‘Deadpool’ compete no PGA com ‘La La Land’, ‘Moonlight’ e ‘A Qualquer Custo’

hell-or-high-water-mit-chris-pine-und-ben-foster.jpg

Ben Foster e Chris Pine em cena de A Qualquer Custo, de David Mackenzie. Pic by moviepilot.de

SELECIONADOS DEMONSTRAM DIVERSIDADE DE GÊNEROS: SCI-FI, QUADRINHOS, DRAMAS, GUERRA E MUSICAL

Nesta terça, dia 10, o sindicato dos produtores, Producers Guild of America (PGA), elegeu seus 10 melhores do ano. Os selecionados certamente tiveram suas chances ampliadas para o Oscar. Os excluídos praticamente são cartas fora do baralho.

  • ATÉ O ÚLTIMO HOMEM (Hacksaw Ridge)
  • CERCAS (Fences)
  • A CHEGADA (Arrival)
  • DEADPOOL (Deadpool)
  • ESTRELAS ALÉM DO TEMPO (Hidden Figures)
  • LA LA LAND: CANTANDO ESTAÇÕES (La La Land)
  • LION: UMA JORNADA PARA CASA (Lion)
  • MANCHESTER À BEIRA-MAR (Manchester by the Sea)
  • MOONLIGHT: SOB A LUZ DO LUAR (Moonlight)
  • A QUALQUER CUSTO (Hell or High Water)

Logo após conquistar todos os sete Globos de Ouros a que estava indicado, o musical de Damien Chazelle, La La Land, continua sua trajetória vitoriosa ao garantir vaga no PGA. Se o vencedor do Globo de Ouro de Melhor Filme – Comédia ou Musical está dentro, o vencedor de Filme – Drama, Moonlight, também está na lista, tornando-se uma possível pedra no sapato de La La Land.

E particularmente, gostei da indicação de A Qualquer Custo.Trata-se de uma produção modesta, mas que tem muito a dizer. Sua trama sobre roubos a banco tem um fundo político que reflete bastante a realidade atual, e seus personagens são muito bem defendidos por todos os atores: dos principais como Ben Foster, Chris Pine e Jeff Bridges até as garçonetes que tem uma cena e os quase figurantes. Há sequências e diálogos que me lembram dos filmes dos irmãos Coen como Fargo e Onde os Fracos Não Têm Vez, que são excelentes referências para qualquer cineasta.

Embora tenha sido indicado ao Globo de Ouro de Melhor Filme – Comédia ou Musical, a entrada de Deadpool aqui não deixa de ser uma surpresa, afinal quando se trata de premiações sérias, as adaptações de quadrinhos só costumam ser lembradas nas categorias de efeitos visuais, efeitos sonoros e som. O filme estrelado por Ryan Reynolds é a primeira baseada em HQs a ser indicada ao PGA desde Batman – O Cavaleiro das Trevas em 2009. Resta saber se Deadpool terá mais êxito ao ser indicado para o Oscar de Melhor Filme, já que o longa de Christopher Nolan morreu na praia. Quer dizer, levou duas estatuetas (Ator Coadjuvante para Heath Ledger e Efeitos Sonoros), mas não estava entre os cinco indicados a Filme. Aliás, foi graças ao filme de Nolan que a Academia passou a indicar dez filmes no ano seguinte.

deadpool-206548l

WAAAIT! Cena de ação de Deadpool: a piada das calças marrons. Pic by cinemagia.ro

A lista de excluídos inclui alguns títulos que podem surpreender na lista da Academia como o esquecido Silêncio, de Martin Scorsese, ou Animais Noturnos (que se deu bem no BAFTA – veja matéria a seguir) ou até mesmo Florence: Quem é Essa Mulher? que pode muito bem ser impulsionado pela força do elenco e até de categorias como Direção de Arte e Figurino. Mas, por enquanto, para eles fica a torcida para que haja reviravoltas que eles possam aproveitar até o dia 24 de janeiro, quando as indicações ao Oscar serão anunciadas.

Já outras produções como 20th Century Women, Capitão Fantástico e Sully: O Herói do Rio Hudson podemos considerar praticamente cartas fora do baralho, tendo como base seu histórico nas premiações anteriores como Critics’ Choice e Globo de Ouro. Aliás, o filme de Clint Eastwood foi uma das maiores decepções até o momento, pois o mais relevante que conseguiu até agora foi a indicação de Tom Hanks no Critics’. Sendo otimista, diria que Sully consegue no máximo uma indicação para Melhor Montagem.

hidden-figures-unerkannte-heldinnen-mit-octavia-spencer-taraji-p-henson-und-janelle-monae

Da esquerda para direita: Janelle Monáe, Taraji P. Henson e Octavia Spencer em cena de Estrelas Além do Tempo, de Theodore Melfi. Pic by moviepilot.de

As estatísticas do PGA em relação ao Oscar não é tão boa como do DGA (sindicato dos diretores), mas 19 acertos nos 27 anos é considerável. Inclusive, vinha de uma ótima sequência de oito acertos: Birdman, 12 Anos de Escravidão, Argo, O Artista, O Discurso do Rei, Guerra ao Terror, Quem Quer Ser um Milionário? e Onde os Fracos Não Têm Vez, até o ano passado, quando o PGA optou por premiar A Grande Aposta e o Oscar, Spotlight – Segredos Revelados. Mas vamos dar um desconto porque 2016 foi um ano bem dividido entre esses dois filmes e O Regresso, além de Mad Max: Estrada da Fúria.

***

Os vencedores do PGA serão anunciados no dia 28 de janeiro.

Anúncios

‘Spotlight’ e ‘A Grande Aposta’ vencem o WGA 2016

spotlight-889839l-1600x1200-n-469e0dd8

Cena de Spotlight – Segredos Revelados (photo by cinemagia.ro)

FAVORITOS BATEM METADE DE SEUS CONCORRENTES AO OSCAR

Dentre os inúmeros prêmios de sindicatos, o Writers Guild of America (sindicato dos roteiristas) é o que costuma viver num universo paralelo ao Oscar. Não que seja independente ou cínico, mas por ter as regras mais rígidas, acaba excluindo vários trabalhos considerados elegíveis por outros.

Entre várias regras do regulamento está a obrigação do roteirista ser membro ou afiliado ao sindicato para concorrer, e isso elimina um dos maiores roteiristas da atualidade: Quentin Tarantino, que mesmo não sendo membro do WGA, é indicado e vence na categoria de Roteiro Original no Oscar. Como nenhum dos lados se mostra desconfortável com esse quadro, o WGA permanece firme e forte com suas convicções. Talvez por essa desunião que a categoria seja uma das mais frequentes grevistas dos últimos anos.

Nesta 68ª edição, no entanto, os favoritos nas categorias do Oscar não só eram elegíveis, como também venceram: Spotlight – Segredos Revelados e A Grande Aposta ganharam como Roteiro Original e Roteiro Adaptado, respectivamente. Os vencedores, votados por mais de 12 mil membros, foram anunciados em cerimônia que ocorreu nesse último dia 13 de fevereiro.

spotlight-big-short-wga-awards

Josh Singer aceita o prêmio de Roteiro Original do WGA por Spotlight – Segredos Revelados (photo by latimes.com)

O drama jornalístico Spotlight bateu seus concorrentes ao Oscar: Ponte dos Espiões e Straight Outta Compton: A História do N.W.A., além de Sicario: Terra de Ninguém e a comédia Descompensada. Já a comédia sobre a crise financeira de 2008, A Grande Aposta, venceu os indicados ao Oscar Carol e Perdido em Marte, além de Steve Jobs e Trumbo – Lista Negra.

Em discurso, Adam McCarthy agradeceu a produtora Open Road “por nos deixar fazer o filme que queríamos” e citou a tragédia de “milhares que perderam suas casas e milhares que perderam seus empregos”, enquanto Josh Singer agradeceu à colunista do jornal Boston Globe, Ellen McNamara, por ser a primeira a escrever sobre os escândalos de abuso e do sobrevivente dos abusos Phil Saviano, que estava presente no evento.

68th Annual Writers Guild Awards, show, West Coast Ceremony, Los Angeles, America - 13 Feb 2016

Adam McKay posa com seu WGA award por Roteiro Adaptado por A Grande Aposta. (photo by Rob Latour/Variety/REX/Shutterstock)

 

Mesmo com essas exclusões devido ao regulamento, o WGA ainda consegue ser um bom parâmetro em relação ao Oscar. Nos últimos 21 anos, foram 15 acertos na categoria de Roteiro Adaptado, e 13 de Roteiro Original. No ano passado, O Jogo da Imitação venceu o WGA de Roteiro Adaptado e o Oscar, enquanto O Grande Hotel Budapeste ficou apenas com o WGA de Roteiro Original, sendo derrotado em seguida no Oscar por Birdman, cujo roteiro não era elegível pela Academia por seus roteiristas não serem afiliados ao WGA.

Pela categoria de Roteiro de Documentário, Alex Gibney levou o prêmio por Going Clear: Scientology and the Prison of Belief. Ele dedicou o prêmio “às pessoas dispostas a se pronunciar contra os abusos dos direitos humanos”, incluindo Paul Haggis (diretor de Crash – No Limite), membro do WGA e ex-cientologista. A vitória de Gibney, infelizmente, nada significa para a corrida ao Oscar, já que sequer foi indicado.

Pelos trabalhos televisivos, Mad Men, Veep e Mr. Robot foram os grandes vencedores, além da aclamada minissérie Fargo. E o prêmio Screen Laurel pelo conjunto da obra foi para Elaine May, conhecida pelos roteiros de O Céu Pode Esperar (1987), Tootsie (1982) e Segredos do Poder (1998).

Seguem os vencedores do 68º Writers Guild of America:

CINEMA

ROTEIRO ORIGINAL
• “Spotlight,” Written by Josh Singer & Tom McCarthy; Open Road Films

ROTERIO ADAPTADO
• “The Big Short,” Screenplay by Charles Randolph and Adam McKay; Based on the Book by Michael Lewis; Paramount Pictures

ROTEIRO DE DOCUMENTÁRIO
“Going Clear: Scientology and the Prison of Belief,” Written by Alex Gibney; HBO Documentary Films 

TELEVISÃO E NOVAS MÍDIAS

SÉRIE DE DRAMA
• “Mad Men,” Written by Lisa Albert, Semi Chellas, Jonathan Igla, Janet Leahy, Erin Levy, Tom Smuts, Robert Towne, Matthew Weiner, Carly Wray; AMC 

SÉRIE DE COMÉDIA
• “Veep,” Written by Simon Blackwell, Jon Brown, Kevin Cecil, Roger Drew, Peter Fellows, Neil Gibbons, Rob Gibbons, Sean Gray, Callie Hersheway, Armando Iannucci, Sean Love, Ian Martin, Georgia Pritchett, David Quantick, Andy Riley, Tony Roche, Will Smith; HBO

NOVA SÉRIE
• “Mr. Robot,” Written by Kyle Bradstreet, Kate Erickson, Sam Esmail, David Iserson, Randolph Leon, Adam Penn, Matt Pyken; USA 

LONG FORM ORIGINAL
• “Saints & Strangers,” Written by Seth Fisher, Walon Green, Chip Johannessen, Eric Overmyer; National Geographic Channel 

LONG FORM ADAPTED
• “Fargo,” Written by Steve Blackman, Bob DeLaurentis, Noah Hawley, Ben Nedivi, Matt Wolpert, Based on the film Fargo; FX 

SHORT FORM NEW MEDIA – ORIGINAL
• “Back to Reality” (Weight), Written by Daryn Strauss; weighttheseries.com

SHORT FORM NEW MEDIA – ADAPTED
• “Chapter Two: Phoebe” (Heroes Reborn: Dark Matters), Written by Zach Craley; nbc.com

ANIMAÇÃO
• “Housetrap” (Bob’s Burgers), Written by Dan Fybel; Fox 

EPISODIC DRAMA
• “Uno” (Better Call Saul), Written by Vince Gilligan & Peter Gould; AMC

EPISODIC COMEDY
“Sand Hill Shuffle” (Silicon Valley), Written by Clay Tarver; HBO

COMEDY / VARIETY (INCLUDING TALK) – SERIES
• “Real Time with Bill Maher,” Writers: Scott Carter, Adam Felber, Matt Gunn, Brian Jacobsmeyer, Jay Jaroch, Chris Kelly, Bill Maher, Billy Martin, Danny Vermont; HBO  

COMEDY / VARIETY – SKETCH SERIES
• “Inside Amy Schumer,” Head Writer: Jessi Klein Writers: Hallie Cantor, Kim Caramele, Kyle Dunnigan, Jon Glaser, Kurt Metzger, Christine Nangle, Dan Powell, Tami Sagher, Amy Schumer; Comedy Central 

COMEDY / VARIETY – MUSIC, AWARDS, TRIBUTES – SPECIALS
• Jimmy Kimmel Live: 10th Annual After The Oscars Special, Written by Jack Allison, Tony Barbieri, Jonathan Bines, Joelle Boucai, Greg Dorris, Gary Greenberg, Josh Halloway, Sal Iacono, Eric Immerman, Jimmy Kimmel, Bess Kalb, Jeff Loveness, Molly McNearney, Danny Ricker, Joe Strazzullo, Bridger Winegar; ABC  

QUIZ AND AUDIENCE PARTICIPATION
• “Hollywood Game Night,” Head Writer: Grant Taylor; Writers: Michael Agbabian, Alex Chauvin, Ann Slichter, Dwight D. Smith; NBC 

DAYTIME DRAMA
• “General Hospital,” Writers: Ron Carlivati, Anna Theresa Cascio, Andrea Archer Compton, Suzanne Flynn, Kate Hall, Elizabeth Korte, Daniel James O’Connor, Elizabeth Page, Jean Passanante, Katherine Schock, Scott Sickles, Chris Van Etten; ABC

CHILDREN’S SCRIPT – EPISODIC AND SPECIALS
“Gortimer, Ranger and Mel vs. The Endless Night” (Gortimer Gibbon’s Life on Normal Street), Written by Gretchen Enders & Aminta Goyel; Amazon Studios  

CHILDREN’S SCRIPT – LONG FORM OR SPECIAL
“Descendants,” Written by Josann McGibbon & Sara Parriott; Disney Channel  

DOCUMENTARY SCRIPT – CURRENT EVENTS
• “American Terrorist” (Frontline), Written by Thomas Jennings; PBS  

DOCUMENTARY SCRIPT – OTHER THAN CURRENT EVENTS
• “The Great Math Mystery” (Nova), Written by Daniel McCabe; PBS  

TV NEWS SCRIPT – REGULARLY SCHEDULED, BULLETIN, OR BREAKING REPORT
  “Cuba” (60 Minutes), Written by Scott Pelley, Nicole Young, Oriana Zill de Granados, Andy Court and Robert Anderson; CBS News  WINNER

TV NEWS SCRIPT – ANALYSIS, FEATURE, OR COMMENTARY
• “The Storm After the Storm” (60 Minutes), Written by Sharyn Alfonsi, Michael Rey and Oriana Zill de Granados; CBS News 

RÁDIO

RADIO DOCUMENTARY
• “Marking the End of Vietnam: 40 Years Later,” Written by Andrew Evans; ABC News Radio

RADIO NEWS SCRIPT—REGULARLY SCHEDULED, BULLETIN, OR BREAKING REPORT
• “Remembering New York Icons,” Written by Thomas A. Sabella; CBS Radio News

RADIO NEWS SCRIPT – ANALYSIS, FEATURE, OR COMMENTARY
• “Passages,” Written by Gail Lee; CBS Radio News

PROMOCIONAIS

ON-AIR PROMOTION (TELEVISION, NEW MEDIA OR RADIO)
• “The McCarthys and Under the Dome Promos,” Written by Erial Tompkins; CBS

VIDEOGAME

OUTSTANDING ACHIEVEMENT IN VIDEOGAME WRITING
• Rise of the Tomb Raider, Lead Narrative Designer John Stafford; Narrative Designer Cameron Suey; Lead Writer Rhianna Pratchett; Additional Writer Philip Gelatt; Microsoft

Pra elevar a imprevisibilidade do Oscar, ‘A Grande Aposta’ leva o PGA Awards

Big Short PGA.jpg

Os produtores Dede Gardner e Jeremy Kleiner recebem o PGA Awards por A Grande Aposta (photo by thehollywoodreporter.com)

COMÉDIA ESTRELADA POR STEVE CARELL E CHRISTIAN BALE BATE FAVORITOS

Pra quem imaginava que o Oscar de Melhor Filme estaria entre Spotlight e O Regresso, eis que surge sua mais nova alternativa: A Grande Aposta! A comédia sobre a origem da crise econômica de 2008 levou o prêmio Darryl F. Zanuck de Melhor Produção do Ano, o que o coloca automaticamente como front-runner do Oscar.

Essa escolha foi tão inusitada que até os produtores do filme, Jeremy Kleiner e Dede Gardner, subiram ao palco chocados. Infelizmente, Brad Pitt, também produtor, não estava presente na cerimônia, e o diretor Adam McKay, estava ausente devido à nevasca que assolou parte dos EUA. “Nós tivemos privilégio em nossas mãos como contadores de histórias. Precisamos contar histórias que refletem nosso mundo em cada esquina.” – disse Gardner no discurso de agradecimento. Vale lembrar que Gardner, Kleiner e Pitt ganharam o PGA em 2014 com 12 Anos de Escravidão.

Agora, com boa parte dos mesmos produtores que elegeram A Grande Aposta votando no Oscar, as chances da comédia levar Melhor Filme na Academia são muito boas. Apesar de O Regresso e Mad Max: Estrada da Fúria terem reinado nas indicações, com 12 e 10, respectivamente, o prêmio do PGA costuma ser um ótimo parâmetro para o Oscar.

The Big Short PGA

Cena de A Grande Aposta com Steve Carell e Ryan Gosling (photo by outnow.ch)

Ano passado mesmo, Boyhood: Da Infância à Juventude era o franco-favorito até perder para Birdman no PGA. As estatísticas comprovam a eficácia do Producers Guild: 19 acertos em 26 anos de existência do PGA, tendo acertado os últimos oito anos. O último “erro” foi em 2007, quando eles votaram em Pequena Miss Sunshine, e o Oscar elegeu Os Infiltrados.

Claro que não tem nada ganho ainda. Embora o PGA seja um ótimo prognóstico, não tem nada definido ainda. Algumas coisas devem ser consideradas nessas próximas semanas, como por exemplo o SAG Awards. Apesar de muitos negarem, o prêmio de Ensemble Cast (Elenco) ajuda na hora do desempate, ainda mais por que estará concorrendo com o elenco de Spotlight, outro forte concorrente de Melhor Filme.

Outro poderoso indicativo nessas horas é o DGA Awards, que acontece no dia 06 de fevereiro. Se Adam McKay levar o prêmio, podemos dizer que A Grande Aposta está com a taça nas mãos. E se George Miller (Mad Max) ou Alejandro G. Iñárritu (O Regresso) levarem? Aí já pode enfraquecer a campanha do filme, já que a Academia não costuma separar os prêmios de Filme e Diretor. E se Tom McCarthy (Spotlight) ou Ridley Scott (Perdido em Marte) levarem o DGA? Bem, aí eu diria que este será o Oscar mais porra-louca da história! Do tipo tudo-pode-acontecer!

Se a Academia, como cerimônia e evento de televisão, visa conquistar audiência depois dessa polêmica do #OscarStillSoWhite, esta pode ser a oportunidade que estava esperando: já que não existem favoritos, por que não surpreender?

Por outro lado, pelas demais categorias, o favoritismo se confirmou com as vitórias de Amy como Melhor Documentário e Divertida Mente como Animação.

inside out pga

Cena de Divertida Mente, que levou mais um prêmio rumo ao Oscar (photo by outnow.ch)

Pelos trabalhos de televisão, a Melhor Minissérie ficou com Fargo, a Melhor Série com Game of Thrones, por sua quinta temporada, e Melhor de Comédia foi para Transparent, por sua primeira temporada.

Durante a cerimônia do PGA, a polêmica racista do Oscar teve desdobramentos. A co-presidente do sindicato de produtores, Lori McCreary, declarou: “Produtores sempre serviram a indústria como líderes e hoje estamos pedindo a todos vocês para tomar uma decisão consciente para desafiar o status quo sobre nossos elencos, nossas equipes, e nossas companhias a serem tão diversas como nosso público para quem fazemos disso entretenimento.”

Acredito que esse recado é destinado somente para aqueles maus profissionais que preferem dar oportunidade a um branco só por ser branco, porque ele é preconceituoso. Já os verdadeiros profissionais, que não precisam ouvir essa ladainha, contratam de acordo com o profissionalismo e talento da pessoa apenas.

Seguem os vencedores do 27º PGA:

CINEMA

PRÊMIO Darryl F. Zanuck DE MELHOR FILME:

A Grande Aposta (The Big Short)
Produtores: Brad Pitt & Dede Gardner, Jeremy Kleiner

MELHOR PRODUÇÃO DE ANIMAÇÃO:

Divertida Mente (Inside Out)
Produtor: Jonas Rivera

MELHOR PRODUÇÃO DE DOCUMENTÁRIO:

Amy (Amy)
Produtor: James Gay-Rees

TELEVISÃO

MELHOR SÉRIE DE LONGA-DURAÇÃO OU FILME PARA TV:

Fargo (Season 2)
Produtores: Noah Hawley, John Cameron, Ethan Coen, Joel Coen, Warren Littlefield, Kim Todd 

Fargo kirsten-dunst-coiffeuse-deuxieme-saison-fargo

Kirsten Dunst em cena da minissérie Fargo (FX).

MELHOR SÉRIE EPISÓDICA – DRAMA:

Game of Thrones (Season 5)
Produtores: David Benioff, D.B. Weiss, Bernadette Caulfield, Frank Doelger, Carolyn Strauss, Bryan Cogman, Lisa McAtackney, Chris Newman, Greg Spence 

MELHOR SÉRIE EPISÓDICA – COMÉDIA:

Transparent (Season 1)
Producers: Jill Soloway, Andrea Sperling, Victor Hsu, Nisha Ganatra, Rick Rosenthal, Bridget Bedard

MELHOR PRODUÇÃO DE NÃO-FICÇÃO DE TELEVISÃO:

The Jinx: The Life and Deaths of Robert Durst (Season 1)
Produtores: Marc Smerling, Andrew Jarecki, Jason Blum

MELHOR PRODUÇÃO DE COMPETIÇÃO DE TV:

The Voice (Seasons 7 and 8)
Produtores: Audrey Morrissey, Mark Burnett, John de Mol, Marc Jansen, Lee Metzger, Chad Hines, Jim Roush, Kyra Thompson, Mike Yurchuk, Amanda Zucker, Carson Daly

MELHOR PRODUÇÃO DE ENTRETENIMENTO AO VIVO E ENTREVISTA:

Last Week Tonight with John Oliver (Season 2)
Produtores: Tim Carvell, John Oliver, Liz Stanton

MELHOR PROGRAMA DE ESPORTES:

Real Sports with Bryant Gumbel

MELHOR SÉRIE DIGITAL

Comedians in Cars Getting Coffee

MELHOR PROGRAMA INFANTIL:

Sesame Street

Critics’ Choice elege ‘Spotlight’ como Melhor Filme

spotlight critics choice gettyimages-505440458_-_h_2016

À esquerda, o produtor Steve Golin e o elenco de ‘Spotlight – Segredos Revelados’, que venceu o prêmio de Melhor Filme (photo by hollywoodreporter.com)

‘MAD MAX’ CONQUISTOU 9 PRÊMIOS, INCLUINDO O DE MELHOR DIRETOR PARA GEORGE MILLER

Como postei aqui anteriormente, o Critics’ Choice Awards, apelidado carinhosamente por mim de “A Bolha Assassina” por abranger todas as categorias possíveis, representa uma penca de críticos dos EUA e do Canadá. Agora a questão é: “Eles votam guiados por suas análises críticas ou tentam acertar os futuros vencedores do Oscar?”. Como as edições anteriores comprovam, o prêmio previu 11 vencedores de Melhor Filme dos últimos 15 anos, uma estatística bastante expressiva.

Como já discutido no blog, hoje existem muitos prêmios que buscam ser o melhor parâmetro para o Oscar, principalmente depois que o Globo de Ouro deixou o posto, mas não sabemos até quando a Academia deixará de ser previsível dessa forma, pois sabe que, por mais que tenha seu prestígio único, depende de audiência para sua cerimônia, e para isso, precisa de elementos-surpresa para atrair a atenção do público e da mídia. No entanto, até esse dia chegar, o Critics’ Choice continua sendo um bom termômetro e este ano, elegeu Spotlight – Segredos Revelados como Melhor Filme do ano, batendo os favoritos O Regresso e Mad Max: Estrada da Fúria. Seria um indicativo?

The 21st Annual Critics' Choice Awards - Show

Rachel McAdams recebe o prêmio de Elenco, representando seus colegas do filme Spotlight – Segredos Revelados. (Photo by Kevin Winter/Getty Images – Just Jared)

Sim, a vitória do drama sobre os crimes sexuais de padres católicos no Critics’ Choice demonstra um forte poder de reação do filme após definhar nos prêmios de sindicatos e no Globo de Ouro, onde perdeu para O Regresso. Por outro lado, vale lembrar que esses mesmos críticos foram na onda do momento e elegeram O Segredo de Brokeback Mountain, A Rede Social e Boyhood: Da Infância à Juventude, que depois padeceram para Crash – No Limite, O Discurso do Rei e Birdman, respectivamente, no Oscar. Particularmente nesses casos, prefiro os votos dos críticos, principalmente no ano em que o mega-maniqueísta Crash – Limite levou o Oscar.

O mesmo vale para categorias de atuação, onde alguns tinham todo o favoritismo a seu lado, mas não confirmaram seu predomínio no Oscar. Foram os casos de Eddie Murphy (Dreamgirls: Em Busca de um Sonho), Mickey Rourke (O Lutador) e Lauren Bacall (O Espelho tem Duas Faces) pra citar uns exemplos. Portanto, favoritos deste ano como Leonardo DiCaprio (O Regresso) e Sylvester Stallone (Creed: Nascido Para Lutar) podem, sim, perder seus tronos nessas seis semanas seguintes.

Sylvester Stallone critics-choice-awards-20160117-002

Desta vez, Sylvester Stallone não se esqueceu de mencionar o diretor de Creed: Nascido Para Lutar, Ryan Coogler (photo by chicagotribune.com)

Como estratégia, o Critics’ Choice insere seu prêmio bem na semana do anúncio das indicações ao Oscar. Trata-se de uma boa oportunidade de já conferir muitos dos recém-indicados ao Oscar andando no tapete vermelho e ter uma possível prévia dos vencedores e seus discursos de agradecimento. Sim, se os discursos forem chatos e longos, muitos chegam a mudar seus votos na hora da eleição na Academia. Ninguém quer outra Greer Garson… Dos vencedores das categorias de cinema, o único vencedor que não está incluso na festa do Oscar é a canção “See You Again”, do filme Velozes & Furiosos 7. Sem contar, claro, as categorias inexistentes no Oscar como Atriz de Comédia, Ator e Atriz de Filme de Ação, Ficção Científica etc.

Outro diferencial em relação à cerimônia do Oscar, que muitos apoiam, é a desnecessidade de apresentar os prêmios técnicos a fim de agilizar o evento. Num clipe de curtíssima duração, foram anunciados vários vencedores como Fotografia, Direção de Arte, Figurino etc, cuja maioria foi vencida por Mad Max. Tinha prêmios que foram anunciados do lado de fora da festa por repórteres como Melhor Animação! Tudo bem que querem reduzir a duração do evento, mas desse forma?

Eu acredito que a cerimônia do Oscar precisa dar uma recauchutada, mas não voto nas exclusões dessas categorias. Acho um crime! Por exemplo, muitos vencedores do Oscar de Curta-Metragem mal conseguem alguma projeção mesmo aparecendo na televisão, imagina se forem apenas mencionados! Se for pra limar alguma coisa, por que não reduzir as piadinhas dos apresentadores (que ninguém dá risada)?

Talvez essa indiferença do Critics’ Choice em categorias técnicas tenha causado a ausência de diretores também. Nas vitórias de Ex-Machina: Instinto Artificial como Melhor Filme de Ficção Científica e na de Mad Max: Estrada da Fúria como Filme de Ação e Melhor Diretor, Alex Garland e George Miller não estavam presentes.

Se bem que achei o nível de ausências muito alto. Corrijam-me se estiver enganado: Mark Ruffalo, Michael Keaton, Brie Larson, Tom Hardy, Charlize Theron e Leonardo DiCaprio, o único que teve direito a um discurso de agradecimento pré-filmado vendido como transmissão ao vivo via satélite. Achei um pouco desrespeitoso para os concorrentes de Leo, que compareceram ao evento sem saber que iriam perder.

Dos presentes, o discurso mais aplaudido foi do pequeno Jacob Tremblay, que levou o prêmio de Melhor Jovem Ator ou Atriz por sua performance em O Quarto de Jack. Sem alcançar direito o microfone, ele teve a ajuda do apresentador para logo em seguida dizer: “Este é o melhor dia da minha vida!”. Mencionou o alto nível de talento de seus colegas da categoria, agradeceu o elenco e a equipe do filme e terminou com: “Já sei onde colocar esse prêmio: na prateleira, ao lado da minha (espaçonave) Millenium Falcon”. Pena que ele não terá essa oportunidade no Oscar, já que ficou de fora da competição.

 

Seguem os vencedores do 21º Critics’ Choice Awards:

CINEMA

FILME
Spotlight – Segredos Revelados (Spotlight)

ATOR
Leonardo DiCaprio (O Regresso)

ATRIZ
Brie Larson (O Quarto de Jack)

ATOR COADJUVANTE
Sylvester Stallone (Creed: Nascido Para Lutar)

ATRIZ COADJUVANTE
Alicia Vikander (A Garota Dinamarquesa)

DIRETOR: George Miller (Mad Max: Estrada da Fúria)

COMÉDIA
A Grande Aposta (The Big Short)

ATOR EM COMÉDIA
Christian Bale (A Grande Aposta)

ATRIZ EM COMÉDIA
Amy Schumer (Descompensada)

ROTEIRO ORIGINAL
Josh Singer e Tom McCarthy (Spotlight – Segredos Revelados)

ROTEIRO ADAPTADO
Charles Randolph e Adam McKay (A Grande Aposta)

ELENCO
Spotlight – Segredos Revelados

JOVEM ATOR OU ATRIZ
Jacob Tremblay (O Quarto de Jack)

TERROR OU FICÇÃO CIENTÍFICA
Ex-Machina: Instinto Artificial (Ex Machina)

FILME DE AÇÃO
Mad Max: Estrada da Fúria (Mad Max: Fury Road)

LONGA DE ANIMAÇÃO
Divertida Mente (Inside Out)

ATOR EM FILME DE AÇÃO
Tom Hardy (Mad Max: Estrada da Fúria)

ATRIZ EM FILME DE AÇÃO
Charlize Theron (Mad Max: Estrada da Fúria)

FOTOGRAFIA
Emmanuel Lubezki (O Regresso)

DIREÇÃO DE ARTE
Colin Gibson (Mad Max: Estrada da Fúria)

MONTAGEM
Margaret Sixel (Mad Max: Estrada da Fúria)

FIGURINO
Jenny Beavan (Mad Max: Estrada da Fúria)

MAQUIAGEM E CABELO
Mad Max: Estrada da Fúria

EFEITOS VISUAIS
Mad Max: Estrada da Fúria

CANÇÃO
“See You Again” (Velozes & Furiosos 7)

FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA
Filho de Saul (Saul Fia)

DOCUMENTÁRIO
Amy (Amy)

TRILHA MUSICAL
Ennio Morricone (Os 8 Odiados)

TELEVISÃO

SÉRIE DE COMÉDIA
Master of None

SÉRIE DRAMÁTICA
Mr. Robot

ATOR EM SÉRIE DRAMÁTICA
Rami Malek (Mr. Robot)

ATRIZ EM SÉRIE DRAMÁTICA
Carrie Coon (The Leftovers)

ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA
 Jeffrey Tambor (Transparent)

ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA
Rachel Bloom (Crazy Ex-Girlfriend)

ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE DE COMÉDIA
Andre Braugher (Brooklyn Nine-Nine)

ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE DE COMÉDIA
Mayim Bialik (The Big Bang Theory)

FILME FEITO PARA TV OU MINISSÉRIE
Fargo

ATOR EM FILME FEITO PARA TV OU MINISSÉRIE
Idris Elba (Luther)

ATRIZ EM FILME FEITO PARA TV OU MINISSÉRIE
Kirsten Dunst (Fargo)

ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE DRAMÁTICA
Christian Slater (Mr. Robot)

ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE DRAMÁTICA
Constance Zimmer (UnREAL)

ATOR OU ATRIZ CONVIDADO EM SÉRIE DRAMÁTICA
Margo Martindale (The Good Wife)

ATOR OU ATRIZ CONVIDADO EM SÉRIE DE COMÉDIA
Timothy Olyphant (The Grinder)

REALITY SHOW – COMPETIÇÃO
The Voice

ATOR COADJUVANTE EM FILME FEITO PARA TV OU MINISSÉRIE
Jesse Plemons (Fargo)

ATRIZ COADJUVANTE EM FILME FEITO PARA TV OU MINISSÉRIE
Jean Smart (Fargo)

SÉRIE ANIMADA
BoJack Horseman

HOST DE REALITY SHOW
James Lipton (Inside the Actors)

REALITY SHOW ESTRUTURADO
Shark Tank

TALK SHOW
Last Week Tonight with John Oliver

REALITY SHOW NÃO-ESTRUTURADO
Anthony Bourdain: Parts Unknown

OUTROS

MVP AWARD: Amy Schumer

GENIUS AWARD : Industrial Light and Magic

‘Spotlight’, ‘Mad Max’ e ‘O Regresso’ estão entre os indicados ao PGA 2016

THE REVENANT

Leonardo DiCaprio em cena de O Regresso. Copyright © 2015 Twentieth Century Fox Film Corporation. © 2015 Regency Entertainment (USA), Inc. and Monarchy Enterprises S.a.r.l. (photo by cinemagia.ro)

10 FILMES SELECIONADOS TÊM MAIORES CHANCES NO OSCAR. EXCLUÍDOS PRATICAMENTE DÃO ADEUS.

O sindicato de produtores, PGA (Producers Guild of America), anunciou a sua lista de melhores produções de 2015. Os favoritos marcam presença como Perdido em Marte, Spotlight – Segredos Revelados, Mad Max: Estrada da Fúria, O Regresso e A Grande Aposta, com a única exceção de Carol, de Todd Haynes. Vencedor do NYFCC (prêmio dos críticos de Nova York), o drama de temática lésbica ficou de fora e tem suas chances reduzidas drasticamente no Oscar, uma vez que os últimos 8 vencedores de Melhor Filme foram vencedores do PGA.

Outras ausências notadas foram de O Quarto de Jack, A Garota Dinamarquesa, Joy: O Nome do Sucesso, Steve Jobs, Trumbo – Lista Negra e Os 8 Odiados.

Já entre as surpresas estão Ex-Machina: Instinto Artificial e Straight Outta Compton: A História do N.W.A.. Enquanto o primeiro se tornou uma pequena gema de ficção científica, o segundo é a maior bilheteria de um filme dirigido por um negro (F. Gary Gray), alcançando a marca de 160 milhões de dólares só nos EUA. Até o momento, as maiores conquistas na temporada de premiações de ambos havia sido uma indicação de Atriz Coadjuvante para Alicia Vikander no Globo de Ouro, e uma indicação para Melhor Elenco no SAG Awards, respectivamente.

ex-machina-644157l

Cena de Ex-Machina: Instinto Artificial (photo by cinemagia.ro)

straight-outta-compton-963224l-1600x1200-n-71eaedb1

Elenco em cena de Straight Outta Compton: A História do N.W.A. (photo by cinemagia.ro)

Ponte dos Espiões, Brooklyn e Sicario: Terra de Ninguém são os demais concorrentes da categoria.

Entre os candidatos de Melhor Produção de Documentário estão: Amy, The Hunting Ground, The Look of Silence, Meru e Something Better to Come. Já na categoria de animação, os favoritos Divertida Mente, Anomalisa e O Bom Dinossauro dividem a atenção com Snoopy & Charlie Brown: Peanuts, o Filme e Minions.

Seguem todos os indicados da 27ª edição do PGA Awards.

PGA header

CINEMA

PRÊMIO Darryl F. Zanuck DE MELHOR FILME:

A GRANDE APOSTA (The Big Short)
Produtores: Brad Pitt & Dede Gardner, Jeremy Kleiner

PONTE DOS ESPIÕES (Bridge of Spies)
Produtores: Steven Spielberg, Marc Platt, Kristie Macosko Krieger

BROOKLYN (Brooklyn)
Produtores: Finola Dwyer & Amanda Posey

EX-MACHINA: INSTINTO ARTIFICIAL (Ex Machina)
This film is in the process of being vetted for producer eligibility

MAD MAX: ESTRADA DA FÚRIA (Mad Max: Fury Road)
Produtores: Doug Mitchell & George Miller

PERDIDO EM MARTE (The Martian)
Produtores: Simon Kinberg, Ridley Scott, Michael Schaefer, Mark Huffam

O REGRESSO (The Revenant)
Producers: Arnon Milchan, Steve Golin, Alejandro G. Iñárritu, Mary Parent, Keith Redmon

SICARIO: TERRA DE NINGUÉM (Sicario)
Produtores: Basil Iwanyk, Edward L. McDonnell, Molly Smith

SPOTLIGHT – SEGREDOS REVELADOS (Spotlight)
Produtores: Michael Sugar & Steve Golin, Nicole Rocklin, Blye Pagon Faust

STRAIGHT OUTTA COMPTON: A HISTÓRIA DO N.W.A. (Straight Outta Compton)
Produtores: Ice Cube & Matt Alvarez, F. Gary Gray, Dr. Dre, Scott Bernstein

Saoirse Ronan as "Eilis" and Emory Cohen as "Tony" in BROOKLYN.

Saoirse Ronan em Brooklyn. © 2015 Twentieth Century Fox Film Corporation (photo by cinemagia.ro)

MELHOR PRODUÇÃO DE ANIMAÇÃO:

ANOMALISA
Produtores: Rosa Tran, Duke Johnson, Charlie Kaufman

O BOM DINOSSAURO (The Good Dinosaur)
Produtora: Denise Ream

DIVERTIDA MENTE (Inside Out)
Produtor: Jonas Rivera

MINIONS (Minions)
Produtores: Chris Meledandri, Janet Healy

SNOOPY & CHARLIE BROWN: PENAUTS, O FILME (The Peanuts Movie)
Produtores: Craig Schulz, Michael J. Travers

minions-857692l-1600x1200-n-0a458db1

Cena de Minions (photo by cinemagia.ro)

MELHOR PRODUÇÃO DE DOCUMENTÁRIO:

AMY
Produtor: James Gay-Rees

THE HUNTING GROUND
Produtora: Amy Ziering

THE LOOK OF SILENCE
Produtor: Signe Byrge Sørensen

MERU
Produtores: Elizabeth Chai Vasarhelyi, Jimmy Chin

SOMETHING BETTER TO COME
Produtores: Sigrid Dyekjær, Hanna Polak

Meru Expedition, Garwhal, India

Cenu do documentário Meru (photo by cine.gr)

TELEVISÃO

MELHOR SÉRIE DE LONGA-DURAÇÃO OU FILME PARA TV:

AMERICAN CRIME (1ª Temporada)

AMERICAN HORROR STORY: HOTEL (5ª Temporada)
Produtores: Brad Falchuk, Ryan Murphy, Brad Buecker, Tim Minear, Jennifer Salt, James Wong, Alexis Martin Woodall, Robert M. Williams Jr.

FARGO (2ª Temporada)
Produtores: Noah Hawley, John Cameron, Ethan Coen, Joel Coen, Warren Littlefield, Kim Todd

TRUE DETECTIVE (2ª Temporada)
Produtores: Nic Pizzolatto, Scott Stephens, Steve Golin, Aida Rodgers

A VERY MURRAY CHRISTMAS

A Very Murray Christmas 0001

Amy Poehler e Bill Murray em cena de A Very Murray Christmas (photo by myfilm.gr)

MELHOR SÉRIE EPISÓDICA – DRAMA:

BETTER CALL SAUL (1ª Temporada)
Produtores: Vince Gilligan, Peter Gould, Melissa Bernstein, Mark Johnson, Stewart A. Lyons, Thomas Schnauz, Gennifer Hutchison, Nina Jack, Diane Mercer, Bob Odenkirk

GAME OF THRONES (5ª Temporada)
Produtores: David Benioff, D.B. Weiss, Bernadette Caulfield, Frank Doelger, Carolyn Strauss, Bryan Cogman, Lisa McAtackney, Chris Newman, Greg Spence

HOMELAND (4ªTemporada)
Produtores: Alex Gansa, Alexander Cary, Lesli Linka Glatter, Howard Gordon, Chip Johannessen, Meredith Stiehm, Patrick Harbinson, Michael Klick, Claire Danes, Lauren White

HOUSE OF CARDS (3ª Temporada)
Produtores: Beau Willimon, Dana Brunetti, John David Coles, Josh Donen, David Fincher, Eric Roth, Kevin Spacey, John Mankiewicz, Robert Zotnowski, Karen Moore

MAD MEN (7ª Temporada)
Produtores: Matthew Weiner, Scott Hornbacher, Janet Leahy, Semi Chellas, Erin Levy, Jon Hamm, Blake McCormick, Tom Smuts

MELHOR SÉRIE EPISÓDICA – COMÉDIA:

INSIDE AMY SCHUMER (3ª Temporada)

MODERN FAMILY (6ª Temporada)
Produtores: Steven Levitan, Christopher Lloyd, Paul Corrigan, Abraham Higginbotham, Jeff Morton, Jeffrey Richman, Brad Walsh, Danny Zuker, Vali Chandrasekaran, Megan Ganz, Elaine Ko, Kenny Schwartz, Chuck Tatham, Rick Wiener, Chris Smirnoff, Sally Young

SILICON VALLEY (2ª Temporada)
Produtores: Mike Judge, Alec Berg, Jim Kleverweis, Clay Tarver, Dan O’Keefe, Michael Rotenberg, Tom Lassally

TRANSPARENT (1ª Temporada)
Produtores: Jill Soloway, Andrea Sperling, Victor Hsu, Nisha Ganatra, Rick Rosenthal, Bridget Bedard

VEEP (4ª Temporada)
Produtores: Armando Iannucci, Chris Addison, Simon Blackwell, Christopher Godsick, Stephanie Laing, Julia Louis-Dreyfus, Frank Rich, Tony Roche, Kevin Cecil, Roger Drew, Sean Gray, Ian Martin, Georgia Pritchett, David Quantick, Andy Riley, Will Smith, Bill Hill

MELHOR PRODUÇÃO DE NÃO-FICÇÃO DE TELEVISÃO:

30FOR 30 (6ª Temporada)
Produtores: Connor Schell, John Dahl, Bill Simmons, Erin Leyden, Andrew Billman, Marquis Daisy, Libby Geist

ANTHONY BOURDAIN: PARTS UNKNOWN (3ª Temporada)
Produtores: Anthony Bourdain, Christopher Collins, Lydia Tenaglia, Sandra Zweig

THE JINX: THE LIFE AND DEATHS OF ROBERT DURST (1ª Temporada)
Produtores: Marc Smerling, Andrew Jarecki, Jason Blum

SHARK TANK (6ª Temporada)
Produtores: Mark Burnett, Clay Newbill, Yun Lingner, Max Swedlow, Jim Roush, Brandon Wallace, Becky Blitz, Laura Roush, Shaun Polakow, Phil Gurin

VICE (3ª Temporada)
Produtores: BJ Levin, Bill Maher, Eddy Moretti, Shane Smith, Jonah Kaplan, Tim Clancy, Ben Anderson, Shawn Killebrew

MELHOR PRODUÇÃO DE COMPETIÇÃO DE TV:

THE AMAZING RACE (25ª e 26ª Temporadas)
Produtores: Jerry Bruckheimer, Bertram van Munster, Jonathan Littman, Elise Doganieri, Mark Vertullo

DANCING WITH THE STARS (19ª e 20ª Temporadas)
Produtores: Rob Wade, Ashley Edens-Shaffer, Joe Sungkur

PROJECT RUNAWAY (13ª Temporada)
Produtores: Jonathan Murray, Sara Rea, Desiree Gruber, Jane Cha, Heidi Klum, Tim Gunn, Teri Weideman

TOP CHEF (12ª Temporada)
Produtores: Daniel Cutforth, Tom Colicchio, Chaz Gray, Casey Kriley, Padma Lakshmi, Jane Lipsitz, Doneen Arquines, Erica Ross

THE VOICE (7ª e 8ª Temporadas)
Produtores: Audrey Morrissey, Mark Burnett, John de Mol, Marc Jansen, Lee Metzger, Chad Hines, Jim Roush, Kyra Thompson, Mike Yurchuk, Amanda Zucker, Carson Daly

MELHOR PRODUÇÃO DE ENTRETENIMENTO AO VIVO E ENTREVISTA:

THE COLBERT REPORT (11ª Temporada)
Produtores: Stephen T. Colbert, Tom Purcell, Jon Stewart, Meredith Bennett, Barry Julien, Emily Lazar, Tanya Michnevich Bracco, Paul Dinello, Matt Lappin

KEY & PEELE (4ª Temporada)

LAST WEEK TONIGHT WITH JOHN OLIVER (2ª Temporada)
Produtores: Tim Carvell, John Oliver, Liz Stanton

REAL TIME WITH BILL MAHER (13ª Temporada)
Produtores: Bill Maher, Scott Carter, Sheila Griffiths, Marc Gurvitz, Billy Martin, Dean E. Johnsen, Matt Wood

THE TONIGHT SHOW STARRING JIMMY FALLON (2ª Temporada)
Produtores: Lorne Michaels, Jamie Granet Bederman, Katie Hockmeyer, Jim Juvonen, Brian McDonald, Josh Lieb, Gavin Purcell

MELHOR PROGRAMA DE ESPORTES:

  • Back on Board: Greg Louganis
  • E:60
  • Hard Knocks: Training Camp with the Houston Texans
  • Kareem: Minority of One
  • Real Sports with Bryant Gumbel

MELHOR SÉRIE DIGITAL:

  • 30 for 30 Shorts
  • Comedians in Cars Getting Coffee
  • Epic Rap Battles of History
  • Marvel’s Agents of S.H.I.E.L.D.: Double Agent
  • This American Life Presents: Videos 4 U

MELHOR PROGRAMA INFANTIL:

  • Doc McStuffins
  • The Fairly OddParents
  • Octonauts
  • Sesame Street
  • Teenage Mutant Ninja Turtles
  • Toy Story That Time Forgot

Os vencedores do PGA 2016 serão conhecidos no dia 23 de janeiro.

‘Perdido em Marte’ compete pelo Eddie Awards 2016 com ‘Mad Max’, ‘O Regresso’ e ‘Sicario’

Emily Blunt como a agente Kate Macer em Sicario: Terra de Ninguém (photo by cinemagia.ro)

Emily Blunt como a agente Kate Macer em Sicario: Terra de Ninguém (photo by cinemagia.ro)

A CATEGORIA DE DRAMA AINDA RECONHECEU ‘STAR WARS’, DEIXANDO ‘SPOTLIGHT’ DE FORA

Oláááá! Primeiramente, Feliz Ano Novo para todos que acompanham o blog! Espero que tenham passado bem a virada!

Bom, começo o ano de 2016 com o anúncio dos indicados ao Eddie Awards, o prêmio do sindicato dos montadores/editores. Como o Globo de Ouro, as categorias se dividem em Dramática e Comédia ou Musical, além, claro, de Documentário e Animação. Curiosamente, essa divisão por gêneros vem causando divergências entre os prêmios, uma vez que algumas produções não se encaixam exatamente como Drama ou Comédia. Minha sugestão oficial seria unificar em uma única categoria, porém uma consequência direta disso poderia ser a desvalorização das comédias, que naturalmente perderiam espaço na temporada de premiações. E a outra sugestão, a não-oficial, seria criar uma nova categoria intitulada “Dramédia”, mas como não é considerado nem gênero…

Nessa questão, o filme Perdido em Marte tem sofrido uma peculiaridade esquizofrênica. No Globo de Ouro, atendendo a uma campanha disposta a ganhar prêmios, foi classificado como Comédia. Como compete com filmes de menor expressão como Descompensada e A Espiã que Sabia de Menos, suas chances são infinitamente melhores do que se estivesse competindo como Drama. Mas aqui no Eddie Awards, o sindicato incluiu a ficção científica de Ridley Scott como Drama. O montador Pietro Scalia, vencedor do Oscar por Falcão Negro em Perigo em 2002, não terá vida fácil ao concorrer com Stephen Mirrione (O Regresso) e Joe Walker (Sicario: Terra de Ninguém).

Matt Damon e sua plantação de batatas em Perdido em Marte (photo by cinemagia.ro)

Matt Damon e sua plantação de batatas em Perdido em Marte (photo by cinemagia.ro)

Ainda sobre a categoria Drama, trata-se do primeiro reconhecimento de algum sindicato para o mega-blockbuster Star Wars: Episódio VII – O Despertar da Força. O novo filme da saga estelar tem números impressionantes em apenas 3 semanas de exibição nos EUA, batendo recorde atrás de recorde, com mais de 700 milhões de dólares apenas em solo americano.

Star Wars ficou com a vaga de um forte candidato ao Oscar: o drama jornalístico Spotlight – Segredos Revelados. Com um roteiro consistente e corajoso, a montagem costuma ser reconhecida juntamente, mas não foi o caso do filme de Tom McCarthy.

Kylo Ren em confronto com Finn e Rey em Star Wars: Episódio VII - O Despertar da Força (photo by cinemagia.ro)

Kylo Ren em confronto com Finn e Rey em Star Wars: Episódio VII – O Despertar da Força (photo by cinemagia.ro)

Curiosamente, a última produção que levou o Oscar de Melhor Filme sem contar com uma indicação ao ACE (Eddie Awards) foi Conduzindo Miss Daisy, há 26 anos, fato este que pode influenciar na trajetória de Spotlight no Oscar. Já entre os vencedores de Melhor Filme sem contar com a indicação de montagem, temos um hiato de 33 anos, de Birdman de 2015 ao Gente Como a Gente em 1981.

Pela categoria de Comédia ou Musical, o franco-favorito é A Grande Aposta. Sua trama de crise financeira, que também é forte candidata ao Oscar de Roteiro Adaptado, permite o entrelaçamento de vários personagens, o que evidencia o complexo trabalho da montagem. Entre os demais concorrentes, Joy: O Nome do Sucesso e Eu, Você e a Garota que Vai Morrer são os destaques.

Cena de vários personagens em A Grande Aposta (photo by cinemagia.ro)

Cena de vários personagens em A Grande Aposta (photo by cinemagia.ro)

Já na categoria de Animação, dois filmes da Pixar competem com Anomalisa, enquanto entre os documentários, temos três fortes candidatos sobre músicos, Amy, Cobain: Montage of Heck e The Wrecking Crew, competindo com um sobre a religião da Cientologia (Going Clear: Scientology and the Prison of Belief) e outro sobre a figura política da jovem Malala.

Só para constar, nos 5 anos anteriores, o ACE previu apenas dois vencedores do Oscar: William Goldenberg (Argo) e Angus Wall e Kirk Baxter (A Rede Social), mesmo contando vencedores das duas categorias.

Pelas categorias de televisão e streaming, séries que costumam marcar presença no Globo de Ouro e Emmy concorrem por seus episódios. Comédias como Silicon Valley e Veep, e dramas como Games of Thrones e Better Call Saul foram indicadas.

Seguem os indicados para o 66º Eddie Awards:

CINEMA

Melhor Montagem – Drama
– Margaret Sixel (Mad Max: Estrada da Fúria)
– Pietro Scalia (Perdido em Marte)
– Stephen Mirrione (O Regresso)
– Joe Walker (Sicario: Terra de Ninguém)
– Maryann Brandon & Mary Jo Markey (Star Wars: Episódio VII – O Despertar da Força)

Melhor Montagem – Comédia ou Musical
– Dan Lebental & Colby Parker, Jr. (Homem-Formiga)
– Hank Corwin (A Grande Aposta)
– Jay Cassidy, Alan Baumgarten, Christopher Tellefsen & Tom Cross (Joy: O Nome do Sucesso)
– David Trachtenberg (Eu, Você e a Garota que Vai Morrer)
– William Kerr & Paul Zucker (Descompensada)

Melhor Montagem – Animação
– Garret Elkins (Anomalisa)
– Kevin Nolting (Divertida Mente)
– Stephen Schaffer (O Bom Dinossauro)

Melhor Montagem – Documentário
– Chris King (Amy)
– Joe Beshenkovsky & Brett Morgen (Cobain: Montage of Heck)
– Andy Grieve (Going Clear: Scientology and the Prison of Belief)
– Greg Finton, Brian Johnson & Brad Fuller (He Named me Malala)
– Claire Scanlon (The Wrecking Crew)

Leonardo DiCaprio em cena de O Regresso (photo by cinemagia.ro)

Leonardo DiCaprio em cena de O Regresso (photo by cinemagia.ro)

TELEVISÃO

Melhor Montagem – Série de Episódios de Meia-Hora
– Nick Paley (Inside Amy Schumer – Episódio: 12 Angry Men)
– Brian Merken (Silicon Valley – Episódio: Two Days of the Condor)
– Gary Dollner (Veep – Episódio: Election Night)

Melhor Montagem – Série de Episódios de Uma Hora com Comercial
– Kelley Dixon (Better Call Saul – Episódio: Five-O)
– Skip Macdonald (Better Call Saul – Episódio: Uno)
– Skip Macdonald & Curtis Thurber (Fargo – Episódio: Did You Do This? No, You Did It!)
– Scott Vickrey (The Good Wife – Episódio: Restrain)
– Tom Wilson (Mad Men – Episódio: Person to Person)

Melhor Montagem – Série de Episódios de Uma Hora Sem Comercial
– Katie Weiland (Game of Thrones – Episódio: The Dance of Dragons)
– Tim Porter (Game of Thrones – Episódio: Hardhome)
– Harvey Rosenstock (Homeland – Episódio: The Tradition of Hospitality)
– Lisa Bronwell (House of Cards – Episódio: Chapter 39)
– Mary Ann Bernard (The Knick – Episódio: Wonderful Surprises)

Melhor Montagem – Minisséries ou Telefilmes
– Brian A. Kates (Bessie)
– Maysie Hoy (Dolly Parton’s Coat of Many Colors)
– William Turro (Orange is the New Black – Episódio: Trust No Bitch (episódio de 90 minutos))

Melhor Montagem – Séries Não-Roteirizadas
– Hunter Gross (Anthony Bourdain: Parts Unknown – Episódio: Bay Area)
– Josh Earl & Ben Bulatao (Deadliest Catch – Episódio: Zero Hour)
– Eric Driscoll, Nik Jamgocyan, Chris Kirkpatrick, David Michael Maurer, Greg McDonald, Marcus Miller & Alexandria Scott (Whale Wars – Episódio: The Darkest Hour)

Melhor Montagem – Documentário Televisivo
– Joshua L. Pearson (Keith Richards: Under the Influence)
– Richard Hankin, Zac Stuart-Pontier, Caitlyn Greene, Shelby Siegel (The Jinx: The Life and Deaths of Robert Durst – Chapter 1)
– Chris A. Peterson (The Seventies: The United State vs. Nixon)

Bob Odenkirk como Jimmy McGill em cena de Better Call Saul (photo by cinemagia.ro)

Bob Odenkirk como Jimmy McGill em cena de Better Call Saul (photo by cinemagia.ro)

O 66º Eddie Awards acontece no dia 29 de janeiro. E o Oscar 2016 no dia 28 de fevereiro.

‘Carol’ conquista 5 indicações no Globo de Ouro 2016

Rooney Mara em cena de Carol, de Todd Haynes: 5 indicações ao Globo de Ouro 2016 (photo by outnow.ch)

Rooney Mara em cena de Carol, de Todd Haynes: 5 indicações ao Globo de Ouro 2016 (photo by outnow.ch)

GLOBO DE OURO COLOCA MAIS ORDEM NA TEMPORADA DE PREMIAÇÕES

Um dia após o SAG anunciar seus indicados com uma série de ausências sentidas, o Globo de Ouro parece tapar os buracos com seu anúncio na manhã desta quinta-feira, dia 10. Assim, atores que ficaram de fora do SAG como Will Smith e Sylvester Stallone, retornam ao centro do palco.

Claro que em se tratando de Oscar e Globo de Ouro, não dá pra agradar gregos e troianos. Algum filme ou algum ator vai ficar sem cadeira. É inevitável. Dentre os mais sentidos estão Johnny Depp (Aliança do Crime), Jacob Tremblay (O Quarto de Jack), Meryl Streep (Ricki and the Flash: De Volta Para Casa), Charlotte Rampling (45 Anos) e Blythe Danner (I’ll See You in My Dreams).

Anúncio das indicações ao Globo de Ouro 2016
America Ferrera, Chloë Grace Moretz, Angela Bassett e Dennis Quaid anunciam os indicados ao Globo de Ouro 2016

De volta aos indicados, o drama Carol foi o recordista de indicações este ano com 5, mas isso não significa que terá vida fácil na categoria, já que compete com Spotlight – Segredos Revelados e Mad Max: Estrada da Fúria que, por mais que não faça muito o tipo que ganhe prêmios de Melhor Filme, vem crescendo bastante na temporada e pode surpreender, principalmente diante de um cenário sem grandes favoritos como este.

Como uma boa mãe, o Globo de Ouro conseguiu reunir numa só lista 17 estúdios, boa parte dos favoritos e outros candidatos que pareciam ficar só na promessa. Exemplo disso é o novo filme de Alejandro González Iñárritu, O Regresso, que estava até então num estado de inércia na temporada. Agora, indicada a Melhor Filme, Diretor, Trilha Musical e Ator para Leonardo DiCaprio, a produção promete conquistar seu espaço no Oscar, principalmente nas categorias mais técnicas como Fotografia e Montagem.

Leonardo DiCaprio em cena de O Regresso (photo by cinemagia.ro)

Leonardo DiCaprio com Grace Dove em cena de O Regresso (photo by cinemagia.ro)

Nessa mesma lógica de tirar o filme do limbo, também dá pra incluir o novo trabalho de David O. Russell, cujos filmes sempre dão um jeitinho de entrar no Oscar. Joy: O Nome do Sucesso, uma espécie de “dramédia” que reconta a trajetória de uma mulher de negócios, concorre como Filme de Comédia e sua protagonista Jennifer Lawrence como Melhor Atriz. Embora esteja disputando com as veteranas Maggie Smith e Lily Tomlin, a atriz de Jogos Vorazes tem grandes chances de conquistar seu terceiro Globo de Ouro.

Jennifer Lawrence e Robert De Niro em cena de Joy: O Nome de Sucesso (photo by outnow.ch)

Jennifer Lawrence e Robert De Niro em cena de Joy: O Nome do Sucesso (photo by outnow.ch)

E meio esquecido depois de ganhar o Hollywood Film Awards no início de novembro, a ficção científica Perdido em Marte retorna com força, uma vez que compete como Filme de Comédia, Diretor e Ator (Matt Damon). Apesar de parecer uma manobra barata da 20th Century Fox de inscrever o filme como comédia para ter concorrência mais fraca pela frente (o que gerou uma “polemicazinha”), não acredito sinceramente em manipulação nesse caso. Trata-se de uma ficção científica com clima bastante otimista, seu protagonista, mesmo diante de uma série de dificuldades, mantém o bom humor em suas pesquisas e gravações, e temos a manutenção da esperança na humanidade. Pra mim, o clima leve o aproxima mais da comédia do que um drama.

Os astronautas da tripulação de Perdido em Marte (photo by cinemagia.ro)

Os astronautas da tripulação de Perdido em Marte (photo by cinemagia.ro)

Ainda no campo da ressurreição, Trumbo retorna no Globo de Ouro, um dia após liderar as indicações ao SAG Awards. O ator da série Breaking Bad, Bryan Cranston, e a dama Helen Mirren foram devidamente reconhecidos por suas performances.

O Globo de Ouro trouxe felicidade também no quesito dupla indicação. Idris Elba, Lily Tomlin, Mark Rylance e Alicia Vikander ficaram duplamente felizes na manhã dessa quinta-feira. Seus nomes foram anunciados duas vezes em categorias distintas.Enquanto os três primeiros equilibram forças entre cinema e televisão, a atriz sueca concorre como Atriz por A Garota Dinamarquesa e como Coadjuvante por Ex-Machina: Instinto Artificial.

Alicia Vikander em cena de A Garota Dinamarquesa (photo by palmspringlife.com)

Alicia Vikander em cena de A Garota Dinamarquesa (photo by palmspringlife.com)

Apesar disso TUDO que o Globo de Ouro fez, acrescentaria uma ressalva: Por que não aumentar de 5 para 6 indicados para Melhor Filme – Drama e incluir Os 8 Odiados ou A Garota Dinamarquesa? Resultaria num total de 4 indicações ao novo western de Tarantino e para o drama transsexual de Tom Hooper. Ou quem sabe para 7 indicados e incluir também Steve Jobs? Afinal, acumulou 4 indicações: Ator (Michael Fassbender), Atriz Coadjuvante (Kate Winslet), Roteiro e Trilha Musical. Ficaria com 5 e igualaria Carol. Teria havido tamanha distância de um candidato a outro na votação ou seria algum receio por parte da HFPA de eleger o “filme errado”? Digo isso, porque as regras do Globo de Ouro permitem esse acréscimo de indicados sem dolo algum.

Durante o anúncio das indicações, fiquei na expectativa pelo filme brasileiro Que Horas Ela Volta?, mas o filme de Anna Muylaert ficou de fora. A última vez que o Brasil teve representantes no prêmio foi em 2005 por Diários de Motocicleta, de Walter Salles, e em 2003 por Cidade de Deus, de Fernando Meirelles. Contudo, o país está bem representado pela série Narcos, produzida pelo diretor José Padilha pela Netflix, e pelo ator Wagner Moura, que foi indicado como Melhor Ator de Série Dramática. Ele interpreta ninguém menos do que o lorde das drogas colombiano Pablo Escobar em 10 episódios. Moura disputa o prêmio com o favorito Jon Hamm (Mad Men) e Liev Schreiber (Ray Donovan).

Wagner Moura em cena da série Narcos da Netflix (photo by cinemagia.ro)

Wagner Moura em cena da série Narcos, da Netflix (photo by cinemagia.ro)

Sobre as categorias de televisão, cabe mais um elogio ao Globo de Ouro. Nos últimos anos, com o crescimento da plataforma de streaming, a HFPA não pestanejou e abraçou o novo formato, valorizando acima de tudo seu conteúdo. No ano passado, a série Transparent foi a primeira a ganhar o prêmio de Melhor Série, mas já em 2014, House of Cards já preenchia as categorias como a primeira da Netflix. Este ano, a associação continua explorando novos conteúdos de streaming: além da já citada Narcos, temos Master of None, Casual e Mozart In the Jungle entre os indicados, enquanto as séries tradicionais que passam na televisão Homeland, Mad MenDownton Abbey e Modern Family não concorrem como Melhor Série este ano. Os tempos estão mudando…

E só mais um último adendo: Lady Gaga recebeu sua primeira indicação como atriz por American Horror Story: Hotel. Ela interpreta a Condessa nesta nova temporada que se passa num hotel. Independente da qualidade da sua atuação (adoraria conferir), a contratação da cantora na série se tornou um hype desde seu anúncio.

Seguem todos os indicados ao 73º Globo de Ouro:

CINEMA

MELHOR FILME – DRAMA
Carol (Carol)
Mad Max: Estrada da Fúria (Mad Max: Fury Road)
O Regresso (The Revenant)
O Quarto de Jack (Room)
Spotlight – Segredos Revelados (Spotlight)

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL
A Grande Aposta (The Big Short)
Joy: O Nome do Sucesso (Joy)
Perdido em Marte (The Martian)
A Espiã que Sabia de Menos (Spy)
A Descompensada (Trainwreck)

MELHOR DIRETOR
Todd Haynes (Carol)
Alejandro González Iñárritú (O Regresso)
Tom McCarthy (Spotlight – Segredos Revelados)
George Miller (Mad Max: Estrada da Fúria)
Ridley Scott (Perdido em Marte)

MELHOR ATOR – DRAMA
Bryan Cranston (Trumbo)
Leonardo DiCaprio (O Regresso)
Michael Fassbender (Steve Jobs)
Eddie Redmayne (A Garota Dinamarquesa)
Will Smith (Um Homem Entre Gigantes)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Cate Blanchett (Carol)
Brie Larson (O Quarto de Jack)
Rooney Mara (Carol)
Saoirse Ronan (Brooklyn)
Alicia Vikander (A Garota Dinamarquesa)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
Jennifer Lawrence (Joy: O Nome do Sucesso)
Melissa McCarthy (A Espiã que Sabia de Menos)
Amy Schumer (A Descompensada)
Maggie Smith (A Senhora da Van)
Lily Tomlin (Grandma)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
Christian Bale (A Grande Aposta)
Steve Carell (A Grande Aposta)
Matt Damon (Perdido em Marte)
Al Pacino (Não Olhe Para Trás)
Mark Ruffalo (Sentimentos que Curam)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Jane Fonda (Youth)
Jennifer Jason Leigh (Os 8 Odiados)
Helen Mirren (Trumbo)
Alicia Vikander (Ex-Machina: Instinto Artificial)
Kate Winslet (Steve Jobs)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Paul Dano (Love & Mercy)
Idris Elba (Beasts of No Nation)
Mark Rylance (Ponte dos Espiões)
Michael Shannon (99 Homes)
Sylvester Stallone (Creed: Nascido Para Lutar)

MELHOR ROTEIRO
Emma Donoghue (O Quarto de Jack)
Tom McCarthy e Josh Singer (Spotlight – Segredos Revelados)
Charles Randolph e Adam McKay (A Grande Aposta)
Aaron Sorkin (Steve Jobs)
Quentin Tarantino (Os 8 Odiados)

MELHOR ANIMAÇÃO
Anomalisa
O Bom Dinossauro (The Good Dinossaur)
Divertida Mente (Inside Out)
Snoopy & Charlie Brown: Peanuts, o Filme (The Peanuts Movie)
Shaun: O Carneiro (Shaun the Sheep Movie)

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
The Brand New Testament (Le Tout Nouveau Testament), de Jaco Van Dormael (Bélgica/ França/ Luxemburgo)
O Clube (El Club), de Pablo Larraín (Chile)
O Esgrimista (Miekkailija), de Klaus Härö (Finalândia/ Estônia/ Alemanha)
O Filho de Saul (Saul fia), de László Nemes (Hungria)
Cinco Graças (Mustang), de Deniz Gamze Ergüven (Turquia/ França/ Catar/ Alemanha)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Love me Like You Do” por Max Martin, Savan Kotecha, Ali Payami, Ilya Salmanzadeh (Cinquenta Tons de Cinza)
“One Kind of Love” por Brian Wilson, Scott Montgomery Bennett (Love & Mercy)
“See You Again” por Justin Franks, Andrew Cedar, Charlie Puth, Wiz Khalifa (Velozes & Furiosos 7)
“Simple Song No. 3” por David Lang (Youth)
“Writing’s on the Wall” por Sam Smith, James Napier (007 Contra Spectre)


O filme é ruim, mas a trilha sonora salva, incluindo a canção de Ellie Goulding

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL
Carter Burwell (Carol)
Alexandre Desplat (A Garota Dinamarquesa)
Ennio Morricone (Os 8 Odiados)
Daniel Pemberton (Steve Jobs)
Ryuichi Sakamoto e Carsten Nicolai (O Regresso)

Steve Carell e Ryan Gosling em cena de A Grande Aposta, de Adam McKay (photo by cine.gr)

Steve Carell e Ryan Gosling em cena de A Grande Aposta, de Adam McKay (photo by cine.gr)

TELEVISÃO

MELHOR SÉRIE DRAMÁTICA
Empire
Game of Thrones
Mr. Robot
Narcos
Outlander

MELHOR ATOR EM SÉRIE DRAMÁTICA
Jon Hamm (Mad Men)
Rami Malek (Mr. Robot)
Wagner Moura (Narcos)
Bob Odenkirk (Better Call Saul)
Liev Schreiber (Ray Donovan)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DRAMÁTICA
Caitriona Balfe (Outlander)
Viola Davis (How to Get Away with Murder)
Eva Green (Penny Dreadful)
Taraji P. Henson (Empire)
Robin Wright (House of Cards)

MELHOR MINISSÉRIE OU TELEFILME
American Crime
American Horror Story: Hotel
Fargo
Flesh and Bone
Wolf Hall

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA
Casual
Mozart in the Jungle
Orange Is the New Black
Silicon Valley
Transparent
Veep

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Uzo Aduba (Orange Is the New Black)
Joanne Froggatt (Downton Abbey)
Regina King (American Crime)
Judith Light (Transparent)
Maura Tierney (The Affair)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Alan Cumming (The Good Wife)
Damian Lewis (Wolf Hall)
Ben Mendelsohn (Bloodline)
Tobias Menzies (Outlander)
Christian Slater (Mr. Robot)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA
Rachel Bloom (Crazy Ex-Girlfriend)
Gina Rodriguez (Jane the Virgin)
Julia Louis-Dreyfus (Veep)
Jamie Lee Curtis (Scream Queens)
Lily Tomlin (Grace and Frankie)

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA
Aziz Ansari (Master of None)
Gael García Bernal (Mozart in the Jungle)
Rob Lowe (The Grinder)
Patrick Stewart (Blunt Talk)
Jeffrey Tambor (Transparent)

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Kirsten Dunst (Fargo)
Lady Gaga (American Horror Story: Hotel)
Sarah Hay (Flesh and Bone)
Felicity Huffman (American Crime)
Queen Latifah (Bessie)

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Oscar Isaac (Show me a Hero)
Idris Elba (Luther)
David Oyelowo (Nightingale)
Mark Rylance (Wolf Hall)
Patrick Wilson (Fargo)

A 73ª cerimônia do Globo de Ouro acontece no dia 10 de janeiro, e Ricky Gervais retorna como o “host mais querido das celebridades”. E dois lembretes: o ator Denzel Washington será o homenageado com o prêmio Cecil B. DeMille (Sim, eu acho que ele ainda é muito jovem pra tal honraria, mas depois de ver George Clooney recebendo o mesmo prêmio esse ano, espero qualquer coisa), e a Miss Golden Globe de 2016 será a filha do ator Jamie Foxx: Corinne Foxx.

The Hollywood Foreign Press Association has selected Corinne Foxx as Miss Golden Globe 2016 for the 73rd Annual Golden Globe Awards set to air live on NBC on January 10, 2016. President Lorenzo Soria made the announcement on November 17, 2015 from Ysabel Restaurant in West Hollywood.

Corinne Foxx foi selecionada para ser a Miss Golden Globe 2016 (photo by ImageGroup/HFPA)

Indicados à Palma de Ouro de Cannes 2015

Pôster oficial do 68º Festival de Cannes, estrelado por Ingrid Bergman

Pôster oficial do 68º Festival de Cannes, estrelado por Ingrid Bergman

COM IRMÃOS COEN PRESIDENTES DO JÚRI, CANNES APRESENTA NOMES CONSAGRADOS COM POUCAS APOSTAS

Na última quinta-feira, dia 16, o diretor Thierry Frémaux anunciou a seleção oficial de filmes, dando início ao 68º Festival de Cannes, que tem início no dia 13 de maio e vai até o dia 24. Como tem sido tradição nos últimos anos, o pôster do evento foi preenchido por uma estrela de cinema internacional, e este ano, devido ao seu centenário, a escolhida foi a bela e talentosa Ingrid Bergman. Como sua filha Isabella Rossellini (que será presidente da seleção Un Certain Regard) destacou, ela atuou em produções européias modestas como Stromboli (1950) até produções oscarizadas de estúdios hollywoodianos como Casablanca (1943) e Anastácia, a Princesa Esquecida (1956), pelo qual ganhou seu segundo Oscar de Melhor Atriz.

Com esse start clássico, o festival se mostra promissor também pela escolha de seu presidente do júri, ou melhor, dos presidentes: Joel Coen e Ethan Coen. Os irmãos já levaram a Palma de Ouro em 1991 com Barton Fink – Delírios de Hollywood, mais três prêmios de Direção pelo mesmo Barton FinkFargo (1996) e O Homem que Não Estava Lá (2001), além do Grande Prêmio do Júri conquistado ano passado com Inside Llewyn Davis – Balada de um Homem Comum. Vale lembrar que os irmãos também já levaram o Oscar de Roteiro Original por Fargo, e a trinca de Oscars (Filme, Direção e Roteiro Adaptado) por Onde os Fracos Não Têm Vez em 2008, sendo responsáveis pelos Oscars de atuação de Frances McDormand e Javier Bardem.

Joel Coen e Ethan Coen formam a primeira dupla de presidentes da História de Cannes (photo by Alison Cohen Rosa/ Universal Pictures)

Joel Coen e Ethan Coen formam a primeira dupla de presidentes da História de Cannes (photo by Alison Cohen Rosa/ Universal Pictures)

AUTORES EM ALTA PREENCHEM AS VAGAS, MAS NÃO HÁ LATINO-AMERICANOS

A dupla americana terá prato cheio este ano para eleger os melhores. Dentre os selecionados renomados estão Gus Van Sant (vencedor da Palma de Ouro com Elefante em 2003), o canadense Denis Villeneuve (Os Suspeitos), Todd Haynes (indicado à Palma com Velvet Goldmine em 1998), o italiano Nanni Moretti (vencedor da Palma de Ouro com O Quarto do Filho em 2001), Paolo Sorrentino (vencedor do Oscar de Filme em Língua Estrangeira por A Grande Beleza, esta é sua sexta indicação sem vitória) e o também italiano Matteo Garrone, que já levou o Grande Prêmio do Júri em duas oportunidades com Gomorra (2008) e Reality – A Grande Ilusão (2012).

Matthew McConaughey e Ken Watanabe formam uma dupla nessa história de suicídio em The Sea of Trees, de Gus Van Sant (photo by filmserver.cz)

Matthew McConaughey e Ken Watanabe formam uma dupla nessa história de suicídio em The Sea of Trees, de Gus Van Sant (photo by filmserver.cz)

Neste mundo globalizado, vale destacar também a estréia de dois diretores em produções de língua inglesa. O grego Yorgos Lanthimos, que ficou conhecido pelo estranho Dente Canino (que chegou a concorrer ao Oscar de Filme em Língua Estrangeira em 2010), conta uma história futurista em que todos os solteiros são obrigados a encontrar um par em 45 dias, caso contrário, serão soltos nas florestas como animais. Para ajudar a contar essa ficção científica, The Lobster, ele terá a colaboração de um elenco hollywoodiano formado por Colin Farrell, Rachel Weisz, John C. Reilly, Ben Wishaw e Léa Seydoux. Em termos de elenco, o norueguês Joachim Trier não fica muito atrás. No drama Louder than Bombs, ele contará com Isabelle Huppert, Gabriel Byrne, David Strathairn, Amy Ryan e Jesse Eisenberg.

Da esquerda para a direita: John C. Reilly, Ben Wishaw e Colin Farrell em The Lobster (photo by indiewire.com)

Da esquerda para a direita: John C. Reilly, Ben Wishaw e Colin Farrell em The Lobster (photo by indiewire.com)

Os asiáticos também estão bem representados com o chinês Jia Zhangke, que levou o prêmio de roteiro por Um Toque de Pecado em 2013; o japonês Hirokazu Koreeda retorna com o prêmio do Júri por Pais e Filhos (2013) no currículo; e indicado seis vezes à Palma de Ouro, o taiwanês Hou Hsiao-Hsien, que conquistou o prêmio do Júri em 1993 por Mestre das Marionetes, volta depois de um hiato de 8 anos para tentar sua primeira grande vitória.

Infelizmente, não há representantes latino-americanos na seleção. Normalmente, existe uma produção argentina ou chilena concorrendo, mas essa ausência total acende um alerta para a produção cinematográfica latina e a fragilidade dos incentivos culturais de seus governos, porque alguém aí está devendo. A própria produção brasileira está sumida de Cannes, pois as últimas participações brasileiras foram com o diretor Walter Salles e seu Na Estrada, uma co-produção com a França, em 2012; e com Fernando Meirelles e seu Ensaio Sobre a Cegueira, uma co-produção com Canadá e Japão, em 2008. O último filme brasileiro de fato indicado à Palma de Ouro foi Linha de Passe (2008), de Walter Salles, que levou o prêmio de interpretação feminina para Sandra Corveloni. Se o Cinema brasileiro não estivesse tão “padrão Globo” com comédias bobas que nada têm a dizer, poderia haver mais projeção internacional.

ATORES CANDIDATOS AOS PRÊMIOS DE INTERPRETAÇÃO

Se entre os diretores, a competição já está acirrada, o mesmo pode se dizer dos atores que estão concorrendo aos prêmios de interpretação. Uma das atrizes mais prolixas da atualidade que nunca venceu em Cannes é a australiana Cate Blanchett. Ela larga na frente por sua performance no drama Carol, um romance lésbico ao lado da atriz Rooney Mara que se passa na década de 50 em Nova York. Dependendo do júri, se for do seu agrado, o prêmio pode ser dividido entre as duas, já que não existem regras rígidas como no Oscar.

Cate Blanchett em Carol, de Todd Haynes. (photo by Weinstein Co. through variety.com)

Cate Blanchett em Carol, de Todd Haynes. (photo by Weinstein Co. through variety.com)

Pela adaptação de Shakespeare, Macbeth, pode vir outra forte candidata feminina: a francesa Marion Cotillard. Ela já havia batido na trave duas vezes com Ferrugem e Osso em 2012, e com Dois Dias, Uma Noite em 2014, mas nunca levou o prêmio também. Pelo mesmo MacBeth, o alemão Michael Fassbender deve figurar entre os favoritos entre as performances masculinas, assim como a dupla Matthew McConaughey e Ken Watanabe por The Sea of Trees, de Gus Van Sant. Por Youth, de Paolo Sorrentino,  nomes de peso também chamam atenção: Michael Caine, Harvey Keitel e Jane Fonda. Já pelo filme de Garrone, The Tale of Tales, Salma Hayek e Vincent Cassel são as grandes estrelas. Enfim, será um prato cheio também para os papparazzis do tapete vermelho da Croisette.

Marion Cottilard e Michael Fassbender formam o casal MacBeth no filme homônimo. (photo by vaiety.com)

Marion Cotillard e Michael Fassbender formam o casal Macbeth no filme homônimo. (photo by vaiety.com)

VITRINE FORA DA COMPETIÇÃO

Houve o tempo em que os filmes que não concorriam à Palma de Ouro eram considerados fracos. Hoje, além da forte criatividade da seleção Un Certain Regard (Um Certo Olhar), que visa justamente trazer novo fôlego à linguagem do cinema, existem produções que simplesmente reforçam a importância do Festival de Cannes só por sua participação.

Assim, o novo filme de Woody Allen, a “dramédia” romântica Irrational Man, estrelado por Joaquin Phoenix e Emma Stone, está programado para ser exibido fora da competição. Como Cannes é também uma excelente vitrine de vendas, estão previstas as estréias da refilmagem de George Miller, Mad Max: Estrada da Fúria (Mad Max: Fury Road), estrelado por Tom Hardy e Charlize Theron; a mais nova animação da Pixar, Divertida Mente (Inside Out), com as vozes de Diane Lane, Amy Poehler e Bill Hader; e a mais nova adaptação do clássico infantil de Antoine de Saint-Exupéry, O Pequeno Príncipe, uma animação que conta com as vozes de Rachel McAdams, Jeff Bridges, Benicio Del Toro, James Franco e Marion Cotillard.

Tom Hardy, no papel que revelou Mel Gibson, em Mad Max: Estrada da Fúria (photo by outnow.ch)

Tom Hardy, no papel que revelou Mel Gibson, em Mad Max: Estrada da Fúria (photo by outnow.ch)

Tem se tornado tradição também Cannes abrir espaço para filmes de estréia de atores conhecidos. Ano passado, Ryan Gosling teve seu filme como diretor-estreante, Rio Perdido, exibido na Mostra Camera D’Or. Este ano, a estrela da vez é a israelense Natalie Portman, vencedora do Oscar por Cisne Negro. Ela dirigiu A Tale of Love and Darkness, adaptação de um livro autobiográfico de seu conterrâneo Amos Oz. sobre as décadas de 40 e 50 que ele viveu em Jerusalém. A atriz interpreta a mãe do protagonista.

Natalie Portman em seu primeiro filme como diretora em A Tale of Love and Darkness (photo by celebmafia.com)

Natalie Portman em seu primeiro filme como diretora em A Tale of Love and Darkness (photo by celebmafia.com)

INDICADOS À PALMA DE OURO 2015:

• Standing Tall – FILME DE ABERTURA
Dir: Emmanuelle Bercot

Palma de Ouro

Palma de Ouro

• The Assassin (Nie yin niang)
Dir: Hou Hsiao-Hsien

• Carol (Carol)
Dir: Todd Haynes

• Erran (Deephan)
Dir: Jacques Audiard

• The Lobster
Dir: Yorgos Lanthimos

• Louder Than Bombs
Dir: Joachim Trier

• Macbeth
Dir: Justin Kurzel

• Marguerite and Julien (Marguerite et Julien)
Dir: Valérie Donzelli

• Mon roi
Dir: Maïwenn

• Mountains May Depart (Shan He Gu Ren)
Dir: Jia Zhangke

• My Mother (Mia Madre)
Dir: Nanni Moretti

• Our Little Sister (Umimachi Diary)
Dir: Hirokazu Koreeda

• The Sea of Trees
Dir: Gus Van Sant

• Sicario
Dir: Denis Villeneuve

• A Simple Man (La loi du marché)
Dir: Stéphane Brizé

• Son of Saul (Saul Fia)
Dir: Laszlo Nemes

• The Tale of Tales (Il racconto dei racconti)
Dir: Matteo Garrone

• Youth (La Giovinezza)
Dir: Paolo Sorrentino

Cena de The Assassin, de Hsiao-Hsien Hou (photo by cine.gr)

Cena de The Assassin, de Hou Hsiao-Hsien (photo by cine.gr)

SELEÇÃO UN CERTAIN REGARD 2015:

Seleção Un Certain Regard

Seleção Un Certain Regard

♦ The Chosen Ones
Dir: David Pablos

♦ Fly Away Solo
Dir: Neeraj Ghaywan

♦ The Fourth Direction
Dir: Gurvinder Singh

♦ The High Sun
Dir: Dalibor Matanic

♦ I Am a Soldier
Dir: Laurent Lariviere

♦ Journey to the Shore (Kishibe no Tabi)
Dir: Kiyoshi Kurosawa

♦ Madonna
Dir: Shin Su-won

♦ Maryland
Dir: Alice Winocour

♦ Nahid
Dir: Ida Panahandeh

♦ One Floor Below
Dir: Radu Muntean

♦ The Other Side
Dir: Roberto Minervini

♦ Rams
Dir: Grimur Hakonarson

♦ The Shameless
Dir: Oh Seung-euk

♦ The Treasure
Dir: Corneliu Porumboiu

Cena de Journey to the Shore, de Kyoshi Kurosawa (phot by cine.gr)

Cena de Journey to the Shore, de Kyoshi Kurosawa (phot by cine.gr)

MIDNIGHT SCREENINGS

♠ Amy
Dir: Asif Kapadia

♠ Office
Dir: Hong Won-chan

Cena do documentário sobre a cantora Amy Winehouse, morta em 2011. (photo by cine.gr)

Cena do documentário sobre a cantora Amy Winehouse, morta em 2011. (photo by cine.gr)

SPECIAL SCREENINGS

♣ Amnesia
Dir: Barbet Schroeder

♣ Asphalte
Dir: Samuel Benchetrit

♣ Hayored lema’ala
Dir: Elad Keidan

♣ Oka
Dir: Souleymane Cisse

♣ Panama
Dir: Pavle Vuckovic

♣ A Tale of Love and Darkness
Dir: Natalie Portman

FORA DE COMPETIÇÃO

– Irrational Man
Dir: Woody Allen

– O Pequeno Príncipe (The Little Prince)
Dir: Mark Osborne

– Divertida Mente (Inside Out)
Dir: Pete Docter

– Mad Max: Estrada da Fúria (Mad Max: Fury Road)
Dir: George Miller

Cena da nova animação da Pixar, Divertida Mente, de Pete Docter (photo by cine.gr)

Cena da nova animação da Pixar, Divertida Mente, de Pete Docter (photo by cine.gr)

‘Birdman’ surpreende e leva o PGA Awards 2015

O diretor e produtor Alejandro González Iñárritu levanta o troféu do PGA Awards (photo by pmcdeadline2.files.wordpress.com)

O diretor e produtor Alejandro González Iñárritu levanta o troféu do PGA Awards por Birdman (photo by pmcdeadline2.files.wordpress.com)

‘BIRDMAN’ GANHA FORÇAS APÓS A CONQUISTA DO PGA E AMEAÇA REINADO DE ‘BOYHOOD’

Quando todos os indicativos apontavam para o favoritismo de Boyhood: Da Infância à Juventude, eis que surge o PGA Awards que premiando Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância) para intensificar ainda mais a disputa para o Oscar.

Birdman competia com Sniper Americano, Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo, Garota Exemplar, O Grande Hotel Budapeste, O Jogo da Imitação, O Abutre, A Teoria de Tudo, Whiplash: Em Busca da Perfeição, além de Boyhood.

O diretor e produtor do filme, Alejandro González Iñárritu, subiu ao palco para receber o prêmio. “Eles querem que eu fale pra que todos riam do meu Inglês horrível! Em nome de todos nós (os demais produtores John Lesher e James W. Skotchdopole), nossa única ambição era fazer um filme arriscado e experimental que explorasse a linguagem cinematográfica sobre a complexidade de um artista interpretado pelo incrível Michael Keaton.”

A respeito da competição, Iñárritu acrescentou: “Sinto-me humilde por este prêmio. Todos os filmes que estão indicados têm uma voz tão individual, a expressão por trás deles, somente as pessoas que as fizeram poderiam tê-las feito.”

A vitória de Birdman certamente significa um reforço na campanha do filme na disputa pelo Oscar, especialmente se levarmos em conta as estatísticas do PGA em relação ao prêmio da Academia. Em seus 25 anos de história, 18 filmes vencedores do PGA também levaram o Oscar de Melhor Filme. E vale ressaltar que o vitorioso coincidiu nos últimos sete anos:

2014 – PGA: 12 Anos de Escravidão E Gravidade (o primeiro empate da história); Oscar: 12 Anos de Escravidão
2013 – PGA e Oscar: Argo 
2012 – PGA e Oscar: O Artista
2011 – PGA e Oscar: O Discurso do Rei
2010 – PGA e Oscar: Guerra ao Terror
2009 – PGA e Oscar: Quem Quer Ser um Milionário?
2008 – PGA e Oscar: Onde os Fracos Não Têm Vez

A última vez que os vencedores não bateram foi em 2007, quando Pequena Miss Sunshine levou o PGA, enquanto a Academia preferiu o filme de Martin Scorsese, Os Infiltrados.

O produtor de Uma Aventura Lego, Dan Lin, discursa pela vitória da animação (photo by Mark Davis/Getty Images)

O produtor de Uma Aventura Lego, Dan Lin, discursa pela vitória da animação (photo by Mark Davis/Getty Images)

Pela categoria de produção de animação, Uma Aventura Lego ganhou e vingou sua ausência na lista do Oscar de animação. Sua vitória não ajuda muito a prever um vencedor na categoria do Oscar, pois era considerado o favorito até as indicações saírem. Apesar de Como Treinar o Seu Dragão 2 ter ganhado o Globo de Ouro, a corrida permanece em aberto, podendo ir pela segunda vez a uma produção estrangeira caso o irlandês Song of the Sea ou o japonês O Conto da Princesa Kaguya vença.

Caso semelhante acontece na categoria de Produção de Documentário, pois o vencedor Life Itself – A Vida de Roger Ebert sequer foi indicado ao Oscar, abrindo espaço para o favoritismo do polêmico Citizenfour, ou até de A Fotografia Oculta de Vivian Maier e O Sal da Terra, sobre o fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado.

Já pela TV, as séries Breaking Bad e Orange is the New Black levaram Melhor Produção em Série de TV Dramática e de Comédia, respectivamente, enquanto Fargo levou Melhor Minissérie.

J.K. Simmons entrega o prêmio de Melhor Série de Comédia para o produtor Mark A. Burley de Orange is the New Black (photo by Mark Davis/Getty Images)

J.K. Simmons entrega o prêmio de Melhor Série de Comédia para o produtor Mark A. Burley de Orange is the New Black (photo by Mark Davis/Getty Images)

Segue lista completa dos vencedores do PGA Awards 2015:

MELHOR PRODUÇÃO EM FILME
BIRDMAN OU (A INESPERADA VIRTUDE DA IGNORÂNCIA) (Birdman) – Fox Searchlight Pictures
Produtores: Alejandro G. Iñárritu, John Lesher, James W. Skotchdopole

MELHOR PRODUÇÃO EM ANIMAÇÃO
UMA AVENTURA LEGO (The LEGO Movie) – Warner Bros. Pictures
Produtor: Dan Lin

MELHOR PRODUÇÃO EM DOCUMENTÁRIO
LIFE ITSELF – A VIDA DE ROGER EBERT (Life Itself) – Magnolia Pictures
Produtores: Garrett Basch, Steve James, Zak Piper

MELHOR SÉRIE DE LONGA-DURAÇÃO OU FILME PARA TV
Fargo (FX)
Produtores: Adam Bernstein, John Cameron, Ethan Coen, Joel Coen, Michael Frislev, Noah Hawley, Warren Littlefield, Chad Oakes, Kim Todd

MELHOR SÉRIE EPISÓDICA – DRAMA
Breaking Bad (AMC)
Produtores: Melissa Bernstein, Sam Catlin, Bryan Cranston, Vince Gilligan, Peter Gould, Mark Johnson, Stewart Lyons, Michelle MacLaren, George Mastras, Diane Mercer, Thomas Schnauz, Moira Walley-Beckett

MELHOR SÉRIE EPISÓDICA – COMÉDIA
Orange Is The New Black (Netflix)
Produtores: Mark A. Burley, Sara Hess, Jenji Kohan, Gary Lennon, Neri Tannenbaum, Michael Trim, Lisa I. Vinnecour

MELHOR PRODUÇÃO DE NÃO-FICÇÃO DE TELEVISÃO
COSMOS: A SpaceTime Odyssey (FOX/NatGeo)
Produtores: Brannon Braga, Mitchell Cannold, Jason Clark, Ann Druyan, Livia Hanich, Steve Holtzman, Seth MacFarlane

MELHOR PRODUÇÃO DE COMPETIÇÃO DE TV
The Voice (NBC)
Produtores: Stijn Bakkers, Mark Burnett, John De Mol, Chad Hines, Lee Metzger, Audrey Morrissey, Jim Roush, Kyra Thompson, Mike Yurchuk, Amanda Zucker

MELHOR PRODUÇÃO DE ENTRETENIMENTO AO VIVO E ENTREVISTA
The Tonight Show Starring Jimmy Fallon (NBC)
Produtores: Rob Crabbe, Jamie Granet Bederman, Katie Hockmeyer, Jim Juvonen, Josh Lieb, Brian McDonald, Lorne Michaels, Gavin Purcell

MELHOR PROGRAMA DE ESPORTES
Real Sports With Bryant Gumbel (HBO)

MELHOR PROGRAMA INFANTIL
Sesame Street (PBS)

MELHOR SÉRIE DIGITAL
Comedians In Cars Getting Coffee (http://www.crackle.com/c/comedians-in-cars-getting- coffee)

 

‘Boyhood’ fatura 3 prêmios e é o grande vencedor do Globo de Ouro 2015

Da esquerda para a direita: Patricia Arquette, Lorelei Linklater, Richard Linklater, Ellar Coltrane e Ethan Hawke com os três Globos de Ouro em mãos (photo by trbimg.com)

Da esquerda para a direita: Patricia Arquette, Lorelei Linklater, Richard Linklater, Ellar Coltrane e Ethan Hawke com os três Globos de Ouro em mãos (photo by trbimg.com)

‘BIRDMAN’ E ‘A TEORIA DE TUDO’ CONQUISTAM 2 PRÊMIOS CADA E FORTALECEM SUAS CAMPANHAS RUMO AO OSCAR

Em termos de resultado, a 72ª edição do Globo de Ouro pode ser dividida em duas partes: a previsível de cinema e a imprevisível de TV. Os atores mais cotados de cinema levaram seus prêmios: Eddie Redmayne, Julianne Moore, Michael Keaton, Amy Adams, J.K. Simmons e Patricia Arquette, além de Richard Linklater como diretor. Só achei que os prêmios de roteiro e filme-comédia seriam invertidos: O Grande Hotel Budapeste levaria roteiro e Birdman levaria filme, mas de qualquer modo, foi um merecidíssimo prêmio para Wes Anderson. Provavelmente, a maior surpresa na parte de cinema tenha sido a vitória da sequência Como Treinar o Seu Dragão 2, já que Uma Aventura Lego vinha conquistando quase todos os prêmios da temporada de Melhor Animação, e em menor escala, a vitória do compositor Johann Johannsson pela trilha de A Teoria de Tudo, uma vez que Antonio Sanchez tinha as melhores chances por Birdman, mesmo tendo sido desqualificado da categoria no Oscar.

Pela TV, já pelo fato dos membros da Hollywood Foreign Press Association terem dado uma repaginada nos indicados, acabou proporcionando maiores oportunidades de surpresa. Séries que todo ano estavam indicadas foram deixadas de lado como The Big Bang TheoryModern Family, permitindo a inclusão de novas como a vencedora Transparent, e Jane the Virgin e Sillicon Valley. Aliás, a série Transparent, da Amazon, fez história ao se tornar a primeira série online a ganhar o Globo de Ouro de Melhor Série. As séries da Netflix como House of Cards e Orange is the New Black falharam nesse quesito, mas pelo menos Kevin Spacey conquistou seu almejado prêmio de ator pela primeira. As maiores surpresas foram as vitórias de The Affair como Melhor Série – Drama, sua atriz Ruth Wilson, e a atriz coadjuvante Joanne Froggatt por Downton Abbey. A minissérie Fargo também surpreendeu ao bater favoritos como True Detective e o filme para tv The Normal Heart, mas a verdade é que Fargo sempre recebeu ótimos elogios, mas ninguém premiava. Coube ao Globo de Ouro recompensá-los numa noite em que os criadores do filme original estavam presentes: Joel Coen, Ethan Coen, Frances McDormand e William H. Macy.

FESTA BEM AMENA COM LAMPEJOS DE OUSADIA

Não sei o que houve com as hostesses Tina Fey e Amy Poehler. Quer dizer, elas fizeram suas piadas na apresentação como aquelas envolvendo a saga da Sony com a Coréia do Norte e o filme A Entrevista, e até polêmicas das acusações de estupro de Bill Cosby, mas ao longo da festa, não vimos novas inserções delas. Teriam sido proibidas? Aí, a organização colocou umas piadas tão sem graça para os apresentadores dos prêmios lerem ao vivo que o show foi decaindo muito rapidamente. Quando vi Ricky Gervais subindo ao palco pra apresentar, pensei: “Pronto, finalmente alguém pra levantar o ânimo!”, mas não sei se mandaram Ricky maneirar no tom, mas ele realmente pegou leve… Uma pena! Ele zombou do “momento John Travolta”, quando o ator introduziu a cantora Idina Menzel com “Adele Nazeem” no Oscar do ano passado: “Eu assisto (à gafe) toda hora no Youtube!”. Então, sobrou para o ator Jeremy Renner soltar a pérola masculina da noite. Quando apresentava o prêmio ao lado da mega decotada Jennifer Lopez, ao abrir o envelope ela falou: “Eu abro porque tenho as unhas” – “E os globos de ouro também”, completou o auspicioso Renner.

Tina Fey e Amy Poehler com Margaret Cho caracterizada como uma serva norte-coreana (photo by foxnews.com)

Tina Fey e Amy Poehler com Margaret Cho caracterizada como uma serva norte-coreana (photo by foxnews.com)

Seguem algumas pérolas da dupla Fey e Poehler:

Tina Fey: Tonight we celebrate all the television shows that we know and love, as well as all the movies that North Korea was OK with. (Hoje, celebramos todos os shows da tv que conhecemos e amamos, assim como todos os filmes que a Coréia do Norte permitiu).

Amy Poehler: Patricia Arquette in “Boyhood” proves that “there are still great roles for women over 40- as long as you get hired when you’re under 40” (Patricia Arquette em Boyhood prova que ainda há grandes papéis para mulheres acima dos 40 – contanto que você seja contratada antes dos 40) – referindo-se ao fato de que as filmagens de Boyhood começaram há 12 anos.

Amy Poehler: In “Into the Woods,” Cinderella runs from her prince, Rapunzel is thrown from a tower for her prince and Sleeping Beauty just thought she was getting coffee with Bill Cosby” (Em “Caminhos da Floresta”, Cinderela de seu príncipe, Rapunzel é jogada de sua torre para seu príncipe e A Bela Adormecida pensou que ia tomar um café com Bill Cosby). Elas até chegam a fazer algumas imitações de Cosby pra amenizar o ambiente, mas o dano já estava feito.

Mas a melhor da noite foi: George Clooney married Amal Amaluddin this year. “Amal is a human rights lawyer who worked on the Enron case, was an adviser to Kofi Anan regarding Syria and was selected for a three person UN commission regarding war violations in the Gaza Strip. So tonight her husband is getting a lifetime achievement award,”. (George Clooney se casou com Amal Amaluddin este ano. “Amal é uma advogada de direitos humanos que trabalhou no caso Enron, foi conselheira de Kofi Anan sobre a Síria e foi eleita para uma comissão de três pessoas das Nações Unidas para os casos de violações de guerra na Faixa de Gaza. Então, esta noite seu marido vai ganhar um prêmio pela carreira!”

George Clooney com sua esposa Amal Amal (photo by John Shearer/ Invision/AP)

George Clooney com sua esposa Amal Amaluddin (photo by John Shearer/ Invision/AP)

Houve até um bom momento de descontração na brincadeira do “Would you rather” (Você prefere):
– Colin Farrell ou Colin Firth? Edward Norton ou Mark Ruffalo? Chris Pine ou Chris Pine! – Tina interrompe. Richard Linklater ou Alejandro Iñárritu? Amy escolhe Iñárritu: “Um take, duas horas direto sem parar”, enquanto Tina prefere Linklater: “Cinco minutos uma vez por ano”

Houve uma ou outra manifestação mais polêmica como o discurso de Common na vitória de Melhor Canção por Selma, filme sobre a conquista dos direitos civis nos anos 60. Em seu discurso, ele cita momentos importantes na História como a senhora negra que se recusou a mudar de lugar no ônibus até casos recentes como os dois negros mortos por policiais brancos na tentativa de engrandecer uma película somente por questões raciais e não por méritos artísticos. Assim como também houve uma outra citação do atentado terrorista na França contra o semanário Charlie Hebdo. Ao apresentar o prêmio de atriz coadjuvante, o ator Jared Leto aproveitou o momento e fez uma citação em homenagem, e George Clooney ostentava um bóton no smoking com os mesmos dizeres com os dizeres “Je suis Charlie”. O presidente da HFPA, Theo Kingma, fez questão de defender a liberdade de expressão, seja na Coréia do Norte ou em Paris, e foi aplaudido de pé por todos.

EFEITOS DO GLOBO DE OURO

Assim como muitos especialistas já levantaram, o resultado do Globo de Ouro já não serve mais como melhor parâmetro para o que vai acontecer no Oscar. Dos últimos 10 anos, apenas 4  vencedores de Melhor Filme no Globo de Ouro repetiram o feito no prêmio da Academia. Atores que ganharam o Globo de Ouro podem nem ser indicado ao Oscar como Paul Giamatti por Minha Versão do Amor em 2011, e Colin Farrell (Na Mira do Chefe) e Sally Hawkins (Simplesmente Feliz) em 2009. E até em categorias mais técnicas não há garantias de presença no Oscar: o compositor Alex Ebert venceu o Globo de Ouro em 2014 por Até o Fim e sequer foi indicado pela Academia. Claro que os vencedores terão suas respectivas campanhas nitidamente fortalecidas para os prêmios seguintes como o Critics’ Choice Awards, SAGs e o BAFTA, mas até o dia 15 de janeiro, dia do anúncio das indicações ao Oscar, ninguém está realmente garantido, abrindo espaço para surpresas, sejam positivas ou negativas.

Falando em negativas, o jornal americano The New York Post teria publicado uma reportagem em que lista casos que envolvem corrupção na compra de prêmios e indicações. Dentre os casos citados estão as três indicações do fracasso total O Turista, estrelado por Angelina Jolie e Johnny Depp (ambos indicados nas categorias de comédia ou musical) – tanto que o host da noite Ricky Gervais citou que a HFPA teria os indicado apenas para tê-los no tapete vermelho; e a indicação para Melhor Filme – Comédia ou Musical e vitória de Melhor Canção para Burlesque, um musical bastante criticado e sequer visto pelo público. Confira matéria de Lou Lumenick: http://nypost.com/2015/01/09/are-the-golden-globes-becoming-as-credible-as-the-oscars/

Amy Adams, Michael Keaton e Julianne Moore podem ter garantido suas indicações ao Oscar. Podem. (photo by absnews.com)

Amy Adams, Michael Keaton e Julianne Moore podem ter garantido suas indicações ao Oscar. Podem. (photo by absnews.com)

Rumo ao Oscar, o vencedor de Melhor Filme – Drama, Boyhood: Da Infância à Juventude, caminha firme e forte, já que levou também os prêmios de Diretor e Atriz Coadjuvante, além de ter sido indicado a Roteiro, afinal, são categorias-base para todo vencedor de Melhor Filme no Oscar, sem contar toda a história fascinante dos bastidores de 12 anos de filmagens. Quanto aos atores, Julianne Moore parece uma aposta cada vez mais certa para o Oscar. Aclamada por público e crítica como uma das melhores atrizes desta geração, e depois de ser indicada quatro vezes ao Oscar sem vitória, este deve ser o ano dela. Acredito que o único obstáculo em seu caminho pode ser ela mesma. Se a Academia indicá-la como coadjuvante também por Mapa Para as Estrelas, os votos podem se dividir e ela pode ser novamente perdedora em dose dupla como foi em 2003, quando estava indicada por Longe do Paraíso como atriz, e por As Horas como coadjuvante.

J.K. Simmons e Patricia Arquette estão cada vez mais fortes como coadjuvantes, contudo não dá pra descartar ainda Mark Ruffalo e Edward Norton, caso o filme de Simmons, Whiplash: Em Busca da Perfeição, não se saia bem nas indicações. Já Arquette, por mais que possa ter Meryl Streep competindo, deve ser a porta-voz ou representante de todo o elenco de Boyhood. Gostei da vitória de Amy Adams por Grandes Olhos, o que pode lhe garantir uma nova indicação ao Oscar consecutiva, mas as chances reais de vitória seriam praticamente nulas. Por mais talentosa que Adams seja, acredito que lhe falta um personagem que sirva como um real desafio que exija mudanças físicas para então ganhar seu Oscar. Vejam os casos de Charlize Theron e Matthew McConaughey: nunca tinham sido indicados e ganharam na primeira chance por terem passado por processos de transformação física. Não sei se Amy tem contrato vitalício com marcas de cosméticos que a impeçam de ficar feia ou algo do tipo, mas ela deveria pensar nessa hipótese. A categoria de Ator é a mais aberta até o momento. Por mais que Michael Keaton e Eddie Redmayne tenham ganhado o Globo de Ouro, não há nem garantias de que eles estarão na lista do Oscar, tamanha a concorrência. Temos Jake Gyllenhaal, Benedict Cumberbatch, Ralph Fiennes, David Oyelowo, Steve Carell, Joaquin Phoenix e Bill Murray pelo menos na cola.

Patricia Arquette e J.K. Simmons ganham como coadjuvantes (photo by intoday.in)

Patricia Arquette e J.K. Simmons ganham como coadjuvantes (photo by intoday.in)

Entre todos os filmes que receberam mais indicações, O Jogo da Imitação foi o maior perdedor. Presente em 5 categorias e como a maior aposta da Weinstein Company, o filme falhou em conquistar qualquer Globo de Ouro, nem um de consolação. Será que eles conseguem virar o jogo até o dia 22 de fevereiro?

A ELEITA

Não vou comentar os vestidos das moças. Prefiro falar das donas dos vestidos. E a melhor pela quinquagésima vez é Jessica Chastain. Essa mulher é um raio de sol. Só não esqueci que ela foi indicada para atriz coadjuvante por O Ano Mais Violento, porque foi uma pena que ela não subiu ao palco pra se apresentar.

Jessica Chastain no tapete vermelho (photo by usmagazine.com)

Jessica Chastain no tapete vermelho (photo by usmagazine.com)

Seguem os vencedores do Globo de Ouro:

CINEMA

MELHOR FILME – DRAMA
Boyhood: Da Infância à Juventude (Boyhood)

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL
O Grande Hotel Budapeste (The Grand Budapest Hotel)

MELHOR ATOR – DRAMA
Eddie Redmayne (A Teoria de Tudo)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Julianne Moore (Para Sempre Alice)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
Amy Adams (Grandes Olhos)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
Michael Keaton (Birdman)

MELHOR DIRETOR
Richard Linklater (Boyhood: Da Infância à Juventude)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Patricia Arquette (Boyhood: Da Infância à Juventude)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
J.K. Simmons (Whiplash: Em Busca da Perfeição)

MELHOR ROTEIRO
Alejandro González Iñárritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris, Armando Bo (Birdman)

MELHOR ANIMAÇÃO
Como Treinar Seu Dragão 2 (How to Train Your Dragon 2)

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
Leviatã (Leviafan), de Andrey Zvyagintsev – RÚSSIA

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Glory” por John Legend, Common (Selma)

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL
Johann Johannsson (A Teoria de Tudo)

TELEVISÃO

Equipe por trás da série vencedora The Affair (photo by ibtimes.com)

Equipe por trás da série vencedora The Affair (photo by ibtimes.com)

MELHOR SÉRIE DRAMÁTICA
The Affair

MELHOR ATOR EM SÉRIE DRAMÁTICA
Kevin Spacey (House of Cards)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DRAMÁTICA
Ruth Wilson (The Affair)

MELHOR MINISSÉRIE OU TELEFILME
Fargo

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA
Transparent

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Joanne Froggatt (Downton Abbey)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Matt Bomer (The Normal Heart)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA
Gina Rodriguez (Jane the Virgin)

A bela Gina Rodriguez ganhou por Jane the Virgin (photo by nationalpost.com)

A bela Gina Rodriguez ganhou por Jane the Virgin. Definitivamente, a segunda colocada da lista das eleitas. (photo by nationalpost.com)

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA
Jeffrey Tambor (Transparent)

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Maggie Gyllenhaal (The Honorable Woman)

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Billy Bob Thornton (Fargo)

As indicações ao Oscar 2015 serão anunciadas ao vivo neste dia 15 de janeiro e a cerimônia ocorre no dia 22 de fevereiro.