‘A FORMA DA ÁGUA’ SE TORNA A PRIMEIRA FICÇÃO CIENTÍFICA A VENCER COMO MELHOR FILME EM 90 ANOS DE OSCAR

Guillermo del Toro

Guillermo del Toro discursa em nome da equipe toda de A Forma da Água (pic by Chris Pizzello)

OSCAR DESTACA A DIVERSIDADE, DEFENDE MINORIAS E AS MULHERES

A 90ª edição do Oscar, que ocorreu na noite deste domingo, dia 04 de março, guardava vários elementos que poderiam torná-la histórica, e a cerimônia não desapontou. E a diversidade internacional de seus apresentadores refletiu melhor as novas inclusões realizadas de três anos para cá.

POLÊMICA NO TAPETE VERMELHO

Poucas horas antes do tapete vermelho começar, soltaram uma denúncia de abuso e comportamento inapropriado contra o apresentador do tapete vermelho, Ryan Seacrest, que trabalha para o canal E!. Contudo, sua aparição não foi abortada pelo canal, que alegou que “não havia provas o suficiente” para incriminá-lo. No entanto, a idéia de mantê-lo gerou certo desconforto, já que ele teve inúmeras entrevistas recusadas por várias mulheres vítimas de abuso como Viola Davis, Jennifer Garner, Mira Sorvino, Ashley Judd, Margot Robbie e Sandra Bullock. Ninguém queria nem olhar pro infeliz. Seacrest, sendo inocente ou não, não teria sido melhor preservá-lo?

90th Annual Academy Awards, Roaming Arrivals, Los Angeles, USA - 04 Mar 2018

Ryan Seacrest foi atendido por apenas 4 figuras no tapete vermelho de 20 programadas (pic by Michael Buckner)

NÚMEROS DO OSCAR

O grande vencedor da noite foi A Forma da Água, que levou ao todo 4 estatuetas do Oscar: Filme, Diretor, Direção de Arte e Trilha Musical. Claro que hoje em dia é difícil definir um gênero apenas para um filme como na época das locadoras de vídeo, mas se considerarmos o filme de del Toro como uma Ficção Científica, trata-se da primeira a vencer como Melhor Filme em 90 anos de Academia. Certamente um marco histórico derrubando um tabu gigantesco.

Logo em seguida, aparece o filme de guerra Dunkirk, que levou 3 prêmios: Montagem, Som e Efeitos Sonoros. Em terceiro lugar, temos quatro concorrentes, cada um levando duas estatuetas para casa: Três Anúncios Para um Crime (Atriz e Ator Coadjuvante), Blade Runner 2049 (Fotografia e Efeitos Visuais), Viva: A Vida é uma Festa (Animação e Canção) e O Destino de uma Nação (Ator e Maquiagem).

A vitória de Roger Deakins na categoria de Fotografia após 14 indicações tem um fato curioso. É a primeira vitória de um filme não-indicado a Melhor Filme (Blade Runner 2049) a vencer nessa categoria em 12 anos, desde Memórias de uma Gueixa em 2006.

KIMMEL PROCURA SE REDIMIR

Como o host da noite, Jimmy Kimmel, foi convidado para retornar este ano devido à lambança do envelope errado de Moonlight, era natural que ele procurasse se redimir e satirizar a gafe de alguma maneira. Logo começou passando instruções aos indicados em seu monólogo de abertura: “Este ano, quando você ouvir seu nome sendo chamado, não se levante de imediato. Nos dê um minuto. Não queremos que aconteça outra ‘coisa.'”

oscar jimmy kimmel 2018

Jimmy Kimmel explica: “O Oscar é o melhor homem de Hollywood: ele está com as mãos onde podemos ver, nunca diz uma palavra rude, e não tem pênis”.

Seguindo sua veia cômica política, ele não poderia deixar de citar diretamente o presidente republicano Donald Trump: “Nenhuma outra pessoa além do Presidente Trump chamou ‘Corra!’ de melhor 3/4 de filme do ano” (quem viu o filme vai entender a piada). E também discutiu a questão das bilheterias dos filmes indicados: “Nós não fazemos filmes como ‘Me Chame Pelo Seu Nome’ para ganhar muito dinheiro. Fazemos para irritar (o vice-presidente conservador) Mike Pence.”

Porém, a melhor tirada da apresentação dele foi a idéia de presentear o discurso de agradecimento mais curto da noite com um jet ski, exibido naquele momento por Helen Mirren. Apesar da maioria não ligar pra tempo quando sobe ao palco, achei uma solução bastante criativa de dar aquele puxão de orelha nos que exageram e ainda abastecer o lado cômico nos agradecimentos como foi o caso de Gary Oldman, que já em seu segundo minuto de discurso, soltou um: “Obviamente, eu não vou ganhar o ski…”. Infelizmente, o plano de encurtar a cerimônia não deu muito certo no final, porque teria ultrapassado 50 minutos da transmissão.

Mark Bridges Jetski.jpg

Acompanhado por Helen Mirren, o figurinista Mark Bridges pilota seu novo jetski, vencido por ter feito o discurso mais curto com 36 segundos. (Pic by Kevin Winter)

Já a nova “pegadinha” dele não surtiu o efeito desejado. Kimmel convidou vários atores incluindo Gal Gadot, Margot Robbie, Armie Hammer e Tom Holland para aparecer de surpresa na sala de cinema em frente ao Dolby Theater, onde estava passando uma sessão de Uma Dobra no Tempo. Apesar do alvoroço do pessoal na sala de cinema, parecia que eles estavam mais animados com os brindes e quitutes distribuídos do que com a presença dos atores e de estarem ao vivo no Oscar. Tive essa impressão de que a maioria não liga mais pra premiação…

 

GRANDE TEMÁTICA DE INCLUSÃO DO OSCAR 2018

Obviamente, os assédios e o movimento Time’s Up foram o maior chamariz da cerimônia, desde o tapete vermelho até a quantidade de mulheres apresentando os prêmios no palco. Inclusive, após a decisão de Casey Affleck não comparecer ao evento para sua tarefa de apresentar o Oscar de Atriz pra evitar algum mal estar por causa de denúncias, duas atrizes vencedoras do Oscar, Jodie Foster e Jennifer Lawrence, foram convocadas para substituí-lo. Provavelmente para não causar nenhuma reclamação, fizeram outra troca: botaram Emma Stone para apresentar Melhor Diretor, e incumbiram Jane Fonda e Helen Mirren para apresentar Melhor Ator para Gary Oldman.

jennifer-lawerance-jodie-foster-meryl-strep-oscars.jpg

Jodie Foster e Jennifer Lawrence substituíram Casey Affleck na entrega do Oscar de Melhor Atriz (pic by Time Magazine)

Houve também a participação de ativistas no número musical da canção de “Stand Up for Something” do filme Marshall, que inclusive lembrou a encenação de outra música da compositora Diane Warren, “Til it Happens to You”, cantada por Lady Gaga no Oscar de 2016. Assim como naquela ocasião, pelo forte apelo social e étnico, acreditava que venceria como Melhor Canção, mas ficou na boa intenção novamente para Warren.

Contudo, o maior e melhor momento da noite em relação às mulheres, foi a bela homenagem de Frances McDormand, que deixou a estatueta do Oscar que acabara de ganhar no chão, para em seguida pedir para que todas as mulheres que foram indicadas se levantem.  “Olhem em volta, damas e cavalheiros, porque todas nós temos histórias para contar e projetos que precisamos de financiamento. Não falem sobre isso nas festas, mas nos convide para seu escritório daqui uns dias ou vocês podem vir para o nosso, o que for melhor, e nós contaremos tudo sobre eles.” – É nessas horas que a gente vê o porquê fizeram questão de entregar um segundo Oscar para Frances: porque ela tem coisas importantes a dizer como representante. Ela termina o discurso com “Tenho duas palavras para deixar com vocês esta noite: inclusion rider” – explicando: “inclusion rider” é uma cláusula contratual que exige que contratem uma equipe mais diversificada. Resumindo: Frances McDormand exige atitude das mulheres para haver reais mudanças, e não apenas agirem como vítimas. Estupendo!

Frances Oscar

Frances McDormand convoca todas as mulheres a se levantarem no Oscar 2018 (pic by Mark Ralston)

 

Além do clamor feminino, é inegável o poder dado às minorias latinas, outro alvo ferrenho de Trump. Assim, produções e artistas latinos se destacaram nesta 90ª edição do Oscar. Tivemos o terceiro mexicano premiado como Melhor Diretor (Guillermo del Toro), tivemos a animação Viva: A Vida é uma Festa levando dois Oscars pra casa, e o prêmio para o Chile, cujo filme é protagonizado por uma transsexual (Daniela Vega), além de apresentadores mexicanos como Eugenio Derbez e a bela Eiza González.

E não poderia deixar de citar a comunidade negra (ou afro), que além de comemorar o mega sucesso de bilheteria de Pantera Negra, o primeiro super-herói negro do cinema, pôde celebrar a vitória de Jordan Peele como Melhor Roteiro Original pelo excelente Corra! (que deveria ter levado Melhor Filme).

DE ACORDO COM O SCRIPT

Com tantos prêmios que antecedem o Oscar, fica praticamente impossível de esperar por uma boa surpresa. Sério! Tem tanto prêmio de sindicato que serve de ótimo parâmetro que quase não espaço para vencedores diferentes hoje. Tipo, quem ganha o SAG, dificilmente vai perder o Oscar de ator ou atriz, assim como quem vencer o DGA terá 95% de chance de levar o Oscar de Direção também. Dessa forma, seguindo o exemplo dado, todos os atores e o diretor vencedores se repetiram dos respectivos prêmios dos sindicatos. Honestamente, ainda tinha uma pontinha de esperança de que Laurie Metcalf seria uma das grandes surpresas da noite batendo Allison Janney na categoria de Atriz Coadjuvante, mas ficou na vontade mesmo.

Oscar 2018 Actors Winners

Vencedores das categorias de atuação: Sam Rockwell, Frances McDormand, Allison Janney e Gary Oldman (pic by oscars.org)

Até na categoria de Melhor Filme, que poderia proporcionar uma grande novidade por causa do sistema de votação distinto, esperava-se que haveria uma surpresa que não veio. A Forma da Água já tinha levado o prêmio do sindicato de produtores (PGA).

AS (POUQUÍSSIMAS) SURPRESAS

Para muitos que fizeram bolão e acompanharam o Oscar, a vitória do Chile na categoria de Filme em Língua Estrangeira não foi tão surpreendente assim. Mesmo vendo muitas apostas para Uma Mulher Fantástica, acreditava que o conservadorismo predominante jamais premiaria um filme protagonizado por uma transgênero. Então, foi uma surpresa bem agradável de ver na tela. Trata-se do primeiríssimo Oscar para o nosso país vizinho. Parabéns ao Chile!

Una Mujer Oscar

Sebástian Lelio discursa em nome do filme Uma Mulher Fantástica (pic by Mark Ralston)

Seguindo pela mesma linha de Filme Estrangeiro, a vitória de “Remember Me” me surpreendeu um pouco. Primeiramente, a animação Viva: A Vida é uma Festa já ganharia o Oscar de Longa de Animação com certeza, então não haveria real necessidade de premiar a canção também. E principalmente porque a música não tinha pegado tanto assim na cabeça quanto “This is Me” (de O Rei do Show), que se tornou uma espécie de hino nas Olimpíadas de Inverno na Coréia do Sul.

Fiquei também um pouco chocado com a derrota dos Efeitos Visuais de Planeta dos Macacos: A Guerra para Blade Runner 2049. Não que os efeitos do filme de Denis Villeneuve não sejam merecedores de tal honraria, mas como era o terceiro e último filme da trilogia nova de Planeta dos Macacos, das quais todas as partes foram indicados ao prêmio de efeitos visuais, esperava-se um pouco mais de reconhecimento por parte da Academia, inclusive para o ator-símbolo do motion capture, Andy Serkis.

No geral, as estatuetas foram distribuídos de forma uniforme. Pra se ter uma idéia: dos nove filmes indicados a Melhor Filme, sete conquistaram pelo menos um Oscar. As duas únicas exceções foram Lady Bird e The Post: A Guerra Secreta, que saíram de mãos vazias da cerimônia. Enfim, não é possível agradar a todos… No caso de Greta Gerwig, que estava concorrendo como Diretora e Roteirista, não há motivos para reclamar, pois ela teve uma mega-exposição durante toda a cerimônia, e certamente terá inúmeras oportunidades de dar continuidade à sua nova carreira como diretora. Já o filme de Spielberg, nem preciso explicar muito: simplesmente  não merecia nem as duas indicações.

DELEITES PESSOAIS

Particularmente, tive um ou outro momento que gostei mais. Primeiro: o Oscar para Roger Deakins. Não apenas pela vitória que veio depois de 14 indicações, mas pelo conjunto da obra também. Deakins é um dos maiores (se não o maior) diretores de fotografia em atividade hoje. Sua qualidade técnica e visão elevam a qualidade de qualquer filme em que estiver envolvido, mesmo que o diretor seja mais inexperiente.

Queria Jordan Peele levando os três Oscars a que estava indicado: Filme, Diretor e Roteiro Original. Levou apenas o último, mas foi uma vitória super merecida, que coroa sua audácia e insistência de fazer um filme corajoso sobre o racismo vivido nos EUA. Corra! se tornou vencedor do Oscar, podendo estampar essa láurea com orgulho nas capas de seus DVDs e Blu-rays, e pode e deve proporcionar projetos super interessantes para Peele nos próximos anos. O cinema e o espectador agradecem.

90th Annual Academy Awards - Show

Jordan Peele agradece pelo Oscar de Roteiro Original (pic by Time Magazine)

VENCEDORES DO 90th ACADEMY AWARDS:

MELHOR FILME
* A Forma da Água (The Shape of Water)

MELHOR DIRETOR
* Guillermo del Toro (A Forma da Água)

MELHOR ATOR
* Gary Oldman (O Destino de uma Nação)

MELHOR ATRIZ
* Frances McDormand (Três Anúncios Para um Crime)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
* Sam Rockwell (Três Anúncios Para um Crime)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
* Allison Janney (Eu, Tonya)

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
* Jordan Peele (Corra!)

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
* James Ivory (Me Chame Pelo Seu Nome)

MELHOR FOTOGRAFIA
* Roger Deakins (Blade Runner 2049)

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE
* Paul D. Austerberry, Shane Vieau, Jeffrey A. Melvin (A Forma da Água)

MELHOR MONTAGEM
* Lee Smith (Dunkirk)

MELHOR FIGURINO
* Mark Bridges (Trama Fantasma)

MELHOR MAQUIAGEM E CABELO
* Kazuhiro Tsuji, David Malinowski, Lucy Sibbick (O Destino de uma Nação)

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL
* Alexandre Desplat (A Forma da Água)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
* “Remember Me”, de Kristen Anderson-Lopez, Robert Lopez (Viva: A Vida é uma Festa!)

MELHOR SOM
* Gregg Landaker, Gary Rizzo, Mark Weingarten (Dunkirk)

MELHORES EFEITOS SONOROS
* Richard King, Alex Gibson (Dunkirk)

MELHORES EFEITOS VISUAIS
* John Nelson, Ger Jeff White, Scott Benza, Michael MeiardusNefzer, Paul Lambert, Richard R. Hoover (Blade Runner 2049)

MELHOR FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA
* Uma Mulher Fantástica (CHILE)

MELHOR ANIMAÇÃO
* Viva: A Vida é uma Festa! (Coco)

MELHOR DOCUMENTÁRIO
* Ícaro

MELHOR DOCUMENTÁRIO-CURTA
* Heaven is a Traffic Jam on the 405

MELHOR CURTA-METRAGEM
* The Silent Child

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO
* Dear Basketball

OSCAR 2018: ‘A FORMA DA ÁGUA’ LIDERA COM 13 INDICAÇÕES. MARTIN MCDONAGH FICA DE FORA COMO DIRETOR POR ‘TRÊS ANÚNCIOS PARA UM CRIME’

oscars-logo

ANÚNCIO DAS INDICAÇÕES

Não sei porque nos últimos dois anos, a Academia tem inventado moda no anúncio dos indicados. Não tem muito segredo: coloquem alguém para falar em voz alta, um monitor atrás com as imagens dos filme indicados e pronto!

Fizeram uma série de mini curtinhas com atores sintetizando as especificações de cada categoria, mas na hora do anúncio, não se deram nem o trabalho de inserir imagens no telão dos filmes indicados.

Mas o pior de tudo foi a escolha dos apresentadores. Os atores Andy Serkis e Tiffany Haddish não têm química alguma, e mais grave ainda: Haddish errava a pronúncia de vários nomes dos indicados. Pô, peraí! Não podiam colocar alguém menos analfabeto? Ou pelo menos que tivesse treinado para se apresentar? Não sei como os indicados se sentiram, mas se eu fosse indicado, não gostaria que errassem meu nome de forma tão esculachada como aconteceu ao vivo.

Obviamente, o público presente no local do anúncio era formado por jornalistas, mas pelas risadas bem forçadas pras piadas sem graça da Tiffany Haddish, parecia que eram figurantes contratados pra dar risada como naquelas gravações de sitcoms.

OSCAR EM NÚMEROS

Como esperado, o recordista de indicações desta edição foi A Forma da Água com 13. Bem depois, vem Três Anúncios Para um Crime com sete indicações. Aliás, ambos são filmes da Fox Searchlight, que totalizou 20 indicações. E agora? Será que a Fox terá o mesmo respeito e liberdade sendo propriedade da Disney?

Dunkirk, da Warner Bros., conquistou oito respeitáveis indicações, inclusive para Filme e Diretor. Com seis indicações, O Destino de uma Nação e Trama Fantasma também tiveram boa aceitação.

Favoritos durante a primeira metade da temporada de premiações tiveram que se contentar com menos indicações: cinco para Lady Bird, quatro para Corra! e quatro para Me Chame Pelo Seu Nome.

Não é exatamente uma novidade, mas Meryl Streep conquistou sua 21ª indicação ao Oscar, batendo um novo recorde que parece inalcançável. The Post: A Guerra Secreta foi indicado a Melhor Filme, mas falhou em ser reconhecido pra Diretor, Ator (Tom Hanks), Roteiro, Montagem e Trilha Musical, portanto suas chances são bastante remotas neste ano.

E um fato super interessante desta edição: como não víamos há muito tempo, filmes de gênero estão bem representados. Além das 13 indicações para a FANTASIA A Forma da Água, temos o TERROR de Corra! (o último terror indicado a Melhor Filme foi Cisne Negro em 2011), temos a adaptação de HQ de Logan e temos as cinco indicações para a FICÇÃO CIENTÍFICA de Blade Runner 2049.

SURPRESAS E MARCAS HISTÓRICAS

As surpresas nas atuações ficaram nas categorias de Coadjuvantes. Christopher Plummer, que havia sido indicado ao Globo de Ouro, foi reconhecido aqui também por Todo o Dinheiro do Mundo, no qual substituiu às pressas o acusado de abusos contra menores Kevin Spacey. A indicação única para o filme no Oscar representa um prêmio de consolação para Ridley Scott, que lutou duramente contra o estúdio para refilmar as cenas de Spacey com Plummer.

Já na categoria feminina, a surpresa foi Lesley Manville por Trama Fantasma. Mais conhecida por filmes britânicos menores e por ter trabalhado com um dos melhores diretores de atores no cinema, Mike Leigh, em Um Ano Mais. Esta é sua primeira indicação ao Oscar.

Aliás, o novo filme de Paul Thomas Anderson foi aquele filme que chegou atrasado e já sentou na janelinha. A previsão era de que Trama Fantasma conquistasse no máximo umas três indicações: Ator (Daniel Day-Lewis), Figurino e Trilha Musical, mas acabou coletando Atriz Coadjuvante, Diretor para Anderson e Melhor Filme!

Rachel Morrison se tornou a primeira diretora de fotografia mulher a ser indicada ao Oscar de Melhor Fotografia em 90 anos de história. Ela concorre pelo filme Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississipi, que já estava concorrendo também ao ASC, prêmio do sindicato de Diretores de Fotografia, onde ela também foi a pioneira. Felizmente, seu trabalho foi reconhecido por méritos, e não por motivos politicamente corretos, como muitos podem pensar.

rachel-morrison-mudbound

A primeira diretora de fotografia indicada ao Oscar, Rachel Morrison, por Mudbound.

E Greta Gerwig se tornou a quinta mulher indicada na categoria de Direção por Lady Bird, assim como Jordan Peele se tornou o quinto negro a ser indicado na categoria por Corra!. E Christopher Nolan finalmente conseguiu conquistar sua primeira indicação de Diretor no Oscar por Dunkirk após duas indicações como roteirista por Amnésia e A Origem, e como produtor por A Origem.

Outra surpresa desta edição ficou por conta da indicação de Roteiro Adaptado de Logan. Como todos sabem, a Academia nunca levou à sério filmes baseados em quadrinhos de super-heróis, tanto que eles ficam limitados às categorias de efeitos visuais, efeitos sonoros, maquiagem… (única exceção feita ao Oscar de Heath Ledger, que incorporou Coringa em Batman: O Cavaleiro das Trevas), portanto uma indicação para Roteiro certamente é uma surpresa agradável. Apesar de ser baseado em HQ, Logan mais parece um filme futurista de ficção científica, o que certamente contribuiu para esse reconhecimento. Além disso, a Academia pode ter pensado em compensar a ausência de Deadpool no ano passado na mesma categoria.

Logan_

Hugh Jackman e Dafne Keen em cena de Logan, indicado ao Oscar de Roteiro Adaptado. pic by imdb.com

AUSÊNCIAS

A ausência mais sentida aqui foi de Martin McDonagh na categoria de Diretor. Embora seu roteiro tenha sido indicado, ele havia sido reconhecido pelo DGA, prêmio do sindicato de diretores. Sua ausência nessa categoria pode significar um enfraquecimento de Três Anúncios Para um Crime na votação de Melhor Filme, já que é um fato muito raro um filme ganhar o prêmio máximo da noite e sequer ter seu diretor indicado. A última vez que isso aconteceu foi em 2013, quando Ben Affleck foi “esquecido” por Argo numa trapalhada no calendário da Academia. O filme acabou levando Melhor Filme numa tentativa de compensar o erro. Antes disso, isso só aconteceu em 1990, quando Conduzindo Miss Daisy levou Melhor Filme sem seu diretor indicado.

martin mcdonagh three billboards.jpeg

Martin McDonagh dirige Woody Harrelson em cena de Três Anúncios Para um Crime: indicação apenas pelo Roteiro Original

Embora muitos achem surpresa a ausência de James Franco como Melhor Ator por O Artista do Desastre, eu tinha certeza de que ele ficaria de fora por causa dos escândalos recentes de assédio de cinco mulheres logo depois do Globo de Ouro. Se a Academia tem pegado pesado nessa questão, expulsando inclusive o produtor Harvey Weinstein da associação, seria estranho e incoerente se indicassem Franco agora. Além disso, acredito que se ele fosse indicado, não haveria muito clima pro ator no tapete vermelho ou mesmo durante a cerimônia. Muitas mulheres iriam destratá-lo ou ignorá-lo. Resta saber se os roteiristas do filme vão aguentar o interrogatório sobre ele no evento. Minha opinião? Indicação para Franco já! Além da atuação, ele dirigiu o filme (garimpou ouro no filme de Tommy Wiseau, The Room). A Academia deveria reconhecer o trabalho. Deixem os pudicos julgarem o lado pessoal.

james-franco-the-artist-bts.jpg

No centro, James Franco dirige O Artista do Desastre. Sua indicação como Ator naufragou após as cinco denúncias de abuso. Pic by Variety

Ok, a tailandesa Hong Chau não foi indicada por Pequena Grande Vida. E daí? Acontece. E não somente porque ela é asiática ou oriental. Ela foi substituída por uma grande atriz, Lesley Manville, então não vejo nenhum problema. Se o pessoal do politicamente correto ficar resmungando por causa disso, tem que se tratar numa clínica psicológica. Se eu que sou asiático não estou ligando pra isso, por que alguém que não é deveria perder as estribeiras?? Vale lembrar que o novo filme de Alexander Payne recebeu péssimas críticas e talvez por isso, Hong Chau tenha ficado de fora.

Bom, a ausência de Tom Hanks aqui também não me surpreende. Ele pode ter recebido indicações do Globo de Ouro e do Critics’ Choice, que costumam ser puxa-sacos de celebridades, mas na Academia as coisas são diferentes: são os colegas de profissão de Hanks que votam nos indicados. Portanto, conclui-se de que não sou somente eu que pensa que Tom Hanks tem interpretado a si mesmo nos nas últimas duas décadas. Ele pode ter um carisma fenomenal, mas sua capacidade de atuação não é a mesma dos anos 90.

Vale a pena ressaltar aqui as ausências dos coadjuvantes de Me Chame Pelo Seu Nome: Armie Hammer e Michael Stuhlbarg. Ambos foram indicados pelo Critics’ Choice, e Hammer também foi reconhecido pelo Globo de Ouro. Hammer tem uma boa presença no filme, e Stuhlbarg é mais reconhecido pelo monólogo final sobre se apaixonar, contudo, para ser indicado ao Oscar, acho que faltaram mais cenas desses personagens, algo que dissesse ao espectador que são táteis e tridimensionais.

call me by your name table_

Ao fundo, os coadjuvantes Michael Stuhlbarg e Armie Hammer em cena de Me Chame Pelo seu Nome com Amira Casar e Timothée Chalamet. Pic by imdb.com

E pelamor de deus, não me venham com esse papo de “ausência relevante” de Mulher-Maravilha! A Academia pode ter errado muuuuito nas últimas décadas, mas felizmente soube enxergar que o filme da heroína amazona dirigido por Patty Jenkins nada mais é do que hype momentâneo que pegou carona com o movimento feminista, apoiado por seu sucesso de bilheteria.

MINHA TORCIDA

Sobre os filmes de 2017, cansei de falar que o melhor filme foi Corra!, de Jordan Peele. Um filme que soube abordar o tema do racismo como nenhum outro, sabendo dosar drama, humor negro e tensão na medida certa. E isso tudo é mérito total de Peele, que escreveu o roteiro baseado no sentimento horrível que ele tinha de se sentir acuado como minoria. Não sei se tem chances reais de ganhar uma estatueta, mas ponto pra Academia que incluiu esta pérola do cinema nas indicações.

get out daniel kaluuya_

Racismo tratado como nunca em Corra!, de Jordan Peele (pic by imdb.com)

Gostei também de ver Timothée Chalamet indicado como Ator por Me Chame Pelo Seu Nome. Esse menino prodígio tem um grande futuro no cinema! Se o filme não foi tão bem aceito pela Academia, pelo menos foi indicado a Melhor Filme.

Não sou da onda politicamente correta, mas foi bacana ver Greta Gerwig indicada. Muitas e muitas mulheres, sejam artistas ou cinéfilas, elogiaram bastante Lady Bird por saber retratar como nunca o universo feminino e suas incertezas da juventude. Não sei se tem chances de levar Diretor, mas pode levar Roteiro Original. Gostaria que o filme levasse Atriz Coadjuvante para Laurie Metcalf, mas o favoritismo de Allison Janney chega a espantar.

Só mais um adendo que não vi ninguém comentar até agora. Se indicaram a Direção de Arte e Figurino de A Bela e a Fera, deveriam ter indicado os artistas que fizeram essas funções no longa de animação homônimo de 1991, já que esse live-action é uma cópia deslavada. Como os próprios nomes em inglês dizem: Production Design e Costume Design, ou seja, estão reconhecendo o design, que veio da animação. Não sou purista, nem nada do tipo, mas acho hipocrisia reconhecer o mesmo trabalho duas vezes. Só espero que não ganhe nenhuma estatueta, porque daí seria demais…

INDICADOS AO 90th ACADEMY AWARDS:

MELHOR FILME
* Me Chame Pelo Seu Nome (Call me by Your Name)
* O Destino de uma Nação (Darkest Hour)
* Dunkirk (Dunkirk)
* Corra! (Get Out)
* Lady Bird: É Hora de Voar (Lady Bird)
* Trama Fantasma (Phantom Thread)
* The Post: A Guerra Secreta (The Post)
* A Forma da Água (The Shape of Water)
* Três Anúncios Para um Crime (Three Billboards Outside Ebbing, Missouri)

MELHOR DIRETOR
* Christopher Nolan (Dunkirk)
* Jordan Peele (Corra!)
* Greta Gerwig (Lady Bird)
* Paul Thomas Anderson (Trama Fantasma)
* Guillermo del Toro (A Forma da Água)

MELHOR ATOR
* Timothée Chalamet (Me Chame Pelo Seu Nome)
* Daniel Day-Lewis (Trama Fantasma)
* Daniel Kaluuya (Corra!)
* Gary Oldman (O Destino de uma Nação)
* Denzel Washington (Roman J. Israel, Esq.)

MELHOR ATRIZ
* Sally Hawkins (A Forma da Água)
* Frances McDormand (Três Anúncios Para um Crime)
* Margot Robbie (Eu, Tonya)
* Saoirse Ronan (Lady Bird)
* Meryl Streep (The Post: A Guerra Secreta)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
* Willem Dafoe (Projeto Flórida)
* Woody Harrelson (Três Anúncios Para um Crime)
* Richard Jenkins (A Forma da Água)
* Christopher Plummer (Todo o Dinheiro do Mundo)
* Sam Rockwell (Três Anúncios Para um Crime)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
* Mary J. Blige (Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississipi)
* Allison Janney (Eu, Tonya)
* Lesley Manville (Trama Fantasma)
* Laurie Metcalf (Lady Bird)
* Octavia Spencer (A Forma da Água)

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
* Kumail Nanjiani, Emily V. Gordon (Doentes de Amor)
* Jordan Peele (Corra!)
* Greta Gerwig (Lady Bird)
* Guillermo del Toro e Vanessa Taylor (A Forma da Água)
* Martin McDonagh (Três Anúncios Para um Crime)

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
* James Ivory (Me Chame Pelo Seu Nome)
* Scott Neustadter, Michael H. Weber (O Artista do Desastre)
* Scott Frank, James Mangold, Michael Green (Logan)
* Aaron Sorkin (A Grande Jogada)
* Virgil Williams, Dee Rees (Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississipi)

MELHOR FOTOGRAFIA
* Roger Deakins (Blade Runner 2049)
* Bruno Delbonel (O Destino de uma Nação)
* Hoyte van Hoytema (Dunkirk)
* Rachel Morrison (Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississipi)
* Dan Laustsen (A Forma da Água)

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE
* Sarah Greenwood, Katie Spencer (A Bela e a Fera)
* Dennis Gassner, Alessandra Querzola (Blade Runner 2049)
* Sarah Greenwood, Katie Spencer (O Destino de uma Nação)
* Nathan Crowley, Gary Fettis (Dunkirk)
* Paul D. Austerberry, Shane Vieau, Jeffrey A. Melvin (A Forma da Água)

MELHOR MONTAGEM
* Paul Machliss, Jonathan Amos (Em Ritmo de Fuga)
* Lee Smith (Dunkirk)
* Tatiana S. Riegel (Eu, Tonya)
* Sidney Wolinsky (A Forma da Água)
* John Gregory (Três Anúncios Para um Crime)

MELHOR FIGURINO
* Jacqueline Durran (A Bela e a Fera)
* Luis Sequeira (A Forma da Água)
* Jacqueline Durran (O Destino de uma Nação)
* Mark Bridges (Trama Fantasma)
* Consolata Boyle (Victoria e Abdul: O Confidente da Rainha)

MELHOR MAQUIAGEM E CABELO
* Kazuhiro Tsuji, David Malinowski, Lucy Sibbick (O Destino de uma Nação)
* Daniel Phillips, Loulia Sheppard (Victoria e Abdul: O Confidente da Rainha)
* Arjen Tuiten (Extraordinário)

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL
* Hans Zimmer (Dunkirk)
* Jonny Greenwood (Trama Fantasma)
* Alexandre Desplat (A Forma da Água)
* John Williams (Star Wars: Os Últimos Jedi)
* Carter Burwell (Três Anúncios Para um Crime)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
* “Mighty River”, de Raphael Saadiq, Mary J. Blige, Taura Stinson (Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississipi)
* “Mystery of Love”, de Sufjan Stevens (Me Chame Pelo Seu Nome)
* “Remember Me”, de Kristen Anderson-Lopez, Robert Lopez (Viva: A Vida é uma Festa!)
* “Stand up for Something”, de Common, Diane Warren (Marshall)
* “This is Me”, de Benj Pasek, Justin Paul (O Rei do Show)

MELHOR SOM
* Tim Cavagin, Mary H. Ellis, Julian Slater (Em Ritmo de Fuga)
* Ron Bartlett, Doug Hemphill, Mac Ruth (Blade Runner 2049)
* Gregg Landaker, Gary Rizzo, Mark Weingarten (Dunkirk)
* Christian T. Cooke, Glen Gauthier, Brad Zoern (A Forma da Água)
* Michael Semanick, David Parker, Stuart Wilson, Ren Klyce (Star Wars: Os Últimos Jedi)

MELHORES EFEITOS SONOROS
* Julian Slater (Em Ritmo de Fuga)
* Mark A. Mangini, Theo Green (Blade Runner 2049)
* Richard King, Alex Gibson (Dunkirk)
* Nathan Robitaille, Nelson Ferreira (A Forma da Água)
* Matthew Wood, Ren Klyce (Star Wars: Os Últimos Jedi)

MELHORES EFEITOS VISUAIS
* John Nelson, Ger Jeff White, Scott Benza, Michael MeiardusNefzer, Paul Lambert, Richard R. Hoover (Blade Runner 2049)
* Christopher Townsend, Guy Williams, Jonathan Fawkner, Daniel Sudick (Guardiões da Galáxia Vol. 2)
* Stephen Rosenbaum, Jeff White, Scott Benza, Michael Meinardus (Kong: A Ilha da Caveira)
* Ben Morris, Michael Mulholland, Neal Scanlan, Chris Corbould (Star Wars: Os Últimos Jedi)
* Joe Letteri, Daniel Barrett, Dan Lemmon, Joel Whist (Planeta dos Macacos: A Guerra)

MELHOR FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA
* Uma Mulher Fantástica (CHILE)
* O Insulto (LÍBANO)
* Desamor (RÚSSIA)
* Corpo e Alma (HUNGRIA)
* The Square: A Arte da Discórdia (SUÉCIA)

MELHOR ANIMAÇÃO
* O Poderoso Chefinho (The Boss Baby)
* The Breadwinner
* Viva: A Vida é uma Festa! (Coco)
* O Touro Ferdinando (Ferdinand)
* Com Amor, Van Gogh (Loving Vincent)

MELHOR DOCUMENTÁRIO
* Abacus: Small Enough to Jail
* Faces Places
* Ícaro
* Last Men in Aleppo
* Strong Island

MELHOR DOCUMENTÁRIO-CURTA
* Edith + Eddie
* Heaven is a Traffic Jam on the 405
* Heroin(e)
* Knife Skills
* Traffic Stop

MELHOR CURTA-METRAGEM
* DeKalb Elementary
* The Eleven O’Clock
* My Nephew Emmett
* The Silent Child
* Watu Wote: All of Us

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO
* Dear Basketball
* Garden Party
* LOU
* Negative Space
* Revolting Rhymes Part One

***

A 90ª cerimônia do Oscar está marcada para o dia 04 de março.