com o prêmio Paddy Chayefsky Laurel Award for Television Writing Achievement, já que escreveu séries imponentes como The West Wing e The Newsroom, e também para Oliver Stone, que recebeu o WGA’s Screen Laurel Award.

No tapete vermelho, Barry Jenkins fez um breve relato importante: “Todos esses filmes foram feitos sob uma administração muito diferente da atual. Havia um espaço seguro, então espero que agora que esse espaço não mais seguro, façamos histórias ainda mais passionais e verdadeiras.”

VENCEDORES DO 69º WGA AWARDS:

ROTEIRO ORIGINAL
Barry Jenkins, história de Tarell McCraney (Moonlight)

ROTEIRO ADAPTADO
Eric Heisserer; Baseado na história de “Story of Your Life” de Ted Chiang (A Chegada)

ROTEIRO DE DOCUMENTÁRIO
Robert Kenner e Eric Schlosser, história de Brian Pearle e Kim Roberts; Baseado no livro ‘Command and Control’ de Eric Schlosser (Command and Control)

***

A 89ª cerimônia do Oscar está marcada para o próximo domingo, dia 26 de fevereiro. Não, não dependa da Globo e seu Carnaval. Veja na TNT (e não, não estou ganhando nada da TNT).

 

Anúncios

‘Deadpool’ disputa o WGA com ‘A Chegada’ e ‘Animais Noturnos’

Brianna Hildebrand e Ryan Reynolds em cena de Deadpool (pic by moviepilot.de)

Brianna Hildebrand e Ryan Reynolds em cena de Deadpool (pic by moviepilot.de)

PRÊMIO DO SINDICATO DE ROTEIRISTAS RECONHECE OUTRA ADAPTAÇÃO DE QUADRINHOS

Para quem acompanha cinema, sabe que os maiores sucessos comerciais nos últimos anos têm sido as adaptações de histórias em quadrinhos, seja da Marvel, ou seja da DC. É um filão extremamente rentável, porque ao mesmo tempo em que entretém o público mais jovem (que é a grande maioria dos espectadores dos cinemas hoje), consegue atrair os adultos que leram os quadrinhos décadas atrás. Entre os maiores sucessos comerciais de 2016, estavam as adaptações de HQ: Esquadrão Suicida, Batman vs. Superman: A Origem da Justiça e Capitão América: Guerra Civil, contudo, o único ousado foi Deadpool, que manteve as piadas de humor negro, o sexo e a violência (sim, tem sangue na tela), e a censura para maiores de 16 anos (reduzindo consideravelmente a renda nas bilheterias) em prol de qualidade.

Essa coragem em peitar a censura por acreditarem no material tem sido recompensada nas premiações. Venceu o Critics’ Choice Awards de Melhor Comédia e Melhor Ator em Comédia (Ryan Reynolds), foi indicado ao Globo de Ouro nas mesmas categorias, e agora foi lembrado pelo Writers Guild Awards. Será que sobra uma indicaçãozinha no Oscar? Deadpool concorre com pesos-pesados como A Chegada e Animais Noturnos.

Amy Adams em cena de Animais Noturnos (pic by moviepilot.de)

Amy Adams em cena de Animais Noturnos (pic by moviepilot.de)

Embora, o WGA seja bem rígido quanto ao regulamento, eliminado alguns concorrentes importantes anualmente, também apresenta uma boa estatística de acerto em relação ao Oscar. São 16 acertos em 22 anos na categoria de Roteiro Adaptado, e 14 na categoria de Roteiro Original. No ano passado, Spotlight – Segredos Revelados e A Grande Aposta levaram o prêmio do sindicato e levaram as estatuetas da Academia. Vale ressaltar também que Deadpool é a segunda adaptação de quadrinhos indicada. A anterior havia sido Guardiões da Galáxia em 2015.

Entre as exclusões devido ao regulamento estão as de LionMogli: O Menino Lobo e O Lagosta (que levou o LAFCA) na categoria de Roteiro Original, e de Florence: Quem é Essa Mulher? e Zootopia na categoria de Roteiro Adaptado. A maioria dessas ausências se deve aos próprios roteiristas, que decidiram não se filiar ao sindicato. Claro que há alguns casos em que o vencedor do Oscar de Roteiro nem era filiado ao WGA como Quentin Tarantino (por Django Livre) e Alejandro González Iñárritu e sua trupe (por Birdman), mas são mais raros de acontecer.

Já entre os ausentes que os membros do WGA simplesmente não gostaram estão Silêncio (o filme de Scorsese realmente não está agradando), Até o Último Homem, Capitão Fantástico e Jackie (que levou o prêmio no Festival de Veneza).

Só uma última curiosidade: os dramas Loving e Moonlight, aqui concorrentes como Roteiro Original, tiveram sua classificação alterada para Roteiro Adaptado perante a Academia. Enquanto o primeiro teria sido baseado num documentário de 2011, o segundo teria como base uma história biográfica pré-existente.

Seguem os indicados do Writers Guild Awards:

ROTEIRO ORIGINAL

  • Taylor Sheridan (A Qualquer Custo)
  • Damien Chazelle (La La Land)
  • Jeff Nichols (Loving)
  • Kenneth Lonergan (Manchester à Beira-Mar)
  • Barry Jenkins, Story by Tarell McCraney (Moonlight)

ROTEIRO ADAPTADO

  • Eric Heisserer (A Chegada); Baseado na história “História da sua Vida” de Ted Chiang
  • Rhett Reese & Paul Wernick (Deadpool); Baseado nos quadrinhos dos X-Men
  • August Wilson (Cercas); Baseado em sua peça
  • Allison Schroeder e Theodore Melfi (Estrelas Além do Tempo); Baseado no livro de Margot Lee Shetterly
  • Tom Ford (Animais Noturnos); Baseado no romance “Tony and Susan”, de Austin Wright

ROTEIRO DE DOCUMENTÁRIO

  • Jeff Feuerzeig (Author: The JT LeRoy Story)
  • Robert Kenner e Eric Schlosser, história por Brian Pearle e Kim Roberts (Command and Control); Baseado no livro “Command and Control”, de Eric Schlosser
  • Alex Gibney (Zero Days)
Cena do documentário Zero Days, de Alex Gibney (pic by moviepilot.de)

Cena do documentário Zero Days, de Alex Gibney (pic by moviepilot.de)

***

O WGA (Writers Guild of America) anunciará seus vencedores em 19 de fevereiro em Beverly Hills. E as indicações ao Oscar saem no dia 24 de janeiro.