Onde e quando acompanhar os indicados ao Oscar 2016

À esquerda, John Krasinski e Cheryl Boone Isaacs divulgam os indicados a Melhor Ator (photo by gettyimages from npr.org)

À esquerda, John Krasinski e Cheryl Boone Isaacs divulgam os indicados a Melhor Ator (photo by gettyimages from npr.org)

GUIA COMPLETO PARA O OSCAR 2016

Quer assistir ao maior número de indicados antes da cerimônia de entrega? Estamos a seis semanas da cerimônia no dia 28 de fevereiro, então dá pra conferir os filmes indicados sem precisar apelar pra maratonas de 48 horas consecutivas de filmes. A maior parte dos trabalhos já está disponível, seja em mídia digital ou em cartaz nos cinemas, o que facilita bastante na jornada. Eu, particularmente, como sei que é bem difícil conferir TODOS os indicados, pelo menos procuro manter a meta de assistir a todos os indicados a Melhor Filme, o que sempre ajuda a não boiar na cerimônia.

Uma das coisas que mais gostei das indicações foi o recado indireto dado pela Academia: “Assista aos filmes no cinema!”, ou seja, “nada de computadores, tablets ou smartphones. Os filmes que reconhecemos merecem ser vistos numa sala de projeção!”. Prova disso são as 12 indicações para O Regresso e as 10 de Mad Max: Estrada da Fúria, já que são produções grandiosas em escalas do tipo Cecil B. DeMille e David Lean, que proporcionam uma experiência. Sou meio purista nessa parte, então faço questão de assistir a essas produções em salas IMAX, cujas telas enormes têm medida padrão de 22m de comprimento e 16m de altura. Até onde sei, aqui no estado de São Paulo, existem 4 salas com tecnologia IMAX: Shopping Bourbon Pompéia, Shopping Anália Franco, Shopping Granja Viana e Shopping JK Iguatemi. Infelizmente, o filme de George Miller já saiu de cartaz (e está disponível em DVD e Blu-ray), mas pra quem quiser ver O Regresso, o filme estréia no dia 04 de fevereiro (podendo haver pré-estréia na semana anterior).

Mad Max: Estrada da Fúria: o filme já vale por causa do roqueiro com guitarra que expele fogo! É uma experiência única. (photo by cine.gr)

Mad Max: Estrada da Fúria: o filme já vale por causa do roqueiro com guitarra que expele fogo! É uma experiência única. (photo by cine.gr)

Também incluiria nessa lista de filmes que merecem ser vistos no cinema pela sua alta qualidade visual e sonora, que ainda estão em cartaz: Os 8 Odiados, Carol, Ponte dos Espiões e Star Wars: O Despertar da Força. Todos serão melhor degustados com os olhos com uma projeção boa, e no caso do novo filme da saga Star Wars, todo o trabalho de som, efeitos sonoros e, claro, a trilha musical de John Williams, estão impecáveis. Se eu puder dar um conselho como cinéfilo, eu diria: “Assista a esses filmes no cinema. Não estou ganhando absolutamente nada com isso, mas faça um favor para si mesmo e confira esses belos trabalhos na sala escura, livre de interrupções e celulares”.

Aqui em São Paulo, alguns filmes estão no fim de suas trajetórias nas salas de cinema como o documentário Amy e o filme de Steven Spielberg, Ponte dos Espiões. Talvez haja a possibilidade de estenderem por mais umas semanas suas permanências nas salas de cinema. Já a animação brasileira O Menino e o Mundo, de Alê Abreu, deve voltar à programação, pelo menos em sessões especiais. A Folha de S. Paulo divulgou duas reprises nos dias 20/01 e 30/01 no Festival de Cinema Infantil Buster On Tour (Buster on Tour). Além disso, o Espaço Itaú de Cinema da Augusta anunciou que exibirá todos os 5 indicados de Longa de Animação: Divertida Mente, Shaun: O Carneiro, As Memórias de Marnie (ou Quando Estou com Marnie), O Menino e o Mundo e Anomalisa. Apesar do anúncio falar dos 5 indicados, não houve menção oficial ao filme de Charlie Kaufman e Duke Johnson, Anomalisa.

Indicado a Longa de Animação, o japonês Quando Estou com Marnie mantém a tradição do Japão no Oscar (photo by cinemagia.ro)

Indicado a Longa de Animação, o japonês Quando Estou com Marnie mantém a tradição do Japão no Oscar (photo by cinemagia.ro)

Já que a programação dos cinemas nessa época gira muito em torno do Oscar, gostaria que as distribuidoras se esforçassem mais pra manter alguns filmes nas salas e também de trazer os inéditos para as telas, mesmo aqueles com apenas uma indicação ao Oscar como o sueco The 100 Year-Old Man Who Climbed Out a Window and Disappeared, que concorre apenas na categoria de Maquiagem. Entre esses inéditos, a ausência mais absurda é a de Brooklyn, que está concorrendo como Melhor Filme, Atriz (Saoirse Ronan) e Roteiro Adaptado, mas sequer tem previsão de estréia (!).

Outra coisa que fico possesso é o atraso de lançamento por causa de “falha nas indicações”. Só porque A Garota Dinamarquesa ficou de fora das categorias principais como Filme e Diretor, o longa de Tom Hooper foi empurrado pra frente. Sua previsão de estréia está marcada para o dia 25 de fevereiro, três dias antes da entrega dos prêmios.

DISPONÍVEIS EM BLU-RAY/DVD/ON DEMAND

Cinderela (Cinderella)
1 indicação: Figurino

Cinquenta Tons de Cinza (Fifty Shades of Grey)
1 indicação: Canção Original (“Earned it”)

Divertida Mente (Inside Out)
2 indicações: Roteiro Original e Longa de Animação.

Ex-Machina: Instinto Artificial (Ex Machina)
2 indicações: Roteiro Original e Efeitos Visuais.

Mad Max: Estrada da Fúria (Mad Max: Fury Road)
10 indicações: Filme, Diretor (George Miller), Fotografia, Montagem, Direção de Arte, Figurino, Maquiagem, Efeitos Visuais, Efeitos Sonoros e Som.

Shaun: O Carneiro (Shaun the Sheep Movie)
1 indicação: Longa de Animação.

Sicario: Terra de Ninguém (Sicario)
3 indicações: Fotografia, Trilha Musical Original e Efeitos Sonoros.

Shaun: O Carneiro, indicado a Melhor Longa de Animação (photo by cinemagia.ro)

Shaun: O Carneiro, indicado a Melhor Longa de Animação (photo by cinemagia.ro)

DISPONÍVEL NO NETFLIX

Cartel Land
1 indicação: Documentário

What Happened, Miss Simone?
1 indicação: Documentário

What Happened, Miss Simone?, que aborda a vida da cantora Nina Simone, concorre como Documentário (photo by cine.gr)

What Happened, Miss Simone?, que aborda a vida e carreira da cantora Nina Simone, concorre como Documentário (photo by cine.gr)

FILMES EM CARTAZ NOS CINEMAS – com base na programação de São Paulo

007 Contra Spectre (Spectre)
1 indicação: Canção Original (“Writing’s on the Wall”)

Amy (Amy)
1 indicação: Documentário

Carol (Carol)
5 indicações: Atriz (Cate Blanchett), Atriz Coadjuvante (Rooney Mara), Roteiro Adaptado, Fotografia e Figurino.

Cinco Graças (Mustang) – Em pré-estréia
1 indicação: Filme em Língua Estrangeira (França)

Creed: Nascido Para Lutar (Creed)
1 indicação: Ator Coadjuvante (Sylvester Stallone)

A Grande Aposta (The Big Short)
5 indicações: Filme, Diretor (Adam McKay), Ator Coadjuvante (Christian Bale), Roteiro Adaptado e Montagem.

Os 8 Odiados (The Hateful Eight)
3 indicações: Atriz Coadjuvante (Jennifer Jason Leigh), Fotografia e Trilha Musical Original.

Ponte dos Espiões (Bridge of Spies)
6 indicações: Filme, Ator Coadjuvante (Mark Rylance), Roteiro Original, Direção de Arte, Trilha Musical Original e Som.

Spotlight – Segredos Revelados (Spotlight)
6 indicações: Filme, Diretor (Tom McCarthy), Ator Coadjuvante (Mark Ruffalo), Atriz Coadjuvante (Rachel McAdams), Roteiro Original e Montagem.

Star Wars – O Despertar da Força (Star Wars: The Force Awakens)
4 indicações: Montagem, Trilha Musical Original, Efeitos Visuais, Efeitos Sonoros e Som.

Steve Jobs (Steve Jobs)
2 indicações: Ator (Michael Fassbender), Atriz Coadjuvante (Kate Winslet).

Os 8 Odiados concorre por Atriz Coadjuvante, Fotografia e Trilha Musical (photo by cinemagia.ro)

Os 8 Odiados concorre por Atriz Coadjuvante, Fotografia e Trilha Musical (photo by cinemagia.ro)

PREVISÃO DE ESTRÉIA – Datas previstas para São Paulo, que podem sofrer alterações de acordo com as distribuidoras

21/01: Joy: O Nome do Sucesso (Joy)
1 indicação: Atriz (Jennifer Lawrence)

28/01: Anomalisa (Anomalisa)
1 indicação: Longa de Animação.

04/02: Filho de Saul (Saul fia)
1 indicação: Filme em Língua Estrangeira (Hungria).

04/02: O Regresso (The Revenant)
12 indicações: Filme, Diretor (Alejandro G. Iñárritu), Ator (Leonardo DiCaprio), Ator Coadjuvante (Tom Hardy), Fotografia, Montagem, Direção de Arte, Figurino, Maquiagem, Efeitos Visuais, Efeitos Sonoros e Som.

11/02: Brooklin (Brooklyn)
3 indicações: Filme, Atriz (Saoirse Ronan) e Roteiro Adaptado.

11/02: A Garota Dinamarquesa (The Danish Girl)
4 indicações: Ator (Eddie Redmayne), Atriz Coadjuvante (Alicia Vikander), Direção de Arte e Figurino.

18/02: O Quarto de Jack (Room)
4 indicações: Filme, Diretor (Lenny Abrahamson), Atriz (Brie Larson) e Roteiro Adaptado.

18/02: O Lobo do Deserto (Theeb)
1 indicação: Filme em Língua Estrangeira

18/02: Trumbo – Lista Negra (Trumbo)
1 indicação: Ator (Bryan Cranston).

25/02: O Abraço da Serpente (El Abrazo de la Serpiente)
1 indicação: Filme em Língua Estrangeira

A Garota Dinamarquesa compete nas categorias de Ator, Atriz Coadjuvante, Direção de Arte e Figurino (photo by cinemagia.ro)

A Garota Dinamarquesa compete nas categorias de Ator, Atriz Coadjuvante, Direção de Arte e Figurino (photo by cinemagia.ro)

FORA DE CARTAZ E AGUARDANDO LANÇAMENTO EM BLU-RAY/DVD

45 Anos (45 Years)
1 indicação: Atriz (Charlotte Rampling)

O Menino e o Mundo
1 indicação: Longa de Animação

Perdido em Marte (The Martian)
7 indicações: Filme, Ator (Matt Damon), Roteiro Adaptado, Direção de Arte, Efeitos Visuais, Efeitos Sonoros e Som.

Straight Outta Compton: A História do N.W.A. (Straight Outta Compton)
1 indicação: Roteiro Original

O Menino e o Mundo concorre como Melhor Longa de Animação (photo by omeninoeomundo.blogspot.com)

O Menino e o Mundo concorre como Melhor Longa de Animação (photo by omeninoeomundo.blogspot.com)

SEM PREVISÃO DE ESTRÉIA (*caham!* Mas pra isso existe a internet…)

The 100 Year-Old Man Who Climed Out a Window and Disappeared (Hundraåringen som klev ut genom fönstret och försvann)
1 indicação: Maquiagem

The Hunting Ground
1 indicação: Canção Original (“Til it Happens to You”)

Juventude (Youth)
1 indicação: Canção Original (“Simple Song #3”)

The Look of Silence
1 indicação: Documentário

Quando Estou com Marnie (Omoide no Mânî)
1 indicação: Longa de Animação

Racing Extinction
1 indicação: Canção Original (“Manta Ray”)

A War (Krigen)
1 indicação: Filme em Língua Estrangeira

Winter on Fire: Ukraine’s Fight for Freedom
1 indicação: Documentário

Juventude foi indicado apenas por Canção Original (photo by cinemagia.ro)

Juventude foi indicado apenas por Canção Original (photo by cinemagia.ro)

A cerimônia da 88ª edição do Oscar será no dia 28 de fevereiro, e transmitida pelo canal pago TNT.

Anúncios

Depois de Lúcia (Después de Lucía), de Michel Franco (2012)

Pôster original de Depois de Lúcia, de Michel Franco

Pôster original de Depois de Lúcia, de Michel Franco

Segundo filme de Michel Franco descrê na Educação

Qual seria a função do cinema? Muitos responderiam “entretenimento” e não estariam de todo errados. O cinema de hoje é fruto do boom blockbusteriano originado em 1975 com o sucesso de Tubarão, de Steven Spielberg. Antes disso, cinema era visto (apenas) como Sétima Arte, permeado por cineastas consagrados como Jean-Luc Godard, Michelangelo Antonioni, Federico Fellini e Jean Renoir. Nesses tempos, os filmes eram um dos melhores meios de analisarmos a sociedade e este é o motivo desses mesmos filmes continuarem sendo atemporais.

Hoje, a regra virou exceção. Quando encontramos um filme em cartaz que esteja disposto a colocar uma luz sobre os problemas da sociedade, deveria ser um convite irrecusável em meio a tantas produções vazias. Contudo, o mercado cinematográfico nacional, tendo em mãos as estatísticas e estudos da preferência do público brasileiro, parece não se importar com o poder crítico do cinema, uma vez que o filme mexicano Depois de Lúcia estreou nesse dia 22 de março em apenas três (três!) salas em São Paulo, o maior pólo cultural do país: Cine Sabesp, Espaço Itaú de Cinema – Frei Caneca e Reserva Cultural.

Claro que o segundo longa de Michel Franco não se encaixa nos moldes de sucesso, mesmo que alternativos, pois sequer tem nomes famosos. A única publicidade que poderia atrair mais espectadores seria o prêmio Un Certain Regard (Um Certo Olhar) recebido no último Festival de Cannes. Mas para quem resolver dar uma chance ao filme, descobrirá qualidades de observação da sociedade mexicana e os problemas educacionais enfrentados em escolas de todo o mundo.

Da esquerda para a direita: Os atores Hernan Mendoza e Tessa Ia ao lado do diretor Michel Franco no Festival de Cannes (photo by www.cinemagia.ro)

Da esquerda para a direita: Os atores Hernan Mendoza e Tessa Ia ao lado do diretor Michel Franco no Festival de Cannes (photo by http://www.cinemagia.ro)

Depois de Lúcia começa com a mudança de cidade, da costa do Pacífico (Puerto) para a Cidade do México, do chef de cozinha Roberto e sua filha adolescente Alejandra. Apesar de haver poucas explanações, a Lúcia do título é a mãe da família, morta recentemente em um acidente automobilístico, e isso basta para situar o espectador da situação de luto dos personagens. A jovem Alejandra mantém um relacionamento de cumplicidade com o pai, mas não há diálogo suficiente sobre como lidar com problemas da nova vida. Inicialmente aceita por um grupo de amigos da escola, ela acaba cometendo um deslize comum nessa idade. Porém, sem querer importunar o pai nesse momento delicado, ela resolve enfrentar calada a tortura física e psicológica que seus colegas de classe impõem nesse julgamento moral.

Obviamente, não há nada muito novo nesse tema tão na moda como o bullying, mas a abordagem de Franco deixa o público atônito com a realidade cruel do universo de filhos e alunos de hoje enquanto o mantém de mãos atadas sem qualquer poder de reação diante das imagens. Sem poder contar com o amparo das forças policiais e da política, o diretor faz com que o espectador se sinta inútil e ausente perante a decadência dos jovens de hoje. Já na tela, o pai de Alejandra, Roberto, até clama por justiça, mas não vê outro meio de fazer algo de concreto pela filha a não ser se despir dos pudores morais.

A atriz Tessa Ia dá vida à personagem Alejandra numa jornada de martírio silencioso (photo by OutNow.CH)

A atriz Tessa Ia dá vida à personagem Alejandra numa jornada de martírio silencioso (photo by OutNow.CH)

Apesar do cinema fazer algumas alterações ou mesmo exagerar em algumas situações para comprovar seu ponto de vista, este filme busca ser apenas um retrato fiel da sociedade mexicana atual. Num artigo do escritor David Toscana, publicado no Estado de S. Paulo no dia 11 de março de 2013, intitulado “O México parou de ler”, temos um relato chocante sobre a ineficiência do sistema educacional mexicano. Toscana afirma que, embora haja mais crianças matriculadas hoje, elas aprendem menos. Cita também a recente pesquisa de avaliação de hábitos de leitura feita pela Unesco com 108 países, na qual o México caiu para a vergonhosa penúltima colocação. As crianças mexicanas estão saindo das escolas praticamente como analfabetas.

Infelizmente, muito desse estudo se reflete no Brasil. Nessa semana, o MEC proibiu a criação de novos cursos de Direito simplesmente porque o nível de aprovação no exame da Ordem de Advogados do Brasil (OAB) era baixíssimo. O índice de reprovação foi de 93%! E o que dizer do último ENEM? Dois candidatos resolveram brincar na redação sobre imigração ao inserirem uma receita de miojo e trecho do hino do clube de futebol Palmeiras, conseguindo ainda pontuação média. Apesar da atitude ridícula dos estudantes, impressiona o método de avaliação aplicado. Vale ainda lembrar que há mais de um ano vemos nos noticiários mortes e acidentes graves causados por erros gritantes de enfermeiros e auxiliares de enfermagem nos hospitais públicos.

O colunista da Folha de S. Paulo, José Simão, até brincou com a situação degradante do ensino. “… enquanto aluno do Enem dá receita de Miojo, (Aloizio Mercadante – Ministro da Educação) se regala com macarronada em Roma (paparicando o novo Papa ao lado da Dilma)”. Enquanto não houver “A” reforma educacional, o Brasil permanecerá sendo mero candidato a país do futuro.

Atitudes infantis no ENEM desmascaram sistema de avaliação falho (foto por castrodigital.com.br)

Atitudes infantis no ENEM desmascaram sistema de avaliação falho (foto por castrodigital.com.br)

Claro que não se trata apenas da educação como formação acadêmica. Depois de Lúcia procura resgatar a educação politicamente incorreta que havia algumas décadas atrás, quando pais e professores aplicavam disciplina com rigor. Havia uma espécie de permissão dos pais para que castigos físicos pudessem fazer parte do método de ensino. Hoje, esse mesmo método é visto com maus olhos porque a sociedade acredita que punições físicas são coisas ultrapassadas e inadequadas, porém, tinha um objetivo muito definido: dignidade e respeito ao próximo. Muitos professores brasileiros que atuam no sistema público votariam a favor da volta da palmatória. Provavelmente, se a boa e velha palmatória permanecesse nos manuais escolares, hoje haveria menos Alejandras.

Depois de Lúcia, ou como os americanos dizem After Lucia, foi nomeado o representante do México na disputa pelo Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, mas como o número de indicados permanece cinco, e o longa apresenta sequências violentas, acabou ficando de fora. Felizmente estreou por aqui, mas corra esta semana para assistir antes que saia de cartaz para dar lugar a um filme vazio. E recomendo também o filme A Caça, de Thomas Vinterberg, outro tapa na cara do politicamente correto. Estreou apenas na sala Espaço Itaú de Cinema- Augusta.

AVALIAÇÃO: BOM