114 Trilhas Musicais e 79 Canções competem por 10 indicações no Oscar 2015

Alexandre Desplat tem 5 trilhas elegíveis este ano. O homem mais compõe do que dorme (photo by nytimes.com)

Alexandre Desplat tem 5 trilhas elegíveis este ano. O homem mais compõe do que dorme (photo by Annamaria DiSanto in nytimes.com)

CATEGORIAS MUSICAIS APRESENTAM SEUS VÁRIOS CONCORRENTES PARA O OSCAR 2015

A Academia anunciou 114 trilhas musicais elegíveis para disputar as cobiçadas 5 indicações da categoria Melhor Trilha Musical Original. Trata-se de uma das mais disputadas categorias da premiação, pois além do alto número de competidores, existem regras bem rígidas que desqualificam trabalhos interessantes como aconteceu com a trilha de Howard Shore de O Aviador por apresentar trechos pré-existentes de outras composições ou a intensa trilha de Jonny Greenwood de Sangue Negro por não se encaixar na musicalidade do departamento musical acadêmico.

Este ano, dois trabalhos interessantes foram tachados de inelegíveis: as trilhas de Antonio Sanches (Birdman) e Justin Hurwitz (Whiplash: Em Busca da Perfeição). Curiosamente, ambas são compostas por bateria e, segundo as regras da Academia, não apresentariam os requisitos necessários. Só para citar um exemplo que pode ter colaborado para a desqualificação dos trabalhos, o regulamento pede para que “a trilha seja composta especificamente para o filme pelo compositor como resultado de sua interação com o diretor, não tendo sido ouvido anteriormente em lugar nenhum”, além da regra que não permite a diluição de outras músicas no trabalho final do caso O Aviador citado no primeiro parágrafo.

O compositor Antonio Sanchez ficou de fora da corrida pelo Oscar por sua trilha de Birdman (photo by remezcla.com)

O compositor Antonio Sanchez ficou de fora da corrida pelo Oscar por sua trilha de Birdman (photo by remezcla.com)

Em termos de rigidez, a categoria de Trilha Musical talvez seja a mais chata. Não é à toa que muitas composições em destaque acabam morrendo na praia, desvalorizando a competição em si. Concordo que a Academia deve manter o padrão de sua grandiosa história, mas muitos trabalhos interessantes acabam ficando no limbo por simplesmente não se encaixarem nos moldes pré-determinados. Houve uma época em que havia uma categoria de Trilhas Musicais Adaptadas que poderia acolher estas trilhas do ostracismo, mas foi extinta há muito tempo.

Já entre as trilhas que foram classificadas, o grande herói é o compositor francês Alexandre Desplat com nada menos que CINCO trabalhos elegíveis, tendo dois fortes concorrentes: O Jogo da Imitação (já indicado para o Globo de Ouro) e O Grande Hotel Budapeste. Desplat já foi indicado 6 vezes ao Oscar, mas nunca levou. Talvez seja finalmente seu ano de consagração.

Além de sua trilha, outras quatro foram indicadas ao Globo de Ouro:
– Hans Zimmer (Interstelar)
– Antonio Sanchez (Birdman)
– Trent Reznor e Atticus Ross (Garota Exemplar)
– Jóhann Jóhannsson (A Teoria de Tudo)
– Alexandre Desplat (O Jogo da Imitação)

O jovem compositor Mica Levi, que concorre por Sob a Pele, interessante filme de Jonathan Glazer (photo by m-magazine.co.uk)

O jovem compositor Mica Levi, que concorre por Sob a Pele, interessante filme de Jonathan Glazer (photo by m-magazine.co.uk)

Outro trabalho que vem chamando atenção dos críticos é a trilha de Mica Levi por Sob a Pele. Embora seja sua primeira trilha para cinema, a Academia pode muito bem encaixá-la no lugar do desqualificado Birdman

Segue a lista das 114 trilha musicais que atravessaram a praia:

American Revolutionary: The Evolution of Grace Lee Boggs, por Vivek Maddala
Anita, por Lili Haydn
Annabelle (Annabelle), por Joseph Bishara
Um Novo Amor (At Middleton), por Arturo Sandoval
Atlas Shrugged: Who Is John Galt?, por Elia Cmiral
Ursos (Bears), por George Fenton
Belle, por Rachel Portman
Grandes Olhos (Big Eyes), por Danny Elfman
Operação Big Hero 6 (Big Hero 6), por Henry Jackman
Festa no Céu (The Book of Life), por Gustavo Santaolalla e Tim Davies
Os Boxtrolls (The Boxtrolls), por Dario Marianelli
13º Distrito (Brick Mansions), por Trevor Morris
Cake, por Christophe Beck
Calvário (Calvary), por Patrick Cassidy
Capitão América: O Soldado Invernal (Captain America: The Winter Soldier), por Henry Jackman
The Case against 8, por Blake Neely
Cheatin’, por Nicole Renaud
Planeta dos Macacos: O Confronto (Dawn of the Planet of the Apes), por Michael Giacchino
O Desaparecimento de Eleanor Rigby (The Disappearance of Eleanor Rigby: Them), por Son Lux
Divergente (Divergent), por Tom Holkenborg
Winter, o Golfinho 2 (Dolphin Tale 2), por Rachel Portman
Drácula: A História Nunca Contada (Dracula Untold), por Ramin Djawadi
A Grande Escolha (Draft Day), por John Debney
The Drop, por Marco Beltrami e Buck Sanders
Terra Para Echo (Earth to Echo), por Joseph Trapanese
No Limite do Amanhã (Edge of Tomorrow), por Christophe Beck
Amor Sem Fim (Endless Love), por Christophe Beck e Jake Monaco
O Protetor (The Equalizer), por Harry Gregson-Williams
Êxodo: Deuses e Reis (Exodus: Gods and Kings), por Alberto Iglesias
A Culpa é das Estrelas (The Fault in Our Stars), por Mike Mogis
A Fotografia Oculta de Vivian Maier (Finding Vivian Maier), por J. Ralph
Corações de Ferro (Fury), por Steven Price
Garnet’s Gold, por J. Ralph
Girl on a Bicycle, por Craig Richey
O Doador de Memórias (The Giver), por Marco Beltrami
Godzilla (Godzilla), por Alexandre Desplat
Garota Exemplar (Gone Girl), por Trent Reznor e Atticus Ross
A Boa Mentira (The Good Lie), por Martin Léon
O Grande Hotel Budapeste (The Grand Budapest Hotel), por Alexandre Desplat
The Great Flood, por Bill Frisell
Hércules (Hercules), por Fernando Velázquez
The Hero of Color City, por Zoë Poledouris-Roché e Angel Roché Jr.
O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos (The Hobbit: The Battle of the Five Armies), por Howard Shore
The Homesman, por Marco Beltrami
Quero Matar Meu Chefe 2 (Horrible Bosses 2), por Christopher Lennertz
Como Treinar o Seu Dragão 2 (How to Train Your Dragon 2), por John Powell
A 100 Passos de um Sonho (The Hundred-Foot Journey), por A.R. Rahman
Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1 (The Hunger Games: Mockingjay — Part 1), por James Newton Howard
I Origins, por Will Bates e Phil Mossman
O Jogo da Imitação (The Imitation Game), por Alexandre Desplat
Vício Inerente (Inherent Vice), por Jonny Greenwood
Interestelar (Interstellar), por Hans Zimmer
A Entrevista (The Interview), por Henry Jackman
No Olho do Tornado (Into the Storm), por Brian Tyler
Jal, por Sonu Nigam e Bickram Ghosh
O Juiz (The Judge), por Thomas Newman
O Mensageiro (Kill the Messenger), por Nathan Johnson
Kochadaiiyaan, por A.R. Rahman
A Lenda de Oz (Legends of Oz: Dorothy’s Return), por Toby Chu
Uma Aventura Lego (The Lego Movie), por Mark Mothersbaugh
Libertador (The Liberator), por Gustavo Dudamel
Life Itself – A Vida de Roger Ebert (Life Itself), por Joshua Abrams
Viver é Fácil com os Olhos Fechados (Vivir es Fácil con los Ojos Cerrados), por Pat Metheny
Lucy (Lucy), por Eric Serra
Malévola (Maleficent), por James Newton Howard
Maze Runner: Correr ou Morrer (The Maze Runner), por John Paesano
Merchants of Doubt, por Mark Adler
Arremesso de Ouro (Million Dollar Arm), por A.R. Rahman
Um Milhão de Maneiras de Pegar na Pistola (A Million Ways to Die in the West), por Joel McNeely
As Aventuras de Peabody & Sherman (Mr. Peabody & Sherman), por Danny Elfman
Sr. Turner (Mr. Turner), por Gary Yershon
Caçadores de Obras-Primas (The Monuments Men), por Alexandre Desplat
A Most Violent Year, por Alex Ebert
My Old Lady, por Mark Orton
Uma Noite no Museu 3: O Segredo da Tumba (Night at the Museum: Secret of the Tomb), por Alan Silvestri
O Abutre (Nightcrawler), por James Newton Howard
No God, No Master, por Nuno Malo
Noé (Noah), por Clint Mansell
Sem Escalas (Non-Stop), por John Ottman
The One I Love, por Danny Bensi e Saunder Jurriaans
Ouija – O Jogo dos Espíritos (Ouija), por Anton Sanko
As Aventuras de Paddington (Paddington), por Nick Urata
Os Pinguins de Madagascar (Penguins of Madagascar), por Lorne Balfe
Pompeia (Pompeii), por Clinton Shorter
Uma Noite de Crime: Anarquia (The Purge: Anarchy), por Nathan Whitehead
Uma Longa Viagem (The Railway Man), por David Hirschfelder
Red Army, por Christophe Beck and Leo Birenberg
Ride Along, por Christopher Lennertz
Rocks in My Pockets, por Kristian Sensini
Rosewater, por Howard Shore
Um Santo Vizinho (St. Vincent), por Theodore Shapiro
O Sal da Terra (The Salt of the Earth), por Laurent Petitgand
Selma, por Jason Moran
The Signal, por Nima Fakhrara
Expresso da Amanhã (Snowpiercer), por Marco Beltrami
Song of the Sea, por Bruno Coulais
Para Sempre Alice (Still Alice), por Ilan Eshkeri
O Conto da Princesa Kaguya (Kaguyahime no Monogatari), por Joe Hisaishi
As Tartarugas Ninja (Teenage Mutant Ninja Turtles), por Brian Tyler
Namoro ou Liberdade (That Awkward Moment), por David Torn
A Teoria de Tudo (The Theory of Everything), por Jóhann Jóhannsson
Sete Dias Sem Fim (This Is Where I Leave You), por Michael Giacchino
300: A Ascensão do Império (300: Rise of an Empire), por Tom Holkenborg
Tracks, por Garth Stevenson
Transformers: A Era da Extinção (Transformers: Age of Extinction), por Steve Jablonsky
Anjos da Lei 2 (22 Jump Street), por Mark Mothersbaugh
Invencível (Unbroken), por Alexandre Desplat
Sob a Pele (Under the Skin), por Mica Levi
Virunga, por Patrick Jonsson
Visitors, por Philip Glass
Caçada Mortal (A Walk among the Tombstones), por Carlos Rafael Rivera
Walking With the Enemy, por Timothy Williams
Relatos Selvagens (Relatos Salvajes), por Gustavo Santaolalla
X-Men: Dias de um Futuro Esquecido (X-Men: Days of Future Past), por John Ottman

A Academia também anunciou as 79 canções que vão disputar vaga nas 5 indicações na categoria Canção Original. Esperamos que eles tenham feito os devidos ajustes para que o deslize desse ano não volte a acontecer. Uma das canções indicadas, “Alone Yet Not Alone”, acabou desqualificada depois que descobriram que o compositor Bruce Broughton comprou votos se aproveitando de seu cargo anterior de chefe de departamento musical da Academia. Irredutível, a Academia não substituiu a canção desclassificada pela mais votada não-indicada, prejudicando o trabalho de outros compositores (veja matéria completa: https://cinemaoscareafins.wordpress.com/2014/01/30/oscar-corta-indicacao-de-alone-yet-not-alone-como-melhor-cancao-original/)

Dentre os 79 selecionáveis, existem muitas canções pertencentes aos gêneros de animação. Uma Aventura Lego, Como Treinar o Seu Dragão 2, Os Boxtrolls, Festa no Céu, Operação Big Hero 6, The Hero of Color City, As Aventuras de Peabody & Sherman, Aviões 2: Heróis do Fogo ao ResgateRio 2 correspondem ao total de 14 pré-indicados, sendo que só Rio 2 já apresenta 4 canções elegíveis.

A animação Rio 2, do brasileiro Carlos Saldanha, concorre com 4 canções originais. Pelo primeiro filme, foi indicado por "Real in Rio", mas perdeu para o filme dos Muppets (photo by outnow.ch)

A animação Rio 2, do brasileiro Carlos Saldanha, concorre com 4 canções originais. Pelo primeiro filme, foi indicado por “Real in Rio”, mas perdeu para o filme dos Muppets (photo by outnow.ch)

Apesar de nos últimos anos, muitos vencedores desta categoria serem desconhecidos do grande público como a dupla Kristen-Anderson Lopez e Robert Lopez de Frozen: Uma Aventura Congelante (“Let it Go”) e o casal Glen Hansard e Markéta Irglová de Apenas Uma Vez (“Falling Slowly”), a Academia adora indicar artistas renomados para a festa. Assim, nomes do meio musical como Coldplay (pela canção “Miracles” de Invencível) e a jovem Lorde (pela canção “Yellow Flicker Beat” de Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1) são aguardados no tapete vermelho.

A cantora Lorde em premiere do filme Jogos Vorazes: A Esperança - Parte 1 em Londres (photo by creativejeniusreport.com)

A cantora Lorde em premiere do filme Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1 em Londres (photo by creativejeniusreport.com)

Embora nos últimos 5 anos apenas 2 vencedores da categoria tenham coincidido, vale lembrar que os 5 indicados do Globo de Ouro desta edição são:
– “Opportunity” de Annie
– “Mecy Is” de Noé
– “Glory” de Selma
– “Big Eyes” de Grandes Olhos
– “Yellow Flicker Beat” de Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1

Segue a lista das 79 canções:

“It’s on Again” de O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro (The Amazing Spider-Man 2)
“Opportunity” de Annie
“Lost Stars” from Mesmo Se Nada Der Certo (Begin Again)
“Grateful” de Além das Luzes (Beyond the Lights)
“Big Eyes” de Grandes Olhos (Big Eyes)
“Immortals” de Operação Big Hero 6 (Big Hero 6)
“The Apology Song” de Festa no Céu (The Book of Life)
“I Love You Too Much” de Festa no Céu (The Book of Life)
“The Boxtrolls Song” de Os The Boxtrolls (The Boxtrolls)
“Quattro Sabatino” de Os Boxtrolls (The Boxtrolls)
“Ryan’s Song” de Boyhood: Da Infância à Juventude (Boyhood)
“Split the Difference” de Boyhood: Da Infância à Juventude (Boyhood)
“No Fate Awaits Me” de O Desaparecimento de Eleanor Rigby (The Disappearance of Eleanor Rigby: Them)
“Brave Souls” de Winter, o Golfinho 2 (Dolphin Tale 2)
“You Got Me” de Winter, o Golfinho (Dolphin Tale 2)
“All Our Endless Love”de Amor Sem Fim
“Let Me In” de A Culpa é das Estrelas (The Fault in Our Stars)
“Not About Angels” de A Culpa é das Estrelas (The Fault in Our Stars)
“Until the End” de Garnet’s Gold
“It Just Takes a Moment” de Girl on a Bicycle
“Last Stop Paris” de Girl on a Bicycle
“Ordinary Human” de O Doador de Memórias (The Giver)
“I’m Not Gonna Miss You” de Glen Campbell…I’ll Be Me
“Find a Way” de A Boa Mentira (The Good Lie)
“Color the World” de The Hero of Color City
“The Last Goodbye” de O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos (The Hobbit: The Battle of the Five Armies)
“Chariots” de The Hornet’s Nest
“Follow Me” de The Hornet’s Nest
“Something to Shoot For” de Hot Guys with Guns
“For the Dancing and the Dreaming” de Como Treinar o Seu Dragão 2 (How to Train Your Dragon 2)
“Afreen” de A 100 Passos de um Sonho (The Hundred-Foot Journey)
“Yellow Flicker Beat” de Jogos Vorazes: A Esperança — Parte 1 (The Hunger Games: Mockingjay – Part 1)
“Heart Like Yours” de Se Eu Ficar (If I Stay)
“I Never Wanted to Go” de Se Eu Ficar (If I Stay)
“Mind” de Se Eu Ficar (If I Stay)
“Everything Is Awesome” de Uma Aventura Lego (The Lego Movie)
“Call Me When You Find Yourself” de Life Inside Out
“Coming Back to You” de Life of an Actress The Musical
“The Life of an Actress” de Life of an Actress The Musical
“Sister Rust” de Lucy (Lucy)
“You Fooled Me” de Merchants of Doubt
“Million Dollar Dream” de Arremesso de Ouro (Million Dollar Arm)
“Spreading the Word/Makhna” de Arremesso de Ouro (Million Dollar Arm)
“We Could Be Kings” de Arremesso de Ouro (Million Dollar Arm)
“A Million Ways to Die” de Um Milhão de Maneiras de Pegar na Pistola (A Million Ways to Die in the West)
“Way Back When” de As Aventuras de Peabody & Sherman (Mr. Peabody & Sherman)
“America for Me” de A Most Violent Year
“I’ll Get You What You Want (Cockatoo in Malibu)” de Muppets 2: Procurados e Amados (Muppets Most Wanted)
“Something So Right” de Muppets 2: Procurados e Amados (Muppets Most Wanted)
“We’re Doing a Sequel” de Muppets 2: Procurados e Amados (Muppets Most Wanted)
“Mercy Is” de Noé (Noah)
“Seeds” de Occupy the Farm
“Grant My Freedom” de The One I Wrote for You
“The One I Wrote For You” de The One I Wrote for You
“Hal” de Amantes Eternos (Only Lovers Left Alive)
“Shine” de As Aventuras de Paddington (Paddington)
“Still I Fly” de Aviões 2: Heróis do Fogo ao Resgate (Planes: Fire & Rescue)
“Batucada Familia” de Rio 2 (Rio 2)
“Beautiful Creatures” de Rio 2 (Rio 2)
“Poisonous Love” de Rio 2 (Rio 2)
“What Is Love” de Rio 2 (Rio 2)
“Over Your Shoulder” de Rudderless
“Sing Along” de Rudderless
“Stay With You” de Rudderless
“Everyone Hides” de Um Santo Vizinho (St. Vincent)
“Why Why Why” de Um Santo Vizinho (St. Vincent)
“Glory” de Selma
“The Morning” de A Small Section of the World
“Special” de Special
“Gimme Some” de #Stuck
“The Only Thing” de Third Person
“Battle Cry” de Transformers: A Era da Extinção (Transformers: Age of Extinction)
“Miracles” de Invencível (Unbroken)
“Summer Nights” de Under the Electric Sky
“We Will Not Go” de Virunga
“Heavenly Father” de Wish I Was Here
“So Now What” de Wish I Was Here
“Long Braid” de WWW: Work Weather Wife
“Moon” de WWW: Work Weather Wife

As indicações ao Oscar 2015 acontece no dia 15 de janeiro. E a cerimônia será transmitida ao vivo no dia 22 de fevereiro.

Anúncios

Oscar corta indicação de “Alone Yet Not Alone” como Melhor Canção Original

Pôster do filme Alone Yet Not Alone (photo by cinemagia.ro)

Pôster do filme Alone Yet Not Alone (photo by cinemagia.ro)

LOBBY DE MEMBRO INTERNO CAUSOU ELIMINAÇÃO

Numa decisão pra lá de incomum, a Academia decidiu eliminar um indicado. A canção “Alone Yet Not Alone” pertencente ao filme homônimo não está mais concorrendo ao prêmio porque houve acusações de que seu compositor, o ex-presidente do departamento de música Bruce Broughton, teria se aproveitado de sua posição como atual líder do comitê executivo para promover seu trabalho para obter votos.

O procedimento para eleger os indicados de Melhor Canção Original envolve a distribuição de um CD com todos os trabalhos elegíveis para os membros votantes do departamento de música. Segundo o acusado Broughton, ele apenas teria escrito para algumas pessoas e dito “Você poderia dar uma olhada nessa canção?”, o que seria menos direto do que o costumeiro lobby promovido pelos estúdios, que pode incluir desde a cópia do filme até brindes personalizados.

Visto sob esse ângulo, a campanha pessoal de Bruce Broughton não parece uma tática ilegal, porém, o problema maior é que ele faz parte da própria organização. É como naqueles concursos promocionais em que a cláusula “está vedada a participação de funcionários da empresa ou pessoas ligadas” é constante.

O compositor Bruce Broughton (photo by hollywoodinvienna.com)

O compositor Bruce Broughton (photo by hollywoodinvienna.com)

“Não importa o quão bem-intencionado ele tenha sido, usufruir de sua posição como ex-presidente e atual executivo do comitê para promover sua candidatura ao Oscar cria a impressão de uma injusta vantagem”, declarou a presidente da Academia, Cheryl Boone Isaac.

Apesar de concordar com a desqualificação da música, sou a favor de revisarem a questão do lobby, que muitas vezes é tão intenso e selvagem que acaba elegendo os filmes por sua campanha, e não por sua qualidade fílmica como deveria ser. Independente do filme promovido, a Weinstein Company de Harvey Weinstein (ex-dono da Miramax) tem conquistado alguns Oscars ao investir pesado nas campanhas, sendo a mais lembrada a vitória de Shakespeare Apaixonado e A Vida é Bela sobre O Resgate do Soldado Ryan e Além da Linha Vermelha em 1999.

É uma pena que um trabalho seja eliminado desta maneira. A atitude do compositor prejudicou a equipe que suou a camisa pra criar esta canção. Aliás, pra ficar mais feio ainda para Broughton, “Alone Yet Not Alone” é cantada por Joni Eareckson Tada, uma senhora cristã quadriplégica. No videoclipe abaixo, é possível conferir a canção e como ela consegue imprimir emoção na letra mesmo com o corpo e os pulmões debilitados. Não acredito que ganharia o Oscar, mas seria um belo candidato. Uma pena.

O fato da vaga aberta não ser preenchida por outra canção prejudica outras canções que poderiam conquistar a indicação como a comentada “Young and Beautiful”, de Lana Del Rey pelo filme O Grande Gatsby, por exemplo. Melhor para as quatro canções remanescentes:

“Let it Go”, de Frozen: Uma Aventura Congelante

“Happy”, de Meu Malvado Favorito 2

“The Moon Song”, de Ela

“Ordinary Love”, de Mandela: Long Walk to Freedom

CASOS RAROS NA ACADEMIA

Embora seja de uma raridade singular, esta eliminação não é inédita na história do Oscar.

Em 2012, a Academia descobriu que o curta-metragem Tuba Atlantic já havia sido transmitido pela TV norueguesa em 2010, tornando-o inelegível ao prêmio.

Em 1992, após o anúncio dos indicados, descobriram que o representante uruguaio A Place in the World foi todo produzido na Argentina e não continha controle artístico uruguaio o suficiente. O filme foi eliminado na categoria de Melhor Filme em Língua Estrangeira.

Cena de O Poderoso Chefão com Marlon Brando: trilha desqualificada (photo by hidefdiscnews.com)

Cena de O Poderoso Chefão com Marlon Brando: trilha desqualificada (photo by hidefdiscnews.com)

Em 1972, a trilha musical de Nino Rota para o clássico O Poderoso Chefão foi desqualificada, pois havia parte do tema previamente utilizado na comédia Fortunella. Curiosamente, o compositor italiano ganhou o Oscar dois anos depois com a trilha de O Poderoso Chefão 2, que tinha grandes semelhanças com a trilha do primeiro filme da trilogia.

Em 1969, o documentário Young Americans foi anunciado o vencedor da categoria, mas um mês depois foi revelado que a produção já havia sido exibida em 1967, prazo anterior ao elegível. Nesse caso, o segundo mais votado, Journey into Self, acabou levando o Oscar no lugar.

Em 1932, o curta de comédia Stout Hearts and Willing Hands foi removida da competição antes do fim da apuração. Assim, outro curta da RKO Radio preencheu a vaga, contudo não houve explicação oficial para essa troca.

‘Gravidade’ e ‘Trapaça’ lideram as indicações ao Oscar 2014

the-oscars

COM TODAS AS CATEGORIAS BEM PREENCHIDAS, HOUVE POUCO ESPAÇO PARA SURPRESAS, SEJAM AGRADÁVEIS OU INDESEJÁVEIS

OK. Depois de vários anos convidando atrizes para anunciar as indicações ao Oscar, as indicadas finalmente tiveram o prazer de terem seus nomes pronunciados pelo sotaque australiano de Chris Hemsworth. E pelo visto, o tom mais cômico e informal do ano passado criado pela dupla Seth MacFarlane e Emma Stone não deve ter agradado a todos. A presidente da Academia, Cheryl Boone Isaacs, retoma a presença da comissão oficial ao palanque. E a ordem alfabética dos indicados foi reestabelecida.

NÚMEROS DO OSCAR 2014

Os grandes recordistas de indicações este ano são Gravidade e Trapaça com 10 indicações. Logo atrás, 12 Anos de Escravidão vem com 9 indicações. Os três estão competindo nas principais categorias, entre elas: Melhor Filme e Diretor.

Nos últimos anos, o recorde de indicações no ano não tem significado garantia de Oscar de Melhor Filme. No ano passado, por exemplo, Lincoln teve 12 indicações e acabou chupando os dedos com apenas dois Oscars, enquanto Argo se tornou Melhor Filme com 7 indicações.

Com 6 indicações, temos Nebraska e Capitão Phillips. Com 5: O Lobo de Wall Street, Ela e Clube de Compras Dallas, seguidos por Philomena com 4.

SURPRESAS OU PEQUENAS ALTERAÇÕES NOS INDICADOS?

Apesar deste ano haver pouca chance para surpresas pelo elevada quantidade de competidores de alto nível, algumas trocas chegaram a surpreender. Contrariando o mais parelho de todos os prêmios, o DGA, Alexander Payne (Nebraska) substituiu Paul Greengrass (Capitão Phillips), denotando um prestígio colossal de Payne em Hollywood. Esta é sua 3ª indicação como diretor (foi indicado por Sideways e Os Descendentes), e já ganhou 2 vezes como roteirista (Sideways e Os Descendentes). Nebraska totaliza seis indicações e pode render o Oscar para o veterano Bruce Dern.

À direita, Alexander Payne dirige o veterano Bruce Dern em set de Nebraska. Ele conseguiu sua 3ª indicação como diretor (photo by www.collider.com)

À direita, Alexander Payne dirige o veterano Bruce Dern em set de Nebraska. Ele conseguiu sua 3ª indicação como diretor (photo by http://www.collider.com)

Aliás, em sua categoria de Mehor Ator, Tom Hanks (Capitão Phillips) foi cortado de última hora. Embora não tenha vencido nenhum prêmio expressivo por essa atuação, ele vinha figurando em quase todas as listas dos melhores de 2013. Hanks também fica de fora da categoria de coadjuvante pelo filme Walt nos Bastidores de Mary Poppins. Recém-vitorioso no Globo de Ouro, Leonardo DiCaprio conseguiu sua 4ª indicação após ser ignorado pela Academia no ano passado por Django Livre.

Havia um certo hype para indicarem o galã veterano Robert Redford por Até o Fim, mas não se concretizou. Apesar de ser conhecido como ator, ele ganhou seu único Oscar como diretor em 1981 pelo drama Gente Como a Gente. Até o Fim (All is Lost) venceu o Globo de Ouro de Melhor Triha Musical, mas teve que se contentar com a única indicação para Melhores Efeitos Sonoros.

Já na ala feminina, a vencedora do Globo de Ouro, Amy Adams (Trapaça) finalmente obteve sua primeira indicação como Melhor Atriz. Suas quatro indicações anteriores foram sempre como Atriz Coadjuvante. Num ano em que teve três trabalhos em destaque (além de Trapaça, houve Ela e O Homem de Aço), sua indicação comprova essa extrema ascensão em Hollywood. Ela não é bem do tipo que se transforma fisicamente e sequer usa maquiagem para ficar mais feia (sim, ela sempre tem esse rostinho lindo de patricinha), mas ela sabe encarnar bem personagens bem distintos. Já foi garçonete, princesa, cozinheira e freira. Podia talvez ter modificado um pouco sua aparência para O Mestre, mas ela consegue entregar uma performance diferente num papel ameaçador que merecia mais tempo no filme de Paul Thomas Anderson.

Amy Adams em personagem no filme Trapaça. 1ª indicação como atriz principal (photo by www.collider.com)

Amy Adams em personagem no filme Trapaça. 1ª indicação como atriz principal (photo by http://www.collider.com)

E temos mais um novo recorde para Meryl Streep. 18ª indicação ao Oscar! Apesar de ter vencido há 2 anos por A Dama de Ferro, Meryl é sempre uma forte candidata mesmo quando sua personagem em Álbum de Família é grossa e amarga. Ela perdeu o Globo de Ouro para Amy Adams, mas consegue a vaga que poderia ter sido da britânica Emma Thompson (por Walt nos Bastidores de Mary Poppins). Aliás, o filme sobre a autora e criadora de Mary Poppins só não ficou totalmente de fora do Oscar 2014, porque a trilha musical de Thomas Newman salvou o filme do esquecimento.

Continuando nos atores, vale destacar a segunda indicação para o jovem Jonah Hill por O Lobo de Wall Street. Ele havia sido indicado anteriormente por O Homem que Mudou o Jogo na mesma categoria. Seu reconhecimento comprova o prestígio que Scorsese tem na direção de atores, pois se dependesse do currículo de comédias, dificilmente Hill teria chances no Oscar. Particularmente, adoro Jonah Hill em Superbad – É Hoje (2007), e me surpreendi com o amadurecimento do ator em tão pouco tempo. Sem 2012 ele tirou Albert Brooks da categoria, este ano ele tirou a boa atuação de Daniel Brühl (Rush: No Limite da Emoção), que vinha aparecendo em todas as listas de coadjuvante.

Jonah Hill conquista sua segunda indicação com apenas 30 anos (photo by movies.yahoo.com)

Jonah Hill conquista sua segunda indicação com apenas 30 anos (photo by movies.yahoo.com)

Entre as mulheres, havia uma forte pressão para que a Academia indicasse a estrela maior da TV americana, Oprah Winfrey por O Mordomo da Casa Branca, pois ela traria peso ao tapete vermelho do Oscar. Felizmente, os membros votantes não se intimidaram com a figura de Oprah e indicaram a britânica Sally Hawkins, por uma performance e personagens mais consistentes em Blue Jasmine.

Minha maior alegria foi ver duas produções estrangeiras concorrendo no Oscar de Melhor Animação: o japonês Vidas ao Vento, de Hayao Miyazaki, e o francês Ernest & Celestine, de Benjamin Renner e Didier Brunner, comprovando a força da escola francesa de animação. Apesar de admirar os filmes da Pixar, acho que ultimamente eles não têm acertado na escolha dos projetos. Fazer sequências nem sempre é o melhor negócio. Universidade Monstros não concorre ao Oscar. Não sei se a vitória será de um dos estrangeiros, mas se tiver de ser americana, torço por Os Croods.

Ernest & Celestine (França) e Vidas ao Vento (Japão) fazem uma mini briga de filme estrangeiro na categoria de Animação pela primeira vez (www.cartoonbrew.com)

Ernest & Celestine (França) e Vidas ao Vento (Japão) fazem uma mini briga de filme estrangeiro na categoria de Animação pela primeira vez (www.cartoonbrew.com)

O musical dos irmãos Coen, Inside Llewyn Davis, teve de se contentar com as indicações para Melhor Fotografia para Bruno Delbonnel e Melhor Som. Esperava-se que haveria pelo menos uma indicação para Melhor Canção Original, mas também ficou de fora. O filme teve boa aceitação da crítica, mas o público não abraçou o novo filme dos Coen. Em 2011, Bravura Indômita concorreu em 10 categorias, mas não ganhou nada.

Já a inclusão da comédia Jackass Apresenta: Vovô Sem Vergonha na categoria Maquiagem foi uma surpresa. Tudo bem que já haviam indicado Norbit na mesma categoria alguns anos atrás, mas o tipo de humor pornográfico e escatológico dificilmente adentra as categorias do Oscar. Com certeza, a hostess Ellen DeGeneres fará alguma piada em cima disso…

À direita, Johnny Knoxville transformado no vovô politicamente incorreto de Jackass Apresenta: Vovô Sem Vergonha (photo by www.geeksofdoom.com)

À direita, Johnny Knoxville transformado no vovô politicamente incorreto de Jackass Apresenta: Vovô Sem Vergonha (photo by http://www.geeksofdoom.com)

Se o Oscar pode indicar um filme desses, por que não perdoar e acolher o fracasso comercial O Cavaleiro Solitário? Repleto de altas expectativas, o filme estreou no verão americano, mas não obteve boa resposta nas bilhererias. A Academia deu uma nova chance ao filme de Gore Verbinski arrecadar dinheiro, reconhecendo-o nas categorias de Maquiagem e Efeitos Visuais. Aliás, ele roubou a vaga dos efeitos digitais dos ótimos monstros de Círculo de Fogo.

Gostei também da indicação para William Butler e Owen Pallett para Trilha Musical Original por Ela. Trata-se de um importante reconhecimento para a música e a canção “The Moon Song” do mesmo filme. Essa aliança, que se repete depois de Onde Vivem os Monstros, reforça o prestígio que o diretor Spike Jonze tem com os artistas musicais Karen O e a banda Arcade Fire.

Na categoria de Filme Estrangeiro, na ausência do francês Azul é a Cor Mais Quente (desqualificado pelas regras da Academia), a briga deve ficar acirrada entre o dinamarquês A Caça e o italiano A Grande Beleza, que venceu o Globo de Ouro no último domingo. Contudo, o representante belga The Broken Circle Breakdown pode surpreender em caso de empate de votos. A indicação de The Missing Picture entra para a História como a primeira do Camboja. O filme ganhou o prêmio Un Certain Regard em Cannes em 2013.

Toni Servillo em cena de A Grande Beleza (photo by www.outnow.ch)

Toni Servillo em cena de A Grande Beleza (photo by http://www.outnow.ch)

A grande surpresa aqui é a exclusão de O Grande Mestre, de Wong Kar-Wai (Hong Kong), mesmo tendo conquistado indicações nas categorias técnicas de Fotografia e Figurino. É uma pena que Kar-Wai não tenha sido indicado, pois seria uma oportunidade rara de reconhecer um dos cineastas mais ousados das últimas duas décadas. Em sua filmografia, constam títulos como Amores Expressos, Feliz Juntos, Amor à Flor da Pele e 2046 – Os Segredos do Amor.

Tudo bem que a fotografia e o figurino são os campos em destaque de O Grande Mestre, mas e a indicação para Filme Estrangeiro? (photo by themovieblog.com)

Tudo bem que a fotografia e o figurino são os campos em destaque de O Grande Mestre, mas e a indicação para Filme Estrangeiro? (photo by themovieblog.com)

Na categoria de Documentário, a ausência de Histórias que Contamos (Stories We Tell), de Sarah Polley, foi a mais surpreendente, afinal venceu três grandes prêmios da crítica americana: National Board of Review, Los Angeles Film Critics Association e New York Film Critics Circle. Se alguém souber de um motivo oficial, por favor comente abaixo! O prêmio deve ficar entre O Ato de Matar e A Um Passo do Estrelato.

Pra quem perdeu ao vivo, confira o vídeo do anúncio dos indicados:

MELHOR FILME
Trapaça (American Hustle)
Capitão Phillips (Captain Phillips)
Clube de Compras Dallas (Dallas Buyers Club)
Gravidade (Gravity)
Ela (Her)
Nebraska
Philomena
12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)
O Lobo de Wall Street (The Wolf of Wall Street)

MELHOR DIRETOR
Alfonso Cuarón (Gravidade)
Steve McQueen (12 Anos de Escravidão)
Alexander Payne (Nebraska)
David O. Russell (Trapaça)
Martin Scorsese (O Lobo de Wall Street)

MELHOR ATOR
Christian Bale (Trapaça)
Bruce Dern (Nebraska)
Leonardo DiCaprio (O Lobo de Wall Street)
Chiwetel Ejiofor (12 Anos de Escravidão)
Matthew McConaughey (Clube de Compras Dallas)

MELHOR ATRIZ
Amy Adams (Trapaça)
Cate Blanchett (Blue Jasmine)
Sandra Bullock (Gravidade)
Judi Dench (Philomena)
Meryl Streep (Álbum de Família)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Barkhad Abdi (Capitão Phillips)
Bradley Cooper (Trapaça)
Michael Fassbender (12 Anos de Escravidão)
Jonah Hill (O Lobo de Wall Street)
Jared Leto (Clube de Compras Dallas)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Sally Hawkins (Bue Jasmine)
Jennifer Lawrence (Trapaça)
Lupita Nyong’o (12 Anos de Escravidão)
Julia Roberts (Álbum de Família)
June Squibb (Nebraska)

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Eric Warren Singer, David O. Russell (Trapaça)
Woody Allen (Blue Jasmine)
Craig Borten, Melisa Wallack (Clube de Compras Dallas)
Spike Jonze (Ela)
Bob Nelson (Nebraska)

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Richard Linklater, Julie Delpy, Ethan Hawke (Antes da Meia-Noite)
Billy Ray (Capitão Phillips)
Steve Coogan, Jeff Pope (Philomena)
John Ridley (12 Anos de Escravidão)
Terence Winter (O Lobo de Wall Street)

MELHOR FOTOGRAFIA
Philippe Le Sourd (O Grande Mestre)
Emmanuel Lubezki (Gravidade)
Bruno Delbonnel (Inside Llewyn Davis – Balada de um Homem Comum)
Phedon Papamichael (Nebraska)
Roger Deakins (Os Suspeitos)

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE
Judy Becker, Heather Loeffler (Trapaça)
Andy Nicholson, Rosie Goodwin (Gravidade)
Catherine Martin, Beverley Dunn (O Grande Gatsby)
K.K. Barrett, Gene Serdena (Ela)
Adam Stockhausen, Alice Baker (12 Anos de Escravidão)

MELHOR MONTAGEM
Alan Baumgarten, Jay Cassidy, Crispin Struthers (Trapaça)
Christopher Rouse (Capitão Phillips)
John Mac McMurphy, Martin Pensa (Clube de Compras Dallas)
Alfonso Cuarón, Mark Sanger (Gravidade)
Joe Walker (12 Anos de Escravidão)

MELHOR FIGURINO
Michael Wilkinson (Trapaça)
William Chang Suk Ping (O Grande Mestre)
Catherine Martin (O Grande Gatsby)
Michael O’Connor (The Invisible Woman)
Patricia Norris (12 Anos de Escravidão)

MELHOR MAQUIAGEM
Adruitha Lee, Robin Mathews (Clube de Compras Dallas)
Steve Prouty (Jackass Apresenta: Vovô Sem Vergonha)
Joel Harlow, Gloria Pasqua Casny (O Cavaleiro Solitário)

MELHOR TRILHA MUSICAL ORIGINAL
John Williams (A Menina que Roubava Livros)
Steven Price (Gravidade)
William Butler e Owen Pallett (Ela)
Thomas Newman (Walt nos Bastidores de Mary Poppins)
Alexandre Desplat (Philomena)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Happy” – Pharrell Williams (Meu Malvado Favorito 2)
“Let It Go” – Robert Lopez, Kristen Anderson-Lopez (Frozen: Uma Aventura Congelante)
“Ordinary Love” – Bono, Adam Clayton, The Edge, Larry Mullen Jr. (Mandela: Long Walk to Freedom)
“The Moon Song” – Karen O, Spike Jonze (Ela)
“Alone Yet Not Alone” – Bruce Broughton, Dennis Spiegel (Alone Yet Not Alone)

MELHOR SOM
– Chris Burdon, Mark Taylor, Mike Prestwood Smith, Chris Munro (Capitão Phillips)
– Skip Lievsay, Niv Adiri, Christopher Benstead, Chris Munro (Gravidade)
– Christopher Boyes, Michael Hedges, Michael Semanick, Tony Johnson (O Hobbit: A Desolação de Smaug)
– Skip Lievsay, Greg Orloff, Peter F. Kurland (Inside Llewyn Davis – Balada de um Homem Comum)
– Andy Koyama, Beau Borders, David Bronlow (O Grande Herói)

MELHORES EFEITOS SONOROS
– Steve Boeddeker, Richard Hymns (Até o Fim)
– Oliver Tarney (Capitão Phillips)
– Glenn Freemantle (Gravidade)
– Brent Burge (O Hobbit: A Desolação de Smaug)
– Wylie Stateman (O Grande Herói)

MELHORES EFEITOS VISUAIS
– Timothy Webber, Chris Lawrence, David Shirk, Neil Corbould (Gravidade)
– Joe Letteri, Eric Saindon, David Clayton, Eric Reynolds (O Hobbit: A Desolação de Smaug)
– Christopher Townsend, Guy Williams, Erik Nash, Daniel Sudick (Homem de Ferro 3)
– Tim Alexander, Gary Brozenich, Edson Williams, John Frazier (O Cavaleiro Solitário)
– Roger Guyett, Pat Tubach, Ben Grossmann, Burt Dalton (Além da Escuridão – Star Trek)

MELHOR ANIMAÇÃO
– Os Croods (The Croods)
– Meu Malvado Favorito (Despicable Me 2)
– Ernest & Celestine (idem)
– Frozen: Uma Aventura Congelante (Frozen)
– Vidas ao Vento (The Wind Rises)

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
– The Broken Circle Breakdown (Bélgica)
– A Grande Beleza (Itália)
– A Caça (Dinamarca)
– The Missing Picture (Camboja)
– Omar (Palestina)

MELHOR DOCUMENTÁRIO
– O Ato de Matar (The Act of Killing), de Joshua Oppenheimer, Signe Byrge Sørensen
– Cutie and the Boxer, de Zachary Heinzerling, Lydia Dean Pilcher
– Guerras Sujas (Dirty Wars), de Rick Rowley, Jeremy Scahill
– The Square (Al Midan), de Jehane Noujaim, Karim Amer
– A Um Passo do Estrelato (20 Feet from Stardom), de Morgan Neville

MELHOR DOCUMENTÁRIO-CURTA
– CaveDigger, de Jeffrey Karoff
– Facing Fear, de Jason Cohen
– Karama Has No Walls, de Sara Ishaq
– The Lady in Number 6: Music Saved My Life, de Malcolm Clarke, Carl Freed
– Prison Terminal: The Last Days of Private Jack Hall, de Edgar Barens

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO
– Feral, de Daniel Sousa, Dan Golden
– É Hora de Viajar, de Lauren MacMullan, Dorothy McKim
– Mr. Hublot, de Laurent Witz, Alexandre Espigares
– Possessions, de Shuhei Morita
– Room on the Broom, de Max Lang, Jan Lachauer

MELHOR CURTA-METRAGEM
– Aquel No Era Yo (That Wasn’t Me), de Esteban Crespo
– Avant Que De Tout Perdre (Just Before Losing Everything), de Xavier Legrand
– Helium, de Anders Walter
– Do I Have to Take Care of Everything?, de Selma Vilhunen
– The Voorman Problem, de Mark Gill