‘TUDO EM TODO LUGAR AO MESMO TEMPO’ LIDERA o OSCAR com 11 INDICAÇÕES

FILME ALEMÃO ‘NADA DE NOVO NO FRONT’ SURPREENDE COM 9 INDICAÇÕES

Na manhã desta terça (24), os atores Alisson Williams e Riz Ahmed anunciaram os indicados da 95ª edição do Oscar através de lives em canais oficiais, com a apresentação dividida em duas partes.

Para quem não conseguiu acompanhar a live, segue o link do YouTube abaixo:

NÚMEROS DO OSCAR

Como esperado, TUDO EM TODO LUGAR AO MESMO TEMPO lideraria as indicações, mas mesmo assim, houve surpresas como os reconhecimentos de Trilha Original e Canção Original.

Logo atrás, empatados com 9 indicações, vêm NADA DE NOVO NO FRONT, filme bélico alemão sobre a Primeira Guerra Mundial, e OS BANSHEES DE INISHERIN, comédia de humor negro sobre uma amizade desfeita.

Com 8 indicações, ELVIS acumulou indicações em categorias estéticas como Fotografia, Design de Produção e Figurino, além claro de Austin Butler como Ator. Logo atrás, com 7 indicações, OS FABELMANS conseguiu se recuperar de ausências importantes no BAFTA e assegurou o reconhecimento de Steven Spielberg em três categorias: Filme, Direção e Roteiro Original. Embora tenha acumulado 6 indicações, TOP GUN: MAVERICK surpreendeu duplamente ao não ser indicado para Fotografia (que era algo 99% certo) e por ter sido indicado a Roteiro Adaptado (algo que ninguém esperava).

O drama sobre música e Cultura do Cancelamento TÁR também conquistou 6 indicações, com destaque para Fotografia, Montagem e claro, Atriz para Cate Blanchett. E com 5 indicações, PANTERA NEGRA: WAKANDA PARA SEMPRE mostra força nas categorias técnicas e favoritismo em Atriz Coadjuvante para Angela Bassett.

POLÊMICAS À VISTA?

Antes mesmo das indicações serem anunciadas, havia um forte indício de que não haveria nenhuma diretora mulher indicada na categoria de Direção, o que acabou se comprovando. Dentre as diretoras que poderiam ter alguma chances estavam Sarah Polley (Entre Mulheres), Gina Prince-Bythewood (A Mulher Rei) e a nossa favorita Charlotte Wells (Aftersun), mas apesar disso, os diretores indicados já eram considerados quase certezas pelo histórico da temporada de premiações.

E nas categorias de atuação, embora muitos atores não-brancos tenham sido indicados como Brian Tyree Henry, Ke Huy Quan, Angela Bassett, Hong Chau e Stephanie Hsu, já começam reclamações da ausência deles na categoria de Melhor Atriz, porque até então Viola Davis (A Mulher Rei) e Danielle Deadwyler (Till) estavam muito bem cotadas.

SURPRESAS

Com certeza, houve muitas surpresas que vou citar por categoria abaixo, mas sem dúvidas, a maior delas foi a indicação de ANDREA RISEBOROUGH para Melhor Atriz por TO LESLIE, um filme pequeno e independente sobre uma mãe que abandonou seu filho após seu prêmio da loteria acabar com seu vício no álcool. A atriz havia sido apenas indicada basicamente para o Independent Spirit Award e havia sido esnobada por completo no Globo de Ouro, Critics’ Choice, BAFTA e SAG, mas com uma campanha totalmente sem recursos, amadora, mas que atingiu vários famosos como Edward Norton, Gwyneth Paltrow, Liam Neeson, Geena Davis, Susan Sarandon, Laura Dern, Helen Hunt, Zooey Deschanel, Melanie Lynskey, Mira Sorvino, Rosie O’Donnell, Minnie Driver, Alan Cumming, Rosanna Arquette, Debra Winger, Patricia Clarkson e Howard Stern, que postaram elogios à atriz em redes sociais, principalmente no Twitter. Funcionou e agora Riseborough está entre as 5 melhores do ano.

Sobre o filme, claro, é um drama daqueles típicos de protagonista vivendo no fundo do poço mas que bsuca redenção, mas a performance da atriz realmente eleva o material para algo muito mais humano e verdadeiro. Riseborough evita aquela personagem chorona e coitadinha, para ser alguém que assume e vive suas falhas como mãe e alcóolatra. Certamente, vai adicionar muito tempero na briga entre Cate Blanchett e Michelle Yeoh.

CONFIRA TODOS OS INDICADOS AO OSCAR 2023 COM ESNOBES E COMENTÁRIOS:

MELHOR FILME

  • Nada de Novo no Front (All Quiet on the Western Front)
  • Avatar: O Caminho da Água (Avatar: The Way of Water)
  • Os Banshees de Inisherin (The Banshees of Inisherin)
  • Elvis (Elvis)
  • Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo (Everything Everywhere All at Once)
  • Os Fabelmans (The Fabelmans)
  • Tár (Tár)
  • Top Gun: Maverick (Top Gun: Maverick)
  • Triângulo da Tristeza (Triangle of Sadness)
  • A Baleia (The Whale)

Nesta categoria, não há nenhum estranho no ninho. Claro que muita gente jamais imaginou ver a sátira TRIÂNGULO DA TRISTEZA entre os 10 filmes, mas por outro lado, tem muita gente que adorou o filme, que ganhou a Palma de Ouro no último Festival de Cannes. Eu teria trocado o filme de Ruben Östlund pelo drama intimista AFTERSUN, mas sem uma indicação de Direção ou Roteiro para Charlotte Wells, seria bastante difícil.

Hoje quem ganha esse prêmio é TUDO EM TODO LUGAR AO MESMO TEMPO, mas tem chão até o dia 12 de Março.

MELHOR DIREÇÃO

  • Martin McDonagh (Os Banshees de Inisherin)
  • Daniel Kwan & Daniel Scheinert (Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo)
  • Steven Spielberg (Os Fabelmans)
  • Todd Field (Tár)
  • Ruben Östlund (Triângulo da Tristeza)

Mais amor para Ruben Östlund, que ocupa a chamada vaga para um diretor estrangeiro. Primeiramente, achei muito estranho NADA DE NOVO NO FRONT ter 9 indicações e terem esnobado EDWARD BERGER, mas se fosse para eleger um estrangeiro eu colocaria PARK CHAN-WOOK por DECISÃO DE PARTIR, porém sequer foi indicado a Filme Internacional… Trocaria Spielberg ou McDonagh por CHARLOTTE WELLS.

Hoje quem ganha são os DANIELS, mas SPIELBERG tem muuuuuuito prestígio entre os membros da Academia. Mas se o terceiro Oscar de Spielberg acontecer, corre sério risco de ser o único Oscar para OS FABELMANS. Já pensou nisso? Um novo Ataque dos Cães.

MELHOR ATOR

  • Austin Butler (Elvis)
  • Colin Farrell (Os Banshees de Inisherin)
  • Brendan Fraser (A Baleia)
  • Paul Mescal (Aftersun)
  • Bill Nighy (Living)

Com Butler, Fraser, Farrell e Nighy garantidos há tempos, restava saber quem ficaria com a última vaga, e esta ficou com o jovem queridinho PAUL MESCAL. Ele ganhou muito impulso na campanha com a indicação ao BAFTA, e ultrapassou os incertos Tom Cruise, Adam Sandler, Tom Hanks e Jeremy Pope. Com certeza, uma das indicações mais comemoradas do ano.

A disputa está acirradíssima, e acredito num embate maior entre Austin Butler e Brendan Fraser. O primeiro conta com a benção da esposa e filha (recém-falecida) de Elvis Presley, mas Brendan Fraser, além de contar com a ajuda formidável da maquiagem prostética transformadora, tem sua história pessoal de comeback que ressoa muito forte entre inúmeros atores votantes da Academia, portanto BRENDAN FRASER deve levar esse Oscar.

MELHOR ATRIZ

  • Cate Blanchett (TÁR)
  • Ana de Armas (Blonde)
  • Andrea Riseborough (To Leslie)
  • Michelle Williams (Os Fabelmans)
  • Michelle Yeoh (Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo)

A ausência de VIOLA DAVIS não me surpreende muito. Embora haja o esforço valioso da transformação física da personagem que comanda o exército africano, o filme nunca empolga e sua performance ficou mais esquecida dentre tantos personagens na aventura. Já DANIELLE DEADWYLER foi uma surpresa grande, porque sua atuação é forte e a Academia dificilmente ignoraria um drama familiar de racismo, ainda mais hoje. Sem sombra de dúvidas, eu a incluiria no lugar de MICHELLE WILLIAMS que, na minha opinião, nem deveria estar concorrendo, pois considero uma performance batida e até clichê da mulher desiludida com ares de loucura, sem falar que sua personagem é coadjuvante, não protagonista. Dentre outras ausentes estão MARGOT ROBBIE (Babilônia), OLIVIA COLMAN (Império da Luz) e EMMA THOMPSON (Boa Sorte, Leo Grande).

ANDREA RISEBOROUGH, como disse acima, é a maior surpresa desta edição do Oscar. Já era uma atriz que merecia mais reconhecimento. Já trabalhou com Mike Leigh em Simplesmente Feliz, com Alejandro González Iñárritu em Birdman, com Jonathan Dayton e Valerie Farris em A Guerra dos Sexos, e tem se destacado em filmes de terror psicológicos como Mandy, Nancy e Possessor. Sua performance em TO LESLIE só foi reconhecida graças às campanhas de atores famosos que viram o filme e espalharam que ela merecia uma indicação. Não sei se o filme terá dinheiro para promovê-la, mas com certeza arrecadarão mais bilheteria com essa indicação.

Agora quem ganha? Há pouco tempo, eu dizia que CATE BLANCHETT era a favorita para ganhar seu 3º Oscar, e se ganhar, será merecido, sem dúvida, mas estamos num cenário de diversidade em que atores não-brancos têm chances reais. E não estou defendendo MICHELLE YEOH só porque é asiática, mas sua performance tem uma essência muito humana mesmo com tantas cenas de ação e lutas. Não seria lindo premiar uma atuação diferente como essa? Yeoh pode nunca ter sido indicada, mas já merecia indicação por O Tigre e o Dragão e Podres de Ricos, e pode nunca mais ter chances e ser indicada novamente, diferente de Cate Blanchett. Mas enfim, se tudo der certo, Yeoh leva essa estatueta.

MELHOR ATOR COADJUVANTE

  • Brendan Gleeson (Os Banshees de Inisherin)
  • Brian Tyree Henry (Passagem)
  • Judd Hirsch (Os Fabelmans)
  • Barry Keoghan (Os Banshees de Inisherin)
  • Ke Huy Quan (Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo)

BRENDAN GLEESON e BARRY KEOGHAN eram certezas assim como KE HUY QUAN, restava saber se alguém de OS FABELMANS entraria na disputa. Eu teria indicado PAUL DANO, por apresentar uma atuação discreta porém muito eficiente, mas preferiram JUDD HIRSCH, que tem apenas uma cena no filme, o que achei um exagero. BRIAN TYREE HENRY está bem em PASSAGEM e sua indicação reconhece sua atuação despojada e introvertida de um mecânico marcado por um acidente de carro. Dentre as ausências sentidas estão EDDIE REDMAYNE (O Enfermeiro da Noite), BRAD PITT (Babilônia) e BEN WISHAW (Entre Mulheres).

Das categorias de atuação, esta é a mais fácil de prever a vitória: KE HUY QUAN. Além de performance aclamada, tem feito discursos belíssimos e tem o comeback como fator determinante.

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

  • Angela Bassett (Pantera Negra: Wakanda Para Sempre)
  • Hong Chau (A Baleia)
  • Kerry Condon (Os Banshees de Inisherin)
  • Jamie Lee Curtis (Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo)
  • Stephanie Hsu (Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo)

Das categorias de atuação, Atriz Coadjuvante era a mais nebulosa de todas. Havia fortes dúvidas até de quem seria indicada, já que havia muitas candidatas fortes. Há pouco tempo, ANGELA BASSETT, KERRY CONDON e JAMIE LEE CURTIS se tornaram mais sólidas na corrida, enquanto as outras duas vagas eram uma incógnita. HONG CHAU ganhou forças com suas recentes indicações ao SAG e ao BAFTA e finalmente foi reconhecida pela Academia. E a última vaga ficou com a jovem STEPHANIE HSU, que está ótima em TUDO EM TODO LUGAR AO MESMO TEMPO como a filha Joy e a vilã Jobu Tupaki.

Por ter vencido Globo de Ouro e Critics’ Choice, ANGELA BASSETT tem boa vantagem sobre as demais indicadas e deve levar o Oscar, 29 anos depois de sua primeira indicação por Tina – A Verdadeiro História de Tina Turner.

DOLLY DE LEON (Triângulo da Tristeza), CAREY MULLIGAN (Ela Disse), JANELLE MONÀE (Glass Onion) e JESSIE BUCKLEY (Entre Mulheres) estão entre as atrizes esnobadas na categoria, sem contar MICHELLE WILLIAMS, que poderia ter concorrido aqui por Os Fabelmans.

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

  • Martin McDonagh (Os Banshees de Inisherin)
  • Daniel Kwan, Daniel Scheinert (Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo)
  • Steven Spielberg, Tony Kushner (Os Fabelmans)
  • Todd Field (Tár)
  • Ruben Östlund (Triângulo da Tristeza)

O roteiro original de JORDAN PEELE por NÃO! NÃO OLHE! merecia muito mais a vaga do que Ruben Östlund. Apesar da sátira de TRIÂNGULO DA TRISTEZA ter bons momentos na ilha, há muitas cenas de pura obviedade, passando longe de qualquer tipo de sutileza. O filme de terror de Jordan Peele continha muitos elementos frescos e surpreendentes que nenhum outro roteiro de 2022 apresentou. Academia cagou nessa.

MARTIN MCDONAGH tem ótimas chances de levar o Oscar como uma espécie de prêmio de consolação se TUDO EM TODO LUGAR AO MESMO TEMPO levar as principais categorias, mas não duvido dos DANIELS levarem esse prêmio também.

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

  • Edward Berger, Lesley Paterson, Ian Stokell (Nada de Novo no Front)
  • Rian Johnson (Glass Onion: Um Mistério Knives Out)
  • Kazuo Ishiguro (Living)
  • Ehren Kruger, Eric Warren Singer, Christopher McQuarrie (Top Gun: Maverick)
  • Sarah Polley (Entre Mulheres)

TOP GUN: MAVERICK ser indicado a Roteiro Adaptado comprova que a disputa estava abaixo da média. Não que o roteiro da sequência estrelada por Tom Cruise seja ruim, mas faz o arroz com feijão, contornando bem os possíveis buracos dos 36 anos de intervalo. Havia a possibilidade de A BALEIA estar aqui, por ser adaptação de uma peça de teatro, mas acabou de fora.

Por não terem indicado nenhuma mulher, SARAH POLLEY ganha certo favoritismo nesta categoria por ENTRE MULHERES. Se o trabalho de direção dela não foi tão elogiado, seu roteiro sempre esteve entre os mais comentados da temporada, e também está indicado a Melhor Filme, por isso, meu voto para vitória vai para POLLEY.

MELHOR FOTOGRAFIA

  • James Friend (Nada de Novo no Front)
  • Darius Khondji (Bardo, Falsa Crônica de Algumas Verdades)
  • Mandy Walker (Elvis)
  • Roger Deakins (Império da Luz)
  • Florian Hoffmeister (Tár)

É difícil entender a ausência de CLAUDIO MIRANDA por TOP GUN: MAVERICK, especialmente porque os indicados são escolhidos por vários diretores de fotografia, que certamente entenderam as dificuldades de se filmar essa aventura com aeronaves reais. Miranda já havia ganhado um Oscar por AS AVENTURAS DE PI, que embora considere bonita a fotografia, acho bastante artificial, mas merecia este reconhecimento.

Até o momento, ele era considerado o favorito para ganhar esse Oscar, mas agora com sua ausência, fica difícil de prever quem leva essa estatueta. ROGER DEAKINS seria uma excelente alternativa, mas seu IMPÉRIO DA LUZ foi esnobado em todas as outras categorias, o que enfraquece sua campanha. Se MANDY WALKER vencer por ELVIS, ela se tornará a primeira mulher a ganhar nesta categoria, o que seria um marco histórico fácil de apoiar, mas… por enquanto, fico com a vitória de JAMES FRIEND por NADA DE NOVO NO FRONT.

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL

  • Volker Bertelmann (Nada de Novo no Front)
  • Justin Hurwitz (Babilônia)
  • Carter Burwell (Os Banshees de Inisherin)
  • Son Lux (Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo)
  • John Williams (Os Fabelmans)

Nesta categoria, duas surpresas: VOLKER BERTELMANN por NADA DE NOVO NO FRONT e SON LUX por TUDO EM TODO LUGAR AO MESMO TEMPO, mas a briga deve ficar entre JUSTIN HURWITZ por BABILÔNIA, que venceu o Globo de Ouro, CARTER BURWELL por OS BANSHEES DE INISHERIN. Claro que JOHN WILLIAMS pode surpreender por OS FABELMANS por se tratar de um compositor extremamente prestigiado, mas sua trilha não tem o perfil para vencer. Dentre as ausências mais sentidas estão ALEXANDRE DESPLAT por PINÓQUIO, e HILDUR GUÐNADÓTTIR por ENTRE MULHERES.

Mesmo já tendo vencido por LA LA LAND, minha aposta vai para JUSTIN HURWITZ, cuja trilha musical faz uma baita diferença em BABILÔNIA.

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL

  • “Applause” (Tell it Like a Woman)
  • “Hold My Hand” (Top Gun: Maverick)
  • “Lift Me Up” (Pantera Negra: Wakanda Para Sempre)
  • “Naatu Naatu” (RRR: Revolta, Rebelião, Revolução)
  • “This is a Life” (Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo)

Primeiramente, DIANE WARREN. O que dizer dessa compositora que conquistou sua 14ª indicação ao Oscar? Tudo bem que ela ainda não ganhou o Oscar competitivo, mas em 2022, já foi homenageada com o Oscar Honorário, o que tira a pressão pela primeira vitória. Quer que seu filme receba uma indicação ao Oscar? Contrate Diane Warren para escrever uma canção. Entre as ausências, a mais citada certamente é “CIAO PAPA” da animação stop motion PINÓQUIO, enquanto a grande surpresa vai para “‘THIS IS A LIFE”, que considero um pouco estranha, mas combina com TUDO EM TODO LUGAR AO MESMO TEMPO.

Após apostar tanto em “HOLD MY HAND” e perder, vou ter que apostar em “NAATU NAATU”. Não apenas essa canção impulsiona o filme indiano, mas como também é a única indicação de RRR. Aliás, se a direção da Academia souber trabalhar bem os números musicais na cerimônia, a audiência pode melhorar bastante com Lady Gaga e Rihanna.

MELHOR MONTAGEM

  • Mikkel E.G. Nielsen (Os Banshees de Inisherin)
  • Jonathan Redmond, Matt Villa (Elvis)
  • Paul Rogers (Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo)
  • Monika Willi (Tár)
  • Eddie Hamilton (Top Gun: Maverick)

Com exceção de ELVIS, considero todas as outras edições muito bem feitas e merecem indicação. Pela fluência narrativa, sem dúvida TOP GUN MAVERICK merece o prêmio, enquanto TUDO EM TODO LUGAR AO MESMO TEMPO merece por sua montagem fragmentada que consegue englobar todos os universos sem ser cansativo. Por enquanto, aposto em PAUL ROGERS, o que será um prêmio essencial para o filme de multiverso ganhar MELHOR FILME.

Substituiria facilmente a montagem de ELVIS pela frenética de RRR. Não dá pra entender.

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO

  • Nada de Novo no Front
  • Avatar: O Caminho da Água
  • Babilônia
  • Elvis
  • Os Fabelmans

Ser indicado ao Oscar por ter reproduzido a casa de infância da família de Spielberg em OS FABELMANS? Não teria sido mais justo se indicassem o design de PANTERA NEGRA: WAKANDA PARA SEMPRE? Por mais que haja uma repetição de Wakanda, existe todo um universo novo aquático de Namor. Poderiam ter indicado o restaurante a ilha de O MENU ou todo o universo de PINÓQUIO também.

AVATAR é um dos grandes candidatos a esse prêmio, principalmente por todo o universo aquático, mas o primeiro filme já levou esse prêmio lá em 2010, o que pode e deve favorecer BABILÔNIA e sua recriação da Hollywood dos anos 1920.

MELHOR FIGURINO

  • Babilônia
  • Pantera Negra: Wakanda Para Sempre
  • Elvis
  • Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo
  • Sra. Harris Vai à Paris

Embora eu não tenha gostado de A MULHER REI, achava que os figurino de Gersha Phillips mereciam ser reconhecidos aqui, até mesmo porque quando temos chance de ver figurinos da África dos séculos XVIII e XIX? Retiraria a indicação de TUDO EM TODO LUGAR AO MESMO TEMPO aqui para abrigar esses figurinos diferentes.

A briga deve ficar entre RUTH CARTER por PANTERA NEGRA e CATHERINE MARTIN por ELVIS. Tenho a impressão de que Martin não sairá de mãos abanando (também está indicada em Design de Produção), e Ruth Carter já levou o mesmo Oscar pelo primeiro PANTERA NEGRA. E agora? Por enquanto, vou de Catherine Martin.

MELHOR MAQUIAGEM E PENTEADO

  • Nada de Novo no Front
  • Batman
  • Pantera Negra: Wakanda Para Sempre
  • Elvis
  • A Baleia

É estranho ver Ana de Armas se transformando bem em Marilyn Monroe e a equipe de maquiagem não ser indicada, mas BLONDE foi odiado por muita gente, taí as 8 indicações ao Framboesa de Ouro. Melhor para BATMAN, ELVIS e A BALEIA, que disputam esse Oscar. Acredito que a maquiagem que transforma Brendan Fraser num homem bem obeso vai chamar mais a atenção e deve levar essa estatueta.

MELHOR SOM

  • Nada de Novo no Front
  • Avatar: O Caminho da Água
  • Batman
  • Elvis
  • Top Gun: Maverick

Retiraria a indicação de figurino de TUDO EM TODO LUGAR AO MESMO TEMPO para ser indicado a Som, mas tá bom, não dá pra reclamar de nenhum dos cinco indicados aqui. Poderiam ter indicado BABILÔNIA também que não seria um reconhecimento criticado.

Pra vencer, sem dúvida, o som maravilhoso de TOP GUN: MAVERICK. Impecável.

MELHORES EFEITOS VISUAIS

  • Nada de Novo no Front
  • Avatar: O Caminho da Água
  • Batman
  • Pantera Negra: Wakanda Para Sempre
  • Top Gun: Maverick

TOP GUN: MAVERICK poderia ter sido feito com um monte de efeitos de computação gráfica com aviões feitos por computadores, mas graças às exigências de Tom Cruise, tivemos aeronaves reais e isso contribuiu enormemente para o aspecto visual mais orgânico e real do filme. Os efeitos aqui são praticamente imperceptíveis e, como essa é o novo selo de qualidade da Academia nesta categoria, deveria levar o Oscar.

Ainda no campo discreto, NADA DE NOVO NO FRONT também seria uma boa opção para premiar, mas os votantes premiariam efeitos de um filme alemão? Ainda acho difícil.

MELHOR FILME INTERNACIONAL

  • Nada de Novo no Front (Alemanha)
  • Argentina, 1985 (Argentina)
  • Close (Bélgica)
  • EO (Polônia)
  • The Quiet Girl (Irlanda)

Nesta categoria está uma das maiores surpresa desta edição: a ausência de DECISÃO DE PARTIR, da Coreia do Sul. Havia inclusive, boas chances de seu diretor Park Chan-wook ser indicada à Direção, mas tudo foi por água abaixo. Os filmes EO e THE QUIET GIRL cresceram bastante na reta final e foram indicados.

Com 9 indicações, muitos vão apostar na vitória de NADA DE NOVO NO FRONT, mas a competição aqui está acirrada com ARGENTINA, 1985 e CLOSE logo atrás.

MELHOR DOCUMENTÁRIO

  • All that Breathes
  • All theBeauty and the Bloodshed
  • Fire of Love
  • A House Made of Splinters
  • Navalny

Embora bastante popular, o documentário MOONAGE DAYDREAM sobre o saudoso DAVID BOWIE estava entre os favoritos, mas nem sempre isso significa que vá ser indicado. Enquanto isso, A HOUSE MADE OF SPLINTERS conquistou sua vaga ao retratar uma instituição que serve de abrigo para crianças que aguardam decisão judicial sobre sua guarda. Uma pena que O TERRITÓRIO, que fala sobre ataques às reservas indígenas, não tenha sido indicado também.

A briga deve ficar entre ALL THAT BREATHS e ALL THE BEAUTY AND THE BLOODSHED, com ligeira vantagem para o segundo, que levou o Leão de Ouro no último Festival de Veneza. Sua diretora Laura Poitras já ganhou o Oscar por CIDADÃOQUATRO em 2015.

MELHOR LONGA DE ANIMAÇÃO

  • Pinóquio por Guillermo del Toro
  • Marcel the Shell With Shoes On
  • Gato de Botas: O Último Pedido
  • A Fera do Mar
  • Red: Crescer é uma Fera

Dos cinco indicados, apenas uma vaga estava incerta. A maioria apontava para WENDELL & WILD por ser de Henry Sellick, contar com Jordan Peele, e ainda ser da Netflix, mas a Netflix acabou sendo reconhecida por A FERA DO MAR.

Até agora PINÓQUIO POR GUILLERMO DEL TORO era o grande favorito, e ainda continua, mas como não foi reconhecido nas outras categorias de Trilha Musical, Canção Original, Design de Produção e Efeitos Visuais, seu favoritismo abaixou um pouco, e nisso GATO DE BOTAS 2: O ÚLTIMO PEDIDO tem crescido no gosto popular.

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO

  • The Boy, the Mole, the Fox, and the Horse
  • The Flying Sailor
  • Ice Merchants
  • My Year of Dicks
  • An Ostrich Told Me the World is Fake and I Think O Believe It

Não vi nenhum ainda, mas chama a atenção o nome dos curtas de animação que, inclusive, fizeram Riz Ahmed e Allison Williams rirem no anúncio. Sem nenhum curta da Disney ou Pixar no páreo, as chances devem ser mais igualitárias, mas The Boy, the Mole, the Fox, and the Horse sai com uma ligeira vantagem por contar com a grana da Apple.

MELHOR DOCUMENTÁRIO-CURTA

  • Como Cuidar de um Bebê Elefante
  • Haulout
  • How Do You Measure a Year
  • The Matha Mitchell Effect
  • Stranger at the Gate

Nos últimos anos, a Netflix tem dominado as categorias de curta, portanto, nada mais natural considerar COMO CUIDAR UM BEBÊ ELEFANTE como o favorito da categoria. Além disso, a Academia tem adorado premiar filmes sobre natureza como o recente O PROFESSOR POLVO.

MELHOR CURTA-METRAGEM

  • An Irish Goodbye
  • Ivalu
  • Le Pupille
  • Night Ride
  • The Red Suitcase

Uma pena que o curta brasileiro SIDERAL não terminou entre os indicados, mas não deve ter sido fácil competir com diretores renomados Alfonso Cuarón e Alice Roahwacher, cujo LE PUPILLE deve levar o Oscar.

‘TUDO EM TODO LUGAR AO MESMO TEMPO’ CONQUISTA 2 GOTHAM AWARDS, incluindo MELHOR FILME

FILME DE MULTIVERSO DA A24 ABRE A TEMPORADA DE PREMIAÇÕES EM ALTA

Em cerimônia realizada nesta segunda-feira em Nova York, tivemos uma breve noção do que pode nos esperar até Março, quando acontece a 95ª edição do Oscar. A aventura multidimensional Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo saiu premiado como o Melhor Filme independente e a Melhor Performance de Coadjuvante para Ke Huy Quan.

Em seu discurso, o ator ficou bastante emocionado: “Frequentemente, são os filmes independentes que abrem as portas para atores que não têm muitas chances de encontrar oportunidades. Eu era esse tipo de ator.” Para quem não se lembra, Ke Huy Quan ficou conhecido como o ator mirim de Indiana Jones e o Tempo da Perdição (1984) e Os Goonies (1985) como o inventivo Dado. Afastou-se por quase 20 anos da profissão e, agora, em alta novamente, estará na segunda temporada da série da Marvel, ‘Loki’, além de participar do elenco de The Electric State, novo filme dos irmãos Russo.

A premiação de Ke Huy Quan anima ainda mais se lembrarmos que o último vencedor do Gotham, Troy Kotsur, acabou faturando o Oscar de Ator Coadjuvante. Ainda sobre atores, Danielle Deadwyler bateu fortes concorrentes como Cate Blanchett, Michelle Yeoh e Brendan Fraser e levou o prêmio de Melhor Performance de Protagonista pelo drama Till, no qual ela interpreta uma mãe de luto pelo filho linchado e assassinado por racistas em 1955. Infelizmente, ela não está indicada ao Independent Spirit Awards, mas esse prêmio já a coloca no mapa da categoria de Melhor Atriz. Quem sabe não teremos a segunda atriz negra a ganhar Oscar depois de Halle Berry? É difícil pelo favoritismo de Blanchett, mas até Março tem chão. Já na categoria de Performance Revelação, o prêmio ficou com a croata Gracija Filipovic no drama Murina.

Ainda sobre atores, vale lembrar que Adam Sandler e Michelle Williams foram homenageados pelo Tribute Award, uma alternativa que o Gotham Awards encontrou para alavancar as campanhas de artistas bem cotados. Em 2021, Kristen Stewart e Jane Campion foram homenageadas e acabaram no Oscar. Sandler pode concorrer por prêmios pelo filme Arremessando Alto (disponível na Netflix), enquanto Williams deve disputar como Atriz por Os Fabelmans (estreia em Fevereiro nos cinemas brasileiros).

No Gotham, não há prêmio de Direção, mas de Direção de Estreante, aqui vencida por Charlotte Wells pelo belíssimo Aftersun. No Brasil, a MUBI fez parceria com a produtora O2 Filmes, e o filme deve ser lançado nos cinemas no dia 1º de Dezembro, antes de chegar à plataforma de streaming. Aftersun, estrelado por Paul Mescal e Frankie Corio, é inspirado na relação que a diretora tinha com o pai durante viagem à Turquia.

Nas demais categorias, vale ressaltar o prêmio de Roteiro para o drama Tár, de Todd Field, mais uma vez indicando que não se trata apenas de atenção para Cate Blanchett; Filme Internacional para o francês O Acontecimento, que já havia vencido o Leão de Ouro no Festival de Veneza de 2021, mas é inelegível para o Oscar por ser de 2021; e Documentário para All That Breathes, uma co-produção de Reino Unido, Índia e EUA, sobre a proteção ambiental focada num pássaro em extinção.

Confira todos os vencedores do 32º Gotham Awards abaixo:

CINEMA

Melhor Filme
Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo (Everything Everywhere All at Once)

Diretor Revelação
Charlotte Wells (Aftersun)

Melhor Roteiro
Todd Field (Tár)

Atuação Revelação
Gracija Flipovic (Murina)

Atuação de Coadjuvante
Ke Huy Quan (Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo)

Atuação de Protagonista
Danielle Deadwyler (Till)

Melhor Filme Internacional
O Acontecimento (Happening)

Melhor Documentário
All That Breathes

TV e STREAMING

Série Revelação com Episódios Abaixo de 40 Minutos
Mo (Netflix)

Série Revelação com Episódios Acima de 40 Minutos
Pachinko (Apple+)

Atuação de Televisão
Ben Whishaw (This Is Going To Hurt)

Série Revelação de Não-Ficção
We Need to Talk About Cosby

JENNIFER HUDSON, CATE BLANCHETT e BRADLEY COOPER SÃO INDICADOS ao SAG AWARDS. SÉRIE ‘ROUND 6’ FAZ HISTÓRIA.

PRÊMIO DO SINDICATO DOS ATORES SUBSTITUI NOMES CERTOS DA TEMPORADA

Ao meio-dia, horário de Brasília, desta quarta-feira (12), as atrizes Rosario Dawson e Vanessa Hudgens se juntaram numa live do Instagram para fazer o anúncio dos indicados ao SAG Awards. Esta mesma live foi gravada e está disponível em forma de post no Instagram.

Pra quem gosta de confirmações que elevem os patamares dos favoritos, o SAG esquentou a cabeça de muitos que seguem a temporada de premiações, pois tirou do páreo nomes que até então eram quase certos para uma indicação ao Oscar. Já para aqueles que preferem a imprevisibilidade e um reconhecimento mais diversificado, o SAG reservou algumas surpresas (não necessariamente) agradáveis.

Primeiramente, vamos às confirmações Benedict Cumberbatch, Andrew Garfield, Will Smith e Denzel Washington na categoria de Ator; Jessica Chastain, Lady Gaga, Olivia Colman, Nicole Kidman na categoria de Atriz; Troy Kotsur, Kodi Smit-McPhee e Jared Leto na de Ator Coadjuvante; Caitríona Balfe, Ariana DeBose e Kirsten Dunst em Atriz Coadjuvante. Em sua grande maioria, são nomes que estiveram mais presentes em listas anteriores de críticos e no Globo de Ouro.

Já as surpresas são Javier Bardem tomando um possível lugar de Peter Dinklage (por Cyrano); Jennifer Hudson tomando o lugar de Kristen Stewart (Spencer) – que até pouco tempo atrás era uma franco-favorita; Bradley Cooper e Ben Affleck tomando os lugares de Jamie Dornan e Ciarán Hinds (ambos de Belfast); e Cate Blanchett e Ruth Negga nos lugares de Anjanue Ellis e Marlee Matlin (ou Ann Dowd). Quem estava contando com Kristen Stewart certamente se decepcionou com a entrada de Hudson (cujo filme sobre Aretha Franklin não foi bem recebido por público ou crítica), mas esse tipo de abertura gera uma temporada de premiações menos fechada e possibilita um reconhecimento mais abrangente de performances e filmes diferentes.

Falando em possibilidades, a categoria principal do SAG, que coroa o Melhor Elenco, costuma ser equiparada ao Oscar de Melhor Filme. Algumas vezes, o filme vencedor desse prêmio realmente acaba levando o Oscar principal da noite como no caso de Parasita, mas as estatísticas não estão muito favoráveis nos últimos cinco anos, pois em quatro deles, o vencedor do SAG não levou o Oscar: Os 7 de Chicago, Pantera Negra, Três Anúncios Para um Crime e Estrelas Além do Tempo. Se levarmos isso em consideração, a não-indicação de Ataque dos Cães e Amor, Sublime Amor (ambos favoritos ao Oscar) não interfere demais numa possível campanha vencedora, assim como não eleva tanto para os indicados Casa Gucci ou King Richard.

Apesar do elenco estelar de Não Olhe Para Cima, composto por Leonardo DiCaprio, Jennifer Lawrence, Jonah Hill, Timothée Chalamet e Meryl Streep, o SAG deve ficar com Belfast ou No Ritmo do Coração, que curiosamente são elencos de famílias, e o SAG adora esse senso de unidade familiar e as atuações em conjunto para selecionar o vencedor de Elenco. O filme de Kenneth Branagh sobre a cidade irlandesa leva uma ligeira vantagem pois a participação dos atores está mais bem distribuída e alinhada. Particularmente, concordo com a não-indicação de Dornan e Hinds como Coadjuvantes, pois são atuações menos significantes. Já pelo drama da família surda, Marlee Matlin está bem, mas é realmente Troy Kotsur que rouba a cena como o pai Frank.

Sem querer dar uma de bola de cristal (até mesmo porque a cerimônia só será no dia 27 de Fevereiro), seguem meus palpites dos vencedores para as categorias de cinema:
ELENCO: Belfast
ATOR: Will Smith (King Richard)
ATRIZ: Jessica Chastain (Os Olhos de Tammy Faye)
ATOR COADJUVANTE: Bradley Cooper (Licorice Pizza)
ATRIZ COADJUVANTE: Ariana DeBose (Amor, Sublime Amor)
DUBLÊS: Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis

Nas categorias televisivas, o destaque ficou por conta de Round 6 (ou Squid Game), que se tornou a primeira série em língua-estrangeira indicada ao SAG na história de 28 anos. A série sul-coreana foi líder de views na plataforma da Netflix em mais de 90 países e foi a mais assistida na história da plataforma de streaming, praticamente obrigando os prêmios a quebrarem seus paradigmas de ficarem isolados em séries domésticas. Na semana passada, a série ganhou o Globo de Ouro de Ator Coadjuvante para Oh Yeong-su (o velhinho participante Nº 001), mas ele não foi reconhecido com uma indicação individual no SAG, que preferiu indicar o protagonista Lee Jung-jae como Ator de Série Dramática, e a jovem Jung Heyon como Melhor Atriz de Série Dramática.

Confira todos os indicados do SAG Awards:

CINEMA

MELHOR ELENCO – FILME

Belfast (Focus Features)  
No Ritmo do Coração (Apple Original Films) 
Não Olhe Para Cima (Netflix)  
Casa Gucci (MGM/United Artists Releasing)  
King Richard: Criando Campeãs (Warner Bros) 

MELHOR ATOR

Javier Bardem (Apresentando os Ricardos)  
Benedict Cumberbatch (Ataque dos Cães) 
Andrew Garfield (Tick, Tick … Boom!) 
Will Smith (King Richard: Criando Campeãs)  
Denzel Washington (The Tragedy of Macbeth) 

MELHOR ATRIZ

Jessica Chastain (Os Olhos de Tammy Faye)  
Olivia Colman (A Filha Perdida)  
Lady Gaga (Casa Gucci) 
Jennifer Hudson (Respect: A História de Aretha Franklin)  
Nicole Kidman (Apresentando os Ricardos) 

MELHOR ATOR COADJUVANTE

Ben Affleck (Bar Doce Lar)  
Bradley Cooper (Licorice Pizza)  
Troy Kotsur (No Ritmo do Coração)  
Jared Leto (Casa Gucci)  
Kodi Smit-McPhee (Ataque dos Cães)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Caitríona Balfe (Belfast)
Cate Blanchett (O Beco do Pesadelo)
Ariana DeBose (Amor, Sublime Amor)
Kirsten Dunst (Ataque dos Cães)
Ruth Negga (Identidade)

MELHOR EQUIPE DE DUBLÊS – FILME

Viúva Negra
Duna
Matrix Resurrections
007 Sem Tempo Para Morrer
Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis

TV OU STREAMING

MELHOR ELENCO – SÉRIE DRAMÁTICA

The Handmaid’s Tale (Hulu) 
The Morning Show (Apple TV Plus) 
Round 6 (Netflix) 
Succession (HBO) 
Yellowstone (Paramount Network) 

MELHOR ATOR – SÉRIE DRAMÁTICA

Brian Cox (Succession) 
Billy Crudup (The Morning Show) 
Kieran Culkin (Succession)  
Lee Jung-Jae (Round 6)  
Jeremy Strong (Succession)

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DRAMÁTICA

Jennifer Aniston (The Morning Show) 
Jung Ho-yeon (Round 6)
Elizabeth Moss (The Handmaid’s Tale)  
Sarah Snook (Succession) 
Reese Witherspoon (The Morning Show)

MELHOR ELENCO – SÉRIE DE COMÉDIA

The Great (Hulu)  
Hacks (HBO Max)  
The Kominsky Method (Netflix)
Only Murders in the Building (Hulu)  
Ted Lasso (Apple TV Plus)

MELHOR ATOR – SÉRIE DE COMÉDIA

Michael Douglas (The Kominsky Method)  
Brett Goldstein (Ted Lasso) 
Steve Martin (Only Murders in the Building)  
Martin Short (Only Murders in the Building)  
Jason Sudeikis (Ted Lasso)  

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DE COMÉDIA

Elle Fanning (The Great)
Sandra Oh (The Chair)
Jean Smart (Hacks)
Juno Temple (Ted Lasso)
Hannah Waddingham (Ted Lasso)

MELHOR ATOR – MINISSÉRIE OU FILME PARA TV

Murray Bartlett (The White Lotus)  
Oscar Isaac (Scenes From a Marriage)  
Michael Keaton (Dopesick) 
Ewan McGregor (Halston)  
Evan Peters (Mare of Easttown) 

MELHOR ATRIZ – MINISSÉRIE OU FILME PARA TV

Jennifer Coolidge (The White Lotus)  
Cynthia Erivo (Genius: Aretha)  
Margaret Qualley (Maid)  
Jean Smart (Mare of Easttown)  
Kate Winslet (Mare of Easttown)  

MELHOR EQUIPE DE DUBLÊS – SÉRIE

Cobra Kai
Falcão Negro e o Soldado Invernal
Loki
Mare of Easttown
Round 6

‘ATAQUE DOS CÃES’ VENCE COMO MELHOR FILME – DRAMA em GLOBO DE OURO SEM CERIMÔNIA

HFPA ANUNCIOU VENCEDORES ATRAVÉS DO SITE OFICIAL E REDES SOCIAIS

Não é que no final das contas, o Globo de Ouro saiu beneficiado? Com o aumento de casos de Covid nos EUA, a cerimônia do Critics’ Choice Awards, marcada para o mesmo horário, foi adiada indefinidamente. E mesmo sem poder contar cerimônia televisionada e com celebridades para anunciar os vencedores, o Globo de Ouro assumiu certo protagonismo, já que não havia competição.

Particularmente, consideramos tudo uma grande hipocrisia, pois todos já sabiam que o grupo da HFPA era pequeno e possivelmente não tinha diversidade alguma e que alguns membros aceitavam “propinas” para votar, então tudo não passa de um circo montado. Certamente impedidos por seus agentes, as celebridades foram obrigadas a boicotar o evento (pra “não manchar suas reputações”), mas com certeza serão beneficiadas por seus nomes serem lidos como vencedores. Duvidamos que alguém pose com o prêmio esta semana em sua conta de Instagram, mas eles serão agradecidos a HFPA. Muitos deles devem ter pensado: “Nossa, quando finalmente ganho um Globo de Ouro, não tem a festa! É muito azar!”

A partir das 23h, horário de Brasília, o site oficial da HFPA passou a atualizar os vencedores em sua página inicial, com foto dos premiados e pequenos textos como se fossem tweets. Na ausência de celebridades, poderiam ter reunido os próprios membros do grupo para ler os vencedores da categoria num vídeo de meia hora, mas preferiram se esconder ainda mais numa divulgação tosca e barata no site.

NÚMEROS DO GLOBO DE OURO

Embora Ataque dos Cães e Amor, Sublime Amor tenham sido os recordistas de vitórias (cada um com três estatuetas), os prêmios foram bem pulverizados entre os filmes. Belfast, Duna, King Richard, Tick, Tick… BOOM!, Apresentando os Ricardos, 007 Sem Tempo Para Morrer, Encanto e Drive My Car ficaram todos com apenas um prêmio cada.

Já na ala das séries, Succession acumulou três prêmios, incluindo Melhor Série Dramática, enquanto Hacks levou Melhor Série de Comédia e Atriz para Jean Smart. Vale destacar a primeira vitória de uma atriz trans no Globo de Ouro que foi para Michael Jaé (MJ) Rodriguez pela série Pose. Ela já havia sido indicada no Emmy, mas não ganhou o prêmio. E a vitória do sul-coreano Oh Yeong-su, o personagem idoso que veste o uniforme nº 1 na série Round 6, da Netflix.

SURPRESAS

Honestamente, não houve muitas surpresas no anúncio dos vencedores. Dá pra destacar duas: a vitória de Nicole Kidman como Melhor Atriz – Drama por Apresentando os Ricardos, por interpretar a comediante Lucille Ball, batendo as favoritas Kristen Stewart (Spencer) e Olivia Colman (A Filha Perdida). Como todos sabem, a HFPA ama Nicole Kidman desde os anos 90 e este foi seu 5º Globo de Ouro na carreira, mas pode ter havido uma divisão de votos entre as favoritas que beneficiou Kidman. E a vitória de Belfast na categoria de Roteiro, já que havia uma forte expectativa de que Paul Thomas Anderson levaria esse prêmio de consolação por seu Licorice Pizza, que saiu do evento de mãos abanando.

DESDOBRAMENTOS DO GLOBO DE OURO

Como os estúdios também boicotaram suas campanhas publicitárias, as vitórias anunciadas hoje não devem repercutir tanto quanto nos últimos anos, pois não devem incluir em pôsteres e anúncios publicitários o famosos “Vencedor do Globo de Ouro” para atrair a atenção do público, mas ainda assim é um dos prêmios mais reconhecidos da indústria do Cinema e TV… Bom, na verdade, já me desmentiram aqui:

Boicotam o Globo de Ouro, mas não deixam de colher os frutos, né? Ah Hollywood…

É possível que o musical de Steven Spielberg melhore seus números nas bilheterias. Em sua 5ª semana em cartaz nos EUA, Amor, Sublime Amor rendeu apenas 32 milhões de dólares. Já Rachel Zegler e Ariana DeBose, que conquistaram os prêmios de Atriz e Atriz Coadjuvante, respectivamente, certamente alavancaram suas campanhas para a temporada de premiações. Caso confirmem indicações ao SAG Awards, que serão anunciadas na próxima quarta-feira (12), estarão no próximo Oscar.

Na ala masculina, Will Smith (King Richard), Andrew Garfield (Tick, tick… BOOM!) e Kodi Smit-McPhee (Ataque dos Cães) já eram nomes bem cotados para o Oscar pela quantidade de indicações e prêmios que vêm acumulando até o momento, resta saber se vão manter o alto nível de favoritismos até as indicações ao Oscar, que acontecem no dia 08 de Fevereiro.

A briga lá em cima entre Kenneth Branagh, Jane Campion e Steven Spielberg ficou ainda mais acirrada, já que seus três filmes foram premiados nesta edição, com Ataque dos Cães e Amor, Sublime Amor um pouco mais à frente de Belfast, que ficou apenas com o prêmio de Roteiro. Apesar da vitória, ainda é um pouco difícil acreditar numa possível primeira vitória da Netflix para Melhor Filme com Ataque dos Cães.

Embora tenha a forte concorrência do dinamarquês Flee, a vitória de Encanto, da Disney, era esperada, principalmente para quem viu Carros bater A Casa Monstro em 2007. A HFPA adora puxar uma sardinha para a Disney ou Pixar… quer dizer, até a Academia. E nas categorias musicais, Hans Zimmer ganha um gás ao vencer Melhor Trilha Musical por Duna (será que finalmente vai ganhar seu 2º Oscar depois de O Rei Leão em 1995?), assim como Billie Eilish e sua canção-tema de James Bond, “No Time to Die”, em 007 Sem Tempo Para Morrer, que tem tudo para se tornar a 3ª canção da franquia a ganhar um Oscar consecutivamente após “Skyfall” e “Writings on the Wall”.

VENCEDORES DO 79º GLOBO DE OURO (vencedores em negrito):

CINEMA

MELHOR FILME – DRAMA
Belfast (Focus Features)
No Ritmo do Coração (CODA) (Apple)
Duna (Dune) (Warner Bros.)
King Richard: Criando Campeãs (King Richard) (Warner Bros.)
Ataque dos Cães (The Power of the Dog) (Netflix)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Jessica Chastain (The Eyes of Tammy Faye)
Olivia Colman (A Filha Perdida)
Nicole Kidman (Apresentando os Ricardos)
Lady Gaga (Casa Gucci)
Kristen Stewart (Spencer)

MELHOR ATOR – DRAMA
Mahershala Ali (Swan Song)
Javier Bardem (Apresentando os Ricardos)
Benedict Cumberbatch (Ataque dos Cães)
Will Smith (King Richard: Criando Campeãs)
Denzel Washington (The Tragedy of Macbeth)

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL
Cyrano (MGM)
Não Olhe Para Cima (Don’t Look Up)
Licorice Pizza (MGM/United Artists Releasing)
tick, tick… BOOM! (Netflix)
Amor, Sublime Amor (West Side Story) (20th Century Studios)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
Marion Cotillard (Annette)
Alana Haim (Licorice Pizza)
Jennifer Lawrence (Não Olhe Para Cima)
Emma Stone (Cruella)
Rachel Zegler (Amor, Sublime Amor)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
Leonardo DiCaprio (Não Olhe Para Cima)
Peter Dinklage (Cyrano)
Andrew Garfield (Tick, tick… Boom!)
Cooper Hoffman (Licorice Pizza)
Anthony Ramos (Em um Bairro de Nova York)

MELHOR LONGA DE ANIMAÇÃO
Encanto (Walt Disney Pictures)
Flee (Neon)
Luca (Pixar)
My Sunny Maad
Raya e o Último Dragão (Raya and the Last Dragon) (Walt Disney Pictures)

MELHOR FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA
Compartment No.6 – FINLÂNDIA
Drive My Car – JAPÃO
A Mão de Deus – ITÁLIA
A Hero – IRÃ
Parallel Mothers – ESPANHA

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Caitríona Balfe (Belfast)
Ariana DeBose (Amor, Sublime Amor)
Kirsten Dunst (Ataque dos Cães)
Aunjanue Ellis (King Richard: Criando Campeãs)
Ruth Negga (Identidade)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Ben Affleck (The Tender Bar)
Jamie Dornan (Belfast)
Ciarán Hinds (Belfast)
Troy Kotsur (No Ritmo do Coração)
Kodi Smit-McPhee (Ataque dos Cães)

MELHOR DIREÇÃO
Kenneth Branagh (Belfast)
Jane Campion (Ataque dos Cães)
Maggie Gyllenhaal (A Filha Perdida)
Steven Spielberg (Amor, Sublime Amor)
Denis Villeneuve (Duna)

MELHOR ROTEIRO
Paul Thomas Anderson (Licorice Pizza)
Kenneth Branagh (Belfast)
Jane Campion (Ataque dos Cães)
Adam McKay (Não Olhe Para Cima)
Aaron Sorkin (Being the Ricardos)

MELHOR TRILHA MUSICAL
Alexandre Desplat (A Crônica Francesa)
Germaine Franco (Encanto)
Jonny Greenwood (Ataque dos Cães)
Alberto Iglesias (Parallel Mothers)
Hans Zimmer (Duna)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Be Alive” – Beyoncé Knowles-Carter, Dixson (King Richard: Criando Campeãs)
“Dos Orugitas” – Lin-Manuel Miranda (Encanto)
“Down to Joy” – Van Morrison (Belfast)
“Here I Am (Singing My Way Home)” – Jamie Alexander Hartman, Jennifer Hudson, Carole King (Respect)
“No Time to Die” – Billie Eilish, Finneas O’Connell (007 – Sem Tempo Para Morrer)


TELEVISÃO/STREAMING

MELHOR SÉRIE – DRAMA
Lupin
The Morning Show
PostM
Squid Game
Succession

MELHOR ATRIZ DE SÉRIE – DRAMA
Uzo Aduba (In Treatment)
Jennifer Aniston (The Morning Show)
Christine Baranski (The Good Fight)
Elisabeth Moss (The Handmaid’s Tale)
Michaela Jaé (MJ) Rodriguez (Pose)

MELHOR ATOR DE SÉRIE – DRAMA
Brian Cox (Succession)
Lee Jung-jae (Squid Game)
Billy Porter (Pose)
Jeremy Strong (Succession)
Omar Sy (Lupin)

MELHOR SÉRIE – COMÉDIA OU MUSICAL
The Great (Hulu)
Hacks (HBO Max)
Only Murders in the Building (Hulu)
Reservation Dogs (FX on Hulu)
Ted Lasso (Apple TV Plus)

MELHOR ATRIZ DE SÉRIE – COMÉDIA OU MUSICAL
Hannah Einbinder (Hacks)
Elle Fanning (The Great)
Issa Rae (Insecure)
Tracee Ellis Ross (Black-ish)
Jean Smart (Hacks)

MELHOR ATOR DE SÉRIE – COMÉDIA OU MUSICAL
Anthony Anderson (Black-ish)
Nicholas Hoult (The Great)
Steve Martin (Only Murders in the Building)
Martin Short (Only Murders in the Building)
Jason Sudeikis (Ted Lasso)

MELHOR MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Dopesick (Hulu)
Impeachment: American Crime Story (FX)
Maid (Netflix)
Mare of Easttown (HBO)
The Underground Railroad (Amazon Prime Video)

MELHOR ATRIZ DE MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Jessica Chastain (Scenes From a Marriage)
Cynthia Erivo (Genius: Aretha)
Elizabeth Olsen (WandaVision)
Margaret Qualley (Maid)
Kate Winslet (Mare of Easttown)

MELHOR ATOR DE MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Paul Bettany (WandaVision)
Oscar Isaac (Scenes From a Marriage)
Michael Keaton (Dopesick)
Ewan McGregor (Halston)
Tahar Rahim (The Serpent)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE DE SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Jennifer Coolidge (White Lotus)
Kaitlyn Dever (Dopesick)
Andie MacDowell (Maid)
Sarah Snook (Succession)
Hannah Waddingham (Ted Lasso)

MELHOR ATOR COADJUVANTE DE SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Billy Crudup (The Morning Show)
Kieran Culkin (Succession)
Mark Duplass (The Morning Show)
Brett Goldstein (Ted Lasso)
Oh Yeong-su (Squid Game)

‘RAYA E O ÚLTIMO DRAGÃO’ LIDERA ANNIE AWARDS com 10 INDICAÇÕES

EMBORA SEJA O RECORDISTA DE INDICAÇÕES, FILME DA DISNEY NÃO FOI INDICADO À MELHOR DIREÇÃO

Na 49ª edição do Annie Awards, o Oscar da Animação, a Disney pode ter a produção com maior número de indicações, mas foi a Netflix que dominou a maioria das vagas com 52 indicações, principalmente por suas séries como Arcane, que acumulou 9 indicações, e o filme em parceria com a Sony Pictures, A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas, com 8 indicações. Em 2º lugar, a Disney coletou 29 indicações, bem abaixo da Netflix, mas tem boas chances de emplacar três longas de animação no Oscar: Raya e o Último Dragão, Luca e Encanto.

Na categoria principal de Melhor Longa de Animação, os três filmes competem com Sing 2, da Universal Pictures, e o já citado A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas, da Sony em parceria com a Netflix. Já na categoria de Animações Independentes, o dinamarquês Flee é o franco-favorito, seguido de perto pelo japonês Belle, que pode roubar uma vaga no Oscar, já que a Academia tem um histórico de reconhecer produções em língua estrangeira. Falado em francês, Viagem ao Topo da Terra também pode beliscar uma das 5 vagas, mas com chances mais remotas, já que a Netflix deve concentrar sua verba na campanha da Família Mitchell.

Aliás, num ano em que a poderosa Disney não tem um franco-favorito como Soul na última temporada, a Academia poderia aproveitar a oportunidade para premiar pela segunda vez uma animação alternativa e em língua estrangeira como Flee. A animação dinamarquesa é uma mistura interessante de documentário e animação, que reconstrói a história de vida de um refugiado afegão. O uso da animação tem uma função nobre: manter a identidade real do protagonista que viveu vários anos sob o medo de ser descoberto por autoridades e grupos terroristas.

Apesar de Raya e o Último Dragão ter surpreendido com 10 indicações, a ausência na categoria de Direção se mostra crucial, pois enfraquece a campanha rumo ao Oscar. Por outro lado, os diretores indicados Jonas Poher Rasmussen (de Flee) e Mamoru Hosoda (de Belle) reforçaram suas campanhas.

Na categoria de Trilha Musical, Lin-Manuel Miranda conseguiu dupla indicação pelas trilhas de Encanto e Vivo, ambos da Disney, o que deve lhe favorecer no Oscar. Em 2017, ele foi indicado a Melhor Canção Original por “How Far I’ll Go”, de Moana, e este ano compôs as canções de Em um Bairro de Nova York e produziu tick, tick… BOOM!.

E por último, na categoria de Dublagem, John Leguizamo e Stephanie Beatriz concorrem por Encanto, Jack Dylan Grazer por Luca, Kelly Marie Tran por Raya e o Último Dragão, mas Abbi Jacobson tem as melhores chances de levar por dublar Katie em A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas, que poderia indicar Olivia Colman, que dubla a vilã e Sistema operacional PAL.

Segue a lista completa dos vencedores (em negrito) ao 49º Annie Awards:

MELHOR LONGA DE ANIMAÇÃO

  • ENCANTO (Encanto) – Disney
  • LUCA (Luca) – Pixar
  • RAYA E O ÚLTIMO DRAGÃO (Raya and the Last Dragon) – Disney
  • SING 2 – Illumination
  • A FAMÍLIA MITCHELL E A REVOLTA DAS MÁQUINAS (The Mitchells vs. The Machines) – Sony Pictures/Netflix

MELHOR LONGA DE ANIMAÇÃO INDEPENDENTE

  • BELLE
  • FLEE
  • FORTUNE FAVORS LADY NIKUKO
  • POMPO THE CINEPHILE
  • VIAGEM AO TOPO DA TERRA (The Summit of the Gods)

MELHOR PRODUÇÃO ESPECIAL

  • For Auld Lang Syne
  • La Vie de Château
  • Mum Is Pouring Rain
  • Namoo
  • The Witcher: Nightmare of the Wolf

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO

  • Bestia
  • Easter Eggs
  • MAALBEEK
  • Night Bus
  • Steakhouse

MELHORES PRODUÇÕES PATROCINADAS

  • A Future Begins
  • Fleet Foxes – Featherweight
  • The Good Guest Guide to Japan
  • Tiptoe & The Flying Machine
  • Wandavision – “Don’t Touch that Dial” Title Sequence

MELHOR TV/Media – PRÉ-ESCOLA

  • Ada Twist, Scientist
  • Muppet Babies.
  • ODO
  • Stillwater
  • Xavier Riddle and the Secret Museum

MELHOR TV/Media – CRIANÇAS

  • Amphibia
  • Carmen Sandiego
  • Dug Days
  • Maya and the Three
  • We the People

MELHOR TV/Media – PÚBLICO EM GERAL

  • Arcane
  • Bob’s Burgers
  • Love, Death + Robots
  • Star Wars: Visions
  • Tuca & Bertie

MELHOR FILME DE ESTUDANTE

  • A Film About A Pudding
  • HOPE
  • I Am A Pebble
  • Night of the Living Dread
  • Slouch

MELHORES EFEITOS para TV/Media

  • Arcane
  • Castlevania
  • Maya and the Three
  • Shaun The Sheep: The Flight Before Christmas
  • Trollhunters: Rise of the Titans

MELHORES EFEITOS para LONGA

  • BELLE
  • ENCANTO
  • RAYA E O ÚLTIMO DRAGÃO
  • A FAMÍLIA MITCHELL E A REVOLTA DAS MÁQUINAS
  • VIVO

MELHOR ANIMAÇÃO DE PERSONAGEM – TV/Media

  • Arcane
  • Love, Death + Robots Episode: All Through the House
  • Namoo
  • We the People

MELHOR ANIMAÇÃO DE PERSONAGEM – Longa

  • ENCANTO
  • LUCA
  • RAYA E O ÚLTIMO DRAGÃO
  • O PODEROSO CHEFINHO 2: DE VOLTA AOS NEGÓCIOS
  • DIN E O DRAGÃO GENIAL

MELHOR ANIMAÇÃO DE PERSONAGEM – Live Action

  • FLORA & ULYSSES
  • SHANG-CHI E A LENDA DOS DEZ ANÉIS
  • O ESQUADRÃO SUICIDA
  • A GUERRA DO AMANHÃ
  • Y: O ÚLTIMO HOMEM

MELHOR ANIMAÇÃO DE PERSONAGEM – Video Game

  • Disney Wonderful Worlds
  • It Takes Two
  • Kena: Bridge of Spirits
  • Madrid Noir
  • Ratchet & Clank: Rift Apart

MELHOR DESIGN DE PERSONAGEM – TV/Media

  • Arcane
  • Batman: The Long Halloween
  • Kid Cosmic
  • Maya and the Three Episode
  • Yuki 7

MELHOR DESIGN DE PERSONAGEM – Longa

  • LUCA
  • RAYA E O ÚLTIMO DRAGÃO
  • RON BUGADO
  • A FAMÍLIA MITCHELL E A REVOLTA DAS MÁQUINAS
  • VIVO

MELHOR DIREÇÃO – TV/Media

  • Amphibia – Jenn Strickland, Kyler Spears
  • Arcane – Pascal Charue, Arnaud Delord, Barthelemy Maunoury
  • Crossing Swords – John Harvatine, Brad Schaffer, Ethan Marak
  • Hilda and the Mountain King – Andy Coyle
  • Maya and the Three Episode – Jorge R. Gutierrez

MELHOR DIREÇÃO – Longa

  • BELLE – Mamoru Hosoda
  • ENCANTO – Jared Bush, Byron Howard, Charise Castro Smith
  • FLEE – Jonas Poher Rasmussen, Kenneth Ladekjaer
  • LUCA – Enrico Casarosa
  • A FAMÍLIA MITCHELL E A REVOLTA DAS MÁQUINAS – Mike Rianda, Jeff Rowe

MELHOR TRILHA – TV/Media

  • Blush
  • Hilda and the Mountain King
  • Maya and the Three
  • Mila
  • Mira, Royal Detective

MELHOR TRILHA – Longa

  • ENCANTO
  • LUCA
  • POUPELLE DA CIDADE DAS CHAMINÉS
  • RAYA E O ÚLTIMO DRAGÃO
  • VIVO

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO – TV/Media

  • Arcane
  • Arlo the Alligator Boy Episode: Broadcast Special
  • Love, Death + Robots Episode: Ice
  • Maya and the Three
  • Yuki 7

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO – Longa

  • BELLE
  • RAYA E O ÚLTIMO DRAGÃO
  • RON BUGADO
  • A FAMÍLIA MITCHELL E A REVOLTA DAS MÁQUINAS
  • VIVO

MELHOR STORYBOARDING – TV/Media

  • Arcane
  • Invincible
  • Kid Cosmic
  • Love, Death + Robots
  • The Ghost and Molly McGee

MELHOR STORYBOARDING – Longa

  • ENCANTO
  • RAYA E O ÚLTIMO DRAGÃO
  • SPIRIT: O INDOMÁVEL
  • A FAMÍLIA ADDAMS 2
  • VIVO

MELHOR ATUAÇÃO VOCAL – TV/Media

  • Arcane – Ella Purnell
  • Arlo the Alligator Boy – Michael J. Woodard
  • Centaurworld – Parvesh Cheena
  • DC Super Hero Girls – Kemberly Brooks
  • Trollhunters: Rise of the Titans – Charlie Saxton

MELHOR ATUAÇÃO VOCAL – Longa

  • ENCANTO – John Leguizamo
  • ENCANTO – Stephanie Beatriz
  • LUCA – Jack Dylan Grazer
  • RAYA E O ÚLTIMO DRAGÃO – Kelly Marie Tran
  • A FAMÍLIA MITCHELL E A REVOLTA DAS MÁQUINAS – Abbi Jacobson

MELHOR ROTEIRO – TV/Media

  • Arcane
  • Maya and the Three
  • Muppet Babies
  • The Mighty Ones
  • Tuca & Bertie

MELHOR ROTEIRO – Longa

  • BELLE
  • FLEE
  • LUCA
  • RAYA E O ÚLTIMO DRAGÃO
  • A FAMÍLIA MITCHELL E A REVOLTA DAS MÁQUINAS

MELHOR MONTAGEM – TV/Media

  • Amphibia
  • Arlo the Alligator Boy
  • Love, Death + Robots
  • Tom and Jerry in New York
  • What If…?

MELHOR MONTAGEM – Longa

  • ENCANTO
  • FLEE
  • LUCA
  • RAYA E O ÚLTIMO DRAGÃO
  • A FAMÍLIA MITCHELL E A REVOLTA DAS MÁQUINAS

___________________________________
A cerimônia da 49ª edição do Annie Awards está marcada para o dia 26 de Fevereiro de 2022.

‘ZOLA’ LIDERA as INDICAÇÕES ao INDEPENDENT SPIRIT AWARDS

O ROAD MOVIE SOBRE UMA STRIPPER ACUMULA 7 INDICAÇÕES

Um dia após o anúncio das indicações ao Globo de Ouro e Critics’ Choice Awards, que servem como melhor prévias do Oscar, chegou a vez do prêmio do cinema independente americano revelar sua lista. É claro que o Independent Spirit perdeu um pouco seu hype, afinal, se analisarmos os vencedores dos últimos 5 anos, apenas Nomadland e Moonlight venceram também no Oscar, mas já em sua 37ª edição, sua importância na temporada de premiações continua bastante relevante.

O anúncio foi feito via YouTube com a colaboração das atrizes Beanie Feldstein, Regina Hall e Naomi Watts e você pode assistir ou rever pelo link abaixo:

Apesar do anúncio ter sido em live, a cerimônia será presencial (após o evento ter sido virtual em 2021) nas praias de Santa Monica no dia 06 de Março. Lembrando que para o filme se qualificar, existe um teto de valores de orçamento de 22,5 milhões de dólares, que neste ano desqualificou filmes como King Richard: Criando Campeãs e O Beco do Pesadelo.

Para a surpresa de muitos, o road movie de comédia de humor negro Zola foi o recordista de indicações. Dirigido pela talentosa Janicza Bravo, e baseado numa thread de Twitter de uma história real, acompanhamos uma stripper chamada Zola, que embarca numa viagem à Flórida com três desconhecidos para ganhar dinheiro dançando, mas as coisas não dão muito certo. O filme se destaca pela linguagem moderna, utilizando sons de celular e harpas na trilha, uma montagem bem dinâmica e atuações bem específicas como a de Riley Keough, que apesar de ser branca e loira, fala e age como uma afrodescendente.

Com as 7 indicações de Zola, 3 de C’mon C’mon, 2 de Red Rocket e 1 de The Humans, a A24 se tornou o estúdio independente com maior número de indicações, seguida pela NEON e a Netflix, ambas com 9 indicações no total cada.

Dos indicados ao Spirit que reforçaram suas campanhas nesta temporada estão: Maggie Gyllenhaal, que foi reconhecida em Filme, Direção e Roteiro, assim como Jessie Buckley como Coadjuvante por The Lost Daughter, Troy Kotsur como Coadjuvante por No Ritmo do Coração, Ruth Negga como Coadjuvante por Identidade, o filme japonês Drive My Car e o dinamarquês Flee, que pode e deve concorrer como Documentário, Animação e Filme Internacional. Embora não tenha grandes chances na temporada, ficamos felizes com as duas indicações para os atores de Red Rocket, novo filme do talentoso Sean Baker, de Projeto Flórida e Tangerina.

Dentre as ausências mais sentidas estão as dos atores Olivia Colman por The Lost Daughter, Joaquin Phoenix por C’mon C’mon, Tessa Thompson por Identidade, e Nicolas Cage por Pig (que conquistou uma vaga no Critics’ Choice no dia anterior). Claro que se concretizadas, essas indicações alavancariam as campanhas rumo ao Oscar, mas o Independent Spirit não parece muito interessado em ser apenas uma prévia do prêmio da Academia. Além disso, há muuuuitos bons trabalhos e performances que muitas vezes são esnobados injustamente e que precisam da ajuda desses prêmios alternativos para chegar ao grande público.

Confira todos os indicados e premiados do Independent Spirit Awards 2022:

MELHOR FILME

A CHIARA
Producers: Jonas Carpignano, Paolo Carpignano, Jon Coplon, Ryan Zacarias
C’MON C’MON
Producers: Chelsea Barnard, Andrea Longacre-White, Lila Yacoub
THE LOST DAUGHTER
Producers: Charles Dorfman, Maggie Gyllenhaal, Osnat Handelsman Keren, Talia Kleinhendler
THE NOVICE
Producers: Ryan Hawkins, Kari Hollend, Steven Sims, Zack Zucker
ZOLA
Producers: Kara Baker, Dave Franco, Elizabeth Haggard, David Hinojosa, Vince Jolivette, Christine Vachon, Gia Walsh

MELHOR FILME DE ESTREIA

7 DAYS
Director: Roshan Sethi
Producers: Liz Cardenas, Mel Eslyn
HOLLER
Director: Nicole Riegel
Producers: Adam Cobb, Rachel Gould, Katie McNeill, Jamie Patricof, Christy Spitzer Thornton
QUEEN OF GLORY
Director: Nana Mensah
Producers: Baff Akoto, Anya Migdal, Kelley Robins Hicks, Jamund Washington
TEST PATTERN
Director/Producer: Shatara Michelle Ford
Producers: Pin-Chun Liu, Yu-Hao Su
WILD INDIAN
Director/Producer: Lyle Mitchell Corbine, Jr.
Producers: Thomas Mahoney, Eric Tavitian

MELHOR DIRETOR

Janicza BravoZola

Maggie GyllenhaalThe Lost Daughter

Lauren HadawayThe Novice

Mike MillsC’mon C’mon

Ninja ThybergPleasure

MELHOR ROTEIRO

Nikole BeckwithTogether Together

Maggie GyllenhaalThe Lost Daughter

Jeremy O. Harris, Janicza BravoZola

Mike MillsC’mon C’mon

Todd StephensSwan Song

MELHOR ROTEIRO DE ESTREANTE

Lyle Mitchell Corbine, Jr.Wild Indian

Shatara Michelle FordTest Pattern

Fran KranzMass

Matt Fifer, Sheldon D. BrownCicada

Michael SarnoskiVanessa BlockPig

PRÊMIO JOHN CASSAVETES

CRYPTOZOO
Writer/Director: Dash Shaw
Producers: Tyler Davidson, Kyle Martin, Jane Samborski, Bill Way
JOCKEY
Writer/Director/Producer: Clint Bentley
Writer/Producer: Greg Kweder
Producer: Nancy Schafer
SHIVA BABY
Writer/Director/Producer: Emma Seligman
Producers: Kieran Altmann, Katie Schiller, Lizzie Shapiro
SWEET THING
Writer/Director: Alexandre Rockwell
Producers: Louis Anania, Haley Anderson, Kenan Baysal
THIS IS NOT A WAR STORY
Writer/Director/Producer: Talia Lugacy
Producers: Noah Lang, Julian West

MELHOR ATOR

Clifton Collins Jr.Jockey

Frankie FaisonThe Killing of Kenneth Chamberlain

Michael GreyeyesWild Indian

Udo KierSwan Song

Simon RexRed Rocket

MELHOR ATRIZ

Isabelle FuhrmanThe Novice

Brittany S. HallTest Pattern

Patti HarrisonTogether Together

Taylour PaigeZola

Kali ReisCatch the Fair One

MELHOR ATOR COADJUVANTE

Colman DomingoZola

Meeko GattusoQueen of Glory

Troy KotsurCODA

Will PattonSweet Thing

Chaske SpencerWild Indian

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Jessie BuckleyThe Lost Daughter

Amy ForsythThe Novice

Ruth NeggaPassing

Revika ReustlePleasure

Suzanna SonRed Rocket

MELHOR FOTOGRAFIA

Lol CrawleyThe Humans

Tim CurtinA Chiara

Edu GrauPassing

Matthew Chuang, Ante ChengBlue Bayou

Ari WegnerZola

MELHOR MONTAGEM

Affonso GonçalvesA Chiara

Ali GreerThe Nowhere Inn

Joi McMillonZola

Enrico NataleThe Killing of Kenneth Chamberlain

Lauren HadawayNathan NugentThe Novice

MELHOR FILME INTERNACIONAL

COMPARTMENT NO. 6 (Finlândia/Rússia)
Director: Juho Kuosmanen
DRIVE MY CAR (Japão)
Director: Ryusuke Hamaguchi
PARALLEL MOTHERS (Espanha)
Director: Pedro Almodóvar
PEBBLES (Índia)
Director: P S Vinothraj
PETITE MAMAN (França)
Director: Céline Sciamma
PRAYERS FOR THE STOLEN (México)
Director: Tatiana Huezo

MELHOR DOCUMENTÁRIO

ASCENSION
Director/Producer: Jessica Kingdon
Producers: Kira Simon-Kennedy, Nathan Truesdell
FLEE
Director: Jonas Poher Rasmussen
Producers: Monica Hellström, Signe Byrge Sørensen
IN THE SAME BREATH
Director/Producer: Nanfu Wang
Producers: Christopher Clements, Julie Goldman, Carolyn Hepburn, Jialing Zhang
PROCESSION
Director: Robert Greene
Producer: Susan Bedusa, Bennett Elliott, Douglas Tirola
SUMMER OF SOUL (…OR, WHEN THE REVOLUTION COULD NOT BE TELEVISED)
Director: Ahmir “Questlove” Thompson
Producers: David Dinerstein, Robert Fyvolent, Joseph Patel

ROBERT ALTMAN AWARD

MASS
Director: Fran Kranz
Casting Directors: Henry Russell Bergstein, Allison Estrin
Ensemble Cast: Kagen Albright, Reed Birney, Michelle N. Carter, Ann Dowd, Jason Isaacs, Martha Plimpton, Breeda Wool

PRODUCERS AWARD

Brad Becker-Parton

Pin-Chun Liu

Lizzie Shapiro

SOMEONE TO WATCH AWARD

ALEX CAMILLERI
Director of Luzzu
GILLIAN WALLACE HORVAT
Director of I Blame Society
MICHAEL SARNOSKI
Director of Pig

TRUER THAN FICTION AWARD

JESSICA BESHIR
Director of Faya Dayi
DEBBIE LUM
Director of Try Harder!
ANGELO MADSEN MINAX
Director of North By Current

BEST NEW NON-SCRIPTED OR DOCUMENTARY SERIES

BLACK AND MISSING
Series By/Executive Producers: Soledad O’Brien, Geeta Gandbhir
Executive Producers: Jo Honig, Patrick Conway, Nancy Abraham, Lisa Heller, Sara Rodriguez
THE CHOE SHOW
Creator/Executive Producer: David Choe
Executive Producers: Matt Revelli, Christopher C. Chen, Hiro Murai, Nate Matteson
THE LADY AND THE DALE
Executive Producers: Mark Duplass, Jay Duplass, Mel Eslyn, Allen Bain, Andre Gaines, Mick Cammilleri, Alana Carithers, Zackary Drucker, Nancy Abraham, Lisa Heller
NUCLEAR FAMILY
Series By: Ry Russo-Young
Executive Producers: Liz Garbus, Julie Gaither, Jon Bardin, Leah Holzer, Peter Saraf, Alex Turtletaub, Jenny Raskin, Geralyn White Dreyfous, Lauren Haber, Maria Zuckerman, Christine Connor, Ryan Heller, Barbara Dobkin, Eric Dobkin, Andrea Van Beuren, Joe Landauer
PHILLY D.A.
Creators: Ted Passon, Yoni Brook, Nicole Salazar
Executive Producers: Dawn Porter, Sally Jo Fifer, Lois Vossen, Ryan Chanatry, Gena Konstantinakos, Jeff Seelbach, Patty Quillin
Co-Executive Producers: Nion McEvoy, Leslie Berriman

BEST NEW SCRIPTED SERIES

BLINDSPOTTING
Creators/Executive Producers: Rafael Casal, Daveed Diggs
Executive Producers: Jess Wu Calder, Keith Calder, Ken Lee, Tim Palen, Emily Gerson Saines, Seith Mann
IT’S A SIN
Executive Producers: Russell T Davies, Peter Hoar, Nicola Shindler
RESERVATION DOGS
Creators/Executive Producers: Sterlin Harjo, Taika Waititi
Executive Producer: Garrett Basch
THE UNDERGROUND RAILROAD
Creator/Executive Producer: Barry Jenkins
Executive Producers: Adele Romanski, Mark Ceryak, Brad Pitt, Dede Gardner, Jeremy Kleiner, Colson Whitehead, Richard Heus, Jacqueline Hoyt
WE ARE LADY PARTS
Creator: Nida Manzoor
Executive Producers: Tim Bevan, Eric Fellner, Surian Fletcher-Jones, Mark Freeland
MELHOR ATRIZ EM NOVAS SÉRIES ROTEIRIZADAS

Deborah AyorindeTHEM: Covenant

Jasmine Cephas JonesBlindspotting

Thuso MbeduThe Underground Railroad

Jana SchmiedingRutherford Falls

Anjana VasanWe Are Lady Parts

MELHOR ATOR EM NOVAS SÉRIES ROTEIRIZADAS

Olly AlexanderIt’s a Sin

Murray BartlettThe White Lotus

Michael GreyeyesRutherford Falls

Lee Jung-jaeSquid Game

Ashley ThomasTHEM: Covenant

MELHOR ELENCO EM NOVAS SÉRIES ROTEIRIZADAS

RESERVATION DOGS
Ensemble Cast: Devery Jacobs, D’Pharaoh Woon-A-Tai, Lane Factor, Paulina Alexis, Sarah Podemski, Zahn McClarnon, Lil Mike, FunnyBone

THE LOST DAUGHTER LEVA MELHOR FILME no GOTHAM AWARDS

NOS ÚLTIMOS 17 ANOS, O VENCEDOR DO GOTHAM LEVOU O OSCAR DE MELHOR FILME 5 VEZES

A 31ª edição do Gotham aconteceu em Nova York, nesta segunda-feira (29). Indicada em 5 categorias, o filme de estreia de Maggie Gyllenhaal conquistou 4 prêmios: Filme, Diretor Revelação, Atriz (Olivia Colman) e Roteiro (escrito pela própria diretora). Adaptado do best-seller de Elena Ferrante, o filme acompanha uma mulher que fica obcecada por uma família mais jovem durante as férias. Distribuído pela Netflix, The Lost Daughter caminha para uma boa temporada de premiações.

Por outro lado, com o mesmo número de indicações (5), o filme de estreia de Rebecca Hall, Passing (já disponível no catálogo da Netflix), saiu da cerimônia sem nenhum prêmio. Havia expectativa de premiação pelo menos para Ruth Negga na categoria de Coadjuvante, o que acabou não acontecendo.

Entre outros vencedores do Gotham que encaminharam uma boa campanha para o Oscar estão o vencedor de Filme Internacional, o japonês Drive My Car, e o vencedor de Documentário, a animação Flee. As vitórias de Emilia Jones (como Atuação Revelação) e Troy Kotsur (como Coadjuvante) pelo drama No Ritmo do Coração (CODA), podem indicar um possível favoritismo na categoria de Melhor Elenco no SAG Awards. Além das homenageadas com prêmios especiais: Jane Campion por Ataque dos Cães, Kristen Stewart por Spencer e Peter Dinklage por Cyrano.

Entre as categorias televisivas, destaque para a vitória da série sul-coreana Squid Game, ou como ficou conhecida no Brasil, Round 6, que esteve em 1º lugar em mais de 90 países e já está sendo produzida a 2ª temporada. Resta saber se a série em língua estrangeira será abraçada pelo Emmy e Globo de Ouro.

Confira todos os vencedores do 31º Gotham Awards:

MELHOR FILME
* The Lost Daughter (Netflix)

MELHOR DOCUMENTÁRIO
* Flee

MELHOR ATUAÇÃO DE PROTAGONISTA
* Olivia Colman (The Lost Daughter) – EMPATE
* Frankie Faison (The Killing of Kenneth Chamberlain) – EMPATE

MELHOR ATUAÇÃO DE COADJUVANTE
* Troy Kotsur (No Ritmo do Coração)

MELHOR ATOR/ATRIZ REVELAÇÃO
* Emilia Jones (No Ritmo do Coração)

PRÊMIO BINGHAM RAY de DIRETOR REVELAÇÃO
* Maggie Gyllenhaal (The Lost Daughter)

MELHOR ROTEIRO
* Maggie Gyllenhaal (The Lost Daughter)

MELHOR FILME INTERNACIONAL
* Drive My Car. Dir: Ryusuke Hamaguchi

SÉRIE REVELAÇÃO COM EPISÓDIOS ABAIXO DE 40 MINUTOS
* Reservation Dogs (FX)

SÉRIE REVELAÇÃO COM EPISÓDIOS ACIMA DE 40 MINUTOS
* Squid Game (Netflix)

SÉRIE REVELAÇÃO DE NÃO-FICÇÃO
* Philly D.A. (Topic, Independent Lens, PBS)

MELHOR PERFORMANCE EM NOVA SÉRIE
* Ethan Hawke (The Good Lord Bird) – EMPATE
* Thuso Mbedu (The Underground Railroad) – EMPATE

93 FILMES DISPUTAM o OSCAR 2022 de MELHOR FILME INTERNACIONAL

FILMES SELECIONADOS EM FESTIVAIS INTERNACIONAIS SÃO FAVORITOS. BRASIL TEM CHANCES REMOTAS COM DESERTO PARTICULAR

Embora o prazo de inscrição tenha terminado no último dia 1º de Novembro, alguns países não confirmaram seus filmes representantes como a Costa do Marfim e Guatemala. Outros países ausentes como Sudão não devem ter representantes para a próxima edição. Por enquanto, são 93 produções para disputar 5 vagas da categoria.

É preciso destacar a escolha da Espanha, que optou pela comédia The Good Boss, de Fernando León de Aranoa, no lugar do favorito Madres Paralelas, de Pedro Almodóvar, que recentemente venceu o Volpi Cup de Melhor Atriz para Penélope Cruz no Festival de Veneza. Ainda não vimos o filme de Aranoa (estrelado por Javier Bardem), mas nos parece uma escolha equivocada. Curiosamente, o mesmo aconteceu em 2002: Segunda-Feira ao Sol, do mesmo Aranoa, estrelado por Bardem, foi escolhido pela Espanha, mas foi Fale com Ela, de Pedro Almodóvar, que conquistou um Oscar de Roteiro Original e uma indicação a Melhor Direção para Almodóvar. Essa troca pode voltar a acontecer nesta temporada, e Penélope Cruz tem ótimas chances de receber nova indicação como Melhor Atriz.

E mais um pequeno parêntese: três países inscreveram o mesmo filme do ano anterior alegando que a exibição no país não foi possível devido à pandemia. Heliópolis foi novamente selecionado pelo comitê da Argélia. O filme de Djafar Gracem retrata um massacre ocorrido numa pequena cidade argelina no final da Segunda Guerra Mundial. O país africano já foi indicado 5 vezes na categoria (sendo 3 filmes dirigidos por Rachid Bouchareb) e levou um Oscar em 1970 com o formidável Z, de Costa-Gavras. Butão novamente inscreveu Lunana: A Yak in the Classroom, e Chade, Lingui. Ambos os países buscam a primeira indicação ao Oscar.

CALENDÁRIO DO OSCAR 2022

Para inscrição ser aprovada, o filme selecionado deve ter estreado no país de origem entre os dias 1º de Janeiro de 2021 e 31 de Dezembro de 2021, respeitando o prazo de inscrição no site da Academia até o dia 1º de Novembro.

Assim como na última edição, a pré-lista contará com 15 filmes votados por membros da Academia, que têm acesso aos filmes através da plataforma de streaming exclusiva. Essa lista será divulgada no dia 21 de Dezembro, enquanto os 5 finalistas apenas no dia 08 de Fevereiro de 2022, dia do anúncio dos indicados. Até antes da pandemia, a pré-lista era composta por 6 filmes selecionados por membros da Academia que viram os filmes, e 3 filmes selecionados por um comitê especial que garantia que filmes bem reconhecidos, elogiados e premiados na temporada fizessem parte da seleção final. Resta sabermos se esse sistema retornará após o término da pandemia.

COMO ESTÁ A DISPUTA ATÉ O MOMENTO?

É difícil a gente falar sobre filmes que não vimos, apenas dar impressões com base em críticas internacionais, passagens em festivais e histórico de diretores em relação ao Oscar. Nos últimos anos, filmes selecionados e premiados em Cannes, Berlim e Veneza têm garantido um certo favoritismo. Se pegarmos os últimos 5 vencedores do Oscar dessa categoria, temos: três filmes com passagem em Cannes: Druk, Parasita e O Apartamento (tendo Parasita levando a Palma de Ouro), um vencedor do Leão de Ouro em Veneza (Roma) e o vencedor de Melhor Roteiro em Berlim (Uma Mulher Fantástica).

Seguindo essa lógica, temos alguns favoritos:

TITANE (França)
Dir: Julia Ducournau

O segundo longa de Ducournau foi uma sensação no último Festival de Cannes, levando a Palma de Ouro do júri presidido por Spike Lee. A cineasta se tornou apenas a segunda mulher a ganhar a Palma de Ouro na história, que tinha apenas Jane Campion por O Piano. Na trama, acompanhamos um pai em busca de seu filho que sumira há 10 anos, mas o grande destaque é a questão transgênero e do body horror, consagrada por David Cronenberg. Se fosse alguns anos atrás, esse tipo de filme jamais teria lugar no Oscar, mas com os esforços de repaginação da Academia, Titane tem boas chances de figurar entre os cinco indicados. O filme foi exibido recentemente no Brasil pela Mostra de São Paulo, mas tem estreia prevista para Janeiro na plataforma da MUBI.

A HERO (Irã)
Dir: Asghar Farhadi

Vencedor do Grande Prêmio do Júri (espécie de 2º lugar) em Cannes, este novo trabalho do diretor Asghar Farhadi automaticamente se tornou um favorito após uma repercussão bastante positiva na crítica internacional. Já houve especulações de que sua distribuidora nos EUA, Amazon Studios, tentará também indicações em outras categorias como Filme, Direção e Roteiro Original. Na história, Rahim está preso por causa de uma dívida. Durante uma condicional de dois dias, tenta convencer seu credor a retirar a queixa se pagar parte do que deve, mas seu plano não dá muito certo. Farhadi já tem dois Oscars de Melhor Filme em Língua Estrangeira por A Separação (2011) e O Apartamento (2016).

DRIVE MY CAR (Japão)
Dir: Ryusuke Hamaguchi

Segundo a crítica internacional, esta adaptação de conto de Haruki Murakami foi um dos melhores filmes presentes na seleção oficial de Cannes. Embora tenha levado o prêmio de Roteiro, muitos acreditavam que o filme japonês merecia a Palma de Ouro. Na trama, um diretor teatral que perdeu sua esposa dramaturga está de luto há dois anos, mas aceita dirigir uma peça em Hiroshima. No caminho, ele vai conhecendo melhor sua motorista e seu passado. Hamaguchi se mostrou um ótimo diretor no recente Asako I & II, lançado em 2018, e essa possível indicação ao Oscar deve alavancar ainda mais sua curta carreira.

COMPARTMENT No. 6 (Finlândia)
Dir: Juho Kuosmanen

Também presente no Festival de Cannes, de onde saiu com o Grande Prêmio do Júri (dividido com A Hero), este filme finalndês nos apresenta uma viagem de trem rumo ao Ártico, na qual dois estranhos compartilham uma jornada que mudará suas perspectivas de vida. Recentemente, foi indicado a Melhor Filme, Ator e Atriz no European Film Awards e isso deve impulsionar a campanha rumo à pré-lista.

THE WORST PERSON IN THE WORLD (Noruega)
Dir: Joachim Trier

Indicado à Palma de Ouro e vencedor do prêmio de Melhor Atriz para Renate Reinsve no Festival de Cannes, este filme norueguês apresenta uma protagonista feminina que se reavalia em busca de respostas pessoais e profissionais após um longo relacionamento de 4 anos com seu ex. A direção de Joachim Trier parece proporcionar uma boa dose de lirismo e romantismo, dando um frescor ao gênero. Com a NEON na distribuição, as chances do filme certamente aumentam.

THE HAND OF GOD (Itália)
Dir: Paolo Sorrentino

Vencedor do Oscar em 2014 pelo poético A Grande Beleza, o diretor Paolo Sorrentino pode retornar ao Oscar com este filme mais pessoal, já que faz um retrato dos anos 80 inspirado em sua própria juventude em Nápoles e sua paixão por futebol (especialmente Diego Maradona) e cinema. Vencedor do Grande Prêmio do Júri no último Festival de Veneza, The Hand of God pode ser a primeira indicação da Itália desde o próprio A Grande Beleza.

OUTROS DESTAQUES

MEMORIA (Colômbia)
Dir: Apichatpong Weerasethakul

Quando foi selecionado para o Festival de Cannes, este novo trabalho do diretor tailandês logo criou expectativas, ainda mais por contar com a versátil Tilda Swinton no elenco. Vencedor da Palma de Ouro em 2010 por Tio Boonmee, que Pode Recordar Suas Vidas Passadas, Weerasethakul nos apresenta uma história sobre uma mulher escocesa que passa a ouvir sons estranhos durante uma viagem à Colômbia. Não parece ser um material que a Academia vá amar ou elogiar, mas o filme conta com a sabedoria da distribuidora NEON (que foi responsável pela campanha avassaladora de Parasita) e, claro, com a fama de Swinton.

FLEE (Dinamarca)
Dir: Jonas Poher Rasmussen

Esta animação/documentário já vem chamando a atenção desde que foi premiada no Festival de Sundance, ganhando o Grande Prêmio do Júri de Documentário. Acompanhamos a história real de um homem chamado Amin, que à beira de seu casamento com o namorado na Dinamarca, precisa revelar seu passado oculto no Afeganistão pela primeira vez. Misturando imagens de arquivo com animação, Flee narra uma história de sobrevivência que certamente dialogará com as tristes imagens que presenciamos no Afeganistão este ano. Embora tenha chances em Filme Internacional, deve garantir uma indicação em Longa de Animação, que costuma abraçar trabalhos alternativos, criativos e em língua estrangeira.

A METAMORFOSE DOS PÁSSAROS (Portugal)
Dir: Catarina Vasconcelos

Embora já tenha inscrito diretores consagrados como o saudoso Manoel de Oliveira e o jovem Miguel Gomes, Portugal não recebeu uma indicação sequer desde que começou a selecionar representantes em 1980. Por se tratar de um documentário, A Metamorfose dos Pássaros pode concorrer também na categoria de Melhor Documentário, assim como fez a Romênia este ano com Collective. Com passagem no Festival de Berlim de 2020, levou um prêmio técnico da FIPRESCI e pode surpreender nesta temporada.

LEAVE NO TRACES (Polônia)
Dir: Jan P. Matuszynski

Em 1983, na Polônia comunista, o estudante Grzegorz Przemyk foi espancado até a morte pela polícia, o que torna a única testemunha ocular inimigo do Estado. Filmes poloneses costumam frequentar esta categoria, mas em sua grande maioria, pelas temáticas relacionadas ao Holocausto ou cultura judaica. Baseado num caso verídico, este segundo longa do Matuszynski estava entre os indicados ao Leão de Ouro no último Festival de Veneza.

MÁ SORTE NO SEXO OU PORNÔ AMADOR (Romênia)
Dir: Radu Jude

No último Festival de Berlim, o novo filme de Radu Jude conquistou o Urso de Ouro. Além desse feito, sua temática que explora a cultura de cancelamento vem chamando a atenção do público e da crítica, especialmente pela abordagem cômica do diretor. Na trama, a professora Emi tem sua reputação e carreira ameaçadas quando um vídeo de sexo seu vaza na internet, causando a ira dos pais dos alunos que desejam sua demissão.

E O BRASIL?

Como muitos já sabem, Deserto Particular foi selecionado pelo comitê da Academia Brasileira de Cinema. Embora não houvesse nenhum grande favorito como um Cidade de Deus ou O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias, 7 Prisioneiros era considerada a melhor aposta do Brasil. Numa análise fria, alguns motivos facilmente defenderiam sua escolha: 1. NETFLIX: Sem uma boa distribuidora e uma boa campanha publicitária, nenhum filme ganha o Oscar. 7 Prisioneiros já contava com data de lançamento na plataforma de streaming mundial. 2. FERNANDO MEIRELLES e RAMIN BAHRANI: Dois cineastas indicados ao Oscar na produção (Meirelles por Cidade de Deus, e Bahrani por O Tigre Branco) certamente trariam maior visibilidade ao longa. 3. ALEXANDRE MORATTO: Embora pouco conhecido do grande público, Moratto já teve carreira internacional com seu filme anterior Sócrates (2018), que foi indicado ao Independent Spirit Awards. 4. VENEZA: 7 Prisioneiros teve uma boa passagem pelo festival italiano na mostra Orizzonti.

Pelas primeiras críticas que lemos, Deserto Particular se mostra um bom candidato também, principalmente por dialogar com essa polarização brasileira tão contemporânea. Contudo, sem uma boa distribuidora nos EUA que garanta visibilidade, as chances do filme de Aly Muritiba parecem remotas neste momento. O orçamento que o governo brasileiro disponibiliza para campanha publicitária é uma piada, portanto é preciso um milagre. Aproveitamos para criticar a Academia Brasileira de Cinema, que deveria antecipar essa seleção e exigir uma análise mais fria dos membros do comitê se realmente queremos que o Brasil retorne ao Oscar. Central do Brasil continua sendo o último filme nacional indicado na categoria em 1999, há longos 22 anos.

CONFIRA OS FILMES SELECIONADOS POR SEUS PAÍSES PARA DISPUTAR VAGA NO OSCAR 2022 (ATÉ O MOMENTO):

PAÍSFILMEDIRETOR (A) (ES)
África do SulBarakatAmy Jephta
AlbâniaTwo Lions Headig to VeniceJonid Jorgji
AlemanhaO Homem Ideal (I’m Your Man)Maria Shrader
Arábia SauditaThe Tambour of RetributionAbdulaziz Alshlahei
ArgéliaHéliopolisDjafar Gacem
ArgentinaThe IntruderNatalia Meta
ArmêniaShould the Wind DropNora Martirosyan
AustráliaO Uivo das Romãs (When Pomegranates Howl)Granaz Moussavi
ÁustriaGreat FreedomSebastian Meise
AzerbaijãoThe Island WithinRu Hasanov
BangladeshRehanaAbdullah Mohammad Saad
BélgicaPlaygroundLaura Wandel
BolíviaThe Great MovementKiro Russo
Bósnia HerzegovinaThe White FortressIgor Drljaca
BrasilDeserto ParticularAly Muritiba
BulgáriaMedo (Fear)Milko Lazarov
ButãoLunana: A Yak in the ClassroomPawo Choyning Dorji
CamarõesHidden DreamsNgang Romanus
CambojaWhite BuildingIvaylo Hristov
CanadáDrunken BirdsIvan Grbovic
CazaquistãoYellow CatAdilkhan Yerzhanov
ChadeLinguiMahamat-Saleh Haroun
ChileWhite on WhiteTheo Court
ChinaCliff WalkersZhang Yimou
ColômbiaMemóriaApichatpong Weerasethakul
Coréia do SulEscape from MogadishuRyoo Seung-wan
Costa RicaClara SolaNathalie Álvarez Mesén
CroáciaTereza37Danilo Serbedzija
DinamarcaFuga (Flee)Jonas Poher Rasmussen
EgitoSouadAyten Amin
EquadorSumergibleAlfredo León León
Eslováquia107 MothersPeter Kerekes
EslovêniaSanremoMiroslav Mandic
EspanhaThe Good BossFernando León Aranoa
EstôniaOn the WaterPeeter Simm
FinlândiaCompartment No. 6Juho Kuosmanen
FrançaTitaneJulia Ducournau
GeórgiaBrighton 4thLevan Koguashvili
GréciaDiggerGeorgis Grigorakis
HaitiFredaGessica Généus
HolandaDo Not HesitateShariff Korver
Hong KongRetrato de um Campão (Zero to Hero)Jimmy Wan
HungriaPost MortemPéter Bergendy
ÍndiaPedregulhos (Pebbles)P.S. Vinothraj
IndonésiaYuniKamila Andini
IrãA HeroAsghar Farhadi
IraqueEuropaHaider Rashid
IrlandaFoscadhSeán Breathnach
IslândiaLambValdimar Jóhannsson
IsraelLet There Be MorningEran Kolirin
ItáliaThe Hand of GodPaolo Sorrentino
JapãoDrive My CarRyusuke Hamaguchi
JordâniaAmiraMohamed Diab
KosovoHiveBlerta Basholli
LetôniaThe PitDace Puce
LíbanoCosta Brava, LíbanoMounia Akl
LituâniaThe JumpGiedre Zickyte
LuxemburgoIo Sto BeneDonato Rotunno
Macedônia do NorteSisterhoodDina Duma
MalásiaHail, Driver!Muzzamer Rahman
MalawiFatsani: A Tale of SurvivalGift Sukez Sukali
MaltaEntre Águas (Luzzu)Alex Camilleri
MarrocosCasablanca BeatsNabil Ayouch
MéxicoA Noite do Fogo (Prayers for the Stolen)Tatiana Huezo
MontenegroAfter the WinterIvan Bakrac
NoruegaThe Worst Person in the WorldJoachim Trier
PalestinaThe StrangerAmeer Fakher Eldin
PanamáPlaza CatedralAbner Benaim
ParaguaiApenas o SolArami Ullón
PeruPowerful ChiefHenry Vallejo
PolôniaLeave No TracesJan P. Matuszynski
PortugalA Metamorfose dos PássarosCatarina Vasconcelos
QuêniaMission to RescueGilbert Lukalia
QuirguistãoShambalaArtykpai Suyundukov
Reino UnidoDying to DivorceChloe Fairweather
República DominicanaHoly BeastsLaura Amelia Guzmán, Israel Cárdenas
República TchecaZátopekDavid Ondricek
RomêniaMá Sorte no Sexo ou Pornô AmadorRadu Jude
RússiaUnclenching the FistsKira Kovalenko
SérviaOasisIvan Ikic
SingapuraPrecious is the NightWayne Peng
SomáliaThe Gravedigger’s WifeKhadar Ayderus Ahmed
SuéciaTigersRonnie Sandahl
SuíçaOlgaElie Grappe
TailândiaThe MediumBanjong Pisanthanakun
TaiwanThe FallsMong-Hong Chung
TunísiaGolden ButterflyAbdelhamid Bouchnak
TurquiaCommitment HasanSemih Kaplanoglu
UcrâniaBad RoadsNataliia Vorozhbit
UruguaiThe Broken Glass TheoryDiego Fernández
Uzbequistão2000 Songs of FaridaYalkin Tuychiev
VenezuelaThe Inner GlowLuis Rodríguez, Andrés Rodríguez
VietnãDad, I’m SorryTrâ n Thành

COMO PREVISTO, THE CROWN e TED LASSO VENCEM O EMMY AWARDS

NETFLIX FOI A GRANDE VENCEDORA DA NOITE PELA PRIMEIRA VEZ

A cerimônia da 73ª edição do Emmy aconteceu neste domingo (19) em Los Angeles, com menos convidados, com exigência de teste negativo para Covid, e sob o comando do host Cedric the Entertainer, que apresentou um rap em seu monólogo. Segundo as medições, houve um aumento de 16% de audiência em relação ao ano passado, o que demonstra um claro aumento de interesse do público por séries na pandemia. Talvez isso faça com que a Academia repense um pouco esse preconceito contra filmes lançados em streaming, lembrando que a Netflix nunca levou o Oscar de Melhor Filme.

Pela primeira vez, a Netflix conquistou o maior número de estatuetas (44!) e finalmente levou o prestigioso prêmio de Melhor Série Dramática com The Crown, que acumulou 11 Emmys (7 na cerimônia e 4 da Creative Arts Emmy), mesmo número de sua minissérie The Queen’s Gambit. Já a HBO conquistou 19 prêmios no total, alguns pela minissérie Mare of Easttown, pela série de comédia Hacks e pela minissérie britânica I May Destroy You. A Apple TV Plus faturou 10 Emmys, sendo 7 pela série Ted Lasso. Apesar da Disney Plus ter conquistado 13 prêmios da Creative Arts Emmy, só levou um Emmy na cerimônia por Hamilton como Melhor Especial Pré-Gravado. WandaVision não levou nenhuma estatueta ao vivo.

Há cerca de 6 anos, muito se falou sobre o #OscarsSoWhite, já que por dois anos consecutivos nenhum ator ou atriz negros ou latinos haviam sido indicados nas quatro categorias de atuação. Nesta edição, o Emmy prometia uma representatividade inédita em sua história, já que havia número recorde de indicados não-caucasianos, mas quando os envelopes foram se abrindo, houve uma frustração notória pois apenas atores brancos foram premiados, gerando a hashtag #EmmysSoWhite. Embora considere um pouco exagerada essa reação, havia uma expectativa de que um ou outro nome sairia vitorioso como o recém-falecido Michael K. Williams, que concorria por Lovecraft Country mas perdeu para Tobias Menzies como Melhor Coadjuvante, ou mesmo Michaela Jaé (Mj) Rodriguez que poderia ter se tornado a primeira atriz trans a vencer o Emmy pela série Pose. Felizmente, a atriz Michaela Coel venceu como roteirista da série I May Destroy You, o que amenizou um pouquinho essa polêmica.

Só um breve comentário que gostaria de fazer em relação ao Emmy e as produções televisivas: É preciso aplaudir os realizadores das séries, sem exceção. Lembro de alguns anos atrás, a TV era sempre considerada uma plataforma para profissionais menores ou no mínimo um plano B caso não conseguissem entrar no disputado mercado cinematográfico. Contudo, sob comando de produtores e chefes de estúdios gananciosos que não queriam correr risco algum, o Cinema foi perdendo muitos de seus profissionais e de seu público para a TV e streaming, que vem colhendo muitos frutos por terem a coragem de fazer produções ousadas, diversificadas, com roteiros de qualidade e ainda representatividade por trás e à frente das câmeras. Amo Cinema e sempre vou amar, mas desejo vida longa à TV e sua audácia.

Seguem os vencedores da cerimônia do Emmy 2021:

Minissérie

  • ”I May Destroy You”
  • “Mare of Easttown”
  • “The Queen’s Gambit”
  • “The Underground Railroad”
  • “WandaVision”

Série de drama

  • ”The Boys”
  • “Bridgerton”
  • “The Crown”
  • “The Handmaid’s Tale”
  • “Lovecraft Country”
  • “The Mandalorian”
  • “Pose”
  • “This Is Us”

Série de comédia

  • ”Black-ish”
  • “Cobra Kai”
  • “Emily in Paris”
  • “Hacks”
  • “The Flight Attendant”
  • “The Kominsky Method”
  • “Pen15″
  • “Ted Lasso”

Programa especial de variedades (gravado)

  • “Bo Burnham: Inside”
  • “David Byrne’s American Utopia”
  • “8:46 – Dave Chappelle”
  • “Friends: The Reunion”
  • “Hamilton”
  • “A West Wing Special to Benefit When We All Vote”

Programa especial de variedades (ao vivo)

  • “Celebrating America – An Inauguration Night Special”
  • “The 63rd Annual Grammy Awards”
  • “The Oscars”
  • “The Pepsi Super Bowl LV Halftime Show Starring The Weeknd”
  • “Stephen Colbert’s Election Night 2020: Democracy’s Last Stand Building Back America Great Again Better 2020”

Ator em série de drama

  • Sterling K. Brown – “This Is Us”
  • Jonathan Majors – “Lovecraft Country”
  • Josh O’Connor – “The Crown”
  • Rege-Jean Page – “Bridgerton”
  • Billy Porter – “Pose”
  • Matthew Rhys – “Perry Mason”

Atriz em série de drama

  • Uzo Aduba – “In Treatment”
  • Olivia Colman – “The Crown”
  • Emma Corrin – “The Crown”
  • Elisabeth Moss – “The Handmaid’s Tale”
  • Mj Rodriguez – “Pose”
  • Jurnee Smollett – “Lovecraft Country”

Ator em minissérie ou filme para TV

  • Paul Bettany – “WandaVision”
  • Hugh Grant – “The Undoing”
  • Ewan McGregor – “Halston”
  • Lin-Manuel Miranda – “Hamilton”
  • Leslie Odom, Jr. – “Hamilton”

Atriz em minissérie ou filme para TV

  • Michaela Coel – “I May Destroy You”
  • Cynthia Erivo – “Genius: Aretha”
  • Elizabeth Olsen – “WandaVision”
  • Anya Taylor-Joy – “The Queen’s Gambit”
  • Kate Winslet – “Mare of Easttown”

Roteiro de minissérie, antologia ou filme para TV

  • Michaela Coel – “I May Destroy You”
  • Brad Ingelsby – “Mare of Easttown”
  • Scott Frank – “The Queen’s Gambit”
  • Chuck Hayward e Peter Cameron – WandaVision (“All-New Halloween Spooktacular!”)
  • Jac Schaeffer – “WandaVision” (“Filmed Before a Live Studio Audience”)
  • Laura Donney – “WandaVision” (“Previously On”)

Direção em minissérie, antologia ou filme para TV

  • Thomas Kail – “Hamilton”
  • Sam Miller e Michaela Coel – “I May Destroy You” (“Ego Death”)
  • Sam Miller – “I May Destroy You” (“Eyes Eyes Eyes Eyes”), Directed by (HBO)
  • Craig Zobel – “Mare of Easttown”
  • Scott Frank – “The Queen’s Gambit”
  • Barry Jenkins – “The Underground Railroad”
  • Matt Shakman – “WandaVision”

Programa de competição

  • “The Amazing Race”
  • “Nailed It!”
  • “RuPaul’s Drag Race”
  • “Top Chef”
  • “The Voice”

Ator em série de comédia

  • Anthony Anderson – “Black-ish”
  • Michael Douglas – “The Kominsky Method”
  • William H. Macy – “Shameless”
  • Jason Sudeikis – “Ted Lasso”
  • Kenan Thompson – “Kenan”

Atriz em série de comédia

  • Aidy Bryant – “Shrill”
  • Kaley Cuoco – “The Flight Attendant”
  • Allison Janney – “Mom”
  • Tracee Ellis Ross – “Black-ish”
  • Jean Smart – “Hacks”

Direção em série de comédia

  • James Burrows – “B Positive” (“Pilot”)
  • Susanna Fogel – “The Flight Attendant” (“In Case of Emergency”)
  • Lucia Aniello – “Hacks” (“There Is No Line”)
  • James Widdoes – “Mom” (“Scooby-Doo Checks and Salisbury Steak”)
  • Zach Braff – “Ted Lasso” (“Biscuits”)
  • MJ Delaney – “Ted Lasso” (“The Hope that Kills You”)
  • Declan Lowney – “Ted Lasso” (“Make Rebecca Great Again”)

Roteiro de série de comédia

  • Steve Yockey – “The Flight Attendant” (“In Case of Emergency”)
  • Meredith Scardino – “Girls5eva” (“Pilot”)
  • Lucia Aniello, Paul W. Downs e Jen Statsky – “Hacks” (“There Is No Line”)
  • Maya Erskine – “PEN15” (“Play”)
  • Joe Kelly, Brendan Hunt e Jason Sudeikis – “Ted Lasso” (“Make Rebecca Great Again”)
  • Jason Sudeikis, Bill Lawrence, Brendan Hunt e Joe Kelly – “Ted Lasso” (Pilot”)

Série de esquetes

  • “A Black Lady Sketch Show”
  • “Saturday Night Live”

Talk show

  • “Conan”
  • “The Daily Show with Trevor Noah”
  • “Jimmy Kimmel Live!”
  • “Last Week Tonight with John Oliver”
  • “The Late Show with Stephen Colbert”

Roteiro de programa de variedades

  • “The Amber Ruffin Show”
  • “A Black Lady Sketch Show”
  • “Last Week Tonight with John Oliver”
  • “The Late Show with Stephen Colbert”
  • “Saturday Night Live”

Ator coadjuvante em série de drama

  • Michael K. Williams – “Lovecraft Country”
  • John Lithgow – “Perry Mason”
  • Tobias Menzies – “The Crown”
  • O-T Fagbenle – “The Handmaid’s Tale”
  • Max Minghella – “The Handmaid’s Tale”
  • Bradley Whitford – “The Handmaid’s Tale”
  • Giancarlo Esposito – “The Mandalorian”
  • Chris Sullivan – “This Is Us”

Atriz coadjuvante em série de drama

  • Aunjanue Ellis – “Lovecraft Country”
  • Gillian Anderson – “The Crown”
  • Helena Bonham Carter – “The Crown”
  • Emerald Fennell – “The Crown”
  • Madeline Brewer – “The Handmaid’s Tale”
  • Ann Dowd – “The Handmaid’s Tale”
  • Yvonne Strahovski – “The Handmaid’s Tale”
  • Samira Wiley – “The Handmaid’s Tale”

Direção em série de drama

  • Julie Anne Robinson – “Bridgerton” (“Diamond of the First Water”)
  • Benjamin Caron – “The Crown” (“Fairytale”)
  • Jessica Hobbs – “The Crown” (“War”)
  • Liz Garbus – “The Handmaid’s Tale” (“The Wilderness”)
  • Jon Favreau – “The Mandalorian” (“Chapter 9: The Marshal”)
  • Steven Canals – “Pose” (“Series Finale”)

Roteiro de série de drama

  • Rebecca Sonnenshine – “The Boys” (“What I Know”)
  • Peter Morgan – “The Crown”
  • Yahlin Chang – “The Handmaid’s Tale” (“Home”)
  • Misha Green – “Lovecraft Country” (“Sundown”)
  • Dave Filoni – “The Mandalorian” (“Chapter 13: The Jedi”)
  • Jon Favreau – “The Mandalorian” (“Chapter 16: The Rescue”)
  • Steven Canals, Brad Falchuk, Our Lady J, Janet Mock, and Ryan Murphy – “Pose” (“Series Finale”)

Ator coadjuvante em minissérie ou filme para TV

  • Thomas Brodie-Sangster – “The Queen’s Gambit”
  • Daveed Diggs – “Hamilton”
  • Paapa Essiedu – “I May Destroy You”
  • Jonathan Groff – “Hamilton”
  • Evan Peters – “Mare of Easttown”
  • Anthony Ramos – “Hamilton”

Atriz coadjuvante em minissérie ou filme para TV

  • Renée Elise Goldsberry – “Hamilton”
  • Kathryn Hahn – “WandaVision”
  • Moses Ingram – “The Queen’s Gambit”
  • Julianne Nicholson – “Mare of Easttown”
  • Jean Smart – “Mare of Easttown”
  • Phillipa Soo – “Hamilton”

Ator coadjuvante em série de comédia

  • Carl Clemons-Hopkins – “Hacks”
  • Kenan Thompson – “SNL”
  • Bowen Yang – “SNL”
  • Brett Goldstein – “Ted Lasso”
  • Brendan Hunt – “Ted Lasso”
  • Nick Mohammed – “Ted Lasso”
  • Jeremy Swift – “Ted Lasso”
  • Paul Reiser – “The Kominsky Method”

Atriz coadjuvante em série de comédia

  • Hannah Einbinder -“Hacks”
  • Aidy Bryant – “SNL”
  • Kate McKinnon – “SNL”
  • Cecily Strong – “SNL”
  • Juno Temple – “Ted Lasso”
  • Hannah Waddingham – “Ted Lasso”
  • Rosie Perez – “The Flight Attendant”

‘PARA TODOS OS GAROTOS: AGORA E PARA SEMPRE’ e SÉRIE ‘WANDAVISION’ SÃO PREMIADOS no MTV MOVIE e TV AWARDS

FILME DA NETFLIX E SÉRIE DA DISNEY PLUS SÃO OS GRANDES VENCEDORES DESTA EDIÇÃO

Se você pertence a uma geração que viu grandes filmes como O Exterminador do Futuro 2, Pulp Fiction e Seven serem premiados no MTV Movie Awards nos anos 90, é provável que haja um certo estranhamento ao ver produções mais padronizadas serem reconhecidas. Já para a geração que viu os filmes da saga Crepúsculo saírem premiadas na MTV, pouca coisa mudou.

Desde 2017, o prêmio passou a reconhecer as várias produções televisivas e de streaming entre os filmes, o que foi um acerto grande, pois o público jovem não mais consumia filmes como antes e passou a preferir maratonar séries. Num ano de pandemia e quarentena, seria natural que as séries predominassem a edição 2021. Tanto Para Todos os Garotos quanto WandaVision são frutos das plataformas de streaming da Netflix e da Disney Plus, respectivamente.

As séries da Marvel Studios foram as maiores vencedoras. Enquanto WandaVision acumulou 4 baldinhos de pipoca dourada, Falcão e o Soldado Invernal ficou com 2 prêmios, confirmando um acerto também do estúdio, que estendeu seu universo cinematográfico às séries na hora certa (da pandemia). Particularmente, não acompanho séries, mas vi essas duas por serem da Marvel. Valeu a pena só pra matar saudade dos personagens, mas ainda estão aquém dos filmes. Achei um absurdo premiarem a luta entre Wanda e Agatha como a Melhor Luta, pois são duas pessoas voando e jogando feitiços de computação gráfica uma contra a outra durante 40 minutos. Por que não premiaram a série Cobra Kai, que teve lutas coreografadas? Somos a favor da democracia do voto, mas muitas vezes é difícil entender esse público.

Sobre os indicados ao Oscar no MTV Movie Awards, acho bacana a vitória de Chadwick Boseman, que perdeu o Oscar (de forma justa) para Sir Anthony Hopkins, mas você consegue acreditar que o mesmo público que votou em Para Todos os Garotos e Barraca do Beijo 2 também votou para Boseman? E mesmo se votaram, é quase certeza de que nem viram o filme A Voz Suprema do Blues, votando simplesmente pelo nome, fama e morte precoce. E como explicar o voto para Leslie Jones como melhor atuação em comédia por Um Príncipe em Nova York 2? Essa sequência do filme de 1988 é no mínimo medíocre.

Claro que não dá pra cobrar do voto popular, ainda mais num prêmio jovem. De um lado, fico decepcionado por perderem a oportunidade de elevarem o patamar do MTV Movie Awards, pois era um prêmio que acolhia e reconhecia filmes bons e ousados que a Academia não tinha coragem de premiar, mas por outro lado, é preciso entender que o prêmio é mais um instrumento para medir a repercussão das produções em seu público-alvo. E se for pra se basear nisso, o império da Marvel Studios deve reinar facilmente a indústria por pelo menos mais uma década.

Confira vídeo da compilação dos discursos de agradecimentos do canal da MTV abaixo:

Veja lista dos vencedores do MTV Movie & TV Awards:

MELHOR SÉRIE
* WandaVision
– Bridgerton
– Cobra Kai
– Emily in Paris
– The Boys

MELHOR FILME
* Para Todos os Garotos: Agora e Para Sempre (To All the Boys: Always and Forever)

– Borat: Fita de Cinema Seguinte
– Judas e o Messias Negro
– Bela Vingança
– Soul

MELHOR ATUAÇÃO EM FILME
* Chadwick Boseman (A Voz Suprema do Blues)

– Carey Mulligan (Bela Vingança)
– Daniel Kaluuya (Judas e o Messias Negro)
– Sacha Baron Cohen (Os 7 de Chicago)
– Zendaya (Malcolm & Marie)

MELHOR MOMENTO MUSICAL
* “Edge of Great” (Julie and the Phantoms)

– “Brown Skin Girl” (Black is King)
– “Wildest Dreams” (Bridgerton)
– “I Wanna Rock” (Cobra Kai)
– “Stand by Me” (Amor e Monstros)
– “Lost in the Wild” (A Barraca do Beijo 2)
– “Beginning, Middle, End” (Para Todos os Garotos: Agora e Para Sempre)
– “Agatha All Along” (WandaVision)

MELHOR ATUAÇÃO ASSUSTADORA
* Victoria Pedretti (The Haunting of Bly Manor)
– Jurnee Smollett (Lovecraft Country)
– Elisabeth Moss (O Homem Invisível)
– Simona Brown (Behind Her Eyes)
– Vince Vaughn (Freaky – No Corpo de um Assassino)

MELHOR VILÃO
* Kathryn Hahn (WandaVision)
– Aya Cash (The Boys)
– Ewan McGregor (Aves de Rapina)
– Giancarlo Esposito (The Mandalorian)
– Nicholas Hoult (The Great)

MELHOR DUPLA
* Anthony Mackie & Sebastian Stan (Falcão e o Soldado Invernal)

– Kristen Wiig e Annie Mumolo (Barb & Star Go To Vista Del Mar)
– Pedro Pascal e “Grogu” (The Mandalorian)
– Lily Collins e Mindy Chen (Emily in Paris)
– Sacha Baron Cohen e Maria Bakalova (Borat: Fita de Cinema Seguinte)

MELHOR LUTA
* Wanda vs. Agatha (WandaVision)

– Final Funhouse Fight (Aves de Rapina)
– Finale House Fight (Cobra Kai)
– Starlight, Queen Maeve, Kimiko vs. Stormfront (The Boys)
– Final Fight vs. Steppenwolf (Liga da Justiça – Snyder Cut)

MELHOR ATUAÇÃO DE COMÉDIA
*
Leslie Jones (Um Príncipe em Nova York 2)
– Annie Murphy (Schitt’s Creek)
– Eric Andre (Bad Trip)
– Issa Rae (Insecure)
– Jason Sudeikis (Ted Lasso)

MELHOR BEIJO
* Chase Stokes & Madelyn Cline (Outer Banks
)
– Jodie Comer & Sandra Oh (Killing Eve)
– Lily Collins & Lucas Bravo (Emily in Paris)
– Maitreyi Ramakrishnan & Jaren Lewison (Never Have I Ever)
– Regé-Jean Page & Phoebe Dynevor (Bridgerton)

MELHOR ATUAÇÃO REVELAÇÃO
* Regé-Jean Page (Bridgerton)

– Antonia Gentry (Ginny & Georgia)
– Ashley Park (Emily in Paris)
– Maria Bakalova (Borat: Fita de Cinema Seguinte)
– Paul Mescal (Normal People)

MELHOR ATUAÇÃO EM SÉRIE
* Elizabeth Olsen (WandaVision)

– Anya Taylor-Joy (The Queen’s Gambit)
– Elliot Page (The Umbrella Academy)
– Emma Corrin (The Crown)
– Michaela Coel (I May Destroy You)

MELHOR HERÓI
*
Anthony Mackie (Falcão e o Soldado Invernal)
– Gal Gadot (Mulher-Maravilha 1984)
– Jack Quaid (The Boys)
– Pedro Pascal (The Mandalorian)
– Teyonah Parris (WandaVision)

COMEDIC GENIUS AWARD
Sacha Baron Cohen

MTV GENERATION AWARD
Scarlett Johansson

%d blogueiros gostam disto: