‘Anna Karenina’, ‘As Aventuras de Pi’ e ‘007 – Operação Skyfall’ vencem o Art Directors Guild 2013

Logo do Art Directors Guild (photo by cinema7arte.com)

Logo do Art Directors Guild (photo by cinema7arte.com)

A premiação do Art Directors Guild de cinema se divide em três categorias: Filme de Época, Filme de Fantasia e Filme Contemporâneo. Em cerca de 70%, os vencedores de Filme de Época também levam o Oscar. Casos mais recentes são A Invenção de Hugo Cabret e O Curioso Caso de Benjamin Button.

Assim como no Costume Designers Guild (sindicato de figurinistas), que também premia essas três categorias, por razões óbvias de pesquisa e precisão, os filmes de época chamam mais a atenção para o público. Quando esses trabalhos têm extrema importância para a trama e as personagens, como foi no caso de Memórias de uma Gueixa, os responsáveis se tornam automaticamente franco-favoritos ao prêmio da Academia.

Na categoria de filme de época deste ano, a adaptação do romance homônimo de Leo Tolstoy foi a grande vitoriosa. Em sua quinta colaboração com o diretor Joe Wright (sendo a terceira de época), a designer de produção Sarah Greenwood realiza um belíssimo trabalho de recriação da arquitetura da alta sociedade da Rússia do século XIX. Apesar do filme em si não ter sido indicado aos prêmios principais como Melhor Filme, Anna Karenina eleva suas chances no Oscar, uma vez que seus concorrentes já foram batidos no Art Directors Guild. E esta é a quarta indicação de Sarah Greenwood, mas sem vitórias até o momento.

Trabalho detalhado de Sarah Greenwood demonstra a supremacia dos filmes de época atuais (photo by BeyondHollywood.com)

Trabalho detalhado de Sarah Greenwood em Anna Karenina demonstra a supremacia dos filmes de época atuais (photo by BeyondHollywood.com)

Já entre os filmes de fantasia, o novo filme de Ang Lee, que arrebatou 11 indicações ao Oscar, levou a melhor. A produção de David Gropman e Anna Pinnock de As Aventuras de Pi não se limita ao bote salva-vidas. Existe a arquitetura da Índia (da escola ao parque botânico), a piscina que o tio de Pi se deslumbra, a grande embarcação que naufraga e a plantação nativa da ilha dos lêmures. Como o filme foi o vice-recordista de indicações, talvez a Academia compense uma eventual derrota nas categorias principais com esse reconhecimento mais técnico. Gropman fora indicado anteriormente por Regras da Vida em 2000, mas nunca levou o Oscar.

O lar do tigre Richard Parker na visão de David Gropman e Ang Lee em As Aventuras de Pi (photo by OutNow.CH)

O lar do tigre Richard Parker na visão de David Gropman e Ang Lee em As Aventuras de Pi (photo by OutNow.CH)

Na categoria de Filmes Contemporâneos, a 23ª aventura do agente secreto britânico James Bond saiu com o prêmio. 007 – Operação Skyfall conta com a experiência de Dennis Gassner, que já realizou grandes trabalhos em Bugsy (pelo qual ganhou seu único Oscar), Estrada Para Perdição e A Bússola de Ouro. Desta vez, trouxe de volta o glamour de cenários de 007 como a sequência do cassino em Taiwan, a mansão Skyfall na Escócia e os túneis subterrâneos do novo MI6. Particularmente, também aprecio aquela ilha deserta e abandonada que serve como esconderijo do vilão Silva. Há algumas esculturas de pedra quebradas que dão um certo charme ao local. Deveria ser indicado, mas como são apenas cinco finalistas, filmes de época e fantasia largam na frente.

Dennis Gassner cria um cassino luxuoso em Taiwan em 007 - Operação Skyfall (photo by OutNow.CH)

Dennis Gassner cria um cassino luxuoso em Taiwan em 007 – Operação Skyfall (photo by OutNow.CH)

Curiosamente, para apresentar o prêmio especial da noite para os diretores de arte da franquia de James Bond, chamaram a Bond Girl Janes Seymour de 007 – Viva e Deixe Morrer. Ela entregou o Cinematic Imagery Award para Sir Ken Adam, Allen Cameron, Peter Lamont e Dennis Gassner. Lamont e Gassner estavam presentes e aceitaram o prêmio em nome dos demais. Pena que Ken Adam não estava presente, pois ele se tornou o grande realizador da arquitetura dos esconderijos dos vilões clássicos de Bond. Só para citar alguns: o complexo nuclear de Dr. No e o falso Fort Knox em 007 Contra Goldfinger. Grande parte do sucesso da adaptação da obra do escritor Ian Fleming para o cinema se deve ao seu trabalho de gênio.

O complexo secreto do primeiro vilão de 007, Dr. No (photo by OutNow.CH)

O complexo secreto do primeiro vilão de 007, Dr. No (photo by OutNow.CH)

Também houve um prêmio pelo conjunto da obra para Herman Zimmerman, responsável pelo design de Jornada nas Estrelas: A Nova Geração (Star Trek: Next Generation) e mais seis filmes da franquia. Em um vídeo de agradecimento, ele revela: “nunca senti que ser um diretor de arte fosse um trabalho. Muitas horas, mas era muito diversão.”

Seguem indicados e vencedores de 2013:

FILME CONTEMPORÂNEO

• Dennis Gassner (007 – Operação Skyfall)

– Jeremy Hindle (A Hora Mais Escura)

– Nelson Coates (O Vôo)

– Alan MacDonald (O Exótico Hotel Marigold)

– Eugenio Caballero (O Impossível)

FILME DE ÉPOCA

– Sharon Seymour (Argo)

– Eve Stewart (Os Miseráveis)

– Rick Carter (Lincoln)

– J. Michael Riva (Django Livre)

• Sarah Greenwood (Anna Karenina)

FILME DE FANTASIA

– Arthur Max (Prometheus)

• David Gropman (As Aventuras de Pi)

– Nathan Crowley e Kevin Kavanaugh (Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge)

– Hugh Bateup e Uli Hanisch (A Viagem)

– Dan Hennah (O Hobbit: Uma Jornada Inesperada)

Anúncios
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: