‘A Chegada’, ‘Moonlight’ e ‘La La Land’ concorrem ao Eddie Awards

Amy Adams  em cena de A Chegada (pic by moviepilot.de)

Amy Adams em cena de A Chegada (pic by moviepilot.de)

FAVORITOS DA TEMPORADA ESTÃO ENTRE OS INDICADOS AO EDDIE

Primeiramente, Feliz Ano Novo para todos! É o primeiro post de 2017 e sinceramente, espero que este ano seja infinitamente melhor do que 2016. Quanto ao Oscar, desejo que os resultados sejam justos, e não apenas influenciados pela queixa de “falta de diversidade”, afinal Arte não enxerga cor, raça e religião.

Tradicionalmente, o primeiro post costuma focar no indicados ao Eddie Awards, o prêmio do sindicato dos montadores. Muita gente me pergunta o que o prêmio valoriza numa montagem e como escolhem a melhor. Bom, montagem é a edição de um filme, desde a forma como a história é contada (linear, não-linear, flashbacks, flashforwards etc.) até a precisão de um corte de um plano para outro para gerar catarse ou timing cômico.Muitos dos vencedores do Oscar de montagem costumam ser filmes de ação, porque conseguem gerar um clima de tensão em maior evidência do que num drama. Basta checar as montagens de alguns vencedores como Rocky – Um Lutador, Bullitt, O Ultimato Bourne e Mad Max: Estrada da Fúria para ver que a ação é valorizada e estendida pela montagem. Essa característica da montagem no cinema já ficava em evidência desde o filme soviético O Encouraçado Potemkin (1925), de Sergei M. Eisenstein. Em uma cena, na qual um carrinho de bebê percorre toda uma escadaria, a montagem inclui inúmeras ações simultâneas, prolongando o desespero da mãe do bebê. Para quem não conhece, vale a pena assistir, porque a produção carrega pura essência do Cinema como Arte.

Cena da escadaria da obra máxima de Sergei M. Eisenstein, O Encouraçado Potemkin (pic by slantmagazine.com)

Cena da escadaria da obra máxima de Sergei M. Eisenstein, O Encouraçado Potemkin (pic by slantmagazine.com)

A fim de abranger mais trabalhos diversificados, o Eddie Awards apresenta categorias de Drama, Comédia, Documentário e Animação. Nesta 67ª edição do prêmio, os destaques ficam para os favoritos da temporada: o musical La La Land, e os dramas Moonlight e Manchester à Beira-Mar.

Embora a concorrência esteja boa na categoria de Drama, acredito que a dupla Nat Sanders e Joi McMillon de Moonlight conseguem bater os demais: Até o Último Homem, A Qualquer Custo, Manchester à Beira-Mar e até mesmo a complexa de A Chegada. Acho que a montagem da ficção científica estrelada por Amy Adams tem mais o mérito da não-linearidade imposta pela história dos alienígenas do que por méritos próprios.

moonlight-mit-mahershala-ali-und-alex-r-hibbert

Alex R. Hibbert e Mahershala Ali em cena de Moonlight (pic by moviepilot.de)

Já na ala de comédia, tudo indica que La La Land leva o prêmio. Seu montador, Tom Cross, que venceu o Oscar por Whiplash: Em Busca da Perfeição, por ter uma sintonia muito forte com o diretor Damien Chazelle, consegue imprimir um ritmo fantástico que casa muito bem com a música, além de um lado técnico muito forte que vemos na precisão de seus cortes. E vale destacar a montagem de Deadpool. Por se tratar de um filme de origem de personagem, o trabalho de Julian Clarke na montagem deixa tudo mais leve e menos cansativo.

Emma Stone e Ryan Reynolds num momento musical em La La Land (pic by moviepilot.de)

Emma Stone e Ryan Reynolds num momento musical em La La Land (pic by moviepilot.de)

Existem também as categorias de televisão. Como não acompanho nenhuma dessas séries indicadas, vou parafrasear a Glória Pires: “Não posso opinar”. Hahah Mas foi a série Better Call Saul, da Netflix, que dominou esta edição com três indicações na categoria de Séries de episódios de uma hora.

Confira todos os indicados do Eddie Awards 2017:

CINEMA

MELHOR MONTAGEM – DRAMA
– Joe Walker (A Chegada)
– John Gilbert (Até o Último Homem)
– Jake Roberts (A Qualquer Custo)
– Jennifer Lame (Manchester à Beira-Mar)
– Nat Sanders, Joi McMillon (Moonlight)

MELHOR MONTAGEM – COMÉDIA OU MUSICAL
– Julian Clarke (Deadpool)
– Roderick Jaynes (Ave, César!)
– Mark Livolsi (Mogli: O Menino Lobo)
– Tom Cross (La La Land: Cantando Estações)
– Yorgos Mavropsaridis (O Lagosta)

MELHOR MONTAGEM – ANIMAÇÃO
– Christopher Murrie (Kubo e as Cordas Mágicas)
– Jeff Draheim (Moana: Um Mar de Aventuras)
– Jeremy Milton, Fabienne Rawley (Zootopia)

MELHOR MONTAGEM – DOCUMENTÁRIO
– Spencer Averick (A 13ª Emenda)
– Matthew Hamachek (Amanda Knox)
– Paul Crowder (The Beatles: Eight Days a Week – The Touring Years)
– Bret Granato, Maya Mumma, Ben Sozanski (O.J.: Made in America)
– Eli B. Despres (Weiner)

TELEVISÃO

MELHOR MONTAGEM DE DOCUMENTÁRIO – TV
– Steve Audette (The Choice 2016)
– Bob Eisenhart (Everything is Copy)
– Oliver Lief (We Will Rise: Michelle Obama’s Mission to Educate Girls Around the World)

MELHOR MONTAGEM DE SÉRIES DE EPISÓDIOS DE MEIA-HORA
– Brian Merken (Silicon Valley — Ep: “The Uptick”)
– Steven Rasch (Veep — Ep: “Morning After”)
– Shawn Paper (Veep — Ep: “Mother”)

MELHOR MONTAGEM DE SÉRIES DE EPISÓDIOS DE UMA HORA – COM COMERCIAL
– Skip Macdonald (Better Call Saul — Ep: “Fifi”)
– Skip Macdonald, Curtis Thurber (Better Call Saul — Ep: “Klick”)
– Kelley Dixon, Chris McCaleb (Better Call Saul — Ep: “Nailed”)
– Philip Harrison (Mr. Robot — Ep: “eps2.4m4ster-s1ave.aes”)
– David L. Bertman (This Is Us — Ep: “Pilot”)

MELHOR MONTAGEM DE SÉRIES DE EPISÓDIOS DE UMA HORA – SEM COMERCIAL
– Yan Miles (The Crown — Ep: “Assassins”)
– Tim Porter (Game of Thrones — Ep: “Battle of the Bastards”)
– Dean Zimmerman (Stranger Things — Ep: “Chapter One: The Vanishing of Will Byers”)
– Kevin D. Ross (Stranger Things — Ep: “Chapter Seven: The Bathtub”)
– Stephen Semel, Marc Jozefowicz (Westworld — Ep: “The Original”)

MELHOR MONTAGEM DE MINISSÉRIES OU FILMES PARA TV
– Carol Littleton (All the Way)
– Jay Cassidy (The Night Of — Ep: “The Beach”)
– Adam Penn, Stewart Schill, C. Chin-yoon Chung (The People v O.J. Simpson: American Crime Story — Ep: “Marcia, Marcia, Marcia”)

MELHOR MONTAGEM – SÉRIES NÃO-ROTEIRIZADAS
– Hunter Gross (Anthony Bourdain: Parts Unknown — Ep: “Manila”)
– Mustafa Bhagat (Anthony Bourdain: Parts Unknown — Ep: “Senegal”)
– Josh Earl, Alexander Rubinow (Deadliest Catch — Ep: “First at Sea: Part 2”)

***

Os vencedores do 67º Eddie Awards serão conhecidos no dia 27 de janeiro.

Anúncios

‘La La Land’ domina a premiação do Critics’ Choice Awards com 8 prêmios

No centro, os atores Emma Stone e Ryan Gosling posam ao lado do diretor Damien Chazelle. O musical La La Land levou oito prêmios.

No centro, os atores Emma Stone e Ryan Gosling posam ao lado do diretor Damien Chazelle. O musical La La Land levou oito prêmios.

MUSICAL SE SOBRESSAI NA TEMPORADA E ASSUME FAVORITISMO

Pelo visto, o plano do Critics’ Choice Awards de antecipar sua cerimônia de premiação em quase um mês deu certo pois, ao contrário da última edição, as celebridades compareceram ao evento, e acima de tudo, a “Bolha Assassina” (Critics’ Choice) conseguiu ser a primeira grande premiação do calendário cinematográfico. O problema foi que no dia seguinte, já saíram as indicações do Globo de Ouro, e dois dias depois saem as indicações ao SAG Awards, e aí pergunto aos blogueiros: Pra que dormir?

Bom, como já devem ter percebido, não gosto muito do Critics’ Choice Awards. O problema principal é sua falta de personalidade (copia todas as categorias de outros prêmios), além disso, está mais preocupado na porcentagem de acerto em relação ao Oscar do que com credibilidade, e puxa um saco danado das celebridades como o Globo de Ouro faz, mas sem ter a mesma história de décadas de afinidade com as estrelas.

Pra vocês terem uma idéia do absurdo do Critics’ Choice, existem 50 (cinquenta!) categorias de Cinema e TV. Este ano, roubaram até a categoria de Ator Convidado do Emmy for Christ sake! Daqui a pouco, eles vão incluir as categorias do MTV Movie Awards também, como Melhor Beijo, Melhor Vilão, Melhor Performance Sem Camisa… Ainda bem que as estatuetas são feitas de acrílico ou cristal, porque se fosse de ouro, iria faltar na reserva mundial! Tem tanto prêmio pra dar, que muitos dos resultados foram divulgados nos intervalos de forma bastante simples, no estilo diagrama de bolão da empresa, como se estivessem cumprindo um mero dever. Minha sugestão? Reduzam as categorias! Está nítido que eles preferem bajular os atores do que reconhecer técnicos, dos quais muitos nem foram convidados.

Sobre o anúncio dos vencedores no intervalo, quando o ator Casey Affleck subiu ao palco, quebrou as pernas dos produtores do evento: “É engraçado pular o prêmio do roteiro assim porque nenhum de nós estaríamos aqui se não fosse o roteiro. Provavelmente, eles teriam discursos interessantes para falar.” Depois dessa, colocaria o prêmio de roteiro em primeiro lugar na próxima edição!

Com um visual Joaquin Phoenix-vou-me-aposentar, Casey Affleck posa com seu Critics' Choice (pic by REUTERS/Danny Moloshok)

Com um visual Joaquin Phoenix-vou-me-aposentar, Casey Affleck posa com seu Critics’ Choice por Manchester à Beira-Mar (pic by REUTERS/Danny Moloshok)

Não ajuda também o fato de convocarem T.J. Miller pra ser host. Aonde viram graça nesse rapaz? Talvez na série Sillicon Valley ele seja um pouco mais engraçado, mas como host (e pela segunda vez consecutiva!) foi apenas sorrisos amarelos. As piadas dele pareciam forçadas demais, como se ele precisasse apelar pro tom de voz ou figurino. Enfim, se o prêmio não tem personalidade, o que dirá do host…

Host pela segunda vez, T.J. Miller se esforça pra animar a platéia (pic by getty images)

Host pela segunda vez, T.J. Miller se esforça pra animar a platéia (pic by getty images)

Gostaria também de citar aqueles prêmios especiais concedidos na cerimônia. Viola Davis recebeu um prêmio novo chamado #SeeHer com perfil feminista. Apesar do discurso bonito em que a atriz enalteceu a busca pela própria identidade, considero um prêmio desnecessário e bem politicamente correto. Hoje em dia, os discursos de agradecimento já são assim; não precisamos de mais prêmios que demandem mais discussões quadradas. O que dizer então do prêmio Entertainment Weekly’s Entertainer of the Year para Ryan Reynolds? Tudo bem que é um prêmio patrocinado pela revista homônima, mas precisa? Daqui a pouco vão entregar o prêmio da revista People para o Homem Mais Sexy do Ano! E vale lembrar que tanto Viola Davis, quanto Reynolds, ganharam os prêmios pelos quais concorriam: Melhor Atriz Coadjuvante e Melhor Ator em Comédia, respectivamente.

Viola Davis posa com seu Critics' Choice de Coadjuvante por Fences (pic by Global Grind)

Viola Davis posa com seu Critics’ Choice de Coadjuvante por Fences (pic by Global Grind)

Quanto aos resultados, o grande vencedor da noite foi La La Land, que levou oito prêmios: Filme, Diretor, Roteiro Original, Fotografia, Montagem, Direção de Arte, Trilha Musical e Canção. Já esperava essa chuva de prêmios técnicos, mas confesso que fiquei meio surpreso com a vitória de Damien Chazelle como Diretor, e de Fotografia. Achei que ambos os prêmios iriam para o drama Moonlight, que vinha dividindo as atenções com a crítica. Mas o filme de Barry Jenkins saiu com os prêmios importantes de Ator Coadjuvante para Mahershala Ali, e de Elenco, que podem se repetir no SAG Awards.

Já o drama independente Manchester à Beira-Mar conquistou o prêmio de Roteiro Original, Ator para Casey Affleck e de Jovem Ator para Lucas Hedges. Embora estejam em alta com a crítica, são dois atores meio desconhecidos do grande público, fato que pode prejudicá-los na corrida ao Oscar.

E outro grande vencedor da noite foi Jackie, de Pablo Larraín. Além de ganhar como Melhor Maquiagem e Figurino, teve sua protagonista reconhecida como Melhor Atriz: Natalie Portman. Achava que o prêmio estaria entre Emma Stone e Isabelle Huppert, mas pelo visto, a atriz está no páreo para ganhar seu segundo Oscar.

Grávida do segundo filho, Natalie Portman usa uma espécie de poncho estampado ao receber o Critics' Choice Awards (pic by gotceleb.com)

Grávida do segundo filho, Natalie Portman usa uma espécie de poncho estampado ao receber o Critics’ Choice Awards (pic by gotceleb.com)

Do lado das comédias, eu gosto de Deadpool, mas ganhar como Melhor Comédia do Ano? Será? Tudo bem que a competição também não ajudava muito, mas… Engraçado que antes de revelar o vencedor, o apresentador lembrou que os últimos quatro vencedores da categoria foram indicados a Melhor Filme no Oscar. Não vejo Deadpool indicado a Filme pela Academia… talvez Maquiagem.

Com esse adiantamento da cerimônia para dezembro, não houve tempo hábil para projeção de possíveis candidatos ao Oscar como a ficção científica de Morten Tyldum, Passageiros, o novo filme da franquia Rogue One: Uma História Star Wars, e o ambicioso projeto de Martin Scorsese, Silêncio. Todos ficaram de fora da premiação… e aí a pergunta que fica é: haverá tempo para se recuperarem até o Oscar?

Nas categorias de televisão e mídia, embora Game of Thrones tenha vencido como Melhor Série Dramática, foi a minissérie contundente The People v. O.J. Simpson que acabou levando a maioria dos prêmios. O polêmico caso envolvendo o ex-ator e ex-jogador de futebol americano O.J. Simpson também protagoniza o documentário O.J.: Made in America, de Ezra Edelman, que está entre os favoritos ao Oscar da categoria.

VENCEDORES DO 22º CRITICS’ CHOICE AWARDS:

CINEMA

MELHOR FILME
La La Land: Cantando Estações

MELHOR ATOR
Casey Affleck (Manchester à Beira-Mar)

MELHOR ATRIZ
Natalie Portman (Jackie)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Mahershala Ali (Moonlight)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Viola Davis (Fences)

MELHOR ATOR OU ATRIZ JOVEM
Lucas Hedges (Manchester à Beira-Mar)

MELHOR ELENCO
Moonlight

MELHOR DIRETOR
Damien Chazelle (La La Land)

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL – Empate
Damien Chazelle (La La Land)
Kenneth Lonergan (Manchester à Beira-Mar)

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Eric Heisserer (A Chegada)

MELHOR FOTOGRAFIA
Linus Sandgren (La La Land)

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE
David Wasco, Sandy Reynolds-Wasco (La La Land)

MELHOR MONTAGEM
Tom Cross (La La Land)

MELHOR FIGURINO
Madeline Fontaine (Jackie)

MELHOR CABELO E MAQUIAGEM
Jackie

MELHORES EFEITOS VISUAIS
Mogli: O Menino Lobo

MELHOR LONGA DE ANIMAÇÃO
Zootopia

MELHOR FILME DE AÇÃO
Até o Último Homem

MELHOR ATOR EM FILME DE AÇÃO
Andrew Garfield (Até o Último Homem)

MELHOR ATRIZ EM FILME DE AÇÃO
Margot Robbie (Esquadrão Suicida)

MELHOR COMÉDIA
Deadpool

MELHOR ATOR EM COMÉDIA
Ryan Reynolds (Deadpool)

MELHOR ATRIZ EM COMÉDIA
Meryl Streep (Florence: Quem é Essa Mulher?)

MELHOR FICÇÃO CIENTÍFICA OU TERROR
A Chegada

MELHOR FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA
Elle, de Paul Verhoeven

MELHOR CANÇÃO
“City of Stars” (La La Land)

MELHOR TRILHA MUSICAL
Justin Hurwitz (La La Land)

TV

MELHOR SÉRIE – DRAMA
Game of Thrones

MELHOR ATOR – SÉRIE DRAMA
Bob Odenkirk (Better Call Saul)

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DRAMA
Evan Rachel Wood (Westworld)

MELHOR ATOR COADJUVANTE – SÉRIE DRAMA
John Lithgow (The Crown)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE – SÉRIE DRAMA
Thandie Newton (Westworld)

MELHOR PERFORMANCE CONVIDADA EM SÉRIE DRAMA
Jeffrey Dean Morgan (The Walking Dead)

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA
Silicon Valley

MELHOR ATRIZ – SÉRIE COMÉDIA
Kate McKinnon (Saturday Night Live)

MELHOR ATOR – SÉRIE COMÉDIA
Donald Glover (Atlanta)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE – SÉRIE COMÉDIA
Jane Krakowski (Unbreakable Kimmy Schmidt)

MELHOR ATOR COADJUVANTE – SÉRIE COMÉDIA
Louie Anderson (Baskets)

MELHOR PERFORMANCE CONVIDADA EM SÉRIE COMÉDIA
Alec Baldwin (Saturday Night Live)

MELHOR SÉRIE ANIMADA
BoJack Horseman

MELHOR SÉRIE COMPETITIVA DE REALITY
The Voice

MELHOR SÉRIE DE REALITY ESTRUTURADA
Shark Tank 

MELHOR SÉRIE DE REALITY NÃO-ESTRUTURADA
Anthony Bourdain: Parts Unknown

MELHOR TALK SHOW
The Late Late Show with James Corden

MELHOR HOST DE REALITY
Anthony Bourdain – Anthony Bourdain: Parts Unknown

MELHOR FILME PARA TV OU MINISSÉRIE
The People v. O.J. Simpson

MELHOR ATOR EM FILME PARA TV OU MINISSÉRIE
Courtney B. Vance (The People v. O.J. Simpson)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM FILME PARA TV OU MINISSÉRIE
Sterling K. Brown (The People v. O.J. Simpson)

MELHOR ATRIZ EM FILME PARA TV OU MINISSÉRIE
Sarah Paulson (The People v. O.J. Simpson)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM FILME PARA TV OU MINISSÉRIE
Regina King (American Crime)

 

‘Boyhood’ fatura 3 prêmios e é o grande vencedor do Globo de Ouro 2015

Da esquerda para a direita: Patricia Arquette, Lorelei Linklater, Richard Linklater, Ellar Coltrane e Ethan Hawke com os três Globos de Ouro em mãos (photo by trbimg.com)

Da esquerda para a direita: Patricia Arquette, Lorelei Linklater, Richard Linklater, Ellar Coltrane e Ethan Hawke com os três Globos de Ouro em mãos (photo by trbimg.com)

‘BIRDMAN’ E ‘A TEORIA DE TUDO’ CONQUISTAM 2 PRÊMIOS CADA E FORTALECEM SUAS CAMPANHAS RUMO AO OSCAR

Em termos de resultado, a 72ª edição do Globo de Ouro pode ser dividida em duas partes: a previsível de cinema e a imprevisível de TV. Os atores mais cotados de cinema levaram seus prêmios: Eddie Redmayne, Julianne Moore, Michael Keaton, Amy Adams, J.K. Simmons e Patricia Arquette, além de Richard Linklater como diretor. Só achei que os prêmios de roteiro e filme-comédia seriam invertidos: O Grande Hotel Budapeste levaria roteiro e Birdman levaria filme, mas de qualquer modo, foi um merecidíssimo prêmio para Wes Anderson. Provavelmente, a maior surpresa na parte de cinema tenha sido a vitória da sequência Como Treinar o Seu Dragão 2, já que Uma Aventura Lego vinha conquistando quase todos os prêmios da temporada de Melhor Animação, e em menor escala, a vitória do compositor Johann Johannsson pela trilha de A Teoria de Tudo, uma vez que Antonio Sanchez tinha as melhores chances por Birdman, mesmo tendo sido desqualificado da categoria no Oscar.

Pela TV, já pelo fato dos membros da Hollywood Foreign Press Association terem dado uma repaginada nos indicados, acabou proporcionando maiores oportunidades de surpresa. Séries que todo ano estavam indicadas foram deixadas de lado como The Big Bang TheoryModern Family, permitindo a inclusão de novas como a vencedora Transparent, e Jane the Virgin e Sillicon Valley. Aliás, a série Transparent, da Amazon, fez história ao se tornar a primeira série online a ganhar o Globo de Ouro de Melhor Série. As séries da Netflix como House of Cards e Orange is the New Black falharam nesse quesito, mas pelo menos Kevin Spacey conquistou seu almejado prêmio de ator pela primeira. As maiores surpresas foram as vitórias de The Affair como Melhor Série – Drama, sua atriz Ruth Wilson, e a atriz coadjuvante Joanne Froggatt por Downton Abbey. A minissérie Fargo também surpreendeu ao bater favoritos como True Detective e o filme para tv The Normal Heart, mas a verdade é que Fargo sempre recebeu ótimos elogios, mas ninguém premiava. Coube ao Globo de Ouro recompensá-los numa noite em que os criadores do filme original estavam presentes: Joel Coen, Ethan Coen, Frances McDormand e William H. Macy.

FESTA BEM AMENA COM LAMPEJOS DE OUSADIA

Não sei o que houve com as hostesses Tina Fey e Amy Poehler. Quer dizer, elas fizeram suas piadas na apresentação como aquelas envolvendo a saga da Sony com a Coréia do Norte e o filme A Entrevista, e até polêmicas das acusações de estupro de Bill Cosby, mas ao longo da festa, não vimos novas inserções delas. Teriam sido proibidas? Aí, a organização colocou umas piadas tão sem graça para os apresentadores dos prêmios lerem ao vivo que o show foi decaindo muito rapidamente. Quando vi Ricky Gervais subindo ao palco pra apresentar, pensei: “Pronto, finalmente alguém pra levantar o ânimo!”, mas não sei se mandaram Ricky maneirar no tom, mas ele realmente pegou leve… Uma pena! Ele zombou do “momento John Travolta”, quando o ator introduziu a cantora Idina Menzel com “Adele Nazeem” no Oscar do ano passado: “Eu assisto (à gafe) toda hora no Youtube!”. Então, sobrou para o ator Jeremy Renner soltar a pérola masculina da noite. Quando apresentava o prêmio ao lado da mega decotada Jennifer Lopez, ao abrir o envelope ela falou: “Eu abro porque tenho as unhas” – “E os globos de ouro também”, completou o auspicioso Renner.

Tina Fey e Amy Poehler com Margaret Cho caracterizada como uma serva norte-coreana (photo by foxnews.com)

Tina Fey e Amy Poehler com Margaret Cho caracterizada como uma serva norte-coreana (photo by foxnews.com)

Seguem algumas pérolas da dupla Fey e Poehler:

Tina Fey: Tonight we celebrate all the television shows that we know and love, as well as all the movies that North Korea was OK with. (Hoje, celebramos todos os shows da tv que conhecemos e amamos, assim como todos os filmes que a Coréia do Norte permitiu).

Amy Poehler: Patricia Arquette in “Boyhood” proves that “there are still great roles for women over 40- as long as you get hired when you’re under 40” (Patricia Arquette em Boyhood prova que ainda há grandes papéis para mulheres acima dos 40 – contanto que você seja contratada antes dos 40) – referindo-se ao fato de que as filmagens de Boyhood começaram há 12 anos.

Amy Poehler: In “Into the Woods,” Cinderella runs from her prince, Rapunzel is thrown from a tower for her prince and Sleeping Beauty just thought she was getting coffee with Bill Cosby” (Em “Caminhos da Floresta”, Cinderela de seu príncipe, Rapunzel é jogada de sua torre para seu príncipe e A Bela Adormecida pensou que ia tomar um café com Bill Cosby). Elas até chegam a fazer algumas imitações de Cosby pra amenizar o ambiente, mas o dano já estava feito.

Mas a melhor da noite foi: George Clooney married Amal Amaluddin this year. “Amal is a human rights lawyer who worked on the Enron case, was an adviser to Kofi Anan regarding Syria and was selected for a three person UN commission regarding war violations in the Gaza Strip. So tonight her husband is getting a lifetime achievement award,”. (George Clooney se casou com Amal Amaluddin este ano. “Amal é uma advogada de direitos humanos que trabalhou no caso Enron, foi conselheira de Kofi Anan sobre a Síria e foi eleita para uma comissão de três pessoas das Nações Unidas para os casos de violações de guerra na Faixa de Gaza. Então, esta noite seu marido vai ganhar um prêmio pela carreira!”

George Clooney com sua esposa Amal Amal (photo by John Shearer/ Invision/AP)

George Clooney com sua esposa Amal Amaluddin (photo by John Shearer/ Invision/AP)

Houve até um bom momento de descontração na brincadeira do “Would you rather” (Você prefere):
– Colin Farrell ou Colin Firth? Edward Norton ou Mark Ruffalo? Chris Pine ou Chris Pine! – Tina interrompe. Richard Linklater ou Alejandro Iñárritu? Amy escolhe Iñárritu: “Um take, duas horas direto sem parar”, enquanto Tina prefere Linklater: “Cinco minutos uma vez por ano”

Houve uma ou outra manifestação mais polêmica como o discurso de Common na vitória de Melhor Canção por Selma, filme sobre a conquista dos direitos civis nos anos 60. Em seu discurso, ele cita momentos importantes na História como a senhora negra que se recusou a mudar de lugar no ônibus até casos recentes como os dois negros mortos por policiais brancos na tentativa de engrandecer uma película somente por questões raciais e não por méritos artísticos. Assim como também houve uma outra citação do atentado terrorista na França contra o semanário Charlie Hebdo. Ao apresentar o prêmio de atriz coadjuvante, o ator Jared Leto aproveitou o momento e fez uma citação em homenagem, e George Clooney ostentava um bóton no smoking com os mesmos dizeres com os dizeres “Je suis Charlie”. O presidente da HFPA, Theo Kingma, fez questão de defender a liberdade de expressão, seja na Coréia do Norte ou em Paris, e foi aplaudido de pé por todos.

EFEITOS DO GLOBO DE OURO

Assim como muitos especialistas já levantaram, o resultado do Globo de Ouro já não serve mais como melhor parâmetro para o que vai acontecer no Oscar. Dos últimos 10 anos, apenas 4  vencedores de Melhor Filme no Globo de Ouro repetiram o feito no prêmio da Academia. Atores que ganharam o Globo de Ouro podem nem ser indicado ao Oscar como Paul Giamatti por Minha Versão do Amor em 2011, e Colin Farrell (Na Mira do Chefe) e Sally Hawkins (Simplesmente Feliz) em 2009. E até em categorias mais técnicas não há garantias de presença no Oscar: o compositor Alex Ebert venceu o Globo de Ouro em 2014 por Até o Fim e sequer foi indicado pela Academia. Claro que os vencedores terão suas respectivas campanhas nitidamente fortalecidas para os prêmios seguintes como o Critics’ Choice Awards, SAGs e o BAFTA, mas até o dia 15 de janeiro, dia do anúncio das indicações ao Oscar, ninguém está realmente garantido, abrindo espaço para surpresas, sejam positivas ou negativas.

Falando em negativas, o jornal americano The New York Post teria publicado uma reportagem em que lista casos que envolvem corrupção na compra de prêmios e indicações. Dentre os casos citados estão as três indicações do fracasso total O Turista, estrelado por Angelina Jolie e Johnny Depp (ambos indicados nas categorias de comédia ou musical) – tanto que o host da noite Ricky Gervais citou que a HFPA teria os indicado apenas para tê-los no tapete vermelho; e a indicação para Melhor Filme – Comédia ou Musical e vitória de Melhor Canção para Burlesque, um musical bastante criticado e sequer visto pelo público. Confira matéria de Lou Lumenick: http://nypost.com/2015/01/09/are-the-golden-globes-becoming-as-credible-as-the-oscars/

Amy Adams, Michael Keaton e Julianne Moore podem ter garantido suas indicações ao Oscar. Podem. (photo by absnews.com)

Amy Adams, Michael Keaton e Julianne Moore podem ter garantido suas indicações ao Oscar. Podem. (photo by absnews.com)

Rumo ao Oscar, o vencedor de Melhor Filme – Drama, Boyhood: Da Infância à Juventude, caminha firme e forte, já que levou também os prêmios de Diretor e Atriz Coadjuvante, além de ter sido indicado a Roteiro, afinal, são categorias-base para todo vencedor de Melhor Filme no Oscar, sem contar toda a história fascinante dos bastidores de 12 anos de filmagens. Quanto aos atores, Julianne Moore parece uma aposta cada vez mais certa para o Oscar. Aclamada por público e crítica como uma das melhores atrizes desta geração, e depois de ser indicada quatro vezes ao Oscar sem vitória, este deve ser o ano dela. Acredito que o único obstáculo em seu caminho pode ser ela mesma. Se a Academia indicá-la como coadjuvante também por Mapa Para as Estrelas, os votos podem se dividir e ela pode ser novamente perdedora em dose dupla como foi em 2003, quando estava indicada por Longe do Paraíso como atriz, e por As Horas como coadjuvante.

J.K. Simmons e Patricia Arquette estão cada vez mais fortes como coadjuvantes, contudo não dá pra descartar ainda Mark Ruffalo e Edward Norton, caso o filme de Simmons, Whiplash: Em Busca da Perfeição, não se saia bem nas indicações. Já Arquette, por mais que possa ter Meryl Streep competindo, deve ser a porta-voz ou representante de todo o elenco de Boyhood. Gostei da vitória de Amy Adams por Grandes Olhos, o que pode lhe garantir uma nova indicação ao Oscar consecutiva, mas as chances reais de vitória seriam praticamente nulas. Por mais talentosa que Adams seja, acredito que lhe falta um personagem que sirva como um real desafio que exija mudanças físicas para então ganhar seu Oscar. Vejam os casos de Charlize Theron e Matthew McConaughey: nunca tinham sido indicados e ganharam na primeira chance por terem passado por processos de transformação física. Não sei se Amy tem contrato vitalício com marcas de cosméticos que a impeçam de ficar feia ou algo do tipo, mas ela deveria pensar nessa hipótese. A categoria de Ator é a mais aberta até o momento. Por mais que Michael Keaton e Eddie Redmayne tenham ganhado o Globo de Ouro, não há nem garantias de que eles estarão na lista do Oscar, tamanha a concorrência. Temos Jake Gyllenhaal, Benedict Cumberbatch, Ralph Fiennes, David Oyelowo, Steve Carell, Joaquin Phoenix e Bill Murray pelo menos na cola.

Patricia Arquette e J.K. Simmons ganham como coadjuvantes (photo by intoday.in)

Patricia Arquette e J.K. Simmons ganham como coadjuvantes (photo by intoday.in)

Entre todos os filmes que receberam mais indicações, O Jogo da Imitação foi o maior perdedor. Presente em 5 categorias e como a maior aposta da Weinstein Company, o filme falhou em conquistar qualquer Globo de Ouro, nem um de consolação. Será que eles conseguem virar o jogo até o dia 22 de fevereiro?

A ELEITA

Não vou comentar os vestidos das moças. Prefiro falar das donas dos vestidos. E a melhor pela quinquagésima vez é Jessica Chastain. Essa mulher é um raio de sol. Só não esqueci que ela foi indicada para atriz coadjuvante por O Ano Mais Violento, porque foi uma pena que ela não subiu ao palco pra se apresentar.

Jessica Chastain no tapete vermelho (photo by usmagazine.com)

Jessica Chastain no tapete vermelho (photo by usmagazine.com)

Seguem os vencedores do Globo de Ouro:

CINEMA

MELHOR FILME – DRAMA
Boyhood: Da Infância à Juventude (Boyhood)

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL
O Grande Hotel Budapeste (The Grand Budapest Hotel)

MELHOR ATOR – DRAMA
Eddie Redmayne (A Teoria de Tudo)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Julianne Moore (Para Sempre Alice)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
Amy Adams (Grandes Olhos)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
Michael Keaton (Birdman)

MELHOR DIRETOR
Richard Linklater (Boyhood: Da Infância à Juventude)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Patricia Arquette (Boyhood: Da Infância à Juventude)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
J.K. Simmons (Whiplash: Em Busca da Perfeição)

MELHOR ROTEIRO
Alejandro González Iñárritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris, Armando Bo (Birdman)

MELHOR ANIMAÇÃO
Como Treinar Seu Dragão 2 (How to Train Your Dragon 2)

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
Leviatã (Leviafan), de Andrey Zvyagintsev – RÚSSIA

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Glory” por John Legend, Common (Selma)

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL
Johann Johannsson (A Teoria de Tudo)

TELEVISÃO

Equipe por trás da série vencedora The Affair (photo by ibtimes.com)

Equipe por trás da série vencedora The Affair (photo by ibtimes.com)

MELHOR SÉRIE DRAMÁTICA
The Affair

MELHOR ATOR EM SÉRIE DRAMÁTICA
Kevin Spacey (House of Cards)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DRAMÁTICA
Ruth Wilson (The Affair)

MELHOR MINISSÉRIE OU TELEFILME
Fargo

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA
Transparent

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Joanne Froggatt (Downton Abbey)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Matt Bomer (The Normal Heart)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA
Gina Rodriguez (Jane the Virgin)

A bela Gina Rodriguez ganhou por Jane the Virgin (photo by nationalpost.com)

A bela Gina Rodriguez ganhou por Jane the Virgin. Definitivamente, a segunda colocada da lista das eleitas. (photo by nationalpost.com)

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA
Jeffrey Tambor (Transparent)

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Maggie Gyllenhaal (The Honorable Woman)

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Billy Bob Thornton (Fargo)

As indicações ao Oscar 2015 serão anunciadas ao vivo neste dia 15 de janeiro e a cerimônia ocorre no dia 22 de fevereiro.

WGA indica favoritos ‘Boyhood’, ‘O Jogo da Imitação’, ‘Foxcatcher’ e ‘Garota Exemplar’ mesmo com sua rigidez costumeira

 

WGA: Writers Guild Awards 2013 (logo in theartsyfilmblog.com)

WGA: Writers Guild Awards 2015 (logo in theartsyfilmblog.com)

MESMO COM TANTA RIGIDEZ, FAVORITOS SÃO INDICADOS

Se existe um prêmio de sindicato maldoso, este é o Writers Guild of America (WGA). Sem cerimônia, ele elimina incontáveis ótimos candidatos estrangeiros, animações e produções independentes simplesmente por questão de eligibilidade de um regulamento pré-globalização que parou no século XX (Eles não têm nem categoria de roteiro de animação!!!). Assim, bons concorrentes como Uma Aventura Lego, Birdman, A Teoria de Tudo e Selma foram pro saco num piscar de olhos, totalizando o número ridículo de 60 concorrentes na categoria de roteiro original, e 48 na de roteiro adaptado.

Com tamanha rigidez, só o fato de ser indicado, realmente já se trata de uma vitória. Mas em termos de credibilidade, uma vitória “parcial”? Injusta? Em 2013, o roteiro de Quentin Tarantino de Django Livre também não tinha sido qualificado para o WGA só porque o diretor-roteirista não é membro do sindicato (e não paga as devidas taxas), mas isso não o impediu de ganhar o Oscar no mesmo ano. Esse sentimento de injustiça e indignação pelo alto nível de burocracia é o mesmo que sinto em relação à categoria de Filme em Língua Estrangeira. Enquanto 23 prêmios da Academia interessam à comunidade cinéfila e hollywoodiana, a de Filme Estrangeiro é aquela almejada pelo mundo inteiro, aquela que é possível qualquer país do mundo ganhar de fato. Então, deveriam dar mais atenção e coerência à categoria. Uma das alterações que sou a favor é a inclusão de mais de um filme do mesmo país, afinal, nem sempre haverá apenas um bom filme por país.

Enfim, após esse breve desabafo, vamos aos indicados deste ano. Mesmo se considerando a série de eliminações por eligibilidade, houve pouca surpresa. Em extrema ascensão depois das indicações consecutivas no Art Directors Guild (ADG), Eddie Awards e Producers Guild (PGA), o novo filme de Clint Eastwood, Sniper Americano, obteve mais um êxito que deve incluí-lo na lista final dos indicados a Melhor Filme no Oscar. Já a indicação de Guardiões da Galáxia chama a atenção por se tratar de uma ficção científica (gênero raro no prêmio – os únicos três que ganharam foram A Origem, Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças e E.T. – O ExtraTerrestre) e ainda mais por ser baseado numa história em quadrinhos da Marvel, comprovando que existe qualidade além das fronteiras dos gêneros e convenções artísticas.

Zoe Saldana e Chris Pratt em cena de Guardiões da Galáxia (photo by outnow.ch)

Zoe Saldana e Chris Pratt em cena de Guardiões da Galáxia (photo by outnow.ch)

Uma curiosidade interessante é que dos cinco indicados a Roteiro Original, quatro são os diretores dos filmes também: Richard Linklater, Wes Anderson, Dan Gilroy e Damien Chazelle, o que denota característica de iniciativa dos mesmos. E caso alguns deles venham a ser indicados a Melhor Diretor no Oscar e não ganhem, o Oscar de Roteiro muitas vezes acaba se tornando uma espécie de prêmio de consolação.

Seguem todos os indicados ao WGA:

CINEMA

ROTEIRO ORIGINAL

– Richard Linklater (Boyhood: Da Infância à Juventude)
– 
E. Max Frye, Dan Futterman (Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo)
– Wes Anderson, Hugo Guinness (O Grande Hotel Budapeste)
– 
Dan Gilroy (O Abutre)
– 
Damien Chazelle (Whiplash: Em Busca da Perfeição)

ROTEIRO ADAPTADO

– Jason Hall (Sniper Americano) – Baseado no livro de Chris Kyle, Scott McEwen e Jim DeFelice
– Gillian Flynn (Garota Exemplar); Baseado em seu romance
– James Gunn, Nicole Perlman (Guardiões da Galáxia); Baseado nos quadrinhos da Marvel por Dan Abnett e Andy Lanning
 Graham Moore (O Jogo da Imitação); Baseado no livro Alan Turing: The Enigma, de Andrew Hodges
– Nick Hornby (Livre); Baseado no livro de Cheryl Strayed

Reese Witherspoon em cena de Livre (photo by outnow.ch)

Reese Witherspoon em cena de Livre (photo by outnow.ch)

ROTEIRO DE DOCUMENTÁRIO

– John Maloof, Charlie Siskel (A Fotografia Oculta de Vivian Maier)
– Brian Knappenberger (O Menino da Internet: A História de Aaron Swartz)

– 
Mark Bailey, Kevin McAlester (Last Days in Vietnam)
– 
Gabe Polsky (Red Army)

Cena do documentário A Fotografia Oculta de Vivian Maier (photo by outnow.ch)

Cena do documentário A Fotografia Oculta de Vivian Maier (photo by outnow.ch)

TELEVISÃO

SÉRIE DE TV – DRAMA

– David Benioff, Bryan Cogman, George R.R. Martin, D.B. Weiss (Game of Thrones)
– Leonard Dick, Keith Eisner, Ted Humphrey, Michelle King, Robert King, Erica Shelton Kodish, Matthew Montoya, Luke Schelhaas, Nichelle Tramble Spellman, Craig Turk, Julia Wolfe (The Good Wife)
– Bill Cain, Laura Eason, Sam R. Forman, William Kennedy, Kenneth Lin, John Mankiewicz, David Manson, Beau Willimon (House of Cards)
– Lisa Albert, Heather Jeng Bladt, Semi Chellas, Jonathan Igla, David Iserson, Janet Leahy, Erin Levy, Patricia Resnick, Tom Smuts, Matthew Weiner, Carly Wray (Mad Men)
– Nic Pizzolatto (True Detective)

SÉRIE DE TV – COMÉDIA

– Pamela Adlon, Louis C.K. (Louie)
– Stephen Falk, Sian Heder, Tara Herrmann, Sara Hess, Nick Jones, Jenji Kohan, Lauren Morelli, Alex Regnery, Hartley Voss (Orange is the New Black)
– John Altschuler, Alec Berg, Matteo Borghese, Jessica Gao, Mike Judge, Dave Krinsky, Carson Mell, Dan O’Keefe, Clay Tarver, Rob Turbovsky, Ron Weiner (Sillicon Valley)
– Bridget Bedard, Micah Fitzerman-Blue, Noah Harpster, Ethan Kuperberg, Ali Liebegott, Faith Soloway, Jill Soloway (Transparent)
– Simon Blackwell, Kevin Cecil, Roger Drew, Sean Gray, Armando Iannucci, Ian Martin, Georgia Pritchett, David Quantick, Andy Riley, Tony Roche, Will Smith (Veep)

SÉRIE DE TV NOVA

– Dan LeFranc, Hagai Levi, Melanie Marnich, Eric Overmyer, Kate Robin, Sarah Treem (The Affair)
– Jack Amiel, Michael Begler, Steven Katz (The Knick)
– John Altschuler, Alec Berg, Matteo Borghese, Jessica Gao, Mike Judge, Dave Krinsky, Carson Mell, Dan O’Keefe, Clay Tarver, Rob Turbovsky, Ron Weiner (Sillicon Valley)
– Bridget Bedard, Micah Fitzerman-Blue, Noah Harpster, Ethan Kuperberg, Ali Liebegott, Faith Soloway, Jill Soloway (Transparent)
– Nic Pizzolatto (True Detective)

SÉRIE ORIGINAL

– Melissa Carter (Deliverance Creek)
– Sean Hanish (Return to Zero)

SÉRIE ADAPTADA

– Nicholas Meyer; Baseado no livro Houdini: A Mind in Chains: A Psychoanalytic Portrait, de Bernard C. Meyer, M.D. (Houdini)
– Paul T. ScheuringJosh Goldin, Rachel Abramowitz; Baseado no livro Gold Diggers, de Charlotte Gray (Klondike)
– Larry Kramer; Baseado na peça The Normal Heart (The Normal Heart)
– Jane Anderson; Baseado no romance de Elizabeth Strout (Olive Kitteridge)
Damon Lindelof, Tom Perrotta; Baseado no livro de Tom Perrotta (The Leftlovers)

SHORT FORM NEW MEDIA – ORIGINAL

– “Apocalypse No” (Bad Shorts), escrito por Ben Zelevansky; luckybirdsmedia.com
– “City of Angles” (Caper), escrito por Amy Berg, Mike Sizemore; hulu.com
– “Episode 1 – Nurture” (F To 7th), escrito por Ingrid Jungermann; youtube.com
– “Episode 113: Rachel” (High Maintenance), escrito por Katja Blichfeld & Ben Sinclair; helpingyoumaintain.com
– “Episode 204” (Vicky and Lysander), escrito por Damon Cardasis, Shannon Walker; youtube.com
– “Episode 207” (Vicky and Lysander), escrito por Damon Cardasis, Shannon Walker; youtube.com

ANIMAÇÃO

– Greg Thompson (Bob’s Burgers) – Episódio: “Bob and Deliver”
– Brian Kelley (The Simpsons) – Episódio: “Brick Like Me”
– Matt Selman (The Simpsons) –  Episódios: “Covercraft”
– David H. Steinberg (The Simpsons) – Episódio: “Pay Pal”
– J. Stewart Burns (The Simpsons) – Episódio: “Steal This Episode”
– Nora Smith (Bob’s Burgers) – Episódio: “Work Hard or Die Trying, Girl”

EPISODIC DRAMA

– Jonathan Igla, Matthew Weiner (Mad Men) – Episódio: “A Day’s Work”
– Howard Korder (Boardwalk Empire) – Episódio: “Devil You Know”
– Kate Powers, Ray McKinnon (Rectify) Episódio: “Donald the Normal”
– Riccardo DiLoreto, Cristine Chambers, Howard Korder (Boardwalk Empire) – Episódio: “Friendless Child”
– Robert King, Michelle King (The Good Wife) – Episódio: “The Last Call”
– George R.R. Martin (Game of Thrones) – Episódio: “The Lion and the Rose”

EPISODIC COMEDY

– Rick Wiener, Kenny Schwartz (Modern Family) – Episódio: “The Cold”
– Rob Rosell (New Girl) – Episódio: “Landline” (New Girl)
– Nick Jones (Orange is the New Black) – Episódio: “Low Self Esteem City”
– Louis C.K. (Louie) – Episódio: “So Did the Fat Lady”
– Abraham Higginbotham, Steven Levitan, Jeffrey Richman (Modern Family) – Episódio: “Three Dinners”
– Ethan Kuperberg (Transparent) – Episódio: “The Wilderness”

COMEDY / VARIETY (INCLUDING TALK) – SERIES

– Rory Albanese, Dan Amira, Steve Bodow, Tim Carvell, Travon Free, Hallie Haglund, JR Havlan, Elliott Kalan, Matt Koff, Adam Lowitt, Dan McCoy, Jo Miller, John Oliver, Zhubin Parang, Owen Parsons, Daniel Radosh, Lauren Sarver, Jon Stewart, Delaney Yeager (The Daily Show with Jon Stewart)
– Kevin Avery, Tim Carvell, Dan Gurewitch, Geoff Haggerty, Jeff Maurer, John Oliver, Scott Sherman, Will Tracy, Jill Twiss, Juli Weiner (Last Week Tonight with John Oliver)
– Jessi Klein, Emily Altman, Jeremy Beiler, Neil Casey, Kyle Dunnigan, Kurt Metzger, Christine Nangle, Dan Powell, Amy Schumer (Inside Amy Schumer)
– Michael Brumm, Nate Charny, Aaron Cohen, Stephen Colbert, Rich Dahm, Paul Dinello, Eric Drysdale, Rob Dubbin, Ariel Dumas, Glenn Eichler, Gabe Gronli, Barry Julien, Jay Katsir, Sam Kim, Matt Lappin, Opus Moreschi, Tom Purcell, Meredith Scardino, Max Werner (The Colbert Report)
– Molly McNearney, Danny Ricker, Gary Greenberg, Jack Allison, Tony Barbieri, Jonathan Bines, Joelle Boucai, Josh Halloway, Sal Iacono, Eric Immerman, Bess Kalb, Jimmy Kimmel, Jeff Loveness, Bryan Paulk, Rick Rosner, Bridger Winegar (Jimmy Kimmel Live)
– Seth Meyers, Colin Jost, Rob Klein, Bryan Tucker, James Anderson, Alex Baze, Michael Che, Mikey Day, Steve Higgins, Leslie Jones, Zach Kanin, Chris Kelly, Erik Kenward, Lorne Michaels, Claire Mulaney, Josh Patten, Paula Pell, Katie Rich, Tim Robinson, Sarah Schneider, Pete Schultz, John Solomon, Kent Sublette, Lakendra Tookes (Saturday Night Live)
– Billy Martin, Scott Carter, Adam Felber, Matt Gunn, Brian Jacobsmeyer, Jay Jaroch, Chris Kelly, Bill Maher, Danny Vermont (Real Time with Bill Maher)

COMEDY / VARIETY – MUSIC, AWARDS, TRIBUTES – SPECIALS

– The 68th Annual Tony Awards, escrito por Dave Boone; Special Material by Jon Macks; CBS
71st Annual Golden Globe Awards, escrito por Barry Adelman; Special Material by Alex Baze, Dave Boone, Robert Carlock, Tina Fey, Jon Macks, Sam Means, Seth Meyers, Amy Poehler, Mike Shoemaker; NBC
2014 Film Independent Spirit Awards, escrito por Gerry Duggan, Wayne Federman, Patton Oswalt, Erik Weiner; IFC
Bill Maher: Live from D.C., escrito por Bill Maher; HBO
Sarah Silverman: We Are Miracles, escrito por Sarah Silverman; HBO

QUIZ AND AUDIENCE PARTICIPATION

– Hollywood Game Night, escrito por Grant Taylor, Alex Chauvin, Ann Slichter; NBC
Jeopardy!, escrito por John Duarte, Harry Friedman, Mark Gaberman, Debbie Griffin, Michele Loud, Robert McClenaghan, Jim Rhine, Steve D. Tamerius, Billy Wisse; ABC

DAYTIME DRAMA

– Days of Our Lives, escrito por Lorraine Broderick, David Cherrill, Carolyn Culliton, Richard Culliton, Rick Draughon, Christopher Dunn, Janet Iacobuzio, Ryan Quan, Dave Ryan, Melissa Salmons, Christopher Whitesell; NBC
General Hospital, escrito por Ron Carlivati, Anna Theresa Cascio, Suzanne Flynn, Kate Hall, Elizabeth Korte, Daniel James O’Connor, Elizabeth Page, Katherine Schock, Scott Sickles, Chris Van Etten; ABC

CHILDREN’S SCRIPT – EPISODIC AND SPECIALS

– “Girl Meets 1961” (Girl Meets World), Written by Matthew Nelson; Disney Channel
– “Haunted Heartthrob” (Haunted Hathaways), Written by Bob Smiley; Nickelodeon
– “Haunted Sisters” (Haunted Hathaways), Written by Boyce Bugliari & Jamie McLaughlin; Nickelodeon

DOCUMENTARY SCRIPT – CURRENT EVENTS

– “Losing Iraq” (Frontline), escrito por Michael Kirk & Mike Wiser; PBS
– “United States of Secrets: Privacy Lost (Part Two)” (Frontline), escrito por Martin Smith; PBS
– “United States of Secrets: The Program (Part One)” (Frontline); PBS; escrito por Michael Kirk & Mike Wiser; PBS

DOCUMENTARY SCRIPT – OTHER THAN CURRENT EVENTS

– “Episode Five: The Rising Road (1933-1939)” (The Roosevelts: An Intimate History), escrito por Geoffrey C. Ward; PBS
– “League of Denial: The NFL’s Concussion Crisis” (Frontline), escrito por Michael Kirk & Mike Wiser; PBS
– “Standing Up in the Milky Way (Episode 1)” (COSMOS: A Space Time Odyssey), escrito por Ann Druyan and Steven Soter; Fox

TV NEWS SCRIPT – REGULARLY SCHEDULED, BULLETIN, OR BREAKING REPORT

– “50th Anniversary of JFK’s Assassination” (CBS Evening News with Scott Pelley), escrito por Jerry Cipriano, Joe Clines; CBS News
CBS This Morning, escrito por Duane Tollison, Chip Sorrentino, Bruce Meyer, Bill Crowley; CBS News
– “Nelson Mandela: A Man Who Changed the World” (World News with Diane Sawyer), escrito por Diane Sawyer, Lisa Ferri, Dave Bloch; ABC News

TV NEWS SCRIPT – ANALYSIS, FEATURE, OR COMMENTARY

– “Nowhere to Go” (60 Minutes), escrito por Scott Pelley, Oriana Zill de Granados, Michael Rey; CBS

Os vencedores serão conhecidos no dia 14 de fevereiro em cerimônias que acontecem em Los Angeles e Nova York.

‘Boyhood’, ‘Birdman’ e ‘Garota Exemplar’ competem pelo Eddie Awards 2015

Ethan Hawke (Boyhood: Da Infância à Juventude) - photo by elfilm.com

Ellan Coltrane e Ethan Hawke em Boyhood: Da Infância à Juventude – photo by elfilm.com

PRÊMIO DO SINDICATO JÁ PINCELA OS POSSÍVEIS INDICADOS AO OSCAR

Primeiramente, Feliz Ano Novo para todos! Espero que tenham passado bem as festas de fim de ano. Como fiquei em São Paulo este ano, acabei vendo dois filmes no cinema que recomendo: o sombrio O Abutre, com atuação assombrosa de Jake Gyllenhaal, e o clichê porém simpático A Família Bélier, que traz uma mensagem bastante positiva de amadurecimento para começar bem o ano.

Bom, o ano mal começou e o sindicato de editores já lançou seus indicados para 2015. Assim como o Globo de Ouro, os filmes são dividos entre as categorias de Drama e Comédia ou Musical, até mesmo porque a montagem possui estilos diferentes de acordo com o gênero. Aliás, adoraria ver uma categoria exclusiva para filmes de terror, ou pelo menos algo como Terror ou Ação. O Eddie Awards ainda apresenta categorias de Animação, Documentário e relativos à televisão.

Pela categoria Drama, houve um empate pela segunda vez na história do prêmio, pois houve seis indicados. A grande favorita é Sandra Adair pelo filme Boyhood: Da Infância à Juventude, afinal, ela cortou um material bruto de nada menos do que 12 anos! Mas independente do seu esforço de uma década, seu trabalho é digno de reconhecimento, pois suas quase 3 horas de duração não pesam como muitos pensam antes de assistir ao filme. A passagem do tempo não é interrompida por letreiros ou telas pretas, mas flui como um rio. Particularmente, só não acho perfeita porque eu reduziria a sequência da faculdade do protagonista Mason, que pouco acrescenta no contexto.

Mas Boyhood não pode relaxar, pois tem fortes concorrentes na categoria, especialmente Kirk Baxter (Garota Exemplar), que levou dois Oscars consecutivos por A Rede Social e Millennium – Os Homens que Não Amavam as Mulheres, e William Goldenberg (O Jogo da Imitação), que faturou a estatueta em 2013 por Argo.

Rosamund Pike em momento Amazing Amy de Garota Exemplar (photo by elfilm.com)

Rosamund Pike em momento Amazing Amy de Garota Exemplar (photo by elfilm.com)

Já pela categoria de Comédia ou Musical, as águas parecem mais calmas para Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância), pois além da força de sua campanha rumo ao Oscar de Melhor Filme, apresenta alternância entre cenas de realidade e devaneios do personagem de Michael Keaton, que denota facilmente a força da montagem. Quanto à concorrência, por se tratar de um filme de ação, Guardiões da Galáxia pode representar algum perigo. Como não vi Birdman ainda, concederia o prêmio a O Grande Hotel Budapeste, pelo ótimo ritmo obtido pela combinação entre os cortes, roteiro e atuação do elenco.

Edward Norton em cena de O Grande Hotel Budapeste (photo by cinemagia.ro)

Edward Norton em cena de O Grande Hotel Budapeste (photo by cinemagia.ro)

Entre as três animações indicadas, apesar da explosão que foi Uma Aventura Lego, acredito que Operação Big Hero pode levar o prêmio pelo ritmo mais frenético. Quanto aos documentários, Citizenfour tem se destacado por contar a trajetória de Edward Snowden através de uma entrevista.

Quanto aos fatos curiosos, embora não tenha uma acertividade tão alta (dos últimos 5 anos, acertou 3 em relação ao Oscar), o Eddie Awards é considerado um bom precursor do prêmio da Academia, pois segundo nota deles: “Nenhum filme ganhou o Oscar de Melhor Filme sem ter recebido pelo menos uma indicação ao Eddie desde ‘Gente Como a Gente’ em 1981”. O Eddie Awards existe desde 1962.

 Já entre os indicados de produções de televisão, a ótima série da HBO, True Detective, desponta como uma das favoritas justamente por seu tratamento de cinema na montagem de seus episódios não-lineares.

Segue lista dos indicados ao 65º Eddie Awards:

MELHOR MONTAGEM – DRAMA
– Joel Cox, Gary Roach (Sniper Americano)
– Sandra Adair (Boyhood: Da Infância à Juventude)
– Kirk Baxter (Garota Exemplar)
– William Goldenberg (O Jogo da Imitação)
– John Gilroy (O Abutre)
– Tom Cross (Whiplash: Em Busca da Perfeição)

MELHOR MONTAGEM – COMÉDIA OU MUSICAL
– Douglas Crise, Stephen Mirrione (Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância))
– Fred Raskin, Hughes Winborne, Craig Wood (Guardiões da Galáxia)
– Wyatt Smith (Caminhos da Floresta)
– Leslie Jones (Vício Inerente)
– Barney Pilling (O Grande Hotel Budapeste)

MELHOR MONTAGEM – ANIMAÇÃO
 Tim Mertens (Operação Big Hero)
– Edie Ichioka (Os Boxtrolls)
– David Burrows, Chris McKay (Uma Aventura Lego)

Operação Big Hero, da Disney (photo by cinemagia.ro)

Operação Big Hero, da Disney (photo by cinemagia.ro)

MELHOR MONTAGEM – DOCUMENTÁRIO
– Mathilde Bonnefoy (Citizenfour)
– Aaron Wickenden (A Fotografia Oculta de Vivian Maier)
– Elisa Bonora (Glen Campbell: I’ll Be Me)

MELHOR MONTAGEM – DOCUMENTÁRIO (TELEVISÃO)
– John Duffy, Michael O’Halloran, Eric Lea (Cosmos: A SpaceTime Odyssey: Standing Up in the Milky Way)
– Troy Takaki, Joey Vigour (Pauly Shore Stands Alone)
– Erik Ewers (The Roosevelts: An Intimate History: Episode 3 / The Fire of Life)

MELHOR MONTAGEM – SÉRIE DE TV DE MEIA-HORA
– Brian Merken, Tim Roche (Sillicon Valley) – Episódio: “Optimal Tip to Tip Efficiency”
– Anthony Boys (Veep) – Episódio: “Special Relationship”
– Catherine Haight (Transparent) – Episódio: “Piloto”

MELHOR MONTAGEM – SÉRIE DE TV DE UMA HORA COM COMERCIAL
– Scott Powell (24 Horas) – Episódio: “10pm to 11am
– Christopher Gay (Mad Men) – Episódio: “Waterloo”
– Elena Maganini, Michael Ornstein (Madam Secretary) – Episódio: “Piloto”
– Yan Miles (Sherlock) – Episódio: “His Last Vow”
– Scott Vickrey (The Good Wife) – Episódio: “A Few Words”

MELHOR MONTAGEM – SÉRIE DE TV DE UMA HORA SEM COMERCIAL
– Affonso Gonçalves (True Detective) – Episódio: “Who Goes There”
– Alex Hall (True Detective) – Episódio: “The Secret Fate of All Life”
– Byron Smith (House of Cards) – Episódio: “Chapter 14”

Woody Harrelson e Matthew McConaughey em cena de True Detective, série da HBO (photo by cinemagia.ro)

Woody Harrelson e Matthew McConaughey em cena de True Detective, série da HBO (photo by cinemagia.ro)

MELHOR MONTAGEM – MINISSÉRIE OU FILME FEITO PARA TV
– Regis Kumble (Fargo) – Episódio: “Buridan’s Ass”
– Jeffrey M. Werner (Olive Kitteridge) – Episódio: “A Different Road”
– Adam Penn (The Normal Heart)

MELHOR MONTAGEM – SÉRIES NÃO ROTEIRIZADAS
– Hunter Gross (Anthony Bourdain: Parts Unknown) – Episódio: “Iran”
– Josh Earl, Johnny Bishop (Deadliest Catch) – Episódio: “Lost At Sea”
– Joe Langford, Nick Carew (Vice) – Episódio: “Greenland is Melting & Bonded Labor”

O Eddie Awards será entregue no dia 30 de janeiro em cerimônia no hotel Beverly Hilton.