Mesmo em ano competitivo, ‘O Regresso’ fatura 3 Globos de Ouro

À esquerda, Alejandro González Iñárritu com duas estatuetas por Filme e Diretor, enquanto Leonardo Dicaprio com a de Melhor Ator por O Regresso (Photo by Jordan Strauss/Invision/AP - forbes.com)

À esquerda, Alejandro González Iñárritu com duas estatuetas por Filme e Diretor, enquanto Leonardo Dicaprio com a de Melhor Ator por O Regresso (Photo by Jordan Strauss/Invision/AP – forbes.com)

NOVO FILME DE ALEJANDRO GONZÁLEZ IÑÁRRITU LEVA FILME, DIRETOR E ATOR PARA LEONARDO DiCAPRIO

Se dá para resumir esta 73ª edição em uma palavra seria “surpresa”, principalmente nos prêmios de televisão, reconhecendo Rachel Bloom (Crazy Ex-Girlfriend), Oscar Isaac (Show me a Hero), a dobradinha de Mozart in the Jungle (Série de Comédia e Ator) e, claro, o polêmico prêmio para Lady Gaga por American Horror Story: Hotel. Em termos de mérito, não posso opinar sobre sua atuação porque não vi, mas se depender dos poucos aplausos e principalmente da reação mega-sarcástica de Leonardo DiCaprio, que riu com vontade enquanto ela passava por ele, foi uma piada de mal gosto. Por enquanto, vejo sua premiação como um estímulo oferecido pelo Globo de Ouro para encorajá-la a virar atriz.

Quanto aos prêmios de cinema, não sei se foi apenas o fato de eu não ter assistido ao filme, mas fiquei um pouco surpreso com os dois prêmios para Steve Jobs (Atriz Coadjuvante para Kate Winslet e Roteiro). Na verdade, estava apostando minhas fichas em Spotlight para Roteiro e Filme – Drama, afinal, Hollywood Foreign Press Association (HFPA) é um grupo formado por jornalistas, então nada mais natural do que prestigiar um filme sobre colegas de profissão, mas o filme de Tom McCarthy foi um dos grandes perdedores da noite. Só não foi o maior perdedor, porque Carol saiu de mão abanando mesmo sendo o recordista de indicações com 5. E A Grande Aposta, com 4, também não ganhou nada.

A vitória segura de O Regresso certamente o coloca como um dos grandes favoritos ao Oscar, ainda mais que provavelmente terá a seu favor múltiplas indicações em categorias técnicas como Fotografia, Trilha Musical e Montagem. Será que o diretor Alejandro González Iñárritu consegue uma dobradinha consecutiva no Oscar depois de Birdman? No Globo de Ouro ainda há a “desculpa” de que perdeu para Richard Linklater ano passado… Mas enfim, o fato é que O Regresso está em ascensão na hora certa: vem conquistando reconhecimento em prêmios de sindicatos, ganhou o Globo de Ouro e sua bilheteria não pára de crescer, mesmo com o novo filme de Star Wars dominando as bilheterias. Se as várias indicações se confirmarem na próxima quinta-feira (dia 14), deve ser o franco-favorito, ultrapassando até Carol e Spotlight.

ALTOS E BAIXOS

Um dos momentos mais emocionantes da noite foi quando anunciaram o nome de Sylvester Stallone como Melhor Ator Coadjuvante por Creed: Nascido Para Lutar. Todo o salão o aplaudiu de pé, pois trata-se de uma lenda do cinema. Como ele mesmo destacou no discurso, a última vez que ele subiu no palco do Globo de Ouro foi em 1977 pelo primeiro Rocky – Um Lutador, e fecha com “Quero agradecer meu amigo imaginário Rocky Balboa por ser o melhor amigo que já tive!” – Acho que é o que a Academia busca: uma figura lendária recebendo o Oscar.

O outro alto que poderia ser mais alto com a presença do vencedor foi a vitória do compositor italiano Ennio Morricone por Os 8 Odiados. Trata-se de um dos maiores compositores vivos que já fez trocentas trilhas de filmes. Sua música faz uma grande diferença no filme de Tarantino, criando tensão nos momentos certos, além da música-tema, que teria sido descartada da grande ficção científica de John Carpenter, O Enigma do Outro Mundo (1982). Quentin Tarantino subiu ao palco para agradecer em seu nome. Curiosamente, ele alegou que o maestro nunca tinha ganhado o Globo de Ouro, mas Morricone já levou o prêmio por A Missão (1987) e A Lenda do Pianista do Mar (1998).

Gostei bastante da premiação de Brie Larson como Melhor Atriz – Drama. Pelo que estou acompanhando, ela está dando um duro danado na campanha do filme, aparecendo em tudo quanto é mídia para falar sobre O Quarto de Jack e sua performance. Com essa vitória, ela praticamente garante sua primeira e merecida indicação ao Oscar. Ela já havia me impressionado com a atuação no drama independente Temporário 12 (Short Term 12/ 2013). Contudo, ela sabe que, por ser uma atriz relativamente desconhecida, terá que batalhar bastante se quiser ganhar o Oscar.

Ainda sobre as atrizes, a categoria de Comédia ou Musical, soou demais como algo armado para Jennifer Lawrence ganhar. Como se não bastasse ela ser queridinha da HFPA (este já é seu 3º Globo de Ouro), ela competia com atrizes tipicamente de comédias como Amy Schumer e Melissa McCarthy, e seu filme Joy: O Nome de Sucesso, claramente é uma “dramédia”, e que acaba superando comédias ruins e medianas como A Espiã que Sabia de Menos e Descompensada, respectivamente. O mesmo pode se dizer da armação de Perdido em Marte como Melhor Filme de Comédia e Matt Damon como Melhor Ator de Comédia (Ricky Gervais fez uma piada sobre – confira mais abaixo).

Tecnicamente falando O Regresso deve ser impecável. Mas tenho uma coisa que tenho receio: anda rolando muito comentário de críticos justificando seu voto em Leonardo DiCaprio pelo fato do ator ter passado por uma provação física ao filmar em terras congeladas do Canadá e Argentina, como se o prêmio fosse uma espécie de piedade. Espero que, ao conferir o filme, eu consiga enxergar mais do que essa condolência.

Das premiações que não gostei, a que mais me incomodou foi a da canção “Writing’s on the Wall” do filme 007 Contra Spectre. Mesmo fã da série de James Bond, achei a canção fraca e a voz de Sam Smith prepotente com todos aqueles agudos. Acho que até a canção “See You Again” de Velozes & Furiosos 7 é melhor. Entre os demais, mesmo sendo franco-favoritos em suas categorias, desgosto das vitórias de Divertida Mente e O Filho de Saul como Melhor Animação e Filme em Língua Estrangeira, respectivamente. Daria o prêmio para Anomalisa e O Clube.

DUPLA INDICAÇÃO COMO AZAR

Este ano, tivemos quatro atores indicados em duas categorias distintas: Alicia Vikander, Lily Tomlin, Mark Rylance e Idris Elba. Apostava que Vikander e Elba venceriam em pelo menos uma categoria, mas a votação foi cruel com todos. Nenhum dos quatro ganhou qualquer um dos prêmios a que estavam indicados. Como disse num dos parágrafos anteriores, não vi a performance de Kate Winslet, mas apostava que Alicia Vikander levaria Atriz Coadjuvante por Ex-Machina: Instinto Artificial, já que dificilmente ela teria chance como Melhor Atriz por A Garota Dinamarquesa. Talvez no Oscar, ela torça por uma indicação única para que seus votos não se dividam. Já os demais, Tomlin, Rylance e Elba, se indicados, serão apenas como Atriz e Ator Coadjuvante, já que seus outros trabalhos são de televisão.

Alicia Vikander no tapete vermelho do Globo de Ouro (photo by celebuzz.com)

Alicia Vikander no tapete vermelho do Globo de Ouro, belíssima com um vestido Louis Vuitton (photo by celebuzz.com)

RICKY GERVAIS ESTÁ DE VOLTA

Após 3 anos de Tina Fey e Amy Poehler, o ator e comediante que todas as celebridades amam odiar voltou com seu humor corrosivo. Através dele, ele fala algumas verdades que poucos admitem como: “Vocês são mega-estrelas globais com incrível talento. A maioria. Alguns de vocês apenas casaram bem. Vocês sabem quem são vocês. Todos sabemos.” As verdades continuam em outros comentários-pérola: “Vou fazer este monólogo e então vou me esconder. Nem o Sean Penn vai me encontrar… dedo-duro!” – em referência à foto que o ator aparece ao lado de um dos criminosos mais procurados do México, o traficante El Chapo. Pô, com todo o respeito ao profissional que Sean Penn é e a todos os seus fãs, que diabos o ator faz com um traficante? E precisa tirar foto do encontro? Por isso que tá certo em virar piada de Ricky Gervais!

Sei que ele soa anárquico demais, mas adoraria vê-lo um dia ser host do Oscar. Seria uma experiência surreal! Até lá, espero que continuem com ele no Globo de Ouro. E também espero que Chris Rock faça seu papel no Oscar.

Ricky Gervais

Ricky Gervais: Estava com saudades desse humor não-tão britânico dele.

Outras questões que Gervais levantou:

  1. Imparcialidade da NBC: 
    – “Está correto que a NBC deveria abrigar este show. Eles são a única rede de TV que é realmente imparcial e justa porque eles são a única rede que não tem nenhuma indicação. Então…. Não tem nada para eles esta noite. Eles não ligam, obviamente. (apontando para si mesmo – como uma escolha de host).”
  2. A não-tão imparcialidade do Globo de Ouro:
    – “Uma publicação afirmou que o fato de eu ser o host significa que algumas estrelas ficariam de fora por medo de ser alvo das minhas piadas. Como se as estrelas precisassem ficar de fora de ganhar o Globo de Ouro – particularmente se a campanha deles já não comprou o prêmio.”
    — “A Hollywood Foreign Press classificou ‘Perdido em Marte’ como comédia e até a indicou como tal. Portanto, Matt Damon está aqui esta noite. Então funcionou muito bem, né? Pra ser justo, ‘Perdido em Marte’ foi muito mais engraçado do que ‘Pixels’. Mas então, ‘A Lista de Schindler’ também foi.”
  3. A importância do Globo de Ouro:
    — “Lembrem-se: se você ganhar esta noite, ninguém liga sobre esse prêmio como você liga. Não fique emocional, é embaraçoso. Esse prêmio é, sem ofensa, sem valor. É um pouco de um bom metal que velhos jornalistas confusos quiseram te dar pessoalmente para que pudessem te encontrar e tirar uma selfie com você, ok? É só isso!”
  4. Sobre pagamento igualitário para mulheres:
    — “Jennifer Lawrence ganhou as manchetes quando demandou pagamento igualitário para mulheres em Hollywood. Ela recebeu enorme apoio de todas as pessoas. Houve marchas nas ruas de enfermeiras e empregadas de fábrica dizendo ‘Como diabos uma pessoa de 25 anos pode sobreviver com 52 milhões?!’”
    — “É claro que a mulher deve receber o mesmo que o homem pelo mesmo trabalho. E gostaria de dizer agora que estou sendo pago exatamente pelo mesmo valor do ano passado (o que Tina Fey e Amy Poehler receberam). Não, eu sei que havia duas delas, mas não é minha culpa que elas quiseram dividir o dinheiro, né? É culpa delas! É engraçado porque é verdade.”
    — “Todas as refilmagens com mulheres são a notícia. Tem o remake feminino de ‘Os Caça-Fantasmas’. Vai ter o remake feminino de ‘Onze Homens e um Segredo’. E é brilhante porque os estúdios terão resultados garantidos sem ter que gastar tanto com o elenco.”
  5. Polêmicas de Roman Polanski, Mel Gibson e Bill Cosby
    — “O excelente Spotlight foi indicado. A Igreja Católica está furiosa com o filme já que expôs que 5% de seus padres repetidamente molestaram crianças e foram permitidos a continuar sem punição. Roman Polanski o chamou de ‘melhor filme de encontro de todos os tempos.’”
    – “Eu quero dizer algo legal sobre Mel (Gibson) antes de ele entrar. Então: Prefiro ter um drink com ele em seu quarto de hotel hoje à noite do que com Bill Cosby.”
  6. Xenofobia
    Denifitivamente minha favorita da noite: — Ao introduzir as apresentadoras Eva Longoria e America Ferrera: “Duas pessoas que seu futuro presidente, Donald Trump, mal pode esperar para deportar.”

Seguem os vencedores do 73º Globo de Ouro:

CINEMA

MELHOR FILME – DRAMA
O Regresso (The Revenant)

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL
Perdido em Marte (The Martian)

MELHOR DIRETOR
Alejandro González Iñárritú (O Regresso)

MELHOR ATOR – DRAMA
Leonardo DiCaprio (O Regresso)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Brie Larson (O Quarto de Jack)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
Jennifer Lawrence (Joy: O Nome do Sucesso)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
Matt Damon (Perdido em Marte)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Kate Winslet (Steve Jobs)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Sylvester Stallone (Creed: Nascido Para Lutar)

MELHOR ROTEIRO
Aaron Sorkin (Steve Jobs)

MELHOR ANIMAÇÃO
Divertida Mente (Inside Out)

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
O Filho de Saul (Saul fia), de László Nemes (Hungria)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Writing’s on the Wall” por Sam Smith, James Napier (007 Contra Spectre)

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL
Ennio Morricone (Os 8 Odiados)

TELEVISÃO

MELHOR SÉRIE DRAMÁTICA
Mr. Robot

MELHOR ATOR EM SÉRIE DRAMÁTICA
Jon Hamm (Mad Men)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DRAMÁTICA
Taraji P. Henson (Empire)

MELHOR MINISSÉRIE OU TELEFILME
Wolf Hall

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA
Mozart in the Jungle

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Maura Tierney (The Affair)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Christian Slater (Mr. Robot)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA
Rachel Bloom (Crazy Ex-Girlfriend)

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA
Gael García Bernal (Mozart in the Jungle)

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Lady Gaga (American Horror Story: Hotel)

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Oscar Isaac (Show me a Hero)

Anúncios
Deixe um comentário

4 Comentários

  1. Hugo

     /  janeiro 12, 2016

    “O Regresso” é lindo, fotografia linda (muita neve, luz natural) e Leo DiCaprio está ótimo (realmente deve ter sofrido nas filmagens); só n entendo todo o esnobe a Tom Hardy, q interpreta mt bem o personagem q impulsiona o filme.

    As premiações para “Steve Jobs” realmente surpreenderam (inclusive a própria Kate Winslet)! Ainda n assisti ao filme, mas Isabela Boscov falou q ela tá mt bem e o REF achou q o roteiro é confuso. Será q rola o segundo Oscar da Kate? Aliás, desde a sua primeira indicação em 1996 q ela n ficava tanto tempo sem ser lembrada pela Academia (7 anos desde o prêmio por “O Leitor”). Ainda tenho q conferir sua performance, mas à princípio n faço objeção a um novo Oscar, adoro Kate (e quem não gosta?).

    Também adoro Jennifer Lawrence, mas n suporto mais ela sendo premiada pelos filmes bobos do David O. Russell. Preferia q ela tivesse ganhado o Oscar por “Jogos Vorazes”! Hahahaha…

    Eu n fiquei incomodado com a inclusão de “The Martian” como comédia, pois o filme é todo pontuado por piadinhas. Acho que a HFPA forçou mt mais a barra ao considerar (citando alguns exemplos dos últimos anos) “Big Eyes”, “Maps to the Stars” e “My Week with Marilyn” como comédia. De qq forma, acho q o filme do Ridley Scott é mero entretenimento, é bom pra uma sessão da tarde, mas n consegui enxergar mt além disso.

    Acho que Brie Larson vai levar tudo em melhor atriz, talvez perca só o BAFTA por causa do bairrismo britânico. Segundo REF, nasce uma estrela. Conheço pouco do trabalho dela, mas gostei mt do que vi.

    Gostei de “Spotlight”, mas n acho q ele tenha estofo pra ser considerado o melhor filme do ano. Um reconhecimento justo seria o seu ótimo roteiro e o elenco super entrosado.

    Agora vamos esperar pelas indicações ao Oscar. Possíveis surpresas na minha opinião: Charlotte Rampling, Kristen Stewart e Steven Spielberg indicado pela direção. Minha torcida fica para um reconhecimento ao Tom Hardy, apesar de achar mais difícil.

    Abração e vamos acompanhando os prêmios. Será q o Critics’ Choice de domingo q vem vai influenciar em alguma coisa?

    Responder
    • Olá, Hugo!

      O fato de você ter gostado bastante de ‘O Regresso’ é um bom sinal. Pode soar bobo, mas alguns filmes como esse faço questão ainda de assistir no cinema, porque admiro demais a fotografia de Emmanuel Lubezki. Sua opinião também me deixa um pouco aliviado sobre DiCaprio. Não gostaria que ele ganhasse por sofrimento ou acúmulo de indicações, mas por uma interpretação decente! Rs

      A vitória de Kate Winslet comprova que a categoria de Atriz Coadjuvante está bem disputada e com ninguém à frente. Todos apostavam em Alicia Vikander, mas não tem nada definido. Falando em definido, assim como você, estou torcendo para que sobre uma vaguinha para Kristen Stewart na categoria. Será que a Academia vai reconhecê-la?

      Bem lembradas as manobras marotas da HFPA de encaixar filmes na categoria de comédia. ‘Perdido em Marte’ tem um clima bem leve, mas muito graças a Matt Damon, que segura o filme com seu humor quase incidental. Apesar de elogiar bastante o lado otimista da ficção científica, me pego pensando se não seria melhor ter colocado muito mais tensão em algumas sequências… mas por outro lado, penso: “Poderia ficar parecido com um remake de Apollo 13!”…

      Falando em tensão, acho que esse é um dos elementos que faltou muito em ‘Spotlight’. Quero dizer, havia um pequeno grupo de jornalistas mexendo em vespeiro! Não havia tensão ou cenas de perigo. Tudo bem que a história é verídica, mas na adaptação pra filme (já que não é um documentário), poderiam ter criado algumas sequências pra deixar a trama mais tensa e culminar num clímax, que acho que faltou também. Tem mais duas outras coisas que levanto ainda (veja se vc concorda comigo): 1º ‘Spotlight’ tem cara de telefilme, não de cinema. Faltou ali, acima de tudo, um diretor de fotografia, que além da qualidade visual dos planos, poderia oferecer zooms, planos-detalhes e movimentos de câmera que faltaram pra torná-lo um filme de cinema. Eu vejo a fotografia de Gordon Willis em ‘Todos os Homens do Presidente’ e penso: cadê um bom DP em ‘Spotlight’? Assim como um bom montador pra deixar tenso. 2º Todo mundo exalta a coragem dos jornalistas em enfrentar a Igreja Católica e tal, mas tem uma questão levantada no final, sobre a responsabilidade do jornalista (o personagem de Michael Keaton deixou passar a história 10 anos atrás), o que é algo que poderia ser muito bem explorado, mas ficou ali contido e enterrado naquela cena no escritório. Não desenvolvem algo nessa direção, o que poderia ter dado muito mais profundidade aos personagens. Enfim… gosto de ‘Spotlight’, mas já não o considero merecedor do Oscar de Melhor Filme.

      E fechando a resposta, não sei se Charlotte Rampling vai conseguir a indicação. Nesse ponto, estou bem mais crente na indicação de Tom Hardy por ‘O Regresso’ (o cara também estava em ‘Mad Max’) e de Steven Spielberg, Apesar de não ter sido incluso na lista do DGA, Spielberg certamente tem mais credibilidade do que Adam McKay como diretor.

      Vamos ver como esse Critics’ Choice vai se sair… aí comentamos melhor! Espero que premiem ‘Carol’, que ficou bem esquecido depois do Globo de Ouro.

      Abraços, caro amigo!

      Responder
      • Hugo

         /  janeiro 13, 2016

        Tb achei “Spotlight” com cara de telefilme e concordo q faltou mais profundidade no desenvolvimento do personagem de Michael Keaton. Tb seria interessante se o filme tivesse abordado com mais detalhes a “cultura” q existia/existe na Igreja Católica em considerar os casos de abuso como algo “normal”. Apenas uma breve cena com Rachel McAdams (quando ela conversa rapidamente com um dos padres acusados) toca no assunto e eu fiquei esperando um melhor desenvolvimento, que mostrasse o lado dos sacerdotes (alguns provavelmente tb molestados, ilustrando o horrível ciclo formado nos casos de pedofilia).

        “O Regresso” com certeza deve ser assistido na melhor sala de cinema, mas n resisti. A curiosidade foi maior! Hahaha…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: