JENNIFER HUDSON, CATE BLANCHETT e BRADLEY COOPER SÃO INDICADOS ao SAG AWARDS. SÉRIE ‘ROUND 6’ FAZ HISTÓRIA.

PRÊMIO DO SINDICATO DOS ATORES SUBSTITUI NOMES CERTOS DA TEMPORADA

Ao meio-dia, horário de Brasília, desta quarta-feira (12), as atrizes Rosario Dawson e Vanessa Hudgens se juntaram numa live do Instagram para fazer o anúncio dos indicados ao SAG Awards. Esta mesma live foi gravada e está disponível em forma de post no Instagram.

Pra quem gosta de confirmações que elevem os patamares dos favoritos, o SAG esquentou a cabeça de muitos que seguem a temporada de premiações, pois tirou do páreo nomes que até então eram quase certos para uma indicação ao Oscar. Já para aqueles que preferem a imprevisibilidade e um reconhecimento mais diversificado, o SAG reservou algumas surpresas (não necessariamente) agradáveis.

Primeiramente, vamos às confirmações Benedict Cumberbatch, Andrew Garfield, Will Smith e Denzel Washington na categoria de Ator; Jessica Chastain, Lady Gaga, Olivia Colman, Nicole Kidman na categoria de Atriz; Troy Kotsur, Kodi Smit-McPhee e Jared Leto na de Ator Coadjuvante; Caitríona Balfe, Ariana DeBose e Kirsten Dunst em Atriz Coadjuvante. Em sua grande maioria, são nomes que estiveram mais presentes em listas anteriores de críticos e no Globo de Ouro.

Já as surpresas são Javier Bardem tomando um possível lugar de Peter Dinklage (por Cyrano); Jennifer Hudson tomando o lugar de Kristen Stewart (Spencer) – que até pouco tempo atrás era uma franco-favorita; Bradley Cooper e Ben Affleck tomando os lugares de Jamie Dornan e Ciarán Hinds (ambos de Belfast); e Cate Blanchett e Ruth Negga nos lugares de Anjanue Ellis e Marlee Matlin (ou Ann Dowd). Quem estava contando com Kristen Stewart certamente se decepcionou com a entrada de Hudson (cujo filme sobre Aretha Franklin não foi bem recebido por público ou crítica), mas esse tipo de abertura gera uma temporada de premiações menos fechada e possibilita um reconhecimento mais abrangente de performances e filmes diferentes.

Falando em possibilidades, a categoria principal do SAG, que coroa o Melhor Elenco, costuma ser equiparada ao Oscar de Melhor Filme. Algumas vezes, o filme vencedor desse prêmio realmente acaba levando o Oscar principal da noite como no caso de Parasita, mas as estatísticas não estão muito favoráveis nos últimos cinco anos, pois em quatro deles, o vencedor do SAG não levou o Oscar: Os 7 de Chicago, Pantera Negra, Três Anúncios Para um Crime e Estrelas Além do Tempo. Se levarmos isso em consideração, a não-indicação de Ataque dos Cães e Amor, Sublime Amor (ambos favoritos ao Oscar) não interfere demais numa possível campanha vencedora, assim como não eleva tanto para os indicados Casa Gucci ou King Richard.

Apesar do elenco estelar de Não Olhe Para Cima, composto por Leonardo DiCaprio, Jennifer Lawrence, Jonah Hill, Timothée Chalamet e Meryl Streep, o SAG deve ficar com Belfast ou No Ritmo do Coração, que curiosamente são elencos de famílias, e o SAG adora esse senso de unidade familiar e as atuações em conjunto para selecionar o vencedor de Elenco. O filme de Kenneth Branagh sobre a cidade irlandesa leva uma ligeira vantagem pois a participação dos atores está mais bem distribuída e alinhada. Particularmente, concordo com a não-indicação de Dornan e Hinds como Coadjuvantes, pois são atuações menos significantes. Já pelo drama da família surda, Marlee Matlin está bem, mas é realmente Troy Kotsur que rouba a cena como o pai Frank.

Sem querer dar uma de bola de cristal (até mesmo porque a cerimônia só será no dia 27 de Fevereiro), seguem meus palpites dos vencedores para as categorias de cinema:
ELENCO: Belfast
ATOR: Will Smith (King Richard)
ATRIZ: Jessica Chastain (Os Olhos de Tammy Faye)
ATOR COADJUVANTE: Bradley Cooper (Licorice Pizza)
ATRIZ COADJUVANTE: Ariana DeBose (Amor, Sublime Amor)
DUBLÊS: Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis

Nas categorias televisivas, o destaque ficou por conta de Round 6 (ou Squid Game), que se tornou a primeira série em língua-estrangeira indicada ao SAG na história de 28 anos. A série sul-coreana foi líder de views na plataforma da Netflix em mais de 90 países e foi a mais assistida na história da plataforma de streaming, praticamente obrigando os prêmios a quebrarem seus paradigmas de ficarem isolados em séries domésticas. Na semana passada, a série ganhou o Globo de Ouro de Ator Coadjuvante para Oh Yeong-su (o velhinho participante Nº 001), mas ele não foi reconhecido com uma indicação individual no SAG, que preferiu indicar o protagonista Lee Jung-jae como Ator de Série Dramática, e a jovem Jung Heyon como Melhor Atriz de Série Dramática.

Confira todos os indicados do SAG Awards:

CINEMA

MELHOR ELENCO – FILME

Belfast (Focus Features)  
No Ritmo do Coração (Apple Original Films) 
Não Olhe Para Cima (Netflix)  
Casa Gucci (MGM/United Artists Releasing)  
King Richard: Criando Campeãs (Warner Bros) 

MELHOR ATOR

Javier Bardem (Apresentando os Ricardos)  
Benedict Cumberbatch (Ataque dos Cães) 
Andrew Garfield (Tick, Tick … Boom!) 
Will Smith (King Richard: Criando Campeãs)  
Denzel Washington (The Tragedy of Macbeth) 

MELHOR ATRIZ

Jessica Chastain (Os Olhos de Tammy Faye)  
Olivia Colman (A Filha Perdida)  
Lady Gaga (Casa Gucci) 
Jennifer Hudson (Respect: A História de Aretha Franklin)  
Nicole Kidman (Apresentando os Ricardos) 

MELHOR ATOR COADJUVANTE

Ben Affleck (Bar Doce Lar)  
Bradley Cooper (Licorice Pizza)  
Troy Kotsur (No Ritmo do Coração)  
Jared Leto (Casa Gucci)  
Kodi Smit-McPhee (Ataque dos Cães)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Caitríona Balfe (Belfast)
Cate Blanchett (O Beco do Pesadelo)
Ariana DeBose (Amor, Sublime Amor)
Kirsten Dunst (Ataque dos Cães)
Ruth Negga (Identidade)

MELHOR EQUIPE DE DUBLÊS – FILME

Viúva Negra
Duna
Matrix Resurrections
007 Sem Tempo Para Morrer
Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis

TV OU STREAMING

MELHOR ELENCO – SÉRIE DRAMÁTICA

The Handmaid’s Tale (Hulu) 
The Morning Show (Apple TV Plus) 
Round 6 (Netflix) 
Succession (HBO) 
Yellowstone (Paramount Network) 

MELHOR ATOR – SÉRIE DRAMÁTICA

Brian Cox (Succession) 
Billy Crudup (The Morning Show) 
Kieran Culkin (Succession)  
Lee Jung-Jae (Round 6)  
Jeremy Strong (Succession)

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DRAMÁTICA

Jennifer Aniston (The Morning Show) 
Jung Ho-yeon (Round 6)
Elizabeth Moss (The Handmaid’s Tale)  
Sarah Snook (Succession) 
Reese Witherspoon (The Morning Show)

MELHOR ELENCO – SÉRIE DE COMÉDIA

The Great (Hulu)  
Hacks (HBO Max)  
The Kominsky Method (Netflix)
Only Murders in the Building (Hulu)  
Ted Lasso (Apple TV Plus)

MELHOR ATOR – SÉRIE DE COMÉDIA

Michael Douglas (The Kominsky Method)  
Brett Goldstein (Ted Lasso) 
Steve Martin (Only Murders in the Building)  
Martin Short (Only Murders in the Building)  
Jason Sudeikis (Ted Lasso)  

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DE COMÉDIA

Elle Fanning (The Great)
Sandra Oh (The Chair)
Jean Smart (Hacks)
Juno Temple (Ted Lasso)
Hannah Waddingham (Ted Lasso)

MELHOR ATOR – MINISSÉRIE OU FILME PARA TV

Murray Bartlett (The White Lotus)  
Oscar Isaac (Scenes From a Marriage)  
Michael Keaton (Dopesick) 
Ewan McGregor (Halston)  
Evan Peters (Mare of Easttown) 

MELHOR ATRIZ – MINISSÉRIE OU FILME PARA TV

Jennifer Coolidge (The White Lotus)  
Cynthia Erivo (Genius: Aretha)  
Margaret Qualley (Maid)  
Jean Smart (Mare of Easttown)  
Kate Winslet (Mare of Easttown)  

MELHOR EQUIPE DE DUBLÊS – SÉRIE

Cobra Kai
Falcão Negro e o Soldado Invernal
Loki
Mare of Easttown
Round 6

‘ATAQUE DOS CÃES’ e ‘BELFAST’ LIDERAM INDICAÇÕES ao GLOBO DE OURO

EMBORA CERIMÔNIA AINDA NÃO ESTEJA GARANTIDA, HFPA ANUNCIA INDICADOS

Recapitulando para quem perdeu o bonde: Em 2021, a HFPA (Hollywood Foreign Press Association), grupo formado por jornalistas estrangeiros e responsável pela premiação do Globo de Ouro, foi alvo de acusações de jornais tais como a ausência total de jornalistas negros, e a forte suspeita de compra de votos por estúdios através de diárias caríssimas de hotéis na França para reconhecer a série Emily in Paris. Com a perda da credibilidade, a rede NBC cancelou a transmissão da cerimônia de 2022 e inúmeros estúdios anunciaram que não investiriam na campanha junto ao Globo de Ouro, pelo menos até arrumarem a casa. Inicialmente, os responsáveis pela HFPA acreditavam que essa reformulação seria rápida e eficiente, mas passados 8 meses, o Globo de Ouro ainda está repercutindo a crise. Recentemente, decidiram anunciar os indicados (afinal, são 78 anos de história de cinema e TV), mas a cerimônia, bem como a transmissão, ainda estão pendentes.

Na Live ocorrida no canal Golden Globes no YouTube, a presidente da HFPA, Helen Hoehne, começou com um discurso esperançoso, pontuando as mudanças já realizadas nos últimos meses como a inclusão de 21 novos membros jornalistas de mais de 50 países, e uma nova conduta da organização ao não aceitar mais presentes dos estúdios como forma de mimos, mas nenhuma palavra sobre a transmissão, o que se mostrou um erro. Deveriam ter firmado já alguma parceria com outra emissora ou pelo menos transmitir no próprio YouTube, já que a cerimônia já ocorre no próximo dia 09 de Janeiro. Pra quem não conferiu o anúncio dos indicados, segue link abaixo:

Já vimos vários anúncios de indicados ao longo dos anos, mas esta certamente foi uma das piores já vistas. Não dá pra entender. A nova presidente da HFPA se apresenta repleta de espírito de inovação, mas quando ela introduz Snoop Dogg pra ler os indicados, tudo vira motivo pra piada! Longe de nós querer debochar do músico, que até tem um histórico no cinema como sua participação em Dia de Treinamento e na animação da Dreamworks, Turbo, mas todos sabem que seu nome está atribuído às drogas. Snoop Dogg claramente não é a pessoa mais indicada para ler nomes às 6 horas da manhã (sem falar na possiblidade de ele estar chapado), então foi um festival de erros bizarros como ler o nome do diretor Denis Villeneuve como “Denis Villenueva” (de francês virou espanhol) e a atriz francesa Marion Cotillard virou “Marian Cottier”. Dogg fez Tiffany Haddish uma professora de Inglês! Tudo bem que nenhuma celebridade hollywoodiana queimaria sua reputação aceitando o convite da HFPA, mas se Dogg fosse a única opção, teria sido melhor outro membro da organização ler os indicados. Ficaria minimamente mais respeitoso!

E uma última coisa que gostaríamos de pontuar é que a mundo das premiações de cinema também é cruel. Enquanto o Globo de Ouro está em frangalhos (mas pelo menos está se esforçando para retomar seu prestígio), a nossa querida “bolha assassina”, ou como muitos conhecem Critics’ Choice Awards, resolveu roubar na cara dura o lugar do Globo de Ouro, agendando as datas de anúncio e premiação nos mesmos dias: 13 de Dezembro as indicações, e 09 de Janeiro a premiação. Particularmente não gostamos muito do Critics’ Choice porque sempre foi algo muito genérico, que faz de tudo para agradar os estúdios e celebridades (como estender para 8 indicados uma categoria), o que fez com que associemos esse prêmio a uma falta de personalidade. Só vamos dizer uma coisa ao Critics’: O mundo dá voltas.

NÚMEROS DO GLOBO DE OURO

Os recordistas desta 79ª edição foram Belfast, de Kenneth Branagh, e Ataque dos Cães, de Jane Campion, ambos com 7 indicações cada. Por enquanto, caminhamos para uma premiação dividida entre eles: Melhor Filme para o drama autobiográfico de Branagh, e Direção para Campion para reconhecer um trabalho ousado e delicado. Em 2º lugar, empatados com 4 indicações para cada: o drama King Richard: Criando Campeãs, que pode alavancar a campanha de Melhor Ator para Will Smith, as comédias Não Olhe Para Cima e Licorice Pizza, e o musical de Spielberg, Amor, Sublime Amor.

SURPRESAS

Pra quem estava antenado com este início de temporada, as escolhas da HFPA não chegaram a surpreender. Claro que houve alguns momentos estranhos como a inesperada indicação de Mahershala Ali a Melhor Ator – Drama por Swan Song. Embora o nome de Ali esteja longe de ser desconhecido, o filme havia passado desapercebido até então. Nele, seu personagem decide fazer um clone de si mesmo quando descobre ter uma doença terminal.

E embora The Lost Daughter tenha vencido os principais prêmios na última edição do Gotham Awards, havia a expectativa de que Maggie Gyllenhaal fosse indicada apenas a Melhor Roteiro, mas ela ficou entre os finalistas a Melhor Direção. Ela integra uma enxuta lista de diretoras indicadas ao Globo de Ouro ao lado de Jane Campion, que já havia sido indicada em 1994 por O Piano. Pelo filme, Olivia Colman também recebeu uma nova indicação a Melhor Atriz.

Dentre as ausências, talvez a mais sentida tenha sido a de O Beco do Pesadelo, novo filme do mexicano Guillermo del Toro, estrelado por Bradley Cooper, Cate Blanchett, Rooney Mara, Toni Collette e Willem Dafoe. Alguns especulam que a data tardia de lançamento, dia 17 de Dezembro, tenha sido o motivo da esnobada. Embora tenha grandes nomes no elenco e o próprio prestígio do diretor, algo nos diz que o filme deve coletar indicações apenas nas categorias artísticas como Design de Produção, Figurino e Fotografia.

A Variety mencionou as ausências de Rita Moreno como Coadjuvante e Ansel Elgort como Ator de Comédia ou Musical, ambos por Amor, Sublime Amor, mas não víamos boas possibilidades no Globo de Ouro. É possível que Moreno seja reconhecida pela Academia, ainda mais por ter vencido o Oscar de Coadjuvante pelo musical original de 1961.

Poderíamos incluir Jennifer Hudson ausente da lista, mas a cinebiografia de Aretha Franklin, Respect, não foi bem recebida pela crítica e pelo público. Por outro lado, vale ressaltar a dupla indicação para Jessica Chastain, que concorre pelo filme The Eyes of Tammy Faye e pela série Scenes from a Marriage.

Sobre as categorias de TV, o maior destaque fica por conta de Squid Game (ou Round 6, como ficou conhecida no Brasil), da Netflix. Além de ter se tornado a série mais vista em 90 países, tornou-se a primeira série em língua estrangeira a receber indicação para Melhor Série, já que o regulamento da HFPA não aceitava produções de fora dos EUA e por isso, sofria duras críticas. Além dessa indicação, a série sul-coreana foi reconhecida nas categorias de Melhor Ator e Melhor Ator Coadjuvante.

INDICADOS AO 79º GLOBO DE OURO:

CINEMA

MELHOR FILME – DRAMA
Belfast (Focus Features)
No Ritmo do Coração (CODA) (Apple)
Duna (Dune) (Warner Bros.)
King Richard: Criando Campeãs (King Richard) (Warner Bros.)
Ataque dos Cães (The Power of the Dog) (Netflix)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Jessica Chastain (The Eyes of Tammy Faye)
Olivia Colman (The Lost Daughter)
Nicole Kidman (Being the Ricardos)
Lady Gaga (Casa Gucci)
Kristen Stewart (Spencer)

MELHOR ATOR – DRAMA
Mahershala Ali (Swan Song)
Javier Bardem (Being the Ricardos)
Benedict Cumberbatch (Ataque dos Cães)
Will Smith (King Richard: Criando Campeãs)
Denzel Washington (The Tragedy of Macbeth)

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL
Cyrano (MGM)
Não Olhe Para Cima (Don’t Look Up)
Licorice Pizza (MGM/United Artists Releasing)
tick, tick… BOOM! (Netflix)
Amor, Sublime Amor (West Side Story) (20th Century Studios)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
Marion Cotillard (Annette)
Alana Haim (Licorice Pizza)
Jennifer Lawrence (Não Olhe Para Cima)
Emma Stone (Cruella)
Rachel Zegler (Amor, Sublime Amor)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
Leonardo DiCaprio (Não Olhe Para Cima)
Peter Dinklage (Cyrano)
Andrew Garfield (Tick, tick… Boom!)
Cooper Hoffman (Licorice Pizza)
Anthony Ramos (Em um Bairro de Nova York)

MELHOR LONGA DE ANIMAÇÃO
Encanto (Walt Disney Pictures)
Flee (Neon)
Luca (Pixar)
My Sunny Maad
Raya e o Último Dragão (Raya and the Last Dragon) (Walt Disney Pictures)

MELHOR FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA
Compartment No.6 – FINLÂNDIA
Drive My Car – JAPÃO
The Hand of God – ITÁLIA
A Hero – IRÃ
Parallel Mothers – ESPANHA

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Caitriona Balfe (Belfast)
Ariana DeBose (Amor, Sublime Amor)
Kirsten Dunst (Ataque dos Cães)
Aunjanue Ellis (King Richard: Criando Campeãs)
Ruth Negga (Passing)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Ben Affleck (The Tender Bar)
Jamie Dornan (Belfast)
Ciarán Hinds (Belfast)
Troy Kotsur (No Ritmo do Coração)
Kodi Smit-McPhee (Ataque dos Cães)

MELHOR DIREÇÃO
Kenneth Branagh (Belfast)
Jane Campion (Ataque dos Cães)
Maggie Gyllenhaal (The Lost Daughter)
Steven Spielberg (Amor, Sublime Amor)
Denis Villeneuve (Duna)

MELHOR ROTEIRO
Paul Thomas Anderson (Licorice Pizza)
Kenneth Branagh (Belfast)
Jane Campion (Ataque dos Cães)
Adam McKay (Não Olhe Para Cima)
Aaron Sorkin (Being the Ricardos)

MELHOR TRILHA MUSICAL
Alexandre Desplat (A Crônica Francesa)
Germaine Franco (Encanto)
Jonny Greenwood (Ataque dos Cães)
Alberto Iglesias (Parallel Mothers)
Hans Zimmer (Duna)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Be Alive” – Beyoncé Knowles-Carter, Dixson (King Richard: Criando Campeãs)
“Dos Orugitas” – Lin-Manuel Miranda (Encanto)
“Down to Joy” – Van Morrison (Belfast)
“Here I Am (Singing My Way Home)” – Jamie Alexander Hartman, Jennifer Hudson, Carole King (Respect)
“No Time to Die” – Billie Eilish, Finneas O’Connell (007 – Sem Tempo Para Morrer)


TELEVISÃO/STREAMING

MELHOR SÉRIE – DRAMA
Lupin
The Morning Show
Post
Squid Game
Succession

MELHOR ATRIZ DE SÉRIE – DRAMA
Uzo Aduba (In Treatment)
Jennifer Aniston (The Morning Show)
Christine Baranski (The Good Fight)
Elisabeth Moss (The Handmaid’s Tale)
Michaela Jaé (MJ) Rodriguez (Pose)

MELHOR ATOR DE SÉRIE – DRAMA
Brian Cox (Succession)
Lee Jung-jae (Squid Game)
Billy Porter (Pose)
Jeremy Strong (Succession)
Omar Sy (Lupin)

MELHOR SÉRIE – COMÉDIA OU MUSICAL
The Great (Hulu)
Hacks (HBO Max)
Only Murders in the Building (Hulu)
Reservation Dogs (FX on Hulu)
Ted Lasso (Apple TV Plus)

MELHOR ATRIZ DE SÉRIE – COMÉDIA OU MUSICAL
Hannah Einbinder (Hacks)
Elle Fanning (The Great)
Issa Rae (Insecure)
Tracee Ellis Ross (Black-ish)
Jean Smart (Hacks)

MELHOR ATOR DE SÉRIE – COMÉDIA OU MUSICAL
Anthony Anderson (Black-ish)
Nicholas Hoult (The Great)
Steve Martin (Only Murders in the Building)
Martin Short (Only Murders in the Building)
Jason Sudeikis (Ted Lasso)

MELHOR MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Dopesick (Hulu)
Impeachment: American Crime Story (FX)
Maid (Netflix)
Mare of Easttown (HBO)
The Underground Railroad (Amazon Prime Video)

MELHOR ATRIZ DE MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Jessica Chastain (Scenes From a Marriage)
Cynthia Erivo (Genius: Aretha)
Elizabeth Olsen (WandaVision)
Margaret Qualley (Maid)
Kate Winslet (Mare of Easttown)

MELHOR ATOR DE MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Paul Bettany (WandaVision)
Oscar Isaac (Scenes From a Marriage)
Michael Keaton (Dopesick)
Ewan McGregor (Halston)
Tahar Rahim (The Serpent)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE DE SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Jennifer Coolidge (White Lotus)
Kaitlyn Dever (Dopesick)
Andie MacDowell (Maid)
Sarah Snook (Succession)
Hannah Waddingham (Ted Lasso)

MELHOR ATOR COADJUVANTE DE SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Billy Crudup (The Morning Show)
Kieran Culkin (Succession)
Mark Duplass (The Morning Show)
Brett Goldstein (Ted Lasso)
Oh Yeong-su (Squid Game)

__________________________________________________
A 79ª cerimônia do Globo de Ouro está marcada para o dia 09 de Janeiro.

THE LOST DAUGHTER LEVA MELHOR FILME no GOTHAM AWARDS

NOS ÚLTIMOS 17 ANOS, O VENCEDOR DO GOTHAM LEVOU O OSCAR DE MELHOR FILME 5 VEZES

A 31ª edição do Gotham aconteceu em Nova York, nesta segunda-feira (29). Indicada em 5 categorias, o filme de estreia de Maggie Gyllenhaal conquistou 4 prêmios: Filme, Diretor Revelação, Atriz (Olivia Colman) e Roteiro (escrito pela própria diretora). Adaptado do best-seller de Elena Ferrante, o filme acompanha uma mulher que fica obcecada por uma família mais jovem durante as férias. Distribuído pela Netflix, The Lost Daughter caminha para uma boa temporada de premiações.

Por outro lado, com o mesmo número de indicações (5), o filme de estreia de Rebecca Hall, Passing (já disponível no catálogo da Netflix), saiu da cerimônia sem nenhum prêmio. Havia expectativa de premiação pelo menos para Ruth Negga na categoria de Coadjuvante, o que acabou não acontecendo.

Entre outros vencedores do Gotham que encaminharam uma boa campanha para o Oscar estão o vencedor de Filme Internacional, o japonês Drive My Car, e o vencedor de Documentário, a animação Flee. As vitórias de Emilia Jones (como Atuação Revelação) e Troy Kotsur (como Coadjuvante) pelo drama No Ritmo do Coração (CODA), podem indicar um possível favoritismo na categoria de Melhor Elenco no SAG Awards. Além das homenageadas com prêmios especiais: Jane Campion por Ataque dos Cães, Kristen Stewart por Spencer e Peter Dinklage por Cyrano.

Entre as categorias televisivas, destaque para a vitória da série sul-coreana Squid Game, ou como ficou conhecida no Brasil, Round 6, que esteve em 1º lugar em mais de 90 países e já está sendo produzida a 2ª temporada. Resta saber se a série em língua estrangeira será abraçada pelo Emmy e Globo de Ouro.

Confira todos os vencedores do 31º Gotham Awards:

MELHOR FILME
* The Lost Daughter (Netflix)

MELHOR DOCUMENTÁRIO
* Flee

MELHOR ATUAÇÃO DE PROTAGONISTA
* Olivia Colman (The Lost Daughter) – EMPATE
* Frankie Faison (The Killing of Kenneth Chamberlain) – EMPATE

MELHOR ATUAÇÃO DE COADJUVANTE
* Troy Kotsur (No Ritmo do Coração)

MELHOR ATOR/ATRIZ REVELAÇÃO
* Emilia Jones (No Ritmo do Coração)

PRÊMIO BINGHAM RAY de DIRETOR REVELAÇÃO
* Maggie Gyllenhaal (The Lost Daughter)

MELHOR ROTEIRO
* Maggie Gyllenhaal (The Lost Daughter)

MELHOR FILME INTERNACIONAL
* Drive My Car. Dir: Ryusuke Hamaguchi

SÉRIE REVELAÇÃO COM EPISÓDIOS ABAIXO DE 40 MINUTOS
* Reservation Dogs (FX)

SÉRIE REVELAÇÃO COM EPISÓDIOS ACIMA DE 40 MINUTOS
* Squid Game (Netflix)

SÉRIE REVELAÇÃO DE NÃO-FICÇÃO
* Philly D.A. (Topic, Independent Lens, PBS)

MELHOR PERFORMANCE EM NOVA SÉRIE
* Ethan Hawke (The Good Lord Bird) – EMPATE
* Thuso Mbedu (The Underground Railroad) – EMPATE

THE LOST DAUGHTER e PASSING LIDERAM as INDICAÇÕES ao GOTHAM AWARDS

PREMIAÇÃO DO CINEMA INDEPENDENTE ABRE TEMPORADA COM MODIFICAÇÕES

Com 31 anos de história, o Gotham Awards se tornou um novo viés de reconhecimento do cinema independente e tem inaugurado bem as temporadas de premiação nos últimos anos. Só para citar alguns filmes reconhecidos pelo Gotham que foram premiados no Oscar estão Nomadland, Moonlight, Spotlight e Birdman.

Contudo, por haver um teto orçamentário de 35 milhões, várias produções que estão sendo bem faladas não foram qualificadas por ultrapassar esse valor como The Tragedy of Macbeth, King Richard e A Crônica Francesa, mas por outro lado, abre espaço merecido para produções menores como o thriller Zola e o drama estrelado por Nicolas Cage, Pig.

A partir desta 31ª edição, o Gotham Awards adicionou algumas categorias novas como Melhor Documentário e Atuação em uma Nova Série, e também realizou alguns ajustes visando melhor os novos tempos ao extinguir a divisão de gênero nas categorias de atuação, que agora se resumem a Atuação de Protagonista e Atuação de Coadjuvante, além da já existente Atuação Revelação. E pelo visto, o número de indicados cobrirá as 5 vagas de masculino e feminino, porém na categoria de Coadjuvante foram apenas 7.

Sobre as indicações, vale ressaltar que os dois filmes recordistas de indicações (5 para cada) são da Netflix e foram dirigidos por duas atrizes estreantes: Maggie Gyllenhall dirigiu a adaptação The Lost Daughter (pelo qual já venceu o prêmio de roteiro no último Festival de Veneza), enquanto Rebecca Hall fez um estudo sobre racismo em Passing. Ambas disputam o prêmio de Melhor Direção Estreante ao lado do brasileiro Edson Oda, que dirigiu Nine Days.

Já nas categorias de atuação, destaque para os vencedores do Oscar: Olivia Colman, Joaquin Phoenix e Marlee Matlin que já marcam favoritismos. E na disputa de Melhor Filme Internacional, a briga parece concentrada nos filmes que estiveram na seleção oficial de Cannes: The Worst Person in the World, Drive My Car e o vencedor da Palma de Ouro, Titane.

Acompanhe o anúncio dos indicados:

Confira todas as indicações ao 31º Gotham Awards:

MELHOR FILME
– O Cavaleiro Verde (The Green Knight) (A24)
– The Lost Daughter (Netflix)
– Passing (Netflix)
– Pig (NEON)
– Test Pattern (Kino Lorber)

MELHOR DOCUMENTÁRIO
– Ascension
– Faya Dayi
– Flee
– President
– Summer of Soul (…Or, When the Revolution Could Not Be Televised)

MELHOR ATUAÇÃO DE PROTAGONISTA
– Olivia Colman (The Lost Daughter)
– Frankie Faison (The Killing of Kenneth Chamberlain)
– Michael Greyeyes (Wild Indian)
– Brittany S. Hall (Test Pattern)
– Oscar Isaac (The Card Counter)
– Taylour Paige (Zola)
– Joaquin Phoenix (C’mon C’mon)
– Simon Rex (Red Rocket)
– Lili Taylor (Paper Spiders)
– Tessa Thompson (Passing)

MELHOR ATUAÇÃO DE COADJUVANTE
– Reed Birney (Mass)
– Jessie Buckley (The Lost Daughter)
– Colman Domingo (Zola)
– Gaby Hoffmann (C’mon C’mon)
– Troy Kotsur (No Ritmo do Coração)
– Marlee Matlin (No Ritmo do Coração)
– Ruth Negga (Passing)

MELHOR ATOR/ATRIZ REVELAÇÃO
– Emilia Jones (No Ritmo do Coração)
– Natalie Morales (Language Lessons)
– Rachel Sennott (Shiva Baby)
– Suzanna Son (Red Rocket)
– Amalia Ulman (El Planeta)

PRÊMIO BINGHAM RAY de DIRETOR REVELAÇÃO
– Maggie Gyllenhaal (The Lost Daughter)
– Edson Oda (Nine Days)
– Rebecca Hall (Passing)
– Emma Seligman (Shiva Baby)
– Shatara Michelle Ford (Test Pattern)

MELHOR ROTEIRO
– Paul Schrader (The Card Counter)
– Amalia Ulman (El Planeta)
– David Lowery (The Green Knight)
– Maggie Gyllenhaal (The Lost Daughter)
– Rebecca Hall (Passing)
– Sean Baker, Chris Beroch (Red Rocket)

MELHOR FILME INTERNACIONAL
– Azor. Dir: Andreas Fontana
– Drive My Car. Dir: Ryusuke Hamaguchi
– The Souvenir Part II. Dir: Joanna Hogg
– Titane. Dir: Julia Ducournau
– What Do We See When We Look at the Sky? Dir: Alexandre Koberidze
– The Worst Person in the World. Dir: Joachim Trier

SÉRIE REVELAÇÃO COM EPISÓDIOS ABAIXO DE 40 MINUTOS
– Blindspotting (STARZ)
– Hacks (HBO Max/HBO)
– Reservation Dogs (FX)
– Run the World (STARZ)
– We Are Lady Parts (Peacock)

SÉRIE REVELAÇÃO COM EPISÓDIOS ACIMA DE 40 MINUTOS
– The Good Lord Bird (Showtime)
– It’s a Sin (HBO Max)
– Small Axe (Amazon Studios)
– Squid Game (Netflix)
– The Underground Railroad (Amazon Studios)
– The White Lotus (HBO Max/HBO)

SÉRIE REVELAÇÃO DE NÃO-FICÇÃO
– City So Real (National Geographic)
– Exterminate All the Brutes (HBO/HBO Max)
– How To With John Wilson (HBO/HBO Max)
– Philly D.A. (Topic, Independent Lens, PBS)
– Pride (FX)

MELHOR PERFORMANCE EM NOVA SÉRIE
– Jennifer Coolidge (The White Lotus)
– Michael Greyeyes (Rutherford Falls)
– Ethan Hawke (The Good Lord Bird)
– Devery Jacobs (Reservation Dogs)
– Lee Jung-jae (Squid Game)
– Thuso Mbedu (The Underground Railroad)
– Jean Smart (Hacks)
– Omar Sy (Lupin)
– Anya Taylor-Joy (The Queen’s Gambit)
– Anjana Vasan (We Arre Lady Parts)

______________________________________________

A cerimônia do 31º Gotham Awards acontecerá no dia 29 de Novembro.

COMO PREVISTO, THE CROWN e TED LASSO VENCEM O EMMY AWARDS

NETFLIX FOI A GRANDE VENCEDORA DA NOITE PELA PRIMEIRA VEZ

A cerimônia da 73ª edição do Emmy aconteceu neste domingo (19) em Los Angeles, com menos convidados, com exigência de teste negativo para Covid, e sob o comando do host Cedric the Entertainer, que apresentou um rap em seu monólogo. Segundo as medições, houve um aumento de 16% de audiência em relação ao ano passado, o que demonstra um claro aumento de interesse do público por séries na pandemia. Talvez isso faça com que a Academia repense um pouco esse preconceito contra filmes lançados em streaming, lembrando que a Netflix nunca levou o Oscar de Melhor Filme.

Pela primeira vez, a Netflix conquistou o maior número de estatuetas (44!) e finalmente levou o prestigioso prêmio de Melhor Série Dramática com The Crown, que acumulou 11 Emmys (7 na cerimônia e 4 da Creative Arts Emmy), mesmo número de sua minissérie The Queen’s Gambit. Já a HBO conquistou 19 prêmios no total, alguns pela minissérie Mare of Easttown, pela série de comédia Hacks e pela minissérie britânica I May Destroy You. A Apple TV Plus faturou 10 Emmys, sendo 7 pela série Ted Lasso. Apesar da Disney Plus ter conquistado 13 prêmios da Creative Arts Emmy, só levou um Emmy na cerimônia por Hamilton como Melhor Especial Pré-Gravado. WandaVision não levou nenhuma estatueta ao vivo.

Há cerca de 6 anos, muito se falou sobre o #OscarsSoWhite, já que por dois anos consecutivos nenhum ator ou atriz negros ou latinos haviam sido indicados nas quatro categorias de atuação. Nesta edição, o Emmy prometia uma representatividade inédita em sua história, já que havia número recorde de indicados não-caucasianos, mas quando os envelopes foram se abrindo, houve uma frustração notória pois apenas atores brancos foram premiados, gerando a hashtag #EmmysSoWhite. Embora considere um pouco exagerada essa reação, havia uma expectativa de que um ou outro nome sairia vitorioso como o recém-falecido Michael K. Williams, que concorria por Lovecraft Country mas perdeu para Tobias Menzies como Melhor Coadjuvante, ou mesmo Michaela Jaé (Mj) Rodriguez que poderia ter se tornado a primeira atriz trans a vencer o Emmy pela série Pose. Felizmente, a atriz Michaela Coel venceu como roteirista da série I May Destroy You, o que amenizou um pouquinho essa polêmica.

Só um breve comentário que gostaria de fazer em relação ao Emmy e as produções televisivas: É preciso aplaudir os realizadores das séries, sem exceção. Lembro de alguns anos atrás, a TV era sempre considerada uma plataforma para profissionais menores ou no mínimo um plano B caso não conseguissem entrar no disputado mercado cinematográfico. Contudo, sob comando de produtores e chefes de estúdios gananciosos que não queriam correr risco algum, o Cinema foi perdendo muitos de seus profissionais e de seu público para a TV e streaming, que vem colhendo muitos frutos por terem a coragem de fazer produções ousadas, diversificadas, com roteiros de qualidade e ainda representatividade por trás e à frente das câmeras. Amo Cinema e sempre vou amar, mas desejo vida longa à TV e sua audácia.

Seguem os vencedores da cerimônia do Emmy 2021:

Minissérie

  • ”I May Destroy You”
  • “Mare of Easttown”
  • “The Queen’s Gambit”
  • “The Underground Railroad”
  • “WandaVision”

Série de drama

  • ”The Boys”
  • “Bridgerton”
  • “The Crown”
  • “The Handmaid’s Tale”
  • “Lovecraft Country”
  • “The Mandalorian”
  • “Pose”
  • “This Is Us”

Série de comédia

  • ”Black-ish”
  • “Cobra Kai”
  • “Emily in Paris”
  • “Hacks”
  • “The Flight Attendant”
  • “The Kominsky Method”
  • “Pen15″
  • “Ted Lasso”

Programa especial de variedades (gravado)

  • “Bo Burnham: Inside”
  • “David Byrne’s American Utopia”
  • “8:46 – Dave Chappelle”
  • “Friends: The Reunion”
  • “Hamilton”
  • “A West Wing Special to Benefit When We All Vote”

Programa especial de variedades (ao vivo)

  • “Celebrating America – An Inauguration Night Special”
  • “The 63rd Annual Grammy Awards”
  • “The Oscars”
  • “The Pepsi Super Bowl LV Halftime Show Starring The Weeknd”
  • “Stephen Colbert’s Election Night 2020: Democracy’s Last Stand Building Back America Great Again Better 2020”

Ator em série de drama

  • Sterling K. Brown – “This Is Us”
  • Jonathan Majors – “Lovecraft Country”
  • Josh O’Connor – “The Crown”
  • Rege-Jean Page – “Bridgerton”
  • Billy Porter – “Pose”
  • Matthew Rhys – “Perry Mason”

Atriz em série de drama

  • Uzo Aduba – “In Treatment”
  • Olivia Colman – “The Crown”
  • Emma Corrin – “The Crown”
  • Elisabeth Moss – “The Handmaid’s Tale”
  • Mj Rodriguez – “Pose”
  • Jurnee Smollett – “Lovecraft Country”

Ator em minissérie ou filme para TV

  • Paul Bettany – “WandaVision”
  • Hugh Grant – “The Undoing”
  • Ewan McGregor – “Halston”
  • Lin-Manuel Miranda – “Hamilton”
  • Leslie Odom, Jr. – “Hamilton”

Atriz em minissérie ou filme para TV

  • Michaela Coel – “I May Destroy You”
  • Cynthia Erivo – “Genius: Aretha”
  • Elizabeth Olsen – “WandaVision”
  • Anya Taylor-Joy – “The Queen’s Gambit”
  • Kate Winslet – “Mare of Easttown”

Roteiro de minissérie, antologia ou filme para TV

  • Michaela Coel – “I May Destroy You”
  • Brad Ingelsby – “Mare of Easttown”
  • Scott Frank – “The Queen’s Gambit”
  • Chuck Hayward e Peter Cameron – WandaVision (“All-New Halloween Spooktacular!”)
  • Jac Schaeffer – “WandaVision” (“Filmed Before a Live Studio Audience”)
  • Laura Donney – “WandaVision” (“Previously On”)

Direção em minissérie, antologia ou filme para TV

  • Thomas Kail – “Hamilton”
  • Sam Miller e Michaela Coel – “I May Destroy You” (“Ego Death”)
  • Sam Miller – “I May Destroy You” (“Eyes Eyes Eyes Eyes”), Directed by (HBO)
  • Craig Zobel – “Mare of Easttown”
  • Scott Frank – “The Queen’s Gambit”
  • Barry Jenkins – “The Underground Railroad”
  • Matt Shakman – “WandaVision”

Programa de competição

  • “The Amazing Race”
  • “Nailed It!”
  • “RuPaul’s Drag Race”
  • “Top Chef”
  • “The Voice”

Ator em série de comédia

  • Anthony Anderson – “Black-ish”
  • Michael Douglas – “The Kominsky Method”
  • William H. Macy – “Shameless”
  • Jason Sudeikis – “Ted Lasso”
  • Kenan Thompson – “Kenan”

Atriz em série de comédia

  • Aidy Bryant – “Shrill”
  • Kaley Cuoco – “The Flight Attendant”
  • Allison Janney – “Mom”
  • Tracee Ellis Ross – “Black-ish”
  • Jean Smart – “Hacks”

Direção em série de comédia

  • James Burrows – “B Positive” (“Pilot”)
  • Susanna Fogel – “The Flight Attendant” (“In Case of Emergency”)
  • Lucia Aniello – “Hacks” (“There Is No Line”)
  • James Widdoes – “Mom” (“Scooby-Doo Checks and Salisbury Steak”)
  • Zach Braff – “Ted Lasso” (“Biscuits”)
  • MJ Delaney – “Ted Lasso” (“The Hope that Kills You”)
  • Declan Lowney – “Ted Lasso” (“Make Rebecca Great Again”)

Roteiro de série de comédia

  • Steve Yockey – “The Flight Attendant” (“In Case of Emergency”)
  • Meredith Scardino – “Girls5eva” (“Pilot”)
  • Lucia Aniello, Paul W. Downs e Jen Statsky – “Hacks” (“There Is No Line”)
  • Maya Erskine – “PEN15” (“Play”)
  • Joe Kelly, Brendan Hunt e Jason Sudeikis – “Ted Lasso” (“Make Rebecca Great Again”)
  • Jason Sudeikis, Bill Lawrence, Brendan Hunt e Joe Kelly – “Ted Lasso” (Pilot”)

Série de esquetes

  • “A Black Lady Sketch Show”
  • “Saturday Night Live”

Talk show

  • “Conan”
  • “The Daily Show with Trevor Noah”
  • “Jimmy Kimmel Live!”
  • “Last Week Tonight with John Oliver”
  • “The Late Show with Stephen Colbert”

Roteiro de programa de variedades

  • “The Amber Ruffin Show”
  • “A Black Lady Sketch Show”
  • “Last Week Tonight with John Oliver”
  • “The Late Show with Stephen Colbert”
  • “Saturday Night Live”

Ator coadjuvante em série de drama

  • Michael K. Williams – “Lovecraft Country”
  • John Lithgow – “Perry Mason”
  • Tobias Menzies – “The Crown”
  • O-T Fagbenle – “The Handmaid’s Tale”
  • Max Minghella – “The Handmaid’s Tale”
  • Bradley Whitford – “The Handmaid’s Tale”
  • Giancarlo Esposito – “The Mandalorian”
  • Chris Sullivan – “This Is Us”

Atriz coadjuvante em série de drama

  • Aunjanue Ellis – “Lovecraft Country”
  • Gillian Anderson – “The Crown”
  • Helena Bonham Carter – “The Crown”
  • Emerald Fennell – “The Crown”
  • Madeline Brewer – “The Handmaid’s Tale”
  • Ann Dowd – “The Handmaid’s Tale”
  • Yvonne Strahovski – “The Handmaid’s Tale”
  • Samira Wiley – “The Handmaid’s Tale”

Direção em série de drama

  • Julie Anne Robinson – “Bridgerton” (“Diamond of the First Water”)
  • Benjamin Caron – “The Crown” (“Fairytale”)
  • Jessica Hobbs – “The Crown” (“War”)
  • Liz Garbus – “The Handmaid’s Tale” (“The Wilderness”)
  • Jon Favreau – “The Mandalorian” (“Chapter 9: The Marshal”)
  • Steven Canals – “Pose” (“Series Finale”)

Roteiro de série de drama

  • Rebecca Sonnenshine – “The Boys” (“What I Know”)
  • Peter Morgan – “The Crown”
  • Yahlin Chang – “The Handmaid’s Tale” (“Home”)
  • Misha Green – “Lovecraft Country” (“Sundown”)
  • Dave Filoni – “The Mandalorian” (“Chapter 13: The Jedi”)
  • Jon Favreau – “The Mandalorian” (“Chapter 16: The Rescue”)
  • Steven Canals, Brad Falchuk, Our Lady J, Janet Mock, and Ryan Murphy – “Pose” (“Series Finale”)

Ator coadjuvante em minissérie ou filme para TV

  • Thomas Brodie-Sangster – “The Queen’s Gambit”
  • Daveed Diggs – “Hamilton”
  • Paapa Essiedu – “I May Destroy You”
  • Jonathan Groff – “Hamilton”
  • Evan Peters – “Mare of Easttown”
  • Anthony Ramos – “Hamilton”

Atriz coadjuvante em minissérie ou filme para TV

  • Renée Elise Goldsberry – “Hamilton”
  • Kathryn Hahn – “WandaVision”
  • Moses Ingram – “The Queen’s Gambit”
  • Julianne Nicholson – “Mare of Easttown”
  • Jean Smart – “Mare of Easttown”
  • Phillipa Soo – “Hamilton”

Ator coadjuvante em série de comédia

  • Carl Clemons-Hopkins – “Hacks”
  • Kenan Thompson – “SNL”
  • Bowen Yang – “SNL”
  • Brett Goldstein – “Ted Lasso”
  • Brendan Hunt – “Ted Lasso”
  • Nick Mohammed – “Ted Lasso”
  • Jeremy Swift – “Ted Lasso”
  • Paul Reiser – “The Kominsky Method”

Atriz coadjuvante em série de comédia

  • Hannah Einbinder -“Hacks”
  • Aidy Bryant – “SNL”
  • Kate McKinnon – “SNL”
  • Cecily Strong – “SNL”
  • Juno Temple – “Ted Lasso”
  • Hannah Waddingham – “Ted Lasso”
  • Rosie Perez – “The Flight Attendant”

‘OS 7 DE CHICAGO’ CONQUISTA o SAG de ELENCO. VIOLA DAVIS SURPREENDE

SINDICATO DE ATORES APONTA E POSSIBILITA MAIOR DIVERSIDADE ENTRE VENCEDORES DO OSCAR

Após descobrir que o SAG Awards não seria transmitido no Brasil, houve uma corrida contra o tempo para tentar dar algum jeito de acompanhar a cerimônia de forma “alternativa”. Claro que não é algo aconselhável ou recomendável, mas estávamos curiosos para ver como seria esse SAG pré-gravado por causa da pandemia. A intenção de pré-gravar os discursos de agradecimento era reduzir a duração do evento para uma hora, com a intenção de fugir da monotonia das conexões via Zoom ao vivo. Para isso funcionar, a organização do evento teria pedido bico calado aos indicados e vencedores nas redes sociais para tentar manter o elemento surpresa dos resultados.

Claro que houve um suposto vazamento que indicava as vitórias de Viola Davis e Maria Bakalova, mas esse boato se mostrou apenas 50% correto. Viola Davis foi a grande surpresa da noite ao vencer como Melhor Atriz por A Voz Suprema do Blues. Assim como nós, muitos sequer consideravam essa possibilidade já que ela já havia conquistado 2 SAG por Histórias Cruzadas e Um Limite Entre Nós, além de outros dois pela série How to Get Away With Murder. Num ano bastante imprevisível na categoria, em que Andra Day levou o Globo de Ouro, Carey Mulligan levou o Critics’ Choice e agora Viola leva o SAG (sendo que nem Viola, nem Carey, nem Andra foram indicadas ao BAFTA), talvez exista uma tendência para tornar Viola Davis a segunda atriz negra a vencer o Oscar de Melhor Atriz na história, quebrando finalmente a marca de 2002 de Halle Berry. E mesmo que isso não se concretize e Carey Mulligan leve o Oscar, não poderemos reclamar da previsibilidade que tem dominado as últimas temporadas de premiações.

Já a derrota de Maria Bakalova não chega a ser tão surpreendente, pois a categoria de Atriz Coadjuvante está bastante imprevisível. A vitória da coreana Yuh-Jung Youn reforça a campanha de Minari no Oscar, e a atriz veterana tem as melhores chances de conquistar a estatueta. Por se tratar de uma performance em língua estrangeira, não descartamos totalmente Glenn Close ou Olivia Colman.

Nas categorias masculinas, deu o óbvio: Chadwick Boseman por A Voz Suprema do Blues, e Daniel Kaluuya por Judas e o Messias Negro. Caso esses mesmos vencedores se repitam no Oscar, será a primeira vez em 93 anos que não haveria atores brancos entre os vencedores, ou pelo menos que eles deixarão de ser a maioria. Gostaríamos muito que Anthony Hopkins tivesse levado o SAG pela magistral performance em Meu Pai, mas a comoção relacionada a Chadwick ainda pesa contra sua campanha.

Embora tenha Sacha Baron Cohen entre os indicados de Ator Coadjuvante, Os 7 de Chicago tinha única chance real como Melhor Elenco, mas não necessariamente por reunir o melhor elenco em si, mas de contar com grandes nomes numa história com tantos personagens. O filme de tribunal de Aaron Sorkin começou a temporada como o grande favorito, mas hoje tem o SAG de Elenco como único embasamento até o Oscar. Claro que existe a chance de ganhar Roteiro Original, mas após a vitória de Bela Vingança nesta categoria no WGA (sindicato de roteiristas), o panorama decaiu novamente. Se nos últimos 10 anos, o vencedor do SAG de Elenco ajudou na escolha de Melhor Filme no Oscar, é quase certeza de que isso não se repetirá em 2021.

CONFIRA TODOS OS VENCEDORES DO 27º SAG AWARDS:

CINEMA

MELHOR ELENCO
* Destacamento Blood (Da 5 Bloods)
* A Voz Suprema do Blues (Ma Rainey’s Black Bottom)
* Minari
* Uma Noite em Miami… (One Night in Miami)
* Os 7 de Chicago (The Trial of the Chicago 7)

MELHOR ATOR
* Riz Ahmed (O Som do Silêncio)
* Chadwick Boseman (A Voz Suprema do Blues)
* Anthony Hopkins (Meu Pai)
* Gary Oldman (Mank)
* Steven Yeun (Minari)

MELHOR ATRIZ 
* Amy Adams (Era uma Vez um Sonho)
* Viola Davis (A Voz Suprema do Blues)
* Vanessa Kirby (Pieces of a Woman)
* Frances McDormand (Nomadland)
* Carey Mulligan (Bela Vingança)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
* Chadwick Boseman (Destacamento Blood)
* Sacha Baron Cohen (Os 7 de Chicago)
* Daniel Kaluuya (Judas e o Messias Negro)
* Jared Leto (The Little Things)
* Leslie Odom Jr. (Uma Noite em Miami…)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
* Maria Bakalova (Borat: Fita de Cinema Seguinte)
* Glenn Close (Era uma Vez um Sonho)
* Olivia Colman (Meu Pai)
* Yuh-Jung Youn (Minari)
* Helena Zengel (Relatos do Mundo)

MELHOR ELENCO DE DUBLÊS
– Destacamento Blood
– Mulan
– Relatos do Mundo
– Os 7 de Chicago
* Mulher Maravilha 1984

TV/STREAMING

MELHOR ELENCO – SÉRIE DRAMÁTICA
* Better Call Saul
* Bridgerton
* The Crown
* Lovecraft Country
* Ozark

MELHOR ATOR – SÉRIE DRAMÁTICA
* Jason Bateman (Ozark)
* Sterling K. Brown (This is Us)
* Josh O’Connor (The Crown)
* Bob Odenkirk (Better Call Saul)
* Rege-Jean Page (Bridgerton)

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DRAMÁTICA
* Gillian Anderson (The Crown)
* Olivia Colman (The Crown)
* Emma Corrin (The Crown)
* Julia Garner (Ozark)
* Laura Linney (Ozark)

MELHOR ATOR – MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
* Bill Camp (The Queen’s Gambit)
* Daveed Diggs (Hamilton)
* Hugh Grant (The Undoing)
* Ethan Hawke (The Good Lord Bird)
* Mark Ruffalo (I Know This Much Is True)

MELHOR ATRIZ – MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
* Cate Blanchett (Mrs. America)
* Michaela Coel (I May Destroy You)
* Nicole Kidman (The Undoing)
* Anya Taylor-Joy (The Queen’s Gambit)
* Kerry Washington (Little Fires Everywhere)

MELHOR ELENCO – SÉRIE DE COMÉDIA
* Dead to Me
* The Flight Attendant
* The Great
* Schitt’s Creek
* Ted Lasso

MELHOR ATOR – SÉRIE DE COMÉDIA
* Nicholas Hoult (The Great)
* Dan Levy (Schitt’s Creek)
* Eugene Levy (Schitt’s Creek)
* Jason Sudeikis (Ted Lasso)
* Ramy Youssef (Ramy)

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DE COMÉDIA
* Christina Applegate (Dead to Me) 
* Linda Cardellini (Dead to Me) 
* Kaley Cuoco (The Flight Attendant) 
* Annie Murphy (Schitt’s Creek) 
* Catherine O’Hara (Schitt’s Creek) 

MELHOR ELENCO DE DUBLÊS EM SÉRIE DRAMÁTICA OU DE COMÉDIA
– The Boys
– Cobra Kai
– Lovecraft Country
* The Mandalorian
– Westworld

‘MANK’ LIDERA INDICAÇÕES ao OSCAR 2021. THOMAS VINTERBERG e LAKEITH STANFIELD são as GRANDES SURPRESAS

PELA PRIMEIRA VEZ, DUAS DIRETORAS SÃO INDICADAS EM MESMA EDIÇÃO

O anúncio dos indicados ao Oscar estava previamente agendado para às 10h19, horário de Brasília, mas com a entrada do horário de verão nos EUA, o evento ao vivo foi antecipado para às 9h19. Muitos canais online que queriam cobrir o anúncio em lives também sofreram com essa mudança de última hora. Conforme combinado, o casal Priyanka Chopra e Nick Jonas dividiram essa responsabilidade em duas partes. Ela ficou bastante feliz pela indicação a Melhor Roteiro Original para o filme O Tigre Branco, no qual estrela ao lado de Adarsh Gourav. Poderiam ter caprichado um pouco mais na arte e inserido fotos dos filmes e atores indicados, mas preferiram apenas o texto. Confira o anúncio em vídeo do YouTube abaixo:

NÚMEROS DO OSCAR

Como previsto, Mank foi o filme que mais acumulou indicações nesta 93ª edição do Oscar, com 10. Com 6 indicações cada, seis filmes empataram: MEU PAI, JUDAS E O MESSIAS NEGRO, MINARI, NOMADLAND, O SOM DO SILÊNCIO e OS 7 DE CHICAGO. Todos os filmes acima foram indicados a Melhor Filme ao lado de BELA VINGANÇA que recebeu 5 indicações.

Num ano marcado pela pandemia, a NETFLIX foi a recordista pelo segundo ano consecutivo com 35 indicações. Em 2020, a companhia de streaming havia acumulado 24 indicações.

Esta foi a última vez que a categoria de MELHOR FILME terá número de indicados flexível dependendo do número de votos. Foi combinado que a partir da próxima edição, teremos sempre DEZ filmes indicados a Melhor Filme, como foi em 2010 e 2011. O objetivo é aumentar a visibilidade de mais filmes que tragam maior diversidade ao Oscar (e por que não audiência?). Este ano, tivemos oito indicados, e tivemos ausência de três indicados ao PGA: Borat: Fita de Cinema Seguinte, A Voz Suprema do Blues e Uma Noite em Miami.

HISTÓRICOS

Depois de 93 anos, finalmente temos duas diretoras indicadas na categoria de DIREÇÃO: Emerald Fennell por Bela Vingança e CHLOÉ ZHAO por Nomadland. Elas se tornaram apenas a SEXTA e SÉTIMA mulheres indicadas nesta categoria. Enquanto Zhao se tornou a primeira diretora não-branca indicada e foi a primeira mulher a receber 4 indicações (Filme, Direção, Roteiro Adaptado e Montagem), Fennell foi a terceira mulher a acumular 3 indicações (Filme, Direção e Roteiro Original). Havia a possibilidade de Regina King também integrar essa acirrada competição por Uma Noite em Miami, mas sua possível vaga foi “roubada” pelo dinamarquês THOMAS VINTERBERG por Druk – Mais uma Rodada.

Pela primeira vez, tivemos NOVE ATORES NÃO-BRANCOS indicados nas 4 categorias: Chadwick Boseman, Riz Ahmed (primeiro descendente de Paquistanês indicado), Steven Yeun e Yuh-Jung Youn (primeiros atores sul-coreanos), Andra Day, Viola Davis, Daniel Kaluuya, LaKeith Stanfield e Leslie Odom Jr.

CHADWICK BOSEMAN se tornou apenas o sétimo ator a receber indicação póstuma. O jovem ator, que faleceu em Agosto de 2020 aos 43 anos, junta-se a nomes consagrados como James Dean (Vidas Amargas e Assim Caminha a Humanidade) e os vencedores do Oscar Peter Finch (Rede de Intrigas) e Heath Ledger (Batman – O Cavaleiro das Trevas). Ele é o primeiro ator negro a ser indicado postumamente.

SURPRESAS E AUSÊNCIAS

Talvez a maior surpresa desta edição tenha sido a indicação de LaKeith Stanfield. Se ele fosse indicado para Melhor Ator já seria uma surpresa, mas como foi indicado a Ator Coadjuvante, foi um CHOQUE! Mais uma vez vemos aquela manipulação entre as categorias de atuação, mas de forma mais descarada aqui, afinal, se Stanfield e Kaluuya são Coadjuvantes, quem é o protagonista em Judas e o Messias Negro??

A segunda maior surpresa foi a de Thomas Vinterberg na Melhor Direção. Embora ele tivesse sido recentemente indicado ao BAFTA, poucos previram outra indicação a não ser na categoria de Filme Internacional pela Dinamarca. Havia uma chance mínima também para uma indicação de Melhor Ator para Mads Mikkelsen, mas a disputa estava acirradíssima. Num ano conturbado, com Minari levando vários prêmios de Filme em Língua Estrangeira, mas não podendo concorrer ao Oscar da categoria por ser uma produção americana, e Bacurau excluído por ter competido em 2020, Druk – Mais uma Rodada foi se firmando como favorito.

Ainda sobre a categoria de Filme Internacional, embora imprevisível este ano, podemos considerar surpresas as indicações do filme de Hong Kong, Better Days, e da Tunísia, The Man Who Sold His Skin. Havia uma expectativa de indicações para o filme La Llorona, da Guatemala, Nós Duas, da França, e até A Sun, de Taiwan. Romênia e Tunísia comemoram suas primeiras indicações ao Oscar.

Voltando às categorias de atuação, e GLENN CLOSE? Ela se tornou a terceira pessoa a ter a mesma performance indicada para o Oscar e para o Framboesa de Ouro! Se ganhar o Oscar, torna-se a primeira a conquistar esse feito. E se perder, será sua oitava derrota sem nenhuma vitória. Pra sorte dela, não existe uma franco-favorita na categoria (Yuh-Jung Youn é a mais cotada), então pode ser que ela ganhe, mas será aquela vitória com bastante ressalva por causa do Framboesa. E se perder, será a atriz recordista de indicações sem vitória, igualando o recorde histórico do já falecido Peter O’Toole.

Depois de muita pressão por não terem indicado SONG KANG HO ano passado por Parasita, STEVEN YEUN se torna o primeiro ator sul-coreano indicado ao Oscar por Minari. Quando se fala sobre #OscarsSoWhite, é mais comum discutirmos a ausência de atores negros, então ficamos contentes com a inclusão de dois atores asiáticos numa só edição, já que YUH-JUNG YOUN também foi reconhecida na categoria de Atriz Coadjuvante. Ela tem tudo para representar Minari no palco, pois a disputa entre as atrizes está bastante confusa ainda. Aliás, o SAG que será no próximo dia 04 de Abril, deve esclarecer melhor as reais chances dos atores até o final da temporada.

Com uma boa safra de performances, muitos atores acabaram sendo esnobados, mas felizmente nenhuma dessas ausências pode ser considerada um absurdo ou um ultraje. Melhor Ator: Delroy Lindo (Destacamento Blood) e Tahar Rahim (The Mauritanian); Melhor Atriz: Amy Adams (Era uma Vez um Sonho), Sophia Loren (Rosa e Momo) e Zendaya (Malcolm & Marie); Melhor Ator Coadjuvante: Chadwick Boseman (Destacamento Blood), Alan Kim (Minari), Bill Murray (On the Rocks) e Jared Leto (Os Pequenos Vestígios); Melhor Atriz Coadjuvante: Jodie Foster (The Mauritanian), Helena Zengel (Relatos do Mundo) e Dominique Fishback (Judas e o Messias Negro). Desses acima, gostaríamos de ter visto indicações para Tahar Rahim que está fantástico em The Mauritanian, e para Alan Kim, que conquista o coração de todos em Minari. Já das atuações que foram esnobadas por todos, mas adoraríamos ver aqui é a de Elisabeth Moss em O Homem Invisível, que também merecia indicação pelos efeitos visuais.

Dentre outras boas surpresas, destacamos a dupla indicação do filme romeno COLLECTIVE para DOCUMENTÁRIO e FILME INTERNACIONAL, repetindo o raro feito de Honeyland na última edição, que saiu sem nenhuma estatueta. A categoria de Documentário está bem representada também por AGENTE DUPLO, CRIP CAMP, TIME e PROFESSOR POLVO. Na categoria de Longa de Animação, gostamos da entrada do simpático trabalho de stop motion SHAUN, O CARNEIRO: O FILME – A FAZENDA CONTRA-ATACA, mas esperávamos que ele tomasse o lugar do fraco A CAMINHO DA LUA, para que a sequência Croods 2: Uma Nova Era fosse indicada.

Comemoramos duas ausências que indicam uma queda nas chances de Melhor Filme. A primeira para JACK FINCHER pelo roteiro de MANK. O filme de David Fincher pode ser perfeito em muitos aspectos técnicos, principalmente Fotografia e Som, mas seu roteiro, escrito décadas atrás, não chega a empolgar para um filme de bastidores de Hollywood e de Cidadão Kane. E a segunda seria a de AARON SORKIN na categoria de DIREÇÃO por OS 7 DE CHICAGO. Sorkin ainda precisa comer muito arroz e feijão para se tornar um bom diretor, então ficamos felizes por sua substituição na categoria. Ambas as ausências enfraquecem as campanhas dos filmes para ganhar o Oscar de Melhor Filme, afinal, indicações para direção e roteiro costumam ser essenciais para levar o prêmio principal da noite.

CONFIRA TODOS OS INDICADOS AO 93º ACADEMY AWARDS:

FILME
Meu Pai (The Father)
Judas e o Messias Negro (Judas and the Black Messiah)
Mank (Mank)
Minari (Minari)
Nomadland (Nomadland)
Bela Vingança (Promising Young Woman)
O Som do Silêncio (Sound of Metal)
Os 7 de Chicago (The Trial of the Chicago 7)

DIREÇÃO
* Thomas Vinterberg (Druk – Mais uma Rodada)
* David Fincher (Mank)
* Lee Isaac Chung (Minari)
* Emerald Fennell (Bela Vingança)
Chloé Zhao (Nomadland)

ATOR
*
Riz Ahmed (O Som do Silêncio)
* Chadwick Boseman (A Voz Suprema do Blues)
* Anthony Hopkins (Meu Pai)
* Gary Oldman (Mank)
* Steven Yeun (Minari)

ATRIZ
* Viola Davis (A Voz Suprema do Blues)
* Andra Day (Estados Unidos vs. Billie Holiday)
* Vanessa Kirby (Pieces of a Woman)
* Frances McDormand (Nomadland)
* Carey Mulligan (Bela Vingança)

ATOR COADJUVANTE
* Sacha Baron Cohen
(Os 7 de Chicago)
* Daniel Kaluuya (Judas e o Messias Negro)
* Leslie Odom Jr. (Uma Noite em Miami)
* Paul Raci (O Som do Silêncio)
* LaKeith Stanfield (Judas e o Messias Negro)

ATRIZ COADJUVANTE
* Maria Bakalova
(Borat: Fita de Cinema Seguinte)
* Glenn Close (Era uma Vez um Sonho)
* Olivia Colman (Meu Pai)
* Amanda Seyfried (Mank)
* Yuh-Jung Youn (Minari)

ROTEIRO ORIGINAL
* Judas e o Messias Negro – Will Berson, Shaka King, Keith Lucas, Kenneth Lucas 
Minari – Lee Isaac Chung 
* Bela Vingança – Emerald Fennell
O Som do Silêncio – Abraham Marder, Darius Marder, Derek Cianfrance 
Os 7 de Chicago – Aaron Sorkin

ROTEIRO ADAPTADO
*
Borat: Fita de Cinema Seguinte – Peter Baynham, Sacha Baron Cohen, Jena Friedman, Anthony Hines, Lee Kern, Dan Mazer, Nina Pedrad, Erica Rivinoja, Dan Swimer 
Meu Pai – Christopher Hampton, Florian Zeller
Nomadland – Chloé Zhao
Uma Noite em Miami – Kemp Powers 
O Tigre Branco – Ramin Bahrani

FOTOGRAFIA
Judas e o Messias Negro – Sean Bobbitt
Mank – Erik Messerschmidt
Relatos do Mundo – Dariusz Wolski
Nomadland – Joshua James Richardson
Os 7 de Chicago – Phedon Papamichael

MONTAGEM
Meu Pai – Yorgos Lamprinos
* Nomadland – Chloé Zhao 
* Bela Vingança – Frédéric Thoraval 
* O Som do Silêncio – Mikkel E.G. Nielsen
* Os 7 de Chicago – Alan Baumgarten

DESENHO DE PRODUÇÃO
Meu Pai – Peter Francis, Cathy Featherstone
A Voz Suprema do Blues – Mark Ricker, Karen O’Hara, Diana Stoughton 
Mank – Donald Graham Burt, Jan Pascale
Relatos do Mundo – David Crank, Elizabeth Keenan
* Tenet – Nathan Crowley, Kathy Lucas

FIGURINO
*
Emma. – Alexandra Byrne
A Voz Suprema do Blues – Ann Roth
Mank – Trish Summerville
Mulan – Bina Daigeler
Pinóquio – Massimo Cantini Parrini

MAQUIAGEM E PENTEADO
* Emma. – Marese Langan
* Era uma Vez um Sonho – Eryn Krueger Mekash, Patricia Dehaney, Matthew Mungle 
A Voz Suprema do Blues – Matiki Anoff, Mia Neal, Larry M. Cherry
* Mank – Kimberley Spiteri, Gigi Williams 
* Pinóquio – Dalia Colli, Anna Kieber, Sebastian Lochmann, Stephen Murphy 

TRILHA MUSICAL ORIGINAL
Destacamento Blood – Terence Blanchard
* Mank – Trent Reznor, Atticus Ross
Minari – Emile Mosseri
Relatos do Mundo – James Newton Howard
Soul – Trent Reznor, Atticus Ross, Jon Batiste

CANÇÃO ORIGINAL
* “Fight for You” – JUDAS E O MESSIAS NEGRO
Música por H.E.R. and Dernst Emile II; Letra por H.E.R. e Tiara Thomas
* “Hear my Voice” – OS 7DE CHICAGO
Música por Daniel Pemberton; Letra por Daniel Pemberton e Celeste Waite
* “Husavik” – FESTIVAL EUROVISION DA CANÇÃO: A SAGA DE SIGRIT E LARS
Música e letra por Savan Kotecha, Fat Max Gsus e Rickard Göransson
* “Io Sì (SeEn)” – ROSA E MOMO
Música por Diane Warren; Letra por Diane Warren e Laura Pausini
* “Speak Now” – UMA NOITE EM MIAMI…
Música e letra por Leslie Odom, Jr. e Sam Ashworth

SOM
Greyhound: Na Mira do Inimigo – Odin Benitez, Jason King, Christian P. Minkler, Michael Minkler, Jeff Sawyer
Mank – Ren Klyce, Jeremy Molod, David Parker, Nathan Nance, Drew Kunin 
Relatos do Mundo – John Pritchett, Mike Prestwood Smith, William Miller, Oliver Tarney, Michael Fentum
Soul – Coya Elliott, Ren Klyce, David Parker, Vince Caro
* O Som do Silêncio – Phillip Bladh, Nicolas Becker, Jaime Baksht, Michelle Couttolenc, Carlos Cortés, Carolina Santana

EFEITOS VISUAIS
* PROBLEMAS MONSTRUOSOS
*
O Céu da Meia-Noite – Matt Kasmir, Chris Lawrence, Dave Watkins, Max Solomon 
Mulan – Sean Faden, Anders Langlands, Seth Maury, Steve Ingram
O Grande Ivan – Nick Davis, Greg Fisher, Ben Jones, Santiago Colomo Martinez 
Tenet – Andrew Jackson, Andrew Lockley, Scott R. Fisher, Mike Chambers 

LONGA DE ANIMAÇÃO
* Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica
* A Caminho da Lua
* SHAUN, O CARNEIRO: O FILME – A FAZENDA CONTRA-ATACA
* Soul
* Wolfwalkers

DOCUMENTÁRIO
* Collective
* Crip Camp: REVOLUÇÃO PELA INCLUSÃ
O
* Agente Duplo
* Professor Polvo
* Time

FILME INTERNACIONAL
Druk – Mais uma Rodada – Dinamarca
Better Days – Hong Kong
Collective – Romênia
The Man Who Sold his Skin – Tunísia
Quo Vadis, Aida? – Bósnia e Herzegovina

CURTA-METRAGEM
* Feeling Through
* The Letter Room
* The Present
* Two Distant Strangers
* White Eye

CURTA DE ANIMAÇÃO
* Burrow
* Genius Loci
* Se Algo Acontecer… Te Amo
* Opera
* Yes-People

DOCUMENTÁRIO-CURTA
* Colette
* A Concerto is a Conversation
* Do Not Split
* Hunger Ward
* UMA CANÇÃO PARA Latasha

____________________________________________________________________________________
A 93ª cerimônia do Oscar está marcada para o dia 25 de Abril.

‘MANK’ LIDERA CRITICS’ CHOICE AWARDS DOMINADO por NETFLIX

NETFLIX CONQUISTA MARCA DE QUATRO FILMES INDICADOS A MELHOR FILME

Ok, não é lá uma grande novidade, mas quem não conseguia enxergar a Netflix predominando as premiações desta temporada bem atípica da pandemia? Além das produções de outros estúdios terem sofrido com adiamentos, a plataforma de streaming foi beneficiada com o fechamento de salas de cinema e, claro, com seus próprios investimentos certeiros.

Não é nada surpreendente também que o novo filme de David Fincher, Mank, tenha sido o recordista de indicações, já que se trata de um filme de época, tecnicamente impecável e com pedigree. Foram 12 indicações ao Critics’ Choice, e no Oscar são esperadas umas 10 indicações, mesmo com queda na campanha publicitária nas últimas semanas. A nosso ver, Mank tem tudo para ser um novo A Invenção de Hugo Cabret, que desponta como um dos favoritos, mas acaba limitado aos Oscars mais técnicos, ainda mais que Gary Oldman e Amanda Seyfried não estão ganhando prêmios importantes, e ela sequer foi reconhecida no SAG.

Ainda sobre Netflix, foram ao todo 46 indicações nas categorias de Cinema. Além das 12 de Mank, temos 8 para A Voz Suprema do Blues, 6 de Destacamento Blood e 6 de Os 7 de Chicago. A grande surpresa fica por conta do 2º lugar da A24, que acumulou 14 indicações, sendo 10 para Minari. O drama familiar coreano teve a mesma proeza de ser indicado para Melhor Filme, Melhor Filme em Língua Estrangeira e Melhor Elenco como o fenômeno Parasita ano passado, mas ao contrário do filme de Bong Joon-Ho, teve duas indicações individuais para seus atores Steven Yeun e Yuh-Jung Youn como Ator e Atriz Coadjuvante, respectivamente.

Chadwick Boseman repete sua dobradinha do SAG e novamente conquista duas indicações por A Voz Suprema do Blues e Destacamento Blood. Caso isso se repita no Oscar, será o primeiro ator a ter dupla indicação póstuma. Além de Boseman, Andra Day foi reconhecida em duas categorias: Melhor Atriz e Canção Original por The United States vs. Billie Holiday, enquanto a dupla de compositores Trent Raznor e Atticus Ross na mesma categoria de Trilha Original por Soul e Mank. Vale ainda citar a querida Olivia Colman, indicada para Atriz Coadjuvante por Meu Pai e Atriz de Série Dramática por The Crown.

Para quem acompanha o blog há alguns anos, nós apelidamos carinhosamente o Critics’ Choice Awards de “Bolha Assassina”, porque a cada ano que passa ela cria novas categorias e abre mais vagas para indicados, expandindo-se como aquela gosma rosa alienígena. Embora isso signifique uma falta de critério e seletividade, claro que é ótimo para os filmes e artistas constarem nessas listas para ganharem o devido reconhecimento. Uma das coisas que nos incomoda no Critics’ é a constante e crescente vontade de se tornar um mero precursor genérico do Oscar. Prefere tentar adivinhar quem vai levar a estatueta da Academia do que selecionar seus próprios favoritos. Isso sem contar aquela sacanagem de apresentar prêmios no tapete vermelho e nos intervalos que nos faz questionar “Então pra que tanta categoria se não tem tempo para apresentar devidamente?”. Mas enfim, esse coração de mãe do Critics’ ajudou em algumas categorias bem disputadas como Melhor Ator, que teve OITO indicados, e Direção e Atriz que tiveram SETE indicados cada.

CONFIRA TODOS OS INDICADOS DE CINEMA AO 26º CRITICS’ CHOICE AWARDS:

MELHOR FILME

  • Destacamento Blood (Da 5 Bloods) (Netflix)
  • A Voz Suprema do Blues (Ma Rainey’s Black Bottom) (Netflix)
  • Mank (Mank) (Netflix)
  • Minari (A24)
  • Relatos do Mundo (News of the World) (Universal Pictures)
  • Nomadland (Searchlight Pictures)
  • Uma Noite em Miami… (One Night in Miami) (Amazon Studios)
  • Bela Vingança (Promising Young Woman) (Focus Features)
  • O Som do Silêncio (Sound of Metal) (Amazon Studios)
  • Os 7 de Chicago (The Trial of the Chicago 7) (Netflix)

MELHOR DIREÇÃO

  • Lee Isaac Chung (Minari) (A24)
  • Emerald Fennell (Bela Vingança) (Focus Features)
  • David Fincher (Mank) (Netflix)
  • Spike Lee (Destacamento Blood) (Netflix)
  • Regina King (Uma Noite em Miami…) (Amazon Studios)
  • Aaron Sorkin (Os 7 de Chicago) (Netflix)
  • Chloé Zhao (Nomadland) (Searchlight Pictures)

MELHOR ATOR

  • Ben Affleck (O Caminho de Volta) (Warner Bros)
  • Riz Ahmed (O Som do Silêncio) (Amazon Studios)
  • Chadwick Boseman (A Voz Suprema do Blues) (Netflix)
  • Tom Hanks (Relatos do Mundo) (Universal Pictures)
  • Anthony Hopkins (Meu Pai) (Sony Pictures Classics)
  • Delroy Lindo (Destacamento Blood) (Netflix)
  • Gary Oldman (Mank) (Netflix)
  • Steven Yeun (Minari) (A24)

MELHOR ATRIZ

  • Viola Davis (A Voz Suprema do Blues) (Netflix)
  • Andra Day (The United States vs. Billie Holiday) (Hulu)
  • Sidney Flanigan (Nunca Raramente Às Vezes Sempre) (Focus Features)
  • Vanessa Kirby (Pieces of a Woman) (Netflix)
  • Frances McDormand (Nomadland) (Searchlight Pictures)
  • Carey Mulligan (Bela Vingança) (Focus Features)
  • Zendaya (Malcolm & Marie) (Netflix)

MELHOR ATOR COADJUVANTE

  • Chadwick Boseman (Destacamento Blood) (Netflix)
  • Sacha Baron Cohen (Os 7 de Chicago) (Netflix)
  • Daniel Kaluuya (Judas e o Messias Negro) (Warner Bros)
  • Bill Murray (On the Rocks) (A24/Apple TV Plus)
  • Leslie Odom Jr. (Uma Noite em Miami…) (Amazon Studios)
  • Paul Raci (O Som do Silêncio) (Amazon Studios)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

  • Maria Bakalova (Borat: Fita de Cinema Seguinte) (Amazon Studios)
  • Ellen Burstyn (Pieces of a Woman) (Netflix)
  • Glenn Close (Era uma Vez um Sonho) (Netflix)
  • Olivia Colman (Meu Pai) (Sony Pictures Classics)
  • Amanda Seyfried (Mank) (Netflix)
  • Yuh-Jung Youn (Minari) (A24)

MELHOR ATOR OU ATRIZ JUVENIL

  • Ryder Allen (Palmer) (Apple TV Plus)
  • Ibrahima Gueye (Rosa e Momo) (Netflix)
  • Alan Kim (Minari) (A24)
  • Talia Ryder (Nunca Raramente Às Vezes Sempre) (Focus Features)
  • Caoilinn Springall (O Céu da Meia-Noite) (Netflix)
  • Helena Zengel (Relatos do Mundo) (Universal Pictures)

MELHOR ELENCO

  • Destacamento Blood (Netflix)
  • Judas e o Messias Negro (Warner Bros)
  • A Voz Suprema do Blues (Netflix)
  • Minari (A24)
  • Uma Noite em Miami… (Amazon Studios)
  • Os 7 de Chicago (Netflix)

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

  • Mank (Netflix) – Jack Fincher
  • Minari (A24) – Lee Isaac Chung
  • Nunca Raramente Às Vezes Sempre (Focus Features) – Eliza Hittman
  • Bela Vingança (Focus Features) – Emerald Fennell
  • O Som do Silêncio (Amazon Studios) – Darius Marder, Abraham Marder
  • Os 7 de Chicago (Netflix) – Aaron Sorkin

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

  • Meu Pai (Sony Pictures Classics) – Christopher Hampton, Florian Zeller
  • First Cow (A24) – Jonathan Raymond, Kelly Reichardt
  • A Voz Suprema do Blues (Netflix) – Ruben Santiago-Hudson
  • Relatos do Mundo (Universal Pictures) – Luke Davies, Paul Greengrass
  • Nomadland (Searchlight Pictures) – Chloé Zhao
  • Uma Noite em Miami… (Amazon Studios) – Kemp Powers

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO

  • Emma (Focus Features) – Kave Quinn, Stella Fox
  • A Voz Suprema do Blues (Netflix) – Mark Ricker, Karen O’Hara, Diana Stoughton
  • Mank (Netflix) – Donald Graham Burt, Jan Pascale
  • Relatos do Mundo (Universal Pictures) – David Crank, Elizabeth Keenan
  • A História Pessoal de David Copperfield (Searchlight Pictures) – Cristina Casali, Charlotte Dirickx
  • Tenet (Warner Bros) – Nathan Crowley, Kathy Lucas

MELHOR FOTOGRAFIA

  • Destacamento Blood (Netflix) – Newton Thomas Sigel
  • First Cow (A24) – Christopher Blauvelt
  • Mank (Netflix) – Erik Messerschmidt
  • Minari (A24) – Lachlan Milne
  • Relatos do Mundo (Universal Pictures) – Dariusz Wolski
  • Nomadland (Searchlight Pictures) – Joshua James Richards
  • Tenet (Warner Bros) – Hoyte Van Hoytema

MELHOR FIGURINO

  • Emma (Focus Features) – Alexandra Byrne
  • A Voz Suprema do Blues (Netflix) – Ann Roth
  • Mank (Netflix) – Trish Summerville
  • Mulan (Walt Disney Pictures) – Bina Daigeler
  • A História Pessoal de David Copperfield (Searchlight Pictures) – Suzie Harman, Robert Worley
  • Bela Vingança (Focus Features) – Nancy Steiner

MELHOR MONTAGEM

  • Meu Pai (Sony Pictures Classics) – Yorgos Lamprinos
  • Mank (Netflix) – Kirk Baxter
  • Nomadland (Searchlight Pictures) – Chloé Zhao
  • O Som do Silêncio (Amazon Studios) – Mikkel E.G. Nielsen
  • Tenet (Warner Bros) – Jennifer Lame
  • Os 7 de Chicago (Netflix) – Alan Baumgarten

MELHOR MAQUIAGEM E PENTEADO

  • Emma (Focus Features)
  • Era uma Vez um Sonho (Netflix)
  • A Voz Suprema do Blues (Netflix)
  • Mank (Netflix)
  • Bela Vingança (Focus Features)
  • The United States vs. Billie Holiday (Hulu)

MELHORES EFEITOS VISUAIS

  • Greyhound: Na Mira do Inimigo (Apple TV Plus)
  • O Homem Invisível (The Invisible Man) (Universal Pictures)
  • Mank (Netflix)
  • O Céu da Meia-Noite (The Midnight Sky) (Netflix)
  • Mulan (Walt Disney Pictures)
  • Tenet (Warner Bros)
  • Mulher-Maravilha 1984 (Wonder Woman 1984) (Warner Bros)

MELHOR TRILHA

  • O Céu da Meia-Noite (Netflix) – Alexandre Desplat
  • Mank (Netflix) – Trent Reznor, Atticus Ross
  • Minari (A24) – Emile Mosseri
  • Relatos do Mundo (Universal Pictures) – James Newton Howard
  • Soul (Pixar) – Jon Batiste, Trent Reznor, Atticus Ross
  • Tenet (Warner Bros) – Ludwig Göransson

MELHOR CANÇÃO

  • Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit e Lars (Netflix) – “Husavik (My Home Town)”
  • Rosa e Momo (Netflix) – “Io Si (Seen)”
  • Judas e o Messias Negro (Warner Bros) – “Fight for You”
  • Uma Noite em Miami… (Amazon Studios) – “Speak Now”
  • The Outpost (Chicken Soup for the Soul Entertainment) – “Everybody Cries”
  • The United States vs. Billie Holiday (Hulu) – “Tigress & Tweed”

MELHOR FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRO

  • Druk – Mais uma Rodada (Samuel Goldwyn Films)
  • Collective (Magnolia Pictures)
  • La Llorona (Shudder)
  • Rosa e Momo (Netflix)
  • Minari (A24)
  • Two Of Us (Magnolia Pictures)

MELHOR COMÉDIA

  • Borat: Fita de Cinema Seguinte (Borat: Subsequent Moviefilm) (Amazon Studios)
  • The Forty-Year-Old Version (Netflix)
  • O Rei de Staten Island (The King of Staten Island) (Universal Pictures)
  • On the Rocks (A24/Apple TV+)
  • Palm Springs (Hulu/NEON)
  • A Festa de Formatura (The Prom) (Netflix)

_________________________________________________________________________________________
A 26ª cerimônia híbrida do Critics’ Choice Awards acontecerá no próximo dia 07 de Março.

CHADWICK BOSEMAN FAZ HISTÓRIA no SAG AWARDS com 4 INDICAÇÕES

Da esquerda para a direita: Destacamento Blood, A Voz Suprema do Blues e Minari, os recordistas de indicações ao SAG Awards

FALECIDO EM AGOSTO DE 2020, ATOR ACUMULA 4 INDICAÇÕES PELOS DOIS ÚLTIMOS FILMES DA CARREIRA

Na manhã desta quinta-feira, dia 04, o Screen Actors Guild (sindicato de atores) anunciou seus indicados para a sua 27ª edição com a ajuda dos atores Daveed Digs (que foi indicado por Hamilton) e Lily Collins, que concorria por Mank e pela série Emily in Paris, através de uma live no perfil do SAG Awards: @sagawards

Os cinco filmes reconhecidos na categoria de Melhor Elenco ganham um novo e importante fôlego até Março, quando as indicações ao Oscar serão anunciadas. Vale ressaltar que dentre as últimas 10 edições, o SAG de Melhor Elenco ajudou a definir o vencedor do Oscar de Melhor Filme em 5 oportunidades: O Discurso do Rei, Argo, Birdman, Spotlight e Parasita, todos venceram o SAG e o Oscar.

Apesar de três filmes terem empatado em número maior de indicações (Minari, A Voz Suprema do Blues e Destacamento Blood), foram Minari e A Voz Suprema do Blues que se destacaram mais, pois uma das indicações de Destacamento Blood foi para a categoria de Dublês. Minari ganha uma sobrevida ainda maior, após ter sido praticamente esnobado pelo Globo de Ouro, no qual foi reconhecido apenas na categoria de Filme em Língua Estrangeira.

Ainda sobre destaques, é impossível não ressaltar a histórica quádrupla indicação para Chadwick Boseman, que concorre como Ator Coadjuvante e Elenco por Destacamento Blood, e Ator e Elenco por A Voz Suprema do Blues. Normalmente, diríamos que é aquelas situações recorrentes em que os votos se anulam entre si, mas por toda a comoção envolvendo sua morte precoce em Agosto passado, acreditamos que ele vencerá em uma das categorias, especialmente na de Melhor Ator. Já dá pra praticamente ouvir a platéia aplaudindo de pé, toda comovida e aguardando o discurso emotivo da viúva de Boseman.

Como em toda edição, algumas surpresas preencheram as manchetes. Das ausências mais sentidas, Delroy Lindo por Destacamento Blood (aqui mais sentida do que no Globo de Ouro, que esnobou o filme de Spike Lee por completo), Andra Day por The United States vs. Billie Holiday, Amanda Seyfried por Mank e Ellen Burstyn por Pieces of a Woman na categoria de Atriz Coadjuvante, Paul Raci por O Som do Silêncio e Bill Murray por On the Rocks como coadjuvantes, Tahar Rahim e Jodie Foster por The Mauritanian, e o elenco de Nomadland ter ficado de fora da categoria por muitos acreditarem ser praticamente um filme solo de Frances McDormand.

É curioso lembrarmos que no 1º semestre de 2020, com os cinemas fechando, muitos acreditavam não haveria filmes o suficiente para preencher uma temporada de premiações (alguns deduzindo indicação para Jim Carrey por Sonic: O Filme !), e agora estão faltando vagas para tantas boas performances. Também destacamos a ausência de Tenet na categoria de Dublês… muito estranha essa ausência!

Já sobre as surpresas de indicações, logo vem a dupla indicação para Era uma Vez um Sonho para Amy Adams e Glenn Close. Considerado um Oscar bait deslavado, muitos consideravam o filme de Ron Howard como carta fora do baralho, mas pelo visto a Netflix está se empenhando para conseguir reconhecimento para as maiores recordistas de indicações ao Oscar sem vitória.

Pelas categorias televisivas, The Crown e Schitt’s Creek conquistaram o maior números de indicações: 5 cada. Nas categorias de Cinema, a Netflix acumulou 13 indicações e obviamente foi a recordista novamente.

CONFIRA TODOS OS INDICADOS DO 27º SAG AWARDS:

CINEMA

MELHOR ELENCO
* Destacamento Blood (Da 5 Bloods)
* A Voz Suprema do Blues (Ma Rainey’s Black Bottom)
* Minari
* Uma Noite em Miami… (One Night in Miami)
* Os 7 de Chicago (The Trial of the Chicago 7)

MELHOR ATOR
* Riz Ahmed (O Som do Silêncio)
* Chadwick Boseman (A Voz Suprema do Blues)
* Anthony Hopkins (Meu Pai)
* Gary Oldman (Mank)
* Steven Yeun (Minari)

MELHOR ATRIZ 
* Amy Adams (Era uma Vez um Sonho)
* Viola Davis (A Voz Suprema do Blues)
* Vanessa Kirby (Pieces of a Woman)
* Frances McDormand (Nomadland)
* Carey Mulligan (Bela Vingança)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
* Chadwick Boseman (Destacamento Blood)
* Sacha Baron Cohen (Os 7 de Chicago)
* Daniel Kaluuya (Judas e o Messias Negro)
* Jared Leto (The Little Things)
* Leslie Odom Jr. (Uma Noite em Miami…)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
* Maria Bakalova (Borat: Fita de Cinema Seguinte)
* Glenn Close (Era uma Vez um Sonho)
* Olivia Colman (Meu Pai)
* Yuh-Jung Youn (Minari)
* Helena Zengel (Relatos do Mundo)

MELHOR ELENCO DE DUBLÊS
* Destacamento Blood
* Mulan
* Relatos do Mundo
* Os 7 de Chicago
* Mulher Maravilha 1984

TV/STREAMING

MELHOR ELENCO – SÉRIE DRAMÁTICA
* Better Call Saul
* Bridgerton
* The Crown
* Lovecraft Country
* Ozark

MELHOR ATOR – SÉRIE DRAMÁTICA
* Jason Bateman (Ozark)
* Sterling K. Brown (This is Us)
* Josh O’Connor (The Crown)
* Bob Odenkirk (Better Call Saul)
* Rege-Jean Page (Bridgerton)

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DRAMÁTICA
* Gillian Anderson (The Crown)
* Olivia Colman (The Crown)
* Emma Corrin (The Crown)
* Julia Garner (Ozark)
* Laura Linney (Ozark)

MELHOR ATOR – MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
* Bill Camp (The Queen’s Gambit)
* Daveed Diggs (Hamilton)
* Hugh Grant (The Undoing)
* Ethan Hawke (The Good Lord Bird)
* Mark Ruffalo (I Know This Much Is True)

MELHOR ATRIZ – MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
* Cate Blanchett (Mrs. America)
* Michaela Coel (I May Destroy You)
* Nicole Kidman (The Undoing)
* Anya Taylor-Joy (The Queen’s Gambit)
* Kerry Washington (Little Fires Everywhere)

MELHOR ELENCO – SÉRIE DE COMÉDIA
* Dead to Me
* The Flight Attendant
* The Great
* Schitt’s Creek
* Ted Lasso

MELHOR ATOR – SÉRIE DE COMÉDIA
* Nicholas Hoult (The Great)
* Dan Levy (Schitt’s Creek)
* Eugene Levy (Schitt’s Creek)
* Jason Sudeikis (Ted Lasso)
* Ramy Youssef (Ramy)

MELHOR ATRIZ – SÉRIE DE COMÉDIA
* Christina Applegate (Dead to Me) 
* Linda Cardellini (Dead to Me) 
* Kaley Cuoco (The Flight Attendant) 
* Annie Murphy (Schitt’s Creek) 
* Catherine O’Hara (Schitt’s Creek) 

MELHOR ELENCO DE DUBLÊS EM SÉRIE DRAMÁTICA OU DE COMÉDIA
* The Boys
* Cobra Kai
* Lovecraft Country
* The Mandalorian
* Westworld

________________________________________________________________________
A cerimônia do SAG Awards acontece um pouco mais tarde este ano, no dia 04 de Abril e deve ser transmitida pelo canal pago TNT.

‘MANK’ LIDERA as INDICAÇÕES ao GLOBO DE OURO, que RECONHECE TRÊS DIRETORAS

Da esquerda pra direita: Emerald Fennell (Bela Vingança), Chloé Zhao (Nomadland) e Regina King (One Night in Miami)

PELA PRIMEIRA VEZ NA HISTÓRIA, TRÊS DIRETORAS SÃO INDICADAS

Na manhã desta quarta, dia 03, os indicados ao Globo de Ouro foram anunciados numa live transmitida ao vivo pelo canal norte-americano Today pelas atrizes Sarah Jessica Parker e Taraji P. Henson. Obviamente, em tempos de pandemia, não há nada de errado fazer a transmissão direto do conforto de seus lares, mas elas tinham que ler cartazes de cartolina dos tempos de escola? Cadê o pessoal que faz uma computação gráfica com fotos dos filmes, séries e atores? Talvez seja exagero dizer isso, mas esse despreparo nos soa como um desleixo da HFPA que acaba desvalorizando a premiação. Pra quem não acompanhou ao vivo, segue link abaixo do YouTube:

OS NÚMEROS DO GLOBO DE OURO

Começando pelos números, o recordista desta 78ª edição foi Mank, parceria entre David Fincher e Netflix, com 6 indicações. É verdade que o filme tem caído na temporada, já que foi pouco lembrado até aqui, mas pela sua excelência técnica, deve repetir a liderança nas indicações ao Oscar. Contudo, essa liderança no Globo de Ouro não significa necessariamente maiores chances de vitória. Em 2º lugar, Os 7 de Chicago vem com 5 indicações, e empatados com 4, vêm Nomadland, Bela Vingança e Meu Pai. Esses cinco filmes formam a categoria de Melhor Filme – Drama. Atualmente, dá pra dizer que Nomadland é o favorito pelos vários prêmios de Direção para Chloé Zhao, mas não dá pra descartar Bela Vingança, que alguns acreditavam que só conseguiria indicação para Melhor Atriz para Carey Mulligan, mas saiu indicado nas principais categorias de Filme, Direção e Roteiro.

Ainda sobre números, a grande vencedora foi a Netflix, que acumulou o total de 22 indicações entre as categorias de Cinema e de TV. Um número bem acima do 2º colocado Amazon Studios com apenas 7 indicações e dos 3ºs Focus Features, Sony Pictures Classics e Disney com 6 cada um. Apesar do número expressivo da Netflix, a companhia ainda tem mais chances nas categorias televisivas com as séries The Crown, The Queen’s Gambit ou Emily in Paris do que nos filmes, onde a melhor chance de vitória talvez seja Melhor Roteiro por Os 7 de Chicago.

TRÊS DIRETORAS INDICADAS

O maior destaque destas indicações foram as inclusões de três diretoras na categoria de Melhor Direção. É a primeira vez em 78 anos de Globo de Ouro que há mais de uma mulher na categoria. Até hoje, apenas 5 diretoras haviam sido reconhecidas pela HFPA: Barbra Streisand (a única vencedora por Yentl, e indicada por O Príncipe das Marés), Jane Campion (O Piano), Sofia Coppola (Encontros e Desencontros), Kathryn Bigelow (por Guerra ao Terror e A Hora Mais Escura) e Ava DuVernay (Selma). Para aqueles que acreditam que a HFPA cedeu a uma pressão externa, vamos com calma.

Nos últimos meses, o Gotham Awards indicou todos os 5 filmes dirigidos por mulheres, e mais recentemente, o Independent Spirit Awards reservou quatro das 5 vagas de Direção para as diretoras, portanto, trata-se mais de um reflexo dos ótimos trabalhos do que uma mera compensação por erros passados. E felizmente, são as três mulheres indicadas que têm as maiores chances de vitória: Chloé Zhao (Nomadland), Emerald Fennell (Bela Vingança) e Regina King (One Night in Miami). Particularmente, ainda trocaríamos Aaron Sorkin (Os 7 de Chicago) por Kelly Reichardt por First Cow, que infelizmente não foi lembrado nem para Roteiro.

ESNOBADOS E SURPRESAS

A safra de filmes de 2020 ainda consegue suprir bem uma temporada de premiações (o que nos preocupa é 2021 e 2022), portanto há espaço para injustiças e surpresas. Dentre as ausências mais comentadas estão a da sul-coreana Yuh-jung Youn de Minari e de Paul Raci de O Som do Silêncio. São duas performances que vêm ganhando vários prêmios de Coadjuvante até o momento, então é de se estranhar que eles tenham ficado de fora desta disputa. Um pouco menos comentadas, porém com grandes chances estavam Zendaya por Malcolm and Marie, Jessie Buckley por Estou Pensando em Acabar com Tudo, Kate Winslet por Ammonite, e Meryl Streep, que foi duplamente esnobada por A Festa de Formatura e Let Them All Talk na categoria de Atriz – Comédia ou Musical. Por outro lado, a indicação de Andra Day por The United States vs. Billie Holiday foi vista como uma boa surpresa que pode impulsionar a campanha de sua performance no Oscar.

Por estar bastante acirrada, a disputa de Melhor Ator, acabou tendo mais nomes excluídos como Delroy Lindo por Destacamento Blood, Ben Affleck por O Caminho de Volta, e Steven Yeun por Minari. Aliás, o filme Minari foi o protagonista da maior controvérsia este ano. A produção norte-americana foi qualificada como Filme em Língua Estrangeira, ficando de fora da disputa de Melhor Filme – Drama. Por isso mesmo, havia a expectativa de que a HFPA pudessem compensar o filme pelas indicações dos atores, mas com a ausência de todos, damos a entender que a controvérsia não pesou para os 89 jornalistas da organização. A grande surpresa da categoria foi Tahar Rahim, que vive um prisioneiro torturado em The Mauritanian (ainda sem previsão de estreia no Brasil). O filme político de Kevin MacDonald, que apresenta semelhanças com A Hora Mais Escura (2012), também emplacou uma indicação de Coadjuvante para Jodie Foster.

Vale destacarmos as duplas indicações para os compositores Trent Raznor e Atticus Ross por Soul e Mank (que pode se repetir no Oscar, já que ambas as trilhas foram consideradas elegíveis), para a atriz argentina Anya Taylor-Joy, que foi indicada pela comédia Emma e pela série da Netflix, The Queen’s Gambit, e claro, pela tripla indicação do ator, comediante e produtor britânico Sacha Baron Cohen por Os 7 de Chicago, e por atuar e produzir Borat: Fita de Cinema Seguinte. E também a indicação para Hamilton, para Filme – Comédia ou Musical e Ator – Comédia ou Musical para Lin-Manuel Miranda, mostrando a força ($$$) da Disney ao conseguir incluir um filme que é uma peça de teatro filmada: com luz, direção de arte, texto e atores do próprio espetáculo.

Na categoria de Filme em Língua Estrangeira, o dinamarquês Another Round era o favorito, mas a inclusão de Minari o torna o novo favorito. Já na categoria de Longa de Animação, com tudo muito previsível, Soul deve levar fácil mais um prêmio para a Pixar.

INDICADOS AO 78º GLOBO DE OURO:

CINEMA

MELHOR FILME – DRAMA
Meu Pai (The Father) – Sony Pictures Classics
Mank (Mank) – Netflix
Nomadland – Searchlight Pictures
Bela Vingança (Promising Young Woman) – Focus Features
Os 7 de Chicago (The Trial of the Chicago 7) – Netflix

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Viola Davis (A Voz Suprema do Blues)
Andra Day (The United States vs. Billie Holiday)
Vanessa Kirby (Pieces of a Woman)
Frances McDormand (Nomadland)
Carey Mulligan (Bela Vingança)

MELHOR ATOR – DRAMA
Riz Ahmed (O Som do Silêncio)
Chadwick Boseman (A Voz Suprema do Blues)
Anthony Hopkins (Meu Pai)
Gary Oldman (Mank)
Tahar Rahim (The Mauritanian)

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL
Borat: Fita de Cinema Seguinte (Borat Subsequent Moviefilm) – Amazon Studios
Hamilton – Disney
Music – IMAX
Palm Springs – NEON/Hulu
A Festa de Formatura (The Prom) – Netflix

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
Maria Bakalova (Borat: Fita de Cinema Seguinte)
Kate Hudson (Music)
Michelle Pfeiffer (French Exit)
Rosamund Pike (I Care a Lot)
Anya Taylor-Joy (Emma)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
Sacha Baron Cohen (Borat: Fita de Cinema Seguinte)
James Corden (A Festa de Formatura)
Lin-Manuel Miranda (Hamilton)
Dev Patel (The Personal History of David Copperfield)
Andy Samberg (Palm Springs)

MELHOR LONGA DE ANIMAÇÃO
Os Croods 2: Uma Nova Era (The Croods: A New Age)
Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica (Onward)
A Caminho da Lua (Over the Moon)
Soul (Soul)
Wolfwalkers

MELHOR FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA
Another Round – Dinamarca
La Llorona – Guatemala/França
Rosa e Momo (The Life Ahead) – Itália
Minari – EUA
Two of Us – França/EUA

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Glenn Close (Era uma Vez um Sonho)
Olivia Colman (Meu Pai)
Jodie Foster (The Mauritanian)
Amanda Seyfried (Mank)
Helena Zengel (Relatos do Mundo)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Sacha Baron Cohen (Os 7 de Chicago)
Daniel Kaluuya (Judas e o Messias Negro)
Jared Leto (The Little Things)
Bill Murray (On the Rocks)
Lesley Odom Jr. (One Night in Miami…)

MELHOR DIREÇÃO
Emerald Fennell (Bela Vingança)
David Fincher (Mank)
Regina King (One Night in Miami…)
Aaron Sorkin (Os 7 de Chicago)
Chloé Zhao (Nomadland)

MELHOR ROTEIRO
Emerald Fennell (Bela Vingança)
Jack Fincher (Mank)
Aaron Sorkin (Os 7 de Chicago)
Florian Zeller e Christopher Hampton (Meu Pai)
Chloé Zhao (Nomadland)

MELHOR TRILHA MUSICAL
Alexandre Desplat (O Céu da Meia-Noite)
Ludwig Goransson (Tenet)
James Newton Howard (Relatos do Mundo)
Trent Raznor e Atticus Ross (Mank)
Trent Raznor, Atticus Ross e Jon Batiste (Soul)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Fight for You” – H.E.R., Dernst Emile II e Tiara Thomas (Judas e o Messias Negro)
“Hear my Voice” – Daniel Pemberton, Celeste Waite (Os 7 de Chicago)
“Io Sì (Seen)” – Diane Warren, Laura Pausini, Niccolò Agliardi (Rosa e Momo)
“Speak Now” – Leslie Odom Jr., Sam Ashworth (One Night in Miami…)
“Tigress & Tweed” – Andra Day, Rapahel Saadiq (The United States vs. Billie Holiday)


TELEVISÃO/STREAMING

MELHOR SÉRIE – DRAMA
The Crown
Lovecraft Country
The Mandalorian
Ozark
Ratched

MELHOR ATRIZ DE SÉRIE – DRAMA
Olivia Colman (The Crown)
Jodie Comer (Killing Eve)
Emma Corrin (The Crown)
Laua Linney (Ozark)
Sarah Paulson (Ratched)

MELHOR ATOR DE SÉRIE – DRAMA
Jason Bateman (Ozark)
Josh O’Connor (The Crown)
Bob Odenkirk (Better Call Saul)
Al Pacino (Hunters)
Matthew Rhys (Perry Mason)

MELHOR SÉRIE – COMÉDIA OU MUSICAL
Emily in Paris
The Flight Attendant
The Great
Schitt’s Creek
Ted Lasso

MELHOR ATRIZ DE SÉRIE – COMÉDIA OU MUSICAL
Lily Collins (Emily in Paris)
Kaley Cuoco (The Flight Attendant)
Elle Fanning (The Great)
Jane Levy (Zoey’s Extraordinary Playlist)
Catherine O’Hara (Schitt’s Creek)

MELHOR ATOR DE SÉRIE – COMÉDIA OU MUSICAL
Don Cheadle (Black Monday)
Nicholas Hoult (The Great)
Eugene Levy (Schitt’s Creek)
Jason Sudeikis (Ted Lasso)
Ramy Youssef (Ramy)

MELHOR MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Normal People
O Gambito da Rainha (The Queen’s Gambit)
Small Axe
The Undoing
Unorthodox

MELHOR ATRIZ DE MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Cate Blanchett (Mrs. America)
Daisy Edgar-Jones (Normal People)
Shira Haas (Unorthodox)
Nicole Kidman (The Undoing)
Anya Taylor-Joy (O Gambito da Rainha)

MELHOR ATOR DE MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Bryan Cranston (Your Honor)
Jeff Daniels (The Comey Rule)
Hugh Grant (The Undoing)
Ethan Hawke (The Good Lord Bird)
Mark Ruffalo (I Know This Much is True)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE DE SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Gillian Anderson (The Crown)
Helena Bonham Carter (The Crown)
Julia Garner (Ozark)
Annie Murphy (Schitt’s Creek)
Cynthia Nixon (Ratched)

MELHOR ATOR COADJUVANTE DE SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
John Boyega (Small Axe)
Brendan Gleeson (The Comey Rule)
Daniel Levy (Schitt’s Creek)
Jim Parsons (Hollywood)
Donald Sutherland (The Undoing)

__________________________________________________
A 78ª cerimônia do Globo de Ouro está marcada para o dia 28 de Fevereiro.

%d blogueiros gostam disto: