32 ANIMAÇÕES CONCORREM AO OSCAR 2020

Design sem nome

NÚMERO RECORDE INCLUI NETFLIX NO PÁREO

A Academia divulgou a lista com as 32 animações inscritas para concorrer ao Oscar de Melhor Longa de Animação da próxima cerimônia, marcada para o dia 9 de Fevereiro. Trata-se de um recorde, já que o número mais alto até então era de 27 no ano de 2017.

Muitos desses trabalhos ainda precisam cumprir algumas regras para se tornarem elegíveis ao prêmio, como a exibição mínima por sete dias em Los Angeles, portanto, podem haver alterações.

Segue lista completa:

* Abominável (Abominable)
* A Família Addams (The Addams Family)
* Angry Birds 2: O Filme (The Angry Birds Movie 2)
* Another Day of Life
* Longe (Away)
* Buñuel in the Labyrinth of the Turtles (Buñuel en el laberinto de las tortugas)
* Children of the Sea (Kaijû no kodomo)
* Dilili à Paris (Dilili in Paris)
* Frozen 2 (Frozen II)
* Funan
* Primal
* Como Treinar o Seu Dragão 3 (How to Train Your Dragon: The Hidden World)
* Perdi Meu Corpo (J’ai perdu mon corps)
* Klaus
* The Last Fiction
* Uma Aventura Lego 2 (The Lego Movie 2: The Second Part)
* Marona’s Fantastic Tale (L’extraordinaire voyage de Marona)
* Link Perdido (Missing Link)
* Ne Zha (Ne Zha zhi mo tong jiang shi)
* Okko’s Inn (Waka okami wa Shôgakusei!)
* Pachamama
* Promare
* Rezo
* Pets: A Vida Secreta dos Bichos 2 (The Secret Life of Pets 2)
* Um Espião Animal (Spies in Disguise)
* The Swallows of Kabul (Les hirondelles de Kaboul)
* This Magnificent Cake! (Ce Magnifique gateau!)
* The Tower
* Toy Story 4 (Toy Story 4)
* Upin & Ipin: The Lone Gibbon Kris (Upin & Ipin: Keris Siamang Tunggal)
* Weathering with You (Tenki no ko)
* White Snake (Baishe: Yuanqi)

Design sem nome (1)

As animações Ne Zha e Weathering With You também competem na categoria de Filme Internacional (ex-Filme em Língua Estrangeira) pelos países China e Japão, respectivamente, onde foram sucessos de bilheteria. Embora suas chances de indicação aumentem, as animações têm maiores chances na categoria de Animação. Vidas ao Vento (2013), de Hayao Miyazaki, também concorreu em ambas, mas foi indicado apenas na categoria de Animação. Já na categoria de Filme Internacional, houve apenas uma animação indicada na história: Valsa com Bashir, de Ari Folman, que concorreu por Israel em 2009.

Design sem nome (2)

A Netflix também está na corrida por reconhecimento. A plataforma de streaming inscreveu três trabalhos: as animações francesas Perdi Meu Corpo e Pachamama, e a espanhola Klaus que tem em seu elenco J.K. Simmons e Joan Cusack. Enquanto Pachamama já está disponível no acervo brasileiro, Klaus estará disponível a partir de 15 de novembro, e Perdi Meu Corpo (I Lost my Body) a partir de 29 de novembro. Essa última produção recebeu alguns prêmios importantes como a da Semana da Crítica em Cannes, o que pode contribuir para sua campanha ao Oscar.

Talvez ainda seja cedo para dar previsões certeiras, mas à princípio nossas apostas para os indicados são:

– Frozen 2
– Perdi Meu Corpo
– Missing Link
– Toy Story 4
– Weathering With You

Design sem nome (3)

As indicações ao Oscar 2020 serão anunciadas no dia 13 de janeiro.

16 animações disputam vaga no Oscar 2016

Cena de Hotel Transilvânia 2, uma das 16 animações inscritas para o Oscar de Melhor Longa de Animação (photo by cine.gr)

Cena de Hotel Transilvânia 2, uma das 16 animações inscritas para o Oscar de Melhor Longa de Animação (photo by cine.gr)

SE TODOS SE QUALIFICAREM, TEREMOS 5 INDICADOS NA CATEGORIA

As animações inscritas são:
  • Anomalisa
    Dir: Charlie Kaufman, Duke Johnson
  • The Boy and the Beast (Bakemono no ko)
    Dir: Mamoru Hosoda
  • O Menino e o Mundo
    Dir: Alê Abreu
  • O Bom Dinossauro (The Good Dinossaur)
    Dir: Peter Sohn
  • Cada um na Sua Casa (Home)
    Dir: Tim Johnson
  • Hotel Transilvânia 2 (Hotel Transylvania 2)
    Dir: Genndy Tartakovsky
  • Divertida Mente (Inside Out)
    Dir: Pete Docter
  • Kahlil Gibran’s The Prophet
    Dir: Roger Allers
  • The Laws of the Universe – Part 0 (UFO Gakuen no Himitsu)
    Dir: Isamu Imakake
  • Minions
    Dir: Kyle Balda, Pierre Coffin
  • Moomins on the Riviera (Muumit Rivieralla)
    Dir: Xavier Picard, Hanna Hemilä
  • Snoopy & Charlie Brown: Peanuts, o Filme (The Peanuts Movie)
    Dir: Steve Martino
  • Apenas um Show: O Filme (Regular Show: The Movie)
    Dir: J.G. Quintel
  • Shaun: O Carneiro (Shaun the Sheep Movie)
    Dir: Mark Burton, Richard Starzak
  • Bob Esponja: Um Herói Fora d’Água (The SpongeBob Movie: Sponge out of Water)
    Dir: Paul Tibbitt, Mike Mitchell
  • Quando Estou com Marnie (Omoide no Mânî) 
    Dir: Hiromasa Yonebayashi

Dentre os trabalhos, certamente um dos mais interessantes é a primeira animação do diretor e roteirista Charlie Kaufman, conhecido por suas histórias criativas de Quero Ser John Malkovich e Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças. Neste trabalho de stop-motion, acompanhamos a vida de um homem aleijado por sua própria vida mundana. Pela sinopse, não se trata de um filme destinado ao público infantil, o que pode reduzir consideravelmente suas chances de vitória, mas sua indicação é dada como certa pela maioria dos críticos, afinal, tem a assinatura de Kaufman (que já ganhou o Oscar de Melhor Roteiro Original em 2005) e a categoria sempre apresenta nomes de diretores mais autorais como Tim Burton (A Noiva-Cadáver), Hayao Miyazaki (A Viagem de Chihiro) e Wes Anderson (O Fantástico Sr. Raposo). E é o único inscrito que concorreu ao Leão de Ouro em Veneza.

Cena de Anomalisa, de Charlie Kaufman e Duke Johnson (photo by trailer.apple.com)

Cena de Anomalisa, de Charlie Kaufman e Duke Johnson (photo by trailer.apple.com)

Este ano, temos uma curiosidade inédita. É a primeira vez que dois trabalhos da Pixar estão competindo: Divertida Mente e O Bom Dinossauro. Após um hiato raro de dois anos sem aparecer na categoria com filmes menos expressivos como Carros 2 e Universidade Monstros, a Pixar resolveu lançar dois filmes no mesmo ano para não ter erro. Entre os dois, Divertida Mente larga na frente por seu nível de criatividade ao criar personagens que representam as emoções, mas peca pela história fraca. Já O Bom Dinossauro tem uma premissa interessante de “E se o asteróide que extinguiu os dinossauros não tivesse acertado a Terra?”, possibilitando a convivência entre os dinossauros e os humanos.

As emoções Tristeza, Raiva, Medo, Nojinho e Alegria em cena de Divertida Mente (photo by outnow,ch)

As emoções Tristeza, Raiva, Medo, Nojinho e Alegria em cena de Divertida Mente (photo by outnow,ch)

Aproveitando o assunto da Pixar, o futuro da companhia preocupa um pouco. Outrora berço de filmes super criativos, o planejamento dos próximos anos inclui inúmeras sequências como Procurando Dory, Os Incríveis 2, Carros 3 e Toy Story 4! Claro que essas continuações devem ter suas qualidades e devem render rios de dinheiro, mas pra um estúdio que cresceu através de sua criatividade, o reinado pode estar ameaçado.

Cena de O Bom Dinossauro, de Peter Sohn (photo by outnow.ch)

Cena de O Bom Dinossauro, de Peter Sohn (photo by outnow.ch)

Vale ressaltar que todo ano, a Academia gosta de deixar pelo menos uma vaga para uma produção estrangeira. Parece até cota estrangeira, mas convenhamos que existem tantos trabalhos impecáveis fora do circuito americano que se fosse fazer justiça, teria pelo menos 3 animações estrangeiras todo ano na categoria! Então, nessa lógica, a animação japonesa Quando Estou com Marnie (Omoide no Mânî), de Hiromasa Yonebayashi, deve preencher a vaga praticamente cativa nipônica de Hayao Miyazaki e Isao Takahata. Trata-se de uma história bem emotiva de uma garota que se muda para uma casa no interior, onde fica obcecada por uma menina que vive numa mansão ao lado que pode ou não existir. E tem o selo de qualidade do Studio Ghibli, de Miyazaki.

Cena de Quando Estou com Marnie, de Hiromasa Yonebayashi (photo by cine.gr)

Cena de Quando Estou com Marnie, de Hiromasa Yonebayashi (photo by cine.gr)

Claro que a vaga estrangeira também pode ser ocupada por uma animação brasileira. Sim, brasileira! O Menino e o Mundo (The Boy and the World), de Alê Abreu, é a segunda animação nacional inscrita para o Oscar. Em 2014, Uma História de Amor e Fúria, de Luiz Bolognesi, estava entre os inscritos, mas não conseguiu conquistar a indicação. Quem sabe não é desta vez? O trabalho de Alê Abreu possui um estilo bastante gráfico que remete ao traço de lápis de cor para retratar a busca de um menino pelo pai.

Cena de O Menino e o Mundo, de Alê Abreu (photo by cine.gr)

Cena de O Menino e o Mundo, de Alê Abreu (photo by cine.gr)

E a Academia sempre gosta de reservar uma vaga para produções mais destinadas ao público infantil que foi bem nas bilheterias como Minions, Hotel Transilvânia 2 e Snoopy & Charlie Brown: Peanuts, o Filme (sim, com este título nacional apelativo!), afinal, animações assim garantem maior audiência para a Academia. Lembrando que o filme anterior da série Minions, Meu Malvado Favorito 2, foi indicado ao Oscar de Longa de Animação e de Melhor Canção Original por ‘Happy’.

Cena de Minions, de Kyle Balda e Pierre Coffin (photo by cine.gr)

Cena de Minions, de Kyle Balda e Pierre Coffin (photo by cine.gr)

Não querendo ser pessimista, nem julgar trabalhos sem conferir, acredito que um ou outro trabalho inscrito será desqualificado, o que acarretaria num total de 3 indicados em 2016 que, na minha opinião, seriam:

  • Divertida Mente (Inside Out)
  • Anomalisa
  • Quando Estou com Marnie (Omoide no Mânî)

As indicações ao Oscar 2016 serão anunciadas no dia 14 de janeiro.

%d blogueiros gostam disto: