Mesmo em ano competitivo, ‘O Regresso’ fatura 3 Globos de Ouro

À esquerda, Alejandro González Iñárritu com duas estatuetas por Filme e Diretor, enquanto Leonardo Dicaprio com a de Melhor Ator por O Regresso (Photo by Jordan Strauss/Invision/AP - forbes.com)

À esquerda, Alejandro González Iñárritu com duas estatuetas por Filme e Diretor, enquanto Leonardo Dicaprio com a de Melhor Ator por O Regresso (Photo by Jordan Strauss/Invision/AP – forbes.com)

NOVO FILME DE ALEJANDRO GONZÁLEZ IÑÁRRITU LEVA FILME, DIRETOR E ATOR PARA LEONARDO DiCAPRIO

Se dá para resumir esta 73ª edição em uma palavra seria “surpresa”, principalmente nos prêmios de televisão, reconhecendo Rachel Bloom (Crazy Ex-Girlfriend), Oscar Isaac (Show me a Hero), a dobradinha de Mozart in the Jungle (Série de Comédia e Ator) e, claro, o polêmico prêmio para Lady Gaga por American Horror Story: Hotel. Em termos de mérito, não posso opinar sobre sua atuação porque não vi, mas se depender dos poucos aplausos e principalmente da reação mega-sarcástica de Leonardo DiCaprio, que riu com vontade enquanto ela passava por ele, foi uma piada de mal gosto. Por enquanto, vejo sua premiação como um estímulo oferecido pelo Globo de Ouro para encorajá-la a virar atriz.

Quanto aos prêmios de cinema, não sei se foi apenas o fato de eu não ter assistido ao filme, mas fiquei um pouco surpreso com os dois prêmios para Steve Jobs (Atriz Coadjuvante para Kate Winslet e Roteiro). Na verdade, estava apostando minhas fichas em Spotlight para Roteiro e Filme – Drama, afinal, Hollywood Foreign Press Association (HFPA) é um grupo formado por jornalistas, então nada mais natural do que prestigiar um filme sobre colegas de profissão, mas o filme de Tom McCarthy foi um dos grandes perdedores da noite. Só não foi o maior perdedor, porque Carol saiu de mão abanando mesmo sendo o recordista de indicações com 5. E A Grande Aposta, com 4, também não ganhou nada.

A vitória segura de O Regresso certamente o coloca como um dos grandes favoritos ao Oscar, ainda mais que provavelmente terá a seu favor múltiplas indicações em categorias técnicas como Fotografia, Trilha Musical e Montagem. Será que o diretor Alejandro González Iñárritu consegue uma dobradinha consecutiva no Oscar depois de Birdman? No Globo de Ouro ainda há a “desculpa” de que perdeu para Richard Linklater ano passado… Mas enfim, o fato é que O Regresso está em ascensão na hora certa: vem conquistando reconhecimento em prêmios de sindicatos, ganhou o Globo de Ouro e sua bilheteria não pára de crescer, mesmo com o novo filme de Star Wars dominando as bilheterias. Se as várias indicações se confirmarem na próxima quinta-feira (dia 14), deve ser o franco-favorito, ultrapassando até Carol e Spotlight.

ALTOS E BAIXOS

Um dos momentos mais emocionantes da noite foi quando anunciaram o nome de Sylvester Stallone como Melhor Ator Coadjuvante por Creed: Nascido Para Lutar. Todo o salão o aplaudiu de pé, pois trata-se de uma lenda do cinema. Como ele mesmo destacou no discurso, a última vez que ele subiu no palco do Globo de Ouro foi em 1977 pelo primeiro Rocky – Um Lutador, e fecha com “Quero agradecer meu amigo imaginário Rocky Balboa por ser o melhor amigo que já tive!” – Acho que é o que a Academia busca: uma figura lendária recebendo o Oscar.

O outro alto que poderia ser mais alto com a presença do vencedor foi a vitória do compositor italiano Ennio Morricone por Os 8 Odiados. Trata-se de um dos maiores compositores vivos que já fez trocentas trilhas de filmes. Sua música faz uma grande diferença no filme de Tarantino, criando tensão nos momentos certos, além da música-tema, que teria sido descartada da grande ficção científica de John Carpenter, O Enigma do Outro Mundo (1982). Quentin Tarantino subiu ao palco para agradecer em seu nome. Curiosamente, ele alegou que o maestro nunca tinha ganhado o Globo de Ouro, mas Morricone já levou o prêmio por A Missão (1987) e A Lenda do Pianista do Mar (1998).

Gostei bastante da premiação de Brie Larson como Melhor Atriz – Drama. Pelo que estou acompanhando, ela está dando um duro danado na campanha do filme, aparecendo em tudo quanto é mídia para falar sobre O Quarto de Jack e sua performance. Com essa vitória, ela praticamente garante sua primeira e merecida indicação ao Oscar. Ela já havia me impressionado com a atuação no drama independente Temporário 12 (Short Term 12/ 2013). Contudo, ela sabe que, por ser uma atriz relativamente desconhecida, terá que batalhar bastante se quiser ganhar o Oscar.

Ainda sobre as atrizes, a categoria de Comédia ou Musical, soou demais como algo armado para Jennifer Lawrence ganhar. Como se não bastasse ela ser queridinha da HFPA (este já é seu 3º Globo de Ouro), ela competia com atrizes tipicamente de comédias como Amy Schumer e Melissa McCarthy, e seu filme Joy: O Nome de Sucesso, claramente é uma “dramédia”, e que acaba superando comédias ruins e medianas como A Espiã que Sabia de Menos e Descompensada, respectivamente. O mesmo pode se dizer da armação de Perdido em Marte como Melhor Filme de Comédia e Matt Damon como Melhor Ator de Comédia (Ricky Gervais fez uma piada sobre – confira mais abaixo).

Tecnicamente falando O Regresso deve ser impecável. Mas tenho uma coisa que tenho receio: anda rolando muito comentário de críticos justificando seu voto em Leonardo DiCaprio pelo fato do ator ter passado por uma provação física ao filmar em terras congeladas do Canadá e Argentina, como se o prêmio fosse uma espécie de piedade. Espero que, ao conferir o filme, eu consiga enxergar mais do que essa condolência.

Das premiações que não gostei, a que mais me incomodou foi a da canção “Writing’s on the Wall” do filme 007 Contra Spectre. Mesmo fã da série de James Bond, achei a canção fraca e a voz de Sam Smith prepotente com todos aqueles agudos. Acho que até a canção “See You Again” de Velozes & Furiosos 7 é melhor. Entre os demais, mesmo sendo franco-favoritos em suas categorias, desgosto das vitórias de Divertida Mente e O Filho de Saul como Melhor Animação e Filme em Língua Estrangeira, respectivamente. Daria o prêmio para Anomalisa e O Clube.

DUPLA INDICAÇÃO COMO AZAR

Este ano, tivemos quatro atores indicados em duas categorias distintas: Alicia Vikander, Lily Tomlin, Mark Rylance e Idris Elba. Apostava que Vikander e Elba venceriam em pelo menos uma categoria, mas a votação foi cruel com todos. Nenhum dos quatro ganhou qualquer um dos prêmios a que estavam indicados. Como disse num dos parágrafos anteriores, não vi a performance de Kate Winslet, mas apostava que Alicia Vikander levaria Atriz Coadjuvante por Ex-Machina: Instinto Artificial, já que dificilmente ela teria chance como Melhor Atriz por A Garota Dinamarquesa. Talvez no Oscar, ela torça por uma indicação única para que seus votos não se dividam. Já os demais, Tomlin, Rylance e Elba, se indicados, serão apenas como Atriz e Ator Coadjuvante, já que seus outros trabalhos são de televisão.

Alicia Vikander no tapete vermelho do Globo de Ouro (photo by celebuzz.com)

Alicia Vikander no tapete vermelho do Globo de Ouro, belíssima com um vestido Louis Vuitton (photo by celebuzz.com)

RICKY GERVAIS ESTÁ DE VOLTA

Após 3 anos de Tina Fey e Amy Poehler, o ator e comediante que todas as celebridades amam odiar voltou com seu humor corrosivo. Através dele, ele fala algumas verdades que poucos admitem como: “Vocês são mega-estrelas globais com incrível talento. A maioria. Alguns de vocês apenas casaram bem. Vocês sabem quem são vocês. Todos sabemos.” As verdades continuam em outros comentários-pérola: “Vou fazer este monólogo e então vou me esconder. Nem o Sean Penn vai me encontrar… dedo-duro!” – em referência à foto que o ator aparece ao lado de um dos criminosos mais procurados do México, o traficante El Chapo. Pô, com todo o respeito ao profissional que Sean Penn é e a todos os seus fãs, que diabos o ator faz com um traficante? E precisa tirar foto do encontro? Por isso que tá certo em virar piada de Ricky Gervais!

Sei que ele soa anárquico demais, mas adoraria vê-lo um dia ser host do Oscar. Seria uma experiência surreal! Até lá, espero que continuem com ele no Globo de Ouro. E também espero que Chris Rock faça seu papel no Oscar.

Ricky Gervais

Ricky Gervais: Estava com saudades desse humor não-tão britânico dele.

Outras questões que Gervais levantou:

  1. Imparcialidade da NBC: 
    – “Está correto que a NBC deveria abrigar este show. Eles são a única rede de TV que é realmente imparcial e justa porque eles são a única rede que não tem nenhuma indicação. Então…. Não tem nada para eles esta noite. Eles não ligam, obviamente. (apontando para si mesmo – como uma escolha de host).”
  2. A não-tão imparcialidade do Globo de Ouro:
    – “Uma publicação afirmou que o fato de eu ser o host significa que algumas estrelas ficariam de fora por medo de ser alvo das minhas piadas. Como se as estrelas precisassem ficar de fora de ganhar o Globo de Ouro – particularmente se a campanha deles já não comprou o prêmio.”
    — “A Hollywood Foreign Press classificou ‘Perdido em Marte’ como comédia e até a indicou como tal. Portanto, Matt Damon está aqui esta noite. Então funcionou muito bem, né? Pra ser justo, ‘Perdido em Marte’ foi muito mais engraçado do que ‘Pixels’. Mas então, ‘A Lista de Schindler’ também foi.”
  3. A importância do Globo de Ouro:
    — “Lembrem-se: se você ganhar esta noite, ninguém liga sobre esse prêmio como você liga. Não fique emocional, é embaraçoso. Esse prêmio é, sem ofensa, sem valor. É um pouco de um bom metal que velhos jornalistas confusos quiseram te dar pessoalmente para que pudessem te encontrar e tirar uma selfie com você, ok? É só isso!”
  4. Sobre pagamento igualitário para mulheres:
    — “Jennifer Lawrence ganhou as manchetes quando demandou pagamento igualitário para mulheres em Hollywood. Ela recebeu enorme apoio de todas as pessoas. Houve marchas nas ruas de enfermeiras e empregadas de fábrica dizendo ‘Como diabos uma pessoa de 25 anos pode sobreviver com 52 milhões?!’”
    — “É claro que a mulher deve receber o mesmo que o homem pelo mesmo trabalho. E gostaria de dizer agora que estou sendo pago exatamente pelo mesmo valor do ano passado (o que Tina Fey e Amy Poehler receberam). Não, eu sei que havia duas delas, mas não é minha culpa que elas quiseram dividir o dinheiro, né? É culpa delas! É engraçado porque é verdade.”
    — “Todas as refilmagens com mulheres são a notícia. Tem o remake feminino de ‘Os Caça-Fantasmas’. Vai ter o remake feminino de ‘Onze Homens e um Segredo’. E é brilhante porque os estúdios terão resultados garantidos sem ter que gastar tanto com o elenco.”
  5. Polêmicas de Roman Polanski, Mel Gibson e Bill Cosby
    — “O excelente Spotlight foi indicado. A Igreja Católica está furiosa com o filme já que expôs que 5% de seus padres repetidamente molestaram crianças e foram permitidos a continuar sem punição. Roman Polanski o chamou de ‘melhor filme de encontro de todos os tempos.’”
    – “Eu quero dizer algo legal sobre Mel (Gibson) antes de ele entrar. Então: Prefiro ter um drink com ele em seu quarto de hotel hoje à noite do que com Bill Cosby.”
  6. Xenofobia
    Denifitivamente minha favorita da noite: — Ao introduzir as apresentadoras Eva Longoria e America Ferrera: “Duas pessoas que seu futuro presidente, Donald Trump, mal pode esperar para deportar.”

Seguem os vencedores do 73º Globo de Ouro:

CINEMA

MELHOR FILME – DRAMA
O Regresso (The Revenant)

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL
Perdido em Marte (The Martian)

MELHOR DIRETOR
Alejandro González Iñárritú (O Regresso)

MELHOR ATOR – DRAMA
Leonardo DiCaprio (O Regresso)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Brie Larson (O Quarto de Jack)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
Jennifer Lawrence (Joy: O Nome do Sucesso)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
Matt Damon (Perdido em Marte)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Kate Winslet (Steve Jobs)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Sylvester Stallone (Creed: Nascido Para Lutar)

MELHOR ROTEIRO
Aaron Sorkin (Steve Jobs)

MELHOR ANIMAÇÃO
Divertida Mente (Inside Out)

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
O Filho de Saul (Saul fia), de László Nemes (Hungria)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Writing’s on the Wall” por Sam Smith, James Napier (007 Contra Spectre)

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL
Ennio Morricone (Os 8 Odiados)

TELEVISÃO

MELHOR SÉRIE DRAMÁTICA
Mr. Robot

MELHOR ATOR EM SÉRIE DRAMÁTICA
Jon Hamm (Mad Men)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DRAMÁTICA
Taraji P. Henson (Empire)

MELHOR MINISSÉRIE OU TELEFILME
Wolf Hall

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA
Mozart in the Jungle

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Maura Tierney (The Affair)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Christian Slater (Mr. Robot)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA
Rachel Bloom (Crazy Ex-Girlfriend)

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA
Gael García Bernal (Mozart in the Jungle)

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Lady Gaga (American Horror Story: Hotel)

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Oscar Isaac (Show me a Hero)

‘Carol’ conquista 5 indicações no Globo de Ouro 2016

Rooney Mara em cena de Carol, de Todd Haynes: 5 indicações ao Globo de Ouro 2016 (photo by outnow.ch)

Rooney Mara em cena de Carol, de Todd Haynes: 5 indicações ao Globo de Ouro 2016 (photo by outnow.ch)

GLOBO DE OURO COLOCA MAIS ORDEM NA TEMPORADA DE PREMIAÇÕES

Um dia após o SAG anunciar seus indicados com uma série de ausências sentidas, o Globo de Ouro parece tapar os buracos com seu anúncio na manhã desta quinta-feira, dia 10. Assim, atores que ficaram de fora do SAG como Will Smith e Sylvester Stallone, retornam ao centro do palco.

Claro que em se tratando de Oscar e Globo de Ouro, não dá pra agradar gregos e troianos. Algum filme ou algum ator vai ficar sem cadeira. É inevitável. Dentre os mais sentidos estão Johnny Depp (Aliança do Crime), Jacob Tremblay (O Quarto de Jack), Meryl Streep (Ricki and the Flash: De Volta Para Casa), Charlotte Rampling (45 Anos) e Blythe Danner (I’ll See You in My Dreams).

Anúncio das indicações ao Globo de Ouro 2016
America Ferrera, Chloë Grace Moretz, Angela Bassett e Dennis Quaid anunciam os indicados ao Globo de Ouro 2016

De volta aos indicados, o drama Carol foi o recordista de indicações este ano com 5, mas isso não significa que terá vida fácil na categoria, já que compete com Spotlight – Segredos Revelados e Mad Max: Estrada da Fúria que, por mais que não faça muito o tipo que ganhe prêmios de Melhor Filme, vem crescendo bastante na temporada e pode surpreender, principalmente diante de um cenário sem grandes favoritos como este.

Como uma boa mãe, o Globo de Ouro conseguiu reunir numa só lista 17 estúdios, boa parte dos favoritos e outros candidatos que pareciam ficar só na promessa. Exemplo disso é o novo filme de Alejandro González Iñárritu, O Regresso, que estava até então num estado de inércia na temporada. Agora, indicada a Melhor Filme, Diretor, Trilha Musical e Ator para Leonardo DiCaprio, a produção promete conquistar seu espaço no Oscar, principalmente nas categorias mais técnicas como Fotografia e Montagem.

Leonardo DiCaprio em cena de O Regresso (photo by cinemagia.ro)

Leonardo DiCaprio com Grace Dove em cena de O Regresso (photo by cinemagia.ro)

Nessa mesma lógica de tirar o filme do limbo, também dá pra incluir o novo trabalho de David O. Russell, cujos filmes sempre dão um jeitinho de entrar no Oscar. Joy: O Nome do Sucesso, uma espécie de “dramédia” que reconta a trajetória de uma mulher de negócios, concorre como Filme de Comédia e sua protagonista Jennifer Lawrence como Melhor Atriz. Embora esteja disputando com as veteranas Maggie Smith e Lily Tomlin, a atriz de Jogos Vorazes tem grandes chances de conquistar seu terceiro Globo de Ouro.

Jennifer Lawrence e Robert De Niro em cena de Joy: O Nome de Sucesso (photo by outnow.ch)

Jennifer Lawrence e Robert De Niro em cena de Joy: O Nome do Sucesso (photo by outnow.ch)

E meio esquecido depois de ganhar o Hollywood Film Awards no início de novembro, a ficção científica Perdido em Marte retorna com força, uma vez que compete como Filme de Comédia, Diretor e Ator (Matt Damon). Apesar de parecer uma manobra barata da 20th Century Fox de inscrever o filme como comédia para ter concorrência mais fraca pela frente (o que gerou uma “polemicazinha”), não acredito sinceramente em manipulação nesse caso. Trata-se de uma ficção científica com clima bastante otimista, seu protagonista, mesmo diante de uma série de dificuldades, mantém o bom humor em suas pesquisas e gravações, e temos a manutenção da esperança na humanidade. Pra mim, o clima leve o aproxima mais da comédia do que um drama.

Os astronautas da tripulação de Perdido em Marte (photo by cinemagia.ro)

Os astronautas da tripulação de Perdido em Marte (photo by cinemagia.ro)

Ainda no campo da ressurreição, Trumbo retorna no Globo de Ouro, um dia após liderar as indicações ao SAG Awards. O ator da série Breaking Bad, Bryan Cranston, e a dama Helen Mirren foram devidamente reconhecidos por suas performances.

O Globo de Ouro trouxe felicidade também no quesito dupla indicação. Idris Elba, Lily Tomlin, Mark Rylance e Alicia Vikander ficaram duplamente felizes na manhã dessa quinta-feira. Seus nomes foram anunciados duas vezes em categorias distintas.Enquanto os três primeiros equilibram forças entre cinema e televisão, a atriz sueca concorre como Atriz por A Garota Dinamarquesa e como Coadjuvante por Ex-Machina: Instinto Artificial.

Alicia Vikander em cena de A Garota Dinamarquesa (photo by palmspringlife.com)

Alicia Vikander em cena de A Garota Dinamarquesa (photo by palmspringlife.com)

Apesar disso TUDO que o Globo de Ouro fez, acrescentaria uma ressalva: Por que não aumentar de 5 para 6 indicados para Melhor Filme – Drama e incluir Os 8 Odiados ou A Garota Dinamarquesa? Resultaria num total de 4 indicações ao novo western de Tarantino e para o drama transsexual de Tom Hooper. Ou quem sabe para 7 indicados e incluir também Steve Jobs? Afinal, acumulou 4 indicações: Ator (Michael Fassbender), Atriz Coadjuvante (Kate Winslet), Roteiro e Trilha Musical. Ficaria com 5 e igualaria Carol. Teria havido tamanha distância de um candidato a outro na votação ou seria algum receio por parte da HFPA de eleger o “filme errado”? Digo isso, porque as regras do Globo de Ouro permitem esse acréscimo de indicados sem dolo algum.

Durante o anúncio das indicações, fiquei na expectativa pelo filme brasileiro Que Horas Ela Volta?, mas o filme de Anna Muylaert ficou de fora. A última vez que o Brasil teve representantes no prêmio foi em 2005 por Diários de Motocicleta, de Walter Salles, e em 2003 por Cidade de Deus, de Fernando Meirelles. Contudo, o país está bem representado pela série Narcos, produzida pelo diretor José Padilha pela Netflix, e pelo ator Wagner Moura, que foi indicado como Melhor Ator de Série Dramática. Ele interpreta ninguém menos do que o lorde das drogas colombiano Pablo Escobar em 10 episódios. Moura disputa o prêmio com o favorito Jon Hamm (Mad Men) e Liev Schreiber (Ray Donovan).

Wagner Moura em cena da série Narcos da Netflix (photo by cinemagia.ro)

Wagner Moura em cena da série Narcos, da Netflix (photo by cinemagia.ro)

Sobre as categorias de televisão, cabe mais um elogio ao Globo de Ouro. Nos últimos anos, com o crescimento da plataforma de streaming, a HFPA não pestanejou e abraçou o novo formato, valorizando acima de tudo seu conteúdo. No ano passado, a série Transparent foi a primeira a ganhar o prêmio de Melhor Série, mas já em 2014, House of Cards já preenchia as categorias como a primeira da Netflix. Este ano, a associação continua explorando novos conteúdos de streaming: além da já citada Narcos, temos Master of None, Casual e Mozart In the Jungle entre os indicados, enquanto as séries tradicionais que passam na televisão Homeland, Mad MenDownton Abbey e Modern Family não concorrem como Melhor Série este ano. Os tempos estão mudando…

E só mais um último adendo: Lady Gaga recebeu sua primeira indicação como atriz por American Horror Story: Hotel. Ela interpreta a Condessa nesta nova temporada que se passa num hotel. Independente da qualidade da sua atuação (adoraria conferir), a contratação da cantora na série se tornou um hype desde seu anúncio.

Seguem todos os indicados ao 73º Globo de Ouro:

CINEMA

MELHOR FILME – DRAMA
Carol (Carol)
Mad Max: Estrada da Fúria (Mad Max: Fury Road)
O Regresso (The Revenant)
O Quarto de Jack (Room)
Spotlight – Segredos Revelados (Spotlight)

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL
A Grande Aposta (The Big Short)
Joy: O Nome do Sucesso (Joy)
Perdido em Marte (The Martian)
A Espiã que Sabia de Menos (Spy)
A Descompensada (Trainwreck)

MELHOR DIRETOR
Todd Haynes (Carol)
Alejandro González Iñárritú (O Regresso)
Tom McCarthy (Spotlight – Segredos Revelados)
George Miller (Mad Max: Estrada da Fúria)
Ridley Scott (Perdido em Marte)

MELHOR ATOR – DRAMA
Bryan Cranston (Trumbo)
Leonardo DiCaprio (O Regresso)
Michael Fassbender (Steve Jobs)
Eddie Redmayne (A Garota Dinamarquesa)
Will Smith (Um Homem Entre Gigantes)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Cate Blanchett (Carol)
Brie Larson (O Quarto de Jack)
Rooney Mara (Carol)
Saoirse Ronan (Brooklyn)
Alicia Vikander (A Garota Dinamarquesa)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
Jennifer Lawrence (Joy: O Nome do Sucesso)
Melissa McCarthy (A Espiã que Sabia de Menos)
Amy Schumer (A Descompensada)
Maggie Smith (A Senhora da Van)
Lily Tomlin (Grandma)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
Christian Bale (A Grande Aposta)
Steve Carell (A Grande Aposta)
Matt Damon (Perdido em Marte)
Al Pacino (Não Olhe Para Trás)
Mark Ruffalo (Sentimentos que Curam)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Jane Fonda (Youth)
Jennifer Jason Leigh (Os 8 Odiados)
Helen Mirren (Trumbo)
Alicia Vikander (Ex-Machina: Instinto Artificial)
Kate Winslet (Steve Jobs)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Paul Dano (Love & Mercy)
Idris Elba (Beasts of No Nation)
Mark Rylance (Ponte dos Espiões)
Michael Shannon (99 Homes)
Sylvester Stallone (Creed: Nascido Para Lutar)

MELHOR ROTEIRO
Emma Donoghue (O Quarto de Jack)
Tom McCarthy e Josh Singer (Spotlight – Segredos Revelados)
Charles Randolph e Adam McKay (A Grande Aposta)
Aaron Sorkin (Steve Jobs)
Quentin Tarantino (Os 8 Odiados)

MELHOR ANIMAÇÃO
Anomalisa
O Bom Dinossauro (The Good Dinossaur)
Divertida Mente (Inside Out)
Snoopy & Charlie Brown: Peanuts, o Filme (The Peanuts Movie)
Shaun: O Carneiro (Shaun the Sheep Movie)

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
The Brand New Testament (Le Tout Nouveau Testament), de Jaco Van Dormael (Bélgica/ França/ Luxemburgo)
O Clube (El Club), de Pablo Larraín (Chile)
O Esgrimista (Miekkailija), de Klaus Härö (Finalândia/ Estônia/ Alemanha)
O Filho de Saul (Saul fia), de László Nemes (Hungria)
Cinco Graças (Mustang), de Deniz Gamze Ergüven (Turquia/ França/ Catar/ Alemanha)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Love me Like You Do” por Max Martin, Savan Kotecha, Ali Payami, Ilya Salmanzadeh (Cinquenta Tons de Cinza)
“One Kind of Love” por Brian Wilson, Scott Montgomery Bennett (Love & Mercy)
“See You Again” por Justin Franks, Andrew Cedar, Charlie Puth, Wiz Khalifa (Velozes & Furiosos 7)
“Simple Song No. 3” por David Lang (Youth)
“Writing’s on the Wall” por Sam Smith, James Napier (007 Contra Spectre)


O filme é ruim, mas a trilha sonora salva, incluindo a canção de Ellie Goulding

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL
Carter Burwell (Carol)
Alexandre Desplat (A Garota Dinamarquesa)
Ennio Morricone (Os 8 Odiados)
Daniel Pemberton (Steve Jobs)
Ryuichi Sakamoto e Carsten Nicolai (O Regresso)

Steve Carell e Ryan Gosling em cena de A Grande Aposta, de Adam McKay (photo by cine.gr)

Steve Carell e Ryan Gosling em cena de A Grande Aposta, de Adam McKay (photo by cine.gr)

TELEVISÃO

MELHOR SÉRIE DRAMÁTICA
Empire
Game of Thrones
Mr. Robot
Narcos
Outlander

MELHOR ATOR EM SÉRIE DRAMÁTICA
Jon Hamm (Mad Men)
Rami Malek (Mr. Robot)
Wagner Moura (Narcos)
Bob Odenkirk (Better Call Saul)
Liev Schreiber (Ray Donovan)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DRAMÁTICA
Caitriona Balfe (Outlander)
Viola Davis (How to Get Away with Murder)
Eva Green (Penny Dreadful)
Taraji P. Henson (Empire)
Robin Wright (House of Cards)

MELHOR MINISSÉRIE OU TELEFILME
American Crime
American Horror Story: Hotel
Fargo
Flesh and Bone
Wolf Hall

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA
Casual
Mozart in the Jungle
Orange Is the New Black
Silicon Valley
Transparent
Veep

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Uzo Aduba (Orange Is the New Black)
Joanne Froggatt (Downton Abbey)
Regina King (American Crime)
Judith Light (Transparent)
Maura Tierney (The Affair)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Alan Cumming (The Good Wife)
Damian Lewis (Wolf Hall)
Ben Mendelsohn (Bloodline)
Tobias Menzies (Outlander)
Christian Slater (Mr. Robot)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA
Rachel Bloom (Crazy Ex-Girlfriend)
Gina Rodriguez (Jane the Virgin)
Julia Louis-Dreyfus (Veep)
Jamie Lee Curtis (Scream Queens)
Lily Tomlin (Grace and Frankie)

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA
Aziz Ansari (Master of None)
Gael García Bernal (Mozart in the Jungle)
Rob Lowe (The Grinder)
Patrick Stewart (Blunt Talk)
Jeffrey Tambor (Transparent)

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Kirsten Dunst (Fargo)
Lady Gaga (American Horror Story: Hotel)
Sarah Hay (Flesh and Bone)
Felicity Huffman (American Crime)
Queen Latifah (Bessie)

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Oscar Isaac (Show me a Hero)
Idris Elba (Luther)
David Oyelowo (Nightingale)
Mark Rylance (Wolf Hall)
Patrick Wilson (Fargo)

A 73ª cerimônia do Globo de Ouro acontece no dia 10 de janeiro, e Ricky Gervais retorna como o “host mais querido das celebridades”. E dois lembretes: o ator Denzel Washington será o homenageado com o prêmio Cecil B. DeMille (Sim, eu acho que ele ainda é muito jovem pra tal honraria, mas depois de ver George Clooney recebendo o mesmo prêmio esse ano, espero qualquer coisa), e a Miss Golden Globe de 2016 será a filha do ator Jamie Foxx: Corinne Foxx.

The Hollywood Foreign Press Association has selected Corinne Foxx as Miss Golden Globe 2016 for the 73rd Annual Golden Globe Awards set to air live on NBC on January 10, 2016. President Lorenzo Soria made the announcement on November 17, 2015 from Ysabel Restaurant in West Hollywood.

Corinne Foxx foi selecionada para ser a Miss Golden Globe 2016 (photo by ImageGroup/HFPA)

‘Boyhood’ fatura 3 prêmios e é o grande vencedor do Globo de Ouro 2015

Da esquerda para a direita: Patricia Arquette, Lorelei Linklater, Richard Linklater, Ellar Coltrane e Ethan Hawke com os três Globos de Ouro em mãos (photo by trbimg.com)

Da esquerda para a direita: Patricia Arquette, Lorelei Linklater, Richard Linklater, Ellar Coltrane e Ethan Hawke com os três Globos de Ouro em mãos (photo by trbimg.com)

‘BIRDMAN’ E ‘A TEORIA DE TUDO’ CONQUISTAM 2 PRÊMIOS CADA E FORTALECEM SUAS CAMPANHAS RUMO AO OSCAR

Em termos de resultado, a 72ª edição do Globo de Ouro pode ser dividida em duas partes: a previsível de cinema e a imprevisível de TV. Os atores mais cotados de cinema levaram seus prêmios: Eddie Redmayne, Julianne Moore, Michael Keaton, Amy Adams, J.K. Simmons e Patricia Arquette, além de Richard Linklater como diretor. Só achei que os prêmios de roteiro e filme-comédia seriam invertidos: O Grande Hotel Budapeste levaria roteiro e Birdman levaria filme, mas de qualquer modo, foi um merecidíssimo prêmio para Wes Anderson. Provavelmente, a maior surpresa na parte de cinema tenha sido a vitória da sequência Como Treinar o Seu Dragão 2, já que Uma Aventura Lego vinha conquistando quase todos os prêmios da temporada de Melhor Animação, e em menor escala, a vitória do compositor Johann Johannsson pela trilha de A Teoria de Tudo, uma vez que Antonio Sanchez tinha as melhores chances por Birdman, mesmo tendo sido desqualificado da categoria no Oscar.

Pela TV, já pelo fato dos membros da Hollywood Foreign Press Association terem dado uma repaginada nos indicados, acabou proporcionando maiores oportunidades de surpresa. Séries que todo ano estavam indicadas foram deixadas de lado como The Big Bang TheoryModern Family, permitindo a inclusão de novas como a vencedora Transparent, e Jane the Virgin e Sillicon Valley. Aliás, a série Transparent, da Amazon, fez história ao se tornar a primeira série online a ganhar o Globo de Ouro de Melhor Série. As séries da Netflix como House of Cards e Orange is the New Black falharam nesse quesito, mas pelo menos Kevin Spacey conquistou seu almejado prêmio de ator pela primeira. As maiores surpresas foram as vitórias de The Affair como Melhor Série – Drama, sua atriz Ruth Wilson, e a atriz coadjuvante Joanne Froggatt por Downton Abbey. A minissérie Fargo também surpreendeu ao bater favoritos como True Detective e o filme para tv The Normal Heart, mas a verdade é que Fargo sempre recebeu ótimos elogios, mas ninguém premiava. Coube ao Globo de Ouro recompensá-los numa noite em que os criadores do filme original estavam presentes: Joel Coen, Ethan Coen, Frances McDormand e William H. Macy.

FESTA BEM AMENA COM LAMPEJOS DE OUSADIA

Não sei o que houve com as hostesses Tina Fey e Amy Poehler. Quer dizer, elas fizeram suas piadas na apresentação como aquelas envolvendo a saga da Sony com a Coréia do Norte e o filme A Entrevista, e até polêmicas das acusações de estupro de Bill Cosby, mas ao longo da festa, não vimos novas inserções delas. Teriam sido proibidas? Aí, a organização colocou umas piadas tão sem graça para os apresentadores dos prêmios lerem ao vivo que o show foi decaindo muito rapidamente. Quando vi Ricky Gervais subindo ao palco pra apresentar, pensei: “Pronto, finalmente alguém pra levantar o ânimo!”, mas não sei se mandaram Ricky maneirar no tom, mas ele realmente pegou leve… Uma pena! Ele zombou do “momento John Travolta”, quando o ator introduziu a cantora Idina Menzel com “Adele Nazeem” no Oscar do ano passado: “Eu assisto (à gafe) toda hora no Youtube!”. Então, sobrou para o ator Jeremy Renner soltar a pérola masculina da noite. Quando apresentava o prêmio ao lado da mega decotada Jennifer Lopez, ao abrir o envelope ela falou: “Eu abro porque tenho as unhas” – “E os globos de ouro também”, completou o auspicioso Renner.

Tina Fey e Amy Poehler com Margaret Cho caracterizada como uma serva norte-coreana (photo by foxnews.com)

Tina Fey e Amy Poehler com Margaret Cho caracterizada como uma serva norte-coreana (photo by foxnews.com)

Seguem algumas pérolas da dupla Fey e Poehler:

Tina Fey: Tonight we celebrate all the television shows that we know and love, as well as all the movies that North Korea was OK with. (Hoje, celebramos todos os shows da tv que conhecemos e amamos, assim como todos os filmes que a Coréia do Norte permitiu).

Amy Poehler: Patricia Arquette in “Boyhood” proves that “there are still great roles for women over 40- as long as you get hired when you’re under 40” (Patricia Arquette em Boyhood prova que ainda há grandes papéis para mulheres acima dos 40 – contanto que você seja contratada antes dos 40) – referindo-se ao fato de que as filmagens de Boyhood começaram há 12 anos.

Amy Poehler: In “Into the Woods,” Cinderella runs from her prince, Rapunzel is thrown from a tower for her prince and Sleeping Beauty just thought she was getting coffee with Bill Cosby” (Em “Caminhos da Floresta”, Cinderela de seu príncipe, Rapunzel é jogada de sua torre para seu príncipe e A Bela Adormecida pensou que ia tomar um café com Bill Cosby). Elas até chegam a fazer algumas imitações de Cosby pra amenizar o ambiente, mas o dano já estava feito.

Mas a melhor da noite foi: George Clooney married Amal Amaluddin this year. “Amal is a human rights lawyer who worked on the Enron case, was an adviser to Kofi Anan regarding Syria and was selected for a three person UN commission regarding war violations in the Gaza Strip. So tonight her husband is getting a lifetime achievement award,”. (George Clooney se casou com Amal Amaluddin este ano. “Amal é uma advogada de direitos humanos que trabalhou no caso Enron, foi conselheira de Kofi Anan sobre a Síria e foi eleita para uma comissão de três pessoas das Nações Unidas para os casos de violações de guerra na Faixa de Gaza. Então, esta noite seu marido vai ganhar um prêmio pela carreira!”

George Clooney com sua esposa Amal Amal (photo by John Shearer/ Invision/AP)

George Clooney com sua esposa Amal Amaluddin (photo by John Shearer/ Invision/AP)

Houve até um bom momento de descontração na brincadeira do “Would you rather” (Você prefere):
– Colin Farrell ou Colin Firth? Edward Norton ou Mark Ruffalo? Chris Pine ou Chris Pine! – Tina interrompe. Richard Linklater ou Alejandro Iñárritu? Amy escolhe Iñárritu: “Um take, duas horas direto sem parar”, enquanto Tina prefere Linklater: “Cinco minutos uma vez por ano”

Houve uma ou outra manifestação mais polêmica como o discurso de Common na vitória de Melhor Canção por Selma, filme sobre a conquista dos direitos civis nos anos 60. Em seu discurso, ele cita momentos importantes na História como a senhora negra que se recusou a mudar de lugar no ônibus até casos recentes como os dois negros mortos por policiais brancos na tentativa de engrandecer uma película somente por questões raciais e não por méritos artísticos. Assim como também houve uma outra citação do atentado terrorista na França contra o semanário Charlie Hebdo. Ao apresentar o prêmio de atriz coadjuvante, o ator Jared Leto aproveitou o momento e fez uma citação em homenagem, e George Clooney ostentava um bóton no smoking com os mesmos dizeres com os dizeres “Je suis Charlie”. O presidente da HFPA, Theo Kingma, fez questão de defender a liberdade de expressão, seja na Coréia do Norte ou em Paris, e foi aplaudido de pé por todos.

EFEITOS DO GLOBO DE OURO

Assim como muitos especialistas já levantaram, o resultado do Globo de Ouro já não serve mais como melhor parâmetro para o que vai acontecer no Oscar. Dos últimos 10 anos, apenas 4  vencedores de Melhor Filme no Globo de Ouro repetiram o feito no prêmio da Academia. Atores que ganharam o Globo de Ouro podem nem ser indicado ao Oscar como Paul Giamatti por Minha Versão do Amor em 2011, e Colin Farrell (Na Mira do Chefe) e Sally Hawkins (Simplesmente Feliz) em 2009. E até em categorias mais técnicas não há garantias de presença no Oscar: o compositor Alex Ebert venceu o Globo de Ouro em 2014 por Até o Fim e sequer foi indicado pela Academia. Claro que os vencedores terão suas respectivas campanhas nitidamente fortalecidas para os prêmios seguintes como o Critics’ Choice Awards, SAGs e o BAFTA, mas até o dia 15 de janeiro, dia do anúncio das indicações ao Oscar, ninguém está realmente garantido, abrindo espaço para surpresas, sejam positivas ou negativas.

Falando em negativas, o jornal americano The New York Post teria publicado uma reportagem em que lista casos que envolvem corrupção na compra de prêmios e indicações. Dentre os casos citados estão as três indicações do fracasso total O Turista, estrelado por Angelina Jolie e Johnny Depp (ambos indicados nas categorias de comédia ou musical) – tanto que o host da noite Ricky Gervais citou que a HFPA teria os indicado apenas para tê-los no tapete vermelho; e a indicação para Melhor Filme – Comédia ou Musical e vitória de Melhor Canção para Burlesque, um musical bastante criticado e sequer visto pelo público. Confira matéria de Lou Lumenick: http://nypost.com/2015/01/09/are-the-golden-globes-becoming-as-credible-as-the-oscars/

Amy Adams, Michael Keaton e Julianne Moore podem ter garantido suas indicações ao Oscar. Podem. (photo by absnews.com)

Amy Adams, Michael Keaton e Julianne Moore podem ter garantido suas indicações ao Oscar. Podem. (photo by absnews.com)

Rumo ao Oscar, o vencedor de Melhor Filme – Drama, Boyhood: Da Infância à Juventude, caminha firme e forte, já que levou também os prêmios de Diretor e Atriz Coadjuvante, além de ter sido indicado a Roteiro, afinal, são categorias-base para todo vencedor de Melhor Filme no Oscar, sem contar toda a história fascinante dos bastidores de 12 anos de filmagens. Quanto aos atores, Julianne Moore parece uma aposta cada vez mais certa para o Oscar. Aclamada por público e crítica como uma das melhores atrizes desta geração, e depois de ser indicada quatro vezes ao Oscar sem vitória, este deve ser o ano dela. Acredito que o único obstáculo em seu caminho pode ser ela mesma. Se a Academia indicá-la como coadjuvante também por Mapa Para as Estrelas, os votos podem se dividir e ela pode ser novamente perdedora em dose dupla como foi em 2003, quando estava indicada por Longe do Paraíso como atriz, e por As Horas como coadjuvante.

J.K. Simmons e Patricia Arquette estão cada vez mais fortes como coadjuvantes, contudo não dá pra descartar ainda Mark Ruffalo e Edward Norton, caso o filme de Simmons, Whiplash: Em Busca da Perfeição, não se saia bem nas indicações. Já Arquette, por mais que possa ter Meryl Streep competindo, deve ser a porta-voz ou representante de todo o elenco de Boyhood. Gostei da vitória de Amy Adams por Grandes Olhos, o que pode lhe garantir uma nova indicação ao Oscar consecutiva, mas as chances reais de vitória seriam praticamente nulas. Por mais talentosa que Adams seja, acredito que lhe falta um personagem que sirva como um real desafio que exija mudanças físicas para então ganhar seu Oscar. Vejam os casos de Charlize Theron e Matthew McConaughey: nunca tinham sido indicados e ganharam na primeira chance por terem passado por processos de transformação física. Não sei se Amy tem contrato vitalício com marcas de cosméticos que a impeçam de ficar feia ou algo do tipo, mas ela deveria pensar nessa hipótese. A categoria de Ator é a mais aberta até o momento. Por mais que Michael Keaton e Eddie Redmayne tenham ganhado o Globo de Ouro, não há nem garantias de que eles estarão na lista do Oscar, tamanha a concorrência. Temos Jake Gyllenhaal, Benedict Cumberbatch, Ralph Fiennes, David Oyelowo, Steve Carell, Joaquin Phoenix e Bill Murray pelo menos na cola.

Patricia Arquette e J.K. Simmons ganham como coadjuvantes (photo by intoday.in)

Patricia Arquette e J.K. Simmons ganham como coadjuvantes (photo by intoday.in)

Entre todos os filmes que receberam mais indicações, O Jogo da Imitação foi o maior perdedor. Presente em 5 categorias e como a maior aposta da Weinstein Company, o filme falhou em conquistar qualquer Globo de Ouro, nem um de consolação. Será que eles conseguem virar o jogo até o dia 22 de fevereiro?

A ELEITA

Não vou comentar os vestidos das moças. Prefiro falar das donas dos vestidos. E a melhor pela quinquagésima vez é Jessica Chastain. Essa mulher é um raio de sol. Só não esqueci que ela foi indicada para atriz coadjuvante por O Ano Mais Violento, porque foi uma pena que ela não subiu ao palco pra se apresentar.

Jessica Chastain no tapete vermelho (photo by usmagazine.com)

Jessica Chastain no tapete vermelho (photo by usmagazine.com)

Seguem os vencedores do Globo de Ouro:

CINEMA

MELHOR FILME – DRAMA
Boyhood: Da Infância à Juventude (Boyhood)

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL
O Grande Hotel Budapeste (The Grand Budapest Hotel)

MELHOR ATOR – DRAMA
Eddie Redmayne (A Teoria de Tudo)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Julianne Moore (Para Sempre Alice)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
Amy Adams (Grandes Olhos)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
Michael Keaton (Birdman)

MELHOR DIRETOR
Richard Linklater (Boyhood: Da Infância à Juventude)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Patricia Arquette (Boyhood: Da Infância à Juventude)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
J.K. Simmons (Whiplash: Em Busca da Perfeição)

MELHOR ROTEIRO
Alejandro González Iñárritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris, Armando Bo (Birdman)

MELHOR ANIMAÇÃO
Como Treinar Seu Dragão 2 (How to Train Your Dragon 2)

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
Leviatã (Leviafan), de Andrey Zvyagintsev – RÚSSIA

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Glory” por John Legend, Common (Selma)

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL
Johann Johannsson (A Teoria de Tudo)

TELEVISÃO

Equipe por trás da série vencedora The Affair (photo by ibtimes.com)

Equipe por trás da série vencedora The Affair (photo by ibtimes.com)

MELHOR SÉRIE DRAMÁTICA
The Affair

MELHOR ATOR EM SÉRIE DRAMÁTICA
Kevin Spacey (House of Cards)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DRAMÁTICA
Ruth Wilson (The Affair)

MELHOR MINISSÉRIE OU TELEFILME
Fargo

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA
Transparent

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Joanne Froggatt (Downton Abbey)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Matt Bomer (The Normal Heart)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA
Gina Rodriguez (Jane the Virgin)

A bela Gina Rodriguez ganhou por Jane the Virgin (photo by nationalpost.com)

A bela Gina Rodriguez ganhou por Jane the Virgin. Definitivamente, a segunda colocada da lista das eleitas. (photo by nationalpost.com)

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA
Jeffrey Tambor (Transparent)

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Maggie Gyllenhaal (The Honorable Woman)

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Billy Bob Thornton (Fargo)

As indicações ao Oscar 2015 serão anunciadas ao vivo neste dia 15 de janeiro e a cerimônia ocorre no dia 22 de fevereiro.

“Trapaça” é o grande vencedor do Globo de Ouro 2014. “12 Anos de Escravidão” fica com prêmio de consolação

American Hustle

71ª EDIÇÃO DO GLOBO DE OURO BUSCA EQUILÍBRIO, MAS NÃO RESISTE À TRAPAÇA

MODA OU DESEJO MASCULINO?

Antes de começar a falar da premiação em si, gostaria de destacar alguns vestidos no tapete vermelho. Não sou entendedor de moda, mas se eu fosse fazer uma festa, com certeza convidaria estas moças…

Amy Adams continua deslumbrante aos 39 aninhos

Hórs-concours: Amy Adams em Valentino continua deslumbrante aos 39 aninhos

Amber Heard em Versace

Aqui o conteúdo do vestido fala mais alto: Amber Heard em Versace

Jessica Chastain: musa do tapete vermelho

Jessica Chastain num belo Givenchy: musa do tapete vermelho

Cate Blanchett em Armani Prive

Indicada por Blue Jasmine, Cate Blanchett em Armani Prive

E apesar dos deslizes, também convidaria:

Emma Watson tem um futuro brilhante, mas acho que precisa melhorar essa moda

Emma Watson tem um futuro brilhante, mas até lá, acho que precisa mudar de estilo

Adoro Jennifer Lawrence, mas esse Dior tá meio estranho. Na internet, alguns compararam ao...

Adoro Jennifer Lawrence, mas esse Dior tá meio estranho. Na internet, alguns compararam ao…

... modelito da Pequena Sereia

… modelito da Pequena Sereia.

TINA FEY E AMY POEHLER MANTÊM PIADAS AFIADAS

Agora, quanto à cerimônia, foi bom ter a dupla Tina Fey e Amy Poehler de volta. Mas acho que elas pegaram mais leve desta vez. Não houve pérolas do tipo “Em se tratando de tortura, confio na mulher que foi casada com James Cameron”, MAS ADOREI a piada do Mister Golden Globe: Randy, o filho bastardo de Tina Fey, interpretado por Poehler. Com visual à la Justin Bieber, bocudo e sem nenhuma vergonha, ele passa entre os convidados pra procurar o pai. Aponta para Idris Elba e pergunta: “É ele?” E em seguida para o produtor Harvey Weinstein: “É ele?”.

Mister Golden Globe "Randy" (Amy Poehler) ao lado de Sosie Bacon, filha de Kevin Bacon e Kyra Segdwick, a Miss Golden Globe (photo by Paul Drinkwater/NBC)

Mister Golden Globe “Randy” (Amy Poehler) ao lado de Sosie Bacon, filha de Kevin Bacon e Kyra Segdwick, a Miss Golden Globe (photo by Paul Drinkwater/NBC)

Claro que não são nenhum mestre do humor ácido corrosivo de Ricky Gervais, mas também não são flores que se cheirem. No início da festa, Fey explica que Gravidade era “a história de como George Clooney prefere flutuar no espaço e morrer do que passar um minuto a mais com uma mulher com a sua idade”. Quem viu o filme, entende a piada. George não estava na cerimônia. Se fosse Ricky, ele soltaria essa bomba na presença dele (por isso que não voltou mais como host).

Ao comentarem o nível das celebridades no local, elas listavam quem eram os tops. Então, quando mencionaram Matt Damon no contexto, sobrou pra ele: “Matt, em qualquer outra noite, em qualquer outro lugar, você seria grande coisa, mas – não interprete isso de forma errada – esta noite, você é basicamente o lixeiro (garbage person)”. Quando Damon subiu ao palco para apresentar um clipe de Capitão Phillips, ele começou com: “Sou eu Matt Damon, o lixeiro”. Haha

O humor que servia como elogio também tinha seu conteúdo impróprio. Ao introduzirem Leonardo DiCaprio, Tina Fey e Amy Poehler proferiram: “E agora, como uma vagina de uma super modelo, vamos todos dar calorosas (warm) boas-vindas a Leonardo DiCaprio.”

Tina Fey e Amy Poehler apresentam o Globo de Ouro pela segunda vez (photo by Paul Drinkwater/NBC)

Tina Fey e Amy Poehler apresentam o Globo de Ouro pela segunda vez (photo by Paul Drinkwater/NBC)

E em tom irônico, criticam a atriz Julia Louis-Dreyfus, duplamente indicada por À Procura do Amor e pela série de TV Veep, por ter se sentado na ala das celebridades de cinema. “Interessantemente, Julia resolveu se sentar na seção do pessoal de cinema”. Quando Louis-Dreyfus havia perdido na sua categoria de filme, eis que Tina Fey volta a citá-la: “Ora, ora, ora… Veja quem voltou à ala das celebridades de TV”.

12 ANOS DE ESCRAVIDÃO QUASE PASSA A NOITE DESAPERCEBIDO

Equipe e elenco de 12 Anos de Escravidão. Ao centro, o diretor Steve McQueen segura o Globo de Ouro.

Equipe e elenco de 12 Anos de Escravidão. Ao centro, o diretor Steve McQueen segura o Globo de Ouro.

Foi estranho. 12 Anos de Escravidão estava perdendo em todas as categorias ao longo da noite. “Não vai rolar nenhum prêmio de consolação?”, pensei. Rolou. Justo o de Melhor Filme! Desde que acompanho o Globo de Ouro, nunca havia visto uma produção ganhar tal prêmio e nada mais. Mas justiça seja feita, afinal recebeu sete indicações. Infelizmente, o filme só estreará aqui no dia 28 de fevereiro, então estou pensando como a Layane e partir no meu barco Pérola Negra… hehe

O grande vencedor da noite foi Trapaça, de David O. Russell, com 3 Globos de Ouro: Melhor Filme – Comédia ou Musical, Atriz (Amy Adams) e Atriz Coadjuvante (Jennifer Lawrence). Ao contrário de anos anteriores em que sempre havia uma produção boba ou rala competindo, os candidatos a Comédia ou Musical eram de qualidade, então Trapaça já pode se sentir garantido no Oscar, cujas indicações saem no próximo dia 16. Aliás, a grande vencedora da noite foi a jovem produtora Megan Ellison, que venceu 4 Globos de Ouro (3 por Trapaça e 1 por Ela).

Equipe e elenco de Trapaça recebe o Globo de Ouro de Melhor Filme - Comédia ou Musical. A produtora Megan Ellison segura a estatueta (photo by Paul Drinkwater/NBC)

Equipe e elenco de Trapaça recebe o Globo de Ouro de Melhor Filme – Comédia ou Musical. A produtora Megan Ellison segura a estatueta (photo by Paul Drinkwater/NBC)

Falando em Ela, foi uma bela vitória para o diretor e roteirista Spike Jonze por Melhor Roteiro. É realmente uma pena que ele não foi indicado para o DGA (Directors Guild), mas ele tem grandes chances de ser indicado ao Oscar de roteiro e até ganhar. Ela foi um dos filmes mais comentados e premiados nessa temporada e espero que se repita no anúncio dos indicados ao Oscar.

Na categoria de direção, o mexicano Alfonso Cuarón recebe a honraria e recorda uma situação engraçada com Sandra Bullock. “Obrigado por não desistir quando te disse ‘Sandra, vou te dar herpes’. Quando na verdade eu quis dizer ‘Sandra, vou te dar um earpiece’ (ponto eletrônico pra ouvido). É uma história verdadeira”.

Preterido ano passado por sua performance em Magic Mike, Matthew McConaughey deu a volta por seu trabalho em Clube de Compras Dallas, no qual perdeu mais de 17 quilos para interpretar o aidético Ron Woodroof. Até poucos anos atrás, sempre considerei McConaughey uma eterna promessa desde 1996 quando estrelou Tempo de Matar, pois parou nas comédias românticas ralas como Armações do Amor, Um Amor de Tesouro e Como Perder um Homem em Dez Dias. Felizmente, ele evoluiu bastante desde 2011, ao atuar em Killer Joe – Matador de Aluguel, de William Friedkin. Vale lembrar que ele está no novo filme de Christopher Nolan, a ficção científica Interstellar, que deve estrear em novembro.

Matthew McConaughey vence por Clube de Compras Dallas

Matthew McConaughey vence como Melhor Ator – Drama por Clube de Compras Dallas

Aparentmente existe na internet uma espécie de corrente alegando que Hollywood é racista porque preferiu premiar um ator branco (McConaughey) a um negro (Chiwetel Ejiofor ou Idris Elba). Para aqueles que acreditam nessa teoria, a única coisa que digo é: às vezes a internet tem suas desvantagens. Tem gente que nem merecia teclar num computador.

Atuando ao lado de McConaughey, o jovem Jared Leto também foi pra dieta para viver o transexual Rayon. Sua transformação foi bastante elogiada pela crítica e, apesar de não ter sido indicado ao BAFTA (por motivos de regulamento), sua presença no Oscar é vista como garantida. Como mencionado em seu discurso de agradecimento, sua premiação é uma ótima recepção de boas-vindas após um afastamento de 6 anos do cinema (embora a diferença entre o lançamento deste filme do último foi de 4 anos).

O Globo de Ouro para Leonardo DiCaprio pode ser interpretado como uma espécie de prêmio de consolo para a derrota de O Lobo de Wall Street como Melhor Filme – Comédia ou Musical. Eu disse “pode”. Ou pode ser por puro mérito, afinal DiCaprio é um ator em ascensão desde 2002, quando iniciou uma forte parceria com o diretor Martin Scorsese. Obviamente sua vitória alavancará sua campanha rumo à sua 4ª indicação ao Oscar, mas não acredito em seu 1º Oscar pelo alto nível de competição na categoria Melhor Ator que poderá enfrentar.

Leonardo DiCaprio vence seu segundo Globo de Ouro (photo by Paul Drinkwater/NBC)

Leonardo DiCaprio vence seu segundo Globo de Ouro (photo by Paul Drinkwater/NBC)

Quanto às atrizes, Cate Blanchett mereceu vencer por sua performance em Blue Jasmine. Foi a maior homenagem que Woody Allen, diretor do filme, poderia ter recebido na noite. Apesar do encantador discurso de Diane Keaton, a ausência de Woody para receber o Cecil B. DeMille Award pelo conjunto da obra reduziu a grandeza do momento. Certamente, Woody daria o melhor discurso de todos. Várias atrizes com quem trabalhou estavam lá na esperança de que ele pudesse pegar o avião e vir pra Los Angeles: Dianne Wiest, Mariel Hemingway, Naomi Watts e as indicadas Julia Roberts e Meryl Streep. Como fã de Allen, confesso que fiquei decepcionado, pois o Cecil B. DeMille não é um mero prêmio, mas uma homenagem previamente aprovada pelo homenageado.

Mas enfim… Woody Allen é Woody Allen. Diane Keaton proferiu algumas frases dele, sendo uma delas a seguinte: “Uma das melhores coisas sobre escrever ou qualquer Arte é que se a coisa é real, ela vive. Todo o sucesso em cima ou a rejeição, nada disso realmente importa porque no fim, a coisa vai sobreviver ou não sobre seus próprios méritos. Imortalidade via Arte não é grande coisa. François Truffaut morreu. Seus filmes vivem, mas isso não ajuda muito François Truffaut. Como disse muitas vezes, em vez de viver nos corações e mentes de meu colega, prefiro viver no meu apartamento.”

Diane Keaton recebe o Cecil B. DeMille award por Woody Allen

Diane Keaton recebe o Cecil B. DeMille award por Woody Allen

E Amy Adams e Jennifer Lawrence venceram por Trapaça como Atriz – Comédia ou Musical e Coadjuvante, respectivamente. Confesso que, apesar de desejar a vitória de Lawrence, não esperava que ela ganharia o segundo Globo de Ouro de forma consecutiva (ano passado, ganhou por O Lado Bom da Vida, sob a direção do mesmo David O. Russell). E se ela vencer o SAG no próximo fim de semana, o segundo Oscar estará praticamente em suas mãos. Já Amy Adams, recebeu seu maior prêmio até agora, consolidando a forte possibilidade de ser finalmente indicada como Melhor Atriz após 4 indicações como coadjuvante. Sua vitória seria muito improvável levando em consideração suas competidoras, mas um passo de cada vez, certo?

Jennifer Lawrence com seu segundo Globo de Ouro

Jennifer Lawrence com seu segundo Globo de Ouro

Amy Adams ganha seu primeiro Globo de Ouro por Trapaça

Amy Adams ganha seu primeiro Globo de Ouro por Trapaça

SURPRESAS DA NOITE

A vitória da trilha musical de All is Lost, de Alex Ebert, não deixa de ser uma surpresa. Em sua primeira indicação, já leva o Globo de Ouro, batendo fortes concorrentes como John Williams e Hans Zimmer. Com visual meio hippie e abrindo o discurso com uma confissão de ter participado de uma festa num barco com o rapper Puff Daddy numa espécie de tour à base de erva, Ebert pode ter dado um passo importante ao Oscar.

A canção “Let it go” de Frozen: Uma Aventura Congelante era considerada favorita, mas “Ordinary Love” de Mandela: Long Walk to Freedom roubou o troféu, não apenas pelo prestígio da banda U2, mas a recente morte do líder sul-africano Nelson Mandela pesaram na decisão.

Contudo, acho que a maior surpresa foi a vitória do italiano A Grande Beleza, batendo o franco-favorito Azul é a Cor Mais Quente, que tem vencido quase todos os prêmios de Melhor Filme Estrangeiro desde que ganhou a Palma de Ouro. Com o candidato francês fora da corrida ao Oscar, o filme italiano de Paolo Sorrentino cresce nessa reta final e pode surpreender ainda mais se o dinamarquês A Caça assustar os votantes da Academia com seu tema de pedofilia.

Gostei bastante da vitória inesperada de Amy Poehler, a hostess da noite. Sempre a considerei uma boa comediante sem mesmo acompanhar sua série Parks and Recreation, mas já havia admirado seu timing cômico no filme Uma Mãe Para o Meu Bebê. Achava que ela não teria chances por ser uma das anfitriãs da noite e porque acreditava que Julia Louis-Dreyfus venceria por Veep. Quando seu nome é anunciado com as demais indicadas, ela aparece sentada no colo de Bono, recebendo uma massagem nos ombros. Ao ouvir seu nome como vencedora, ela não resiste e beija apaixonadamente o vocalista do U2. “Eu nunca ganho nada!”, desculpa-se Poehler pelo embaraço no discurso.

Confira todos os vencedores dessa 71ª edição do Globo de Ouro:

MELHOR FILME – DRAMA
12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL
Trapaça (American Hustle)

MELHOR DIRETOR
Alfonso Cuarón (Gravidade)

MELHOR ATOR – DRAMA
Matthew McConaughey (Clube de Compras Dallas)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Cate Blanchett (Blue Jasmine)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
Leonardo DiCaprio (O Lobo de Wall Street)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
Amy Adams (Trapaça)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Jared Leto (Clube de Compras Dallas)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Jennifer Lawrence (Trapaça)

MELHOR ROTEIRO
Spike Jonze (Ela)

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL
Alex Ebert (All is Lost)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Ordinary Love”, de U2 (Mandela: Long Walk to Freedom)

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
A Grande Beleza, de Paolo Sorrentino (Itália)

MELHOR ANIMAÇÃO
Frozen: Uma Aventura Congelante, de Chris Buck e Jennifer Lee

MELHOR SÉRIE DE TV – DRAMA
Breaking Bad

MELHOR ATOR – SÉRIE DE TV – DRAMA
Bryan Cranston (Breaking Bad)

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DE TV – DRAMA
Robin Wright (House of Cards)

MELHOR SÉRIE DE TV – COMÉDIA OU MUSICAL
Brooklyn Nine-Nine

MELHOR ATOR – SÉRIE DE TV – COMÉDIA OU MUSICAL
Andy Samberg (Brooklyn Nine-Nine)

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DE TV – COMÉDIA OU MUSICAL
Amy Poehler (Parks and Recreation)

MELHOR MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Minha Vida com Liberace (Behind the Candelabra)

MELHOR ATOR – MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Michael Douglas (Minha Vida com Liberace)

MELHOR ATRIZ – MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Elisabeth Moss (Top of the Lake)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Jon Voight (Ray Donovan)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Jacqueline Bisset (Dancing on the Edge)

Num dos melhores momentos da noite, a grande atriz Emma Thompson subiu descalça ao palco já um pouco mais animada pelo álcool para apresentar um prêmio carregando seus sapatos de salto alto na mão direita e seu martini na esquerda. “Só quero que saibam que este vermelho (dos sapatos) é meu sangue”. Depois do anúncio dos indicados para Melhor Roteiro, ela perguntou: “Onde está o envelope?”. Quando a Miss Golden Globe o trouxe, Thompson, que estava com as mãos ocupadas, jogou para longe os sapatos para pegar o envelope, optando claramente pela bebida à finèse dos saltos. Uma grande figura!

Emma Thompson mantendo a classe

Emma Thompson mantendo a classe

Tina Fey e Amy Poehler serão hostesses do Globo de Ouro 2014 e 2015!

Tina Fey e Amy Poehler na cerimônia do Globo de Ouro desse ano (photo by www.nydailynews.com)

Tina Fey e Amy Poehler na cerimônia do Globo de Ouro desse ano (photo by http://www.nydailynews.com)

As atrizes e comediantes Tina Fey (30 Rock) e Amy Poehler (Parks and Recreation) voltarão a apresentar a cerimônia do Globo de Ouro em 2014 e 2015. Ambas assinaram contrato com a NBC e a Dick Clark Productions.

“Tina e Amy são duas das mais talentosas comediantes e roteiristas no show business e elas foram a maior razão pela qual o Globo de Ouro foi a mais divertida premiação do ano passado”, disse Paul Telegdy, responsável pela programação noturna da NBC.  “Estamos eufóricos que elas quiseram apresentaram de novo e que se comprometeram para os próximos dois anos.”

O retorno da dupla era mais do que aguardado, afinal, os números comprovaram aumento considerável de 28% na audiência do show. Tina e Amy, que já têm experiência de trabalhar no Saturday Night Live e no filme Uma Mãe Para o Meu Bebê (2008), conseguiram ótimo entrosamento nas piadas na cerimônia desse ano.

Houve um momento que elas até brincaram com o anfitrião anterior, o comediante britânico Ricky Gervais:

Tina Fey: “Ricky Gervais não pôde estar aqui hoje porque ele não está mais tecnicamente no show business”.
Amy Poehler: “Nós queremos assegurar a vocês que não temos nenhuma intenção de ser irritáveis ou ofensivas hoje à noite porque, como Ricky aprendeu do jeito mais difícil: Quando você  briga com a Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood, eles deixam você ser host por apenas mais duas vezes”.

Mas a melhor piada da noite foi:

Amy Poehler: “Não tenho acompanhado a controvérsia sobre A Hora Mais Escura, mas quando se trata de tortura, eu confio na mulher que foi casada por 3 anos com James Cameron.”

Sem bebida não rola: Tina e Amy estavam concorrendo na categoria de atriz de comédia/musical, mas perderam para Lena Dunham (Girls) (photo by www.nydailynews.com)

Sem bebida não rola: Tina e Amy estavam concorrendo na categoria de atriz de comédia/musical, mas perderam para Lena Dunham (Girls) (photo by http://www.nydailynews.com)

A dupla soube entreter sem alfinetar demais os egos das celebridades. Particularmente prefiro o humor corrosivo de Gervais, mas as comediantes se mostram uma ótima alternativa que agrada a gregos e troianos.

A 71ª cerimônia do Globo de Ouro acontece no dia 12 de janeiro no Hotel Beverly Hilton.

Vencedores do Globo de Ouro 2013

Claro que, antes de escrever e analisar os vencedores, seria uma oportunidade propícia admirar as belas moças que desfilam pelo tapete vermelho. Sim, os hormônios masculinos ainda correm pela veia! Muita gente acha essa parte das premiações uma chatice sem fim e desnecessária. Eu discordo. Hollywood sempre foi um lugar de glamour, onde as estrelas podem caprichar no look (ou extrapolar um pouco em casos como de Jennifer Lopez) e estabelecer novos parâmetros para a indústria da moda. Como 99% dos homens se vestem como pinguins, vamos às moças!

AS MUSAS DO GLOBO DE OURO

Zooey Deschanel, que concorre pela série New Girl, veste Oscar de la Renta. Se ela vestisse um trapo, continuaria linda.

Zooey Deschanel, que concorre pela série New Girl, veste Oscar de la Renta. Se ela vestisse um trapo, continuaria linda. (photo by JustJared.com)

Jennifer Lawrence em seu belo Christian Dior coral. Não está deslumbrante como naquele vermelho do Oscar 2011, mas continua impressionando (photo by JustJared.com)

Jennifer Lawrence em seu belo Christian Dior coral. Não está deslumbrante como naquele vermelho do Oscar 2011, mas continua impressionando (photo by JustJared.com)

Jessica Alba consegue se destacar com esse laranja (photo by popsugar.com)

Jessica Alba consegue se destacar com esse tom de laranja de Oscar de la Renta (photo by popsugar.com)

A bela modelo da Victoria's Secret, Miranda Kerr. Ela passou desapercebida pelo tapete vermelho, mas na festa pós-Globo de Ouro, exibiu seu belo vestido com decotes e fendas provocantes. Mais um motivo para eu odiar o Orlando Bloom... (photo by lazygirls.com)

A bela modelo da Victoria’s Secret, Miranda Kerr, fica com meu 1º lugar. Ela passou desapercebida pelo tapete vermelho, mas na festa pós-Globo de Ouro, exibiu seu belo vestido com decotes e fendas provocantes. Orlando Bloom já estava na minha lista negra… (photo by lazygirls.com)

Ok. Desejo masculino saciado.

A 70ª cerimônia do Globo de Ouro ficou bem mais light com as anfitriãs Tina Fey e Amy Poehler. Claro que deram algumas cutucadas na ferida como a comparação da solidão e abandono da personagem de Anne Hathaway em Os Miseráveis com a própria sendo anfitriã ao lado de James Franco no Oscar 2011, ou quando Amy Poehler disse que a diretora Kathryn Bigelow entende de tortura para fazer A Hora Mais Escura, pois fora casada com James Cameron por três anos! (Sim, Cameron tem fama de ditador no set). Mas nada se comparado à acidez corrosiva de Ricky Gervais. Aliás, Ricky, sentimos sua falta!

Sobre os resultados, eu sabia que Argo sairia vitorioso no Globo de Ouro. Depois de tantas críticas positivas por parte da imprensa, o filme de Ben Affleck saiu com o prêmio principal e Melhor Diretor. Aliás, esse reconhecimento para Affleck foi merecido. Como diretor em ascensão, ele soube trabalhar as alterações de gêneros presente na trama baseada em fatos verídicos. Como profissional, ainda tem muita coisa a aprender, mas esse Globo de Ouro foi uma bela forma de incentivo a Affleck continuar crescendo atrás das câmeras (até mesmo porque como ator ele é limitado).

Mas e como fica Argo no Oscar depois dessa vitória? Poderia Argo se tornar um novo Conduzindo Miss Daisy? Explico: a última vez que o vencedor do Oscar de Melhor Filme ganhou sem ter seu diretor sequer indicado na categoria foi em 1990, quando Conduzindo Miss Daisy levou 4 Oscars. Este ano, na tentativa de surpreender, a Academia deixou de indicar Affleck e Kathryn Bigelow, enfraquecendo bastante as chances de Argo e A Hora Mais Escura, dois dos filmes mais elogiados pela crítica americana.

Os produtores de Argo, Ben Affleck (a esq., também diretor), Grant Heslov (centro) e George Clooney. (photo by latimes.com)

Os produtores de Argo, Ben Affleck (a esq., também diretor), Grant Heslov (centro) e George Clooney. (photo by latimes.com)

Ainda sobre o Globo de Ouro, fui bastante otimista, achando que Argo levaria ainda roteiro, mas Quentin Tarantino foi agraciado nessa categoria. Essa fama de roteirista excepcional já vem desde o primeiro filme de Tarantino, Cães de Aluguel (1992). Seu western Django Livre teve uma estréia tardia nos EUA, mas com tempo hábil suficiente para agradar a Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood. O filme também conquistou Melhor Ator Coadjuvante para o poliglota Christoph Waltz, que já havia vencido o mesmo prêmio pelo filme anterior de Tarantino, Bastardos Inglórios. Com Leonardo DiCaprio fora da corrida do Oscar, suas chances aumentam consideravelmente.

Um dos melhores roteriristas em atividade em Hollywood, Quentin Tarantino, bateu Chris Terrio (Argo) por seu western Django Livre (photo by eonline.com)

Um dos melhores roteriristas em atividade em Hollywood, Quentin Tarantino, bateu Chris Terrio (Argo) por seu western Django Livre (photo by eonline.com)

Curiosamente, o filme que levou mais Globos de Ouro foi o musical Os Miseráveis: Melhor Filme – Comédia ou Musical, Melhor Ator – Comédia ou Musical (Hugh Jackman) e Melhor Atriz Coadjuvante (Anne Hathaway). Botei um pouco de fé excessiva no concorrente O Lado Bom da Vida, que levou apenas Melhor Atriz – Comédia ou Musical para Jennifer Lawrence, que se torna franco-favorita com essa vitória e, única, se levar o SAG também.

Ninguém tirava o prêmio de Melhor Ator – Drama de Daniel Day-Lewis por Lincoln. E a forma como sua atuação foi elogiada a noite toda só confirma que ele criou outra performance majestosa. Agora fica a questão: Estaria a Academia disposta a premiar o primeiro ator a ganhar três Oscars de Melhor Ator? Nos últimos anos, Jack Nicholson (As Confissões de Schmidt) e Tom Hanks (Náufrago) tiveram essa oportunidade e pareciam caminhar bem para esse feito, mas morreram na praia.

O mais elogiado na cerimônia, Daniel Day-Lewis, leva para casa seu terceiro Globo de Ouro. Vem aí o terceiro Oscar? (photo by thetimes.co.uk)

O mais elogiado na cerimônia, Daniel Day-Lewis, leva para casa seu segundo Globo de Ouro. Vem aí o terceiro Oscar? (photo by thetimes.co.uk)

Enquanto Amor, de Michael Haneke, e “Skyfall” confirmaram seus favoritismos, talvez uma das maiores surpresas seja a vitória da animação Valente, já que não vinha ganhando nada na temporada de premiação. Uma explicação plausível seria a divisão de votos entre os favoritos Detona Ralph e Frankenweenie, abrindo espaço para o trabalho da Pixar.

E… Jodie Foster. O que posso dizer? Ela ainda consegue tirar o meu fôlego aos 50 anos. Belíssimo discurso sobre a vida em show business, família, amigos, colegas de trabalho e um pedido por mais privacidade. Como muitos sabem, a srta. Foster tem dois filhos cujo pai é desconhecido. Seria ela homossexual? Bissexual? Tem filhos de proveta? Isso pouco importa. Jodie é uma profissional mais do que competente e de caráter, algo cada vez mais raro hoje em dia.

A homenageada da noite, Jodie Foster, dedica seu prêmio aos amigos, colegas, seus filhos e um recado especial para a mãe. Que comece uma nova fase em sua carreira! (photo by au.movies.yahoo.com)

A homenageada da noite, Jodie Foster, dedica seu prêmio aos amigos, colegas, seus filhos e um recado especial para a mãe. Que comece uma nova fase em sua carreira! (photo by au.movies.yahoo.com)

MELHOR FILME – DRAMA

Argo (Argo)

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL

Os Miseráveis (Les Misérables), de Tom Hooper

MELHOR ATOR – DRAMA

Daniel Day-Lewis (Lincoln)

MELHOR ATRIZ – DRAMA

Jessica Chastain (A Hora Mais Escura)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL

Hugh Jackman (Os Miseráveis)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL

Jennifer Lawrence (O Lado Bom da Vida)

MELHOR ATOR COADJUVANTE

Christoph Waltz (Django Livre)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Anne Hathaway (Os Miseráveis)

MELHOR DIRETOR

Ben Affleck (Argo)

MELHOR ROTEIRO

Quentin Tarantino (Django Livre)

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL

Mychael Danna (As Aventuras de Pi)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL

“Skyfall”, de Adele, Paul Epworth (007 – Operação Skyfall)

MELHOR ANIMAÇÃO

Valente (Brave), de Mark Andrews e Brenda Chapman

MELHOR FILME ESTRANGEIRO

Amor, de Michael Haneke (Áustria)

PRÊMIOS DA TELEVISÃO

MELHOR SÉRIE DE TV – DRAMA

Homeland (Homeland)

MELHOR SÉRIE DE TV- COMÉDIA OU MUSICAL

Girls

MELHOR MINISSÉRIE OU FILME DE TV

Virada no Jogo (Game Change)

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE TV – DRAMA

Damian Lewis (Homeland)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE TV – DRAMA

Claire Danes (Homeland)

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE TV – COMÉDIA OU MUSICAL

Don Cheadle (House of Lies)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE TV – COMÉDIA OU MUSICAL

Lena Dunham (Girls)

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU FILME DE TV

Kevin Costner (Hatfields & McCoys)

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU FILME DE TV

Julianne Moore (Virada no Jogo)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME DE TV

Ed Harris (Virada no Jogo)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME DE TV

Maggie Smith (Downton Abbey)

Apostas para Globo de Ouro 2013

70ª edição do Globo de Ouro (photo by sheknows.com)

70ª edição do Globo de Ouro (photo by sheknows.com)

Antes de começar a palpitar, acreditava que o canal Sony transmitiria a cerimônia do Globo de Ouro, mas como não vi nenhuma propaganda no ar, e ontem li no jornal gratuito Metro que o canal TNT assumiria essa responsabilidade. Fique atento pouco antes do evento, que deve ter início por volta das 22h30 (horário de Brasília).

Depois de três anos como host, o comediante britânico Ricky Gervais (da série The Office original) teve que ceder seu trono nesta 70ª edição do prêmio. Os organizadores do evento devem ter concluído que três anos de tortura para as celebridades é o suficiente! Gervais não tinha papas na língua e era do tipo “perde o amigo, mas não perde a piada” e isso causou um incômodo nas estrelas de Hollywood, que já se esforçavam para sorrir toda a noite. Como fã de seu humor negro e ácido, espero que Gervais retorne ao seu posto.

Este ano, a dupla de comediantes Tina Fey (30 Rock) e Amy Poehler (Parks & Recreation) foram convocadas para animar a entrega de prêmios. Ambas já trabalharam juntas na boa comédia Uma Mãe Para o Meu Bebê (Baby Mama) em 2008, e têm uma química que funciona na tela. Acredito que se trata de uma escolha que deve agradar a todos, incluindo as celebridades.

Amy Poehler (a esq) e Tina Fey em foto promocional para o Globo de Ouro, que deve ter arrecadado uma graninha da All Star (photo by stylelist.com)

Amy Poehler (a esq) e Tina Fey em foto promocional para o Globo de Ouro, que deve ter arrecadado uma graninha da All Star (photo by stylelist.com)

Vale lembrar que o Globo de Ouro tem seu momento de homenagem chamado Prêmio Cecil B. DeMille, que reconhece a carreira de profissionais da área entre atores e diretores. Em 2012, Morgan Freeman foi o homenageado. Este ano, a outrora garota-prodígio de Hollywood, Jodie Foster, receberá as honrarias. Embora tenha apenas 50 aninhos de idade, a atriz começou muito cedo, participando de propagandas de TV, programas de TV e filmes. Entre suas melhores performances estão: Taxi Driver (1976), Acusados (1988), O Silêncio dos Inocentes (1991), Nell (1994) e Contato (1997).

Jodie Foster, como a agente Clarice Starling em O Silêncio dos Inocentes: minhas paixão quando eu tinha meus 10 aninhos.

Jodie Foster, como a agente Clarice Starling em O Silêncio dos Inocentes: minha paixão quando eu tinha meus 10 aninhos.

Apesar de ser o recordista de indicações com sete, a produção de época Lincoln não parece figurar entre os favoritos da imprensa. Deve ser compensado nas categorias de atuação, com Daniel Day-Lewis quase 100% garantido no palco.

Acredito que, por terem sido bem cotados na imprensa e crítica, Argo e A Hora Mais Escura têm mais chances de vencerem como Melhor Filme – Drama, entretanto, como a Academia enfraqueceu ambos ao não indicar seus respectivos diretores, pode ser que Lincoln ganhe fôlego nessa reta final. Por outro lado, há muito o Globo de Ouro deixou de ser a melhor prévia do Oscar, então os vencedores devem divergir muito.

Aproveitando-se do bom momento vivido pelas indicações ao Oscar, a comédia O Lado Bom da Vida deve levar Melhor Filme – Comédia ou Musical, fortalecido pelas prováveis vitórias de seus atores principais Bradley Cooper e Jennifer Lawrence. Se isso se confirmar, o diretor David O. Russell deve perder para Chris Terrio (Argo) para Melhor Roteiro.

David O. Russell entre os atores Bradley Cooper e Jennifer Lawrence em O Lado Bom da Vida (photo by latimes.com)

David O. Russell entre os atores Bradley Cooper e Jennifer Lawrence em O Lado Bom da Vida (photo by latimes.com)

Na categoria de direção, que no Oscar se tornou uma grande caixa de bombons, o Globo de Ouro deve ficar entre Kathryn Bigelow e Ben Affleck. Como o Globo de Ouro preteriu Guerra ao Terror para premiar o bilionário Avatar em 2010 nas categorias de Filme e Diretor, existe a forte possibilidade da Associação de Imprensa Estrangeira compensar Kathryn Bigelow este ano por A Hora Mais Escura. Affleck e seu Argo ficariam com Melhor Filme – Drama.

Nas categorias de atuação, Jessica Chastain (A Hora Mais Escura) tem maiores chances com as ausências de Emmanuelle Riva e Quvenzhané Wallis (ambas indicadas ao Oscar). Além disso, outra favorita ao Oscar, Jennifer Lawrence, concorre na categoria de Atriz – Comédia ou Musical.

Jessica Chastain ganhou destaque em 2012 por Histórias Cruzadas, A Árvore da Vida e O Abrigo.  Agora concorre por A Hora Mais Escura (photo by OutNow.CH)

Jessica Chastain ganhou destaque em 2012 por Histórias Cruzadas, A Árvore da Vida e O Abrigo. Agora concorre por A Hora Mais Escura (photo by OutNow.CH)

Entre os coadjuvantes, hesitei em colocar Anne Hathaway no lugar de Sally Field, pois a última é muito querida pela crítica e foi indicada para o Globo de Ouro de Melhor Atriz de Série de TV – Drama em 2008 e 2009 por Brothers & Sisters. Apostei no burburinho de Hathaway emocionando platéias quando canta em Os Miseráveis e, de certa forma, como prêmio de consolação numa eventual derrota do musical como Melhor Filme – Comédia ou Musical.

Na competição masculina, Philip Seymour Hoffman e Christoph Waltz formam a dupla de franco-favoritos. Como Hoffman compensaria a ausência de O Mestre nas principais categorias e Waltz ganhou recentemente por Bastardos Inglórios, apostei no primeiro.

Gostaria de ver o cineasta Tim Burton premiado com Melhor Animação por Frankenweenie, mas nas últimas semanas, vi que Detona Ralph vem conquistando o público e a crítica, ameaçando o favoritismo de Burton. Contudo, ele deve ter melhores chances no Oscar por ser querido por muitos atores com quem trabalhou.

Detona Ralph vem crescendo nas premiações (photo by OutNow.CH)

Detona Ralph vem crescendo nas premiações (photo by OutNow.CH)

Depois de se sagrar com a Palma de Ouro no Festival de Cannes, em incontáveis prêmios da crítica internacional e com cinco indicações ao Oscar, o filme de Michael Haneke, Amor, praticamente garantiu Melhor Filme Estrangeiro. Mesmo que o filme anterior de Haneke, A Fita Branca, já tenha levado o prêmio em 2010, Amor está imbatível nessa categoria.

Enfim, procurei equilibrar o histórico de premiações e justiça, mas nem sempre tais características reinam nessas cerimônias, especialmente a do Oscar. Então, sem mais delongas, meus palpites para o Globo de Ouro 2013:

MELHOR FILME – DRAMA

Argo (Argo), de Ben Affleck

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL

O Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook), de David O. Russell

MELHOR ATOR – DRAMA

Daniel Day-Lewis (Lincoln)

MELHOR ATRIZ – DRAMA

Jessica Chastain (A Hora Mais Escura)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL

Bradley Cooper (O Lado Bom da Vida)

MELHOR ATRIZ  – COMÉDIA OU MUSICAL

Jennifer Lawrence (O Lado Bom da Vida)

MELHOR ATOR COADJUVANTE

Philip Seymour Hoffman (O Mestre)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Anne Hathaway (Os Miseráveis)

MELHOR DIRETOR

Kathryn Bigelow (A Hora Mais Escura)

MELHOR ROTEIRO

Chris Terrio (Argo)

MELHOR TRILHA MUSICAL

Alexandre Desplat (Argo)

MELHOR CANÇÃO

“Skyfall”, de Adele e Paul Epworth (007 – Operação Skyfall)

MELHOR ANIMAÇÃO

Detona Ralph (Wreck-it Ralph), de Rich Moore

MELHOR FILME ESTRANGEIRO

Amor (Amour), de Michael Haneke

Tina Fey e Amy Poehler vão apresentar o Globo de Ouro 2013

Globo de Ouro 2013: novidades no hosting

Depois de dois anos consecutivos aguentando as saias justas e piadas ácidas de Ricky Gervais, as celebridades venceram. Vão substituir Gervais com a dupla Tina Fey e Amy Poehler, amigas e colegas de profissão do programa televisivo Saturday Night Live e que já trabalharam juntas nas comédias Meninas Malvadas (2004) e Uma Mãe Para o meu Bebê (2008).

Tina Fey e Amy Poehler vão apresentar o Globo de Ouro 2013

A presidente da Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood, Aida Takla-O’Reilly, justificou a escolha: “Os telespectadores vão querer ver a Tina e a Amy em ação. Estamos muito entusiasmados por tê-las na gala do 70.º aniversário”. Ambas têm trabalho fixo na TV. Enquanto Tina Fey continua na série de sucesso 30 Rock, co-estrelando com Alec Baldwin, Amy Poehler atua em Parks & Recreation.

A rede de TV NBC, que comanda a cerimônia, acredita que o fato da dupla ter uma química natural para a comédia vai ajudar a promover o show. Obviamente, a equipe está concentrada em atrair mais público para a premiação com o prestígio das duas comediantes e acredito que acertaram na escolha para uma tentativa de humor mais light e dinâmico por contar com duas hosts. Mas convenhamos que as celebridades estavam cansadas de ser motivo de chacota de Ricky Gervais, que criticava os filmes, performances dos atores e histórico negativo dos astros. Ele falava tudo na lata, rindo de forma acintosa e portando sempre um copo de bebida na mão. Isso era Ricky Gervais e isso incomodava muita gente. Ele sabia que poderia perder o posto facilmente no ano seguinte, mas felizmente fazia do seu trabalho um carpe diem.

Ricky Gervais falando mal das celebridades e com o copo de cerveja

Como espectador do Globo de Ouro, realmente torço para que Tina Fey e Amy Poehler façam um bom trabalho e deixem a festa mais animada não somente para as celebridades. Contudo, já sinto falta de Ricky e seu humor do tipo ácido corrosivo, afinal, ele apenas falava a verdade que muitos empurravam para debaixo do tapete.

A 70ª cerimônia de premiação da Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood acontece no dia 13 de janeiro de 2013, e deverá ser transmitida no canal Sony.

Um pouco de pimenta no tempero do Oscar 2012

O Ditador feliz com seus dois ingressos para o Oscar

Se a festa do Oscar não conta com um anfitrião bêbado e de língua solta como Ricky Gervais, talvez o ator e comediante Sacha Baron Cohen (dos filmes Borat e Bruno) possa dar um jeito nisso.

Há poucos dias da cerimônia, os produtores do evento barraram Cohen na festa, pois ele declarou que sua intenção era comparecer ao tapete vermelho trajado como seu personagem O Ditador a fim de promover seu filme com a mídia “gratuita” do Oscar. Tudo acabou sendo um mal entendido. Brian Grazer, produtor deste ano do Oscar e até então, vilão da história, foi bastante sucinto e formal, rebatendo as manchetes da seguinte maneira: “We absolutely respect him as an artist and he’s allowed to come. He’s part of the show… as himself.” (Nós o respeitamos de forma absoluta como um artista e ele está permitido a vir. Ele é parte do show…. como ele mesmo).

Independente do desfecho dessa história (se a Academia vai barrá-lo como apresentador no palco ou não), Sacha Baron Cohen já conseguiu o que queria. Publicidade! Bem naquela do “falem mal, mas falem de mim”. Grazer até tem seus motivos concretos para tentar evitar uma catástrofe, pois na festa do MTV Movie Awards de 2009, a fim de promover seu filme Bruno, o comediante armou uma surpresa: vestiu-se de anjo e foi parar no colo do rapper Eminem, formando um 69 um tanto inusitado.

Sacha Baron Cohen: um anjo caindo do céu...

...direto para o colo do Capeta Eminem

É claro que nenhum produtor vai concordar com o que vou dizer, mas esse tipo de improviso faz com que os milhares de telespectadores esqueçam a caretice e previsibilidade da premiação. E não sou eu apenas que digo. Você pode ver que em muitas edições da Oscar, eles apresentam clipes com os “melhores momentos” e sempre rola esses momentos inusitados como o famoso streaker que subiu ao palco.

Streaker cortando o barato de David Niven: ou seria o inverso?

Para a infelicidade do sujeito nu, o apresentador era David Niven e ele está sempre preparado: “Well, ladies and gentlemen, that was almost bound to happen… But isn’t it fascinating to think that probably the only laugh that man will ever get in his life is by stripping off and showing his shortcomings?” (Bem, senhoras e senhores, aquilo estava quase certo de que aconteceria… Mas não é fascinante pensar que provavelmente a única risada que aquele homem vai conseguir na vida é se despindo e mostrando seus defeitos?). Isso é Oscar também!

Com 3 indicações ao Oscar, vale a pena adiantar a estréia, certo?

Bom, também gostaria de aproveitar o post para fazer alguns esclarecimentos. Num dos posts anteriores, publiquei as previsões de datas de estréia dos filmes que concorrem ao Oscar, mas as distribuidoras me passaram a perna e me desmentiram! Malditos caça-níqueis! Então, algumas das minhas mentiras desmascaradas foram:

Albert Nobbs e Tão Forte e Tão Perto tiveram suas estréias antecipadas para o dia 24 de fevereiro para que nós, cinéfilos e consumidores, pudéssemos ter a honra de conferir os 9 filmes indicados a Melhor Filmes antes do Oscar. (Joinha pra vocês!).

E Drive que tinha tudo pra estrear foi adiado porque recebeu uma mísera indicação a Melhores Efeitos Sonoros. (Sim, what the fuck!? Mas lero-lero pra vocês, porque eu assisti ANTES. HA!)

Bom, é isso. Vou ver se corro para ver os filmes que faltam antes do Oscar porque as distribuidoras mandam nesse país. Beijos.

(Se der tempo, mando as minhas previsões ao Oscar)

Vencedores do 69th Golden Globes

Ricky Gervais amordaçado

Eu sei, eu sei. I SUCK! Das 14 indicações para Cinema, acertei apenas 9! Que vergonha! Mesmo assim, devemos nos manter humildes. Em se tratando de premiações, que podem ser bem imprevisíveis às vezes, digo que em alguns casos seria melhor saber menos porque você acaba acertando mais nas apostas. Sim, eu já perdi no bolão pra gente que nem sabia quem era Roman Polanski…

No geral, os resultados foram bastante democráticos, tanto que o filme que mais ganhou, O Artista, levou apenas 3 Globos de Ouro, comprovando que não há grandes favoritos na corrida para o Oscar. Em 2º lugar, Os Descendentes levou Melhor Filme – Drama e Ator – Drama para George Clooney. Na briga por diretor, Martin Scorsese, que já havia vencido 2 vezes por Os InfiltradosGangues de Nova York, surpreendeu ao bater Michel Hazanavicius e Alexander Payne (talvez pelos votos terem se dividido entre ambos, Scorsese tenha vencido).

Enfim, a coisa que mais aguardei ansioso foi o host Ricky Gervais. Mas onde ele estava? Parecia que haviam colocado uma mordaça em sua boca (como no pôster da premiação)! Ele não estava tão diabólico como no ano passado, disparando os podres das celebridades e jogando m**** no ventilador. Ficou nítido que o senso de humor de Gervais não era mais o mesmo… parecia que tinha voltado de uma lobotomia! Ele pegou mais leve dessa vez e fica essa questão se ele realmente foi ou não pressionado pela Associação de Imprensa Estrangeira a tirar o pé do acelerador, provavelmente a pedido das celebridades, que suavam frio toda vez que ele abria a boca.

Curiosamente, ele comenta e até faz piada sobre o assunto quando retira de seu bolso uma lista das ofensas que ele estaria proibido de falar. “Sem profanidade, tudo bem, eu tenho um amplo vocabulário”, ele diz. “E não mencione nada de Mel Gibson, e especialmente o Beaver (castor) da Jodie Foster” – fazendo alusão ao filme dirigido por Foster intitulado The Beaver, e traduzido aqui como Um Novo Despertar. As piadas sobre Mel Gibson eram as melhores, pois como anti-semita assumido, Ricky adorava cutucar.

Apesar do humor ácido ter reduzido drasticamente, Gervais conseguiu algumas pérolas como essa: “O Globo de Ouro está para o Oscar como Kim Kardashian está para Kate Middleton, mas um pouco mais escandalosa, um pouco mais trash e mais facilmente subornável”. Ou no começo da cerimônia, quando ele introduz Johnny Depp e pergunta ao ator: “Johnny, você viu O Turista?”, deixando Depp numa saia curta. Achei que ele estava apenas esquentando, mas ficou meio morno a cerimônia toda, tendo picos leves como quando introduziu a Madonna:

“Nossa próxima apresentadora é a Rainha do Pop – senta aí, Elton (John), não você. Ela é quase como uma virgem (fazendo referência ao sucesso da música dela Like a Virgin): Madonna!” 

Madonna, que não é flor que se cheire retrucou ao alcançar o microfone: “Se eu ainda sou como uma virgem, Ricky, por que você não vem aqui e  faz algo a respeito? Eu não beijo uma garota há anos… na TV!” – Em seguida, ao fundo, Ricky Gervais corre de um lado para o outro do palco, arrancando risadas da platéia.

A parte mais chata de assistir a essas premiações são as propagandas da TNT. Como a maioria dos blocos só cabia 2 prêmios, então havia muitos intervalos e já no segundo, você já cansa de ver as chamadas dos filmes Entre Irmãos, Operação Babá, Sex and the City – O Filme,  o trailer do Millennium – Os Homens que Não Amavam as Mulheres. E sem contar que tava quase comprando o carro novo da Fiat, o Bravo.

Quanto aos resultados, o Estado de S. Paulo deu o título de Divisão Amigável, pois os prêmios foram tão bem-divididos que dá a impressão de que foi tudo planejado, e não votado.

Christopher Plummer (Toda Forma de Amor)

ATOR COADJUVANTE: Christopher Plummer (Toda Forma de Amor)

A briga estava entre Plummer e Albert Brooks, uma vez que ambos ganharam boa parte dos prêmios da crítica, mas o veterano saiu vitorioso. Fiquei com a pulga atrás da orelha se foi um prêmio pela carreira ou pela performance e loquei o filme. Como eu disse um post anterior, o papel dele nesse filme tem todo o jeito de prêmio. Acompanhe: idoso, recém-viúvo, assume homossexualidade aos 75 anos e em seguida, descobre ter câncer. Chamam um ator de renome e pronto! Aí está a receita do Oscar. Não obstante, Plummer consegue humanizar bastante seu personagem e tenta fugir a todo custo do rótulo do gay idoso. Ele consegue cativar seu filho (Ewan McGregor) e o público sem grande esforço. Se está melhor que Albert Brooks? Quando estrear o Drive por aqui, eu confirmo em seguida, mas até lá, Plummer tem o direito de ficar com seu Globo de Ouro.

TRILHA MUSICAL: Ludovic Bource (The Artist)

Como descrevi no post anterior, quando se trata de um filme mudo, a trilha musical ganha importância desproporcional. A música passa a ocupar um espaço de um personagem. E acredito que as chances de Ludovic no Oscar só aumentaram com esse Globo de Ouro.

CANÇÃO: Masterpiece, de Madonna (W.E. – O Romance do Século)

Talvez tenha sido a maior surpresa da noite. Não que Madonna não seja um nome de peso numa categoria de canção, mas como seu filme não foi tão bem divulgado e provavelmente já deve ter sido criticado, um prêmio estaria fora de cogitação, ainda mais com concorrentes de renome como Elton John e Mary J. Blige. Aliás, esta última era considerada a favorita pela tocante canção de Histórias Cruzadas. No Oscar, como os últimos vencedores não foram favoritos, a corrida está bem aberta.

Michelle Williams (Sete Dias com Marylin)

ATRIZ – COMÉDIA/MUSICAL: Michelle Willams (Sete Dias com Marylin)

Desde que vi a primeira foto de Michelle Williams como a diva Marylin Monroe, eu sabia que ela estaria nessa temporada de prêmios. Além de ela ter ficado bem parecida (sim, isso inclui artefatos no bumbum), Michelle está em plena ascensão na carreira e deixou de ser a ex-esposa de Heath Ledger. Nesse Sete Dias com Marylin, não deve ter sido uma tarefa fácil copiar o jeito meigo da loira de O Pecado Mora ao Lado.

ANIMAÇÃO: As Aventuras de Tintim, de Steven Spielberg

Por mais que não tenha visto o filme ainda, confesso que na hora fiquei um pouco indignado que Rango perdeu. Quero dizer, parece que a Associação de Imprensa Estrangeira queria apenas agradar o Sr. Spielberg e não deixá-lo sair de mãos abanando. Sei que As Aventuras de Tintim deve ser praticamente perfeito tecnicamente, mas fiquei decepcionado que Rango não foi reconhecido porque merecia. Enfim, só me resta torcer para que esse prêmio tenha sido justo.

ROTEIRO: Woody Allen (Meia-Noite em Paris)

Sim, Woody Allen ainda sabe escrever muito bem. O que ele ainda não sabe é receber prêmios! Ele não compareceu à festa e perdeu a oportunidade de agradecer o reconhecimento. Meia-Noite em Paris merecia pelo menos um prêmio e acho que roteiro seria o mais justo de fato. O trabalho novo de Allen é maduro, mas sem esquecer suas raízes lúdicas e humorísticas. Todos na sala sabiam disso, tanto que aplaudiram fervorosamente.

FILME ESTRANGEIRO: A Separação, de Asghar Farhadi (Irã)

O filme iraniano conseguiu um grande feito de bater Almodóvar e Angelina Jolie que, por mais que não tenha prestígio como diretora, é muito querida pela imprensa. Pelos comentários de alguns críticos, o filme consegue sintetizar a História do próprio Irã

Octavia Spencer (Histórias Cruzadas)

numa trama sobre relacionamentos e família. Talvez por isso também concorra a Melhor Roteiro Original no Oscar.

ATRIZ COADJUVANTE: Octavia Spencer (Histórias Cruzadas)

Octavia Spencer bate a colega Chastain. Seu papel em Histórias Cruzadas já vinha sendo comentado antes mesmo da temporada de premiação. Na hora de seu discurso, ela me lembrou a Hattie McDaniel, por ser negra e também por interpretar uma doméstica em …E o Vento Levou.

DIRETOR: Martin Scorsese (A Invenção de Hugo Cabret)

Uma surpresa, mas uma grata surpresa. Martin é um grande diretor e grande amante do Cinema. Ele restaura e cuida de filmes antigos, preservando a História do Cinema. Além disso, é muito querido de atores, cineastas e equipes. Seu novo filme parece carregar toda essa paixão que Scorsese tem pelo Cinema, escalando ninguém menos que Georges Méliès, o inventor de efeitos especiais no Cinema. Michel Hazanavicius era forte candidato ao prêmio, mas como seu filme The Artist levou Melhor Filme – Comédia ou Musical, ficou tudo certo. Outra fato que é importante comentar aqui é que a vitória de Scorsese e Spielberg (animação), reconhece a qualidade do trabalho desses veteranos do Cinema em sua primeira experiência no formato 3D.

ATOR – COMÉDIA/MUSICAL: Jean Dujardin (The Artist)

Jean Dujardin (The Artist)


Os trejeitos e expressões de Jean Dujardin me lembram Gene Kelly em Cantando na Chuva. Aliás, The Artist lembra bastante a história de Cantando na Chuva ao falar sobre cinema mudo. Com essa vitória, Dujardin está garantido na categoria do Oscar.

ATRIZ – DRAMA: Meryl Streep (A Dama de Ferro)

Meryl Streep ou Viola Davis? O Globo de Ouro escolheu a veterana atriz que, este ano, apostou num papel inconvencional e difícil, pois Margaret Thatcher foi uma figura política bastante controversa na base do “ame ou odeie”. Pelo que li, A Dama de Ferro foca mais nos últimos anos da vida dela, quando ela luta contra a demência, tentando dessa forma cativar mais o público ao transformá-la numa mulher comum e frágil. A atuação de Streep tem sido bastante elogiada por ela conseguir reproduzir o sorriso, a entonação e as posturas de Thatcher. Vem aí seu 3º Oscar?

FILME – COMÉDIA/MUSICAL: The Artist, de Michel Hazanavicius

Prêmio merecido. Quem faria um filme preto-e-branco, mudo, sobre Hollywoodland nos anos 20 com elenco desconhecido e francês? Uma vitória pela ousadia acima de tudo. Quando o filme estrear, veremos sua consistência.

George Clooney (Os Descendentes)

ATOR – DRAMA: George Clooney (Os Descendentes)

Quem não gosta do George? Ele é carismático, charmoso, bem-humorado e defende causas nobres. Ok, eu sei, o prêmio não reconhece características pessoais. Eu vi alguns trailers de Os Descendentes e estou bastante ansioso pra ver. Muitos estão dizendo que se trata do melhor trabalho de Clooney como ator. Deve ser mesmo, porque Alexander Payne é um diretor que sabe explorar seu elenco até o máximo. Jack Nicholson (As Confissões de Schmidt), Reese Witherspoon (Eleição) e Paul Giamatti (Sideways) que o digam. Admito que Clooney nunca teve um grande desafio como ator, mas se ele aceitou fazer esse filme com Payne e foi elogiado significa que ele reconhece suas limitações e está procurando melhorar. Ah, se todos os atores medíocres fizessem o mesmo…

FILME – DRAMA: Os Descendentes, de Alexander Payne

Se não ganhou Melhor Diretor e Melhor Roteiro, tem que ganhar Melhor Filme! Mas numa temporada sem grandes favoritos, Os Descendentes não tem nada garantido no Oscar. Será indicado? Sem sombra de dúvida. Ganhará um Oscar? Certeza 99%. Ganhará Melhor Filme? Putz, me pergunte daqui a um mês.

Dos demais resultados referentes a TV, desconheço muitas das séries indicadas e premiadas, mas fiquei feliz com a premiação da Laura Dern (que estava com a mãe Diane Ladd na platéia!), Kate Winslet pelo Mildred Pierce (parece bom, considerando também o diretor Todd Haynes) e Jessica Lange, como coadjuvante na nova série American Horror Story. Em seu discurso, ela agradece os roteiristas por criaram bom material para atores buscarem inspiração todo dia.