‘LA LA LAND’ leva todos os 7 Globos de Ouro a que estava indicado e quebra recorde

lala-land-mest-picture-golden-globes

Equipe a atores de ‘La La Land’ recebem o prêmio de Melhor Filme – Comédia ou Musical (pic by EOnline.com)

PREMIAÇÃO SERVE PARA CONFIRMAR FAVORITISMO ABSOLUTO DO MUSICAL DE DAMIEN CHAZELLE

Quando a cerimônia do 74º Globo de Ouro começou com a mega surpresa premiação de Aaron Taylor-Johnson como Ator Coadjuvante por Animais Noturnos, imaginei que seria um prenúncio de uma noite turbulenta e imprevisível, mas não foi bem assim. Era uma noite musical, na qual La La Land foi ganhando todos os sete prêmios a que estava indicado, quebrando o recorde que era antes de Um Estranho no Ninho e O Expresso da Meia-Noite, cada um venceu seis. As surpresas ficaram na ala da televisão.

De uma forma geral, o evento foi brando (pra não dizer “morto”), sem polêmicas. Pra quem estava acostumado com Ricky Gervais ou mesma a dupla com língua afiada Tina Fey e Amy Poehler, Jimmy Fallon como host ficou meio nulo. Nos poucos momentos em que quis aparecer, resultaram em sorrisos amarelos. Aliás, nem ele, nem seu DJ fizeram diferença na noite. Melhor trazerem o Ricky para o ano que vem…

jimmy-fallon-globes

O host da noite Jimmy Fallon (pic by Variety)

 

O melhor momento cômico da noite acabou vindo dos apresentadores Steve Carell e Kristen Wiig, que antes de revelar a Melhor Animação, relembraram a primeira vez que viram uma animação e choraram as tragédias pessoais. “Na noite em que vi ‘Fantasia’ da Disney, minha mãe estava no lobby do cinema e naquele momento, ela disse para o meu pai que ela queria o divórcio. Nunca mais vi meu pai depois daquele dia.” – encenou um ótimo Steve Carell.

steve-carell-kristen-wiig

Kristen Wiig e Steve Carell criam ótimo momento antes da apresentar o prêmio de animação (pic by The Boston Globe)

Ainda sobre Aaron Taylor-Johnson, sua vitória choca por dois motivos. Quando o novo filme de Tom Ford, Animais Noturnos, estava começando a se destacar, todos falavam apenas da atuação de Michael Shannon como Coadjuvante. O Globo de Ouro foi o único diferente e indicou Taylor-Johnson. E sua vitória pode ter vindo da divisão de votos entre os favoritos da categoria: Mahershala Ali (Moonlight) e Jeff Bridges (A Qualquer Custo).

Das vitórias esperadas, Viola Davis (Cercas) como Atriz Coadjuvante foi um ápice. Essa mulher é uma força da natureza! Em seu discurso, ela cutuca os filmes baseados apenas em sucessos comerciais. Cercas foi baseado numa peça teatral. E tem uma coisa que Viola fala depois na coletiva que concordo em absoluto: “Os atores negros estão ficando limitados aos filmes biográficos. Apenas figuras grandes e que mudaram a história.” Sim, cadê os papéis de figuras menores e igualmente humanas? Eu ainda acrescentaria o rótulo de papéis de escravos ou serviçais para negros. Cadê a diversidade nessa âmbito?

Como o filme francês Elle ficou de fora do Oscar, não tinha certeza se venceria o Globo de Ouro, mas felizmente, o pessoal da HFPA não é careta como os membros da Academia. Em seu discurso, o diretor holandês Paul Verhoeven rasgou elogios para Isabelle Huppert. Dentre várias atrizes de renome, ela teve a coragem de aceitar o papel. E merecidamente, ela venceu o Globo de Ouro de Melhor Atriz – Drama!

74th Annual Golden Globe Awards, Press Room, Los Angeles, USA - 08 Jan 2017

Isabelle Huppert e o diretor Paul Verhoeven, ambos vencedores por Elle (pic by indiwire.com)

Embora tenha uma filmografia extensa e intensa, Huppert nitidamente estava em estado de êxtase. Ela mal conseguia se expressar diante do microfone e não se deu conta de que a música a expulsava do palco! Pô, HFPA, o melhor momento da noite e dão apenas 30 segundos pra Huppert?! Infelizmente, hoje fiquei sabendo que ela não poderá concorrer como Atriz no BAFTA, porque o filme não teria estreado no Reino Unido a tempo. Se isso for verdade, o caminho de Emma Stone (que venceu aqui como Melhor Atriz – Comédia ou Musical por La La Land) rumo ao Oscar parece bem mais tranquilo.

isabelle-huppert-golden-globes-kf-1817

Isabelle Huppert desnorteada com seu prêmio de Atriz por Elle (pic by eonline.com)

Antes do prêmio final da noite, estava quase declarando Moonlight como o maior perdedor da noite, pois estava indicado a seis prêmios e estava perdendo em todos. Bom, pelo menos até levar o Melhor Filme – Drama. Particularmente, quando vi Damien Chazelle levar Melhor Roteiro por La La Land, achava que Barry Jenkins levaria o prêmio de Direção, mas foi novamente para Chazelle. Havia um certo hype de que Jenkins seria o primeiro diretor negro a ganhar o Oscar de Direção. Será que ainda rola?

Já entre as surpresas televisivas estão: a vitória de Hugh Laurie (The Night Manager) sobre Sterling K. Brown (American Crime Story); Tom Hiddleston (The Night Manager) sobre Courtney B. Vance (American Crime Story); e Claire Foy (The Crown) sobre Evan Rachel Wood (Westworld). Aliás, a HBO foi a maior perdedora da noite com 14 indicações e nenhuma vitória.

Já o momento mais lindo da noite indubitavelmente foi o discurso de Meryl Streep, que recebeu o Cecil B. DeMille Award. Ela começa citando diversos atores e seus locais de nascimento, ressaltando que são todos estrangeiros. “O que faríamos sem estrangeiros? Assistiríamos apenas futebol e uma mistura de artes marciais (MMA)” – brinca Streep. Depois, de forma bem mais incisiva, ela afirma que a performance que mais mexeu com ela foi do presidente eleito Donald Trump ao imitar de forma desrespeitosa o repórter Serge Kovaleski, que tem uma doença congênita. Meryl reforça a necessidade dos jornalistas em tempos obscuros como esses, como guardiões da verdade.

meryl-streep-cecil-b-demille

Em discurso, Meryl Streep ataca Donald Trump sem sequer dizer seu nome (pic by Hollywood Reporter)

Curiosamente, Viola Davis teve a honra de apresentar a homenagem a Meryl Streep, que na mesma semana, acompanhou a inclusão de Viola na calçada da fama. Quando ela for a homenageada no Globo de Ouro, certamente Streep será sua apresentadora.

Viola Davis.jpg

Viola Davis apresenta homenagem a Meryl Streep (pic by Variety)

Confira todos os vencedores do 74º Globo de Ouro:

CINEMA

Best Motion Picture – Drama:
Moonlight: Sob a Luz do Luar (Moonlight)

Best Motion Picture – Musical or Comedy:
La La Land: Cantando Estações (La La Land)

Best Performance by an Actor in a Motion Picture – Drama:
Casey Affleck (Manchester à Beira Mar)

Best Performance by an Actress in a Motion Picture – Drama:
Isabelle Huppert (Elle)

Best Performance by an Actor in a Motion Picture – Musical or Comedy:
Ryan Gosling (La La Land: Cantando Estações)

Best Performance by an Actress in a Motion Picture – Musical or Comedy:
Emma Stone (La La Land)

Best Performance by an Actor in a Supporting Role in a Motion Picture:
Aaron Taylor-Johnson (Animais Noturnos)

Best Performance by an Actress in a Supporting Role in a Motion Picture:
Viola Davis (Cercas)

Best Director – Motion Picture:
Damien Chazelle (La La Land)

Best Screenplay:
Damien Chazelle (La La Land: Cantando Estações)

Best Motion Picture – Foreign Language:
Elle – França

Best Motion Picture – Animated:
Zootopia

Best Original Song – Motion Picture:
“City of Stars” (La La Land)

Best Original Score – Motion Picture:
Justin Hurwitz (La La Land)

ryan-gosling-emma-stone-globes

Vencedores da noite como Melhor Ator e Atriz em Comédia ou Musical por La La Land: Ryan Gosling e Emma Stone (pic by Variety)

TELEVISÃO

Best Television Series – Drama:
The Crown

Best Television Series – Musical or Comedy:
Atlanta

Best Performance by an Actor in a Television Series – Drama:
Billy Bob Thornton (Goliath)

Best Performance by an Actress in a Television Series – Drama:
Claire Foy (The Crown)

Best Performance by an Actor in a Television Series – Musical or Comedy:
Donald Glover (Atlanta)

Best Performance by an Actress in a Television Series – Musical or Comedy:
Tracee Ellis Ross (Black-ish)

Best Television Limited Series or Motion Picture Made for Television:
The People v. O.J. Simpson: American Crime Story

Best Performance by an Actor in a Limited Series or Motion Picture Made for Television:
Tom Hiddleston (The Night Manager)

Best Performance by an Actress in a Limited Series or Motion Picture Made for Television:
Sarah Paulson (The People v. O.J. Simpson: American Crime Story)

Best Performance by an Actress in a Supporting Role in a Series, Limited Series or Motion Picture Made for Television:
Olivia Colman (The Night Manager)

Best Performance by an Actor in a Supporting Role in a Series, Limited Series or Motion Picture Made for Television:
Hugh Laurie (The Night Manager)

tom-hiddleston-globes0

Tom Hiddleston discursa por The Night Manager (pic by Variety)

***

As indicações ao Oscar serão anunciadas no dia 24 de janeiro.

Após faturar o Critics’ Choice, ‘La La Land’ lidera as indicações ao Globo de Ouro 2017

Ryan Gosling e Emma Stone em cena do musical La La Land, de Damien Chazelle, vencedor de oito Critics' Choice Awards (pic by moviepilot.de)

Ryan Gosling e Emma Stone em cena do musical La La Land, de Damien Chazelle, que agora lidera as indicações ao Globo de Ouro (pic by moviepilot.de)

DEPOIS DE UMA VITÓRIA INDUBITÁVEL NO CRITICS’ CHOICE, O MUSICAL DE DAMIEN CHAZELLE GARANTE LUGAR NO GLOBO DE OURO

Depois de uma estréia arrasadora no Festival de Veneza e no Festival de Toronto, seria muito improvável que o musical ode à cidade de Los Angeles não estivesse no posto de favorito na temporada de premiações. Além de ter faturado o prêmio de Melhor Filme dos críticos de Nova York (NYFCC) e o Critics’ Choice Awards, La La Land conquista agora sete indicações ao Globo de Ouro, e deve levar o de Melhor Filme – Comédia ou Musical.

Logo em seguida, o drama sobre amadurecimento Moonlight ficou com seis indicações, enquanto Manchester à Beira-Mar conquistou cinco. O anúncio das indicações foi feito ao vivo na manhã dessa última segunda-feira, dia 12, pelos atores Don Cheadle, Laura Dern e Anna Kendrick. O presidente da Hollywood Foreign Press Association (HFPA), Lorenzo Soria, aproveitou para apresentar as misses Golden Globe: o trio de irmãs Sophia, Sistine e Scarlet Stallone, obviamente, filhas do ator Sylvester Stallone.

O presidente danadinho Lorenzo Soria entre as misses Golden Globe: Sophia, Sistine e Scarlet Stallone. Pic by thesun.co.uk

O presidente danadinho Lorenzo Soria entre as misses Golden Globe: Sophia, Sistine e Scarlet Stallone. Pic by thesun.co.uk

DAVI VS. GOLIAS

Pra começar, temos algo pouco comum. Os grandes estúdios, que dominavam as categorias principais até alguns anos atrás, estão perdendo espaço para produtoras menores. Era comum vermos Disney, Warner Bros, Fox, Sony, Paramount e Universal por trás dos grandes concorrentes no Globo de Ouro. Já este ano, temos Lionsgate, CBS Films, The Weinstein Co., Amazon/Roadside Attractions e A24. A Lionsgate lidera com 10 indicações, seguida pela A24 com nove. O grande estúdio mais bem colocado vem em 3º com as oito indicações da Paramount. Por isso que eu digo, não adianta ter a bufunfa se não tiver criatividade e talento.

VAGAS PARA COMÉDIAS E MUSICAIS… PARA COMÉDIAS E MUSICAIS

Depois de algumas polêmicas envolvendo a inclusão de dramas em categorias de comédia, e vice-versa, como Perdido em Marte ganhando como comédia, simplesmente para incluir o filme na lista, o Globo de Ouro parece que aprendeu sua lição. Este ano, a categoria Melhor Filme – Comédia ou Musical realmente tem comédias e musicais. La La Land e Sing Street preenchem os pré-requisitos do gênero musical, enquanto Deadpool e Florence: Quem é Essa Mulher? fazem o público rir. Já o quinto indicado, embora não se dê gargalhadas em 20th Century Women, o novo filme de Mike Mills é um humor leve e tem sua graça.

Brianna Hildebrand ao lado de Ryan Reynolds como Deadpool. Duas indicações ao Globo de Ouro (pic by moviepilot.de)

Brianna Hildebrand ao lado de Ryan Reynolds como Deadpool. Duas indicações ao Globo de Ouro (pic by moviepilot.de)

Felizmente, também apresentaram coerência nas categorias de atuação. Na ala masculina, seguindo as escolhas dos filmes, Ryan Gosling (La La Land), Hugh Grant (Florence: Quem é Essa Mulher?) e Ryan Reynolds (Deadpool) eram esperados. Já as entradas de Jonah Hill pela comédia Cães de Guerra, e de Colin Farrell pela comédia de humor negro O Lagosta foram surpresas, mas surpresas coerentes.

Pelo lado feminino, Emma Stone (La La Land), Meryl Streep (Florence: Quem é Essa Mulher?) e Annette Bening (20th Century Women) eram figuras já carimbadas. As outras duas vagas foram para duas estreantes no Globo de Ouro: Hailee Steinfeld (sim, aquela menina falante da refilmagem de Bravura Indômita) e Lily Collins (embora seja mais conhecida por ser filha do cantor Phil Collins, já estrelou boas produções como Espelho, Espelho Meu). Elas foram indicadas por dois filmes bem falados: The Edge of Seventeen (uma espécie de John Hughes do século XXI) e Rules Don’t Apply (uma comédia que tem o milionário e polêmico Howard Hughes vivido por Warren Beatty), respectivamente. Muitos esperavam uma indicação para as veteranas Sally Field (Doris, Redescobrindo o Amor) e Susan Sarandon (A Intrometida), mas o Globo de Ouro resolveu apostar em sangue novo.

Lily Collins em cena de Rules Don't Apply, pelo qual recebeu sua primeira indicação ao Globo de Ouro. Pic by moviepilot.de

Lily Collins em cena de Rules Don’t Apply, pelo qual recebeu sua primeira indicação ao Globo de Ouro. Pic by moviepilot.de

BOAS SURPRESAS

Bom, vamos às boas surpresas. Particularmente, fiquei bastante feliz pela lembrança de Animais Noturnos. Dos filmes que vi na 40ª Mostra de Cinema de SP, o segundo filme de Tom Ford foi o que mais me deixou pensativo por dias. Talvez, ele não funcione tão bem como um todo, mas existem cenas ali tão bem dirigidas e filmadas que a produção merecia reconhecimento.

Sempre estiloso: o diretor Tom Ford (à direita) passa instruções para os atores Jake Gyllenhaal e Michael Shannon em set de Animais Noturnos. Pic by moviepilot.de

Sempre estiloso: o diretor Tom Ford (à direita) passa instruções para os atores Jake Gyllenhaal e Michael Shannon em set de Animais Noturnos. Pic by moviepilot.de

Na maioria dos prêmios anteriores, Animais Noturnos aparecia como candidato apenas pelo Roteiro Adaptado ou pelo Ator Coadjuvante para Michael Shannon, mas agora no Globo de Ouro, Shannon deu lugar para Aaron Taylor-Johnson, que conseguiu se transformar nesse papel de um delinquente. E, claro, Tom Ford conseguiu dupla indicação, como roteirista e como diretor também. Acho que ficou faltando uma indicação para a ótima Trilha Musical de Abel Korzeniowski.

Também foi uma manhã gloriosa para Mel Gibson. Seu filme sobre a Segunda Guerra Mundial, Até o Último Homem, conseguiu indicações para Melhor Filme – Drama, para seu protagonista Andrew Garfield, e para Direção. Ele conseguiu bater fortes concorrentes como Denis Villeneuve (A Chegada) e Denzel Washington (Fences). Embora seja uma figura polêmica após ter sido preso dirigindo bêbado e de suas declarações anti-semitas, Mel Gibson é um artista idolatrado pela HFPA, tanto que eles sempre dão um jeitinho de colocá-lo no palco para apresentar um prêmio.

Cena de Até o Último Homem com Andrew Garfield. Mel Gibson retorna como indicado após vários anos. Pic by moviepilot.de

Cena de Até o Último Homem com Andrew Garfield. Mel Gibson retorna como indicado após vários anos. Pic by moviepilot.de

Na categoria de Ator Coadjuvante, além de Taylor-Johnson, a indicação de Simon Helberg também causou alvoroço, já que ele não havia sido reconhecido anteriormente em prêmio algum. Mais conhecido pelo personagem Howard da série The Big Bang Theory, o ator contracenou com Meryl Streep em Florence: Quem é Essa Mulher? como um treinador vocal.

Ao lado de Meryl Streep, Simon Helberg atua como vocal coach de Florence Foster Jenkins. Pic by moviepilot.de

Ao lado de Meryl Streep, Simon Helberg atua como vocal coach de Florence Foster Jenkins. Pic by moviepilot.de

Já a indicação de Viggo Mortensen como Melhor Ator – Drama por Capitão Fantástico foi bastante comemorada. No filme, ele interpreta um pai de seis filhos que vive na natureza selvagem. Em entrevista, o ator esperava que filme seria abraçado pela temporada de premiação, mas sua indicação de Ator num ano bem concorrido já é digno de nota.

… E OUTRAS NEM TANTO

Embora Sully: O Herói do Rio Hudson não estivesse tão em alta, muitos davam como certa a indicação de Tom Hanks como Melhor Ator – Drama, já que ele é uma figura bem querida. Mas o filme de Clint Eastwood foi totalmente ignorado pela HFPA, que pode ter sido influenciada pela posição política favorável a Donald Trump por Eastwood. De qualquer forma, ultimamente tenho visto bem mais carisma do que interpretação nos filmes de Tom Hanks.

Porém, em pior situação está Silêncio. Depois de ficar fora de quase todos os prêmios de críticos (recebeu apenas um 2º lugar de Ator Coadjuvante no LAFCA), e do Critics’ Choice Awards, o novo trabalho de Martin Scorsese ficou esquecido novamente, devido ao atraso nas projeções para a imprensa e a crítica. Com isso, o estúdio Paramount Pictures passa a ficar preocupado até com a bilheteria diante de uma possível ausência no Oscar.

Outra ausência sentida foi da animação Procurando Dory, sequência do sucesso de 2003 Procurando Nemo. Embora o filme tenha sido um sucesso arrasador com mais 400 milhões de bilheteria nos EUA, falhou em conseguir uma indicação da categoria, que preferiu reconhecer até a desconhecida produção suíça My Life as a Zucchini. Talvez seja hora da Pixar descartar alguns projetos de sequências e criar coisas novas e frescas.

Cena da animação franco-suíça My Life as a Zucchini, que chutou Procurando Dory da categoria (pic by moviepilot.de)

Cena da animação franco-suíça My Life as a Zucchini, que chutou Procurando Dory da categoria (pic by moviepilot.de)

Pelas categorias de atuação, a ausência de Lucas Hedges foi uma das mais comentadas. No Critics’ Choice, ele levou o prêmio de Jovem Ator, e foi indicado como Coadjuvante pelo drama Manchester à Beira-Mar. Apesar de haver boas chances de aparecer na lista do Oscar, suas chances foram reduzidas pelo Globo de Ouro, que fortalece as campanhas de Mahershala Ali e Jeff Bridges.

PRÊMIOS PARA PRODUÇÕES DE TV

Pelas categorias televisivas, o Globo de Ouro resolveu dar aquela limpada nos candidatos de sempre. Exceto por Game of Thrones, as séries The Crown, Stranger Things, This Is Us e Westworld foram indicados pela primeira vez. Por outro lado, pela categoria de séries de comédia, a novidade ficou por conta apenas de Atlanta, que trata de rap no cenário da cidade de Atlanta, já que os demais indicados já foram previamente reconhecidos.

Entretanto, o destaque do lado da TV novamente ficou para The People v. O.J. Simpson: American Crime Story, que somou cinco indicações ao Globo de Ouro, sendo quatro para seus atores Courtney B. Vance, Sarah Paulson, Sterling K. Brown e John Travolta.

Cena de American Crime Story: The People v. O.J. Simpson, com Cuba Gooding Jr. ao centro como O.J. (pic by moviepilot.de)

Cena de American Crime Story: The People v. O.J. Simpson, com Cuba Gooding Jr. ao centro como O.J. (pic by moviepilot.de)

***

Indicados ao 74º Globo de Ouro:

CINEMA

Best Motion Picture – Drama:
Até o Último Homem (Hacksaw Ridge)
A Qualquer Custo (Hell or High Water)
Lion
Manchester à Beira-Mar (Manchester by the Sea)
Moonlight

Best Motion Picture – Musical or Comedy:
20th Century Women
Deadpool (Deadpool)
La La Land: Cantando Estações (La La Land)
Florence: Quem é Essa Mulher? (Florence Foster Jenkins)
Sing Street

Best Performance by an Actor in a Motion Picture – Drama:
Casey Affleck (Manchester à Beira Mar)
Joel Edgerton (Loving)
Andrew Garfield (Até o Último Homem)
Viggo Mortensen (Capitão Fantástico)
Denzel Washington (Fences)

Best Performance by an Actress in a Motion Picture – Drama:
Amy Adams (A Chegada)
Jessica Chastain (Miss Sloane)
Isabelle Huppert (Elle)
Ruth Negga (Loving)
Natalie Portman (Jackie)

Best Performance by an Actor in a Motion Picture – Musical or Comedy:
Colin Farrell (O Lagosta)
Ryan Gosling (La La Land)
Hugh Grant (Florence: Quem é Essa Mulher?)
Jonah Hill (Cães de Guerra)
Ryan Reynolds (Deadpool)

Best Performance by an Actress in a Motion Picture – Musical or Comedy:
Annette Bening (20th Century Women)
Lily Collins (Rules Don’t Apply)
Hailee Steinfeld (The Edge of Seventeen)
Emma Stone (La La Land)
Meryl Streep (Florence: Quem é Essa Mulher?)

Best Performance by an Actor in a Supporting Role in a Motion Picture:
Mahershala Ali (Moonlight)
Jeff Bridges (A Qualquer Custo)
Simon Helberg (Florence: Quem é Essa Mulher?)
Dev Patel (Lion)
Aaron Taylor-Johnson (Animais Noturnos)

Best Performance by an Actress in a Supporting Role in a Motion Picture:
Viola Davis (Fences)
Naomie Harris (Moonlight)
Nicole Kidman (Lion)
Octavia Spencer (Estrelas Além do Tempo)
Michelle Williams (Manchester à Beira-Mar)

Best Director – Motion Picture:
Damien Chazelle (La La Land)
Tom Ford (Animais Noturnos)
Mel Gibson (Até o Último Homem)
Barry Jenkins (Moonlight)
Kenneth Lonergan (Manchester à Beira-Mar)

Best Screenplay:
La La Land
Animais Noturnos
Moonlight
Manchester à Beira-Mar
A Qualquer Custo

Best Motion Picture – Foreign Language:
Divines – França
Elle – França
Neruda – Chile
O Apartamento – Irã/França
Toni Erdmann – Alemanha

Best Motion Picture – Animated:
Kubo e as Cordas Mágicas
Moana: Um Mar de Aventuras
My Life as a Zucchini
Sing: Quem Canta Seus Males Espanta
Zootopia

Best Original Song – Motion Picture:
“Can’t Stop the Feeling” (Trolls)
“City of Stars” (“La La Land)
“Faith” (Sing: Quem Canta Seus Males Espanta)
“Gold” (Ouro e Cobiça)
“How Far I’ll Go” (Moana: Um Mar de Aventuras)

Best Original Score – Motion Picture:
Nicholas Britell (Moonlight)
Justin Hurwitz (La La Land)
Johann Johannsson (A Chegada)
Dustin O’Halloran, Hauschka (Lion)
Hans Zimmer, Pharrell Williams, Benjamin Wallfisch (Estrelas Além do Tempo)

TELEVISÃO

Best Television Series – Drama:
The Crown
Game of Thrones
Stranger Things
This is Us
Westworld

Best Television Series – Musical or Comedy:
Atlanta
Black-ish
Mozart in the Jungle
Transparent
Veep

Best Performance by an Actor in a Television Series – Drama:
Rami Malek (Mr. Robot)
Bob Odenkirk (Better Call Saul)
Matthew Rhys (The Americans)
Liev Schreiber (Ray Donovan)
Billy Bob Thornton (Goliath)

Best Performance by an Actress in a Television Series – Drama:
Caitriona Balfe (Outlander)
Claire Foy (The Crown)
Keri Russell (The Americans)
Winona Ryder (Stranger Things)
Evan Rachel Wood (Westworld)

Best Performance by an Actor in a Television Series – Musical or Comedy:
Anthony Anderson (Black-ish)
Gael García Bernal (Mozart in the Jungle)
Donald Glover (Atlanta)
Nick Nolte (Graves)
Jeffrey Tambor (Transparent)

Best Performance by an Actress in a Television Series – Musical or Comedy:
Rachel Bloom Crazy (Ex-Girlfriend)
Julia Louis-Dreyfus (Veep)
Sarah Jessica Parker (Divorce)
Issa Rae (Insecure)
Gina Rodriguez (Jane the Virgin)
Tracee Ellis Ross (Black-ish)

Best Television Limited Series or Motion Picture Made for Television:
American Crime
The Dresser
The Night Manager
The Night Of
The People v. O.J. Simpson: American Crime Story

Best Performance by an Actor in a Limited Series or Motion Picture Made for Television:
Riz Ahmed (The Night Of)
Bryan Cranston (All The Way)
Tom Hiddleston (The Night Manager)
John Turturro (The Night Of)
Courtney B. Vance (The People v. O.J. Simpson: American Crime Story)

Best Performance by an Actress in a Limited Series or Motion Picture Made for Television:
Felicity Huffman (American Crime)
Riley Keough (The Girlfriend Experience)
Sarah Paulson (The People v. O.J. Simpson: American Crime Story)
Charlotte Rampling (London Spy)
Thandie Newton (Westworld)

Best Performance by an Actress in a Supporting Role in a Series, Limited Series or Motion Picture Made for Television:
Olivia Colman (The Night Manager)
Lena Headey (Game Of Thrones)
Chrissy Metz (This Is Us)
Mandy Moore (This Is Us)
Kerry Washington (Confirmation)

Best Performance by an Actor in a Supporting Role in a Series, Limited Series or Motion Picture Made for Television:
Sterling K. Brown (The People v. O.J. Simpson: American Crime Story)
Hugh Laurie (The Night Manager)
John Lithgow (The Crown)
Christian Slater (Mr. Robot)
John Travolta (The People v. O.J. Simpson: American Crime Story)

***

A 74ª cerimônia do Globo de Ouro está marcada para o dia 08 de janeiro, e terá Jimmy Fallon como host pela primeira vez.

 

Meryl Streep será homenageada com o prêmio Cecil B. DeMille no Globo de Ouro 2017

Meryl Streep com o Globo de Ouro por A Dama de Ferro (photo by etonline.com)

Meryl Streep com seu Globo de Ouro por A Dama de Ferro (photo by etonline.com)

EM ANO QUE PODE CONQUISTAR SUA 30ª INDICAÇÃO AO GLOBO DE OURO,
ELA RECEBE PRÊMIO HONORÁRIO

Meryl Streep merece o prêmio Cecil B. DeMille? Absolutamente. Indubitavelmente. Contudo, aos 67 anos, a atriz sinônimo de atuação premiada ainda atravessa um período extenso de auge na carreira, que se iniciou nos anos 70.

Ao contrário do Oscar Honorário, que costuma reconhecer o conjunto da obra de um artista preterido anteriormente, mais idoso ou que tinha chances quase nulas de concorrer em categorias (este ano, temos o ator Jackie Chan homenageado pela Academia), o prêmio Cecil B. DeMille carrega uma essência mais bajuladora por parte da Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood, que enxerga o prêmio como uma oportunidade de reverenciar um artista em alta.

Curiosamente, Streep pode (e deve) estar na lista de indicados do Globo de Ouro de Melhor Atriz – Comédia ou Musical, já que sua atuação em Florence: Quem é Essa Mulher? (Florence Foster Jenkins) tem figurado na lista de previsões de sites especializados. Se isso se concretizar, será sua 30ª indicação ao prêmio. E se ela conseguir bater a franco-favorita Emma Stone por La La Land: Cantando Estações, pode ser sua 9ª estatueta dourada.

Enfim, excetuando-se essa questão do auge da atriz ainda nos dias de hoje, não há outra artista mais merecedora e digna de homenagens do que Meryl Streep. Toda vez que me perguntam qual a melhor atriz, o nome dela está sempre na ponta da língua. Pra mim, bom ator é aquele que se despe de qualquer orgulho e vaidade a fim de encarnar o personagem, e isso ela faz como poucos, e ainda entrega sempre um carisma pessoal dela, mesmo num papel odiável como o de Miranda Priestly em O Diabo Veste Prada ou a freira Aloysius em Dúvida.

Meryl Streep como Miranda Priestly em O Diabo Veste Prada (photo by outnow.ch)

Meryl Streep como Miranda Priestly em O Diabo Veste Prada (photo by outnow.ch)

Ela é uma das pouquíssimas que consegue salvar um filme ruim como a refilmagem de Sob o Domínio do Mal (2004) ou o mais recente A Dama de Ferro (2011), pelo qual ganhou seu terceiro Oscar. Em seu discurso, é possível ver quanta admiração vem da platéia. Todos congelam para prestar atenção em cada palavra dela. Pra quem não viu ou quer rever, segue seu discurso na cerimônia da Academia:

Claro, o prêmio Cecil B. DeMille será uma bela homenagem para uma dama das telas, com direito a um discurso igualmente memorável, mas acredito que Streep ainda terá pelo menos mais 10 anos de um trabalho cada vez mais rico, sólido e minucioso de interpretação. Portanto, qual a pressa, certo?

Já que só temos uma oportunidade por ano, por que não resgatar tantos outros artistas que caíram um pouco no ostracismo como Michelle Pfeiffer, Sissy Spacek ou os diretores William Friedkin e Rob Reiner?

MERYL STREEP E O GLOBO DE OURO

1979: Indicada a Atriz Coadjuvante por O Franco-Atirador
1980: Vencedora de Atriz Coadjuvante por Kramer vs. Kramer
1982: Vencedora de Atriz – Drama por A Mulher do Tenente Francês 
1983: Vencedora de Atriz – Drama por A Escolha de Sofia
1984: Indicada a Atriz – Drama por Silkwood – O Retrato de uma Coragem
1986: Indicada a Atriz – Drama por Entre Dois Amores
1989: Indicada a Atriz – Drama por Um Grito no Escuro
1990: Indicada a Atriz – Comédia ou Musical por Ela é o Diabo
1991: Indicada a Atriz – Drama por Lembranças de Hollywood
1993: Indicada a Atriz – Comédia ou Musical por A Morte Lhe Cai Bem
1995: Indicada a Atriz – Drama por O Rio Selvagem
1996: Indicada a Atriz – Drama por As Pontes de Madison
1997: Indicada a Atriz – Drama por As Filhas de Marvin
1998: Indicada a Atriz – Minisséries ou Filme para TV por Pela Vida do meu Filho
1999: Indicada a Atriz – Drama por Um Amor Verdadeiro
2000: Indicada a Atriz – Drama por Música do Coração
2003: Vencedora de Atriz Coadjuvante por Adaptação.
2003: Indicada a Atriz – Drama por As Horas
2004: Vencedora de Atriz – Minisséries ou Filme para TV por Angels in America
2005: Indicada a Atriz Coadjuvante por Sob o Domínio do Mal
2007: Vencedora de Atriz – Comédia ou Musical por O Diabo Veste Prada
2009: Indicada a Atriz – Drama por Dúvida
2009: Indicada a Atriz – Comédia ou Musical por Mamma Mia!
2010: Indicada a Atriz – Comédia ou Musical por Simplesmente Complicado
2010: Vencedora de Atriz – Comédia ou Musical por Julie & Julia
2012: Vencedora de Atriz – Drama por A Dama de Ferro
2013: Indicada a Atriz – Comédia ou Musical por Um Divã Para Dois
2014: Indicada a Atriz – Drama por Álbum de Família
2015: Indicada a Atriz Coadjuvante por Caminhos da Floresta

Como a cozinheira Julia Child em Julie & Julia (photo by tvnoar.com.br)

Como a cozinheira Julia Child em Julie & Julia (photo by tvnoar.com.br)

A 74ª cerimônia do Globo de Ouro será no dia 07 de janeiro de 2017.

Mesmo em ano competitivo, ‘O Regresso’ fatura 3 Globos de Ouro

À esquerda, Alejandro González Iñárritu com duas estatuetas por Filme e Diretor, enquanto Leonardo Dicaprio com a de Melhor Ator por O Regresso (Photo by Jordan Strauss/Invision/AP - forbes.com)

À esquerda, Alejandro González Iñárritu com duas estatuetas por Filme e Diretor, enquanto Leonardo Dicaprio com a de Melhor Ator por O Regresso (Photo by Jordan Strauss/Invision/AP – forbes.com)

NOVO FILME DE ALEJANDRO GONZÁLEZ IÑÁRRITU LEVA FILME, DIRETOR E ATOR PARA LEONARDO DiCAPRIO

Se dá para resumir esta 73ª edição em uma palavra seria “surpresa”, principalmente nos prêmios de televisão, reconhecendo Rachel Bloom (Crazy Ex-Girlfriend), Oscar Isaac (Show me a Hero), a dobradinha de Mozart in the Jungle (Série de Comédia e Ator) e, claro, o polêmico prêmio para Lady Gaga por American Horror Story: Hotel. Em termos de mérito, não posso opinar sobre sua atuação porque não vi, mas se depender dos poucos aplausos e principalmente da reação mega-sarcástica de Leonardo DiCaprio, que riu com vontade enquanto ela passava por ele, foi uma piada de mal gosto. Por enquanto, vejo sua premiação como um estímulo oferecido pelo Globo de Ouro para encorajá-la a virar atriz.

Quanto aos prêmios de cinema, não sei se foi apenas o fato de eu não ter assistido ao filme, mas fiquei um pouco surpreso com os dois prêmios para Steve Jobs (Atriz Coadjuvante para Kate Winslet e Roteiro). Na verdade, estava apostando minhas fichas em Spotlight para Roteiro e Filme – Drama, afinal, Hollywood Foreign Press Association (HFPA) é um grupo formado por jornalistas, então nada mais natural do que prestigiar um filme sobre colegas de profissão, mas o filme de Tom McCarthy foi um dos grandes perdedores da noite. Só não foi o maior perdedor, porque Carol saiu de mão abanando mesmo sendo o recordista de indicações com 5. E A Grande Aposta, com 4, também não ganhou nada.

A vitória segura de O Regresso certamente o coloca como um dos grandes favoritos ao Oscar, ainda mais que provavelmente terá a seu favor múltiplas indicações em categorias técnicas como Fotografia, Trilha Musical e Montagem. Será que o diretor Alejandro González Iñárritu consegue uma dobradinha consecutiva no Oscar depois de Birdman? No Globo de Ouro ainda há a “desculpa” de que perdeu para Richard Linklater ano passado… Mas enfim, o fato é que O Regresso está em ascensão na hora certa: vem conquistando reconhecimento em prêmios de sindicatos, ganhou o Globo de Ouro e sua bilheteria não pára de crescer, mesmo com o novo filme de Star Wars dominando as bilheterias. Se as várias indicações se confirmarem na próxima quinta-feira (dia 14), deve ser o franco-favorito, ultrapassando até Carol e Spotlight.

ALTOS E BAIXOS

Um dos momentos mais emocionantes da noite foi quando anunciaram o nome de Sylvester Stallone como Melhor Ator Coadjuvante por Creed: Nascido Para Lutar. Todo o salão o aplaudiu de pé, pois trata-se de uma lenda do cinema. Como ele mesmo destacou no discurso, a última vez que ele subiu no palco do Globo de Ouro foi em 1977 pelo primeiro Rocky – Um Lutador, e fecha com “Quero agradecer meu amigo imaginário Rocky Balboa por ser o melhor amigo que já tive!” – Acho que é o que a Academia busca: uma figura lendária recebendo o Oscar.

O outro alto que poderia ser mais alto com a presença do vencedor foi a vitória do compositor italiano Ennio Morricone por Os 8 Odiados. Trata-se de um dos maiores compositores vivos que já fez trocentas trilhas de filmes. Sua música faz uma grande diferença no filme de Tarantino, criando tensão nos momentos certos, além da música-tema, que teria sido descartada da grande ficção científica de John Carpenter, O Enigma do Outro Mundo (1982). Quentin Tarantino subiu ao palco para agradecer em seu nome. Curiosamente, ele alegou que o maestro nunca tinha ganhado o Globo de Ouro, mas Morricone já levou o prêmio por A Missão (1987) e A Lenda do Pianista do Mar (1998).

Gostei bastante da premiação de Brie Larson como Melhor Atriz – Drama. Pelo que estou acompanhando, ela está dando um duro danado na campanha do filme, aparecendo em tudo quanto é mídia para falar sobre O Quarto de Jack e sua performance. Com essa vitória, ela praticamente garante sua primeira e merecida indicação ao Oscar. Ela já havia me impressionado com a atuação no drama independente Temporário 12 (Short Term 12/ 2013). Contudo, ela sabe que, por ser uma atriz relativamente desconhecida, terá que batalhar bastante se quiser ganhar o Oscar.

Ainda sobre as atrizes, a categoria de Comédia ou Musical, soou demais como algo armado para Jennifer Lawrence ganhar. Como se não bastasse ela ser queridinha da HFPA (este já é seu 3º Globo de Ouro), ela competia com atrizes tipicamente de comédias como Amy Schumer e Melissa McCarthy, e seu filme Joy: O Nome de Sucesso, claramente é uma “dramédia”, e que acaba superando comédias ruins e medianas como A Espiã que Sabia de Menos e Descompensada, respectivamente. O mesmo pode se dizer da armação de Perdido em Marte como Melhor Filme de Comédia e Matt Damon como Melhor Ator de Comédia (Ricky Gervais fez uma piada sobre – confira mais abaixo).

Tecnicamente falando O Regresso deve ser impecável. Mas tenho uma coisa que tenho receio: anda rolando muito comentário de críticos justificando seu voto em Leonardo DiCaprio pelo fato do ator ter passado por uma provação física ao filmar em terras congeladas do Canadá e Argentina, como se o prêmio fosse uma espécie de piedade. Espero que, ao conferir o filme, eu consiga enxergar mais do que essa condolência.

Das premiações que não gostei, a que mais me incomodou foi a da canção “Writing’s on the Wall” do filme 007 Contra Spectre. Mesmo fã da série de James Bond, achei a canção fraca e a voz de Sam Smith prepotente com todos aqueles agudos. Acho que até a canção “See You Again” de Velozes & Furiosos 7 é melhor. Entre os demais, mesmo sendo franco-favoritos em suas categorias, desgosto das vitórias de Divertida Mente e O Filho de Saul como Melhor Animação e Filme em Língua Estrangeira, respectivamente. Daria o prêmio para Anomalisa e O Clube.

DUPLA INDICAÇÃO COMO AZAR

Este ano, tivemos quatro atores indicados em duas categorias distintas: Alicia Vikander, Lily Tomlin, Mark Rylance e Idris Elba. Apostava que Vikander e Elba venceriam em pelo menos uma categoria, mas a votação foi cruel com todos. Nenhum dos quatro ganhou qualquer um dos prêmios a que estavam indicados. Como disse num dos parágrafos anteriores, não vi a performance de Kate Winslet, mas apostava que Alicia Vikander levaria Atriz Coadjuvante por Ex-Machina: Instinto Artificial, já que dificilmente ela teria chance como Melhor Atriz por A Garota Dinamarquesa. Talvez no Oscar, ela torça por uma indicação única para que seus votos não se dividam. Já os demais, Tomlin, Rylance e Elba, se indicados, serão apenas como Atriz e Ator Coadjuvante, já que seus outros trabalhos são de televisão.

Alicia Vikander no tapete vermelho do Globo de Ouro (photo by celebuzz.com)

Alicia Vikander no tapete vermelho do Globo de Ouro, belíssima com um vestido Louis Vuitton (photo by celebuzz.com)

RICKY GERVAIS ESTÁ DE VOLTA

Após 3 anos de Tina Fey e Amy Poehler, o ator e comediante que todas as celebridades amam odiar voltou com seu humor corrosivo. Através dele, ele fala algumas verdades que poucos admitem como: “Vocês são mega-estrelas globais com incrível talento. A maioria. Alguns de vocês apenas casaram bem. Vocês sabem quem são vocês. Todos sabemos.” As verdades continuam em outros comentários-pérola: “Vou fazer este monólogo e então vou me esconder. Nem o Sean Penn vai me encontrar… dedo-duro!” – em referência à foto que o ator aparece ao lado de um dos criminosos mais procurados do México, o traficante El Chapo. Pô, com todo o respeito ao profissional que Sean Penn é e a todos os seus fãs, que diabos o ator faz com um traficante? E precisa tirar foto do encontro? Por isso que tá certo em virar piada de Ricky Gervais!

Sei que ele soa anárquico demais, mas adoraria vê-lo um dia ser host do Oscar. Seria uma experiência surreal! Até lá, espero que continuem com ele no Globo de Ouro. E também espero que Chris Rock faça seu papel no Oscar.

Ricky Gervais

Ricky Gervais: Estava com saudades desse humor não-tão britânico dele.

Outras questões que Gervais levantou:

  1. Imparcialidade da NBC: 
    – “Está correto que a NBC deveria abrigar este show. Eles são a única rede de TV que é realmente imparcial e justa porque eles são a única rede que não tem nenhuma indicação. Então…. Não tem nada para eles esta noite. Eles não ligam, obviamente. (apontando para si mesmo – como uma escolha de host).”
  2. A não-tão imparcialidade do Globo de Ouro:
    – “Uma publicação afirmou que o fato de eu ser o host significa que algumas estrelas ficariam de fora por medo de ser alvo das minhas piadas. Como se as estrelas precisassem ficar de fora de ganhar o Globo de Ouro – particularmente se a campanha deles já não comprou o prêmio.”
    — “A Hollywood Foreign Press classificou ‘Perdido em Marte’ como comédia e até a indicou como tal. Portanto, Matt Damon está aqui esta noite. Então funcionou muito bem, né? Pra ser justo, ‘Perdido em Marte’ foi muito mais engraçado do que ‘Pixels’. Mas então, ‘A Lista de Schindler’ também foi.”
  3. A importância do Globo de Ouro:
    — “Lembrem-se: se você ganhar esta noite, ninguém liga sobre esse prêmio como você liga. Não fique emocional, é embaraçoso. Esse prêmio é, sem ofensa, sem valor. É um pouco de um bom metal que velhos jornalistas confusos quiseram te dar pessoalmente para que pudessem te encontrar e tirar uma selfie com você, ok? É só isso!”
  4. Sobre pagamento igualitário para mulheres:
    — “Jennifer Lawrence ganhou as manchetes quando demandou pagamento igualitário para mulheres em Hollywood. Ela recebeu enorme apoio de todas as pessoas. Houve marchas nas ruas de enfermeiras e empregadas de fábrica dizendo ‘Como diabos uma pessoa de 25 anos pode sobreviver com 52 milhões?!’”
    — “É claro que a mulher deve receber o mesmo que o homem pelo mesmo trabalho. E gostaria de dizer agora que estou sendo pago exatamente pelo mesmo valor do ano passado (o que Tina Fey e Amy Poehler receberam). Não, eu sei que havia duas delas, mas não é minha culpa que elas quiseram dividir o dinheiro, né? É culpa delas! É engraçado porque é verdade.”
    — “Todas as refilmagens com mulheres são a notícia. Tem o remake feminino de ‘Os Caça-Fantasmas’. Vai ter o remake feminino de ‘Onze Homens e um Segredo’. E é brilhante porque os estúdios terão resultados garantidos sem ter que gastar tanto com o elenco.”
  5. Polêmicas de Roman Polanski, Mel Gibson e Bill Cosby
    — “O excelente Spotlight foi indicado. A Igreja Católica está furiosa com o filme já que expôs que 5% de seus padres repetidamente molestaram crianças e foram permitidos a continuar sem punição. Roman Polanski o chamou de ‘melhor filme de encontro de todos os tempos.’”
    – “Eu quero dizer algo legal sobre Mel (Gibson) antes de ele entrar. Então: Prefiro ter um drink com ele em seu quarto de hotel hoje à noite do que com Bill Cosby.”
  6. Xenofobia
    Denifitivamente minha favorita da noite: — Ao introduzir as apresentadoras Eva Longoria e America Ferrera: “Duas pessoas que seu futuro presidente, Donald Trump, mal pode esperar para deportar.”

Seguem os vencedores do 73º Globo de Ouro:

CINEMA

MELHOR FILME – DRAMA
O Regresso (The Revenant)

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL
Perdido em Marte (The Martian)

MELHOR DIRETOR
Alejandro González Iñárritú (O Regresso)

MELHOR ATOR – DRAMA
Leonardo DiCaprio (O Regresso)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Brie Larson (O Quarto de Jack)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
Jennifer Lawrence (Joy: O Nome do Sucesso)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
Matt Damon (Perdido em Marte)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Kate Winslet (Steve Jobs)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Sylvester Stallone (Creed: Nascido Para Lutar)

MELHOR ROTEIRO
Aaron Sorkin (Steve Jobs)

MELHOR ANIMAÇÃO
Divertida Mente (Inside Out)

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
O Filho de Saul (Saul fia), de László Nemes (Hungria)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Writing’s on the Wall” por Sam Smith, James Napier (007 Contra Spectre)

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL
Ennio Morricone (Os 8 Odiados)

TELEVISÃO

MELHOR SÉRIE DRAMÁTICA
Mr. Robot

MELHOR ATOR EM SÉRIE DRAMÁTICA
Jon Hamm (Mad Men)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DRAMÁTICA
Taraji P. Henson (Empire)

MELHOR MINISSÉRIE OU TELEFILME
Wolf Hall

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA
Mozart in the Jungle

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Maura Tierney (The Affair)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Christian Slater (Mr. Robot)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA
Rachel Bloom (Crazy Ex-Girlfriend)

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA
Gael García Bernal (Mozart in the Jungle)

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Lady Gaga (American Horror Story: Hotel)

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Oscar Isaac (Show me a Hero)

‘Carol’ conquista 5 indicações no Globo de Ouro 2016

Rooney Mara em cena de Carol, de Todd Haynes: 5 indicações ao Globo de Ouro 2016 (photo by outnow.ch)

Rooney Mara em cena de Carol, de Todd Haynes: 5 indicações ao Globo de Ouro 2016 (photo by outnow.ch)

GLOBO DE OURO COLOCA MAIS ORDEM NA TEMPORADA DE PREMIAÇÕES

Um dia após o SAG anunciar seus indicados com uma série de ausências sentidas, o Globo de Ouro parece tapar os buracos com seu anúncio na manhã desta quinta-feira, dia 10. Assim, atores que ficaram de fora do SAG como Will Smith e Sylvester Stallone, retornam ao centro do palco.

Claro que em se tratando de Oscar e Globo de Ouro, não dá pra agradar gregos e troianos. Algum filme ou algum ator vai ficar sem cadeira. É inevitável. Dentre os mais sentidos estão Johnny Depp (Aliança do Crime), Jacob Tremblay (O Quarto de Jack), Meryl Streep (Ricki and the Flash: De Volta Para Casa), Charlotte Rampling (45 Anos) e Blythe Danner (I’ll See You in My Dreams).

Anúncio das indicações ao Globo de Ouro 2016
America Ferrera, Chloë Grace Moretz, Angela Bassett e Dennis Quaid anunciam os indicados ao Globo de Ouro 2016

De volta aos indicados, o drama Carol foi o recordista de indicações este ano com 5, mas isso não significa que terá vida fácil na categoria, já que compete com Spotlight – Segredos Revelados e Mad Max: Estrada da Fúria que, por mais que não faça muito o tipo que ganhe prêmios de Melhor Filme, vem crescendo bastante na temporada e pode surpreender, principalmente diante de um cenário sem grandes favoritos como este.

Como uma boa mãe, o Globo de Ouro conseguiu reunir numa só lista 17 estúdios, boa parte dos favoritos e outros candidatos que pareciam ficar só na promessa. Exemplo disso é o novo filme de Alejandro González Iñárritu, O Regresso, que estava até então num estado de inércia na temporada. Agora, indicada a Melhor Filme, Diretor, Trilha Musical e Ator para Leonardo DiCaprio, a produção promete conquistar seu espaço no Oscar, principalmente nas categorias mais técnicas como Fotografia e Montagem.

Leonardo DiCaprio em cena de O Regresso (photo by cinemagia.ro)

Leonardo DiCaprio com Grace Dove em cena de O Regresso (photo by cinemagia.ro)

Nessa mesma lógica de tirar o filme do limbo, também dá pra incluir o novo trabalho de David O. Russell, cujos filmes sempre dão um jeitinho de entrar no Oscar. Joy: O Nome do Sucesso, uma espécie de “dramédia” que reconta a trajetória de uma mulher de negócios, concorre como Filme de Comédia e sua protagonista Jennifer Lawrence como Melhor Atriz. Embora esteja disputando com as veteranas Maggie Smith e Lily Tomlin, a atriz de Jogos Vorazes tem grandes chances de conquistar seu terceiro Globo de Ouro.

Jennifer Lawrence e Robert De Niro em cena de Joy: O Nome de Sucesso (photo by outnow.ch)

Jennifer Lawrence e Robert De Niro em cena de Joy: O Nome do Sucesso (photo by outnow.ch)

E meio esquecido depois de ganhar o Hollywood Film Awards no início de novembro, a ficção científica Perdido em Marte retorna com força, uma vez que compete como Filme de Comédia, Diretor e Ator (Matt Damon). Apesar de parecer uma manobra barata da 20th Century Fox de inscrever o filme como comédia para ter concorrência mais fraca pela frente (o que gerou uma “polemicazinha”), não acredito sinceramente em manipulação nesse caso. Trata-se de uma ficção científica com clima bastante otimista, seu protagonista, mesmo diante de uma série de dificuldades, mantém o bom humor em suas pesquisas e gravações, e temos a manutenção da esperança na humanidade. Pra mim, o clima leve o aproxima mais da comédia do que um drama.

Os astronautas da tripulação de Perdido em Marte (photo by cinemagia.ro)

Os astronautas da tripulação de Perdido em Marte (photo by cinemagia.ro)

Ainda no campo da ressurreição, Trumbo retorna no Globo de Ouro, um dia após liderar as indicações ao SAG Awards. O ator da série Breaking Bad, Bryan Cranston, e a dama Helen Mirren foram devidamente reconhecidos por suas performances.

O Globo de Ouro trouxe felicidade também no quesito dupla indicação. Idris Elba, Lily Tomlin, Mark Rylance e Alicia Vikander ficaram duplamente felizes na manhã dessa quinta-feira. Seus nomes foram anunciados duas vezes em categorias distintas.Enquanto os três primeiros equilibram forças entre cinema e televisão, a atriz sueca concorre como Atriz por A Garota Dinamarquesa e como Coadjuvante por Ex-Machina: Instinto Artificial.

Alicia Vikander em cena de A Garota Dinamarquesa (photo by palmspringlife.com)

Alicia Vikander em cena de A Garota Dinamarquesa (photo by palmspringlife.com)

Apesar disso TUDO que o Globo de Ouro fez, acrescentaria uma ressalva: Por que não aumentar de 5 para 6 indicados para Melhor Filme – Drama e incluir Os 8 Odiados ou A Garota Dinamarquesa? Resultaria num total de 4 indicações ao novo western de Tarantino e para o drama transsexual de Tom Hooper. Ou quem sabe para 7 indicados e incluir também Steve Jobs? Afinal, acumulou 4 indicações: Ator (Michael Fassbender), Atriz Coadjuvante (Kate Winslet), Roteiro e Trilha Musical. Ficaria com 5 e igualaria Carol. Teria havido tamanha distância de um candidato a outro na votação ou seria algum receio por parte da HFPA de eleger o “filme errado”? Digo isso, porque as regras do Globo de Ouro permitem esse acréscimo de indicados sem dolo algum.

Durante o anúncio das indicações, fiquei na expectativa pelo filme brasileiro Que Horas Ela Volta?, mas o filme de Anna Muylaert ficou de fora. A última vez que o Brasil teve representantes no prêmio foi em 2005 por Diários de Motocicleta, de Walter Salles, e em 2003 por Cidade de Deus, de Fernando Meirelles. Contudo, o país está bem representado pela série Narcos, produzida pelo diretor José Padilha pela Netflix, e pelo ator Wagner Moura, que foi indicado como Melhor Ator de Série Dramática. Ele interpreta ninguém menos do que o lorde das drogas colombiano Pablo Escobar em 10 episódios. Moura disputa o prêmio com o favorito Jon Hamm (Mad Men) e Liev Schreiber (Ray Donovan).

Wagner Moura em cena da série Narcos da Netflix (photo by cinemagia.ro)

Wagner Moura em cena da série Narcos, da Netflix (photo by cinemagia.ro)

Sobre as categorias de televisão, cabe mais um elogio ao Globo de Ouro. Nos últimos anos, com o crescimento da plataforma de streaming, a HFPA não pestanejou e abraçou o novo formato, valorizando acima de tudo seu conteúdo. No ano passado, a série Transparent foi a primeira a ganhar o prêmio de Melhor Série, mas já em 2014, House of Cards já preenchia as categorias como a primeira da Netflix. Este ano, a associação continua explorando novos conteúdos de streaming: além da já citada Narcos, temos Master of None, Casual e Mozart In the Jungle entre os indicados, enquanto as séries tradicionais que passam na televisão Homeland, Mad MenDownton Abbey e Modern Family não concorrem como Melhor Série este ano. Os tempos estão mudando…

E só mais um último adendo: Lady Gaga recebeu sua primeira indicação como atriz por American Horror Story: Hotel. Ela interpreta a Condessa nesta nova temporada que se passa num hotel. Independente da qualidade da sua atuação (adoraria conferir), a contratação da cantora na série se tornou um hype desde seu anúncio.

Seguem todos os indicados ao 73º Globo de Ouro:

CINEMA

MELHOR FILME – DRAMA
Carol (Carol)
Mad Max: Estrada da Fúria (Mad Max: Fury Road)
O Regresso (The Revenant)
O Quarto de Jack (Room)
Spotlight – Segredos Revelados (Spotlight)

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL
A Grande Aposta (The Big Short)
Joy: O Nome do Sucesso (Joy)
Perdido em Marte (The Martian)
A Espiã que Sabia de Menos (Spy)
A Descompensada (Trainwreck)

MELHOR DIRETOR
Todd Haynes (Carol)
Alejandro González Iñárritú (O Regresso)
Tom McCarthy (Spotlight – Segredos Revelados)
George Miller (Mad Max: Estrada da Fúria)
Ridley Scott (Perdido em Marte)

MELHOR ATOR – DRAMA
Bryan Cranston (Trumbo)
Leonardo DiCaprio (O Regresso)
Michael Fassbender (Steve Jobs)
Eddie Redmayne (A Garota Dinamarquesa)
Will Smith (Um Homem Entre Gigantes)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Cate Blanchett (Carol)
Brie Larson (O Quarto de Jack)
Rooney Mara (Carol)
Saoirse Ronan (Brooklyn)
Alicia Vikander (A Garota Dinamarquesa)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
Jennifer Lawrence (Joy: O Nome do Sucesso)
Melissa McCarthy (A Espiã que Sabia de Menos)
Amy Schumer (A Descompensada)
Maggie Smith (A Senhora da Van)
Lily Tomlin (Grandma)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
Christian Bale (A Grande Aposta)
Steve Carell (A Grande Aposta)
Matt Damon (Perdido em Marte)
Al Pacino (Não Olhe Para Trás)
Mark Ruffalo (Sentimentos que Curam)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Jane Fonda (Youth)
Jennifer Jason Leigh (Os 8 Odiados)
Helen Mirren (Trumbo)
Alicia Vikander (Ex-Machina: Instinto Artificial)
Kate Winslet (Steve Jobs)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Paul Dano (Love & Mercy)
Idris Elba (Beasts of No Nation)
Mark Rylance (Ponte dos Espiões)
Michael Shannon (99 Homes)
Sylvester Stallone (Creed: Nascido Para Lutar)

MELHOR ROTEIRO
Emma Donoghue (O Quarto de Jack)
Tom McCarthy e Josh Singer (Spotlight – Segredos Revelados)
Charles Randolph e Adam McKay (A Grande Aposta)
Aaron Sorkin (Steve Jobs)
Quentin Tarantino (Os 8 Odiados)

MELHOR ANIMAÇÃO
Anomalisa
O Bom Dinossauro (The Good Dinossaur)
Divertida Mente (Inside Out)
Snoopy & Charlie Brown: Peanuts, o Filme (The Peanuts Movie)
Shaun: O Carneiro (Shaun the Sheep Movie)

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
The Brand New Testament (Le Tout Nouveau Testament), de Jaco Van Dormael (Bélgica/ França/ Luxemburgo)
O Clube (El Club), de Pablo Larraín (Chile)
O Esgrimista (Miekkailija), de Klaus Härö (Finalândia/ Estônia/ Alemanha)
O Filho de Saul (Saul fia), de László Nemes (Hungria)
Cinco Graças (Mustang), de Deniz Gamze Ergüven (Turquia/ França/ Catar/ Alemanha)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Love me Like You Do” por Max Martin, Savan Kotecha, Ali Payami, Ilya Salmanzadeh (Cinquenta Tons de Cinza)
“One Kind of Love” por Brian Wilson, Scott Montgomery Bennett (Love & Mercy)
“See You Again” por Justin Franks, Andrew Cedar, Charlie Puth, Wiz Khalifa (Velozes & Furiosos 7)
“Simple Song No. 3” por David Lang (Youth)
“Writing’s on the Wall” por Sam Smith, James Napier (007 Contra Spectre)


O filme é ruim, mas a trilha sonora salva, incluindo a canção de Ellie Goulding

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL
Carter Burwell (Carol)
Alexandre Desplat (A Garota Dinamarquesa)
Ennio Morricone (Os 8 Odiados)
Daniel Pemberton (Steve Jobs)
Ryuichi Sakamoto e Carsten Nicolai (O Regresso)

Steve Carell e Ryan Gosling em cena de A Grande Aposta, de Adam McKay (photo by cine.gr)

Steve Carell e Ryan Gosling em cena de A Grande Aposta, de Adam McKay (photo by cine.gr)

TELEVISÃO

MELHOR SÉRIE DRAMÁTICA
Empire
Game of Thrones
Mr. Robot
Narcos
Outlander

MELHOR ATOR EM SÉRIE DRAMÁTICA
Jon Hamm (Mad Men)
Rami Malek (Mr. Robot)
Wagner Moura (Narcos)
Bob Odenkirk (Better Call Saul)
Liev Schreiber (Ray Donovan)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DRAMÁTICA
Caitriona Balfe (Outlander)
Viola Davis (How to Get Away with Murder)
Eva Green (Penny Dreadful)
Taraji P. Henson (Empire)
Robin Wright (House of Cards)

MELHOR MINISSÉRIE OU TELEFILME
American Crime
American Horror Story: Hotel
Fargo
Flesh and Bone
Wolf Hall

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA
Casual
Mozart in the Jungle
Orange Is the New Black
Silicon Valley
Transparent
Veep

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Uzo Aduba (Orange Is the New Black)
Joanne Froggatt (Downton Abbey)
Regina King (American Crime)
Judith Light (Transparent)
Maura Tierney (The Affair)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Alan Cumming (The Good Wife)
Damian Lewis (Wolf Hall)
Ben Mendelsohn (Bloodline)
Tobias Menzies (Outlander)
Christian Slater (Mr. Robot)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA
Rachel Bloom (Crazy Ex-Girlfriend)
Gina Rodriguez (Jane the Virgin)
Julia Louis-Dreyfus (Veep)
Jamie Lee Curtis (Scream Queens)
Lily Tomlin (Grace and Frankie)

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA
Aziz Ansari (Master of None)
Gael García Bernal (Mozart in the Jungle)
Rob Lowe (The Grinder)
Patrick Stewart (Blunt Talk)
Jeffrey Tambor (Transparent)

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Kirsten Dunst (Fargo)
Lady Gaga (American Horror Story: Hotel)
Sarah Hay (Flesh and Bone)
Felicity Huffman (American Crime)
Queen Latifah (Bessie)

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Oscar Isaac (Show me a Hero)
Idris Elba (Luther)
David Oyelowo (Nightingale)
Mark Rylance (Wolf Hall)
Patrick Wilson (Fargo)

A 73ª cerimônia do Globo de Ouro acontece no dia 10 de janeiro, e Ricky Gervais retorna como o “host mais querido das celebridades”. E dois lembretes: o ator Denzel Washington será o homenageado com o prêmio Cecil B. DeMille (Sim, eu acho que ele ainda é muito jovem pra tal honraria, mas depois de ver George Clooney recebendo o mesmo prêmio esse ano, espero qualquer coisa), e a Miss Golden Globe de 2016 será a filha do ator Jamie Foxx: Corinne Foxx.

The Hollywood Foreign Press Association has selected Corinne Foxx as Miss Golden Globe 2016 for the 73rd Annual Golden Globe Awards set to air live on NBC on January 10, 2016. President Lorenzo Soria made the announcement on November 17, 2015 from Ysabel Restaurant in West Hollywood.

Corinne Foxx foi selecionada para ser a Miss Golden Globe 2016 (photo by ImageGroup/HFPA)

‘Boyhood’ fatura 3 prêmios e é o grande vencedor do Globo de Ouro 2015

Da esquerda para a direita: Patricia Arquette, Lorelei Linklater, Richard Linklater, Ellar Coltrane e Ethan Hawke com os três Globos de Ouro em mãos (photo by trbimg.com)

Da esquerda para a direita: Patricia Arquette, Lorelei Linklater, Richard Linklater, Ellar Coltrane e Ethan Hawke com os três Globos de Ouro em mãos (photo by trbimg.com)

‘BIRDMAN’ E ‘A TEORIA DE TUDO’ CONQUISTAM 2 PRÊMIOS CADA E FORTALECEM SUAS CAMPANHAS RUMO AO OSCAR

Em termos de resultado, a 72ª edição do Globo de Ouro pode ser dividida em duas partes: a previsível de cinema e a imprevisível de TV. Os atores mais cotados de cinema levaram seus prêmios: Eddie Redmayne, Julianne Moore, Michael Keaton, Amy Adams, J.K. Simmons e Patricia Arquette, além de Richard Linklater como diretor. Só achei que os prêmios de roteiro e filme-comédia seriam invertidos: O Grande Hotel Budapeste levaria roteiro e Birdman levaria filme, mas de qualquer modo, foi um merecidíssimo prêmio para Wes Anderson. Provavelmente, a maior surpresa na parte de cinema tenha sido a vitória da sequência Como Treinar o Seu Dragão 2, já que Uma Aventura Lego vinha conquistando quase todos os prêmios da temporada de Melhor Animação, e em menor escala, a vitória do compositor Johann Johannsson pela trilha de A Teoria de Tudo, uma vez que Antonio Sanchez tinha as melhores chances por Birdman, mesmo tendo sido desqualificado da categoria no Oscar.

Pela TV, já pelo fato dos membros da Hollywood Foreign Press Association terem dado uma repaginada nos indicados, acabou proporcionando maiores oportunidades de surpresa. Séries que todo ano estavam indicadas foram deixadas de lado como The Big Bang TheoryModern Family, permitindo a inclusão de novas como a vencedora Transparent, e Jane the Virgin e Sillicon Valley. Aliás, a série Transparent, da Amazon, fez história ao se tornar a primeira série online a ganhar o Globo de Ouro de Melhor Série. As séries da Netflix como House of Cards e Orange is the New Black falharam nesse quesito, mas pelo menos Kevin Spacey conquistou seu almejado prêmio de ator pela primeira. As maiores surpresas foram as vitórias de The Affair como Melhor Série – Drama, sua atriz Ruth Wilson, e a atriz coadjuvante Joanne Froggatt por Downton Abbey. A minissérie Fargo também surpreendeu ao bater favoritos como True Detective e o filme para tv The Normal Heart, mas a verdade é que Fargo sempre recebeu ótimos elogios, mas ninguém premiava. Coube ao Globo de Ouro recompensá-los numa noite em que os criadores do filme original estavam presentes: Joel Coen, Ethan Coen, Frances McDormand e William H. Macy.

FESTA BEM AMENA COM LAMPEJOS DE OUSADIA

Não sei o que houve com as hostesses Tina Fey e Amy Poehler. Quer dizer, elas fizeram suas piadas na apresentação como aquelas envolvendo a saga da Sony com a Coréia do Norte e o filme A Entrevista, e até polêmicas das acusações de estupro de Bill Cosby, mas ao longo da festa, não vimos novas inserções delas. Teriam sido proibidas? Aí, a organização colocou umas piadas tão sem graça para os apresentadores dos prêmios lerem ao vivo que o show foi decaindo muito rapidamente. Quando vi Ricky Gervais subindo ao palco pra apresentar, pensei: “Pronto, finalmente alguém pra levantar o ânimo!”, mas não sei se mandaram Ricky maneirar no tom, mas ele realmente pegou leve… Uma pena! Ele zombou do “momento John Travolta”, quando o ator introduziu a cantora Idina Menzel com “Adele Nazeem” no Oscar do ano passado: “Eu assisto (à gafe) toda hora no Youtube!”. Então, sobrou para o ator Jeremy Renner soltar a pérola masculina da noite. Quando apresentava o prêmio ao lado da mega decotada Jennifer Lopez, ao abrir o envelope ela falou: “Eu abro porque tenho as unhas” – “E os globos de ouro também”, completou o auspicioso Renner.

Tina Fey e Amy Poehler com Margaret Cho caracterizada como uma serva norte-coreana (photo by foxnews.com)

Tina Fey e Amy Poehler com Margaret Cho caracterizada como uma serva norte-coreana (photo by foxnews.com)

Seguem algumas pérolas da dupla Fey e Poehler:

Tina Fey: Tonight we celebrate all the television shows that we know and love, as well as all the movies that North Korea was OK with. (Hoje, celebramos todos os shows da tv que conhecemos e amamos, assim como todos os filmes que a Coréia do Norte permitiu).

Amy Poehler: Patricia Arquette in “Boyhood” proves that “there are still great roles for women over 40- as long as you get hired when you’re under 40” (Patricia Arquette em Boyhood prova que ainda há grandes papéis para mulheres acima dos 40 – contanto que você seja contratada antes dos 40) – referindo-se ao fato de que as filmagens de Boyhood começaram há 12 anos.

Amy Poehler: In “Into the Woods,” Cinderella runs from her prince, Rapunzel is thrown from a tower for her prince and Sleeping Beauty just thought she was getting coffee with Bill Cosby” (Em “Caminhos da Floresta”, Cinderela de seu príncipe, Rapunzel é jogada de sua torre para seu príncipe e A Bela Adormecida pensou que ia tomar um café com Bill Cosby). Elas até chegam a fazer algumas imitações de Cosby pra amenizar o ambiente, mas o dano já estava feito.

Mas a melhor da noite foi: George Clooney married Amal Amaluddin this year. “Amal is a human rights lawyer who worked on the Enron case, was an adviser to Kofi Anan regarding Syria and was selected for a three person UN commission regarding war violations in the Gaza Strip. So tonight her husband is getting a lifetime achievement award,”. (George Clooney se casou com Amal Amaluddin este ano. “Amal é uma advogada de direitos humanos que trabalhou no caso Enron, foi conselheira de Kofi Anan sobre a Síria e foi eleita para uma comissão de três pessoas das Nações Unidas para os casos de violações de guerra na Faixa de Gaza. Então, esta noite seu marido vai ganhar um prêmio pela carreira!”

George Clooney com sua esposa Amal Amal (photo by John Shearer/ Invision/AP)

George Clooney com sua esposa Amal Amaluddin (photo by John Shearer/ Invision/AP)

Houve até um bom momento de descontração na brincadeira do “Would you rather” (Você prefere):
– Colin Farrell ou Colin Firth? Edward Norton ou Mark Ruffalo? Chris Pine ou Chris Pine! – Tina interrompe. Richard Linklater ou Alejandro Iñárritu? Amy escolhe Iñárritu: “Um take, duas horas direto sem parar”, enquanto Tina prefere Linklater: “Cinco minutos uma vez por ano”

Houve uma ou outra manifestação mais polêmica como o discurso de Common na vitória de Melhor Canção por Selma, filme sobre a conquista dos direitos civis nos anos 60. Em seu discurso, ele cita momentos importantes na História como a senhora negra que se recusou a mudar de lugar no ônibus até casos recentes como os dois negros mortos por policiais brancos na tentativa de engrandecer uma película somente por questões raciais e não por méritos artísticos. Assim como também houve uma outra citação do atentado terrorista na França contra o semanário Charlie Hebdo. Ao apresentar o prêmio de atriz coadjuvante, o ator Jared Leto aproveitou o momento e fez uma citação em homenagem, e George Clooney ostentava um bóton no smoking com os mesmos dizeres com os dizeres “Je suis Charlie”. O presidente da HFPA, Theo Kingma, fez questão de defender a liberdade de expressão, seja na Coréia do Norte ou em Paris, e foi aplaudido de pé por todos.

EFEITOS DO GLOBO DE OURO

Assim como muitos especialistas já levantaram, o resultado do Globo de Ouro já não serve mais como melhor parâmetro para o que vai acontecer no Oscar. Dos últimos 10 anos, apenas 4  vencedores de Melhor Filme no Globo de Ouro repetiram o feito no prêmio da Academia. Atores que ganharam o Globo de Ouro podem nem ser indicado ao Oscar como Paul Giamatti por Minha Versão do Amor em 2011, e Colin Farrell (Na Mira do Chefe) e Sally Hawkins (Simplesmente Feliz) em 2009. E até em categorias mais técnicas não há garantias de presença no Oscar: o compositor Alex Ebert venceu o Globo de Ouro em 2014 por Até o Fim e sequer foi indicado pela Academia. Claro que os vencedores terão suas respectivas campanhas nitidamente fortalecidas para os prêmios seguintes como o Critics’ Choice Awards, SAGs e o BAFTA, mas até o dia 15 de janeiro, dia do anúncio das indicações ao Oscar, ninguém está realmente garantido, abrindo espaço para surpresas, sejam positivas ou negativas.

Falando em negativas, o jornal americano The New York Post teria publicado uma reportagem em que lista casos que envolvem corrupção na compra de prêmios e indicações. Dentre os casos citados estão as três indicações do fracasso total O Turista, estrelado por Angelina Jolie e Johnny Depp (ambos indicados nas categorias de comédia ou musical) – tanto que o host da noite Ricky Gervais citou que a HFPA teria os indicado apenas para tê-los no tapete vermelho; e a indicação para Melhor Filme – Comédia ou Musical e vitória de Melhor Canção para Burlesque, um musical bastante criticado e sequer visto pelo público. Confira matéria de Lou Lumenick: http://nypost.com/2015/01/09/are-the-golden-globes-becoming-as-credible-as-the-oscars/

Amy Adams, Michael Keaton e Julianne Moore podem ter garantido suas indicações ao Oscar. Podem. (photo by absnews.com)

Amy Adams, Michael Keaton e Julianne Moore podem ter garantido suas indicações ao Oscar. Podem. (photo by absnews.com)

Rumo ao Oscar, o vencedor de Melhor Filme – Drama, Boyhood: Da Infância à Juventude, caminha firme e forte, já que levou também os prêmios de Diretor e Atriz Coadjuvante, além de ter sido indicado a Roteiro, afinal, são categorias-base para todo vencedor de Melhor Filme no Oscar, sem contar toda a história fascinante dos bastidores de 12 anos de filmagens. Quanto aos atores, Julianne Moore parece uma aposta cada vez mais certa para o Oscar. Aclamada por público e crítica como uma das melhores atrizes desta geração, e depois de ser indicada quatro vezes ao Oscar sem vitória, este deve ser o ano dela. Acredito que o único obstáculo em seu caminho pode ser ela mesma. Se a Academia indicá-la como coadjuvante também por Mapa Para as Estrelas, os votos podem se dividir e ela pode ser novamente perdedora em dose dupla como foi em 2003, quando estava indicada por Longe do Paraíso como atriz, e por As Horas como coadjuvante.

J.K. Simmons e Patricia Arquette estão cada vez mais fortes como coadjuvantes, contudo não dá pra descartar ainda Mark Ruffalo e Edward Norton, caso o filme de Simmons, Whiplash: Em Busca da Perfeição, não se saia bem nas indicações. Já Arquette, por mais que possa ter Meryl Streep competindo, deve ser a porta-voz ou representante de todo o elenco de Boyhood. Gostei da vitória de Amy Adams por Grandes Olhos, o que pode lhe garantir uma nova indicação ao Oscar consecutiva, mas as chances reais de vitória seriam praticamente nulas. Por mais talentosa que Adams seja, acredito que lhe falta um personagem que sirva como um real desafio que exija mudanças físicas para então ganhar seu Oscar. Vejam os casos de Charlize Theron e Matthew McConaughey: nunca tinham sido indicados e ganharam na primeira chance por terem passado por processos de transformação física. Não sei se Amy tem contrato vitalício com marcas de cosméticos que a impeçam de ficar feia ou algo do tipo, mas ela deveria pensar nessa hipótese. A categoria de Ator é a mais aberta até o momento. Por mais que Michael Keaton e Eddie Redmayne tenham ganhado o Globo de Ouro, não há nem garantias de que eles estarão na lista do Oscar, tamanha a concorrência. Temos Jake Gyllenhaal, Benedict Cumberbatch, Ralph Fiennes, David Oyelowo, Steve Carell, Joaquin Phoenix e Bill Murray pelo menos na cola.

Patricia Arquette e J.K. Simmons ganham como coadjuvantes (photo by intoday.in)

Patricia Arquette e J.K. Simmons ganham como coadjuvantes (photo by intoday.in)

Entre todos os filmes que receberam mais indicações, O Jogo da Imitação foi o maior perdedor. Presente em 5 categorias e como a maior aposta da Weinstein Company, o filme falhou em conquistar qualquer Globo de Ouro, nem um de consolação. Será que eles conseguem virar o jogo até o dia 22 de fevereiro?

A ELEITA

Não vou comentar os vestidos das moças. Prefiro falar das donas dos vestidos. E a melhor pela quinquagésima vez é Jessica Chastain. Essa mulher é um raio de sol. Só não esqueci que ela foi indicada para atriz coadjuvante por O Ano Mais Violento, porque foi uma pena que ela não subiu ao palco pra se apresentar.

Jessica Chastain no tapete vermelho (photo by usmagazine.com)

Jessica Chastain no tapete vermelho (photo by usmagazine.com)

Seguem os vencedores do Globo de Ouro:

CINEMA

MELHOR FILME – DRAMA
Boyhood: Da Infância à Juventude (Boyhood)

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL
O Grande Hotel Budapeste (The Grand Budapest Hotel)

MELHOR ATOR – DRAMA
Eddie Redmayne (A Teoria de Tudo)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Julianne Moore (Para Sempre Alice)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
Amy Adams (Grandes Olhos)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
Michael Keaton (Birdman)

MELHOR DIRETOR
Richard Linklater (Boyhood: Da Infância à Juventude)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Patricia Arquette (Boyhood: Da Infância à Juventude)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
J.K. Simmons (Whiplash: Em Busca da Perfeição)

MELHOR ROTEIRO
Alejandro González Iñárritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris, Armando Bo (Birdman)

MELHOR ANIMAÇÃO
Como Treinar Seu Dragão 2 (How to Train Your Dragon 2)

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
Leviatã (Leviafan), de Andrey Zvyagintsev – RÚSSIA

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Glory” por John Legend, Common (Selma)

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL
Johann Johannsson (A Teoria de Tudo)

TELEVISÃO

Equipe por trás da série vencedora The Affair (photo by ibtimes.com)

Equipe por trás da série vencedora The Affair (photo by ibtimes.com)

MELHOR SÉRIE DRAMÁTICA
The Affair

MELHOR ATOR EM SÉRIE DRAMÁTICA
Kevin Spacey (House of Cards)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DRAMÁTICA
Ruth Wilson (The Affair)

MELHOR MINISSÉRIE OU TELEFILME
Fargo

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA
Transparent

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Joanne Froggatt (Downton Abbey)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Matt Bomer (The Normal Heart)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA
Gina Rodriguez (Jane the Virgin)

A bela Gina Rodriguez ganhou por Jane the Virgin (photo by nationalpost.com)

A bela Gina Rodriguez ganhou por Jane the Virgin. Definitivamente, a segunda colocada da lista das eleitas. (photo by nationalpost.com)

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA
Jeffrey Tambor (Transparent)

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Maggie Gyllenhaal (The Honorable Woman)

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Billy Bob Thornton (Fargo)

As indicações ao Oscar 2015 serão anunciadas ao vivo neste dia 15 de janeiro e a cerimônia ocorre no dia 22 de fevereiro.

Chris Pine, J.J. Abrams e Alfonso Cuarón anunciarão os Indicados ao Oscar 2015

 

Da esquerda pra direita: Chris Pine, J.J. Abrams e Alfonso Cuarón anunciam os indicados ao Oscar 2015 (photo by hollywoodreporter.com)

Da esquerda pra direita: Chris Pine, J.J. Abrams e Alfonso Cuarón anunciam os indicados ao Oscar 2015 (photo by hollywoodreporter.com)

ANÚNCIO SERÁ DIVIDIDO EM DUAS PARTES PARA ABRANGER TODAS AS CATEGORIAS

Pela primeira vez na história da Academia, todas as 24 categorias serão anunciadas ao vivo. Os produtores do evento Craig Zadan e Neil Meron relataram que, por isso, o anúncio será dividido em duas partes: Primeiro, o diretor mexicano que ganhou o Oscar ano passado por Gravidade, Alfonso Cuarón, e o diretor do novo filme da franquia Star Wars, J.J. Abrams, vão se encarregar das categorias mais técnicas que nunca foram anunciadas ao vivo como Melhor Som, Efeitos Visuais e Direção de Arte. Enquanto a segunda parte será a tradicional, com o ator Chris Pine acompanhando a presidente da Academia, Cheryl Boone Isaacs, para divulgar as principais categorias como as de Ator, Atriz e Filme. A presidente é espertinha: no ano passado, ela chamou Chris Hemsworth, e este ano Chris Pine. Eu prefiro as atrizes…

“A cada ano que produzimos o show, tentamos atualizar elementos do processo e da transmissão televisiva. Este ano, estamos honrados de iniciar uma nova tradição que celebra as contribuições de todos os indicados ao anunciar todas as 24 categorias. Estamos entusiasmados que um distinto ator e dois diretores de classe-mundial vão fazer parte do lançamento inicial.”, afirmaram os produtores Zadan e Meron.

Pra ser mais exato, Cuarón e Abrams vão anunciar as seguintes categorias: Animação, Documentário, Documentário-Curta, Montagem, Canção Original, Direção de Arte, Curta de Animação, Curta-Metragem, Efeitos Sonoros, Som e Efeitos Visuais. Logo em seguida, Pine e Isaacs anunciam: Ator Coadjuvante, Atriz Coadjuvante, Ator, Atriz, Fotografia, Figurino, Direção, Filme em Língua Estrangeira, Maquiagem e Cabelo, Trilha Musical Original, Roteiro Adaptado, Roteiro Original e Melhor Filme.

“Estamos encantados de ter o Chris, Alfonso e J.J. para participar da exaltação das indicações que, pela primeira vez, destacará os indicados de todas as categorias. Esta nova abordagem permite à Academia reconhecer a excelência em toda a indústria e enfatiza todo o espectro das Artes e ciências cinematográficas.”, declarou a presidente Cheryl Boone. Quando convidados a participar, os diretores teriam se empolgado bastante, pois sempre se questionavam sobre a ausência das categorias técnicas no anúncio ao vivo. Tem que ter essa motivação extra mesmo, porque eles vão ter que acordar às 2 ou 3h da manhã na quinta-feira!

Claro que a justificativa oficial é essa, mas os produtores da Academia já demonstram preocupação com a audiência da cerimônia do Oscar, que acontece no dia 22 de fevereiro, e por isso, já chamaram J.J. Abrams na tentativa de atrair o público mais jovem e nerd que acompanha a saga intergaláctica de Geroge Lucas. Acho que foi uma boa jogada de marketing que não é daquelas que se esfrega na cara do público.

Como de costume, as indicações serão anunciadas às 5h30 do horário da costa oeste dos EUA, ou seja, no atual fuso horário (horário de verão aqui no sudeste), a transmissão no Brasil deve ocorrer às 11h30. No ano passado, o anúncio passou no canal pago TNT, então acredita-se que neste dia 15 de janeiro, o mesmo canal repetirá a transmissão. Já a cerimônia será transmitida pela TNT no dia 22 de fevereiro e terá Neil Patrick Harris como host.

E não percam o Globo de Ouro neste domingo na TNT a partir das 22h! A dupla Tina Fey e Amy Poehler farão sua última apresentação de três consecutivas. Quem sabe não estendem o contrato com a HFPA?

Hostesses pela terceira e última vez: Tina Fey e Amy Poehler (photo by usmagazine.com)

Hostesses pela terceira e última vez: Tina Fey e Amy Poehler (photo by usmagazine.com)

‘Birdman’, ‘Boyhood’ e ‘O Jogo da Imitação’ lideram as indicações ao Globo de Ouro 2015

 

Globo de Ouro 2015 (picture by Michael Tran/ Filmmagic)

Globo de Ouro 2015 (picture by Michael Tran/ Filmmagic)

BIRDMAN É O RECORDISTA EM PREMIAÇÃO QUE DÁ SOBREVIDA AO ASCENDENTE SELMA

Com o anúncio dos indicados ao 72º Globo de Ouro, apresentado na manhã desta quinta, dia 11, pelas belas atrizes Olivia Wilde e Zoe Saldana, além do ator Aziz Ansari (veja vídeo abaixo), já é possível ter uma prévia mais aproximada do Oscar, que divulgará seus indicados apenas em 15 de janeiro. A Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA), que organiza o Globo de Ouro, não fugiu muito das listas dos prêmios anteriores como Hollywood Film Awards, Independent Spirit, NYFCC, NBR e LAFCA, salvo algumas exceções como a inclusão dos atores Amy Adams e Christoph Waltz por Grandes Olhos, que vinham sendo preteridos, e o musical da Disney, Caminhos da Floresta, que só estava ganhando certo destaque por causa de Meryl Streep como coadjuvante.


Olivia Wilde ajuda os EUA a acordar cedo nesta manhã 

Birdman foi o grande recordista de indicações com sete. Além de Filme, Diretor, Ator (Michael

A primeira diretora negra indicada para Melhor Diretor no Globo de Ouro (photo by vebidoo.de)

A primeira diretora negra indicada para Melhor Diretor no Globo de Ouro (photo by vebidoo.de)

Keaton), Ator Coadjuvante (Edward Norton) e Atriz Coadjuvante (Emma Stone), a comédia de humor negro conquistou indicações para Roteiro e Trilha Musical, devendo repetir o feito no Oscar 2015, além de provavelmente adicionar mais uma indicação para Fotografia, categoria inexistente no Globo de Ouro. Logo em seguida, Boyhood: Da Infância à Juventude e O Jogo da Imitação acumularam cinco indicações cada, e seguem firme como grandes candidatos a Melhor Filme. O Grande Hotel Budapeste, A Teoria de Tudo, Garota Exemplar e principalmente Selma, todos com 4 indicações cada, ganharam enorme sobrevida com as indicações ao Globo de Ouro. Inclusive, a diretora de Selma, Ava DuVernay, tornou-se a primeira mulher negra a concorrer na categoria e com chances de repetir o feito inédito no Oscar.

No geral, as indicações foram bem distribuídas, mesmo havendo filmes com apenas uma indicação, pelo menos foram reconhecidos e aumentaram a diversidade. Como escrevi no post anterior, apesar do prêmio buscar uma vertente mais eclética, houve tantas boas produções, que seria impossível incluir todos e agradar gregos e troianos. Este ano, não sobraram cadeiras para o novo filme de Clint Eastwood, Sniper Americano, e nem para o segundo longa dirigido por Angelina Jolie, Invencível. Ainda sobre diretores, Bennett Miller (Foxcatcher), Morten Tyldum (O Jogo da Imitação), Christopher Nolan (Interestelar), James Marsh (A Teoria de Tudo) e Jean-Marc Vallée (Livre) ficaram de fora da competição da categoria.

Aliás, a ficção científica Interestelar foi uma das produções que mais decaíram nos últimos dois meses em termos de chances no Oscar. Muitos especialistas davam como certas as indicações a Melhor Filme e Diretor. Hoje, o filme conquistou apenas uma indicação de Trilha Musical no Globo de Ouro (para Hans Zimmer), e pode se limitar apenas às categorias mais técnicas no prêmio da Academia como Efeitos Visuais, Efeitos Sonoros e Direção de Arte. Mas para os excluídos do Globo de Ouro, ainda há esperança. Nos últimos dez anos, apenas 4 filmes vencedores de Melhor Filme coincidiram entre as duas premiações.

Já no campo das interpretações, depois de conquistar surpreendentemente uma das cinco vagas de Melhor Atriz no SAG Awards, Jennifer Aniston foi reconhecida novamente um dia depois pelo filme independente Cake. A indicação ao Globo de Ouro já não é tão surpresa assim pelo fato de Aniston ser uma figura muito querida pela imprensa estrangeira desde os anos de Friends. O grande diferencial do Globo de Ouro em relação às demais premiações é a divisão das categorias de atuação em Drama e Comédia ou Musical, dobrando a quantidade de performances reconhecidas. Beneficiados por esse sistema estão os já citados Amy Adams e Christoph Waltz, que ganharam uma luz na temporada, assim como Emily Blunt (Caminhos da Floresta), Helen Mirren (A 100 Passos de um Sonho) e Quvenzhané Wallis (Annie) que dificilmente seriam lembrados se não fosse o Globo de Ouro.

Quvenzhané Wallis cresceu, mas aparentemente o talento permaneceu. Ela conquista sua primeira indicação ao Globo de Ouro pelo musical Annie (photo by outnow.ch)

Quvenzhané Wallis cresceu, mas aparentemente o talento permaneceu. Ela conquista sua primeira indicação ao Globo de Ouro pelo musical Annie (photo by outnow.ch)

Mas engana-se quem pensa que as categorias de comédia ou musical não passam de um artifício para convidar mais celebridades para o evento. Neste ano, temos um páreo duríssimo na categoria de Ator – Comédia ou Musical: Ralph Fiennes, Michael Keaton, Bill Murray, Joaquin Phoenix e Christoph Waltz! Provavelmente apenas Keaton conseguirá migrar para a lista do Oscar, mas não deixa de ser uma competição interessante. Já do lado feminino, temos também grandes talentos como as veteranas Helen Mirren e Julianne Moore.

Já que Jennifer Aniston deixou de ser uma surpresa por ter sido indicada um dia antes pelo SAG, o elemento surpresa ficou a cargo da indicação para Melhor Filme – Comédia ou Musical para o britânico Pride, de Matthew Warchus. Baseado em fatos verídicos, esta comédia aborda a ajuda que ativistas gays deram para a greve dos mineiros em 1984 no Reino Unido. Trata-se da única indicação do filme no Globo de Ouro, porém vitoriosa, pois bateu fortes concorrentes como Vício Inerente, Grandes Olhos e até de Annie, já que a HFPA adora musicais.

Cena do britânico Pride, que conquistou sua única indicação a Melhor Filme  - Comédia ou Musical no Globo de Ouro (photo by outnow.ch)

Cena do britânico Pride, que conquistou sua única indicação a Melhor Filme – Comédia ou Musical no Globo de Ouro (photo by outnow.ch)

Particularmente, senti falta da animação japonesa O Conto da Princesa Kaguya na categoria de Melhor Animação, assim como a produção argentina Relatos Selvagens na categoria de Filme Estrangeiro. Como o regulamento do Globo de Ouro é menos rígido do que o da Academia, achava que veria títulos mais fora do circuito de premiações.

Ainda restam os prêmios da Academia Britânica (BAFTA) e os sindicatos de vários departamentos como o dos diretores (DGA) que podem mudar o percurso até o Oscar, mas a base já está lançada com o Globo de Ouro.

Confira todos os indicados ao 72º Globo de Ouro:

CINEMA

MELHOR FILME – DRAMA
Boyhood: Da Infância à Juventude (Boyhood)
Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo (Foxcatcher)
O Jogo da Imitação (The Imitation Game)
Selma
A Teoria de Tudo (The Theory of Everything)

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL
Birdman
O Grande Hotel Budapeste (The Grand Budapest Hotel)
Caminhos da Floresta (Into the Woods)
Pride
Um Santo Vizinho (St. Vincent)

MELHOR ATOR – DRAMA
Steve Carell (Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo)
Benedict Cumberbatch (O Jogo da Imitação)
Jake Gyllenhaal (O Abutre)
David Oyelowo (Selma)
Eddie Redmayne (A Teoria de Tudo)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Jennifer Aniston (Cake)
Felicity Jones (A Teoria de Tudo)
Julianne Moore (Para Sempre Alice)
Rosamund Pike (Garota Exemplar)
Reese Witherspoon (Livre)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
Amy Adams (Grandes Olhos)
Emily Blunt (Caminhos da Floresta)
Helen Mirren (A 100 Passos de um Sonho)
Julianne Moore (Mapa Para as Estrelas)
Quvenzhané Wallis (Annie)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
Ralph Fiennes (O Grande Hotel Budapeste)
Michael Keaton (Birdman)
Bill Murray (Um Santo Vizinho)
Joaquin Phoenix (Vício Inerente)
Christoph Waltz (Grandes Olhos)

MELHOR DIRETOR
Wes Anderson (O Grande Hotel Budapeste)
David Fincher (Garota Exemlar)
Ava DuVernay (Selma)
Alejandro González Inárritu (Birdman)
Richard Linklater (Boyhood: Da Infância à Juventude)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Patricia Arquette (Boyhood: Da Infância à Juventude)
Jessica Chastain (A Most Violent Year)
Keira Knightley (O Jogo da Imitação)
Emma Stone (Birdman)
Meryl Streep (Caminhos da Floresta)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Robert Duvall (O Juiz)
Ethan Hawke (Boyhood: Da Infância à Juventude)
Edward Norton (Birdman)
Mark Ruffalo (Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo)
J.K. Simmons (Whiplash: Em Busca da Perfeição)

MELHOR ROTEIRO
Alejandro González Iñárritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris, Armando Bo (Birdman)
Richard Linklater (Boyhood: Da Infância à Juventude)
Gillian Flynn (Garota Exemplar)
Wes Anderson (O Grande Hotel Budapeste)
Graham Moore (O Jogo da Imitação)

MELHOR ANIMAÇÃO
Operação Big Hero 6 (Big Hero 6)
Festa no Céu (The Book of Life)
Os Boxtrolls (Boxtrolls)
Como Treinar Seu Dragão 2 (How to Train Your Dragon 2)
Uma Aventura Lego (The Lego Movie)

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
Força Maior (Turist), de Ruben Östlund (Suécia)
Gett: The Trial of Viviane Amsalem Gett, de Ronit Elkabetz e Shlomi Elkabetz (Israel)
Ida, de Pawel Pawlikowski (Polônia/Dinamarca)
Leviatã (Leviafan), de Andrey Zvyagintsev (Rússia)
Tangerines (Mandariinid), de Zaza Urushadze (Estônia)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Big Eyes” por Lana Del Ray (Grandes Olhos)
“Glory” por John Legend, Common (Selma)
“Mercy Is” por Patti Smith, Lenny Kaye (Noé)
“Opportunity” por Greg Kurstin, Sia Furler, Will Gluck (Annie)
“Yellow Flicker Beat” por Lorde (Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1)

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL
Alexandre Desplat (O Jogo da Imitação)
Johann Johannsson (A Teoria de Tudo)
Trent Reznor, Atticus Ross (Garota Exemplar)
Antonio Sanchez (Birdman)
Hans Zimmer (Interestelar)

TELEVISÃO

MELHOR SÉRIE DRAMÁTICA
The Affair
Downton Abbey
Game of Thrones
The Good Wife
House of Cards

MELHOR ATOR EM SÉRIE DRAMÁTICA
Clive Owen (The Knick)
Liev Schreiber (Ray Donovan)
Kevin Spacey (House of Cards)
James Spader (The Blacklist)
Dominic West (The Affair)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DRAMÁTICA
Claire Danes (Homeland)
Viola Davis (How to Get Away with Murder)
Julianna Margulies (The Good Wife)
Ruth Wilson (The Affair)
Robin Wright (House of Cards)

MELHOR MINISSÉRIE OU TELEFILME
Fargo
The Missing
True Detective
The Normal Heart
Olive Kitteridge

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA
Girls
Jane the Virgin
Orange Is the New Black
Silicon Valley
Transparent

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Uzo Aduba (Orange Is the New Black)
Kathy Bates (American Horror Story: Freak Show)
Joanne Froggatt (Downton Abbey)
Allison Janney (Mom)
Michelle Monaghan (True Detective)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Matt Bomer (The Normal Heart)
Alan Cumming (The Good Wife)
Colin Hanks (Fargo)
Bill Murray (Olive Kitteridge)
Jon Voight (Ray Donovan)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA
Lena Dunham (Girls)
Edie Falco (Nurse Jackie)
Gina Rodriguez (Jane the Virgin)
Julia Louis Dreyfus (Veep)
Taylor Schilling (Orange Is the New Black)

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA
Don Cheadle (House of Lies)
Ricky Gervais (Derek)
Jeffrey Tambor (Transparent)
Louis C.K. (Louie)
William H. Macy (Shameless)

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Maggie Gyllenhaal (The Honorable Woman)
Jessica Lange (American Horror Story: Freak Show)
Frances McDormand (Olive Kitteridge)
Frances O’Connor (The Missing)
Alison Tolman (Fargo)

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Martin Freeman (Fargo)
Woody Harrelson (True Detective)
Matthew McConaughey (True Detective)
Mark Ruffalo (The Normal Heart)
Billy Bob Thornton (Fargo)

A cerimônia do Globo de Ouro 2015 acontece no dia 11 de janeiro e deverá ser transmitida pelo canal pago TNT. Quatro dias depois, serão anunciadas as indicações ao Oscar.

George Clooney receberá o prêmio Cecil B. DeMille no Globo de Ouro 2015

George Clooney: homenageado aos 53 anos com Cecil B. DeMille award (photo by www.goldenglobes.com)

George Clooney: homenageado aos 53 anos com Cecil B. DeMille award (photo by http://www.goldenglobes.com)

Todo mundo tá careca de saber que prêmios pelo conjunto da obra são destinados a profissionais em fim de carreira, certo? Então por que raios estão premiando George Clooney??? Só porque o cabelo dele é grisalho não significa que ele está em fim de carreira!

Vamos analisar friamente: George está com seus 53 aninhos. Se estivéssemos no século XIX, ele estaria na taxa de mortalidade e mereceria tal prêmio. Mas aí você vai dizer: “Mas Jodie Foster recebeu o prêmio Cecil B. DeMille aos 50 anos!”. Pois é, mas ela começou a trabalhar quando ainda estava na barriga da mãe! Ela fazia propagandas aos 3 anos! Então, nesse quesito de tempo de trabalho, Georgie também não se encaixaria. Mas afinal, por que ele está recebendo esta homenagem?

Para bem ou para mal, o Globo de Ouro ficou marcado por seu lado bajulador em relação às celebridades. Só pra citar um exemplo bem recente, alguns especialistas defenderam essa característica da Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood quando preferiram Jennifer Lawrence (a estrela do momento) a Lupita Nyong’o como Melhor Atriz Coadjuvante este ano.

Aliás, desde a época que acompanho a cerimônia do Globo de Ouro, ouço o crítico Rubens Ewald Filho falando: “O George Clooney é muito querido pela imprensa estrangeira, então eles gostam de retribuir dando prêmios”. Prova disso são os 4 Globos de Ouro que ele ganhou. Claro que não tenho absolutamente NADA contra George Clooney. Na verdade, considero-o um ator de ótimo carisma e homem de classe, mas também considero prematuro esse prêmio pelo conjunto da obra, pois está em pleno auge em Hollywood, tanto como ator como diretor.

George Clooney com um de seus Globos de Ouro (photo by latimesblogs.latimes.com)

George Clooney com um de seus Globos de Ouro (photo by latimesblogs.latimes.com)

Só para citar alguns nomes que ainda não ganharam o Cecil B. De Mille e que poderiam facilmente tomar o lugar de Clooney: os atores Julie Andrews, Julie Christie, Maggie Smith, Jane Fonda, Ellen Burstyn, Sally Field, Robert Duvall, Michael Caine e os diretores Mike Nichols, William Friedkin e Milos Forman. São artistas cujas carreiras já atingiram o ápice há algumas décadas e que mereceriam reconhecimento pelo histórico, fato que poderia incentivar uma nova alta na carreira como um papel coadjuvante importante num blockbuster como um filme da Marvel ou da série Jogos Vorazes.

Mas George é a bola da vez. No início, ficou conhecido como o pediatra Ace da série de TV E.R. (Plantão Médico), mas resolveu seguir carreira no cinema com filmes menores como o terror Um Drink no Inferno (1996) e a comédia romântica Um Dia Especial (1996) ao lado da musa Michelle Pfeiffer (que também poderia receber o Cecil B. De Mille!). No ano seguinte, vestiu o manto com mamilos do Homem-Morcego no vergonhoso Batman & Robin. Embora tenha sido um fracasso unânime, o ator saiu ileso das críticas, pois foi considerado melhor Bruce Wayne do que seu antecessor Val Kilmer.

Michelle Pfeiffer e George Clooney em Um Dia Especial (photo by free-movies.me)

Michelle Pfeiffer e George Clooney em Um Dia Especial (photo by free-movies.me)

Sua fama de galã foi crescendo nos anos seguintes, atingindo o auge na trilogia Onze Homens e um Segredo (2001). Embora tenha interpretado o mesmo papel de Frank Sinatra do original homônimo de 1960, George Clooney ganhou maiores comparações com Cary Grant. Como se não bastasse, passou a ganhar notoriedade como diretor, entregando títulos elogiados pela crítica e público como Confissões de uma Mente Perigosa (2002), Boa Noite e Boa Sorte (2005) e Tudo Pelo Poder (2011). Particularmente, em se tratando de atuação, voto na performance de Os Descendentes como sua melhor, por sair da sua zona de conforto, abdicando de seu posto de galã e se entregando aos sentimentos pela esposa em coma. Por esse trabalho, Clooney ganhou seu terceiro Globo de Ouro. Os anteriores foram por E Aí, Meu Irmão, Cadê Você? (2000) e Syriana – A Indústria do Petróleo (2005), além do 4º como produtor por Argo.

Definido Clooney como homenageado, pelo menos teremos garantia de um excelente discurso de agradecimento, repleto de humor e tons humanistas como aquele ótimo quando ganhou o Oscar de coadjuvante em 2006. Veja vídeo abaixo:

GEORGE CLOONEY E O GLOBO DE OURO

1996: Indicado a Melhor Ator de Série de TV – Drama (Plantão Médico)
1997: Indicado a Melhor Ator de Série de TV – Drama (Plantão Médico)
1998: Indicado a Melhor Ator de Série de TV – Drama (Plantão Médico)
2001: Vencedor de Melhor Ator – Comédia ou Musical (E Aí, Meu Irmão, Cadê Você?)
2006: Indicado a Melhor Diretor (Syriana – A Indústria do Petróleo)
Indicado a Melhor Roteiro (Syriana – A Indústria do Petróleo)
2008: Indicado a Melhor Ator – Drama (Conduta de Risco)
2010: Indicado a Melhor Ator – Drama (Amor Sem Escalas)
2012: Vencedor de Melhor Ator – Drama (Os Descendentes)
Indicado a Melhor Diretor (Tudo Pelo Poder)
Indicado a Melhor Roteiro (Tudo Pelo Poder)
2013: Vencedor de Melhor Filme – Drama (Argo)

A cerimônia do 72º Globo de Ouro está marcada para 11 de janeiro de 2015, provavelmente pelo canal pago TNT. O evento terá o retorno das hostesses Tina Fey e Amy Poehler, que nesse ano, soltaram uma piada ácida: “Gravidade era “a história de como George Clooney prefere flutuar no espaço e morrer do que passar um minuto a mais com uma mulher com a sua idade”. Com certeza, terá uma réplica de Clooney…

“Trapaça” é o grande vencedor do Globo de Ouro 2014. “12 Anos de Escravidão” fica com prêmio de consolação

American Hustle

71ª EDIÇÃO DO GLOBO DE OURO BUSCA EQUILÍBRIO, MAS NÃO RESISTE À TRAPAÇA

MODA OU DESEJO MASCULINO?

Antes de começar a falar da premiação em si, gostaria de destacar alguns vestidos no tapete vermelho. Não sou entendedor de moda, mas se eu fosse fazer uma festa, com certeza convidaria estas moças…

Amy Adams continua deslumbrante aos 39 aninhos

Hórs-concours: Amy Adams em Valentino continua deslumbrante aos 39 aninhos

Amber Heard em Versace

Aqui o conteúdo do vestido fala mais alto: Amber Heard em Versace

Jessica Chastain: musa do tapete vermelho

Jessica Chastain num belo Givenchy: musa do tapete vermelho

Cate Blanchett em Armani Prive

Indicada por Blue Jasmine, Cate Blanchett em Armani Prive

E apesar dos deslizes, também convidaria:

Emma Watson tem um futuro brilhante, mas acho que precisa melhorar essa moda

Emma Watson tem um futuro brilhante, mas até lá, acho que precisa mudar de estilo

Adoro Jennifer Lawrence, mas esse Dior tá meio estranho. Na internet, alguns compararam ao...

Adoro Jennifer Lawrence, mas esse Dior tá meio estranho. Na internet, alguns compararam ao…

... modelito da Pequena Sereia

… modelito da Pequena Sereia.

TINA FEY E AMY POEHLER MANTÊM PIADAS AFIADAS

Agora, quanto à cerimônia, foi bom ter a dupla Tina Fey e Amy Poehler de volta. Mas acho que elas pegaram mais leve desta vez. Não houve pérolas do tipo “Em se tratando de tortura, confio na mulher que foi casada com James Cameron”, MAS ADOREI a piada do Mister Golden Globe: Randy, o filho bastardo de Tina Fey, interpretado por Poehler. Com visual à la Justin Bieber, bocudo e sem nenhuma vergonha, ele passa entre os convidados pra procurar o pai. Aponta para Idris Elba e pergunta: “É ele?” E em seguida para o produtor Harvey Weinstein: “É ele?”.

Mister Golden Globe "Randy" (Amy Poehler) ao lado de Sosie Bacon, filha de Kevin Bacon e Kyra Segdwick, a Miss Golden Globe (photo by Paul Drinkwater/NBC)

Mister Golden Globe “Randy” (Amy Poehler) ao lado de Sosie Bacon, filha de Kevin Bacon e Kyra Segdwick, a Miss Golden Globe (photo by Paul Drinkwater/NBC)

Claro que não são nenhum mestre do humor ácido corrosivo de Ricky Gervais, mas também não são flores que se cheirem. No início da festa, Fey explica que Gravidade era “a história de como George Clooney prefere flutuar no espaço e morrer do que passar um minuto a mais com uma mulher com a sua idade”. Quem viu o filme, entende a piada. George não estava na cerimônia. Se fosse Ricky, ele soltaria essa bomba na presença dele (por isso que não voltou mais como host).

Ao comentarem o nível das celebridades no local, elas listavam quem eram os tops. Então, quando mencionaram Matt Damon no contexto, sobrou pra ele: “Matt, em qualquer outra noite, em qualquer outro lugar, você seria grande coisa, mas – não interprete isso de forma errada – esta noite, você é basicamente o lixeiro (garbage person)”. Quando Damon subiu ao palco para apresentar um clipe de Capitão Phillips, ele começou com: “Sou eu Matt Damon, o lixeiro”. Haha

O humor que servia como elogio também tinha seu conteúdo impróprio. Ao introduzirem Leonardo DiCaprio, Tina Fey e Amy Poehler proferiram: “E agora, como uma vagina de uma super modelo, vamos todos dar calorosas (warm) boas-vindas a Leonardo DiCaprio.”

Tina Fey e Amy Poehler apresentam o Globo de Ouro pela segunda vez (photo by Paul Drinkwater/NBC)

Tina Fey e Amy Poehler apresentam o Globo de Ouro pela segunda vez (photo by Paul Drinkwater/NBC)

E em tom irônico, criticam a atriz Julia Louis-Dreyfus, duplamente indicada por À Procura do Amor e pela série de TV Veep, por ter se sentado na ala das celebridades de cinema. “Interessantemente, Julia resolveu se sentar na seção do pessoal de cinema”. Quando Louis-Dreyfus havia perdido na sua categoria de filme, eis que Tina Fey volta a citá-la: “Ora, ora, ora… Veja quem voltou à ala das celebridades de TV”.

12 ANOS DE ESCRAVIDÃO QUASE PASSA A NOITE DESAPERCEBIDO

Equipe e elenco de 12 Anos de Escravidão. Ao centro, o diretor Steve McQueen segura o Globo de Ouro.

Equipe e elenco de 12 Anos de Escravidão. Ao centro, o diretor Steve McQueen segura o Globo de Ouro.

Foi estranho. 12 Anos de Escravidão estava perdendo em todas as categorias ao longo da noite. “Não vai rolar nenhum prêmio de consolação?”, pensei. Rolou. Justo o de Melhor Filme! Desde que acompanho o Globo de Ouro, nunca havia visto uma produção ganhar tal prêmio e nada mais. Mas justiça seja feita, afinal recebeu sete indicações. Infelizmente, o filme só estreará aqui no dia 28 de fevereiro, então estou pensando como a Layane e partir no meu barco Pérola Negra… hehe

O grande vencedor da noite foi Trapaça, de David O. Russell, com 3 Globos de Ouro: Melhor Filme – Comédia ou Musical, Atriz (Amy Adams) e Atriz Coadjuvante (Jennifer Lawrence). Ao contrário de anos anteriores em que sempre havia uma produção boba ou rala competindo, os candidatos a Comédia ou Musical eram de qualidade, então Trapaça já pode se sentir garantido no Oscar, cujas indicações saem no próximo dia 16. Aliás, a grande vencedora da noite foi a jovem produtora Megan Ellison, que venceu 4 Globos de Ouro (3 por Trapaça e 1 por Ela).

Equipe e elenco de Trapaça recebe o Globo de Ouro de Melhor Filme - Comédia ou Musical. A produtora Megan Ellison segura a estatueta (photo by Paul Drinkwater/NBC)

Equipe e elenco de Trapaça recebe o Globo de Ouro de Melhor Filme – Comédia ou Musical. A produtora Megan Ellison segura a estatueta (photo by Paul Drinkwater/NBC)

Falando em Ela, foi uma bela vitória para o diretor e roteirista Spike Jonze por Melhor Roteiro. É realmente uma pena que ele não foi indicado para o DGA (Directors Guild), mas ele tem grandes chances de ser indicado ao Oscar de roteiro e até ganhar. Ela foi um dos filmes mais comentados e premiados nessa temporada e espero que se repita no anúncio dos indicados ao Oscar.

Na categoria de direção, o mexicano Alfonso Cuarón recebe a honraria e recorda uma situação engraçada com Sandra Bullock. “Obrigado por não desistir quando te disse ‘Sandra, vou te dar herpes’. Quando na verdade eu quis dizer ‘Sandra, vou te dar um earpiece’ (ponto eletrônico pra ouvido). É uma história verdadeira”.

Preterido ano passado por sua performance em Magic Mike, Matthew McConaughey deu a volta por seu trabalho em Clube de Compras Dallas, no qual perdeu mais de 17 quilos para interpretar o aidético Ron Woodroof. Até poucos anos atrás, sempre considerei McConaughey uma eterna promessa desde 1996 quando estrelou Tempo de Matar, pois parou nas comédias românticas ralas como Armações do Amor, Um Amor de Tesouro e Como Perder um Homem em Dez Dias. Felizmente, ele evoluiu bastante desde 2011, ao atuar em Killer Joe – Matador de Aluguel, de William Friedkin. Vale lembrar que ele está no novo filme de Christopher Nolan, a ficção científica Interstellar, que deve estrear em novembro.

Matthew McConaughey vence por Clube de Compras Dallas

Matthew McConaughey vence como Melhor Ator – Drama por Clube de Compras Dallas

Aparentmente existe na internet uma espécie de corrente alegando que Hollywood é racista porque preferiu premiar um ator branco (McConaughey) a um negro (Chiwetel Ejiofor ou Idris Elba). Para aqueles que acreditam nessa teoria, a única coisa que digo é: às vezes a internet tem suas desvantagens. Tem gente que nem merecia teclar num computador.

Atuando ao lado de McConaughey, o jovem Jared Leto também foi pra dieta para viver o transexual Rayon. Sua transformação foi bastante elogiada pela crítica e, apesar de não ter sido indicado ao BAFTA (por motivos de regulamento), sua presença no Oscar é vista como garantida. Como mencionado em seu discurso de agradecimento, sua premiação é uma ótima recepção de boas-vindas após um afastamento de 6 anos do cinema (embora a diferença entre o lançamento deste filme do último foi de 4 anos).

O Globo de Ouro para Leonardo DiCaprio pode ser interpretado como uma espécie de prêmio de consolo para a derrota de O Lobo de Wall Street como Melhor Filme – Comédia ou Musical. Eu disse “pode”. Ou pode ser por puro mérito, afinal DiCaprio é um ator em ascensão desde 2002, quando iniciou uma forte parceria com o diretor Martin Scorsese. Obviamente sua vitória alavancará sua campanha rumo à sua 4ª indicação ao Oscar, mas não acredito em seu 1º Oscar pelo alto nível de competição na categoria Melhor Ator que poderá enfrentar.

Leonardo DiCaprio vence seu segundo Globo de Ouro (photo by Paul Drinkwater/NBC)

Leonardo DiCaprio vence seu segundo Globo de Ouro (photo by Paul Drinkwater/NBC)

Quanto às atrizes, Cate Blanchett mereceu vencer por sua performance em Blue Jasmine. Foi a maior homenagem que Woody Allen, diretor do filme, poderia ter recebido na noite. Apesar do encantador discurso de Diane Keaton, a ausência de Woody para receber o Cecil B. DeMille Award pelo conjunto da obra reduziu a grandeza do momento. Certamente, Woody daria o melhor discurso de todos. Várias atrizes com quem trabalhou estavam lá na esperança de que ele pudesse pegar o avião e vir pra Los Angeles: Dianne Wiest, Mariel Hemingway, Naomi Watts e as indicadas Julia Roberts e Meryl Streep. Como fã de Allen, confesso que fiquei decepcionado, pois o Cecil B. DeMille não é um mero prêmio, mas uma homenagem previamente aprovada pelo homenageado.

Mas enfim… Woody Allen é Woody Allen. Diane Keaton proferiu algumas frases dele, sendo uma delas a seguinte: “Uma das melhores coisas sobre escrever ou qualquer Arte é que se a coisa é real, ela vive. Todo o sucesso em cima ou a rejeição, nada disso realmente importa porque no fim, a coisa vai sobreviver ou não sobre seus próprios méritos. Imortalidade via Arte não é grande coisa. François Truffaut morreu. Seus filmes vivem, mas isso não ajuda muito François Truffaut. Como disse muitas vezes, em vez de viver nos corações e mentes de meu colega, prefiro viver no meu apartamento.”

Diane Keaton recebe o Cecil B. DeMille award por Woody Allen

Diane Keaton recebe o Cecil B. DeMille award por Woody Allen

E Amy Adams e Jennifer Lawrence venceram por Trapaça como Atriz – Comédia ou Musical e Coadjuvante, respectivamente. Confesso que, apesar de desejar a vitória de Lawrence, não esperava que ela ganharia o segundo Globo de Ouro de forma consecutiva (ano passado, ganhou por O Lado Bom da Vida, sob a direção do mesmo David O. Russell). E se ela vencer o SAG no próximo fim de semana, o segundo Oscar estará praticamente em suas mãos. Já Amy Adams, recebeu seu maior prêmio até agora, consolidando a forte possibilidade de ser finalmente indicada como Melhor Atriz após 4 indicações como coadjuvante. Sua vitória seria muito improvável levando em consideração suas competidoras, mas um passo de cada vez, certo?

Jennifer Lawrence com seu segundo Globo de Ouro

Jennifer Lawrence com seu segundo Globo de Ouro

Amy Adams ganha seu primeiro Globo de Ouro por Trapaça

Amy Adams ganha seu primeiro Globo de Ouro por Trapaça

SURPRESAS DA NOITE

A vitória da trilha musical de All is Lost, de Alex Ebert, não deixa de ser uma surpresa. Em sua primeira indicação, já leva o Globo de Ouro, batendo fortes concorrentes como John Williams e Hans Zimmer. Com visual meio hippie e abrindo o discurso com uma confissão de ter participado de uma festa num barco com o rapper Puff Daddy numa espécie de tour à base de erva, Ebert pode ter dado um passo importante ao Oscar.

A canção “Let it go” de Frozen: Uma Aventura Congelante era considerada favorita, mas “Ordinary Love” de Mandela: Long Walk to Freedom roubou o troféu, não apenas pelo prestígio da banda U2, mas a recente morte do líder sul-africano Nelson Mandela pesaram na decisão.

Contudo, acho que a maior surpresa foi a vitória do italiano A Grande Beleza, batendo o franco-favorito Azul é a Cor Mais Quente, que tem vencido quase todos os prêmios de Melhor Filme Estrangeiro desde que ganhou a Palma de Ouro. Com o candidato francês fora da corrida ao Oscar, o filme italiano de Paolo Sorrentino cresce nessa reta final e pode surpreender ainda mais se o dinamarquês A Caça assustar os votantes da Academia com seu tema de pedofilia.

Gostei bastante da vitória inesperada de Amy Poehler, a hostess da noite. Sempre a considerei uma boa comediante sem mesmo acompanhar sua série Parks and Recreation, mas já havia admirado seu timing cômico no filme Uma Mãe Para o Meu Bebê. Achava que ela não teria chances por ser uma das anfitriãs da noite e porque acreditava que Julia Louis-Dreyfus venceria por Veep. Quando seu nome é anunciado com as demais indicadas, ela aparece sentada no colo de Bono, recebendo uma massagem nos ombros. Ao ouvir seu nome como vencedora, ela não resiste e beija apaixonadamente o vocalista do U2. “Eu nunca ganho nada!”, desculpa-se Poehler pelo embaraço no discurso.

Confira todos os vencedores dessa 71ª edição do Globo de Ouro:

MELHOR FILME – DRAMA
12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL
Trapaça (American Hustle)

MELHOR DIRETOR
Alfonso Cuarón (Gravidade)

MELHOR ATOR – DRAMA
Matthew McConaughey (Clube de Compras Dallas)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Cate Blanchett (Blue Jasmine)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
Leonardo DiCaprio (O Lobo de Wall Street)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
Amy Adams (Trapaça)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Jared Leto (Clube de Compras Dallas)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Jennifer Lawrence (Trapaça)

MELHOR ROTEIRO
Spike Jonze (Ela)

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL
Alex Ebert (All is Lost)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Ordinary Love”, de U2 (Mandela: Long Walk to Freedom)

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
A Grande Beleza, de Paolo Sorrentino (Itália)

MELHOR ANIMAÇÃO
Frozen: Uma Aventura Congelante, de Chris Buck e Jennifer Lee

MELHOR SÉRIE DE TV – DRAMA
Breaking Bad

MELHOR ATOR – SÉRIE DE TV – DRAMA
Bryan Cranston (Breaking Bad)

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DE TV – DRAMA
Robin Wright (House of Cards)

MELHOR SÉRIE DE TV – COMÉDIA OU MUSICAL
Brooklyn Nine-Nine

MELHOR ATOR – SÉRIE DE TV – COMÉDIA OU MUSICAL
Andy Samberg (Brooklyn Nine-Nine)

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DE TV – COMÉDIA OU MUSICAL
Amy Poehler (Parks and Recreation)

MELHOR MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Minha Vida com Liberace (Behind the Candelabra)

MELHOR ATOR – MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Michael Douglas (Minha Vida com Liberace)

MELHOR ATRIZ – MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Elisabeth Moss (Top of the Lake)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Jon Voight (Ray Donovan)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Jacqueline Bisset (Dancing on the Edge)

Num dos melhores momentos da noite, a grande atriz Emma Thompson subiu descalça ao palco já um pouco mais animada pelo álcool para apresentar um prêmio carregando seus sapatos de salto alto na mão direita e seu martini na esquerda. “Só quero que saibam que este vermelho (dos sapatos) é meu sangue”. Depois do anúncio dos indicados para Melhor Roteiro, ela perguntou: “Onde está o envelope?”. Quando a Miss Golden Globe o trouxe, Thompson, que estava com as mãos ocupadas, jogou para longe os sapatos para pegar o envelope, optando claramente pela bebida à finèse dos saltos. Uma grande figura!

Emma Thompson mantendo a classe

Emma Thompson mantendo a classe